Estudos Dirigidos
O Pensamento
Voltamos com o
nosso assunto...
A esfera astral apresenta algumas propriedades notáveis, uma das quais é
o princípio de que os pensamentos astral ou emoci...
Página 76.
Esta energia (mental) irradiada não é uniforme. Varia enormemente
de frequência, segundo a qualidade ou naturez...
Página 76.
Se a criatura possui uma frequência elevada como nota tônica de sua
personalidade, as formas-pensamento negativ...
No dia em que se generalize o conhecimento e compreensão do meca-
nismo, estrutura e ação das radiações mentais, provocada...
O pensamento bom ou mau, quando impulsionado por uma vontade forte
e disciplinada, vai de pólo a pólo, de Mundo a Mundo, d...
Capítulo XIII
Das Radiações Mentais
e Emocionais
O estudo da natureza, estrutura, mecanismo e ação dos pensamentos
e das e...
Capítulo XIII
Das Radiações Mentais
e Emocionais
Os pensamentos são formados de substâncias sutilíssimas, de den-
sidade v...
Nós podemos, pois, pecar e praticar os maiores malefícios, provocan-
do tremendos prejuízos morais e materiais, a salvo da...
Capítulo XIII
Das Radiações Mentais
e Emocionais
É este um dos pequenos segredos, e a melhor
técnica de obter alguns milag...
Capítulo 16
A Vida Mental e a
Força da Palavra
Quando a palavra revela o tipo de pensamento inferior do indivíduo,
pode-se...
Como condensação das energias, a matéria se manifesta vibratoria-
mente de várias formas e em variados campos da vida univ...
Capítulo 16
A Vida Mental e a
Força da Palavra
A ação transformadora da palavra como manifestação do mundo mental
se faz s...
Capítulo 16
A Vida Mental e a
Força da Palavra
A palavra, quando mal conduzida ou pronunciada, gerada de forma
consciente ...
Capítulo 17
Campo Quântico
Todos os indivíduos das diversas dimensões da vida emitem
constantemente ondas mentais, que com...
“Não se precatam (prevenir, acautelar) nossos irmãos em
Humanidade de que o verbo está criando imagens
vivas, que se desen...
“– Conforme estudamos na noite de hoje, a palavra,
qualquer que ela seja, surge invariavelmente dotada
de energias elétric...
Capítulo 37
A Preleção da Ministra
O pensamento é a base das
relações espirituais dos seres
entre si, mas não olvidemos
qu...
Capítulo 37
A Preleção da Ministra
Todos sabemos que o
pensamento é força
essencial, mas não
admitimos nossa
milenária vic...
"O pensamento é força viva,
em toda parte; é atmosfera
criadora que envolve
o Pai e os filhos, a Causa e os Efeitos,
no La...
“O homem vulgar ignora que toda
manifestação de ordem, no mundo,
procede do plano superior. A natureza
agreste transforma-...
Capítulo 19
Ideoplastia
(...) Na mediunidade de efeitos intelectuais, a ideo-
plastia assume papel extremamente importante...
14
O Cristo
Consolador
Ainda não conhecemos, devidamente, na Terra, o poder do
pensamento. A mente atua dentro e fora do c...
14
O Cristo
Consolador
Todo compromisso que assumimos espontaneamente merece
consideração. No entanto, só um compromisso n...
Estudos Dirigidos
Vamos dar uma
pausa por aqui.
http://vivenciasespiritualismo.net/index.htm
Luiz Antonio Brasil
Périclis ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

18.02 O Pensamento - Conceitos II 20 jan 2015

320 visualizações

Publicada em

18.02 O Pensamento - Conceitos II 20 jan 2015

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
320
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

18.02 O Pensamento - Conceitos II 20 jan 2015

  1. 1. Estudos Dirigidos O Pensamento Voltamos com o nosso assunto...
  2. 2. A esfera astral apresenta algumas propriedades notáveis, uma das quais é o princípio de que os pensamentos astral ou emocionalmente carregados possuem vida própria. No nível energético astral, certos pensamentos, tanto conscientes como inconscientes, podem existir como campos de energia distintos ou corpos de pensamento, com formas, cores e características singulares. Alguns pensamentos, especialmente aqueles carregados de intensidade emocional, possuem uma identidade à parte, independente da de seus criadores. Certos pensamentos podem na ver- dade estar carregados de substância energética sutil e existirem (incons- cientemente) como corpos de pensamento nos campos energéticos de seus criadores.Capítulo IV Esses corpos de pensamento muitas vezes podem ser vistos por pessoas clarividentes muito sensíveis aos fenômenos energéticos superiores. O fato de a nossa consciência poder influenciar os campos de energia da nossa anatomia energética sutil tem importantes implicações tanto para a medicina como para a psicologia. FIM
  3. 3. Página 76. Esta energia (mental) irradiada não é uniforme. Varia enormemente de frequência, segundo a qualidade ou natureza do pensamento: O pensamento, como se vê, pode ser criador ou destrutivo. Se grosseiro, se veicular interesses inferiores ou se maléfico (revestido de emoções de ódio, agressão ou inveja, por exemplo), terá frequên- cia muito baixa. A energia será de escassa penetração, mas o pensa- mento terá massa. E se essa massa malfazeja alcançar a estrutura as- tral da vítima, poderá aderir a ela (principalmente se coincidir com algum abaixamento da tônica de frequência da pessoa), prejudican- do-a sobremaneira. É o caso das práticas de magia negra, que tendem a tornar cada vez mais baixas as vibrações das pessoas visadas, cau- sando-lhes sofrimentos e angústias indefiníveis, mal-estar, sensações de abafamento, etc. Ao contrário, se o pensamento for impregnado de bondade, compaixão, amor, solidarieda- de (tudo, enfim, que tenda à harmonia), a criatura visada haverá de se sentir bem, espe- rançosa, feliz, com sensação de indefinível leveza. Isso se explica pela frequência da emis- são, pois vibrações superiores à tônica da pessoa dão-lhe bem-estar; se inferiores, o efeito será oposto. CONTINUA
  4. 4. Página 76. Se a criatura possui uma frequência elevada como nota tônica de sua personalidade, as formas-pensamento negativas não têm condições de aderir ao seu corpo astral: são automaticamente repelidas. Nada se envisca (prender com visco) à estrutura corporal-espiritual das cria- turas em que a bondade e a pureza são características dominantes; formas-pensamento maléficas só podem atingir pessoas que estejam em faixa vibratória compatível. FIM
  5. 5. No dia em que se generalize o conhecimento e compreensão do meca- nismo, estrutura e ação das radiações mentais, provocadas pela proje- ção e exteriorização dos pensamentos e emoções, dos sentimentos e paixões, a Humanidade poderá então formular duas conclusões da maior importância para marcar uma justa e racional linha de conduta: 1ª — a energia da força-pensamento ultrapassa as forças mais poten- tosas do Universo, quer em vitalidade e resistência, quer em velocidade e duração, e, ao invés, da maior parte das correntes das energias cós- micas não sofre interferências de qualquer espécie, mantendo a sua unidade de força e de direção, sejam quais forem os obstáculos que encontre na sua trajetória; 2ª — é nos efeitos nocivos resultantes das correntes mentais exteriorizadas por ódio, vin- gança e inveja, que estão localizadas as causas e origem de grande parte das calamidades humanas e cataclismos cósmicos, quer no ponto de vista individual, quer no ponto de vista coletivo e social, proveniente da explosão dos pensamentos e sentimentos maléficos, emi- tidos e armazenados pela Humanidade na sua atmosfera astro-mental e na sua aura pes- soal ou coletiva e social (raça, família, nação). Capítulo XIII Das Radiações Mentais e Emocionais É no choque e colisão de correntes mentais e emocionais, silenciosas e misteriosas, de sen- tido contrário, reciprocamente hostis, que se geram os falsos preconceitos de casta, de ra- ça, de nação para nação, de fanatismo religioso e político, chauvinismo, etc., com conse- quências, por vezes, funestas e sangrentas. CONTINUA
  6. 6. O pensamento bom ou mau, quando impulsionado por uma vontade forte e disciplinada, vai de pólo a pólo, de Mundo a Mundo, da Terra aos Céus, em ondulações de amor ou de ódio, de altruísmo ou de egoísmo, de orgulho ou de humildade cristã. As consequências desta complexa mecânica mento-emocional são, por vezes, trági- cas, ultrapassando nos seus resultados práticos toda a nossa expectativa. Muitas vezes in- fluenciamos aquele ou aqueles que tomamos por alvo do nosso rancor ou vingança que, desprevenidos e, por vezes, em estado de receptibilidade, não podem ou não sabem defen- der-se dum inimigo desleal e traiçoeiro, covarde e ascoroso, que avança nas trevas do mis- tério ao ritmo das vibrações etéreas, conduzindo o veneno insidioso do ódio e da inveja. Desgraças irreparáveis, tragédias sinistras e recônditas ficam sepultadas no incógnito e no mistério mais profundo, ao abrigo dos códigos humanos, mas o criminoso, mais cedo ou mais tarde, cairá irrevogavelmente na alçada da Justiça imanente, expressa na lei de causa- lidade moral ‒ o carma ‒ impondo ao criminoso a dupla penalidade: expiação e reparação. Capítulo XIII Das Radiações Mentais e Emocionais Ao contrário do que a maioria da Humanidade supõe, pensamentos e emo- ções, ideias e sentimentos, desejos e paixões não ficam enclausurados den- tro do corpo do agente produtor, adstritos ao sistema nervoso, porque, ato imediato, concomitante com a sua produção, o agente ou produtor é auto- maticamente transformado num foco emissor por mais fraca que seja a e- nergia mental e emocional despendida. As vibrações consequentes a todas as ideias e emoções voam logo à sua nascença nas asas do sutil e misterioso éter, ou, talvez, no metéter (Prof. F. Myers). FIM Quantos dramas dantescos, de dor e martírio, de agruras e agonias, tem provocado as ondas mentais malfazejas!
  7. 7. Capítulo XIII Das Radiações Mentais e Emocionais O estudo da natureza, estrutura, mecanismo e ação dos pensamentos e das emoções é um dos capítulos de maior utilidade prática e de in- teressantes aplicações no domínio do psiquismo humano, mas a sua compreensão demanda um conhecimento profundo da constituição da alma humana, dos eflúvios e vibrações inerentes a todos os depar- tamentos psíquicos; em particular, a estrutura, natureza e funções dos corpos astral e mental, na sua dupla composição: concreto e abstrato (causal). A vontade é o motor de toda a complexa engrenagem do psiquismo humano. A sua disciplina, desenvolvimento e orientação, no sentido da nossa evolução espiritual, é a base do triunfo do espírito sobre a matéria. Sem vontade não há progresso possível, por mais brilhantes que sejam as capacidades a- nímicas e as possibilidades ilimitadas do espírito — é a personificação da indolência, pato- logicamente expressa na abulia. Os pensamentos, como as emoções e sentimentos, não são apenas concepções abstratas, sem consistência própria material, como muitos supõem. Tal suposição é absurda, pois faltar-lhes-ia o ponto de apoio para revelar as suas propriedades e atingir as suas extraor- dinárias possibilidades, alguns ainda latentes por falta de exercício. CONTINUA
  8. 8. Capítulo XIII Das Radiações Mentais e Emocionais Os pensamentos são formados de substâncias sutilíssimas, de den- sidade variada, que entram na composição dos respectivos corpos mentais; paralelamente, os sentimentos são formados de substan- cia astral de composição variadíssima. A extrema variedade de pen- samentos, sentimentos e emoções correspondem, como não podia deixar de ser, substâncias sutis, imponderáveis aos nossos instru- mentos de laboratório, ultrapassando o estado radiante, manifes- tando-se numa gama de vibrações e de cores, de formas e de ten- dências, só acessíveis na sua maravilhosa complexidade a clarivi- dentes convenientemente educados e treinados. (...) Em geral, são raros os pensamentos que não sejam mesclados das duas substâncias fun- damentais: a mental e a astral. A Humanidade, na sua grande maioria, vive, não no mundo abstrato das matemáticas e filosofias, mas, preferentemente, no domínio do concreto, vi- vendo quase exclusivamente para os seus interesses materiais e vaidades, para as suas baixas paixões instintivas e emoções desordenadas dum imoralismo confrangedor e dum egoísmo feroz. CONTINUA As experiências, correlacionadas com os trabalhos de magnetismo, hipnotismo e sugestão, comprovaram, desde o século passado, duma forma definitiva e positiva, não só a realida- de das formas-pensamentos, mas também a sua transmissibilidade e leitura por parte dos passivos destes experimentadores, (...)
  9. 9. Nós podemos, pois, pecar e praticar os maiores malefícios, provocan- do tremendos prejuízos morais e materiais, a salvo da distância e do incógnito, a todos os membros da nossa Humanidade pelas nossas pérfidas vagas de ondas mentais e emocionais. Muito sensatamente, o que nem sempre sucede, afirma o Catecismo Católico que podemos pecar por pensamentos, palavras e atos. Sem dúvida; mas o que é necessário divulgar, como meio preventivo da mais alta importância para a boa higiene e asseio da nossa alma, é que por maus e malignos pensamentos podemos fazer incomparavelmente mais mal, e provocar mais graves danos morais e materiais do que pelas mais perversas e desabusadas palavras, por mais injuriosas e escaldantes que sejam. Capítulo XIII Das Radiações Mentais e Emocionais Em geral, a palavra é o remate, a vestidura do pensamento — Deus meu, quantas vezes a vestimenta é suja e estropiada! — e, sucedendo-se as palavras umas às outras, como ex- pressões de pensamentos diversos, por vezes desconexos e fúteis, não chega o pensamen- to a atingir grande intensidade e duração nesta lufa-lufa, do dia a dia, da vida trepidante e material terrestre, e, assim, o seu efeito é incomparavelmente mais insignificante do que quando nos concentramos num só pensamento, bem definido, preciso, claro e meditado, acionando-o com uma vontade forte, perseverante, intelectualizada, de alguns minutos. Se previamente, antes da concentração mental, fizemos uma fervorosa oração a Deus solici- tando o Seu Divino Auxílio para a pessoa que desejamos auxiliar com nossa concentração mental, será ouro sobre azul. CONTINUA
  10. 10. Capítulo XIII Das Radiações Mentais e Emocionais É este um dos pequenos segredos, e a melhor técnica de obter alguns milagres a distância do magnetismo, da terapêutica mental, da telepa- tia, da telestesia, e de muitas operações ine- rentes à magia, na sua dupla polarização: magia negra (goécia) — magia branca (teurgia). Mas a Humanidade, no seu louco desvairo, perdeu o sentimento do sagrado, o sentido do Divino, e ainda não quis compreender o altíssimo valor da oração e da prece como mensageiros da Paz e do Amor do próximo. FIM
  11. 11. Capítulo 16 A Vida Mental e a Força da Palavra Quando a palavra revela o tipo de pensamento inferior do indivíduo, pode-se facilmente observar que ação a força mental desencadeia na vida da pessoa. As palavras que expressam violência, irreflexões ou nervosismo intensi- ficam os fluidos ambientes, produzindo peso específico. O fluido que movimentam será de natureza mais grosseira e densa, o que poderá se transformar em alimento inferior para as inteligências infelizes dos vampiros espirituais. A tessitura delicada do psicossoma se ressente intensamente quando a pessoa transforma o pensamento turbulento em palavras carregadas de emoções fortes. Essa turbulência mental se faz sentir na fisiologia do corpo espiritual e no duplo etérico, cau- sando as sensações desagradáveis tão comumente observadas nas pessoas coléricas e nervo- sas. A energia mental adulterada das conversações descontroladas e das palavras irrefletidas con- centra-se nos plexos nervosos através dos chacras, afetando o organismo e produzindo resul- tados indesejáveis para as relações pessoais. O pensamento está intimamente ligado à ação da energia sobre a matéria. CONTINUA
  12. 12. Como condensação das energias, a matéria se manifesta vibratoria- mente de várias formas e em variados campos da vida universal, o que equivale a dizer, em várias dimensões. Capítulo 16 A Vida Mental e a Força da Palavra Desde que a energia mental surja ativada ou acionada pela palavra, ela age com mais intensidade tanto no campo etéreo quanto no campo emocional das criaturas. Quando a palavra se reveste, então, de força emocional, aumentando a sua ação, excita de certa forma o campo mental daquele que ouve, e, por repercussão vibratória, a outra pessoa acaba por sofrer-lhe as con- seqüências. Atuando intensamente no campo emocional e no sistema nervoso das pessoas, o uso profí- cuo da palavra reveste-se de importância vital para o equilíbrio dos seres. Sob essa visão podemos entender a necessidade da educação do pensamento, das palavras e dos sentimentos. Tais elementos, oriundos do mundo oculto da vida mental, representam a força maior de que o ser dispõe. Com ela, cria ou destrói, eleva ou rebaixa-se, formando campos de elevação ou de depressão magnética na atmosfera que o circunda. CONTINUA
  13. 13. Capítulo 16 A Vida Mental e a Força da Palavra A ação transformadora da palavra como manifestação do mundo mental se faz sentir nos campos imponderáveis da alma, podendo densificar as formas-pensamento infelizes ou felizes. Quando a palavra revela uma freqüência de pensamento inferior e ne- gativo, poderá condensar muitos vírus, larvas e vibriões psíquicos, cuja existência é própria do plano astral. Com as vibrações magnéticas grosseiras despertadas pela palavra e pelo pensamento indisciplinado, o campo biológico se ressente. Ingressam nele, pelo magnetismo primário despertado, as coletividades de milhares de formas-pensamento daninhas, amplamente destruido- ras; materializam-se, criando estados enfermiços, conforme o seu peso específico e a sintonia despertada. De origem desconhecida pelos médicos da Terra e de difícil identificação pelos métodos con- vencionais, explicam a gênese de diversos desequilíbrios psicossomáticos. As criações mentais desequilibradas acabam por atrair, enfim, bactérias nocivas, que encon- tram vasto campo de atuação na intimidade do corpo somático. CONTINUA
  14. 14. Capítulo 16 A Vida Mental e a Força da Palavra A palavra, quando mal conduzida ou pronunciada, gerada de forma consciente ou premeditada, atinge as pessoas exatamente na medida da sintonia que estas oferecem, em razão dos desequilíbrios de que são portadoras. O tipo de energia despertada pela força do verbo poderá elevar e impul- sionar o ser humano às culminâncias do processo evolutivo; mas tam- bém, influindo nos agentes mórbidos astralinos, poderá propiciar um contato mais profundo desses elementos com a aura humana, trazendo conseqüências indesejáveis para o ser. Eis, meus irmãos, o porquê de falarmos constantemente da ação pacifi- cadora do Evangelho para as energias da alma. O Evangelho, quando vivido, é fonte sublime de luz, que transforma a vida mental dos seres e manifesta-se tanto na palavra como na ação. A palavra é força criadora, revestindo-se de matéria sutil, quando expressa o pensamento equilibrado. Cresce assim a responsabilidade de todos quanto à utilização do verbo. A palavra sempre conduz algo de particular da pessoa, revelando a sua característica individual. O verbo é o resultado do impulso centrífugo do pensamento, que tenta adquirir a condição mental de plena liberdade. O pensamento é a fonte; a palavra, o meio de que a energia psíquica se utiliza para expressar-se no mundo. FIM
  15. 15. Capítulo 17 Campo Quântico Todos os indivíduos das diversas dimensões da vida emitem constantemente ondas mentais, que compõem a psicosfera do planeta. Essa energia mental, que diariamente é emitida das mentes de encarnados e desencarnados, circula permanentemente no campo magnético planetário e pode, inclusive, ser sinto- nizada pelos habitantes do mundo. De acordo com os valores morais adquiridos pelo espírito durante o seu ciclo evolutivo, as ondas mentais por ele emitidas poderão ser ou não elevadas. As correntes de pensamento superiores poderão ser acessadas por aqueles que buscam as idéias altruístas e se elevam a serviço do bem comum. FIM
  16. 16. “Não se precatam (prevenir, acautelar) nossos irmãos em Humanidade de que o verbo está criando imagens vivas, que se desenvolvem no terreno mental a que são projetadas, produzindo conseqüências boas ou más, segundo a sua origem.” “Essas formas naturalmente vivem e proliferam e, con- siderando-se a inferioridade dos desejos e aspirações das criaturas humanas, semelhantes criações tempo- rárias não se destinam senão a serviços destruidores, através de atritos formidáveis, se bem que invisíveis.” Capítulo 2 Página 31 e 32. FIM
  17. 17. “– Conforme estudamos na noite de hoje, a palavra, qualquer que ela seja, surge invariavelmente dotada de energias elétricas específicas, libertando raios de natureza dinâmica. Capítulo 22. FIM “A mente, como não ignoramos, é o incessante gera- dor de força, através dos fios positivos e negativos do sentimento e do pensamento, produzindo o verbo que é sempre uma descarga eletromagnética, regulada pe- la voz. “Por isso mesmo, em todos os nossos campos de atividade, a voz nos tonaliza a exteriorização, reclamando apuro de vida interior, de vez que a palavra, depois do impulso mental, vive na base da criação; é por ela que os homens se aproximam e se ajustam para o serviço que lhes compete e, pela voz, o trabalho pode ser favorecido ou retardado, no espaço e no tempo.”
  18. 18. Capítulo 37 A Preleção da Ministra O pensamento é a base das relações espirituais dos seres entre si, mas não olvidemos que somos milhões de almas dentro do Universo, algo insubmissas ainda às leis universais. FIM Olvidar = Esquecer
  19. 19. Capítulo 37 A Preleção da Ministra Todos sabemos que o pensamento é força essencial, mas não admitimos nossa milenária viciação no desvio dessa força. FIM
  20. 20. "O pensamento é força viva, em toda parte; é atmosfera criadora que envolve o Pai e os filhos, a Causa e os Efeitos, no Lar Universal. Nele, transformam-se homens em anjos, a caminho do céu ou se fazem gênios diabólicos, a caminho do inferno.” Capítulo 37 A Preleção da Ministra
  21. 21. “O homem vulgar ignora que toda manifestação de ordem, no mundo, procede do plano superior. A natureza agreste transforma-se em jardim, quando orientada pela mente do homem, e o pensamento humano, selvagem na criatura primitiva, transforma-se em potencial criador, quando inspirado pelas mentes que funcionam nas esferas mais altas. Nenhuma organização útil se materializa na crosta terrena, sem que seus raios iniciais partam de cima.” Lísias Capítulo 8 Organização de Serviços FIM
  22. 22. Capítulo 19 Ideoplastia (...) Na mediunidade de efeitos intelectuais, a ideo- plastia assume papel extremamente importante, por- que certa classe de pensamentos constantemente repetidos sobre a mente mediúnica menos experi- mentada, pode constrangê-la a tomar certas imagens, mantidas pela onda mental persistente, como situa- ções e personalidades reais, tal qual uma criança que acreditasse estar contemplando essa paisagem ou aquela pessoa, tão só por ver-lhes o retrato animado num filme. Para maior compreensão de qualquer fenômeno da transmissão mediúnica, não nos será lícito esquecer a ideoplastia, pela qual o pensamento pode mate- rializar-se, criando formas que muitas vezes se re- vestem de longa duração, conforme a persistência da onda em que se expressam. FIM
  23. 23. 14 O Cristo Consolador Ainda não conhecemos, devidamente, na Terra, o poder do pensamento. A mente atua dentro e fora do cérebro pelo qual se manifesta, atraindo ou repelindo forças compatíveis ou antagônicas. Todos sofremos os reflexos uns dos outros, na carne, como também daqueles que estagiam fora do invólucro material, com os nossos recursos possíveis de assimilação ou desassimilação. Nenhum homem consegue estacionar, livre das ondas de intercâmbio dessa ou de outra ordem, que nos envolvem incessantemente. Absorvemos como eliminamos as imagens que nos são peculiares, é caminhando com elas e atando-nos às suas amarras ou delas nos libertando, na direção da felicidade. Isto quer dizer que somos o que produzimos mentalmente, vivendo imanados aos nossos como aos pensamentos que recebemos dos outros... O Universo todo são permutas. A ideia que o homem plasma e cultiva, exterioriza e difunde, traduz o seu estado, a sua altura moral e espiritual. Ora, sintonizados com a ideia da Vida Excelsa, plasmaremos imagens superiores e viveremos emoções vitalizantes que nos esboçarão os pródromos (sinais) da paz interior que, por fim, nos dominará. FIM
  24. 24. 14 O Cristo Consolador Todo compromisso que assumimos espontaneamente merece consideração. No entanto, só um compromisso nos parece verdadeiro, irreversível: o que temos para nós próprio, para com a nossa evolução. Esse é intransferível, inderrogável. As Entidades que se nos vinculam ou com as quais nos imanamos tornam-se comensais das nossas emanações psíquicas, nutrindo- se das nossas forças, como ocorre nas obsessões. Aliás, em todo processo em que há uma vinculação constringente de um desencarnado sobre um encarnado, ou vice-versa, deparamo- nos com uma obsessão em curso ou, quando menos, com uma fascinação a caminho do desastre obsessivo. A expressão “desfazer os vínculos” deve ser substituída por “modificar as vinculações”, porque em verdade você não deseja abandoná-los, mas libertar-se do erro em que eles se demoram, para jornadear na busca da harmonia que lhe faz falta. FIM
  25. 25. Estudos Dirigidos Vamos dar uma pausa por aqui. http://vivenciasespiritualismo.net/index.htm Luiz Antonio Brasil Périclis Roberto pericliscb@outlook.com

×