Matéria Negra

458 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
458
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Matéria Negra

  1. 2. <ul><li>Na cosmologia, matéria negra (ou matéria escura) é uma forma postulada de matéria que só interage gravitacionalmente (ou interage muito pouco de outra forma). </li></ul><ul><li>Sua presença pode ser percebida a partir de efeitos gravitacionais sobre a matéria visível, como estrelas e galáxias. </li></ul>O Que É?
  2. 3. <ul><li>Nesse contexto, a matéria escura compõe cerca de 23% da densidade de energia do universo. O restante seria constituído de energia escura, 73% e a matéria bariônica, 4%. </li></ul><ul><li>Existem tentativas de solucionar o mistério da matéria escura propondo-se alterações na gravitação, no entanto, até o momento, nenhuma delas obteve grande sucesso. </li></ul>
  3. 4. <ul><li>O Destino Último do Universo refere-se a como o universo será destruído, isso se o universo for mesmo destruído. </li></ul><ul><li>Segundo as teorias cosmológicas atuais, a quantidade de matéria que há no Universo é a que decidirá o futuro do mesmo. Se tem uma ideia bastante aproximada da quantidade de matéria visível que existe, mas não da quantidade de matéria escura, dependendo então desta o futuro do Universo. </li></ul>Destino Último do Universo
  4. 5. <ul><li>Pode-se calcular que se a densidade do Universo é menor que três átomos por metro cúbico, será insuficiente para frear a expansão, o Universo se expandirá indefinidamente (Big Rip) e será condenado a uma morte fria em meio da obscuridade mais absoluta. </li></ul><ul><li>Neste caso os fenômenos físicos se encerrariam em uns 35 bilhões de anos. </li></ul>
  5. 6. <ul><li>Mas se a massa for suficiente para deter a expansão, terá lugar o Big Crunch ou, o que é o mesmo, o Universo, forçado pela grande quantidade de massa, iniciaria a comprimir-se até que, dentro de uns 20 bilhões de anos, acabe por colapsar-se em uma singularidade, algo parecido ao Big Bang, mas ao inverso (&quot;Big Crunch&quot;). </li></ul><ul><li>Neste caso após o Big Crunch é possível que o Universo comece de novo com outro (ou, segundo o modelo cíclico, o mesmo) Big Bang. </li></ul>
  6. 8. <ul><li>Os neutrinos que teriam ultrapassado a velocidade da luz em setembro podem ter derrubado a teoria mais brilhante da história da humanidade? Não. Mas eles talvez façam bem mais do que isso. </li></ul><ul><li>Até outro dia, a velocidade da luz era o limite. Nada no Universo poderia ir mais rápido que 1,08 bilhão de km/h. Agora não, pelo menos para alguns cientistas do Cern, um dos melhores centros de pesquisa do mundo. </li></ul><ul><li>No dia 22 de setembro, eles anunciaram que a luz pode ter perdido o trono. Tinham mandado um feixe de neutrinos do laboratório do Cern, na Suíça, para outro, na Itália. Os neutrinos foram de Genebra até Roma em 2,43 milésimos de segundo. </li></ul>
  7. 9. <ul><li>Chegaram 60 bilionésimos de segundo antes do que se tivessem viajado à velocidade da luz. Mas... e daí? Qual é o problema de a luz ter perdido a “liderança” do ranking de coisas mais rápidas? </li></ul><ul><li>A velocidade da luz não é como a velocidade de qualquer outra coisa. Ela é a base da Teoria da Relatividade, que em última instância explica como o mundo funciona. </li></ul>
  8. 10. <ul><li>Einstein estava errado, então? Dificilmente. A Relatividade tem quase 100 anos de comprovações experimentais nas costas. É mais fácil que errado esteja o pessoal do Cern mesmo (outros cientistas vão repetir o experimento). Mas e se a comprovação vier? </li></ul><ul><li>Tudo bem: uma das possibilidades é que isso prove outra teoria: a de que existem mais dimensões. Os neutrinos poderiam ter pego um “atalho” numa delas – coisa que permitiria chegar à Itália mais rápido que um raio de luz, mas sem ultrapassar a velocidade da luz. </li></ul>
  9. 11. <ul><li>Isso não violaria nenhum princípio da Relatividade – da mesma forma que as teorias de Einstein não violaram as de Newton, só aprimoraram. É assim que a ciência anda. </li></ul><ul><li>Seja como for, uma comprovação da supervelocidade dos neutrinos traria um problema novo e inesperado para a ciência. Um desafio à lógica tão grande quanto aquele que inspirou o Einstein adolescente. </li></ul>

×