Introducao a Astronomia

4.772 visualizações

Publicada em

Apresentaçao com o intuito de iniciar um curso de astronomia para alunos do Ensino Médio. Em geral esta apresentação só mostra algumas imagens de interesse.

Publicada em: Educação, Tecnologia
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.772
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
188
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
75
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Betelgeuse, a segunda estrela mais brilhante da constelação do Órion (a mais brilhante é Rigel a 800 a.l.) está a uma distância de cerca de 600 anos-luz. Sua luminosidade é 14 000 vezes maior que a do Sol, embora tenha somente 20 vezes sua massa. Seu raio é de cerca de 1000 vezes o raio do Sol.
  • Eta Carinae Eta Carinae, (na constelação da Quilha , ou "Carina", em latim), está a 7500 anos-luz da Terra . Uma estrela vísivel no Hemisfério Sul (incluindo Brasil ), mas não no Hemisfério Norte (incluindo Portugal ). De tamanho muito grande (100 a 150 vezes a massa do Sol ), seu aspecto mais marcante é a variação de seu brilho em várias ordens de magnitude.       Eta Carinae, uma estrela misteriosa ora muito brilhante ora invisível a olho nu. Quando foi pela primeira vez catalogada em 1677 por Edmond Halley , era uma estrela de magnitude 4, mas mais tarde ficou mais brilhante, atingindo o brilho de Sírio, apesar da sua enorme distância. Depois disso (entre 1900 e 1940), a magnitude era apenas de 8. Em 2002 , tinha magnitude 5, tendo de repente e surpreendentemente dobrado o seu brilho entre 1998 e 1999 . Tudo indica tratar-se de uma sistema binário de estrelas muito próximas uma da outra. A estrela de menor diâmetro é a mais quente (30 000 °C) e a outra com o triplo do diâmetro é mais fria (15 000 °C), mas duas vezes mais brilhante. Este sistema estelar está envolto numa densa nuvem de gases e poeiras , que forma uma nebulosa 400 vezes mais extensa do que o Sistema Solar , conhecida como a Nebulosa de Eta Carinae (ou NGC3372). A perda de luminosidade deve-se, possivelmente, a uma consequência da aproximação máxima entre as duas estrelas, o periastro , altura em que a estrela menor encobre quase metade da maior. A diminuição de brilho é equivalente a 20 vezes o do Sol , mas brilhando como 4 a 5 milhões de sóis. O período de rotação das estrelas (uma em relação à outra) é de 5,5 anos. O que torna Eta Carinae especial é o seu brilho muito instável e de forma extremamente rápida, devido à poeira e o encobrimento da estrela maior pela menor, ao contrário das outras estrelas visíveis a partir da Terra . Em 1830 , brilhava tanto como Sírio (a estrela mais brilhante). Actualmente, só é visível em locais muito escuros, sendo o seu brilho muito baixo; há 40 anos atrás até era necessário um telescópio para a poder observar. O astrónomo brasileiro Augusto Damineli, professor do IAG - USP , é um dos que afirmam que a estrela é uma variável pois a cada cinco anos e meio, segundo ele, acontece uma redução no seu brilho, já outros astrônomos não aceitavam essa teoria, no entanto em 1997 , ocorreu uma nova redução do brilho, o fenômeno foi confirmado. Em 2003 , graças aos registros de mais de 50 especialistas apoiados nas observações através de telescópios terrestres e em órbita , finalmente confirmou-se tratar-se mesmo de mais uma estrela variável do tipo SDOR - Estrelas de alta luminosidade binária, com variações entre 1 a 7 magnitudes, associadas e envoltas em material em expansão próprio das nebulosas. Estrelas muito grandes como Eta Carinae esgotam seu combustível muito rapidamente devido à sua desproporcionalmente alta luminosidade. Espera-se que Eta Carinae possa explodir como uma supernova ou hipernova dentro de algum tempo nos próximos milhões de anos.
  • Aglomerado de Coma Aglomerado de Hydra
  • Superaglomerado local   O Superaglomerado de Virgem O superaglomerado de Virgem, chamado também de superaglomerado local, é um superaglomerado de galáxias , nele está contido o Grupo Local de Galáxias com nossa galáxia , a Via Láctea . Possui a forma de um disco plano, com um diâmetro de 200 milhões de anos-luz . Este superaglomerado contém cerca de 100 grupos e aglomerados de galáxias, e é dominado pelo Aglomerado de Virgem localizado perto do centro. O Grupo Local de Galáxias está localizado perto da borda do Aglomerado de Virgem pelo qual é atraído. Pelo efeito gravitacional que exerce no movimento das galáxias, estima-se que a massa total do superaglomerado de Virgem seja algo em torno de 1015 massas solares . É provável que uma quantidade significativa de sua massa seja composta por matéria escura . Suspeita-se que, assim como os Aglomerados se agrupam em superaglomerados, os superaglomerados se agrupam em Hiperaglomerados. Se for provada sua existência esses últimos seriam as segundas maiores estruturas do Universo , atrás apenas da Grande Muralha Uma anomalia gravitacional conhecida como Grande Atrator existe em alguma parte dentro do Superaglomerado Local.     Aglomerado de Virgem O Aglomerado de Virgem a uma distância de aproximadamente 59 ± 4 Mly (18 ± 1.2 Mpc ) de distância, na direção da constelação de Virgo . Abrange aproximadamente 1300 (e possivelmente os 2000) galáxias membros, o aglomerado forma a cabeça do Superaglomerado local , do qual o Grupo Local faz parte. A massa total estimada é de 1.2 × 1015 M até 8 graus do centro do aglomerado ou num raio de 2.2 Mpc. Muitas das galáxias mais brilhantes do aglomerado, incluindo a grande galáxia elíptica M87 , que foi descoberta entre o anos 1770 e 1780 e subseqüentemente incluída no catálogo de Charles Messier que continham objetos difusos. Descobertas como nebulosas com estrelas, a sua verdadeira natureza foi descoberta nos anos 1920. O aglomerado subtende um arco máximo de aproximadamente 8 graus centrado na constelação de Virgem. Muitas das galáxias membros do aglomerado podem ser vistas com um pequeno telescópio. O aglomerado é uma mistura heterogênea de galáxias espirais e elípticas . Em 2004 , acredita-se que todas as espirais do aglomerado estão distribuídas em um longo filamento esferóide, com um tamanho de aproximadamente 4 vezes o da Via Láctea . [5] As galáxias elípticas estão mais concentradas no centro do aglomerado do que as espirais. O aglomerado ainda é dividido em três subgrupos centradas em torno das galáxias M87 , M86 e M49 . Um dos três subgrupos, o centrado em torno de M87 é o dominante, como uma massa total estimada de 1014 massas solares , então sendo aproximadamente maior em ordem de magnitude do que os outros dois subgrupos. A grande massa do aglomerado está indicado por ter altas velocidades peculiares de muitas destas galáxias, como umas velocidades de 1600 km/s com o respectivo centro do aglomerado. O Aglomerado de Virgem domina o Superaglomerado local , e os efeitos gravitacionais de diminuição de velocidade afetam as galáxias próximas. A grande massa do aglomerado tem efeito de diminuir a velocidade de recessão do Grupo Local no aglomerado aproximadamente em 10%.
  • Introducao a Astronomia

    1. 1. Introdução à Astronomia O Jardim de Herschel
    2. 2. Vizinhança familiar
    3. 3. Vizinhança familiar
    4. 4. Vizinhança familiar
    5. 5. Terra Diâmetro equatorial 12.756 km Massa 6x10 24 kg Período de translação 365,24 d Número de satélites 1
    6. 6. A Lua Satélite natural da Terra. Distância média à Terra de 380.000km. Diâmetro de 3476 km
    7. 7. A Lua Medida da distância da Terra à Lua
    8. 8. Nossa vizinhança
    9. 9. Escala de tamanhos em nosso sistema solar
    10. 10. <ul><li>O Sol </li></ul>Explosão coronal de massa registrada em 1999 Explosão coronal de massa com o planeta Terra visto em escala
    11. 11. Sistema Solar: Visão Artística
    12. 12. A flora estelar
    13. 13. Exemplo de escala das estrelas
    14. 14. Betelgeuse
    15. 15. Eta Carinae
    16. 16. Grupo local de estrelas
    17. 17. Galáxias
    18. 18. Galáxia de Andrômeda
    19. 19. Via Láctea
    20. 20. Via Láctea vista do hemisfério Sul
    21. 21. Colisão entre Galáxias ESO 593-8
    22. 22. Aglomerados de Galáxias
    23. 23. Grupo local de galáxias
    24. 24. Superaglomerado de Virgem
    25. 25. Ao infinito... ... e além.

    ×