Roteiro

6.515 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Turismo, Negócios
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.515
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
199
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
95
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Roteiro

  1. 1. PIEF OEIRAS TIPO 1
  2. 2. PIEF OEIRAS TIPO 1 Introdução No presente trabalho apresentaremos de forma sucinta algumas características das regiões de Portugal, com principal ênfase no Turismo e Gastronomia. O termo Região teve origem na Roma Antiga e significava o território sob o controle de uma legião. A região administrativa é uma pessoa colectiva territorial (Unidade Jurídica), dotada de autonomia administrativa e financeira e de órgãos representativos. Visa a prossecução de interesses próprios das populações respectivas, como factor de coesão nacional e de promoção do desenvolvimento.
  3. 3. PIEF OEIRAS TIPO 1 REGIÕES DE PORTUGAL Clica na região pretendida
  4. 4. <ul><ul><li>ENTRE DOURO E MINHO </li></ul></ul>É uma das regiões mais antigas de Portugal. O seu clima é, mais a norte, relativamente frio com grande precipitação no Inverno e moderado no Verão; na zona atlântica mesmo no Inverno as temperaturas não são muito baixas. O seu relevo é caracterizado por uma planície no litoral e por colinas e serras no interior. Destacam-se o Rio Minho e o Rio Douro que tornam as terras circundantes muito férteis, sendo as suas principais culturas o trigo, o milho, legumes e a vinha. Existe também uma forte criação de gado bovino e actividade piscatória. Possui indústrias de fiação de tecidos, cutelarias e ferragens, construção naval, indústrias extractivas, de têxteis e de vinhos. A sua flora é caracterizada por imensos pinhais com a curiosidade da existência do pinheiro marítimo no litoral, que protege as culturas dos imensos areais. No interior, o eucalipto tem vindo a substituir os carvalhos. A sua cultura é rica no folclore minhoto que se realça nas festas e romarias. PIEF OEIRAS TIPO 1
  5. 5. , PIEF OEIRAS TIPO 1 VIANA DO CASTELO TRAJES DE VIANA DO CASTELO GERÊS Castelo de Guimarães; erguido para proteger a cidade de ataques mouros no século 10.
  6. 6. <ul><li>A gastronomia desta região, pode caracterizar-se de suculenta, abundante e variada. </li></ul><ul><li>A diversidade de paisagem natural e as influências recebidas durante séculos, de outras gentes, são elementos que explicam a multiplicidade das especialidades gastronómicas: </li></ul><ul><ul><ul><li>Arroz de Pato à moda de Braga </li></ul></ul></ul><ul><li>- Arroz de Polvo à Moda do Minho </li></ul><ul><ul><ul><li>Arroz de Serrabulho </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Arroz no Forno </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Arroz Pica no Chão </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Caldo Verde à Minhota </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Cozido à Portuguesa </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Ensopado de Borrego </li></ul></ul></ul><ul><li>- Francesinhas </li></ul><ul><li>- Lampreia À Moda do Minho </li></ul><ul><li>- Papas de Serrabulho </li></ul><ul><ul><ul><li>Bacalhau à Minhota </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Sarapatel </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Rojões à moda do Minho </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Tripas à moda do Porto </li></ul></ul></ul><ul><li>Não esquecendo de referir o famoso Vinho Verde da região para acompanhar. . </li></ul>Entre Douro e Minho - GASTRONOMIA PIEF OEIRAS TIPO 1
  7. 7. <ul><ul><li>É na doçaria , rica e de longa tradição conventual e popular, que a cozinha do Baixo Minho atinge uma grande originalidade e requinte: </li></ul></ul><ul><ul><li>- Aletria de Ovos </li></ul></ul><ul><ul><li>- Arroz Doce </li></ul></ul><ul><ul><li>- Mexidos de Ovos com Amêndoas </li></ul></ul><ul><ul><li>- Pudim de são João </li></ul></ul><ul><ul><li>- Pudim Surpresa </li></ul></ul><ul><ul><li>- Torta de Cenoura da Avó Mimi </li></ul></ul>PIEF OEIRAS TIPO 1 Regressar ao mapa
  8. 8. Trás-os-Montes e Alto Douro é um vasto território, multifacetado e diferenciado, capaz de responder a grande parte das motivações turísticas. Reservatório de memórias, saberes e tradições, potencialidades que urge aproveitar, enquadrando-os numa dinâmica de operacionalização para a exploração turística nas mais diversas valências. Trás-os-Montes e Alto Douro são as denominações de uma região de Portugal, que, por diversas vezes constituiu uma província, com limites e atribuições, que foram variando ao longo da história. Foi também uma das regiões administrativas da proposta de regionalização rejeitada em Referendo em 1998. É uma das regiões de Portugal com maior número de emigrantes e uma das que mais sofre com o despovoamento. O seu isolamento secular permitiu porém a sobrevivência de tradições culturais que marcam a identidade portuguesa. É, por isso e pela sua beleza natural, um objecto fetiche do cinema português. TRÁS-OS-MONTES E ALTO DOURO PIEF OEIRAS TIPO 1
  9. 9. - As tradições - no Nordeste, das aldeias comunitárias às máscaras (caretos); - A natureza quase pura da Serra do Montezinho e da Terra Fria; - As aldeias e a ruralidade tanto do Barroso e Alto Tâmega como do Nordeste; - As lendas e o esoterismo do Barroso; - Os complexos termais do Alto Tâmega e do Douro; - As águas puras das nascentes e as barragens do Alto Tâmega; - As Arribas do Douro, da sua paisagem à avi-fauna; - A caça e os recursos cinegéticos em todo o Nordeste e no Douro Superior; - A gastronomia e os produtos regionais de reputado paladar em toda a Região; - A arqueologia do Douro Superior entre a qual sobressaiem as Gravuras do Côa; - As suas cidades, com os seus Museus e Fundações; - As serras de transição do Marão, Alvão e Montemuro; - O Vale do Douro com a sua excepcional paisagem; - O Rio Douro e as suas albufeiras; - O Vinho do Porto e os Vinhos do Douro, as suas Rotas e Quintas - Os comboios e estruturas ferroviárias das linhas do Douro, do Tua e do Corgo; - Os conventos e castelos do Douro Sul e a profusão do seu românico; Com um potencial invulgarmente rico, contempla ainda dois Patrimónios da Humanidade - o Parque Arqueológico do Vale do Côa e o Douro Vinhateiro : PIEF OEIRAS TIPO 1
  10. 10. PIEF OEIRAS TIPO 1 &quot;Uma alheira com a pele fendida; tostada do calor da fritura, a derreter aquele unto doirado e rescendente a alho - quem haverá aí, senhores, que não se tente?&quot;                                            Manuel Mendes Trás-os-Montes e Alto Douro - GASTRONOMIA Sopas - Água de Unto - Caldo de Cebola - Rancho - Sopa de Alheiras Aves / Caça / Carne - Coelho à Transmontana - Fricassé de Pato com Canela - Perdiz com Cogumelos - Perdiz com Molho de Vilão - Perú Assado no Forno - Cabrito Assado no espeto e recheado - Vitela Assada no Espeto - Bexiga com Grelos - Bucho - Carne de Porco Estufada com Castanhas - Feijoada à transmontana - Feijoada do Alto Barroso - Leitão Assado à transmontana Bolos e Doces - Bola Mirandesa - Chila no Forno - Migas Doces - Papos-de-anjo de Mirandela - Queijadas de Murça - Queijadinhas de Abóbora ou Calondro - Rosquilhas - Toucinho do Céu de Murça Regressar ao mapa
  11. 11. BEIRA LITORAL PIEF OEIRAS TIPO 1 O seu relevo é aplanado junto ao litoral e rochoso no interior (serras). Tendo como rochas predominantes, o xisto, o granito e o volfrâmio. É uma região rica em actividade industrial em detrimento da actividade agrícola. Esta região é uma das mais ricas em beleza arquitectónica e é nesta região que se encontra o mais antigo estabelecimento de ensino universitário do país e um dos mais antigos da Europa que é a Universidade de Coimbra.
  12. 12. PIEF OEIRAS TIPO 1 BEIRA LITORAL – Alguns Monumentos Convento de Arouca Marmoiral de Sobrado Palácio do Buçaco Universidade de Coimbra Portugal dos Pequeninos Coimbra Termas de S. Pedro do Sul
  13. 13. PIEF OEIRAS TIPO 1 BEIRA LITORAL – Gastronomia &quot;Tentúgal toda a rir de casas brancas! Vou lá comprar um pastelinho...&quot;                                         António Nobre Carnes - Arroz de Cabidela - Bola de Carne - Bucho Recheado - Cabrito à Serrana - Carolos com toucinho Frito - Chanfana - Coelho Bravo - Javali Assado - Lombo Assado com Morcela - Migas da Lousã - Perdiz Fria à Moda de Coimbra - Serrabulho - Torresmos Sopas - Caldo verde - Canja a Doentes - Chora - Papas de S. Miguel - Sopa de Castanhas - Sopa de Feijão - Sopa Seca - Sopa Serrana - Sopa das Vindimas Peixes - Arroz de Sardinha - Bacalhau Assado à Moda de Ílhavo - Bola de Bacalhau - Bola de Sardinha - Caldeirada de Enguias - Lampreia Caseira - Sardinhas fritas em molho de Vinagre - Tiborna com Batatas a Murro - Trutas à Moda da Serra Doces - Nógados - Pantufas - Papas de Carolo - Tigelada - Pão de Ló - Biscoitos de Azeite - Borrachões - Cavacas - Garganta de Freira - Rebuçados de Ovos - Talassas Regressar ao mapa
  14. 14. Esta região é, na parte norte, a mais fria do país devido à sua altitude, sendo o seu clima na parte sul húmido e frio no Inverno; no Verão, o seu clima é bastante quente. O seu relevo é muito montanhoso devido ao grande número de serras existentes. A nível industrial devemos salientar a indústria de lanifícios e a dos lacticínios, as indústrias extractivas, como por exemplo o ouro, o chumbo, o volfrâmio e o estanho, a indústria do fabrico de papel, pelo facto desta região ser uma das mais ricas em florestas, olivicultura e apicultura. Na zona mais a sul da região existem diversas influências étnicas que derivam das tradições moçárabes. PIEF OEIRAS TIPO 1 BEIRA INTERIOR
  15. 15. PIEF OEIRAS TIPO 1 BEIRA INTERIOR Serra da Estrela O ponto mais alto de Portugal Continental, com 2000m de altitude, oferece paisagens fantásticas, podendo alcançar, da torre, uma vista de quase metade de Portugal. Aldeias Históricas de Portugal É na Beira Interior que se localiza a maior parte das «Aldeias Históricas de Portugal». São núcleos urbanos, com fundação anterior à nação portuguesa, geralmente erguidos em terras altas e com grande importância histórica. O destaque é dado a Monsanto, uma das aldeias mais típicas do país, onde o registo de presença humana remonta ao Paleolítico e à aldeia de Almeida que constitui uma riqueza histórica e patrimonial assinalável. No limite norte da região encontramos Castelo Rodrigo, povoação fortificada desde a mais remota antiguidade, a vila de Trancoso com as suas judiarias, e Linhares, cuja origem da povoação remonta provavelmente a 580-500 a.C.. Ainda Belmonte, vila tão antiga como Portugal, Sortelha, Idanha-a-Velha, e Marialva, aldeias conhecidas pela sua beleza natural e pelos vestígios históricos que encerram.
  16. 16. PIEF OEIRAS TIPO 1 BEIRA INTERIOR - Monsanto
  17. 17. PIEF OEIRAS TIPO 1 BEIRA INTERIOR – Castelo Rodrigo Belmonte
  18. 18. PIEF OEIRAS TIPO 1 Beira Interior – Gastronomia Pratos Típicos   - Empadas de Castelo Branco - Sopa de Matação - Cabrito Assado - Laburdo - Fígado de Cebolada - Perdiz no Forno - Cabrito Recheado - Ensopado de Cabrito - Fressura com Ervas - Ensopado de Cabrito - Bucho Recheado - Maranhos em Ninho do Açor - Sopa de Grão - Miga de Peixe - Sopa de Massa. Queijos e Enchidos - Queijo de Castelo Branco (picante) - Queijo de Alcains (ovelha) - Morcela - Chouriço - Farinheira Doces - Papas de Carolo - Arroz Doce - Tijeladas - Broas de Mel - Biscoitos de Azeite - Filhós Fritas e Filhós Fintas - Minutos - Bicas - Cavacas - Fascias ou Xurrilhos - Papas de Milho e Cavacões Regressar ao mapa
  19. 19. PIEF OEIRAS TIPO 1 ESTREMADURA E RIBATEJO O nome Estremadura deve-se ao facto de na Reconquista ser a zona onde &quot;estremavam&quot; os territórios submetidos a mouros e a cristãos. É uma região de terras férteis, devido à travessia do Rio Tejo, onde se produz fruta, legumes, cereais, tomates, azeite e vinho. Tem como principal característica as suas lezírias, com a criação de cavalos e touros. Esta região possui uma grande concentração de indústrias, mas também possui vinhas, produtos hortícolas e actividade piscatória. Esta região é rica em diversidade de paisagens, que contrastam entre as suas praias e as suas serras. A zona do Ribatejo tem como dança típica o fandango, possivelmente oriundo da Beira Baixa e ainda preserva a figura do campino, com o seu colete encarnado e o barrete verde.
  20. 20. PIEF OEIRAS TIPO 1 Estremadura e Ribatejo – alguns pontos turísticos ÓBIDOS NAZARÉ
  21. 21. PIEF OEIRAS TIPO 1 Estremadura e Ribatejo – alguns pontos turísticos BATALHA ALCOBAÇA
  22. 22. PIEF OEIRAS TIPO 1 Estremadura e Ribatejo – outros interesses
  23. 23. PIEF OEIRAS TIPO 1 Estremadura e Ribatejo – Gastronomia SOPAS - Sopa da Pedra - Sopa de Beldroegas - Sopa de Cação - Sopa de Carne - Sopa de Panela - Sopa de Peixe - Sopa de Dourada PRATOS - Açorda com Bacalhau - Barbos de Molhata - Borrego Guisado - Cabrito Assado - Cabrito Frito - Caldeirada à Fragateiro - Chispe com Feijão Branco - Enguias à Pescador - Ensopado de Borrego - Fataça na Telha - Migas de Espargos - Molhata de Enguias - Tamboril Guisado &quot;Terra mãe dos melhores solos agrícolas de Portugal, o Ribatejo tem à mão uma variedade infindável de produtos agro-alimentares que proporcionam uma gastronomia rica, farta e diferenciada. E, uma história, secular, no tocante à vitivinicultura. Génio humano, sim, embora fruto, igualmente, de fertilíssimos terrenos que determinam algumas das superiores manchas vitícolas nacionais. Hoje, secundando a grandeza de outrora, primando pela qualidade na casta e na tecnologia. Vinho, razão de ser agrícola, industrial e cultural de toda uma região. Aliás, de uma nação&quot;. <ul><li>DOCES </li></ul><ul><li>Trouxas de ovos </li></ul><ul><li>Peixe doce </li></ul><ul><li>Queijinhos de amêndoa </li></ul><ul><li>Lampreia de ovos </li></ul><ul><li>Bichanas </li></ul><ul><li>Corações-de-noiva </li></ul><ul><li>Ferraduras </li></ul><ul><li>Chamuscos </li></ul><ul><li>Arroz-doce </li></ul><ul><li>Belhozes </li></ul><ul><li>Broas </li></ul><ul><li>Toucinho do céu. </li></ul>Regressar ao mapa
  24. 24. PIEF OEIRAS TIPO 1 LISBOA E SETÚBAL A região de Lisboa e Setúbal é uma região recente. Nesta região destacam-se o Rio Tejo e o Rio Sado, que proporcionam terrenos férteis nas terras circundantes, sendo as principais culturas os cereais, a fruta, o vinho e produtos hortícolas. O seu relevo é marcado por zonas planas e zonas montanhosas, sendo de destacar a Serra da Arrábida com 501m de altitude. A nível industrial, destacam-se as indústrias de extracção de sal, a exploração de pedreiras e actividades ligadas à pesca. É uma região rica em turismo e comércio devido às praias e zonas verdes existentes, que atraem muitos turistas.
  25. 25. PIEF OEIRAS TIPO 1 LISBOA E SETÚBAL– alguns pontos turísticos LISBOA SINTRA
  26. 26. PIEF OEIRAS TIPO 1 ARRÁBIDA SETUBAL LISBOA E SETUBAL– alguns pontos turísticos
  27. 27. PIEF OEIRAS TIPO 1 Lisboa e Setúbal – GASTRONOMIA A gastronomia de LISBOA está influenciada pela sua proximidade com o mar. Especialidades tipicamente lisboetas são: - P ataniscas de bacalhau - Peixinhos da horta - Bife à Café O doce mais famoso de Lisboa , é o Pastel de Nata , cujos mais famosos são os de Belém, que são feitos numa antiga fabrica na Freguesia de Belém. Reza a lenda, que há mais de 500 anos, uma cozinheira, não tinha ingredientes suficientes para fazer um doce, e que resolveu inventar, ai nasceram os Pastéis de Belém. Foram fabricados durante anos no Mosteiro dos Jerónimos, em Belém, só há poucos anos é que mudaram o seu local de fabricação. Outros doces típicos: - Fofos de Belas - Queijadas de Sintra - Travesseiros da Piriquita (Sintra) Regressar ao mapa
  28. 28. PIEF OEIRAS TIPO 1 ALENTEJO O seu povoamento rural é caracterizado por núcleos distanciados mas pouco populosos, apesar da existência de um grande número de emigrações e migrações. O seu relevo é constituído por planícies à excepção do norte e do este que é constituído por zonas montanhosas (serras) de pouca altitude com excepção da Serra de S. Mamede (1025m) e a Serra do Marvão (865m). O seu clima é seco e quente devido à pouca precipitação. As suas principais culturas são o trigo, a cevada, a aveia e o girassol, apesar do seu subsolo apresentar cobre, enxofre, mármore e pirite. É uma região caracterizada por oliveiras, sobreiros e azinheiras. Existe também uma forte criação de porcos, ovinos e espécies cavalares.
  29. 29. Alentejo – Alguns Pontos turísticos PIEF OEIRAS TIPO 1 SINES BEJA
  30. 30. PIEF OEIRAS TIPO 1 Alentejo – Alguns Pontos turísticos EVORA
  31. 31. PIEF OEIRAS TIPO 1 Alentejo – Alguns Pontos turísticos PORTALEGRE CASTELO DE VIANA DO ALENTEJO VILA VIÇOSA
  32. 32. PIEF OEIRAS TIPO 1 Alentejo - GASTRONOMIA A tradição da pastorícia no Alentejo e o grande número de plantas aromáticas que se encontram nos seus campos, levam até à mesa algumas receitas mais conhecidas do país. O pão é um ingrediente quase obrigatório nestas receitas. Carne - Açorda Alentejana - Açorda Alentejana de Bacalhau - Arroz de Lingueirão - Borrego à Alentejana - Cabrito - Carne de Porco à Alentejana - Coelho com Azeitonas - Cozido de grão à Alentejana - Ensopado de Borrego - Favas estufadas - Frango de Fricassé - Gaspacho à Alentejana - Pézinhos de coentrada - Perdizes à moda do Alentejo Peixe - Amêijoas à pescador - Açorda com Sardinhas Assadas - Assado de Peixe - Berbigões à Alentejana - Caldeirada de Peixe - Cataplana de Tamboril - Ensopado de Enguias - Lampreia Doces - Queijadas de Évora - Queijadas de Serpa - Sericaia - Bolo de Amêndoa do Convento da Vidigueira - Bolo de Amêndoa e Gila - Bolo de Requeijão - Bolo Podre - Bolo Real - Filhós Enroladas Sopas - Sopa de Beldroegas - Sopa de Sarapatel - Sopas de Tomate Regressar ao mapa
  33. 33. PIEF OEIRAS TIPO 1 ALGARVE Esta região tem como principais subsistências: o turismo, a agricultura e a pesca. Na agricultura, os principais cultivos são o milho e o trigo. Na pecuária predomina o gado asinino. Existem também indústrias de conservas de peixe, explorações de mármore, corticeiras, moagem, couro, barro, cobre e madeira. Sendo uma região pobre em rios, predomina o clima seco e quente com influências mediterrâneas. O seu relevo é caracterizado por serras, onde os solos são pobres e por aplanamentos onde os solos são muito férteis pois situam-se junto ao litoral. Tem uma grande extensão de praias caracterizadas por uma enorme quantidade de falésias. Tem como rochas predominantes o xisto na Serra do Caldeirão e rochas de origem vulcânica na Serra de Monchique. A sua flora é tipicamente caracterizada pelas amendoeiras, as figueiras da Índia, a flor de cardo, as flores de rosmaninho, as azinheiras, os sobreiros, as oliveiras e as alfarrobeiras. Pode-se subdividir o Algarve nas seguintes partes: - A Serra, ocupando cerca de 50% da superfície regional, tem solos pobres e de reduzida utilidade agrícola provocando uma progressiva desertificação ecológica e humana; - O Barrocal, que constitui cerca de 25% da área regional, tem solos com boa aptidão hidrológica e elevada capacidade agrícola, apesar da existência de inúmeros afloramentos rochosos; - O Litoral que corresponde a uma estreita faixa junto à costa e é onde se concentram os melhores solos agrícolas, a maior parte da actividade económica regional e os principais centros urbanos.
  34. 34. PIEF OEIRAS TIPO 1 ALGARVE – Alguns pontos turísticos SAGRES LAGOS
  35. 35. PIEF OEIRAS TIPO 1 ALGARVE – Alguns pontos turísticos FARO VILA REAL DE STº. ANTÓNIO
  36. 36. PIEF OEIRAS TIPO 1 Algarve – GASTRONOMIA Além de uma cozinha internacional de grande qualidade que provém da expansão da indústria turística, esta região também tem para oferecer muitos e deliciosos pratos regionais Carnes - Coelho com Molho Escuro - Galinha Cerejada - Grão com Rabo de Boi - Pá de Borrego - Perna de porco com Lulas Peixe - Açorda à Algarvia - Amêijoas na Cataplana - Arroz de marisco com Tamboril - Arroz de Polvo - Canjas de Conquilhas - Carapaus Alimados - Choquinhos - Cozido de Polvo - Espadarte com Camarão - Feijoada de Búzios - Bife de Atum - Lulas Recheadas - Migas com Conquilhas <ul><li>Doces </li></ul><ul><li>Bolo de Chila </li></ul><ul><li>Bolo de Mel </li></ul><ul><li>Bolo de Pêra </li></ul><ul><li>Bolo Delícia </li></ul><ul><li>Morgadinhos de Amêndoa </li></ul><ul><li>Pão-de-ló com Amêndoa </li></ul><ul><li>Pudim de Chila </li></ul><ul><li>Morgado de Figo </li></ul><ul><li>Queijinhos de Amêndoa </li></ul>Regressar ao mapa
  37. 37. PIEF OEIRAS TIPO 1 TABALHO REALIZADO POR ALUNOS PIEF OEIRAS T1 FIM

×