SlideShare uma empresa Scribd logo
SISTEMAS DE COMUNICAÇÃO
SISTEMAS DE COMUNICAÇÃO
Expõe-me com quem deambulas e a tua idiossincrasia augurarei. (Diz-me com quem andas e te direi quem és) Espécime avícola na cavidade metacárpica, supera os congéneres revolteando em duplicado. (Mais vale um pássaro na mão, que dois  voando) Descendente de espécime piscícola sabe locomover-se em líquido inorgânico. (Filho de peixe, peixinho é...) Quem movimenta os músculos supra faciais mais longe do primeiro, movimenta-os substancialmente em condições excepcionais. (Quem ri por último ri melhor)
SISTEMAS DE COMUNICAÇÃO ,[object Object]
 1 milhão – primeiras palavras
 40 mil anos – Homo Sapiens
 6 mil Línguas - NostratuPitáPáterPadrePai No Brasil O tupi foi falado até 1750. O português só se tornou língua oficial a partir de um decreto do ministro de Portugal, Marquês de Pombal. Hoje ainda se fala 180 línguas no Brasil.
PINTURAS RUPESTRES  ,[object Object]
 40 mil anos
 Pinturas toscas e Policromia
 Manifestação ArtísticaGrandes animais selvagens, como bisões, cavalos, antílopes entre outros. A figura humana surge raramente, sugerindo muitas vezes atividades como a dança e, principalmente, a caça, mas normalmente em desenhos esquemáticos e não de forma naturalista, como acontece com os dos animais.
A ESCRITA Pictogramas
A ESCRITA Ideogramas
A ESCRITA Sumérios 3.000 A.C.  - Escrita Cuneiforme
A ESCRITA Egípcios  - Hieroglíficas
A ESCRITA Demóticos
ALFABETO FENÍCIO ALFABETO GREGO
A ESCRITA Papiro
A ESCRITA Papel CHINA POR VOLTA DO ANO 100 A.C (CAO LUN) Por volta do ano 610 D.C.,  monges coreanos , enviados à China pelo rei da Coréia disseminaram o invento pela Coréia e também Japão
A IMPRENSA JOHANN GUTEMBERGJohannesGensfleischZur Laden Zum GutenbergDÉCADA DE 1390 À 3 DE FEVEREIRO 1468
A IMPRENSA JOHANN GUTEMBERGJohannesGensfleischZur Laden Zum GutenbergDÉCADA DE 1390 À 3 DE FEVEREIRO 1468
A BÍBLIA DE GUTEMBERG 1450/1455 1282 PÁGINAS 180 CÓPIAS 45 PERGAMINHO 135 EM PAPEL
A IMPRENSA Acta Diurna O imperador Augusto mandava colocar no Fórum Romano no século I de nossa era. Esta publicação, gravada em tábuas de pedra, havia sido fundada em 59 a.C por Julio Cezar.
PRIMEIRO JORNAL Nieuwe Tijdinghen 1605, na Antuérpia
O Correio Brasiliense01 de Junho de 1808
O TELÉGRAFO INVENTADO EM 1837 POR SAMUEL MORSE.     1844 A PRIMEIRA TRANSMISSÃO
1863 CAMBRIDGE INGLATERRA JAMES CLERCK MAXWELL
A PRIMEIRA PROPAGAÇÃO RADIOFÔNICA VEIO COM O FISICO ALEMÃO   Henrich Rudolph Hertz. EM 1887 .
O Rádio ,[object Object]
 1899  Transmissão pelo canal da mancha
 Marconi's Wireless Telegraph Company Limited
 1901 Transmitiu sinais através do oceano Atlântico, entre a Grã Bretanha e o Canadá
 1909 1,7 mil pessoas são salvas de um naufrágio
 1912 Produzia equipamentos em larga escala
 1920 Instala estações de rádio na Inglaterra
 1909 Nobel Física
 1931 Aciona as Luzes inauguração Cristo RJ
 1943 Suprema Corte EUA dá ganho de causa a TeslaGuglielmo Marconi        1874 - 1937
O Rádio ,[object Object]
Pioneiro na transmissão da voz, utilizando equipamentos de rádio
1899 Transmitiu a voz humana a partir do Colégio Santana até Av. PaulistaPe. Landell de Moura        1861 - 1928
Diário do Comércio “No domingo passado, no alto de Santana, na cidade de São Paulo, o padre Landell de Moura fez uma experiência particular com vários aparelhos de sua invenção. No intuito de demonstrar algumas leis por ele descobertas no estudo da propagação do som, da luz e da eletricidade através do espaço, as quais foram coroadas de brilhante êxito. Assistiram a esta prova, entre outras pessoas, Percy Charles ParmenterLupton, representante do governo britânico, e sua família".
O Rádio ,[object Object]
 Tentou doar seus eventos ao governo britânico
 Deixou manuscritos sobre o futuro das telecomunicações
 1905 – Rodrigues Alves
 Morreu aos 67 anos de tuberculose no isolamentoRéplica do rádio transmissor de Landell
Microfone ,[object Object]
1876 – Emile Berliner
Em 1878, o microfone de carbono foi inventado por David Edward Hughes
Em 1964, Bell Laboratories pesquisadores James West e Gerhard Sessler  - Mic Eletreto
Década de 70 – Microfone dinâmico e condensador,[object Object]
TOCAVA ÓPERAS
TINHAM COMO DENOMINAÇÃO SOCIEDADE OU  CLUBE
ENTIDADES E SÓCIOS MANTINHAM A EMISSORA,[object Object]
As primeiras emissoras ,[object Object]
AS RÁDIOS COMEÇARAM SE ESTRUTURAR COMO EMPRESA.
O PRIMEIROS PROFISSIONAIS ERAM DENOMINADOS PROGRAMISTAS
O TERMO RADIALISTA FOI CRIADO POR NICOLAU TUMA LOCUTOR E POSTERIORMENTE DEPUTADO FEDERAL.,[object Object]
As primeiras emissoras 1938, é criada a Voz do Brasil. A partir de 1939; Com o início da Segunda Guerra Mundial, o rádio passa a ter um papel fundamental na transmissão de fatos diários e notícias do front.
As primeiras emissoras 28/08/1941 Entra no ar o primeiro informativo radiofônico... O Repórter Esso O programa Repórter Esso terminou suas transmissões em 31 de dezembro de 1968 com Heron Domingues narrando a abertura, e Roberto Figueiredo despedindo-se dos ouvintes bastante emocionado.
As primeiras emissoras A partir de 1956 o transistor  passou a substituir a válvula na composição dos equipamentos eletrônicos, o que tornou o tamanho e o custo muito menores.
As primeiras emissoras ,[object Object]
PENETRAÇÃO - O RÁDIO FALA PARA MILHÕES
REGIONALISMO
INDIVIDUALISMO
IMEDIATISMO E INSTANTANEIDADE
SIMPLICADE OPERACIONAL
MOBILIDADE
O RÁDIO É ACESSÍVEL
O RÁDIO É BARATO
FUNÇÃO COMUNITÁRIA,[object Object]
No século XVIII o barão Kempelen constrói o “Turco falante”, um boneco que se movimentava e “falava”. Em 1806, o físico Thomas Young, conhecido pelos seus trabalhos no campo da elasticidade, consegue inscrever num cilindro revestido a negro de fumo as vibrações dos sons, estas inscrições são feitas por um estilete “Inscriptor”. Em 1857 é a vez do pintor francês Leon Scott inventar o Fonautógrafo, um aparelho que registra o som, mas que não o reproduz. Leon Scott teve a ideia de gravar o som como uma série de linhas sinuosas. O seu aparelho era constituído por um funil com uma membrana esticada na extremidade estreita, no centro desta membrana estava fixada uma cerda de Porco, o estilete.  Este estilete roçava contra uma folha de papel escurecida com fumo enrolada num cilindro que se movia manualmente, as vibrações do som faziam mexer o estilete inscrevendo o som no papel, a máquina não podia era reproduzir o som gravado.”
Fonógrafo ,[object Object]
 Membrana circular, cujas vibrações convertiam sons em impulsos mecânicos e vice-versa
 Logo passou a ser empregado na gravação de músicas,[object Object]
 1887 Emile Berliner
Utilizava discos com maior capacidade de gravação
 Movido a corda

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Meios De ComunicaçãO
Meios De ComunicaçãOMeios De ComunicaçãO
Meios De ComunicaçãOjaninedepine
 
A historiado rádionobrasiversao 20112
A historiado rádionobrasiversao 20112A historiado rádionobrasiversao 20112
A historiado rádionobrasiversao 20112Rafachinelato
 
A evolucao-da-comunicacao
A evolucao-da-comunicacaoA evolucao-da-comunicacao
A evolucao-da-comunicacaoanisantos
 
História do rádio
História do rádio História do rádio
História do rádio Mariana Maia
 
APRESENTAÇÃO SOBRE RÁDIOS COMUNITÁRIAS
APRESENTAÇÃO SOBRE RÁDIOS COMUNITÁRIASAPRESENTAÇÃO SOBRE RÁDIOS COMUNITÁRIAS
APRESENTAÇÃO SOBRE RÁDIOS COMUNITÁRIASINSTITUTO VOZ POPULAR
 
2.Historia_da_Comunicacao_Telegrafo_Telefone_Radio_etc
2.Historia_da_Comunicacao_Telegrafo_Telefone_Radio_etc2.Historia_da_Comunicacao_Telegrafo_Telefone_Radio_etc
2.Historia_da_Comunicacao_Telegrafo_Telefone_Radio_etcAndré Bonotto
 
PALESTRA MOTIVACIONAL BRASÍLIA - MARCELO GONÇALVES
PALESTRA MOTIVACIONAL BRASÍLIA - MARCELO GONÇALVESPALESTRA MOTIVACIONAL BRASÍLIA - MARCELO GONÇALVES
PALESTRA MOTIVACIONAL BRASÍLIA - MARCELO GONÇALVESMarcelo Das Chagas Gonçalves
 

Mais procurados (8)

Meios De ComunicaçãO
Meios De ComunicaçãOMeios De ComunicaçãO
Meios De ComunicaçãO
 
A historiado rádionobrasiversao 20112
A historiado rádionobrasiversao 20112A historiado rádionobrasiversao 20112
A historiado rádionobrasiversao 20112
 
Arte rupestre
Arte rupestreArte rupestre
Arte rupestre
 
A evolucao-da-comunicacao
A evolucao-da-comunicacaoA evolucao-da-comunicacao
A evolucao-da-comunicacao
 
História do rádio
História do rádio História do rádio
História do rádio
 
APRESENTAÇÃO SOBRE RÁDIOS COMUNITÁRIAS
APRESENTAÇÃO SOBRE RÁDIOS COMUNITÁRIASAPRESENTAÇÃO SOBRE RÁDIOS COMUNITÁRIAS
APRESENTAÇÃO SOBRE RÁDIOS COMUNITÁRIAS
 
2.Historia_da_Comunicacao_Telegrafo_Telefone_Radio_etc
2.Historia_da_Comunicacao_Telegrafo_Telefone_Radio_etc2.Historia_da_Comunicacao_Telegrafo_Telefone_Radio_etc
2.Historia_da_Comunicacao_Telegrafo_Telefone_Radio_etc
 
PALESTRA MOTIVACIONAL BRASÍLIA - MARCELO GONÇALVES
PALESTRA MOTIVACIONAL BRASÍLIA - MARCELO GONÇALVESPALESTRA MOTIVACIONAL BRASÍLIA - MARCELO GONÇALVES
PALESTRA MOTIVACIONAL BRASÍLIA - MARCELO GONÇALVES
 

Semelhante a Sistemas3

História da comunicação
História da comunicaçãoHistória da comunicação
História da comunicaçãoHelena Coutinho
 
O radio no mundo
O radio no mundo O radio no mundo
O radio no mundo Cláudia
 
Rádio e tv 01 aula 02
Rádio e tv 01 aula 02Rádio e tv 01 aula 02
Rádio e tv 01 aula 02Júlio Rocha
 
Aula 04 história da publicidade e propaganda
Aula 04   história da publicidade e propagandaAula 04   história da publicidade e propaganda
Aula 04 história da publicidade e propagandaElizeu Nascimento Silva
 
História da gravação musical por Marcos Filho (versão online)
História da gravação musical por Marcos Filho (versão online)História da gravação musical por Marcos Filho (versão online)
História da gravação musical por Marcos Filho (versão online)Marcos Filho
 
Evolução tecnológica dos mass media
Evolução tecnológica dos mass mediaEvolução tecnológica dos mass media
Evolução tecnológica dos mass mediaAntonia Mendes
 
Evolução tecnológica dos mass media
Evolução tecnológica dos mass mediaEvolução tecnológica dos mass media
Evolução tecnológica dos mass mediaAntonia Mendes
 
Evolução tecnológica dos mass media
Evolução tecnológica dos mass mediaEvolução tecnológica dos mass media
Evolução tecnológica dos mass mediaAntonia Mendes
 
Evolução tecnológica dos mass media
Evolução tecnológica dos mass mediaEvolução tecnológica dos mass media
Evolução tecnológica dos mass mediaAntonia Mendes
 
Evolução tecnológica dos mass media
Evolução tecnológica dos mass mediaEvolução tecnológica dos mass media
Evolução tecnológica dos mass mediaAntonia Mendes
 
Evolução tecnológica dos mass media
Evolução tecnológica dos mass mediaEvolução tecnológica dos mass media
Evolução tecnológica dos mass mediaAntonia Mendes
 
Historia da radiologia dr. biasoli
Historia da radiologia dr. biasoliHistoria da radiologia dr. biasoli
Historia da radiologia dr. biasoliLeonardo Flor
 
Evolução tecnológica dos mass media
Evolução tecnológica dos mass mediaEvolução tecnológica dos mass media
Evolução tecnológica dos mass mediaAntonia Mendes
 
Rádio e tv 01 aula 02
Rádio e tv 01 aula 02Rádio e tv 01 aula 02
Rádio e tv 01 aula 02Júlio Rocha
 

Semelhante a Sistemas3 (20)

História da comunicação
História da comunicaçãoHistória da comunicação
História da comunicação
 
O radio no mundo
O radio no mundo O radio no mundo
O radio no mundo
 
Rádio e tv 01 aula 02
Rádio e tv 01 aula 02Rádio e tv 01 aula 02
Rádio e tv 01 aula 02
 
Radio
RadioRadio
Radio
 
Radio
RadioRadio
Radio
 
Gamil 10D
Gamil 10DGamil 10D
Gamil 10D
 
Gamil
GamilGamil
Gamil
 
Aula 04 história da publicidade e propaganda
Aula 04   história da publicidade e propagandaAula 04   história da publicidade e propaganda
Aula 04 história da publicidade e propaganda
 
Tecnologia movel sl
Tecnologia movel slTecnologia movel sl
Tecnologia movel sl
 
História da gravação musical por Marcos Filho (versão online)
História da gravação musical por Marcos Filho (versão online)História da gravação musical por Marcos Filho (versão online)
História da gravação musical por Marcos Filho (versão online)
 
Evolução tecnológica dos mass media
Evolução tecnológica dos mass mediaEvolução tecnológica dos mass media
Evolução tecnológica dos mass media
 
Evolução tecnológica dos mass media
Evolução tecnológica dos mass mediaEvolução tecnológica dos mass media
Evolução tecnológica dos mass media
 
Evolução tecnológica dos mass media
Evolução tecnológica dos mass mediaEvolução tecnológica dos mass media
Evolução tecnológica dos mass media
 
Evolução tecnológica dos mass media
Evolução tecnológica dos mass mediaEvolução tecnológica dos mass media
Evolução tecnológica dos mass media
 
Evolução tecnológica dos mass media
Evolução tecnológica dos mass mediaEvolução tecnológica dos mass media
Evolução tecnológica dos mass media
 
Evolução tecnológica dos mass media
Evolução tecnológica dos mass mediaEvolução tecnológica dos mass media
Evolução tecnológica dos mass media
 
Radio
RadioRadio
Radio
 
Historia da radiologia dr. biasoli
Historia da radiologia dr. biasoliHistoria da radiologia dr. biasoli
Historia da radiologia dr. biasoli
 
Evolução tecnológica dos mass media
Evolução tecnológica dos mass mediaEvolução tecnológica dos mass media
Evolução tecnológica dos mass media
 
Rádio e tv 01 aula 02
Rádio e tv 01 aula 02Rádio e tv 01 aula 02
Rádio e tv 01 aula 02
 

Mais de Paulo Ramos

Abertura empresa
Abertura empresaAbertura empresa
Abertura empresaPaulo Ramos
 
Rit relaçoes interpessoais
Rit relaçoes interpessoaisRit relaçoes interpessoais
Rit relaçoes interpessoaisPaulo Ramos
 
Rit relaçoes interpessoais
Rit relaçoes interpessoaisRit relaçoes interpessoais
Rit relaçoes interpessoaisPaulo Ramos
 
Desenvovlvimento de linguagem
Desenvovlvimento de linguagem Desenvovlvimento de linguagem
Desenvovlvimento de linguagem Paulo Ramos
 
Propaganda enganosa
Propaganda enganosaPropaganda enganosa
Propaganda enganosaPaulo Ramos
 

Mais de Paulo Ramos (7)

sales
salessales
sales
 
CDC 2011
CDC 2011CDC 2011
CDC 2011
 
Abertura empresa
Abertura empresaAbertura empresa
Abertura empresa
 
Rit relaçoes interpessoais
Rit relaçoes interpessoaisRit relaçoes interpessoais
Rit relaçoes interpessoais
 
Rit relaçoes interpessoais
Rit relaçoes interpessoaisRit relaçoes interpessoais
Rit relaçoes interpessoais
 
Desenvovlvimento de linguagem
Desenvovlvimento de linguagem Desenvovlvimento de linguagem
Desenvovlvimento de linguagem
 
Propaganda enganosa
Propaganda enganosaPropaganda enganosa
Propaganda enganosa
 

Último

00Certificado - MBA - Gestão de projetos
00Certificado - MBA - Gestão de projetos00Certificado - MBA - Gestão de projetos
00Certificado - MBA - Gestão de projetosLeonardoHenrique931183
 
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaaCarolineFrancielle
 
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdfGRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdfrarakey779
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfPastor Robson Colaço
 
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assisbrunocali007
 
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docxAtividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docxSolangeWaltre
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Poema - Reciclar é preciso
Poema            -        Reciclar é precisoPoema            -        Reciclar é preciso
Poema - Reciclar é precisoMary Alvarenga
 
AULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptx
AULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptxAULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptx
AULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptxGraycyelleCavalcanti
 
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilApresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaCludiaRodrigues693635
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptxlucioalmeida2702
 
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco LeiteOs Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leiteprofesfrancleite
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalcarlamgalves5
 
hereditariedade é variabilidade genetic
hereditariedade é variabilidade  genetichereditariedade é variabilidade  genetic
hereditariedade é variabilidade geneticMrMartnoficial
 
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfManuais Formação
 
O QUINZE.pdf livro lidokkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
O QUINZE.pdf livro lidokkkkkkkkkkkkkkkkkkkkO QUINZE.pdf livro lidokkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
O QUINZE.pdf livro lidokkkkkkkkkkkkkkkkkkkkLisaneWerlang
 
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
Atividade com a música Xote  da  Alegria    -   FalamansaAtividade com a música Xote  da  Alegria    -   Falamansa
Atividade com a música Xote da Alegria - FalamansaMary Alvarenga
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfLeandroTelesRocha2
 

Último (20)

00Certificado - MBA - Gestão de projetos
00Certificado - MBA - Gestão de projetos00Certificado - MBA - Gestão de projetos
00Certificado - MBA - Gestão de projetos
 
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
 
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdfGRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
 
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
 
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docxAtividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
Poema - Reciclar é preciso
Poema            -        Reciclar é precisoPoema            -        Reciclar é preciso
Poema - Reciclar é preciso
 
AULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptx
AULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptxAULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptx
AULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptx
 
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilApresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
 
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco LeiteOs Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
hereditariedade é variabilidade genetic
hereditariedade é variabilidade  genetichereditariedade é variabilidade  genetic
hereditariedade é variabilidade genetic
 
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
O QUINZE.pdf livro lidokkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
O QUINZE.pdf livro lidokkkkkkkkkkkkkkkkkkkkO QUINZE.pdf livro lidokkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
O QUINZE.pdf livro lidokkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
 
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
Atividade com a música Xote  da  Alegria    -   FalamansaAtividade com a música Xote  da  Alegria    -   Falamansa
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
 

Sistemas3

  • 3. Expõe-me com quem deambulas e a tua idiossincrasia augurarei. (Diz-me com quem andas e te direi quem és) Espécime avícola na cavidade metacárpica, supera os congéneres revolteando em duplicado. (Mais vale um pássaro na mão, que dois voando) Descendente de espécime piscícola sabe locomover-se em líquido inorgânico. (Filho de peixe, peixinho é...) Quem movimenta os músculos supra faciais mais longe do primeiro, movimenta-os substancialmente em condições excepcionais. (Quem ri por último ri melhor)
  • 4.
  • 5. 1 milhão – primeiras palavras
  • 6. 40 mil anos – Homo Sapiens
  • 7. 6 mil Línguas - NostratuPitáPáterPadrePai No Brasil O tupi foi falado até 1750. O português só se tornou língua oficial a partir de um decreto do ministro de Portugal, Marquês de Pombal. Hoje ainda se fala 180 línguas no Brasil.
  • 8.
  • 9. 40 mil anos
  • 10. Pinturas toscas e Policromia
  • 11. Manifestação ArtísticaGrandes animais selvagens, como bisões, cavalos, antílopes entre outros. A figura humana surge raramente, sugerindo muitas vezes atividades como a dança e, principalmente, a caça, mas normalmente em desenhos esquemáticos e não de forma naturalista, como acontece com os dos animais.
  • 14. A ESCRITA Sumérios 3.000 A.C. - Escrita Cuneiforme
  • 15. A ESCRITA Egípcios - Hieroglíficas
  • 19. A ESCRITA Papel CHINA POR VOLTA DO ANO 100 A.C (CAO LUN) Por volta do ano 610 D.C., monges coreanos , enviados à China pelo rei da Coréia disseminaram o invento pela Coréia e também Japão
  • 20. A IMPRENSA JOHANN GUTEMBERGJohannesGensfleischZur Laden Zum GutenbergDÉCADA DE 1390 À 3 DE FEVEREIRO 1468
  • 21. A IMPRENSA JOHANN GUTEMBERGJohannesGensfleischZur Laden Zum GutenbergDÉCADA DE 1390 À 3 DE FEVEREIRO 1468
  • 22. A BÍBLIA DE GUTEMBERG 1450/1455 1282 PÁGINAS 180 CÓPIAS 45 PERGAMINHO 135 EM PAPEL
  • 23. A IMPRENSA Acta Diurna O imperador Augusto mandava colocar no Fórum Romano no século I de nossa era. Esta publicação, gravada em tábuas de pedra, havia sido fundada em 59 a.C por Julio Cezar.
  • 24. PRIMEIRO JORNAL Nieuwe Tijdinghen 1605, na Antuérpia
  • 25. O Correio Brasiliense01 de Junho de 1808
  • 26. O TELÉGRAFO INVENTADO EM 1837 POR SAMUEL MORSE. 1844 A PRIMEIRA TRANSMISSÃO
  • 27. 1863 CAMBRIDGE INGLATERRA JAMES CLERCK MAXWELL
  • 28. A PRIMEIRA PROPAGAÇÃO RADIOFÔNICA VEIO COM O FISICO ALEMÃO   Henrich Rudolph Hertz. EM 1887 .
  • 29.
  • 30.  1899 Transmissão pelo canal da mancha
  • 31. Marconi's Wireless Telegraph Company Limited
  • 32. 1901 Transmitiu sinais através do oceano Atlântico, entre a Grã Bretanha e o Canadá
  • 33. 1909 1,7 mil pessoas são salvas de um naufrágio
  • 34. 1912 Produzia equipamentos em larga escala
  • 35. 1920 Instala estações de rádio na Inglaterra
  • 36. 1909 Nobel Física
  • 37. 1931 Aciona as Luzes inauguração Cristo RJ
  • 38. 1943 Suprema Corte EUA dá ganho de causa a TeslaGuglielmo Marconi 1874 - 1937
  • 39.
  • 40. Pioneiro na transmissão da voz, utilizando equipamentos de rádio
  • 41. 1899 Transmitiu a voz humana a partir do Colégio Santana até Av. PaulistaPe. Landell de Moura 1861 - 1928
  • 42. Diário do Comércio “No domingo passado, no alto de Santana, na cidade de São Paulo, o padre Landell de Moura fez uma experiência particular com vários aparelhos de sua invenção. No intuito de demonstrar algumas leis por ele descobertas no estudo da propagação do som, da luz e da eletricidade através do espaço, as quais foram coroadas de brilhante êxito. Assistiram a esta prova, entre outras pessoas, Percy Charles ParmenterLupton, representante do governo britânico, e sua família".
  • 43.
  • 44.
  • 45.
  • 46. Tentou doar seus eventos ao governo britânico
  • 47. Deixou manuscritos sobre o futuro das telecomunicações
  • 48. 1905 – Rodrigues Alves
  • 49. Morreu aos 67 anos de tuberculose no isolamentoRéplica do rádio transmissor de Landell
  • 50.
  • 51.
  • 52. 1876 – Emile Berliner
  • 53. Em 1878, o microfone de carbono foi inventado por David Edward Hughes
  • 54. Em 1964, Bell Laboratories pesquisadores James West e Gerhard Sessler - Mic Eletreto
  • 55.
  • 57. TINHAM COMO DENOMINAÇÃO SOCIEDADE OU CLUBE
  • 58.
  • 59.
  • 60. AS RÁDIOS COMEÇARAM SE ESTRUTURAR COMO EMPRESA.
  • 61. O PRIMEIROS PROFISSIONAIS ERAM DENOMINADOS PROGRAMISTAS
  • 62.
  • 63. As primeiras emissoras 1938, é criada a Voz do Brasil. A partir de 1939; Com o início da Segunda Guerra Mundial, o rádio passa a ter um papel fundamental na transmissão de fatos diários e notícias do front.
  • 64. As primeiras emissoras 28/08/1941 Entra no ar o primeiro informativo radiofônico... O Repórter Esso O programa Repórter Esso terminou suas transmissões em 31 de dezembro de 1968 com Heron Domingues narrando a abertura, e Roberto Figueiredo despedindo-se dos ouvintes bastante emocionado.
  • 65. As primeiras emissoras A partir de 1956 o transistor passou a substituir a válvula na composição dos equipamentos eletrônicos, o que tornou o tamanho e o custo muito menores.
  • 66.
  • 67. PENETRAÇÃO - O RÁDIO FALA PARA MILHÕES
  • 73. O RÁDIO É ACESSÍVEL
  • 74. O RÁDIO É BARATO
  • 75.
  • 76. No século XVIII o barão Kempelen constrói o “Turco falante”, um boneco que se movimentava e “falava”. Em 1806, o físico Thomas Young, conhecido pelos seus trabalhos no campo da elasticidade, consegue inscrever num cilindro revestido a negro de fumo as vibrações dos sons, estas inscrições são feitas por um estilete “Inscriptor”. Em 1857 é a vez do pintor francês Leon Scott inventar o Fonautógrafo, um aparelho que registra o som, mas que não o reproduz. Leon Scott teve a ideia de gravar o som como uma série de linhas sinuosas. O seu aparelho era constituído por um funil com uma membrana esticada na extremidade estreita, no centro desta membrana estava fixada uma cerda de Porco, o estilete. Este estilete roçava contra uma folha de papel escurecida com fumo enrolada num cilindro que se movia manualmente, as vibrações do som faziam mexer o estilete inscrevendo o som no papel, a máquina não podia era reproduzir o som gravado.”
  • 77.
  • 78. Membrana circular, cujas vibrações convertiam sons em impulsos mecânicos e vice-versa
  • 79.
  • 80. 1887 Emile Berliner
  • 81. Utilizava discos com maior capacidade de gravação
  • 82. Movido a corda
  • 83. Foi produzido em grande escala em vários países do mundo
  • 84.
  • 85. Gravador magnético para som que utilizava como suporte do registro magnético fio de aço
  • 86. 1879 fita magnética e disco metálico
  • 87.
  • 88.
  • 89. 1934 – BASF fita magnética rolo
  • 90. 1945 – COLUMBIA Disco vinil 33 1/3 RPM
  • 91.
  • 92.
  • 93. Usa a faixa 87,5 Mhz a 108 Mhz com modulação em frequência
  • 94. Boa qualidade de som adequada ao uso da stereofonia
  • 95. Alcance limitado chegando ao máximo 100 km. A potência dos sistemas de emissão pode variar entre poucos watts (rádios locais) até centenas de quilowatts, no caso de retransmissores de grande cobertura
  • 96. O FM dispõe de um sistema de envio de informação digital, o RDS (Radio Data System) que permite apresentar informações sobre a emissora sintonizada
  • 97. Adotada para a transmissão do áudio da TV aberta (canais 2 a 13)
  • 98.
  • 99. Transmissão mais popular do mundo usada por emissoras de radiodifusão, TV (imagem), radioamadores...
  • 100. Sujeita a interferências e ruídos
  • 101.
  • 103.  Especificações técnicas: AM - Modulação em amplitudeEmissoras compreendidas nas seguintes faixas de freqüência: Confira logo abaixo as classes e suas respectivas potências máximas em Ondas Médias e Tropicais:  FM - Freqüência ModuladaEmissoras compreendidas nas seguintes faixas de freqüência:  FM X AM FM - Freqüência Modulada - Emissoras ComunitáriasSão canais FMs destinados à entidades sem fins lucrativos prestando serviços sociais . A emissora possuí uma baixa potência, tendo um pequeno alcance local. Normalmente as rádios estão presentes em sua maioria nas freqüências 87.9 FM, 98.3 FM, 104.9 FM, 105.9 FM e 106.3 FM. A freqüência é legalizada e somente liberada pela Anatel.
  • 104. FM - Freqüência ModuladaEmissoras compreendidas nas seguintes faixas de freqüência:  Rádio Comunitária Rádio Comunitária é um tipo especial de emissora de rádio FM, de alcance limitado a, no máximo, 1 km a partir de sua antena transmissora, criada para proporcionar informação, cultura, entretenimento e lazer a pequenas comunidades.Trata-se de uma pequena estação de rádio, que dará condições à comunidade de ter um canal de comunicação inteiramente dedicado a ela, abrindo oportunidade para divulgação de suas idéias, manifestações culturais, tradições e hábitos sociais.A Rádio Comunitária deve divulgar a cultura, o convívio social e eventos locais; noticiar os acontecimentos comunitários e de utilidade pública; promover atividades educacionais e outras para a melhoria das condições de vida da população.Uma Rádio Comunitária não pode ter fins lucrativos nem vínculos de qualquer tipo, tais como partidos políticos e instituições religiosas.
  • 105. FM - Freqüência ModuladaEmissoras compreendidas nas seguintes faixas de freqüência:  Rádio Pirata Anos 60 Inglaterra Ilegal, portanto é crime
  • 106.
  • 107.
  • 108.
  • 109. 1983 – comercialização
  • 110. Mitos: som superior, eternos...
  • 112.
  • 115. Falta de Fitas pré gravadas
  • 116.
  • 117. Regravável mais de um milhão de vezes sem perder qualidade
  • 119. CDs eram caros e gravavam uma única vez CD-RW
  • 120.
  • 121. 128 kbps até 320 kbps
  • 122. Ocupa pouco espaço ideal para internet
  • 123. WAV X MP3
  • 124. Mudou a indústria fonográfica
  • 125. Possibilita transmissões por streamingNa Alemanha, MP3 gera mais de 10.000 postos de trabalho e aproximadamente 300 milhões de euros de impostos. Os alemães gastam em média 1,5 bilhões de euros em MP3 players e produtos relacionados.
  • 126.
  • 130.
  • 131. e-mail e FTP
  • 134. Mosaic 91-93
  • 135.
  • 136. Não se limita ao som
  • 137.
  • 138. O Rádio pela Internet
  • 139. Rádio via Internet O rádio via Internet jáexistedesde a década de 90.Porém, eleestápassandoporumarevoluçãoqueiráexpandirseualcance, do seucomputadorparaqualquerlugar e a qualquerhora, além de expandir a programação dos locutorestradicionaisparaosindivíduos,organizações e governo.
  • 140. Rádio via Internet As transmissões de rádiocomeçaramnadécada de 20, masfoisó com a introdução do rádio a transistor, em 1954, que o rádioficoudisponível emsituações de mobilidade. O rádio via Internet estáquase no mesmopatamar. Até o século 21,a únicamaneira de obtertransmissões de rádiopela Internet era através do seu PC. Isso logo irámudar, quando a conectividadesemfioalimentar as transmissões via Internet através de rádios de carro, PDA’s e telefonescelulares.
  • 141. Podcast Podcasting é um serviçogratuitoquepermiteaosusuáriosda Internet fazer downloads de arquivos de áudio (normalmenteemformato MP3) de um site na web, paraescutá-los emseuscomputadoresouaparelhos de áudio digital. O nomevemdacombinação das palavrasiPod (um aparelhopessoal de áudio digital feitopela Apple) e broadcasting (transmissão).
  • 142. Podcast Diferentemente do rádiona internet, osusuáriosnãoprecisam "sintonizar" emumadeterminadatransmissão; emvez disso, elesfazem a assinatura de um podcast e osarquivos de rádiosãobaixadosautomaticamenteemseuscomputadores via provedor RSS, quantasvezes for necessário. Podemtambém “baixar” osarquivossem a necessidade de assinatura.
  • 144. Rádio Digital Na radiodifusão tradicional (rádios AM e FM) a informação é transmitida na forma de sinais analógicos. Com o rádio digital os sinais de áudio são digitalizados antes de serem transmitidos, o que torna possível obter uma melhor qualidade de som e aumentar o número de estações. As rádios AM passariam a ter uma qualidade de som semelhante às rádio FM e as FM uma qualidade semelhantes aos CDs.
  • 145. Rádio Digital - Sistemas
  • 146. Sistema DRMDigital Radio Mondiale Consórcio multinacional, sem fins lucrativos. Participantes: ~ 30 países, ~ 80 entidades. Alguns Participantes: Deutsche Welle, NHK, Radiodifusão Portuguesa, BBC, Radio Vaticano... Dolby Laboratories, Telefunken, Bosch, JVC, Harris, Hitachi, ITC... Várias Universidades (Hanover, Ulm, China...)
  • 147. Características do sistema DRM Receptores de baixo custo e baixo consumo Cobertura Continental ou Mundial Utilização das mesmas freqüências do AM Melhor qualidade de recepção que AM Não proporciona “Qualidade CD” Possibilidade de “Simulcast” com AM Bons resultados nos testes em campo
  • 148. Sistema IBOC(In Band On Channel) Formado pela Lucent Digital Radio e pela USA Digital Radio (CBS) Sócios: Texas Instruments, Harris, Ford, ABC, Viacom Padrão definido em 2000 Início de transmissões experimentais em 2002 nos EUA Utilizável em FM e AM
  • 149. Características do Sistema IBOC Sistema proprietário, não aberto Testes indicam que uso em AM é restrito ao período diurno (devido a interferências) Atraso de captura de 4 segundos Interferências em receptores de baixa qualidade Ocupação espectral maior prejudica emissoras de pequeno alcance
  • 150. ISDB-Tn (Integrated Services Digital Broadcast – narrowband) Em implantação no Japão Utiliza 1 ou 3 segmentos de um canal ISDB (429 kHz ou 1.3 MHz) Pode coexistir com sinais de TV Compressão de Áudio: MPEG-2 AAC Modulação: OFDM, com portadoras moduladas em DQPSK, QPSK, 16-QAM ou 64-QAM
  • 151. Rádio Digital O rádio digital vai demorar no mínimo dois anos para ser implantado no país. O modelo nem sequer foi definido pelo Governo Federal, que estuda a tecnologia americana Iboc e o modelo DRM europeu. Sabe-se apenas que o rádio digital brasileiro será híbrido, porque nenhum dos modelos existentes no mundo atende às necessidades do país. "Vamos ter um sistema para AM e FM e outro para atender Ondas Curtas", disse o ministro das Comunicações Hélio Costa.
  • 152. Rádio Digital O Ministro Hélio Costa diz ainda que a indústria produzirá um aparelho capaz de incorporar a tecnologia digital e a analógica, e que seus preços devem ficar entre R$ 60 e R$ 70. No momento, 16 emissoras de rádio realizam testes com a Iboc americana.
  • 153. E o futuro da radiofusão sonora? Sons, Imagens, Texto e Vídeo. Continua rádio? Ou transforma-se em um novo dispositivo? Morre junto com as outras mídias analógicas?
  • 154. Cenário Nacional De acordo com Anatel, 8.713 emissoras de rádio no Brasil. Fonte: ANATEL 2009
  • 155. Cenário Paulista As maiores redes de rádio do país estão em São Paulo. Fonte: IBOPE JUL/2009
  • 156. “Um homem que tenha algo a dizer e não encontre ouvintes, está em má situação. Mas estão em pior situação ainda os ouvintes que não encontrem quem tenha algo a dizer-lhes” BertoldBretch