CONTEÚDO DA OFICINA
Dramaturgia
Roteiro
Editais
DRAMATURGIA
PERSONAGEM
Todo texto dramático (roteiro, peça de teatro) tem um personagem
principal, o protagonista.
O perso...
DRAMATURGIA
CONFLITO
O conflito é a confrontação entre forças e personagens, por meio do
qual a ação se organiza e vai se ...
DRAMATURGIA
CURVA DRAMÁTICA
É a trajetória do personagem ao longo da história.
A curva dramática revela a estrutura da his...
Evento Detonador é algo que acontece antes do início do roteiro e é
responsável pelo conflito do personagem
Ponto de Ataqu...
DRAMATURGIA
DICAS DA CAROL PARA COMEÇAR UM ROTEIRO
Responda as perguntas:
Quem é o meu personagem?
O que o meu personagem ...
ETAPAS PARA ESCREVER UM ROTEIRO
IDÉIA
STORYLINE / SINOPSE
PERFIL DE PERSONAGENS
ARGUMENTO
ESCALETA
ROTEIRO
IDÉIA
Ter uma idéia é o principio de qualquer roteiro. A criatividade do autor conta muito neste ponto, mas
um roteirista ...
STORYLINE / SINOPSE
Um storyline é um resumo da história. Possui em torno de cinco linhas e contém apenas o conflito
princ...
Sinopse
A GRANDE VIAGEM
Com Alzheimer, Mário não consegue mais distinguir com clareza
passado e presente. Revive em sua me...
PERFIL DE PERSONAGENS
O perfil é um conjunto de informações físicas e psicológicas da personagem, podendo
estar incluída a...
ARGUMENTO
O argumento consiste na história contada em sua íntegra, na forma de um texto, quase como
um conto, porém focand...
ESCALETA
A escaleta é a divisão do argumento em cenas. Neste momento o autor pensa somente na
ação central de cada cena.
N...
ROTEIRO
O roteiro é dividido em cenas e contém: a descrição dos ambientes e da ação, o nome dos ambientes e personagens,
o...
Em alguns casos o nome da personagem pode ser seguido de parênteses. São eles:
• (V.O.) – Significa voice over é quando se...
COMO VIABILIZAR UM PROJETO AUDIOVISUAL
Editais
(Municipal, Estadual, Federal, Privado)
Patrocínio e isenção fiscal
(Lei do...
EDITAIS
Curta Metragem
(Prêmio Estímulo, MINC, Fomento Cinema Paulista, Crônicas dos bairros, Festival
Cultura Inglesa, La...
Materiais para editais
Curta Metragem:
-Sinopse
-Roteiro
-Proposta de Direção
-Orçamento
-Descrição de Personagens
Roteiro...
Carol Fioratti - Do Roteiro à Viabilização - TIP (13/07/2013)
Carol Fioratti - Do Roteiro à Viabilização - TIP (13/07/2013)
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Carol Fioratti - Do Roteiro à Viabilização - TIP (13/07/2013)

1.073 visualizações

Publicada em

O TIP traz para Santos a oficina "Do roteiro à realização" com Carol Fioratti, voltada para quem deseja encontrar caminhos de viabilização para seus projetos. Ideal para quem trabalha ou pensa em trabalhar com audiovisual, cinema, roteiros, storytelling ou entusiastas.

0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.073
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
135
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
68
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Carol Fioratti - Do Roteiro à Viabilização - TIP (13/07/2013)

  1. 1. CONTEÚDO DA OFICINA Dramaturgia Roteiro Editais
  2. 2. DRAMATURGIA PERSONAGEM Todo texto dramático (roteiro, peça de teatro) tem um personagem principal, o protagonista. O personagem tem um objetivo. Ele quer alguma coisa. Às vezes é claro, noutras vezes nem tanto, mas é esse objetivo que gera o conflito. Esse personagem será o condutor da história. Ele que terá um conflito para resolver.
  3. 3. DRAMATURGIA CONFLITO O conflito é a confrontação entre forças e personagens, por meio do qual a ação se organiza e vai se desenvolvendo até o final. SEM CONFLITO, SEM AÇÃO, NÃO EXISTE DRAMA 3 tipos de conflitos: • O personagem está em conflito com uma força humana. Por exemplo: com outro homem ou grupo de homens. HOMEM vs HOMEM • O personagem pode estar em conflito com forças não humanas. Por exemplo: a natureza ou outros obstáculos. HOMEM vs FORÇAS DA NATUREZA • O personagem pode estar em conflito consigo mesmo, com uma força interna. HOMEM vs ELE PRÓPRIO
  4. 4. DRAMATURGIA CURVA DRAMÁTICA É a trajetória do personagem ao longo da história. A curva dramática revela a estrutura da história e os pontos chaves que agirão sobre o personagem.
  5. 5. Evento Detonador é algo que acontece antes do início do roteiro e é responsável pelo conflito do personagem Ponto de Ataque é o momento do roteiro em que o conflito se torna ativo. É uma cena em que o personagem se depara com alguma força contrária que terá que resolver para alcançar o seu objetivo. Nós Drámáticos são pontos que dificultam o personagem a atingir o seu objetivo ao longo do filme Clímax é o ponto mais alto da curva. É a maior dificuldade que o personagem encontra e que obrigará ele à uma solução. Com o clímax o filme chegará a uma resolução, à um desfecho. Pontos na Curva Dramática
  6. 6. DRAMATURGIA DICAS DA CAROL PARA COMEÇAR UM ROTEIRO Responda as perguntas: Quem é o meu personagem? O que o meu personagem quer? Qual é o seu objetivo? Por que esse momento da vida do personagem é especial suficiente para ser contado? Por que é diferente da rotina que ele costumava viver? Em quanto tempo se passa a minha história: um dia, uma semana, um ano?
  7. 7. ETAPAS PARA ESCREVER UM ROTEIRO IDÉIA STORYLINE / SINOPSE PERFIL DE PERSONAGENS ARGUMENTO ESCALETA ROTEIRO
  8. 8. IDÉIA Ter uma idéia é o principio de qualquer roteiro. A criatividade do autor conta muito neste ponto, mas um roteirista não pode depender do surgimento espontâneo de uma idéia. Deve-se criar condições para que a ideia venha. Fica-se, então, a questão: Onde encontrar uma boa idéia? ALGUNS EXEMPLOS: Lembrança ou experiência pessoal De alguma conversa ou história que ouvimos. A partir de algo que lemos. Adaptação de uma obra de ficção Alguém propõe uma ideia a você. Tema e pesquisa
  9. 9. STORYLINE / SINOPSE Um storyline é um resumo da história. Possui em torno de cinco linhas e contém apenas o conflito principal de sua história. Deve-se sempre colocar a história no tempo presente. Para se escrever um bom storyline é preciso que o conflito matriz seja descrito com clareza e apresente três pontos chave: A apresentação do conflito – Qual é o conflito? O desenvolvimento do conflito – Qual o resultado do conflito? A solução do conflito – Como se resolve? Ou seja, deve descrever os 3 momentos principais da curva dramática: a apresentação, o desenvolvimento, a resolução (o começo, o meio e o fim) OBS: Alguns editais pedem storyline e sinopse. Nesse caso eles esperam que a storyline seja um resumo do enredo em até 3 linhas. Já a sinopse pedem em torno de 10 linhas.
  10. 10. Sinopse A GRANDE VIAGEM Com Alzheimer, Mário não consegue mais distinguir com clareza passado e presente. Revive em sua mente uma fase da vida em que era vendedor de guias de viagem. Entretanto, Mário nunca viajou, mas agora surge a oportunidade de conhecer os quatro cantos da terra através de um mergulho na imaginação. Junto com Felipe, seu neto, Mário embarcará em viagens fantásticas, até o dia de sua última grande viagem. Essa, ele terá que fazer sozinho.
  11. 11. PERFIL DE PERSONAGENS O perfil é um conjunto de informações físicas e psicológicas da personagem, podendo estar incluída a história ou antecedentes desta. Quando você conhece bem alguém é fácil prever suas reações. Por isso um perfil bem elaborado torna mais fácil a construção dos diálogos e do desenvolvimento da história.
  12. 12. ARGUMENTO O argumento consiste na história contada em sua íntegra, na forma de um texto, quase como um conto, porém focando nas ações e evitando a parte “poética, literária” da escrita. Lembre-se de escrever sempre no presente. Lembre-se também que um roteiro é uma história para ser contada em imagens (mostrada). Dessa forma, ao invés de falar: João é tímido. Você pode criar uma ação que demonstre essa característica que você traçou no perfil de seu personagem, como: Flávia sorri para João e ele desvia o olhar, sem graça. O tamanho do argumento varia conforme o tamanho do roteiro. Alguns autores sugerem uma página de argumento para cada 10 páginas de roteiro. Assim, teríamos uma página ou duas de argumento para um curta-metragem. Editais de desenvolvimento de roteiro costumam pedir argumentos de longa-metragem com até 10 páginas.
  13. 13. ESCALETA A escaleta é a divisão do argumento em cenas. Neste momento o autor pensa somente na ação central de cada cena. Não é preciso elencar todas as cenas do roteiro (já que muitas serão descobertas no trabalho de “abrir” o roteiro), mas as cenas principais, que estruturam o enredo, são indicadas na escaleta. Nesse momento foca-se mais nas ações e se evita utilizar o diálogo. Se for necessário, apenas se indica o que o personagem fala, sem desenvolver o diálogo. Com a elaboração da escaleta já se vê o roteiro tomar forma. Ao terminar de escrever as cenas, o autor deve verificar se a história está coesa e coerente com os seus objetivos e se as informações são suficientes para que o espectador entenda a história.
  14. 14. ROTEIRO O roteiro é dividido em cenas e contém: a descrição dos ambientes e da ação, o nome dos ambientes e personagens, os diálogos e indicações para personagem. O roteiro deve ser escrito com a fonte courier new Cada informação tem seu local específico. O cabeçalho da cena informa: o número da cena, onde se passa e quando se passa (interior ou exterior, noite ou dia). Logo abaixo vem a descrição do ambiente e da ação que está ocorrendo. Centralizado abaixo da descrição o nome do personagem e embaixo dele a fala e a indicação para o personagem (quando necessária). Abaixo da fala pode ter outra descrição de ação ou uma nova cena. Segue-se o modelo para se escrever uma cena neste formato: Nº da cena (INT. / EXT.) (ambiente/ locação) (Período do dia) (Descrição do ambiente) (Descrição da ação) (nome do personagem) (rubrica) (fala) (descrição da ação)
  15. 15. Em alguns casos o nome da personagem pode ser seguido de parênteses. São eles: • (V.O.) – Significa voice over é quando se escuta a voz, mas a personagem não está em cena. • (O.S.) – Significa off screen é quando a personagem está em cena, mas não é visível no momento • (cont.) ou (continuando) – Quando a fala foi interrompida por uma ação e continua de onde havia parado. Lembre-se de sempre numerar as páginas de seu roteiro, pois o número de páginas indica o tempo de seu filme. (uma página = um minuto) OBS: Para melhor formatar o seu roteiro, baixe um programa gratuito como o storytouch
  16. 16. COMO VIABILIZAR UM PROJETO AUDIOVISUAL Editais (Municipal, Estadual, Federal, Privado) Patrocínio e isenção fiscal (Lei do Audiovisual, Proac) Crowdfunding (Catarse) Laboratórios e Pitchings (TV)
  17. 17. EDITAIS Curta Metragem (Prêmio Estímulo, MINC, Fomento Cinema Paulista, Crônicas dos bairros, Festival Cultura Inglesa, Lab Curta Cinema, Lab Festival de Cinema Universitário) Roteiro (MINC, Fomento Cinema Paulista) Longa Metragem (MINC B.O., Fomento Cinema Paulista, Petrobrás, BNDS) Telefilme (Secretaria de Estado da Cultura) Série de TV (LAB globosat, Netlab, RioContentMarket Lab Transmídia, Lumlab TV Cultura, TV Brasil) Documentário (DocTV, Doc Futura, Fomento Cinema Paulista)
  18. 18. Materiais para editais Curta Metragem: -Sinopse -Roteiro -Proposta de Direção -Orçamento -Descrição de Personagens Roteiro: -Argumento -Descrição de Personagens -Sinopse -Uma cena desenvolvida -Visão do Roteirista Série de TV: -Apresentação -Sinopse da Série -Descrição de Personagens -Argumento do Arco da Série -Sinopse dos Episódios -Proposta Transmídia -Roteiro do Episódio Piloto -Orçamento / Orçamento Resumido -Plano de Negócios

×