Aula 3 (Sombra Luz Inicio)

2.582 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.582
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
14
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
75
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula 3 (Sombra Luz Inicio)

  1. 1. FUNDAMENTOS DA LINGUAGEM VISUAL
  2. 3. Arrecadando moedas de forma criativa
  3. 8. LINHAS VERTICAIS : elegância, formalidade,solidez. Dondis Sintaxe da Lingaugem Visual
  4. 9. LINHAS DIAGONAIS : estabilidade, dinamismo, movimento, energia.
  5. 10. LINHAS CURVAS: alegria, leveza, tranquilidade,ternura.
  6. 14. MONDRIAN Em 1965 nasceu o primeiro ícone da recém criada maison Yves Saint Laurent. O vestido tubinho estampado com cores primárias, inspirado pela obra do pintor holandês Piet Mondrian tornou-se febre e é tido como uma peça atemporal até os dias de hoje. Estilistas como Diane Von Furstenberg, a grife italiana Moschino, dentre tantos outros também se inspiraram nos grafismos de Mondrian e na silhueta de Yves Saint Laurent. Mais tarde, a idéia também tomou forma em bolsas e calçados, como é o caso do Nike Dunk Mondrian.
  7. 15. O estilo apresentava formas retas, superfícies retas e lisa, com rigorosa divisão dos espaço, uso das formas básicas e cores primárias, como o azul, vermelho e amarelo. Construir as figuras a partir de elementos simples.  Com este movimento, tivemos mais oportunidades nas artes gráficas. É um movimento que até hoje inspira a diagramação de revistas e jornais, móveis e arquitetura. E também a moda. Foi tão forte este movimento que em 1965 o estilista francês Yves Saint-Laurent apresentou tubinhos inspirados nos trabalhos do artista plástico holandês, tornando-se um ícone da moda.
  8. 17. Saiba mais sobre Aloizio Meireles   Para comemorar os 65 anos de fundação da entidade benemérita do evento, o designer criou um lounge que homenageia o Neoplasticismo e seu maior representante, o pintor holandês Piet Mondrian. A arquitetura modernista da residência foi preservada. O preto e o branco estão presentes, mas as cores primárias dão lugar aos tons cítricos do logotipo comemorativo da entidade. O espaço é um grande deck a céu aberto, revestido de madeira Biosintética e guarda-corpo em vidro transparente, que convida à contemplação da Lagoa da Pampulha. Mesas e cadeiras em ferro fundido com motivos orgânicos, típicos da década de 1980, com pintura em verde cítrico brilhante, mistura de modernidade e nostalgia, é a surpresa do ambiente
  9. 19. “” ESTRADA DE FERRO NA CENTRAL DO BRASIL” 1924 TARSILA
  10. 20. Romero Britto
  11. 25. CONTINENTAL GT
  12. 26. FUSCA-COR SÃO PAULO (azul é legal) – Chama-se Tiúba o artista que decidiu pintar um Fusca com canetinha hidrocor, usando o mesmo processo que utiliza para decorar pranchas de surfe. No total, ele gastou 250 horas de trabalho em quatro meses para chegar ao resultado
  13. 49. Cartazes para a linha de produtos biodegradáveis da Ecover . Da agência Springer & Jacoby da Alemanha.
  14. 50. <ul><li>Heiko Klug é um designer de 26 anos que trabalha com mídias digitais em uma agência de publicidade, em Colônia, na Alemanha. Começou a ilustrar seus desenhos feitos a lápis utilizando o photoshop. Passou também a usar softwares 3D e fotografia em seus projetos, criando as mais variadas obras com diversos estilos e cores. </li></ul>
  15. 51. HEIKO KLUG
  16. 53. HEIKO KLUG
  17. 54. Sombra e Luz LUZ é aquilo que permite observar as coisas ao redor; forma de energia radiante; o que ilumina a matéria tornando-a visível; reflexo,brilho.
  18. 55. Na pintura é o local em o pintor produziu na tela o efeito que caracteriza a luz.
  19. 56. Sombra é o espaço em que se verifica a ausência da luz devido a interposição de um corpo sólido; escuridão; trevas, noite. Discionário MAGNO
  20. 57. <ul><li>DA LUZ ATÉ O ESCURO, A SOMBRA TEM VÁRIAS INTENSIDADES. </li></ul>
  21. 58. SOMBRA NATURAL A SOMBRA DE CADA OBJETO É CHAMADA DE Sombra do objeto
  22. 59. A SOMBRA PROVOCADA É CHAMADA DE SOMBRA PROJETADA Sombra provocada
  23. 61. PINTURAS IDADE MEDIA
  24. 62. Giotto-O-Lamento-da-Morte-de-Cristo.1305 AFRESCO Giotto SEC XIII.jpg
  25. 63. LUZ FENÔMENO NATURAL <ul><li>Claridade difusa da luz; </li></ul><ul><li>Elemento eleborado formalmente. </li></ul>O Nascimento de Venus,1484,Sandro Botticelli
  26. 64. Rembrandt van Rijn (1606-1669), Cristo Curando os Enfermos,1649. LUZ ELEMENTO VISUAL LUZ COMO ELEMENTO VISUAL
  27. 65. Victor Meirelles(1832-1903),Primeira Missa no Brasil,1869 LUZ ELEMENTO VISUAL
  28. 66. Victor Meirelles
  29. 67. Mona lisa, 1503-1506 Leonardo da Vinci FEN ÔMENO NATURAL LUZ Claridade difusa da luz . Elemento elaborado formal- Mente: VOLUME
  30. 69. LUZ FENÔMENO NATURAL <ul><li>Claridade difusa da luz; </li></ul><ul><li>Elemento eleborado formalmente </li></ul>O N Diego Velasquez “Cristo Crucificado”1631
  31. 70. Rembrandt, A Lição de Anatomia do Dr. Tulp, 1632
  32. 71. <ul><li>Luz colorida do impressionismo </li></ul>Monet-CornerGardenMontgeron Monet-Garden AS SOMBRAS NÃO SÃO PRETAS, NEM ESCURAS, SÃO LUMINOSAS E COLORIDAS Para os impressionistas, uma sombra preta ou escura não era aceitável, pois tudo está banhado pela luz solar. E onde há luz não há a cor preta, pois o negro é a ausência completa de luz.
  33. 72. P.Henrique,2007 Estudo Luz
  34. 73. P.Henrique”Flores Brancas e Azuis”2006
  35. 74. Como elemento da linguagem, a luz não deve ser confudida com a representação do fenômeno natural luz. P.Henrique,”Luz” 2008.Lápis 6B,8B
  36. 75. P.Henrique, Ogro,2003

×