Aula 04 gestao da qualidade logisitica cepa

904 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
904
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
70
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
70
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula 04 gestao da qualidade logisitica cepa

  1. 1. Gestão da Qualidade Aula 04 Curso de Logística GESTÃO DA QUALIDADE Aula 04 Imagem 01 Fonte: vide rodapé Abril/2013 Prof. Cláudio Pina
  2. 2. Gestão da Qualidade Aula 04 METODOS Olá meus caros, espero que estejam bem para continuarmos nossas aulas de Gestão da Qualidade. Agora vamos falar um pouco sobre o método para se conquistar a qualidade nas organizações onde estamos inseridos. BOA AULA A TODOS!!! Imagem 01 Fonte: vide rodapé Abril/2013 Prof. Cláudio Pina
  3. 3. Gestão da Qualidade Aula 04 Método é uma palavra que vem do latim ... ... e significa “caminho para a meta”. Abril/2013 Prof. Cláudio Pina
  4. 4. Gestão da Qualidade Aula 04 Aplicamos algum MÉTODO sempre que precisamos sair de uma situação para conquistar outra. Esse movimento provoca a melhoria contínua. Abril/2013 Prof. Cláudio Pina
  5. 5. Gestão da Qualidade Aula 04 Este é o MÉTODO da qual me refiro... A C P D P Lan + D o+ C heck+ A ction = Planejar ou Padronizar + Executar + Verificar Melhorar Abril/2013 + Tomar ação Prof. Cláudio Pina
  6. 6. Gestão da Qualidade Aula 04 Notem que se trata de uma atividade cíclica, ou seja o PDCA deve girar constantemente. Esta metodologia de solução de problemas (bons e ruins) é utilizada por nós muitas vezes inconscientemente. Ela é instintiva, porém para se obter resultados expressivos, este método deve ser seguido conforme disciplina japonesa; seguido a risca. O PDCA deve ser utilizado preferencialmente para superar grandes desafios. Problemas corriqueiros existem outros métodos mais simples que são mais efetivos e os veremos no final desta aula. Vamos então ao passo a passo de um PDCA. Abril/2013 Prof. Cláudio Pina
  7. 7. PLAN Gestão da Qualidade Aula 04 O PLANEJAMENTO é o primeiro passo para se girar um PDCA. 1º Aqui iremos identificar o problema que deve ser resolvido Exemplo: Aumentar o número de leitos no hotel. 2º Iremos observar o problema. Aqui é hora de coletar o máximo de dados relacionados ao problema. Podemos utilizar o brainstorming para ajudar nesta etapa. 3º Agora vamos analisar os dados coletados para determinar a relevância e priorizar as mais importantes. Podemos utilizar o Ishikawa, o 5 Porquê, a Matriz de Priorização ... 4º Por fim faremos um plano de ação de acordo com a ferramenta descrita na aula anterior. Abril/2013 Prof. Cláudio Pina
  8. 8. Aula 04 PLAN Gestão da Qualidade Temos que ter bem claro qual é o objetivo a ser alcançado. Isso vale tanto para nosso trabalho quanto para nossa vida pessoal Abril/2013 Prof. Cláudio Pina
  9. 9. PLAN Gestão da Qualidade Aula 04 O PLANEJAMENTO, além de ser o primeiro passo, é também o mais importante. Se houver falhas nesta fase, as chances dos resultados não serem alcançados é grande pois as ações propostas no Plano de Ação não surtirão o efeito que se espera. Portanto é muito importante que nesta etapa se tenha muita atenção, muito compromisso, disciplina, senso crítico apurado para que o planejamento seja efetivo. Assista ao vídeo “Hotel de 15 Andares na China” Abril/2013 Prof. Cláudio Pina
  10. 10. PLAN Gestão da Qualidade Aula 04 Agora lhes pergunto: Seria possível concluir essa obra dentro do prazo sem planejamento? Acredito que vocês vão de concordar comigo: NÃO!! NÃO SERIA POSSÍVEL!! Inúmeros fatores tiveram que ser analisados como: •Recursos Financeiros •Recursos Humanos •Recursos Materiais •Recursos Ambientais •Recursos Metodológicos •Recursos Estruturais (máquinas e equipamentos) esses fatores devem ser calculados minuciosamente para conquista do sucesso do projeto. Abril/2013 Prof. Cláudio Pina
  11. 11. Gestão da Qualidade Aula 04 A Execução é o momento de se por a mão na massa propriamente dito. Aqui, todas as pessoas envolvidas no projeto e mencionadas no Plano de Ação devem estar atentas ao que lhes foram designados para fazer. Voltando ao vídeo anterior, percebemos que a obra evolui num ritmo frenético. Possíveis falhas no planejamento podem ter ocorridos porem, pelo vídeo não pudemos percebê-los. Entretanto os envolvidos na execução, além de terem o cuidado de fazer o que é certo, também devem reportar aos superiores caso identifique anormalidades. Pequenas falhas podem prejudicar um projeto consideravelmente. Abril/2013 Prof. Cláudio Pina
  12. 12. CHECK Gestão da Qualidade Aula 04 A Verificação é o momento de avaliar os resultados de um trabalho realizado. É um momento de se tomar decisão. Diante de um resultado devemos analisar: 450 n=2 nãoVoltar a etapa de LSC = 449,79 400 LIC = 362,84 350 100 RESULTADO FETIVO? LSC = 75,55 50 observações lá no planejamento LC = 23,13 0 1 2 3 4 9 10 11 12 dia SIM Dar sequencia ao PDCA Abril/2013 Prof. Cláudio Pina
  13. 13. CHECK Gestão da Qualidade Aula 04 Esse ciclo de voltar a etapa de observação deve acontecer enquanto os resultados esperados não aparecerem. Se você estiver em uma pescaria e não consegue pegar nenhum peixe, provavelmente o que você planejou não deu certo. Portanto é hora de repensar nos erros e acertos para mudar o planejamento e voltar à pescaria. Imagem 02 Fonte: vide rodapé Abril/2013 Prof. Cláudio Pina
  14. 14. Gestão da Qualidade Aula 04 A Ação é o momento de se fechamento do problema em questão. Daqui partimos para dois possíveis caminhos: 1º - caso o problema não tenha sido resolvido o PDCA deve girar novamente desde o início. 2º - caso o problema tenha sido resolvido, devemos padronizar o novo processo. Isso é feito por meio do SDCA. Abril/2013 A S C D Manter Prof. Cláudio Pina
  15. 15. Gestão da Qualidade A S C D Manter Aula 04 A diferença do SDCA para o PDCA é que este foi feito para manter os bons resultados. O “S” que dizer Standard que significa padronizar. Portanto, após padronizado, o novo processo deve ser executado, verificado e corrigido sempre que necessário. Assim se faz um ciclo de melhoria contínua Abril/2013 Prof. Cláudio Pina
  16. 16. Gestão da Qualidade Aula 04 Lembram que no começo da aula eu disse que para problemas menos expressivos tempos um método menos complexo?! Vamos a ele: o chamamos de Tratamento de Anomalias. Mas o que é Anomalia? É TODO O ACONTECIMENTO DIFERENTE DO USUAL; QUALQUER DESVIO DAS CONDIÇÕES NORMAIS DE OPERAÇÃO DE UM PROCESSO; QUALQUER OCORRÊNCIA NÃO ESPERADA; ANOMALIA É CUSTO ! Abril/2013 Prof. Cláudio Pina
  17. 17. Gestão da Qualidade Aula 04 COMO EVITAR ??? SISTEMATIZANDO A ROTINA ATRAVÉS DO MÉTODO DO SDCA. REALIZANDO O TRATAMENTO ADEQUADO DA ANOMALIA, BUSCANDO ATUAR NA CAUSA FUNDAMENTAL DE FORMA A ELIMINAR OU MINIMIZAR A OCORRÊNCIA. Abril/2013 Prof. Cláudio Pina
  18. 18. Gestão da Qualidade Aula 04 EMISSÃO DO RELATÓRIO E RELATO DA ANOMALIA . O operador do processo informa a anomalia,através do formulário padrão; . É fundamental descrever no relatório as informações complementares, como motivo da parada e ação tomada, pois serão ponto de partida para a análise; . Toda e qualquer informação poderá interferir nas decisões durante a análise e condução da anomalia. . A descrição deve ser simples, resumida e com linguagem própria do operador, descrevendo o que ocorreu de anormal; Em caso de perdas mensuráveis , pode ser mencionados os valores R$; Para reclamações de clientes, identificar claramente os clientes. Abril/2013 Prof. Cláudio Pina
  19. 19. Gestão da Qualidade Aula 04 AÇÃO IMEDIATA (REMOÇÃO DO SINTOMA) . Significa relatar a ação imediata que foi adotada logo após a anomalia ter sido detectada; . Necessário para dar continuidade na operação; . Gera informações para análise de causas, contribuindo para uma ação mais efetiva e evitar a reincidência. SOMENTE REMOVER SINTOMA = Apagar Incêndio Abril/2013 Prof. Cláudio Pina
  20. 20. Gestão da Qualidade Aula 04 TRATAMENTO DA ANOMALIA . Identificação das causas principais visando evitar sua reincidência. Somente resolver o sintoma NÃO ELIMINA A ANOMALIA. Objetivo Principal: . Evitar reincidência; . Evitar anomalias crônicas; . Bloqueio das causas. . O tratamento deve ser feito pelo responsável pelo processo, no local da ocorrência quando possível, envolvendo o maior número de pessoas que conheçam o processo. . O tratamento deve ser o mais rápido possível. Abril/2013 Prof. Cláudio Pina
  21. 21. Gestão da Qualidade Aula 04 TRATAMENTO DA ANOMALIA . Identificação das causas principais visando evitar sua reincidência. Somente resolver o sintoma NÃO ELIMINA A ANOMALIA. Objetivo Principal: . Evitar reincidência; . Evitar anomalias crônicas; . Bloqueio das causas. . O tratamento deve ser feito pelo responsável pelo processo, no local da ocorrência quando possível, envolvendo o maior número de pessoas que conheçam o processo. . O tratamento deve ser o mais rápido possível. Abril/2013 Prof. Cláudio Pina
  22. 22. OBSERVAÇÃO •Coleta de dados e fatos sobre a anomalia, que possam contribuir na sua análise; •Sendo necessário, podemos anexar documentos, fotos, relatórios, etc. Abril/2013 Prof. Cláudio Pina
  23. 23. ANÁLISE Analisar anomalia significa: identificar as causas principais, visando sua eliminação, tendo como base os dados e fatos obtidos Esta análise é realizada através do Diagrama de Causa e Efeito. Abril/2013 Prof. Cláudio Pina
  24. 24. ANÁLISE/TRATAMENTO DA ANOMALIA USO DO DIAGRAMA DE CAUSA E EFEITO PARA DESCOBERTA DAS CAUSAS ANOMALIA Uso dos 5 porquês, buscando causas secundárias, terciárias, etc, até a causa fundamental Abril/2013 Prof. Cláudio Pina
  25. 25. PLANO DE AÇÃO CAUSA PROVÁVEL São as causas eleitas/escolhidas na etapa de análise, como mais provável(eis) CONTRAMEDIDA, RESPONSÁVEL e PRAZO As contra medidas / ações devem ser estabelecidas sobre as causas principais e não sobre o efeito; No plano de ação são definidos: . O QUE SERÁ FEITO: descrição resumida da ação; . QUEM: nome de um responsável pela execução da ação; . QUANDO: prazo (data) para a conclusão da ação. Melhores ações: . Rápidas, simples e de menor custo. Abril/2013 Prof. Cláudio Pina
  26. 26. EXECUÇÃO/PLANO DE AÇÃO EXECUÇÃO A execução das ações podem ter vários executantes, inclusive em outras áreas fora da gestão do RESPONSÁVEL pelo tratamento da anomalia, mas cabe a quem está conduzindo o seu tratamento REPONSÁVEL PELA ANOMALIA - garantir a execução do plano. ATENÇÃO: o relatório da anomalia (documento) deve permanecer com o responsável pelo seu tratamento. Após elaborado o Plano de Ação , este é submetido ao gerente para analisar e propor ações complementares, se necessárias. Abril/2013 Prof. Cláudio Pina
  27. 27. VERIFICAÇÃO Representa a etapa de Check do PDCA. Certificar-se sobre a execução, resultados obtidos e problemas remanescentes. ATENÇÃO: o encerramento de um Relatório de Anomalia somente deve ocorrer após a verificação. Abril/2013 Prof. Cláudio Pina
  28. 28. OBSERVAÇÕES GERAIS SOBRE ANOMALIA Os operadores são fundamentais na tarefa de minimizar/ eliminar as anomalias; Eles devem relatar TODAS anomalias de acordo com os critérios pré definidos,  Os Gerentes devem incentivar os operadores em participar do relato e tratamento de anomalias.  Anomalia é custo; Educar e treinar os operadores sobre a importância do tratamento de anomalias; Os gerentes devem estar preparados para ouvir; O uso dos 5 sentidos pode ser utilizado para detectar anomalias. Normalmente 85% das causas de anomalias são relacionadas a falta de padronização e de treinamento. Abril/2013 Prof. Cláudio Pina
  29. 29. Gestão da Qualidade Aula 04 Chegamos ao fim de nossa quarta aula. •Vimos o que é um método. •Vimos o que é um PDCA e suas particularidades. •Vimos o que é um SDCA e suas particularidades. •Vimos sobre Tratamento de Anomalias. Assista ao vídeo “Pinky e Cérebro” Até a próxima meus caros. Assista ao vídeo “Gerenciamento da Rotina” Abril/2013 Prof. Cláudio Pina

×