Partilhando                                                 Nossa Fé                                                  MAI/...
ESCOLHE, POIS A VIDA!                                         ESCOLHE, POIS A VIDA!                            (Dt 30,19) ...
ANO 01 – MAI/2012                                    PARTILHANDO NOSSA FÉ                                               ED...
PÁG. 4 – ED. 03                                       PARTILHANDO NOSSA FÉ                                         MAI/201...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Partilhando nossa Fé - Maio 2012

655 visualizações

Publicada em

Aborto! Direito à Vida! STF!

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
655
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
323
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Partilhando nossa Fé - Maio 2012

  1. 1. Partilhando Nossa Fé MAI/2012 – ANO 01 – ED. 03 OS FUNDAMENTALISTAS DO PALÁCIO ―Se nem a presença de uma menina anencéfala de dois anos de idade, levada pela mãe diante dos olhos dos Ministros do Supremo, foi suficiente para demonstrar a inconsistência de tudo que ali se afirmava,então definitivamente aquela corte é um hospício.‖ Eric Voegelin chama de fundamentalista a pessoa queacredita em frases independentemente de seu significado.Quem acompanhou o debate no Supremo Tribunal Federala respeito do aborto de bebês anencéfalos assistiu a umverdadeiro conclave de fundamentalistas. Era visível –irritante, eu diria – o esforço para criar uma realidadejurídica que, à evidência, era ficta, ou, valendo-me deoutra expressão de Eric Voeglin, era uma “segundarealidade” (um “mundo como ideia”, diria o poeta BrunoTolentino). Tome-se a palavra feto, por exemplo. No vocabuláriodos fundamentalistas do Palácio, essa palavra designa algoque se desenvolve no ventre de uma mulher e que, adepender da lúcida compreensão de conspícuosmagistrados, será chamado de “pessoa” quando vier à luz,especialmente se o for de modo saudável. Nessa perspectiva, a palavra aborto ganha especialsignificado no vocabulário fundamentalista. A interrupçãoda gestação de um feto, que, por qualquer razão, osfundamentalistas do Palácio consideram não merecer adesignação de pessoa, chama-se “antecipação terapêuticado parto”. Sobre o ser pessoa, então, os fundamentalistas dispõem mulher, feitos à imagem do Criador? Que é a vida humana senão ode um arsenal de definições, todas muito bem exemplificadas do sopro do Criador?ponto de vista do direito patrimonial; sempre, porém, com aquela O sopro do Criador é a centelha divina sem a qual somosressalva expressa de que o nascituro, para ser pessoa, precisa vir à apenas pó, sopro esse que se renova todas as vezes que o milagre daluz com “vida”: precisa deixar de ser alguma coisa no ventre da vida acontece, exatamente no instante em que, no ventre damãe. mulher, o espermatozoide fecunda o óvulo. Isso é a realidade. Isso Mas nem só de desconstruir o sentido das palavras vivem os era o único fato objetivo sobre o qual deveriam decidir, mas que osfundamentalistas do Palácio. Eles cultivam, com igual afã, a nobre fundamentalistas, porque habitam uma segunda realidade,arte de esvaziar o sentido das palavras, relativizando-as a ponto de desprezaram: os fundamentalistas são cegos por opção.já não significarem nada; ali permanecem moribundas, um E quando o debate público já não encontra fundamento naflatusvocis. Refiro-me, especialmente, ao vocábulo composto “ser realidade, quando a discussão não passa de mero produto verbalhumano”, praticamente caído em desuso, feito arcaísmo. sem contato com o chão duro da experiência concreta, entramos noModernamente, o vocábulo correto seria pessoa, ou seja, coisa que, reino da loucura, onde tudo conta, menos o real. Se nem a presençasaída do útero de mulher de modo saudável, tornou-se “alguém”. de uma menina anencéfala de dois anos de idade, levada pela mãeE nem se diga sobre o destino de palavras como “fé”, “Deus”, diante dos olhos dos Ministros do Supremo, foi suficiente para“Cristo”, “caridade”, “vida”... Ah, sim!,os fundamentalistas são demonstrar a inconsistência de tudo que ali se afirmava, entãokantianos: de um lado a razão (a ciência, o racional, a objetividade), definitivamente aquela corte é um hospício.de outro a fé (a superstição, o irracional, o puramente subjetivo).Não é preciso dizer que, nesse particular, o argumento dosfundamentalistas beira ao deboche: “O Estado é laico!”, bradou Márcio Luís ChilaFreyesleben é procurador de Justiça doaquele relator de pronúncia amaneirada. Por Deus! Do que esse Ministério Público de Minas Gerais.homem estava falando? Quem é esse Estado que é laico? Quem éesse Estado senão o conjunto de seres humanos nascidos de www.midiasemmascara.org DANILO CORTEZ ANDERSON DINIZ PETTERSON JOSÉ GOMES BRITO DE AZEVEDO DOS S. DANTAS DAS OBRIGAÇÕES DE TODOS OS FIÉIS essa sua opinião também aos outros fiéis.” (Cân. 212 §3, do“De acordo com a ciência, a competência e o prestígio de que Código de Direito Canônico)gozam, tem o direito e, às vezes, até o dever de manifestar aosPastores sagrados a própria opinião sobre o que afeta o bem Interaja Conoscoda Igreja e, ressalvando a integridade da fé e dos costumes e a www.partilhandonossafe.blogspot.comreverência para com os Pastores, e levando em conta autilidade comum e a dignidade das pessoas, dêem a conhecer partilhandonossafe@hotmail.com PÁG. 2 – ED. 03 PARTILHANDO NOSSA FÉ MAI/2012 – ANO 01
  2. 2. ESCOLHE, POIS A VIDA! ESCOLHE, POIS A VIDA! (Dt 30,19) (Dt 30,19) Como todos já sabem, oSupremo Tribunal Federaljulgou procedente a Arguiçãode Descumprimento de PreceitoFundamental 54/DF. Foi umjulgamento polêmico e marcadopor profundas reflexões, sejados cientistas do direito, sejados fiéis cristãos. Não pretendo, nestesimples artigo, esgotar oassunto, mesmo porque mefalta capacidade técnica eespaço para tanto. Objetivo expostos em termos cuja adesão períodos determinados e os limites dasimplesmente expor algumas poucas independa dessa ou daquela sua habitação, para que os homensreflexões que me despertaram o interesse crença”. (grifo nosso). procurassem a Deus e se esforçassemjurídico e religioso, sobre as quais não vi Percebam as intenções do julgador. realmente por O atingir e encontrar. Nanenhuma menção nos meios de massa. Primeiro, liberta-se o Estado de qualquer verdade, Ele não está longe de cada umNesse intuito, consultei o sítio eletrônico amarra religiosa, declarando-o livre para de nós. É nEle que vivemos, nosdo STF, na seção dos informativos analisar imparcialmente a lide proposta. movemos e existimos» (Act 17, 26-semanais, e alguns votos divulgados na O problema é que tal sistemática só 28).(Números 27 e 28).rede mundial de computadores. possui aplicação naqueles julgamentos a O segundo argumento é o de que osRessalvo, em tempo, que não citarei os respeito de demandas econômicas, grupos religiosos devem traduzir suasnomes dos ministros, haja vista não eleitorais, trabalhistas, etc. Em causas convicções em forma de razões públicas,haver qualquer intenção em ferir a que envolvem os chamados direitos de cujos termos impliquem em adesãoimagem de qualquer deles. estado da pessoa humana, torna-se independente dessa ou daquela crença. O julgamento teve início com um impossível o afastamento das convicções Ou seja, pede-se que a Igreja se expresseargumento bastante característico dos pessoais, filosóficas e religiosas dos somente em termos “científicos”, cujacientistas modernos: o de afastar a julgadores. Isso porque, estes também aceitação seja destituída de dependênciainfluência religiosa do julgamento. são seres humanos e a sua atividade com a fé. Ressalte-se aqui, segundoTranscrevo-o, integralmente: “A questão julgadora depende diretamente de todos minha humilde opinião e a de muitosposta neste processo – os elementos que compõem a sua juristas, a exemplo dos dois ministrosinconstitucionalidade da interpretação formação humanística. que julgaram contra a ADPF 54/DF, quesegundo a qual configura crime a Logo, é totalmente vã a tentativa de é perfeitamente possível, com ainterrupção de gravidez de feto afastar a religiosidade do ser humano, legislação vigente, rebater juridicamenteanencéfalo – não pode ser examinada pois essa é uma característica intrínseca todos os argumentos formulados porsob os influxos de orientações morais da pessoa humana, como bem expõe o aqueles que julgaram procedente oreligiosas. Essa premissa é essencial Catecismo da Igreja Católica: “O desejo pedido.à análise da controvérsia. Isso não de Deus é um sentimento inscrito no Todavia, enveredar por este caminhoquer dizer, porém, que a oitiva de coração do homem, porque o homem foi pode ser inócuo a longo prazo, pois umaentidades religiosas tenha sido em vão. criado por Deus e para Deus. Deus não simples modificação do textoComo bem enfatizado no parecer da cessa de atrair o homem para Si e só em constitucional ou da legislaçãoProcuradoria Geral da República Deus é que o homem encontra a verdade infraconstitucional poderia ensejar arelativamente ao mérito desta arguição e a felicidade que procura sem perda de eficácia dos fundamentosde descumprimento de preceito descanso... De muitos modos, na sua exclusivamente jurídicos eventualmentefundamental, ―numa democracia, não é história e até hoje, os homens adotados pela Igreja.legítimo excluir qualquer ator da arena exprimiram a sua busca de Deus em Por esses motivos, como a Igrejade definição do sentido da crenças e comportamentos religiosos trabalha sob uma perspectiva da verdadeConstituição.Contudo, para (orações, sacrifícios, cultos, meditações, plena e absoluta revelada, deve alicerçartornarem-se aceitáveis no debate etc.). Apesar das ambiguidades de que suas exortações em fundamentos de fé ejurídico, os argumentos podem enfermar, estas formas de de razão, validada esta última pelo sensoprovenientes dos grupos religiosos expressão são tão universais que bem de Justiça Natural inerente à consciênciadevem ser devidamente podemos chamar ao homem um ser da humanidade.‘traduzidos’ em termos de razões religioso: Deus «criou de um só homempúblicas” (folhas 1026 e 1027), ou todo o gênero humano, para habitar Continua na página 3seja, os argumentos devem ser sobre a superfície da terra, e fixouF O TO S , F ATO S E P E N S AM E N TO S Elba Ramalho, rezando em Frente ao STF
  3. 3. ANO 01 – MAI/2012 PARTILHANDO NOSSA FÉ ED. 03 – PÁG. 3 ESCOLHE, POIS A VIDA! ESCOLHE, POIS A VIDA! (Dt 30,19) (Dt 30,19) uma nova situação cultural que dá aos crimes contra a vida um aspecto inédito e — se é possível — ainda mais iníquo, suscitando novas e graves preocupações: amplos sectores da opinião pública justificam alguns crimes contra a vida em nome dos direitos da liberdade Observe-se o formidável prólogo da confiada para a guardarmos com sentido de individual e, sobre tal pressuposto,Carta Encíclica Fides etRatio do beato João responsabilidade e levarmos à perfeição no pretendem não só a sua impunidade masPaulo II: ―A fé e a razão (fides et ratio) amor pelo dom de nós mesmos a Deus e aos ainda a própria autorização da parte doconstituem como que as duas asas pelas irmãos. Estado para os praticar com absolutaquais o espírito humano se eleva para a A Igreja defende, conforme a mesma liberdade e, mais, com a colaboraçãocontemplação da verdade. Foi Deus quem encíclica, que ―Mesmo por entre gratuita dos Serviços de Saúde‖.colocou no coração do homem o desejo de dificuldades e incertezas, todo o homem Diante desse quadro alarmante, osconhecer a verdade e, em última análise, de sinceramente aberto à verdade e ao bem cristãos devem depositar seu desespero naO conhecer a Ele, para que, conhecendo-O e pode, pela luz da razão e com o secreto promessa feita por Jesus Cristo: o Paráclitoamando-O, possa chegar também à influxo da graça, chegar a reconhecer, na não abandonará jamais a sua Igreja. Asverdade plena sobre si próprio (cf. Ex 33, lei natural inscrita no coração (cf. Rm2, 14- mães que desejarem alcançar a plenitude do18; Sal 2726, 8-9; 6362, 2-3; Jo 14, 8; 1 Jo 15), o valor sagrado da vida humana desde significado da maternidade que lhe foi3, 2)‖. o seu início até ao seu termo, e afirmar o confiada, seja de crianças saudáveis ou Por fim, evitando que o texto se torne direito que todo o ser humano tem de ver acometidas de doenças físicas ou cerebraisentedioso, menciono só mais outro grande plenamente respeitado este seu bem gravíssimas, devem se espelhar na Santaartifício da engenharia do pensamento primário.‖. Virgem Maria, aderindo livremente à missãohumano quando precisa se posicionar O Sagrado Magistério continua da Igreja em pregar o evangelho da vidadiante de impasses ligados a sua existência. ensinando que por causa do mistério do para toda a humanidade.Tanto no presente julgamento, quanto Verbo de Deus feito carne, cada homem está São incontáveis e insondáveis osnaquele referente às pesquisas com células confiado à solicitude materna da Igreja. benefícios que a gestação de uma criançatronco embrionárias, os magistrados Desse modo, qualquer ameaça à dignidade e anencéfala pode trazer para o seio da famíliabuscaram a relativização do valor da vida. à vida humana repercute no coração da que a acolhe. Todos os parentes, em especialExplico. Foi defendido quea vida, para própria Igreja. É impossível não A tocar no os pais, são convidados a experimentaremextrair da Constituição a garantia de sua centro da sua fé na encarnação redentora do uma perspectiva superior do significado daproteção suprema, precisa preencher uma Filho de Deus. Não pode passar, também, vida. Se bem entendida, poderá ser umasérie de requisitos, os quais, a cada decisão sem A interpelar na sua missão de anunciar ocasião de reunião e reflexão fecundas parapolêmica, vão crescendo em número e o Evangelho da vida pelo mundo inteiro a a conversão de todos.complexidade. toda a criatura. Ademais, quando se reflete sobre a A Igreja de Cristo, em contrapartida, Por essa razão, a Igreja Católica eternidade de Deus, em sua dimensãoapesar de se compadecer do sofrimento das continuará a se posicionar absolutamente temporal, é preciso ressaltar que inexistegestantes de crianças anencéfalas, tem o contrária a qualquer tentativa de relativizar diferença de valor da vida de um serdever inalienável de proteger a vida em ou suprimir o direito à vida, anencéfalo e de uma pessoa sem talqualquer condição. Mais uma vez, exponho independentemente da sua duração ou característica.os ensinamentos do beato João Paulo II, viabilidade. Concluindo, o livre sofrimento destasdesta vez contidas na encíclica Evangelium Profeticamente, o Sumo Pontífice mães, assim como o dos justos e santos, nãoVitae. Segundo o referido documento, o anterior, ao introduzir a encíclica será esquecido jamais por Deus, nem muitohomem é chamado a uma plenitude de vida envangelium vitae, previu: “Infelizmente, menos destituído de eficácia. Pelo contrário,que se estende muito além das dimensões este panorama inquietante, longe de servirá para engrandecer o tesouro que ada sua existência terrena, porque consiste diminuir, tem vindo a dilatar-se: com as Igreja preserva desde seu nascimento parana participação da própria vida de Deus. perspectivas abertas pelo progresso entregá-lo ao Pai de Infinita Bondade.Aduz que a vida terrena não é realidade científico e tecnológico, nascem outrasúltima, mas penúltima, tratando-se, em formas de atentados à dignidade do ser ANDERSON AZEVEDOtodo o caso, de uma realidade sagrada humano, enquanto se delineia e consolidaF O TO S , F ATO S E P E N S AM E N TO S “Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade” Art. 5° da Constituição Federal, rasgada pelos Grupo de ABORTISTAS, comemorando a Grupo de Brasileiros – Católicos, Ministros do STF que aprovação do “direito” de MATAR Protestantes, Espíritas e Ateus – em votaram contra a VIDA CRIANÇAS vigília no STF, defendendo a VIDA.
  4. 4. PÁG. 4 – ED. 03 PARTILHANDO NOSSA FÉ MAI/2012 – ANO 01 A TARTARUGA E O BEBÊ: A BANALIZAÇÃO DA VIDA HUMANA Grupos feministas espalhados pelo país nomeia uma cidadã como esta para atuar na homicídio em geral para os casos dee ONG´s financiadas por órgãos gestão de políticas públicas? Incoerência? A eutanásia.internacionais, aliadas a partidos políticos meu ver não, mas estratégia leviana e Sobre esse assunto diz o Catecismo daque tem como ideologia resoluções imorais e mentirosa para enganar os brasileiros de Igreja no parágrafo 2277: ―Sejam quaiscontrárias a fé cristã, infelizmente são boa vontade. Nesse país, trata-se como forem os motivos e os meios, a eutanásia“peças-chave” na tentativa de legalizar a criminoso alguém que mata uma tartaruga direta consiste em pôr fim à vida de pessoasprática abortiva no Brasil. Não se (veja o projeto TAMAR), e dou minha deficientes, doentes ou moribundas. Ésurpreenda com algumas informações aqui adesão à proteção da natureza, todavia, a moralmente inadmissível‖.detalhadas resumidamente, a saber: a prática abortiva é tida como normal, como Em relação ao aborto, ―a vida humanaLEGALIZAÇÃO DO ABORTO está na mira questão de saúde pública? Certas coisas não deve ser respeitada e protegida de maneiradesses indivíduos que não tem respeito pela nos permitem ficar de braços cruzados. absoluta a partir do momento davida humana! E mais: a grande maioria dos Nessa perspectiva terrível, tramita no concepção. Desde o primeiro momento debrasileiros, dos cristãos, dos homens e Senado Federal o projeto elaborado por uma sua existência, o ser humano deve vermulheres de bem, estão à mercê e alheios a Comissão de Juristas que trata da Revisão reconhecido os seus direitos de pessoa,essas tentativas contínuas por parte desses do Código Penal, e algumas dessas entre os quais o direito inviolável de todogrupos abortistas. propostas são no intuito de LEGALIZAR O ser inocente à vida (...). O inalienável É fato: caso não haja uma direito à vida de todo indivíduomudança significativa na agenda humano inocente é um elementonacional relacionada ao aborto, constitutivo da sociedade civil e decorremos o risco de ter os nossos sua legislação: Os direitosimpostos financiando o inalienáveis da pessoa devem serASSASSINATO de vidas humanas. A reconhecidos e respeitados pelaquestão central não é apenas a sociedade civil e pela autoridadeutilização de dinheiro público para tal política‖ (Catecismo da Igrejaato insano, mas a natureza em si do Católica, parágrafo 2270).ato que é abominável e inadmissível! Mas o que fazer diante dessasOs jargões governistas e lobistas atrocidades que estão sendobradam: “Aborto é questão de saúde disseminadas em nosso país?pública”; “As mulheres tem direito Cabe a nós cidadãossobre seus corpos”; dentre outros denunciarmos tais projetos e lutarmosmais. Ora, e as crianças não possuem para que estes não sejam aprovados.o direito à vida? Por acaso esse já não Envie mensagens para os nossosé uma garantia disposta no Art. 5º da representantes (deputados eConstituição Federal? senadores), seja um defensor da vida A verdade é que os que são a na sua casa, na rua em que reside, nofavor do aborto estão buscando grupo de que participa... De formaformas mais sutis de tornar possível particular me dirijo aos formadores deessa barbárie, esse infanticídio. Chego opinião – mídia, líderes comunitáriosa pensar em alguns momentos que ABORTO no Brasil, ampliando as e religiosos, pais e mães, conselhosum dos lugares mais perigosos para um ser possibilidades de descriminalização (termo instituídos, dentre outros – para quehumano atualmente seja na barriga de sua jurídico utilizado, mas que na prática pode extirpem os discursos meramentemãe, não acham? É assim que muitos dos ser traduzido por legalização), tais como: a) superficiais e em alguns casos inexistentesnossos “representantes” tem tratado o gravidez em caso do emprego não sobre um assunto tão grave e urgente.direito à vida, isto é, como um objeto. Para consentido de técnica de reprodução O povo precisa de melhoresse ter ideia, observem a declaração feita pela assistida; b) anencefalia comprovada ou informações, haja vista que estas nãoMinistra da Secretaria de Políticas para as quando o feto padecer de graves e incuráveis chegam a muitos. Você que se diz cristão,Mulheres – Eleonora Manicucci: ―Como anomalias que inviabilizem a vida está mais do que na hora de anunciar a Boasanitarista, tenho que dizer que o aborto é independente, em casos atestados em dois Nova de Jesus Cristo, Daquele que veio parauma questão de saúde pública, não de meses; c) por vontade da gestante até a 12ª que todos tenham vida, e a tenham emideologia, assim como o crack, a dengue e o semana de gravidez, se o médico ou o abundância (Jo 10,10). Sejamos profetas dosHIV‖. psicólogo atestar que a mulher não tempos modernos! Será que vamos esperar Percebam!!! A vida humana é lançada apresenta condições de arcar com a as “pedras falarem”? Que Deus não permitano mesmo patamar do problema das maternidade. isso! O aborto provocado é e continuarádrogas... Não que os dependentes químicos Vejam as barbaridades! No item “b”, o sendo um CRIME BÁRBARO, UMnão precisem de assistência, mas o valor da processo de eugenia já começa a se tornar ASSASSINATO. Diga sim a vida, nãovida é INEGOCIÁVEL. A mesma ministra uma possível realidade no Brasil; e no item colabore com a cultura de morte!ainda criticou os médicos que atualmente “c”, o fator subjetivo prevalece, ou seja, temnão praticam o aborto nos casos de estupro algo mais “vago e subjetivo” que ume risco de vida para mulher, quando se atestado médico/psicólogo para afirmar ousalvaguardam pela objeção de consciência. não que uma mulher tem condições de ser Como o Governo afirma ao povo mãe? Além do mais, essa revisão do códigobrasileiro que não é a favor do aborto, mas penal prevê penas mais brandas do que o DANILO CORTEZ GOMES SÉRIE: “MITOS LITÚRGICOS”Mito 3: "A Adoração da Eucaristia fora da Missa é ultrapassada!"Resposta: Não é!O Santo Padre Bento XVI afirma (SacramentumCaritatis, n. 66-67):"De fato, na Eucaristia, o Filho de Deus vem ao nosso encontro e deseja unir-Se conosco; a adoração eucarística é apenas o prolongamentovisível da celebração eucarística, a qual, em si mesma, é o maior ato de adoração da Igreja: receber a Eucaristia significa colocar-se ematitude de adoração dAquele que comungamos. Precisamente assim, e apenas assim, é que nos tornamos um só com Ele e, de algum modo,saboreamos antecipadamente a beleza da liturgia celeste. O ato de adoração fora da Santa Missa prolonga e intensifica aquilo que se fez naprópria celebração litúrgica. (...) Juntamente com a assembleia sinodal, recomendo, pois, vivamente aos pastores da Igreja e ao povo deDeus a prática da adoração eucarística tanto pessoal como comunitária. Para isso, será de grande proveito uma catequese específica na qualse explique aos fiéis a importância deste ato de culto que permite viver, mais profundamente e com maior fruto, a própria celebraçãolitúrgica. Depois, na medida do possível e sobretudo nos centros mais populosos, será conveniente individuar igrejas ou capelas que sepossam reservar propositadamente para a adoração perpétua. Além disso, recomendo que na formação catequética, particularmente nositinerários de preparação para a Primeira Comunhão, se iniciem as crianças no sentido e na beleza de demorar-se na companhia de Jesus,cultivando o enlevo pela sua presença na Eucaristia." Autor: Francisco Dockhorn - http://www.salvemaliturgia.com

×