Tabaco
Constituição do Tabaco <ul><li>Nicotina :  A nicotina é o alcalóide da planta do tabaco. Quando chega ao Sistema Nervoso C...
O Tabaco… <ul><li>O tabaco vem da planta Nicotiana Tabacum e é uma substância estimulante. Pode ser encontrado em forma de...
Origem do Tabaco <ul><li>A planta Nicotina tabacum deve o seu nome ao médico Jean Nicot que popularizou o seu uso na Europ...
Efeitos <ul><li>O consumidor pode experimentar sensações reconfortantes, favorecimento da memória, redução da agressividad...
Riscos <ul><li>O consumo pode provocar hipotonia muscular, diminuição dos reflexos tendinosos, aumento do ritmo cardíaco, ...
Tolerância e Dependência <ul><li>Existe tolerância, assim como dependência. A nicotina do tabaco é das drogas que mais dep...
Síndrome de Abstinência   <ul><li>Traduz-se por intranquilidade ou excitação, aumento da tosse e da expectoração, impaciên...
Imagens
<ul><li>Trabalho realizado por: </li></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Daniela Reis – 8º D nº6 </li></ul></ul></ul></ul></ul><u...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Tabaco

3.897 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.897
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
65
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
43
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Tabaco

  1. 1. Tabaco
  2. 2. Constituição do Tabaco <ul><li>Nicotina : A nicotina é o alcalóide da planta do tabaco. Quando chega ao Sistema Nervoso Central, actua como um agonista do receptor nicotínico da acetilcolina. Possui propriedades de reforço positivo e viciantes devido à activação da via dopaminérgica mesolímbica. Aumenta também as concentrações da adrenalina, noradrenalina, vasopresina, beta endorfinas, ACTH e cortisol, que parecem influir nos seus efeitos estimulantes. </li></ul><ul><li>Substâncias irritantes (como a acroleína, os fenóis, o peróxido de nitrogénio, o ácido cianídrico, o amoníaco, etc): provocam a contracção bronquial, a estimulação das glândulas secretoras da mucosa e da tosse e a alteração dos mecanismos de defesa do pulmão. </li></ul><ul><li>Alcatrão e outros agentes cancerígenos (como o alfabenzopireno): contribuem para as neoplasias associadas ao tabaco. </li></ul><ul><li>Monóxido de carbono : provocam a diminuição da capacidade de transporte de oxigénio por parte dos glóbulos vermelhos. </li></ul>
  3. 3. O Tabaco… <ul><li>O tabaco vem da planta Nicotiana Tabacum e é uma substância estimulante. Pode ser encontrado em forma de charuto, cigarro (com ou sem filtro), cachimbo, rapé e tabaco de mascar. O tabaco é principalmente fumado, mas pode também ser inalado ou mastigado. Tem uma acção estimulante. A combustão do tabaco produz inúmeras substâncias como gases e vapores, que passam para os pulmões através do fumo, sendo algumas absorvidas pela corrente sanguínea. </li></ul>
  4. 4. Origem do Tabaco <ul><li>A planta Nicotina tabacum deve o seu nome ao médico Jean Nicot que popularizou o seu uso na Europa. Esta planta, juntamente com cerca de mais de cinquenta outras espécies, faz parte do grupo nicotínico. </li></ul><ul><li>É originária da América onde era usada, antes da descoberta deste continente, pelos seus efeitos alucinogéneos. É difundida na Europa, após a viagem de Colombo, em parte devido à crença no seu valor terapêutico. </li></ul><ul><li>O tabaco era também enrolado ou recheado de triturado. Crê-se que o cigarro surgiu das navegações transatlânticas, durante as quais eram apanhados os restos de tabaco, que estavam a ser transportados para a Europa, e enrolados em papel (dado que as folhas inteiras da planta pertenciam à coroa). </li></ul><ul><li>Na segunda metade do século XIX, o monopólio da fabricação dos cigarros passa a ser dos anglo-saxões. A partir desta altura, o tabagismo passa a afectar quase metade da população mundial. Ou seja passou de um valor terapêutico a um elemento prejudicial á saúde. </li></ul>
  5. 5. Efeitos <ul><li>O consumidor pode experimentar sensações reconfortantes, favorecimento da memória, redução da agressividade, diminuição do aumento do peso e do apetite em relação aos doces ou relaxamento. Geralmente, ocorre um aumento do ritmo cardíaco, da respiração e da tensão arterial. Nas pessoas não dependentes pode provocar náuseas e vómitos. </li></ul>
  6. 6. Riscos <ul><li>O consumo pode provocar hipotonia muscular, diminuição dos reflexos tendinosos, aumento do ritmo cardíaco, da frequência respiratória e da tensão arterial, aumento do tónus do organismo, irritação das vias respiratórias, aumento da mucosidade e dificuldade em eliminá-la, inflamação dos brônquios (bronquite crónica), obstrução crónica do pulmão e graves complicações (enfisema pulmonar), arteriosclerose, transtornos vasculares (exemplo: trombose e enfarte do miocárdio). </li></ul><ul><li>Em fumadores crónicos podem surgir úlceras digestivas, faringite e laringite, afonia e alterações do olfacto, pigmentação da língua e dos dentes, disfunção das papilas gustativas, problemas cardíacos, má circulação (que pode levar à amputação) e cancro do pulmão, de estômago e da cavidade oral. </li></ul>
  7. 7. Tolerância e Dependência <ul><li>Existe tolerância, assim como dependência. A nicotina do tabaco é das drogas que mais dependência provocam. </li></ul>
  8. 8. Síndrome de Abstinência <ul><li>Traduz-se por intranquilidade ou excitação, aumento da tosse e da expectoração, impaciência, irritabilidade, depressão, ansiedade e agressividade, má disposição, dificuldade de concentração que pode diminuir a atenção na condução de veículos, aumento do apetite e do peso corporal e diminuição da frequência cardíaca. </li></ul>
  9. 9. Imagens
  10. 10. <ul><li>Trabalho realizado por: </li></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Daniela Reis – 8º D nº6 </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Sara Caldeira – 8º D nº19 </li></ul></ul></ul></ul></ul>

×