Função consumo

14.139 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

Função consumo

  1. 1.  Consumo e nível de renda Consumo e riqueza Consumo e taxa de juros Consumo e sistema financeiroApêndice: função consumo keynesiana e determinação da renda PET-Economia FEAC-UFAL
  2. 2.  Consumo corresponde à parcela de renda destinada à aquisição de bens e serviços para a satisfação das necessidades dos indivíduos PET-Economia FEAC-UFAL
  3. 3.  Tipos de bens ◦ Bens de consumo leves: consumidos rapidamente (alimentos e vestuário) ◦ Bens de consumo duráveis: são consumidos por longos períodos (geladeira, automóvel) ◦ Serviços (corte de cabelo, educação, seguros) PET-Economia FEAC-UFAL
  4. 4.  O dispêndio total de recursos na aquisição daquelas mercadorias chama-se consumo agregado Pode-se dividir em: ◦ Consumo pessoal ◦ Consumo do governo (bens públicos) PET-Economia FEAC-UFAL
  5. 5.  Da renda do indivíduo pode haver 3 destinos: ◦ Consumo ◦ Poupança ◦ Pagamento de impostos Renda disponível (ou líquida): renda total deduzida os impostos e feitas as transferências Poupança: é a decisão de não gastar do indivíduo PET-Economia FEAC-UFAL
  6. 6.  Quanto maio a renda (y) maior tende ser o consumo (C) Lei psicológica fundamental (Keynes): ◦ Os indivíduos aumentam o consumo conforme a renda aumenta, mas não na mesma magnitude, pois pode ocorrer também aumento da poupança ◦ Portanto, quanto maior a renda (Y), maior o consumo (C) e a poupança (S) PET-Economia FEAC-UFAL
  7. 7.  A parcela do aumento de renda destinada ao consumo é denominada propensão marginal a consumir e a parcela destinada à poupança é a propensão marginal a poupar Determinantes das propensões: ◦ Objetivos: custo de subsistência, distribuição de renda, inflação etc. ◦ Subjetivos: avareza, egoísmo, receio, incerteza etc. PET-Economia FEAC-UFAL
  8. 8.  Níveis de riqueza e taxas de juros tendem, também, a influenciar as decisões de consumo e poupança Segundo Keynes, quanto maior a renda de uma comunidade, maior a tendência de crescimento da poupança e maiores as possibilidades de baixo crescimento econômico e crises de desemprego PET-Economia FEAC-UFAL
  9. 9.  Dado igual nível de renda entre, por exemplo, duas famílias, tende a consumir mais quem possuir maior riqueza. A riqueza pode se decomposta em: ◦ Ativos reais: carros, imóveis, terrenos, máquinas etc ◦ Ativos financeiros: títulos públicos, ações de empresas ◦ Capital humano: capacidades, habilidades e competências de um indivíduo. PET-Economia FEAC-UFAL
  10. 10. A riqueza pode oscilar dependendo dos momentos de crise ou prosperidade econômica PET-Economia FEAC-UFAL
  11. 11.  Quanto maior for a taxa de juros, mais os indivíduos vão querer poupar hoje, o que reduzirá o consumo presente A taxa de juros reflete o preço do consumo hoje em termos de consumo presente, isto é, corresponde ao custo de oportunidade do consumo presente Quando a taxa de juros está elevada os indivíduos retraem o consumo e ficam estimulados a poupar mais (efeito- substituição) PET-Economia FEAC-UFAL
  12. 12.  O grau de desenvolvimento do sistema financeiro, sua organização e suas regras também tendem a afetar o nível de consumo e poupança A existência de aplicações financeiras que assegurem o valor real dos recursos é uma precondição para se ter poupança A existência de crédito ao consumidor tende a potencializar a demanda pelos bens, sobretudo os de alto valor (imóveis, carros etc) Duas variáveis afetam a demanda por crédito: taxa de juros e prazo de financiamento PET-Economia FEAC-UFAL
  13. 13.  Propriedades ◦ O consumo aumenta conforme a renda aumenta, mas não na mesma magnitude e a propensão marginal a consumir situa-se entre 0 e 1 ◦ A propensão média a consumir (participação do consumo na renda da comunidade) diminuí conforme aumenta a renda (decorre da primeira propriedade) ◦ O consumo é uma função estável da renda, isto é, a influência de outras variáveis, como taxa de juros, riqueza etc., sobre o consumo é pouco significativa PET-Economia FEAC-UFAL
  14. 14. C = A + bY; com 0 < b < 1 (a)C = consumo agregadoA = consumo autônomo (mínimo), independe darendab = propensão marginal a consumirY = renda nacionalA renda de equilíbrio significa que Y = C, toda rendaestá sendo consumida. Mas como existe a poupançaesta possibilidade de equilíbrio mudaPoupança Agregada S=Y–C (b) PET-Economia FEAC-UFAL
  15. 15.  Substituindo (a) em (b) temos: S = Y – ( A + bY) = Y – A - bY S = - A + (1 – b)Y(1 – b) = propensão marginal a poupar PET-Economia FEAC-UFAL
  16. 16.  Considerações ◦ Se C = Y, S = 0, isto é, se toda renda for consumida, não há poupança ◦ Se C > Y, S < 0, isto é, se a sociedade consome mais do que produz, terá que despoupar para financiar o excesso de consumo ◦ Se C < S, S > 0, a sociedade não consome tudo o que produz, podendo utilizar parcela da renda para outros fins que não consumo (investimento por exemplo) PET-Economia FEAC-UFAL

×