Curso superior de teologia à distância 4

2.629 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.629
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
202
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
119
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Curso superior de teologia à distância 4

  1. 1. CURSO SUPERIOR DE TEOLOGIA À DISTÂNCIA Seminário Teológico Dom Egmont Machado Krischke – SETEK Rôde Laco Gonçalves Hartwig Psicóloga plafi@terra.com.br 99810853 Disciplina: Psicologia Pastoral
  2. 2. Psicologia Pastoral
  3. 3. Psicologia Pastoral Aconselhamento Pastoral É um modelo centrado em libertação e crescimentosegundo Howard J. Clinibell, um pastor que transmite sualarga experiência em aconselhamento pastoral aliada arecursos da psicoterapia com o objetivo de uma vivênciacuradora na comunidade de fé que denomina comopoimênica Poimênica significa o cuidado pastoral na comunidade,ou mesmo de conselheiros leigos para com pessoas queprecisam de aconselhamento. Aconselhamento Pastoral designa especificamente otrabalho do pastor/a no atendimento pessoal como primeiroconselheiro da comunidade de fé.
  4. 4. Psicologia Pastoral O atual desafio da Poimênica e do Aconselhamento Pastoral. Theodore Wedel, retrata a situação de muitas igrejas que começambem a sua missão e perdem a noção de seu propósito no meio dacaminhada. Compara a Igreja com um posto de salva-vidas. O primeiro desafio atual citado por Howard J. Clinibell para apoimênica e o aconselhamento pastoral é a irrelevância das necessidadesdas pessoas para a igreja nos últimos tempos. Ainda destaca a necessidadeda comunidade de fé ter uma ―linguagem de relacionamentos para tratarcom vidas e comunicar o evangelho. O aconselhamento pastoral é uma coluna da igreja que mantém de péseus relacionamentos fazendo reconciliações constantes na vida daspessoas e lutando pela preservação do amor. A poimênica, proporciona à Igreja relacionamentos profundos, quecapacitam pessoas para a cura, libertação e crescimento de seu próximo. Àsemelhança do convívio de Jesus com seus discípulos, é no interior dacomunidade de fé que surgem as situações para o tratamento de vidas.
  5. 5. Psicologia Pastoral Clinibell, fala sobre a renascença contemporânea com satisfação pelaspesquisas e descobertas da psicanálise, principalmente pela aceitação pelaIgreja a estes recursos no acompanhamento dos problemas humanos atéentão tratados apenas espiritualmente. O interesse pela psicologia aliada à ação pastoral tem crescido a cadadia e vários grupos ou instituições têm sido formados para esta áreaespecífica da missão. A abertura da teologia para a psicologia tem dado relevantescontribuições ao ministério pastoral principalmente quanto à autocompreensão ou auto imagem do/a pastor/a e sua função comoconselheiro/a. A partir desta aliança entre conhecimento teológico e técnicas dapsicanálise muitos equívocos foram evitados no seio da igreja. Há um maior discernimento quanto aos problemas humanos que hojesão reconhecidos por suas causas reais e não são espiritualizados. Com issoa aceitação no meio da comunidade de fé é muito maior e mútuotratamento é consequência natural na poimênica da igreja.
  6. 6. Psicologia Pastoral Poimênica e Aconselhamento estão ligados e devemagir juntas, mas não é a mesma coisa. O aconselhamento pastoral é o trabalho específico dopastor no acompanhamento de vidas tratando seusproblemas pessoais com apoio da teologia e com auxíliode técnicas da psicanálise. A poimênica é proporcionada pela igreja como umtodo que acolhe e trata pessoas contribuindo para ocrescimento e cura de vidas no meio da comunidade de féou na sociedade em geral. Nota-se que uma precisa da outra. Se houverpoimênica e faltar aconselhamento pastoral o trabalhofica incompleto e vice-versa.
  7. 7. Psicologia PastoralEsclarecimento do objetivo da Poimênica:-Objetivo geral: -auxiliar pastores/as ou estudantes de teologia para desenvolverem suas aptidões de poimênica eaconselhamento pastoral com vistas à cura e crescimento.-Objetivos específicos:1) descrever um novo paradigma mais abrangente centrado na integralidade humana e com objetivo de libertação e crescimento.2) dar uma visão geral: a- da missão da poimênica; b- dos fundamentos teológicos para o aconselhamento; c- da herança histórica deste ministério; d- falar sobre o caráter único da poimênica e do aconselhamento pastoral.3) apresentar uma tipologia sobre situações do aconselhamento pastoral e da poimênica para melhorar oentendimento do objetivo das mesmas que é a cura e o crescimento.4) ressaltar os tipos de poimênica e aconselhamento pastoral que são essenciais e normativos para o trabalho de cura e crescimento em diversos tipos de problemas humanos, com uma forma especial de tratar cada situação especificamente.5) promover o uso do ensaio de realidade ou desempenho de papéis como método de aprendizagem da poimênica e do aconselhamento pastoral. Uma técnica simples que permite aprender fazendo sem correr risco de utilizar pessoas e seus reais problemas como cobaias.
  8. 8. Psicologia Pastoral Clinibell, além de especificar seus objetivos ainda ensina como tirar proveitomáximo e como uma bula que ensina a utilização e dosagem de um remédio emcinco passos:1. Ter uma visão geral dos métodos expostos.2. Estudar cuidadosamente refletindo sobre cada item, destacando as idéias úteis e como se aplica ao trabalho pessoal de poimênica ou como conselheiro/apastoral.3. Procurar companheiros interessados em aprender mais sobre aconselhamentopastoral e poimênica, de preferência que queiram conhecer o exercício através doensaio de realidade.4. Utilizar o que foi aprendido na medida em que surgirem oportunidades para oaconselhamento pastoral intercalando o aprendizado, ensaios de realidade e práticado aconselhamento. 5. Procurar por supervisão de algum especialista ou conselheiro experiente parasolucionar dúvidas. Se possível é também importante fazer cursos de capacitação ouespecialização na área da psicanálise.
  9. 9. Psicologia Pastoral Clinibell, acredita que a proposta de ensaios da realidade, seja umaforma eficaz de aprendizado e orienta que seja feito entre duas ou trêspessoas interessadas em treinar esta técnica. Basta a organização de umgrupo, podendo variar ou intercalar os papéis para que todos possamaprender:Pessoa 1: CONSELHEIRO/A– ouve e aplica as técnicas para o aconselhamento pastoral e poimênicacom vistas à libertação e crescimento. O conselheiro precisa saberantecipadamente qual o tipo de caso para se inteirar dos métodosapropriados para o tratamento.Pessoa 2: ACONSELHANDO/A– expõe a situação ou problema a ser tratado, representando opersonagem real (ou vítima). O caso apresentado pode ser uma situaçãoreal da vida de um dos participantes ou uma situação específica para otreinamento como, por exemplo, o luto, vícios, desemprego,enfermidade, etc.
  10. 10. Psicologia PastoralPessoa 3: OBSERVADOR/A – assiste o ensaio da realidade passivamente analisando a forma e a aplicação dastécnicas utilizadas para correção de possíveis falhas posteriores. Caso não haja umaterceira pessoa para ser observador, Clinibell orienta a utilização de tecnologias degravação em áudio ou preferencialmente vídeo para uma posterior análise e estudo.Pessoa 4: SUPERVISOR/A – se possível é bom ter alguém capacitado e experiente na área de aconselhamentoou mesmo psicanálise que assiste e contribui com orientações e intervenções paramelhor alcançar o objetivo e e aprender a utilização dos métodos técnicos. Mas casonão seja possível a presença de um supervisor nada impede que o ensaio derealidade aconteça. O ensaio da realidade é uma forma de treinamento eficaz que proporciona ao/àestudante a habilidade com o método teórico. No início pode parecer apenas umteatro, mas com o tempo o/a aprendiz de conselheiro entende sua importânciacomo treinamento de teorias que devem ser vividas na prática e colocam em jogo avida das pessoas. À medida que repete a técnica ganha mais capacidade para lidarcom situações reais do aconselhamento pastoral e da poimênica.
  11. 11. Psicologia Pastoral Quanto ao uso de aconselhamento, Clinibell também dá orientaçõesbaseado em suas próprias experiências na utilização do conteúdo da técnicae considera que a melhor forma de compreensão é composta por trêspassos:1.Dar um mapa cognitivo através de uma primeira explanação geral do temacom as propostas de técnicas.2.Proporcionar uma prévia observação de como utilizar os métodos atravésde uma apresentação de um ensaio da realidade para que vejam eaprendam.3.Prática em grupo através do ensaio da realidade a partir do que foiaprendido e posteriormente fazer um feedback com a teoria e a técnica. A proposta é muito útil levando a sério o objetivo a ser alcançado que éfazer do/a conselheiro/a alguém capaz de tratar pessoas de forma eficaz. Ométodo de aprendizado é intercalar teoria e prática até que se torne algonatural na vida do/a conselheiro/a a aplicação das técnicas propostas. Essaforma de didática se manifesta em uma primeira explanação do tema comsubtítulos, depois uma explicação detalhada de cada tópico e compropostas para a prática do aconselhamento.
  12. 12. Psicologia Pastoral Modelo centrado em Libertação e Crescimento. Apresentamos paradigmas úteis para o aconselhamento pastoral e apoimênica, mostrando um modelo de trabalho que vise a integralidadehumana centrada no Espírito, conduzindo para libertação e crescimento. Num primeiro momento, apresentamos as definições determinologias utilizadas, depois uma apresentação geral do modelo emdezesseis tópicos e então realizamos a explicação do modelo passo a passo. Clinibell, demonstra que nos tempos modernos há grandespossibilidades para o trabalho da psicoterapia pelo amplo estudo docomportamento humano. Também a teologia tem considerado o fatorantropológico como alvo de seus estudos reconsiderando a forma dotrabalho religioso de forma a apontar para o divino e o humanoequilibradamente. Chamamos a atenção para não confiar apenas nestas ciências devido àfácil mutação nos comportamentos tão presente na atualidade. Para isso épreciso estar atento, com olhos abertos para novas possibilidades.
  13. 13. Psicologia Pastoral Definições das terminologias mais utilizadas: poimênica e aconselhamentopastoral (juntos), poimênica, aconselhamento pastoral(separados) e psicoterapiapastoral. Assim são conceituadas:- Poimênica e Aconselhamento Pastoral: é a prática de pessoas que exercem o ministério de relacionar com indivíduos ou grupos buscando potencializar situações curativas e de crescimento através relacionamentos principalmente no meio da comunidade de fé.- Poimênica: acontece no meio da comunidade de fé como um ministério natural da Igreja em cuidar de vidas que se achegam durante o ciclo da vida visando sua integralidade centrada no Espírito com propósito de crescimento.- Aconselhamento Pastoral: é uma face da poimênica a ser praticada de forma mais técnica por alguém que se dedique especialmente a este ministério como o/a pastor/a. Principalmente em períodos de crise o trabalho terapêutico durante um curto prazo é uma grande ajuda para pessoas que têm seu crescimento comprometido.- Psicoterapia Pastoral: é um trabalho mais profundo e demorado quando o/a pastor/a acompanha por longo prazo uma pessoa que precisa de tratamento devido a um trauma que precise de acompanhamento especializado. Este trabalho é geralmente exercido por pessoas que se dedicam a este ministério e se capacitam com técnicas e métodos psicoterápicos visando a reconstrução de vidas.
  14. 14. Psicologia PastoralOs principais temas do modelo centrado no Espírito e visando a libertação e ocrescimento :1.O objetivo de libertar visando à integralidade humana centrada no Espírito;2.O caminho da integralidade humana é a integralidade espiritual e ética;3.Integrar insights psicológicos e teológicos;4.Contemplar todas as dimensões da integralidade humana;5.Aproveitar oportunidades de crescimento nas diversas fases da vida;6.A poimênica no meio da comunidade é a base para o aconselhamento pastoral;7.Tanto a comunidade como o/a pastor/a deve exercer a poimênica;8.As crises e mudanças são situações que proporcionam o crescimento;9.A poimênica e A. P. deve ser inclusivo principalmente na questão de gênero;10.É necessário capacitar pessoas para o trabalho da poimênica e A.P.;11.Aproveitamento do papel de autoridade pastoral para o aconselhamento;12.Maior aproveitamento de métodos intuitivos (lado direito do cérebro);13.Conceber a integralidade, livre de estereótipos sexuais;14.Recorrer às novas psicoterapias orientadas para o crescimento de sistemas;15.Contemplar o exercício da poimênica em todas as áreas e ministérios da igreja;16. Continuar a crescer! Reconhecendo a necessidade de ajuda e crescimento.
  15. 15. Psicologia Pastoral Este modelo, compreende desde a integralidade do ser humano com suascaracterísticas físicas, emocionais e espirituais até a integralidade de técnicasterapêuticas, teológicas e pastorais, à vivência da comunidade de fé como um todo eao treinamento do/a pastor/a como líder espiritual e agente da poimênica. O objetivo é alcançar a vida abundante prometida por Jesus. Para isso o trabalhodo aconselhamento pastoral e da poimênica são muito eficazes porque contemplama espiritualidade humana muito mais do que psicologia somente. O ministério da igreja e do/aconselheiro/a pastoral juntos possibilitam oempoderamento de pessoas para serem curadas e libertas alcançando suaintegralidade. O objetivo da poimênica e do aconselhamento pastoral é em libertar vidasconduzindo para um crescimento para viver uma vida abundante. A humanidade nãoutiliza toda a sua potencialidade e, além disso, há muitas vidas feridas e traumatizasque não conseguem viver uma vida livre e plena reduzindo sua capacidade de serfeliz. Clinibell, acredita no crescimento através de técnicas que possam algum diamedir em uma escala o Quociente de Vivacidade (QV) expressando o nível decapacidade humana utilizada por um indivíduo como um exame para o tratamentoque vise o máximo de crescimento para a vida.
  16. 16. Psicologia Pastoral No modelo centrado na cura da integralidade é o Espírito. Por isso o tratamento deve serfeito nas direções vertical (espiritual) e horizontal (humana) associando conhecimentos dateologia e da psicoterapia unindo forças contra tudo o que impede o ser humano de crescer eser livre. O acúmulo de sofrimentos e decepções da vida provoca uma dor que só pode seraliviada quando se quebra este círculo vicioso que impede o ser humano de crescer. Neste momento o aconselhamento pastoral e a poimênica são a ferramenta de libertação.Mas libertação de quê?É preciso LIBERTAR: em direção à VIDA em toda a sua plenitude; para uma vida no ESPÍRITO; das muitas forças que LIMITAM o crescimento humano.
  17. 17. Psicologia Pastoral O ser humano não é um sistema fechado, pronto e sem transformação. Éum ser vulnerável de transformações e mudanças. Por isso o tratamentodeve acontecer em meio aos relacionamentos com vistas ao crescimento. Clinibell, não acredita na auto-realização e sim na integralidade semprepor meio relacional. Somente em conjunto é possível alcançar a satisfaçãototal. A eficácia da poimênica e o aconselhamento pastoral consistem emproporcionar às pessoas um melhor convívio em seus relacionamentos paraalcançar integralidade em si e nas pessoas de sua vivência. Isso aconteceatravés da satisfação mútua das necessidades. A integralidade pode ser alcançada gradualmente em cada estágio davida. A poimênica e o aconselhamento pastoral não compreendem ocrescimento humano como algo imediato e sim como um processo, por issotrabalham como orientação para o desenvolvimento das capacidades delibertação e crescimento em várias fases da vida. Especialmente nacomunidade de fé onde há pessoas em faixas etárias diferentes e formaçõesvariadas é possível criar um programa de acompanhamento e troca deexperiências para que um ajude o outro a superar suas dificuldades. Ouseja, que já viveu e venceu um problema aconselha quem está vivendo talsituação no momento.
  18. 18. Psicologia Pastoral Clinibell ,acredita que tanto os as mudanças nos comportamentos podem resultar em transformaçõesnos sentimentos e na auto percepção -terapia tradicional orientada para o insight- como também asmudanças construtivas nos relacionamentos e no comportamento produz transformações de sentimentos eatitudes. Com o objetivo de compreender melhor a integralidade o autor descreve seis dimensões que são alvo dapoimênica e o aconselhamento pastoral:1)Avivar a mente: Desenvolver os recursos da personalidade. O ser humano tem muito mais capacidade doque o que utiliza e pode aumentar seu potencial enriquecendo seu conhecimento, libertando a imaginação ea criatividade além de expandir intelectualmente.2)Revitalizar o corpo: Cuidar melhor da saúde e utilizar plenamente o corpo de forma mais prazerosa eamorosa. Valorizar o tato e o bem estar para um equilíbrio entre corpo-mente-espírito.3)Renovar e enriquecer os relacionamentos: Melhorar a qualidade dos relacionamentos e aumentar o círculode convivências. Ter relações mais saudáveis e profundas para mútua satisfação e integralidade.4)Aprofundar a relação com a natureza e a biosfera: Aumentar a consciência, comunhão e cuidado ecológicossão formas de buscar equilíbrio com o que é externo, mas essencial à vida integral do ser humano cuidandoda saúde.5)Crescer em relação às instituições significativas para a vida: Lutar em conjunto pela justiça social para alibertação e crescimento de mais vidas na sociedade derrubando tudo o que subtrai a integralidade humana.Isso é possível através da união de forças com instituições que lutam pela vida. O autor cita exemplos degrandes líderes que alcançaram sua integralidade em conjunto com sua geração pelo amor à vida humanaunida ao trabalho social.6)Aprofundar e vitalizar o relacionamento com Deus: O crescimento espiritual é um vínculo unificador comas outras dimensões da integralidade. A vida precisa de valores, de fé e amor para fortalecer osrelacionamentos. O cultivo espiritual é uma força proporcionada pela poimênica e o aconselhamentopastoral para a libertação e o crescimento do indivíduo considerando sua potencialidade.
  19. 19. Psicologia Pastoral No ambiente da igreja como comunidade de fé é que acontecem as oportunidades paraapoimênica e o aconselhamento pastoral. O/a pastor/a tem a função de promover a capacitação para este ministério nutrindo orebanho não só espiritualmente, mas com conhecimentos que possibilitem a comunidadesaber e querer cuidar de vidas. As crises são oportunidades para o crescimento desde que haja uma identificação desta sea consideração de que há possibilidade para libertação e crescimento. Clinibell, diferencia dois tipos de crises:-crises desenvolvimentais: acontecem em situações de mudanças e momentos de transiçõesque são normais na vida, mas que se tornam um pesadelo se não for bem trabalhado. Porexemplo, uma mudança de cidade ou trabalho, o casamento, o nascimento de um/a filho/a, etc-crises acidentais: problemas inesperados que pegam a pessoa despreparada gerando umasituação de pânico em meio a tensões e perdas. Em geral são doenças, acidentes, desemprego,catástrofes naturais, etc. O aconselhamento pastoral visa dar forças num momento de fraqueza, para que a pessoaenfrente seus problemas acreditando em seu potencial e transforme a crise em umaoportunidade para crescimento. O medo é o principal obstáculo em situações de crise. Ao invésda fuga a melhor solução é o enfrentamento das crises orientado por alguém capaz. O autorchama atenção para a valorização da identidade e autoridade pastoral como agente dapoimênica e o aconselhamento pastoral, incentivando que este ministério seja muito mais doque um atendimento formalizado. O relacionamento na comunidade de fé e do/a pastor/aspara as ovelhas proporciona as maiores oportunidades de libertação e crescimento.
  20. 20. Psicologia PastoralClinibell aconselha aos/às pastores/as:1-conhecer as técnicas para encontros de aconselhamento pastoral,como entrevistas, por exemplo, e utilizá-las sempre que possível;2-aproveitar as oportunidades que acontecem em momentosinformais para dar um primeiro passo em direção à libertação ecrescimento de vidas;3-ir em direção às pessoas através de uma visita ou um encontro éuma liberdade que o/a pastor/a tem de não esperar ser procurado,mas tomar a iniciativa assim que diagnostica a necessidade;4-usar sua autoridade pastoral através de sua influência social eracional para trabalhar os relacionamentos e conduzir a comunidadea um processo de cura, crescimento e auto satisfação de suasnecessidades.
  21. 21. Psicologia Pastoral Outro fator interessante que visa à integralidade não só do aconselhando, mastambém do conselheiro é a utilização do cérebro todo conforme as descobertas docientista Roger Sperry, que permite um conhecimento integral do cérebro humanocom seus dois lados e suas respectivas funções ou capacidades:
  22. 22. Psicologia Pastoral Até pouco tempo os métodos da psicoterapia não conheciam esta capacidade damente humana, por isso o autor incentiva uma maior utilização de métodosintuitivos do cérebro direito com sua capacidade aliada à racionalidade do cérebroesquerdo, que é mais analítico, como ferramenta eficaz para a poimênica e oaconselhamento pastoral. Uma compreensão andrógena da integralidade surge à medida que ahumanidade alcança valores igualitários para homens e mulheres bem como aderrubada de preconceitos raciais e abertura de espaço para pessoas comnecessidades especiais. Principalmente a contribuição feminina é um potencial a mais para a saúde doser humano. Para entender a humanidade de forma integral é preciso deixar a culturamachista para dar espaço às mulheres que são muito capazes principalmente para oministério da poimênica e o aconselhamento pastoral. O autor incentiva a utilização de diferentes terapias centradas no crescimento.Nos últimos tempos com o desenvolvimento das ciências e da capacidadeterapêutica existem diversos tipos de terapias que não devem ser ignoradas pelapoimênica e o aconselhamento pastoral porque podem contribuir ricamente paraeste ministério. Este campo tem sido amplamente explorado e deve ser aceito eutilizado pelos conselheiros desde que sejam centradas no crescimento.
  23. 23. Psicologia Pastoral Sobre a relação entre a poimênica e as demais funções do ministério na comunidade de féo autor ilustra com um diagrama que tem ao centro a integralidade centrada no Espírito e aoseu redor os ministérios ou funções da igreja num círculo que demonstra a atividade dapoimênica. Todas as funções em conjunto formam uma órbita em torno de seu objetivo unificadorque é a integralidade centrada no Espírito.As funções citadas são:-Proclamação da boa-nova (pregador/a): a transmissão de uma mensagem centrada na pessoaé uma rica oportunidade para tratar os problemas humanos, investir no crescimento cultural eespiritual e valorizar os relacionamentos.-Culto e adoração (sacerdote): o grupo expressa juntos seus sentimentos e se alimentaespiritualmente, recebe o perdão dos pecados e adquire maior confiança;-Educação (professor/a): é uma forma de ensinar e capacitar para o crescimento em diferentesgrupos que podem ser formados para ajuda mútua;-Liderança e desenvolvimento congregacional (administração): cria um ambiente curador eorganiza as pessoas em grupos de convivência que valorize relacionamentos sadios;-Capacitação de leigos (treinador): investir na capacidade das pessoas para o exercício doministério e o crescimento na comunidade;-Serviço comunitário (servidor): vai além da comunidade em direção à sociedade para atransformação social com objetivo de libertar vidas;-Ação Social (profeta): luta por mudança nas instituições e na comunidade para o apoio mútuoe não repressão da integralidade humana.
  24. 24. Psicologia Pastoral História da poimênica e o aconselhamento pastoralComo começou este ministério? Uma ponte histórica também é feita pelo autor em direção à herança destemodelo centrado em libertação e crescimento. Embora as últimas décadas tenham sido marcadas pelo desenvolvimento deteorias, técnicas e práticas psicoterápicas que auxiliam a poimênica e oaconselhamento pastoral, este ministério é muito mais antigo do que estas ciências. Na igreja primitiva a poimênica era conhecida como ―cura d‘almas com osignificado de cuidado e crescimento de vidas na comunidade. Clinibell, cita diversos nomes de mulheres e homens que marcaram o trabalho deaconselhamento em toda a história da Igreja cristã mostrando a importância eantiguidade da poimênica. Na modernidade, o que marcou o aumento de interesse na área foiprincipalmente a difusão dos conhecimentos da psicanálise e sua grandenecessidade devido aos problemas humanos deixados após a Segunda GuerraMundial. A renascença da poimênica remonta da década de 1920, com apoio paratratamento de outras doenças e através de treinamento para capelania hospitalar.Posteriormente os insights do conhecimento da psicoterapia foram associados paracontribuir com o trabalho da poimênica.
  25. 25. Psicologia Pastoral Baseado no trabalho de William A. Clebsch e Charles R. Jaekle, o autor apresenta quatro funções dapoimênica secular e fazem um quadro explicando sua funcionalidade, as expressões históricas quedenominavam este ministério e as terminologias utilizadas atualmente. Em seguida Clinibell, acrescenta umtópico a mais de acordo com seus conhecimentos e sua experiência pessoal.Principais funções da poimênica:Cura: tem por objetivo superar alguma debilitação e restituir à pessoa a sua integralidade. Antigamenteutilizada através de unção, exorcismo, santos, relíquias e curandeiros carismáticos. Atualmente édenominado como psicoterapia pastoral, cura espiritual, aconselhamento e terapia matrimonial.Sustentação: auxílio para pessoas que têm dificuldade em transcender situações que aparentemente sãoinsolúveis. Teve expressões históricas através de preservar, consolar e consolidar e no momento é chamadade poimênica e o aconselhamento de apoio em casos de crise, luto ou perda.Orientação: ajuda para tomada de decisões quando alguém não sabe que direção tomarem meio aosdesafios e alternativas da vida. Antes conhecida como dar conselhos, exorcismo e o simples ato de escutar ena atualidade é chamada de aconselhamento educativo, tomada de decisões em curto prazo,aconselhamento de confrontação e orientação espiritual.Reconciliação: auxílio para restabelecer relacionamentos rompidos entre a pessoa e seu próximo ou atémesmo com Deus. Historicamente conhecida como confissão, perdão e disciplina e para a prática atual échamada de aconselhamento matrimonial e aconselhamento existencial (reconciliação com Deus).Nutrição: capacitação de pessoas para o crescimento desenvolvendo as potencialidades recebidas por Deuspara vencer diante das situações da vida. Na teologia tradicional é conhecida como santificação outreinamento de membros novos na vida cristã ou educação religiosa. O autor denomina este novo item paraas funções da poimênica de aconselhamento educativo, grupos de crescimento, enriquecimento domatrimônio e da família, assistência para a possibilitação de crescimento através de crisesdesenvolvimentais.
  26. 26. Psicologia Pastoral A Missão, os Fundamentos Bíblicos e a Unicidade da Poimênica e do Aconselhamento Pastoral. A importância crucial do aconselhamento pastoral, uma pesquisa comprova umconsiderável aumento na procura de profissionais na área da saúde mental e maior ainda aprocura por clérigos, o que demonstra a importância e confiabilidade do aconselhamentopastoral para a vida das pessoas. Conforme a pesquisa antes mesmo de procurar um psicólogo ou terapeuta a maioria daspessoas procura um ministro religioso para se aconselhar. A maioria das pessoas também temprocurado ajuda para resolver questões de relacionamentos. O que a maior parte destaspessoas procura é alguém para conversar, para ser entendido e se aconselhar sobre seusproblemas. Por causa dessa confiança e a demanda por aconselhamento pastoral maior é odesafio da poimênica na igreja local. É preciso de capacitação para que haja conselheiros para acolher vidas que procuram acomunidade de fé, bem como auxiliar ao ministério pastoral na função do aconselhamento.O/a pastor/a não deve ignorar os conhecimentos de métodos terapêuticos por causa de suaprimazia em relação aos outros profissionais da área. Por causa disso deve ser maior ainda abusca por treinamento em técnicas que contribuam para o aconselhamento. Contudo se o/a pastor/ não é um/a clínico/a na área de psicoterapia não deve se aventurarem ascender uma fogueira que depois não possa apagar. O ministério do aconselhamentopastoral tem sua contribuição ímpar para a cura e libertação de vidas. Além do conhecimentode técnicas terapêuticas o/a pastor/a conta com um arsenal de conhecimentos bíblicos que sãoúteis no aconselhamento. É possível fazer teologia através da poimênica e do aconselhamentocom insights de exemplos bíblicos de pessoas que passaram por situações semelhantes ao/àaconselhando/a e outros textos que servem de inspiração em momentos de angústia.
  27. 27. Psicologia Pastoral A Bíblia é um livro que fala de Deus para o ser humano pode e deve ser usada noaconselhamento por que: _ A Bíblia é fonte do imaginário ocidental (judaico-cristão) por isso comunicam deformaeficaz na sua linguagem quanto aos valores, costumes e a própria herança histórica e religiosa; _O diálogo com insights bíblicos ajuda o/a conselheiro/a ter atitudes e consciência de curae crescimento; _Principalmente se as histórias da Bíblia fazem parte das verdades consagradas na menteda pessoa, o uso de imagens bíblicas pode avivar de forma criativa essa esperança na mentesdessas pessoas; A Bíblia tem uma concepção de integralidade maior do que a cultura atual e até mesmoque as ciências atuais. Conceitos bíblicos podem ser utilizados para criticar, corrigir e enriquecer esta falta deconcepção da integralidade humana. Devido à fragmentação dos conhecimentos humanos emdiversas especialidades nas quais visam aprofundamento específico de uma área, o mundosofre de miopia e não consegue observar-se na sua integralidade. Os paradigmas bíblicos presentes em personagens judaico-cristãos são instrumentos para areconstrução da auto imagem e consciência de si mesmo. Vários textos bíblicos podem ser usados para falar de integralidade. Desde a criação ―àimagem e semelhança de Deus como referencial de integralidade. Até ao famoso versículo ―oSenhor é o meu pastor e nada me faltará como desejo de manutenção dessa integralidade. Etambém a ―vida abundante dada por Jesus em restituição ao que o ladrão veio roubar, matare destruir da integralidade humana. Além destas imagens várias palavras (termos bíblicos emseu sentido original), parábolas e personagens falam sobre a humanidade em seu significadointegral.
  28. 28. Psicologia Pastoral Falar da integralidade compreende equilibrar a potencialidade e as limitaçõeshumanas. É preciso restituir potencialidades subtraídas das pessoas sem cair no errode esquecer-se de avisar sobre suas limitações. Seria como tomar um remédio semreceita e sofrer as consequências de contra indicações. Por isso a finitude humanafaz parte de sua integralidade. No mundo há um desequilíbrio que faz com que homens e mulheres pensem quesão infinitos e outros/as que não são capazes de suas atribuições mais simples.Contrabalancear isso é tarefa contínua do aconselhamento. O autor faz um paralelo entre as seis dimensões da integralidade a partir de suasraízes bíblicas:1- Avivar a mente: Na visão bíblica não há separação entre alma, espírito e corpo ouo dualismo mente e corpo. Isso faz a visão bíblica de integralidade mais holísticaatravés de uma compreensão total do ser humano e não em partes. Integralidademental é o aspecto cognitivo, intelectual, emocional e espiritual valorizado por Jesusem Marcos 12.30 que fala do amor total com ―todo o teu coração, de toda a tuaalma, de todo o teu entendimento e de toda a tua força. 2- Revitalizar o corpo: A integralidade física porque o corpo é considerado sagradono Antigo Testamento e no Novo ganha significado ainda maior como habitação deDeus em I Coríntios 6.19 onde fala do corpo como templo do Espírito Santo.
  29. 29. Psicologia Pastoral3- Renovar e enriquecer os relacionamentos: a integralidade relacional é tema constantena Bíblia através daspalavras shalom que significa inteiro, paz e saúde bem como o termo koinonia num sentido comunitário dapaz que deve ser coletiva, como fruto de relacionamentos saudáveis. Deus não criou a humanidade paraviver só, mas em família como uma só carne (Gênesis 2.24) em a igreja como membros do corpo de Cristo(Romanos 12.5).4- Aprofundar a relação com a natureza e a biosfera: a integralidade ecológica é vista na Bíblia através de umDeus que é Criador e sustentador de sua criação tendo dado a humanidade a função de mordomos. Na Bíbliatudo que Deus fez é BOM (Gênesis1.31) e Ele é o dono de tudo (Êxodo 9.29). Jesus andava sempre em meio ànatureza e fazia uso poético de imagens dela tema de suas palavras para ensinar sobre o Reino de Deus.5- Crescer em relação às instituições significativas para a vida: a integralidade institucional ou social é vistana Bíblia pela atuação profética que busca transformar não somente o indivíduo, mas tudo ao seu redor. Aluta por justiça está presente na história bíblica desde a instituição da lei como parâmetro da vontade deDeus até o ministério de cura e libertação de Cristo. Jesus curava pessoas individualmente como propósito delibertar a sociedade. Novas teologias como a da libertação, a feminista, negra, africana e latino-americanatêm contribuído para uma melhor compreensão sobre necessidade de libertação para cumprimento dajustiça e estabelecimento do Reino de Deus.6- Aprofundar e vitalizar o relacionamento com Deus: a integralidade espiritual é o centro da mensagembíblica para a humanidade. A Bíblia devolve ao homem e à mulher esta consciência de que é um serespiritual. Este fator soma todos outros itens da integralidade humana reunindo suas potencialidadesconforme é o propósito de Deus.
  30. 30. Psicologia Pastoral Esta visão panorâmica da Bíblia sobre a integralidade humana contribuiricamente para os insights durante um aconselhamento, devido ao conteúdo práticoque pode ser utilizado e à visão geral da vida. Não é à toa que a Bíblia é comparada aum manual de instruções, uma bula, uma lâmpada, uma bússola, mapa, alimento,água e outros essenciais para a vida. Contudo o uso da Bíblia não é algo mágico. Éum processo onde interagem o/a conselheiro/a, o/a aconselhando/a com seu meiorelacional e Deus como fomentador deste processo de cura e crescimento. Trabalhar em busca da integralidade humana é como montar pacientementeum quebra-cabeça aonde pouco a pouco cada coisa vai chegando ao seu lugar e aimagem original de Deus vai aparecendo no semblante humano. Jesus mostrou estequadro completo quando se fez carne e habitou entre os humanos, dando esperançapara a restauração da integralidade. A poimênica e o aconselhamento pastoral, visam à cura e o crescimento emdireção à integralidade. Isso acontece quando alguém ferido procura a comunidadede fé como um hospital para sua alma e recebe primeiro um tratamento para cura.Imediatamente a mesma pessoa deve ser enviada para crescimento. Isso é o queJesus fazia quando perguntava que queres que eu te faça mostrando o objetivo decura e libertação e depois enviando com as palavras toma teu leito e anda vai a tuafé te salvou ou vá e não peques mais, quer e presentam o desejo de Cristo pelocrescimento para estas pessoas.
  31. 31. Psicologia Pastoral O próprio Cristo desejou viver em conjunto mostrando que desta forma seriapossível fazer as pessoas crescer muito mais, por isso procurou pessoas que nãotinham grandes expectativas para serem seus discípulos e se tornarem em grandeshomens de Deus.Para Clinibell, a igreja proporciona crescimento por que:- tem como paradigma de integralidade a pessoa de Cristo;- a integralidade é vista como um processo contínuo em busca da santificação;- tem como parâmetros o amor e a justiça;- acontece em meio aos relacionamentos;- tem a missão de servir ao próximo. Antes de iniciar um processo de cura e libertação para o crescimento emdireção a integralidade é preciso acontecer um quebrantamento, tanto pessoal comosocial. A situação humana de degradação de sua original integralidade é descrita naBíblia com a queda da humanidade para apontar o pecado como fator gerador demorte. É nesta raiz do problema que a poimênica e o aconselhamento pastoralcontribuem para cura e crescimento, mais do que outras práticas terapêuticasotimistas que não alcançam este entendimento. Contudo o objetivo não é condenaro pecado porque este já tem suas consequências e sim libertar vidas para continuarcrescendo. Deus tem o remédio para o pecado que é o perdão e cura para aconsequência do pecado que é a ressurreição.
  32. 32. Psicologia Pastoral A igreja é um centro para a integralidade levando o amor de Deus para as pessoas queestão privadas deste sentimento devido à falta de amor nos seus relacionamentos. Somente através da vivência do amor a igreja reintegra vidas mutiladas em suacapacidade de amar. Essa tarefa da Igreja é descrita tradicionalmente por quatro palavras gregas no NovoTestamento: Na Igreja acontecem estas quatro dimensões do crescimento em busca da integralidadequando recebem a mensagem libertadora do evangelho:1. Didache: o ensino em direção ao crescimento, quando são integradas a um grupo que viveem comum;2. Koinonia: uma comunidade unida e voltada para Cristo que são enviados ;3. Kerygma: proclamação da mensagem do evangelho que restaura o ser humano, quandoaprendem a verdade que liberta;4. Diakonia: o serviço ao próximo como expressão de amor que na Igreja acontece o servir aopróximo dando continuidade a este círculo de proclamação, ensino, comunhão e serviço. Atualmente a poimênica e o aconselhamento pastoral numa perspectiva holísticaassociadas a uma teologia integral, sem distinções culturais, sexuais, sociais ou raciaiscontribuem para a visão cristã do Reino de Deus. Quanto a esta teologia inclusiva nasconcepções bíblicas de não haver distinção entre homem e mulher, quanto a palavrasfemininas que se referem a Deus e principalmente no trato de Jesus igualmente para todas aspessoas quer sejam mulheres, crianças, pobres, ricos e outros desprezados da sociedade. Oautor ressalta a contribuição das mulheres para a igreja bem como para a teologia quanto aessa abertura com uma visão holística sem estes limites preconceituosos.
  33. 33. Psicologia Pastoral O Fundamento de todos os tipos de Poimênica e Aconselhamento. Um relacionamento curativo não acontece de uma vez. Pode ser comparado auma semente que embora pequena tenha a capacidade de crescer. Assim oaconselhamento deve ser algo crescente. Na primeira sessão de aconselhamentoexistem cinco passos que devem ser tomados para estabelecer inicialmente umarelação curativa:Se continuar o aconselhamento fazer um contrato com objetivos e expectativas1º passo: _ Recomendar uma forma de obter ajuda, como um aconselhamento;2º passo: _ Diagnóstico inicial de como a pessoa se sente interiormente;3º passo: _ Ouvir com atenção e refletir empaticamente;4º passo: _ Crescimento em uma Relação de Cura, proporcionar calor e solicitude;5º passo: _ Desta forma o/a conselheiro/a pode ajudar pessoas que têm dificuldadede se abrir inicialmente não perdendo a oportunidade de um primeiro contato. Outros três conceitos importantes na mente do/a aconselhador/a sãoqualidades de uma conversa:-terapêutica: com o objetivo de cuidar e curar pessoas, tomando cuidadoprincipalmente com julgamentos;-maiêutica: ajudar a pessoa a nascer e crescer. Segundo a filosofia de Sócrates é umaarte de saber inquirir a pessoa para extrair verdades que estão encobertas;-reconciliação: ajudar a enfrentar situações e reativar os laços quebrados.
  34. 34. Psicologia Pastoral Pesquisas apontam, que a maior necessidade de pessoas que procuram aconselhamentoou tratamento terapêutico é de serem ouvidas por alguém. A tarefa mais desafiadora para oaconselhamento não é o que será dito pelo/a conselheiro/a ao/à aconselhando/a e sim o ouvirverdadeiramente durante o atendimento. Principalmente para pastores e pastoras que sãotentados/as a falar respondendo de imediato, para alcançar este ouvir verdadeiro é precisodisciplina e treinamento constante. Por isso todo/a conselheiro deve evitar distrações e outrasimpressões internas que possam lhe impedir de ouvir atentamente, principalmente se o/aconselheiro/a não estiver bem emocionalmente podem acontecer interferências. Segundo Clinibell ,ouvir é:- presença (estar com a pessoa);-prestar atenção somente na pessoa sem interromper;- se interessar pelo que a pessoa está falando;-estar em sintonia com o sentimento da pessoa;- ser empático e reflexivo enquanto a pessoa fala;-ter profundidade na expressão corporal. Para o autor o/a conselheiro/a deve prestar mais atenção aos sentimentos expressos doque às palavras utilizadas na conversa ou fatos ocorridos. O objetivo de ouvir em profundidadeproporciona por si só a cura para pessoas em crise quando o/a conselheiro/a alcança umacompreensão empática ou demonstra o desejo de compreender de forma que a pessoa se sintaaceita e motivada ao crescimento.
  35. 35. Psicologia Pastoral Antes de continuar as sessões de aconselhamento, o/a conselheiro/a precisa descobrir qual foi amotivação que conduziu a pessoa a procurar sua ajuda. Isso pode ser feito perguntando por que a pessoaprocurou aconselhamento pastoral, o que espera do aconselhamento, qual é o problema e o que pode serfeito para ajudar. Enquanto a pessoa fala, deve-se prestar atenção especial aos sentimentos dominantes Algumas motivações talvez estejam encobertas ou inconscientes para a pessoa e não deve haverpressão. Para isso é preciso concentrar-se no problema de apresentação ou problema inicialmenteapresentado como motivo de procurar aconselhamento.Mas caso a pessoa seja pressionada a ir a um/a conselheiro/a sem vontade própria, segundo Clinibell cincopassos são tomados para alcançar um diagnóstico:1.Descobrir como a pessoa vê seu problema;2.Saber onde a pessoa sente dor e se este é o motivo de procurar ajuda;3.Encorajar a expressar sua raiva em ter sido pressionada;4.Aceitar o direito da pessoa em não continuar o aconselhamento;5.Fazer com que a pessoa se sinta livre e calorosamente envolvida para continuar a conversa apresentandoseus verdadeiros motivos para pedir ajuda. Além destas dicas o autor orienta que caso a pessoa seja pressionada a procurar aconselhamento pode-se procurar quem fez tal pressão para participar da próxima sessão porque possivelmente tem algumproblema entre as duas pessoas. Neste caso deve também trabalhar a reconciliação entre ambas.
  36. 36. Psicologia Pastoral Qualquer tipo de intervenção na fala do/a aconselhando deve ser feita cuidadosamentesem interferir diretamente no que pensa. O/a conselheiro/a pode ajudar a pessoa a elaborarsuas palavras para expressar seus sentimentos. Isso pode ser feito através de perguntasreferindo-se a como a pessoa se sente. Toda e qualquer intervenção além de cuidadosa deveter como objetivo alcançar o diagnóstico do problema. O diagnóstico é feito para a continuidade do aconselhamento de forma eficaz e para issodeve-se observar:- as seis áreas da integralidade humana, descobrindo em qual delas está o problema;- a forma de tratamento que pode ser feita para a pessoa, se de curto ou longo prazo oumesmo se a pessoa deve ser encaminhada para tratamento clínico especializado;- um diagnóstico pastoral, se o/a pastor/a tem condições de atender a necessidade da pessoa aser aconselhada. Depois de diagnosticar a motivação ou problema inicial é preciso propor uma continuidadeno aconselhamento marcando outras sessões para conversar. Isso não deve ser feitodiretamente e sim sugerir se dispondo caso a pessoa quiser continuar. Se não aceitar ouprocurar novamente deve ser respeitada. Se concordar marcam as próximas sessões e pode serfeito um contrato especificando objetivos, expectativas e a forma do acompanhamento. Para osucesso da continuidade no aconselhamento o/a conselheiro deve focalizar em cada encontro acatarse emocional que mostrará os verdadeiros sentimentos da pessoa por trás dos diversosproblemas que vão sendo apresentados. Essa catarse é alcançada com aceitação solícita atravésde uma linguagem emocional e compreensiva. Além disso, o aconselhando deve saber que seuengajamento ativo na mobilização de seus próprios recursos é essencial para resolver seusproblemas e para o sucesso do aconselhamento muito mais do que qualquer intervenção do/aconselheiro/a.
  37. 37. Psicologia Pastoral Dicas de como alcançar a catarse emocional:- Evitar fazer perguntas de informação para não deslocar os sentimentos em detrimento dedetalhes ou fatos;- Fazer apenas perguntas de sentimentos ajudando a pessoa a descobrir suas emoçõesescondidas por trás de suas razões;- Responder aos sentimentos e não tomar tempo com respostas intelectuais;- Ficar atento à portas para os sentimentos com as expressões, palavras, postura corporal oufacial que demonstrem dor, raiva ou qualquer sentimento;- Estar alerta para sentimentos negativos especialmente;- Evitar conselhos e interpretações prematuras sobre os fatos ou sentimentos. Outra preocupação de Clinibell é quanto a aconselhamentos que começam e não têmcontinuidade, por isso deixa algumas dicas de como evitar isso:- Expressar interesse ativo em trabalhar com a pessoa;- Explicar sobre a necessidade de várias conversas de aconselhamento;- Dar esperança de que o aconselhamento pode ajudar a pessoa;- Desde a primeira entrevista deixar algo para que pessoa possa refletir;- No fim de cada sessão perguntar como se sentiu com a conversa;- Deixar a pessoa à vontade para falar se não está gostando do aconselhamentoparaconversarem evitando ocorrer uma interrupção pelo abandono aos encontros;- Conduzir a expectativas realistas de forma gentil;- Fazer um contrato claro determinando o número de sessões como padrão para que otemposeja aproveitado e a pessoa se esforce para alcançar o objetivo.
  38. 38. Psicologia Pastoral O autor também orienta prestar atenção em alguns detalhes chamados de mecânicos.As recomendações de Clinibell são:-Publicidade: visto que muitas pessoas não sabem que o/a pastor/a tem habilidade ou treinamento emaconselhamento por isso é preciso divulgar isso na comunidade para que as pessoas procurem oaconselhamento pastoral. Para isso também é preciso organizar a agenda de atendimento pastoral marcandohorários.-Ambiente: deve ser em um lugar tranquilo e livre de interrupções e para isso deve desligar o telefone, deixarum cartaz na porta ou ter uma secretária.-Fichário: deve ser um arquivo confidencial com informações sobre os aconselhamentos visando uma visãoholística da situação do/a aconselhando/a para um futuro feedback. Isso deve ser feito discretamente e como conhecimento da pessoa e destruído quando não houver mais utilidade.-Telefone: embora nunca substitua o aconselhamento pessoalmente pode ser utilizado nos intervalos entreas sessões como uma forma de acompanhamento e também na impossibilidade de um encontro deve serusado como recurso além de servir para marcar horários de aconselhamento. Um sério conselho é que pastores/as nunca podem priorizar questões administrativas a frente dossentimentos das pessoas. Para isso é preciso ter cuidado na linguagem e nas decisões com pessoas e famíliasque estão em crise ou sofrimento.De forma prática Clinibell apresenta uma proposta de como aplicar os princípios no aconselhamentopastoral:1. Incluir todas as seis dimensões da integralidade inclusive a física;2.Ter consciência das forças e potencialidades encobertas no/a aconselhando/a e declarar isso quando forapropriado;3.Usar de forma equilibrada a Fórmula do Crescimento: Solicitude + Confrontação;4.Ter em mente o objetivo do crescimento-em-direção-à-integralidade articulando com expectativas edesafios;5.Relacionar-se com o/a aconselhando e considerar sua rede de relacionamentos como seu ambiente decrises e potencialidades para o tratamento;6.Centralizar a espiritualidade na pessoa levando-a a compreender sua necessidade de crescimento.
  39. 39. Psicologia Pastoral Além de focalizar a integralidade humana, há também aptidões essenciais para oministério do aconselhamento pastoral baseado na experiência de Robertr Carkhuff.As aptidões fundamentais para o aconselhamento são:-comportamento atencioso e solícito até nas expressões corporais e faciais;-fazer perguntas breves convidando a pessoa a falar sobre assuntos significativos para sua vida;-ouvir e observar mensagens não verbais de forma cuidadosa;-deixar a conversa fluir naturalmente evitando mudar de assunto e seguir a iniciativa dapessoa;-responder empaticamente mostrando que compreende o que a pessoa está sentindo;-procurar clarear as coisas de forma que tanto conselheiro/a como aconselhando/atenhamconsciência de que entendem o que está acontecendo em cada estágio ou sessão;-focar e explorar as áreas mais significativas para a pessoa;- confrontar na medida em que fornecessário sempre valorizando a potencialidade da pessoa;-a partir da compreensão por meio de insights diagnósticos recomendar auxílio necessário paraa solução do problema. Estas aptidões devem ser alvo de toda pessoa que deseja se preparar para o ministério doaconselhamento de forma holística e desenvolver a capacidade de trabalhar com pessoasconduzindo para a cura e libertação com vistas ao crescimento centrado no Espírito para arestauração da integralidade humana.
  40. 40. Psicologia Pastoral O cuidado com as respostas dadas pelo/a conselheiro/a é uma das preocupações no aconselhamentoe apresenta cinco tipos de respostas baseado em Elias H. Porter Jr. e uma acrescentada pelo próprio Clinibell.Os seis tipos de respostas são:1. INTERPRETAÇÃO: Indica a intenção de ensinar, comunicar algo significativo ou explicar o porquê. Útil noaconselhamento matrimonial;2.APOIO: Indica o propósito de tranquilizar e reduzir o sofrimento. Principalmente em situações de crise asrespostas de apoio são muito importantes.;3.INDAGAÇÃO: Frases que ajudam a pessoa a responder questões internas ou temas para a discussão. Usadano aconselhamento educativo de curto prazo;4.COMPREENSÃO: Um retorno à pessoa para que saiba que está sendo ouvida deforma empática. Muitoimportante na fase inicial do aconselhamento;5.CONSELHO: Sugerir abordagens, ações, crenças ou atitudes recomendando como lidar com o problema.Também útil para aconselhamento de confrontação;6.AVALIAÇÃO: Um julgamento dos sentimentos da pessoa com uma sugestão embutida. Usado emaconselhamento de confrontação. A seguir um exemplo de como em uma situação de aconselhamento estes tipos de respostas é útil no casode uma jovem que demonstra ódio pelo próprio pai sem mesmo saber o motivo. O autor apresenta os seistipos de respostas que podem ajudar neste exemplo específico e ensina como estas respostas podem serpráticas para o aconselhamento. O tipo de resposta mais escasso entre conselheiros é a de compreensão.Para pessoas moralistas rapidamente dão respostas de avaliação. A posição pastoral de autoridade e atendência a uma resposta pronta e rápida são perigos para o aconselhamento. Quanto a resposta o/apastor/a deve ser muito cauteloso/a e quanto a autoridade deve ter cuidado para não ser repressivo/a oucriar expectativas de resolver o problema da pessoa fazendo-se continuar dependente e inibindo sualibertação e crescimento.
  41. 41. Psicologia Pastoral Mais uma vez Clinibell insiste em que o aconselhamento seja mais inclusivo e transculturaldenunciando o sexismo racista e classicista tão forte na sociedade e influente sobre as demais ciências. Parao autor a contribuição de pessoas negras, mulheres deficientes e de diversas culturas é um grande avançopara a poimênica. Não são apenas pessoas de cultura anglo-européia, brancos de classe média e do sexomasculino que precisam e podem fazer o aconselhamento pastoral. Segundo Clinibell é preciso uma abertura para outros backgrounds que é o conteúdo de conhecimentoe experiência de vida trazida por pessoas diferentes. A contribuição de diferentes tipos de pessoas é umgrande avanço para o aconselhamento pastoral porque abre o leque de alcance deste ministério para pessoasque não têm acesso a outro tratamento terapêutico. Isso é perceptível na formação de grupos que lutampara atender seus desafios étnicos e culturais como, por exemplo, os ministérios negros, feministas, latino-americanos com a teologia da libertação, associações como os Alcoólicos Anônimos e de deficientes que têmlutado pela cura e crescimento atingindo pessoas fora do alcance de tradicionais meios de terapia. Vários estudos demonstram que a principal crise no mundo é a falta de significado chamada de criseexistencial e tem como sintomas emocionais um desequilíbrio religioso em forma de excesso ou falta deespiritualidade e o medo da morte como fruto de aceitação, quanto sua origem familiar. O aumento detecnologia e modernidade tem feito a sociedade quebrar sua ponte histórica e como consequência aspessoas têm perdido seu sentimento de origem e significado existencial. Problemas espirituais também sãopercebidos conjuntamente com problemas familiares. A ligação entre a figura paterna e divina é umexemplo: ausência do pai pode ser o motivo para não crer em Deus ou um pai muito rigoroso pode fazer apessoa acreditar em um Deus ditador. Do mesmo modo é possível perceber outras raízes espirituais emproblemas familiares como a má convivência entre irmãos e a dificuldade de comunhão com a igreja.
  42. 42. Psicologia Pastoral Ao falar sobre a dimensão espiritual em todos os problemas humanos o autor mostraque a ansiedade é um sentimento muito presente em todas as fases da vida humana e maisforte ainda no intervalo entre estas fazes como na adolescência e intervalo da idade adultapara terceira idade. A ansiedade pode ser percebida pelo medo da morte, frustração quanto aos sonhos,falta de sentido para a vida por causa da dificuldade de fazer vínculo com o passado e ummedo do futuro por causa das decepções com o passado. Para Paul Tillich a ameaça da ansiedade existencial que toca a ―herança da finitude noser humano, quando este tem a consciência de sua finitude.Este medo do não-ser tem três formas: -ameaça de destino e morte; -culpa e condenação e vazio ; -perda de sentido tendo no âmago destes sintomas o medo de não-ser. Contudo a religião é uma forma de enfrentar a ansiedade existencial e presta oimportante serviço de dar sentido à vida, quando prega o perdão para o passado e esperançapara o futuro.
  43. 43. Psicologia Pastoral Segundo Paul Tillich o impacto religioso poder ter duasformas de consequências: destrutiva ou Patogênica e a criativa ouSalugênica.Religiosidade Criativa ou Salugênica:-Uma religião aberta que incrementa a vida e capacita a enfrentar a ansiedade existencialao invés de fugir dela. Ensina a transcender a transitoriedade em busca da fé naeternidade. Uma vida religiosa autêntica ajuda a pessoa a perceber a imagem de Deusdentro de si a aceitar sua existência. Uma religiosidade criativa respeita a realidade,produz comunhão com Deus e com as pessoas e diz um sim à vida acima de tudo.Religiosidade Destrutiva ou Patogênica:-Qualquer forma de idolatria que se torne uma preocupação incondicional como adeificação de posses, saúde, sucesso, álcool, o estado ou uma instituição como a igreja.Uma religiosidade repressiva leva a fugas através da negação do ser manifestam emforma de neuroses mutiladoras. Uma religiosidade patogênica produz doença e bloqueiao crescimento. Manifesta-se em formas rigidas, autoritárias e que negam a realidade.
  44. 44. Psicologia Pastoral Sobre como diagnosticar o problema de origem espiritual o autororienta ao/aconselheiro/a a não ter receio de perguntar sobre questõesespirituais ou sentimentais que tenham raízes no espírito como a culpa, orancor e o medo da morte, por exemplo. Após diagnosticar uma questão de cunho espiritual deve-se conduzir apessoa quebrantada a um momento de cura para que possa se sentir livrepara crescer.Clinibell, pontua dois níveis no processo do aconselhamento: -Ajudar as pessoas a enfrentar seus problemas ou crises; -Encorajar a examinar questões espirituais causadoras dos sintomas. A partir da compreensão das causas fundantes dos problemas espirituaise sua sequente cura é possível dar continuidade ao crescimento por novasportas que vão se abrindo a medida que a pessoa tem forças para enfrentarsuas crises existenciais e encontra sentido para a vida.
  45. 45. Psicologia Pastoral A importância do uso da Bíblia no aconselhamento e algumasorientações de como utilizar a Bíblia de forma eficiente:1- permite que a sabedoria bíblica informe o processo através dos insightsbíblicos que acontecem durante a conversa;2- palavras de consolo da Bíblia podem ser muito úteis para ajudar pessoasem situação de sofrimento para fortalecer e curar;3- ajuda a diagnosticar problemas através dos temas e histórias bíblicasprincipais que auxiliam a compreender pessoas no aconselhamento;4- proporciona cura e mudança de pensamentos patogênicos com umensino adequado da verdade bíblica;5- a Bíblia ensina o que é bom para manter uma vida espiritual saudável eproduz crescimento na fé e nos relacionamentos da comunidade. Clinibell, alerta quanto ao perigo do mau uso da Bíblia na poimênica eno aconselhamento pastoral muito difundido no meio de teologiasfundamentalistas que utilizam imagens bíblicas para confrontação daspessoas culpando-as, diagnosticando seus problemas como consequênciado pecado e não direcionando para a cura e crescimento.
  46. 46. Psicologia Pastoral Deste modo o autor depois de ensinar como utilizar a bíblia noaconselhamento e alertar sobre os riscos do mau uso da Bíblia ainda mostra trêserros principais que devem ser evitados que são: 1-O fundamentalismo impede de integrar a sabedoria bíblica com as ciênciashumanas e disciplinas psicoterápicas;2-O legalismo faz que o/a conselheiro/a dê conselhos imediatos inibindo ocrescimento e aumentando a dependência do aconselhando;3-O biblicismo rígido impede as pessoas de descobrir a Bíblia como Palavra Viva deDeus que fala e transforma suas vidas. A oração também é um subsídio importante para a poimênica e oaconselhamentopastoral e tem três utilidades principais segundo o autor:1)Preparação espiritual do/a próprio/a conselheiro/a para o aconselhamento;2)Para intercessão em favor do/a aconselhando/a;3)Pode ser ensinada ao/à aconselhando/a como forma pessoal de buscar sua cura ecrescimento. Num mundo agitado e cheio de obrigações se torna cada vez mais difícil pararpara pensar em Deus. E em meio a tanto materialismo é quase impossível crer noinvisível. Por isso e outras coisas a oração é um grande desafio.
  47. 47. Psicologia Pastoral ATIVIDADE PROPOSTA DE ENSAIO DA REALIDADE: Exemplo para exercício de ensaio da realidade é recomendado com três tipos desituações-problema podendo ser representados pelo papel do/a paroquiano/a baseado emcausas reais no meio do grupo:Primeiro-Sobre conflitos, dúvidas ou confusão de ordem religiosa;Segundo-Uma mulher que não se conforma com os termos masculinos para falarde Deus e quer saberse é aceita como mulher;Terceiro- Um homem de classe média está fraco na fé por causa de problemas desaúde e a esposadesanimada por causa de dívidas com medicamentos. Nos três casos representados o/a paroquiano/a procura o/a pastor/a que deveaconselhar baseado no conteúdo estudado. Enquanto isso o observador ou monitor faz um feedback para enriquecer o conteúdo dogrupo. Os papéis podem ser trocados para fazer o aconselhamento.
  48. 48. Psicologia Pastoral BIBLIOGRAFIACLINIBELL, Howard J. Aconselhamento Pastoral: modelo centrado emlibertação e crescimento; tradução de Walter O. Schlupp e Luís MarcosSander. São Leopoldo: Sinodal, 1987.

×