Sinais semsom

256 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
256
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sinais semsom

  1. 1. História Canção Aplicação
  2. 2. Ponto final Apareço no fim das frases declarativas e indico que estão completas.Ex.: A cerejeira cobriu-se de folhasfresquinhas e verdejantes .
  3. 3. Dois pontos A seguir a nós, vem tudo bem explicadinho.Ex.: Disse Deus, na Primavera :- Ponham a mesa às lagartas!
  4. 4. Vírgula Indico uma pequena pausa e separo as palavras numa enumeração.Ex. : As folhinhas da cerejeira sãoverdejantes, fresquinhas, tenras,apetitosas.
  5. 5. Ponto e vírgula Obrigamos a uma pausa como o ponto final, mas não terminamos a frase.Ex. : O urso prosseguiu o seucaminho ; um pouco mais adianteencontrou dois elefantes quebrincavam na floresta.
  6. 6. Ponto de Interrogação Sou muito curioso. Por isso, faço perguntas.Ex. : Que horas são ?
  7. 7. Ponto de Exclamação Apareço para indicar sentimentos: admiração, alegria, tristeza, medo,...Ex. : Que livro bonito!
  8. 8. Reticências Indicamos que não se disse tudo...Ex. : Estavas distraído e agora ...Quem semeia ventos...
  9. 9. Travessão Apareço nos diálogos para indicar a fala das personagens.Ex. : O professor perguntou :_ Que livro é esse?
  10. 10. Aspas Indicamos que a frase foi escrita por outros.Ex. : « A minha Pátria é a línguaportuguesa » , escreveu FernandoPessoa.
  11. 11. Parêntesis No meio da frase servimos para dar uma informação ou explicação.Ex. : A Mariana brincava no jardim ( era onde gostava depassar as tardes livres) , quando viu chegar o tio Jorge.
  12. 12. Histór ia Todos os sinais estavamocupados. Só o ponto finalandava perdido. Encontrou o seulugar mesmo, mesmo no fim!...
  13. 13. Tivemos pena do ponto final.E para darmos ao tal ponto a sua grandeoportunidade, colocamos-o aqui. No fim.Ponto final
  14. 14. Canção
  15. 15. Sempre que um homem falaOu que pensa em escreverVírgula, que é uma pausaNão, não se deve esquecer RefrãoSomos os sinais de pontuaçãoVamos ensinar a nossa cançãoÉ figura pequenina,Mas não a levem a mal,Quando aparece, termina,É o fim...ponto final. Refrão
  16. 16. Se o Tagarela pergunta,Bem no meio da lição:_ Que vamos fazer agora?É ponto de interrogação. RefrãoQuando a gente se admiraE quer mostrar emoção,Deve pôr no fim da frase,Um ponto de exclamação! RefrãoE quando se quer dizer,Uma pessoa a falar,Devemos logo escrever,Dois pontinhos bem no ar. Refrão
  17. 17. Antes da continuação,Um tracinho, o travessão,Bem juntinhos, olaré,Os dois pontos, travessão RefrãoSe queremos salientar,Uma palavra ou expressão,As «aspas» devemos pôr,Não é tua opinião? RefrãoMas se escreves e não dizes,Tudo aquilo que tu pensas,Nunca deves esquecer,Três pontinhos, reticências... Refrão
  18. 18. Uma família pequena,Esta da pontuação:Vírgula, ponto final,Ou ponto de exclamação! RefrãoTrês pontinhos... ReticênciasOu ponto de interrogação?Uma família pequena,Mas de grande coração. RefrãoSomos os sinais de pontuaçãoE acabamos a nossa canção.
  19. 19. O professor entrou naaula correndo sobre acabeça; trazia um chapéucastanho nos pés, umasmeias amarelas nas mãos,umas luvas penduradas nonariz, umas grossas lentesque quase lhe caíam .
  20. 20. Pontua O professor entrou nacorrectamente aula correndo sobre a o texto na folha cabeça trazia umque te chapéu castanho nos pésentregaram. umas meias amarelas nas mãos umas luvas penduradas no nariz umas grossas lentes que quase lhe caíam Soluções
  21. 21. O professor entrou naaula correndo; sobre acabeça trazia um chapéucastanho, nos pés umasmeias amarelas, nas mãosumas luvas , penduradasno nariz umas grossas lentesque quase lhe caíam .
  22. 22. Instituto Politécnico de Bragança Escola Superior de EducaçãoTrabalho realizado por : Ermelinda Silva nº. 7698 Liliana Costa nº. 8092 Susete Silva nº. 8115Português/Francês – 3º ano Bragança, 3 de Junho de 2002

×