Estudos Dirigidos
Voltamos com o
nosso assunto...
Os Corpos, Veículos, Camp
Estudos Dirigidos
Vamos voltar com o livro
“Da Alma Humana” de
Antônio J. Freire.
Os Corpos, Veículos, Camp
Capítulo V
Experiências do Coronel
A. Rochas D’Aiglun
A concepção clássica do ternário humano, comprovada pelo Espiri-
tis...
O coronel A. Rochas d’Aiglun, um dos mais notáveis experimentadores
e inovadores nos domínios recônditos do metapsíquismo ...
Nos principais sistemas espiritualistas, filosóficos e religiosos, encon-
tra-se a tendência natural para a decomposição d...
Estudos Dirigidos
Vamos falar aqui apenas uma
observação importante feita
por Antônio J. Freire.
Os Corpos, Veículos, Camp
Estudos Dirigidos
Pela Doutrina dos Espíritos
o corpo espiritual é
denominado “Perispírito”,
não havendo divisões.
Os Corp...
Estudos Dirigidos
Veremos mais adiante que existem muitos autores que
usam o termo Perispírito para designar todos os corp...
Estudos Dirigidos
Os Corpos, Veículos, Camp
Então só para termos uma ideia simples do
perispírito, teríamos o corpo físico...
Estudos Dirigidos
Os Corpos, Veículos, Camp
Aqui temos uma outra divisão, e conceito,
de alguns autores, que consideram o ...
Estudos Dirigidos
Os Corpos, Veículos, Camp
E aqui temos mais uma outra
divisão, e conceito, de alguns
autores, que consid...
Estudos Dirigidos
Mas isso será visto e
estudado novamente depois.
Vamos voltar para o livro...
Os Corpos, Veículos, Camp
Capítulo V
Experiências do Coronel
A. Rochas D’Aiglun
A ordem e o método providenciais que presidem a toda a anatomia e
fi...
3 – Figuremos, primeiramente, o Espírito em união com o
corpo. Ele é o ser principal, pois que é o ser que pensa e
sobrevi...
Princípios de base da estrutura energética do ser humano
(...) A diferença entre a matéria física e a matéria etérea é ent...
Estudos Dirigidos
Para estes nossos estudos usaremos também os
livros “psicografados”. Ou seja, são os livros,
segundo o v...
Estudos Dirigidos
Estudaremos estes assuntos mais adiante, e por
isso usaremos apenas essa simples definição.
Então vamos ...
Capítulo 05
Consciência
(...) para se relacionar com a vida e o universo em suas
várias dimensões, o Ser precisa se revest...
Capítulo 11
Cordão de Prata
Cada envoltório espiritual ou energético está submetido à
ação daquele que vibra em dimensão i...
Capítulo 6.
Observações e Novidades.
“(...) O homem encarnado vive simultaneamente em
três planos diversos.
“Assim como oc...
Estudos Dirigidos
Os Corpos, Veículos, Camp
Obs.: O Duplo Etérico não está bem visível nesta figura.
Corpo Físico
Corpo As...
Estudos Dirigidos
Os Corpos, Veículos, CampEstão representados, ao lado, apenas alguns
dos corpos de manifestação do Espír...
Estudos Dirigidos
Os Corpos, Veículos, Camp
Obs.: O Duplo Etérico não está bem visível nesta figura.
Corpo Físico
Corpo As...
Outras imagens...
Corpo Físico
Corpo Etérico
Corpo Astral
Corpo Físico
Corpo Etérico
Corpo Astral
Corpo Físico
Corpo Etéri...
Diante do que já vimos até
agora, surge uma questão.
Como foi possível serem
descobertos, e comprovados, a
existência dess...
Estudos Dirigidos
Os Corpos, Veículos, CampE foi através do livro “Da Alma Humana” do Dr.
António J. Freire que tivemos o ...
Este livro pode ser baixado pela internet!
Basta apenas acessar o link
http://www.holuseditora.com.br/downloads.html
Estud...
Estudos Dirigidos
Os Corpos, Veículos, CampE só para falar um pouco do “currículo” do Coronel de
Rochas, podemos citar, de...
Estudos Dirigidos
Os Corpos, Veículos, Camp
Ou seja, além da memorável descoberta da dissociação,
desdobramento e exterior...
Estudos Dirigidos
Os Corpos, Veículos, CampPortanto, indicamos a leitura do livro para
maiores detalhes sobre as experiênc...
Vidente = são os que veem os espíritos.
Clarividente = são os que veem, além dos
Espíritos, o mundo espiritual.
Conceitos ...
Estudos Dirigidos
Os Corpos, Veículos, CampNo começo desses estudos, o primeiro corpo
identificado foi chamado de aerossom...
Estudos Dirigidos
Só para termos uma ideia como essa
dissociação e desdobramento era realizado,
imagine que uma pessoa era...
Estudos Dirigidos
Então através de passes magnéticos longitudinais,
o procedimento todo está relatado no livro, os
demais ...
Estudos Dirigidos
Apenas para conhecimento, essas dissociações
e desdobramentos são realizados hoje em dia
em alguns tipos...
Estudos Dirigidos
Essas dissociações e desdobramentos não são mais
realizados atualmente apenas pelos passes magnéticos
lo...
Estudos Dirigidos
Queremos deixar aqui este aviso de alerta
sobre estes tratamentos, em virtude das
sérias consequências q...
Mas voltando ao processo da
dissociação e desdobramento...
Estudos Dirigidos
Os Corpos, Veículos, Camp
Estudos Dirigidos
Os Corpos, Veículos, CampVamos “simular”, e imaginar, essa
dissociação e desdobramento
acontecendo com n...
O primeiro corpo
surgiu!!!
Estudos DirigidosNão estaremos aqui mostrando os cordões que ligam esses corpos,
mas falaremos ...
Seguiremos o nosso estudo, destes corpos, na
sequencia em que eles foram sendo
identificados, dissociados e desdobrados, p...
Estudos Dirigidos
Os Corpos, Veículos, Camp
Iremos falar deles, mas para simplificar
vamos descartar o Corpo Átmico e o
Co...
Este será então nosso corpo para
estudo. Com os Corpos: Físico,
Etérico, Astral, Mental e Causal.
Estudos Dirigidos
Os Cor...
Estudos Dirigidos
Os Corpos, Veículos, Camp
E quando falarmos sobre o Corpo Mental estaremos
falando do Superior e do Infe...
Outra informação, que veremos em nosso
estudo, é que, em cada uma de nossa nova
experiência encarnatória recebemos: o corp...
NOMENCLATURA NO VÊDÁNTA
No Vêdánta, o corpo físico denso é conhecido como anna máyá kôsha.
Anna quer dizer alimento. Máyá ...
NOMENCLATURA NO VÊDÁNTA
E a Mônada é o único que não tem as designações “corpo”, nem
“ilusório”, já que ela é o próprio Pú...
A DIFERENÇA ENTRE PERSONALIDADE E INDIVIDUALIDADE
Segundo essa perspectiva, os corpos dividem-se em duas categorias: os
qu...
Estudos Dirigidos
Vamos dar uma
pausa por aqui.
http://vivenciasespiritualismo.net/index.htm
Luiz Antonio Brasil
Périclis ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

01.02 Os Corpos, Veículos, Campos 20 jan 2015

389 visualizações

Publicada em

01.02 Os Corpos, Veículos, Campos 20 jan 2015

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
389
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
19
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

01.02 Os Corpos, Veículos, Campos 20 jan 2015

  1. 1. Estudos Dirigidos Voltamos com o nosso assunto... Os Corpos, Veículos, Camp
  2. 2. Estudos Dirigidos Vamos voltar com o livro “Da Alma Humana” de Antônio J. Freire. Os Corpos, Veículos, Camp
  3. 3. Capítulo V Experiências do Coronel A. Rochas D’Aiglun A concepção clássica do ternário humano, comprovada pelo Espiri- tismo — corpo físico ou sarcossoma, perispírito e espírito — não implica necessariamente a homogeneidade do perispírito. A sua he- terogeneidade impõe-se com toda a evidência, porque, se assim não fosse, era inconcebível a ligação com o corpo físico por seu intermé- dio. Sendo de natureza homogeneamente similar a parte do perispí- rito em contato com o espírito e com o sarcossoma (corpo físico), sem camadas de transição sucessiva e ascensionalmente mais quin-tessenciadas, seríamos levados à conclusão que o espírito era susce-tível de se ligar diretamente com o corpo físico, e uma só ordem de vibrações regeria o complexo dinamismo psíquico e metapsíquico, onde se desenrolam todas as inúmeras modalidades da consciência humana. Sarco = Carne, Músculo. // Soma = Corpo. A lei da analogia, baseada na diferenciação do corpo físico em órgãos, aparelhos e siste- mas, leva-nos à conclusão que existem necessariamente sistematizações delicadas e com- plexas na natureza e estrutura do perispírito, correspondentes aos diversos departamentos do domínio psíquico, diferentemente eterizados, tendo por complemento uma série de estados vibratórios variáveis com as suas naturezas supereterizadas, correspondentes a todas as suas manifestações emocionais, mentais, imaginativas, volitivas, estéticas, éticas, até o sentido do Divino, etc. CONTINUA
  4. 4. O coronel A. Rochas d’Aiglun, um dos mais notáveis experimentadores e inovadores nos domínios recônditos do metapsíquismo contempo- râneo, obteve uma comunicação medianímica dum Espírito desencar- nado que se subscrevia com o nome de Vincent, dizendo ser habitante de outro planeta. Este Espírito afirmava que o perispírito é constituído por uma série de invólucros mais ou menos eterizados de que os habitantes do Mundo astral se vão desfazendo sucessivamente à medida que se elevam na escala da evolução, não sendo embutidos uns sobre os outros como os tubos dum telescópio, mas interpenetrando-se em todas as suas partes. Esta concepção só é compreensível admitindo que as camadas mais quintessenciadas in- terpenetrem, sucessiva e gradualmente, as mais substanciais, sem que estas pela sua natu- reza mais densa possam invadir as mais fluídicas, pois só assim se pode compreender a lógica continuidade na linha de transição do corpo físico para o espírito, ficando a camada mais tênue como primeiro invólucro do espírito e interpenetrando todas as outras até a mais densa que estará em contato direto com o corpo físico. E, assim, fica satisfatoriamen- te explicado todo o mecanismo de ligação por ação vibratória, sem confusão, e com a au- tonomia das diferentes camadas que constituem o perispírito — camadas representativas dos diversos veículos da atividade espiritual —, sobrepondo-se as mais grosseiras do corpo físico para o corpo vital; reciprocamente, descendo as mais supereterizadas do espírito para as camadas fluídicas do perispírito. CONTINUA Capítulo V Experiências do Coronel A. Rochas D’Aiglun
  5. 5. Nos principais sistemas espiritualistas, filosóficos e religiosos, encon- tra-se a tendência natural para a decomposição do perispírito nos seus elementos constituintes, mais ou menos abstratamente, como necessi- dade de estudo e hipóteses de trabalho. FIM A necessidade e utilidade desta dissociação impõe-se para melhor estudar a anatomia e fisiologia dos seus invólucros, e, assim, melhor penetrarmos no estudo analítico do dinamismo psíquico das almas secundárias, veículos de toda a atividade cinética das potencialidades que germinam no espírito humano. Capítulo V Experiências do Coronel A. Rochas D’Aiglun
  6. 6. Estudos Dirigidos Vamos falar aqui apenas uma observação importante feita por Antônio J. Freire. Os Corpos, Veículos, Camp
  7. 7. Estudos Dirigidos Pela Doutrina dos Espíritos o corpo espiritual é denominado “Perispírito”, não havendo divisões. Os Corpos, Veículos, Camp
  8. 8. Estudos Dirigidos Veremos mais adiante que existem muitos autores que usam o termo Perispírito para designar todos os corpos espirituais, enquanto outros autores utilizam para designar apenas um dos corpos, o corpo astral. Os Corpos, Veículos, Camp
  9. 9. Estudos Dirigidos Os Corpos, Veículos, Camp Então só para termos uma ideia simples do perispírito, teríamos o corpo físico, o perispírito representado pelos demais corpos e o espírito. Corpo Físico Perispírito Espírito
  10. 10. Estudos Dirigidos Os Corpos, Veículos, Camp Aqui temos uma outra divisão, e conceito, de alguns autores, que consideram o que Kardec denominava o Perispírito! Corpo Físico Perispírito Espírito
  11. 11. Estudos Dirigidos Os Corpos, Veículos, Camp E aqui temos mais uma outra divisão, e conceito, de alguns autores, que consideram o que Kardec denominava o Perispírito! Corpo Físico Perispírito Espírito
  12. 12. Estudos Dirigidos Mas isso será visto e estudado novamente depois. Vamos voltar para o livro... Os Corpos, Veículos, Camp
  13. 13. Capítulo V Experiências do Coronel A. Rochas D’Aiglun A ordem e o método providenciais que presidem a toda a anatomia e fisiologia orgânica na escala animal, leva-nos, por analogia, a admitir que as complexas e variadas funções psíquicas inatas à alma humana não se podem acotovelar num mesmo departamento, numa confu- são indescritível, mas que estejam metódica e regularmente distri- buídas e selecionadas em compartimentos anímicos especializados à sua função especial, sutilizados na sua hierarquia ascensional, desde a gênese do pensamento e da consciência moral até a ideia abstrata e intuitiva. Só esta concepção de ordem categorizada é compatível com as funções delicadas, comple- xas e transcendentes das variadas modalidades da mecânica psíquica, só podendo ser e- xercida por órgãos anímicos especializados à semelhança com o que sucede no corpo físico em que a estrutura celular varia de órgão para órgão, de sistema para sistema, de aparelho para aparelho, numa correlação admirável e maravilhosa, ainda que efêmera e transitória, representativa da evolução da forma, mais ou menos paralela à evolução anímica, que é, em última análise, a verdadeira e definitiva evolução através do Infinito e da Eternidade, como expressão do mais alto significado do sentido profundo da Vida e do Espírito. Como vamos ver, a psicologia experimental veio, no últimos anos, comprovar o acerto de grande número destas suposições, como afirmava a mensagem do Espírito de Vincent. FIM
  14. 14. 3 – Figuremos, primeiramente, o Espírito em união com o corpo. Ele é o ser principal, pois que é o ser que pensa e sobrevive. O corpo não passa de um acessório seu, de um invólucro, uma veste, que ele deixa, quando usada. Além desse invólucro material, tem o Espírito um segundo, semimaterial, que o liga ao primeiro. Por ocasião da morte, despoja-se deste, porém não do outro, a que damos o nome de perispírito. Esse invólucro semimaterial, que tem a forma humana, constitui para o Espírito um corpo fluídico, vaporoso, mas que, pelo fato de nos ser invisível no seu estado normal, não deixa de ter algumas das propriedades da matéria. O Espírito não é, pois, um ponto, uma abstração; é um ser limitado e circunscrito, ao qual só falta ser visível e palpável, para se assemelhar aos seres humanos. Primeira Parte Capítulo I Há Espíritos? FIM
  15. 15. Princípios de base da estrutura energética do ser humano (...) A diferença entre a matéria física e a matéria etérea é então essencialmente uma diferença de frequência. Ora, um princípio reconhecido em física admite que frequências diferentes podem coexistir num mesmo espaço sem se destruírem mutuamente. Esse princípio tem implicações que ilustram bem nosso propósito: assim como as ondas de rádio e as ondas de televisão podem cruzar-se num mesmo espaço sem interferir umas com as outras, a matéria física e a matéria etérea podem coexistir. O corpo etéreo, que pode ser considerado como um campo de energia holográfica, é su- perposto ao campo físico. O princípio de coexistência das matérias de diferentes frequên- cias é aplicável aos mais altos níveis dos campos vibratórios. É pelo menos um exemplo da maneira como essas visões científicas vanguardistas reconciliam ciência e tradição. Os místicos do Kriya yoga ensinam que não há um corpo, mas que somos um agregado de sete corpos. Esses corpos estão imbricados(*), e têm diferentes nomes. Para os cabalis- tas, aliás, esses nomes diferem, mas designam os mesmos campos de energia. Capítulo II FIM (*) Imbricado: disposto de modo que as extremidades fiquem sobrepostas.
  16. 16. Estudos Dirigidos Para estes nossos estudos usaremos também os livros “psicografados”. Ou seja, são os livros, segundo o vocabulário espírita, atribuídos a certas pessoas com a capacidade de escreverem mensagens ditadas por Espíritos. Os Corpos, Veículos, Camp
  17. 17. Estudos Dirigidos Estudaremos estes assuntos mais adiante, e por isso usaremos apenas essa simples definição. Então vamos voltar para o livro “Além da Matéria”. E se você lembra, foi o primeiro livro usado logo no começo de nossos estudos. Os Corpos, Veículos, Camp
  18. 18. Capítulo 05 Consciência (...) para se relacionar com a vida e o universo em suas várias dimensões, o Ser precisa se revestir de corpos compatíveis com essas dimensões ou planos existenciais, mesmo porque ele precisa vivenciar fases de aprendiza- do e trabalho nessas mesmas dimensões em que a vida se manifesta. Dessa forma, o ser humano, em sua constituição corpo físi- co, duplo etérico, psicossoma e corpo mental, além dos outros corpos superiores, não é a consciência em si, que está além da forma e da energia e além de suas próprias faculdades intelectivas, emocionais e sentimentais. A forma pela qual a consciência foi elaborada nos é desconhecida, uma vez que os seres criados já se distanciaram evolutivamente do estado primitivo em que foram formados, não guardando a memória exata de sua criação. Sabemos, entretanto, que a consciência ou espírito puro está além de todos os seus corpos transitórios de manifestação. No estágio evolutivo em que o ser humano se encontra atualmente, não é possível conceber o ser cons- ciente puro, a não ser envolvido em seu corpo mental, o que de certa forma torna possível visualizá-Io e concebê-Ia dentro dos limites em que a ciência atual se encontra. FIM MENTAL ASTRAL ETÉRICO FÍSICO CAUSAL
  19. 19. Capítulo 11 Cordão de Prata Cada envoltório espiritual ou energético está submetido à ação daquele que vibra em dimensão imediatamente supe- rior, ou seja, o corpo físico está submisso e é organizado pe- la vibração do perispírito (corpo astral) enquanto este é submisso e reflete as vibrações do corpo mental. Todos, vibrando em dimensões diferentes, coexistem e trabalham em harmonia com os atributos do ser imortal, em uma espécie de hierarquia. FIM Os demais corpos, chamados superiores, poderão até ser concebidos, porém dificilmente entendidos de for- ma tão completa e intensa quanto o corpo mental. Essa, a razão pela qual falaremos mais propriamente dos corpos mentais inferior e superior, através do qual o ser ou ego se manifesta, além dos já conhecidos psicossoma e duplo etérico. MENTAL ASTRAL ETÉRICO FÍSICO CAUSAL
  20. 20. Capítulo 6. Observações e Novidades. “(...) O homem encarnado vive simultaneamente em três planos diversos. “Assim como ocorre à árvore que se radica no solo, guarda ele raízes transitórias na vida física (1); estende os galhos dos sentimentos e desejos (2) nos círculos de matéria mais leve, quanto o vegetal se alonga no ar; e é sustentado pelos princípios sutis da mente (3), tanto quanto a árvore é garantida pela própria seiva. “Na árvore temos raiz, copa e seiva por três processos diferentes de manu- tenção para a mesma vida, e no homem vemos corpo denso de carne (1), organização perispirítica (2) em tipo de matéria mais rarefeita e mente (3), representando três expressões distintas de base vital, com vistas aos mês- mos fins. “Segundo observamos, o homem exige para sustentar-se, no quadro evolucio- nário, segurança relativa no campo biológico (1), alimento das emoções (2) que lhe são próprias nas esferas de vida psíquica que se afinam com ele e base mental (3) no mundo íntimo. “A vida é patrimônio de todos, mas a direção pertence a cada um.” FIM MENTAL ASTRAL FÍSICO E ETÈRICO
  21. 21. Estudos Dirigidos Os Corpos, Veículos, Camp Obs.: O Duplo Etérico não está bem visível nesta figura. Corpo Físico Corpo Astral Corpo Mental Inferior Corpo Mental Superior Chacras Imagem Fonte: www.ibbis.org.br Nesta projeção, ao lado, temos, de dentro para fora, a representação do: Corpo Físico, o Duplo Etérico, o Corpo Astral, o Corpo Mental e o Corpo Causal. E também vemos os Centros de Força (Chacras).
  22. 22. Estudos Dirigidos Os Corpos, Veículos, CampEstão representados, ao lado, apenas alguns dos corpos de manifestação do Espírito. Como falamos anteriormente, usaremos esta classificação de sete corpos, mas queremos deixar registrado que algumas escolas esotéricas/filosóficas classificam em oito, nove, dez e até mais corpos! Obs.: O Duplo Etérico não está bem visível nesta figura. Corpo Físico Corpo Astral Corpo Mental Inferior Corpo Mental Superior Chacras Imagem Fonte: www.ibbis.org.br
  23. 23. Estudos Dirigidos Os Corpos, Veículos, Camp Obs.: O Duplo Etérico não está bem visível nesta figura. Corpo Físico Corpo Astral Corpo Mental Inferior Corpo Mental Superior Chacras Imagem Fonte: www.ibbis.org.br No site do IBBIS há uma informação: “as repetições de algumas camadas foi a tentativa de mostrar a expansão e contração do nosso complexo, sob a regência das irradiações do Espírito imortal.”
  24. 24. Outras imagens... Corpo Físico Corpo Etérico Corpo Astral Corpo Físico Corpo Etérico Corpo Astral Corpo Físico Corpo Etérico Corpo Astral Corpo Mental Corpo Físico Corpo Etérico Corpo Astral Corpo Mental
  25. 25. Diante do que já vimos até agora, surge uma questão. Como foi possível serem descobertos, e comprovados, a existência desses corpos? Estudos Dirigidos Os Corpos, Veículos, Camp
  26. 26. Estudos Dirigidos Os Corpos, Veículos, CampE foi através do livro “Da Alma Humana” do Dr. António J. Freire que tivemos o conhecimento das diversas experiências realizadas, principalmente, pelo Coronel Albert de Rochas d'Aiglun sobre a separação dos corpos, ou, como alguns preferem dizer, a dissociação dos corpos. Eugène Auguste Albert de Rochas d'Aiglun
  27. 27. Este livro pode ser baixado pela internet! Basta apenas acessar o link http://www.holuseditora.com.br/downloads.html Estudos Dirigidos Os Corpos, Veículos, Camp Eugène Auguste Albert de Rochas d'Aiglun
  28. 28. Estudos Dirigidos Os Corpos, Veículos, CampE só para falar um pouco do “currículo” do Coronel de Rochas, podemos citar, dentre suas experiências, a sua contribuição no magnetismo, no espiritismo, no sonambulismo, na exteriorização da sensibilidade, mostrou também o mecanismo da dissociação e do desdobramento físico, da regressão de memória. Tudo isso através da aplicação dos “passes magnéticos”. Eugène Auguste Albert de Rochas d'Aiglun
  29. 29. Estudos Dirigidos Os Corpos, Veículos, Camp Ou seja, além da memorável descoberta da dissociação, desdobramento e exteriorização do duplo humano devida ao Coronel A. de Rochas, outra descoberta não menos importante desde célebre investigador se seguiu nos domínios do metapsíquismo humano — a regressão da memória, de capital importância para comprovar a realidade objetiva e o mecanismo das vidas sucessivas, da pluralidade das existências, do Reencarnacionismo, da Palingenesia. Eugène Auguste Albert de Rochas d'Aiglun
  30. 30. Estudos Dirigidos Os Corpos, Veículos, CampPortanto, indicamos a leitura do livro para maiores detalhes sobre as experiências do Coronel de Rochas e, também, de outros pesquisadores, realizados nesta área. Pois o estudo destes corpos já eram feitos também por outros pesquisadores, anteriores ao coronel. Eugène Auguste Albert de Rochas d'Aiglun
  31. 31. Vidente = são os que veem os espíritos. Clarividente = são os que veem, além dos Espíritos, o mundo espiritual. Conceitos básicos Estudos Dirigidos Os Corpos, Veículos, CampImportante mencionar que junto a esses ilustres pesquisadores e estudiosos faziam parte da equipe pessoas com visões acima do normal, ou seja, viam além deste plano físico, chamadas de videntes, no qual descreviam relatando tudo que era possível ser observado nestes desdobramentos.
  32. 32. Estudos Dirigidos Os Corpos, Veículos, CampNo começo desses estudos, o primeiro corpo identificado foi chamado de aerossoma. Aero igual a ar e soma igual a corpo. E para cada novo corpo era colocado a numeração I, II, III, e assim sucessivamente. Posteriormente foram associados aos nomes atuais que conhecemos: etérico, astral, mental, causal, etc.
  33. 33. Estudos Dirigidos Só para termos uma ideia como essa dissociação e desdobramento era realizado, imagine que uma pessoa era colocada em uma poltrona e, ao lado desta, outras. Os Corpos, Veículos, Camp
  34. 34. Estudos Dirigidos Então através de passes magnéticos longitudinais, o procedimento todo está relatado no livro, os demais corpos eram dissociados e desdobrados para as outras poltronas. Os Corpos, Veículos, Camp
  35. 35. Estudos Dirigidos Apenas para conhecimento, essas dissociações e desdobramentos são realizados hoje em dia em alguns tipos de tratamentos, como por exemplo, através da Apometria. Os Corpos, Veículos, Camp
  36. 36. Estudos Dirigidos Essas dissociações e desdobramentos não são mais realizados atualmente apenas pelos passes magnéticos longitudinais, mas por outros meios. Porém, por pessoas totalmente capacitadas, treinadas, conhecedoras do assunto. Os Corpos, Veículos, Camp
  37. 37. Estudos Dirigidos Queremos deixar aqui este aviso de alerta sobre estes tratamentos, em virtude das sérias consequências que podem gerar na pessoa dissociada e desdobrada!!! Os Corpos, Veículos, Camp !ALERTA
  38. 38. Mas voltando ao processo da dissociação e desdobramento... Estudos Dirigidos Os Corpos, Veículos, Camp
  39. 39. Estudos Dirigidos Os Corpos, Veículos, CampVamos “simular”, e imaginar, essa dissociação e desdobramento acontecendo com nosso amigo Lego aqui. Vamos tirar a mesa e a cadeira, e colocarmos as poltronas...
  40. 40. O primeiro corpo surgiu!!! Estudos DirigidosNão estaremos aqui mostrando os cordões que ligam esses corpos, mas falaremos sobre eles mais adiante em nossos estudos. E assim, os demais corpos... Os Corpos, Veículos, CampÉ dado o passe, o comando, a sugestão... Estamos apenas mostrando até o Corpo Mental. Aerossoma I Duplo Etérico Aerossoma II Corpo Astral Aerossoma III Corpo Mental
  41. 41. Seguiremos o nosso estudo, destes corpos, na sequencia em que eles foram sendo identificados, dissociados e desdobrados, por estes pesquisadores e estudiosos. Estudos Dirigidos Os Corpos, Veículos, Camp
  42. 42. Estudos Dirigidos Os Corpos, Veículos, Camp Iremos falar deles, mas para simplificar vamos descartar o Corpo Átmico e o Corpo Búdico. Pois não serão estudados.
  43. 43. Este será então nosso corpo para estudo. Com os Corpos: Físico, Etérico, Astral, Mental e Causal. Estudos Dirigidos Os Corpos, Veículos, Camp Modelo Simplificado
  44. 44. Estudos Dirigidos Os Corpos, Veículos, Camp E quando falarmos sobre o Corpo Mental estaremos falando do Superior e do Inferior juntos, para simplificar nossos estudos.
  45. 45. Outra informação, que veremos em nosso estudo, é que, em cada uma de nossa nova experiência encarnatória recebemos: o corpo físico (com o duplo etérico), o corpo astral e o corpo mental. Estudos Dirigidos Os Corpos, Veículos, Camp
  46. 46. NOMENCLATURA NO VÊDÁNTA No Vêdánta, o corpo físico denso é conhecido como anna máyá kôsha. Anna quer dizer alimento. Máyá significa ilusão. Kôsha é uma das muitas palavras utilizadas para designar corpo. Assim, traduz-se como corpo ilusório formado por alimentos. O nosso corpo físico denso é isso mesmo. Mais uma razão para estarmos muito atentos ao que comemos. Todos os corpos têm o apodo (nome) de ilusório (Máya), porque um dia hão de se dissolver e deixar de existir. Se vão deixar de existir, são ilusórios, impermanentes. Prána máyá kôsha significa corpo ilusório feito de energia. (Corpo Etérico) Káma máyá kôsha é o corpo ilusório feito de desejos. (Corpo Astral) Manô máyá (contração idiomática de manas+máyá) kôsha é o corpo ilusório formado de mente. (Corpo Mental Inferior) Vijñána máyá kôsha é o corpo ilusório formado por profundo conhecimento. (Corpo Men- tal Superior) Ánanda máyá kôsha é o corpo ilusório feito de bem-aventurança, felicidade inefável. Esse é o nome sânscrito do veículo intuicional, onde se processa o estado de superconsciência ou intuição linear, também conhecido como meditação. Logo, não se compreende uma pessoa que esteja fazendo exercício de meditação com o cenho contraído, com cara de triste ou de zangado. (Corpo Intuicional) CONTINUA
  47. 47. NOMENCLATURA NO VÊDÁNTA E a Mônada é o único que não tem as designações “corpo”, nem “ilusório”, já que ela é o próprio Púrusha, a Partícula do Absoluto que habita em todos os seres. FIM
  48. 48. A DIFERENÇA ENTRE PERSONALIDADE E INDIVIDUALIDADE Segundo essa perspectiva, os corpos dividem-se em duas categorias: os quatro primeiros (Corpos Mental Inferior, Astral, Etérico e Físico) são chamados quaternário inferior e constituem a personalidade; os três últimos (Corpos Mental Superior, Búdico e Átmico) são chamados tríade superior e constituem a individualidade. As escolas reencarna- cionistas declaram que o que reencarna é a individualidade. A personalidade é o que nasce, morre e se dissolve em cada vida. Por isso denomina-se personalidade, que se originou do latim persona, máscara. Quem é você? “Sou o Doutor Fulano de Tal.” Essa é a persona que você usa. Você não é o seu nome, nem é o seu corpo. É algo que está muito além dos títulos e dos paramentos. Quando a Tríade Superior volta a encarnar, constrói um corpo mental concreto, um corpo emocional, um corpo energético e um corpo denso. Quando essa construção fica minimamente completa para começar a se manifestar, a criança nasce. Ganha, então, um nome. Esse nome designa a personalidade (corpo e psiquismo), mas não a individualidade. Na morte, ocorre o procedimento oposto. Primeiro morre o corpo físico denso. Alguns dias depois o corpo físico energético se desfaz por não ser mais necessário às funções a que se destinava, a saber, permitir o funcionamento do corpo físico denso. A partir de então a pessoa passa a viver no plano emocional, também denominado astral. FIM
  49. 49. Estudos Dirigidos Vamos dar uma pausa por aqui. http://vivenciasespiritualismo.net/index.htm Luiz Antonio Brasil Périclis Roberto pericliscb@outlook.com Os Corpos, Veículos, Camp

×