Histórias para contar, cativar e calcular Programa de Formação Contínua em Matemática para Professores dos 1º e 2º Ciclos ...
Porquê contar histórias?    Contar histórias foi sempre muito importante para  desenvolver o imaginário  das crianças e fa...
A história do Coelho Saltitão O Coelho Saltitão vive num bosque onde a magia tem de ser conquistada. Para conquistar as ce...
A história do Coelho Saltitão A fada dos coelhos aconselha o “bichano” a pedir ajuda aos meninos… Os saltos mágicos são …....
A história do Coelho Saltitão A fada dos coelhos aconselha o “bichano” a pedir ajuda aos meninos… Ajuda-me …
A Tarefa: uma ficha a realizar individualmente
A Tarefa:  algumas formas de calcular…
O trabalho dos alunos: Como pensou o aluno? Que “saltos escolheu”? Qual o valor de referência escolhido pelo aluno? 1
O trabalho dos alunos: Como pensou o aluno? Que “saltos escolheu”? Qual o valor de referência escolhido pelo aluno? Que op...
O trabalho dos alunos: 3 Como pensou o aluno? Que “saltos escolheu”? Qual o valor de referência escolhido pelo aluno? Que ...
A exploração da tarefa no grande grupo <ul><li>No quadro: </li></ul><ul><li>Para o mesmo cálculo várias rectas em aberto… ...
A exploração da tarefa no grande grupo Analisar as diferentes estratégias, validá-las e reflectir sobre as “mais eficazes”...
PORQUÊ ESTA TAREFA?
Desenvolver o Sentido de Número Uma das ideias centrais do tema Números e Operações de acordo com o NPMEB (2007)
Sentido de Número Uma compreensão global do número e das operações; Habilidade para os utilizar de forma conscientemente e...
Sentido de Número <ul><li>Os  números  apresentados nas tarefas são escolhidos com a intenção de “abrir caminho” : </li></...
Obrigada ! História  da autoria de  Isabel Vaz
Histórias para contar, cativar e calcular Programa de Formação Contínua em Matemática para Professores dos 1º e 2º Ciclos ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Histórias para contar, cativar e calcular - Isabel Vaz e António Rosa

2.711 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.711
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
233
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Histórias para contar, cativar e calcular - Isabel Vaz e António Rosa

  1. 1. Histórias para contar, cativar e calcular Programa de Formação Contínua em Matemática para Professores dos 1º e 2º Ciclos do Ensino Básico - 2009/2010 Isabel Vaz António Rosa
  2. 2. Porquê contar histórias? Contar histórias foi sempre muito importante para desenvolver o imaginário das crianças e fazê-las sentirem-se envolvidas pela história e pelo contador de histórias. Não se dizendo o que está implícito fica-se preso à magia e liberta-se o pensamento. Abre-se espaço ao pensamento divergente, criativo, ao mesmo tempo, que se mantém a emoção… a atenção e a disponibilidade para ouvir e aprender! A”História do Coelho Saltitão” será a ponte para contar, de um modo próprio, consciente e escolhido para facilitar … os saltos que são as “contas,” ih, ih, ih,…
  3. 3. A história do Coelho Saltitão O Coelho Saltitão vive num bosque onde a magia tem de ser conquistada. Para conquistar as cenouras tem de efectuar saltos mágicos.
  4. 4. A história do Coelho Saltitão A fada dos coelhos aconselha o “bichano” a pedir ajuda aos meninos… Os saltos mágicos são …. as operações matemáticas! Para encontrar as cenouras “mais rechonchudas” há que escolher o salto “mais eficaz” !
  5. 5. A história do Coelho Saltitão A fada dos coelhos aconselha o “bichano” a pedir ajuda aos meninos… Ajuda-me …
  6. 6. A Tarefa: uma ficha a realizar individualmente
  7. 7. A Tarefa: algumas formas de calcular…
  8. 8. O trabalho dos alunos: Como pensou o aluno? Que “saltos escolheu”? Qual o valor de referência escolhido pelo aluno? 1
  9. 9. O trabalho dos alunos: Como pensou o aluno? Que “saltos escolheu”? Qual o valor de referência escolhido pelo aluno? Que operações utilizou? 2
  10. 10. O trabalho dos alunos: 3 Como pensou o aluno? Que “saltos escolheu”? Qual o valor de referência escolhido pelo aluno? Que operações utilizou?
  11. 11. A exploração da tarefa no grande grupo <ul><li>No quadro: </li></ul><ul><li>Para o mesmo cálculo várias rectas em aberto… </li></ul><ul><li>A recta está “vazia”, não está estruturada… </li></ul><ul><li>As diversas estratégias são colocadas no quadro e pensadas conjuntamente. </li></ul>Parte I
  12. 12. A exploração da tarefa no grande grupo Analisar as diferentes estratégias, validá-las e reflectir sobre as “mais eficazes” Parte II Pensar…. Pensar…. Metacognição
  13. 13. PORQUÊ ESTA TAREFA?
  14. 14. Desenvolver o Sentido de Número Uma das ideias centrais do tema Números e Operações de acordo com o NPMEB (2007)
  15. 15. Sentido de Número Uma compreensão global do número e das operações; Habilidade para os utilizar de forma conscientemente escolhida para facilitar o cálculo. Mc Intosch, Reys e Reys, 1992
  16. 16. Sentido de Número <ul><li>Os números apresentados nas tarefas são escolhidos com a intenção de “abrir caminho” : </li></ul><ul><li>À diversidade de estratégias; </li></ul><ul><li>À proximidade de valores de referência tais como os números pares, os múltiplos de 5, a dezena, a centena, o 25 (a quarta parte de 100)… </li></ul><ul><li>Ao uso dos diversos sentidos das operações. </li></ul>
  17. 17. Obrigada ! História da autoria de Isabel Vaz
  18. 18. Histórias para contar, cativar e calcular Programa de Formação Contínua em Matemática para Professores dos 1º e 2º Ciclos do Ensino Básico - 2009/2010 Isabel Vaz António Rosa EBI, Maria Rosa Colaço

×