SlideShare uma empresa Scribd logo

Aceleradoras - Velocidade máxima

O documento discute o crescimento do empreendedorismo digital no Brasil e o papel das aceleradoras no apoio a novas empresas de tecnologia. Explica que as aceleradoras oferecem mentoria, recursos e apoio para ajudar empreendedores a transformar ideias em negócios viáveis em um curto período de tempo, com o objetivo de criar empresas de alto impacto.

1 de 7
Baixar para ler offline
revista da espm • ano 19 • edição 87 • nº2 • março/abril 2013 • R$ 28,00
O investidor não sai por
aí rasgando dinheiro
Cassio Spina
Vá com a faca nos dentes!
Flávio Jansen
O negócio é acreditar!
Carlos Alberto dos Santos
Entrevistas
O grande sonho dos brasileiros
EMPREENDEDORISMO
Pequenos investimentos,
grandes ideias!
10 dicas de quem chegou lá...
Velocidade máxima
A hora e a vez de empreender
Qual é o perfil do empreendedor?
Você sabe com quem está falando?
Valores compartilhados
Caminhos alternativos
Empreendedor social:
paradoxos do
espírito capitalista
Artigos
Genialidade, sabedoria
e empreendedorismo
A arte de equilibrar
liberdade e controle
Espetáculo empresarial
Repertório em rede: você
está apto a empreender?
Empresas in vitro
Liderança: como
armar nossas velas
Artigos
Mesa-redonda
investimento
Revista da ESPM | março/abril de 201352
latinstock
março/abrilde2013|RevistadaESPM 53
Aceleradorasajudamjovensempresasaatingirpatamaresrelevantes
decrescimentocommodelosdealtoimpacto,construídospormeiode
testesdeideiaeprodutosentrepotenciaisclientes,alémdaorientação
deexecutivoseempreendedoresexperientes
N
os últimos anos, o empreendedorismo
brasileiro tem mudado de cara. No passado,
as empresas eram criadas por necessidade.
Muitas vezes, os profissionais, com difi-
culdade na recolocação, não tinham outra escolha
senão criar seu próprio negócio. Mas esse cenário vem
sofrendo mudanças sensíveis no Brasil. Vários jovens
qualificados e com alta empregabilidade têm escolhido
o empreendedorismo como opção de carreira. Parte
desse estímulo vem do mercado americano, com suas
histórias de sucesso e o amplo acesso à informação
que a internet oferece.
O empreendedorismo digital, aquele que é viabiliza-
do pela tecnologia e que une o marketing à tecnologia,
vem recebendo atenção cada vez maior, no cenário
nacional. Marc Andreessen, criador do Netscape e de
diversas outras empresas que ajudaram a viabilizar a
internet como a conhecemos, diz que o software está
engolindo o mundo. Essa afirmação pode ser analisada
em diversos níveis, mas, basicamente, Andreessen
mostra o poder que os algoritmos e aplicações on-line
detêm hoje. Imaginemos, por um segundo, o que o
carro que dirige sozinho do Google pode fazer com o
mercado de transportes. Toda a indústria poderá ser
modificada com um software. E é justamente nessa
oportunidade que os novos empreendedores digitais
brasileiros estão apostando.
O custo para iniciar uma empresa digital é extrema-
mente baixo. Praticamente, tudo o que é tecnicamente
necessário hoje está na nuvem, esse conceito amplo
que designa as aplicações que ficam hospedadas em
grandes data centers ao redor do mundo e fornecem
uma gama enorme de recursos.
Desde softwares de CRM até o seu e-mail pessoal,
tudo está indo para a nuvem. E essa nuvem que provê
aplicações para nós brasileiros é a mesma de que
dispõem os empreendedores americanos, russos e de
qualqueroutrolugardomundo.Aonivelarmosoacesso
à tecnologia, libertamos a nossa capacidade criativa.
Basicamente, um brasileiro poderá criar a próxima
empresa que vai mudar a cara do mundo.
Já criamos, nos anos recentes, vários exemplos de
empresas puramente digitais no Brasil. Algumas de-
las já possuem considerável relevância na economia,
como Buscapé, Peixe Urbano, Netshoes, Apontador e
tantas outras. Mas estamos apenas no começo dessa
jornada. Ainda temos poucas empresas baseadas em
tecnologia com faturamentos expressivos (acima de
R$ 100 milhões por ano, por exemplo), assim como
poucas têm atuação global.
Ao mesmo tempo, estamos criando diversas novas
empresas digitais, diariamente, contando com o
talento desses jovens que buscam algo diferente em
suas carreiras. Como fazer esse processo ganhar a
velocidade de que precisamos para levar a economia
Velocidademáxima
Por Pedro Waengertner
Aonivelarmosoacessoàtecnologia,
libertamosanossacapacidadecriativa.
Umbrasileiropoderácriarapróxima
empresaquevaimudaracaradomundo
investimento
Revista da ESPM | março/abril de 201354
brasileira a um novo patamar, no qual o conhecimento
se torna o impulsionador do crescimento?
A resposta para essa pergunta não é simples, mas eu
arriscaria resumir em uma palavra: ecossistema. Sim,
acredito que a palavra ecossistema já esteja um tanto
batida, mas não encontro melhor definição. Somente
quando todos os envolvidos na cadeia trabalharem em
conjunto, conseguiremos criar empresas digitais com
a velocidade e a qualidade que precisamos.
É necessário que a burocracia e os impostos sejam
reduzidos. Também é fundamental que as instituições
de ensino formem seus estudantes nos conceitos ne-
cessários, assim como precisamos de uma cadeia de
fornecedores aptos a trabalhar com esses negócios.
Esses jovens CEOs precisam contratar pessoas dis-
postas (e empolgadas) a trabalhar nessas empresas,
além de contar com o apoio de outros empreendedores
na mesma situação.
A boa notícia é que estamos andando a passos lar-
gos nessa direção. Não só estamos vendo um interesse
crescente por parte do governo em fomentar a eco-
nomia digital, mas também presenciamos a criação
de diversos eventos e cursos ajudando a capacitar os
novos empresários em todo o Brasil.
É nesse contexto que surgem as aceleradoras, um
conceito relativamente novo, surgido em 2005, nos
Estados Unidos, e que vem se desdobrando rapida-
mente em todos os países do mundo.
Uma aceleradora tem a responsabilidade de apoiar
os novos empresários no desafio de transformar a sua
ideia em uma empresa de impacto. Diferentemente
de uma incubadora, que apoia empresas em estágio
muito inicial, oferecendo infraestrutura, alguma
mentoria, e não necessariamente cobrando resulta-
dos no curto prazo, uma aceleradora trabalha com
um espaço curto de tempo em que tem o desafio de
entregar ao mercado um negócio viável para investi-
mentos e pronta para o crescimento.
Nos Estados Unidos, várias das empresas que hoje
conhecemos e até usamos no dia a dia surgiram em
MarcAndreessen,criadordo
Netscapeedediversasoutras
empresasvirtuais:”Osoftware
estáengolindoomundo”
latinstock
março/abrilde2013|RevistadaESPM 55
aceleradoras. O AirBNB, que viabiliza a hospedagem em
casas e apartamentos particulares ao redor do mundo,
e o Dropbox, que ajuda com o armazenamento e com-
partilhamento de nossos arquivos na nuvem (sempre
a nuvem...), são exemplos que foram acelerados. Esta
última está avaliada, atualmente, em U$ 4 bilhões. Esta
é, precisamente, a proposta de valor das aceleradoras:
criar empresas de alto impacto.
As aceleradoras possuem algumas diferenças na sua
atuação, mas em geral seguem princípios semelhantes.
As candidatas devem inscrever seus projetos e são esco-
lhidasapartirdecritériosespecíficos,quevãomudarde
aceleradoraparaaceleradora.Aspoucasescolhidasrece-
bem um valor em dinheiro, vários benefícios gratuitos e
mentoria durante o período definido. Normalmente, o
períodoédetrêsaseismeses,masemalgunscasospode
se estender a um ano.
Durante essa fase, as aceleradas devem validar seus
modelosdenegócioecolocarseuprodutonoar,demodoa
viabilizaroaprendizadorápidoduranteaaceleração.Em
troca,aaceleradoraficacomumpercentualdaempresa,
que pode variar de 7% a 20%.
Normalmente, ideias em estágio inicial são de difí-
cil avaliação. Qualquer previsão de faturamento não
pode ser considerada com segurança, pois ainda não
existe um histórico para comparação. Nessa fase, três
pontos costumam chamar a atenção: o mercado esco-
lhido, o draft da ideia e o time de empreendedores. Se
o mercado escolhido não possui tamanho suficiente,
por exemplo, dificilmente teremos uma empresa de
alto impacto.
A ideia precisa ser interessante e explorar alguma
necessidade ou oportunidade que ainda não esteja
sendo explorada ou mal explorada. É claro que ainda
será desenvolvida e trabalhada, mas é nesse aspecto
que é possível identificar o quanto o empreendedor
estudou o mercado e entendeu o que está propondo.
Quanto ao time, é o item que mais pesa. Costuma-
mos dizer que um time de primeira linha faz de uma
ideia medíocre uma empresa de sucesso, mas um
time inadequado não consegue alcançar o sucesso,
O AirBNB, que viabiliza a hospedagem em casas
e apartamentos particulares ao redor do mundo,
contou com a ajuda de uma aceleradora
Umtimedeprimeiralinhafazdeuma
ideiamedíocreumaempresadesucesso,
masumtimeinadequadonãoalcançao
sucesso,mesmocomumaideiagenial
investimento
Revista da ESPM | março/abril de 201356
mesmo com uma ideia genial. O time ideal de uma
empresa digital normalmente tem uma pessoa focada
em marketing e vendas, outra na área de tecnologia e
um CEO com visão.
Ritmo acelerado
Ao entrar em uma aceleradora, o primeiro desafio é
entender o modelo de negócios. Qual é a proposta de
valor? Quem é o cliente? Como a empresa vai ganhar di-
nheiro?Essassãoalgumasdasperguntasaqueomodelo
de negócio precisa responder. Muitas vezes, uma ideia
parece boa quando a avaliamos rapidamente, mas, ao
estudarmos a fundo o modelo de negócios, percebemos
queacontanãofechaouqueessenãoéumproblematão
relevante a ponto de o cliente se disponibilizar a pagar.
Nessa fase, as aceleradoras aproximam os empreende-
dores de vários mentores que já passaram por situações
semelhantesoujáatuamnomercadoqueaempresabus-
ca. É uma forma de aprendizado rápido. Muitas dúvidas
surgem durante o processo. E essas dúvidas precisam
sertransformadasemhipótesesedevidamentetestadas
(isso mesmo, com o velho e bom método científico).
O aprendizado é prioridade em uma aceleradora.
Não se trata de acertar ou errar, mas de aprender rapi-
damente. E só se aprende indo a campo, conversando
com os clientes e pondo seu produto no ar. Somente
entendendo como o cliente pensa e trabalha é possível
desenhar uma solução viável. É comum as empresas
irem a campo e perceberem que suas ideias não são
viáveis. Para uma aceleradora, isso não é ruim. Trata-se
do processo de aprendizado. A partir daí, outras
maneiras de atender aos clientes são pensadas ou
vamos em busca de novos clientes. O termo para essas
mudanças no modelo de negócios é pivotar. Algumas
estatísticas mostram que uma empresa vai pivotar
três vezes até encontrar o modelo de negócios que
vai fazê-la crescer.
O produto oferecido é outro ponto trabalhado pela
aceleradora. As ideias são traduzidas em versões
simplificadas dos seus produtos. Chamamos essa
versão de MPV, ou Mínimo Produto Viável, que re-
presenta o menor conjunto de funcionalidades que
ODropbox,umserviçode
armazenamentoecompartilhamento
dearquivosnanuvem,tambémfoi
aceleradoehojevaleUS$4bilhões
Umaaceleradoratemaresponsabilidade
deapoiarosnovosempresáriosno
desafiodetransformarasuaideia
emumaempresadeimpacto
divulgação
março/abrilde2013|RevistadaESPM 57
o cliente estaria disposto a pagar. Esse produto deve
ser desenvolvido o quanto antes durante o processo
e disponibilizado para os clientes, de preferência
pagantes, usarem. É a partir do uso que entendemos
o que funciona e o que precisa melhorar. Também é
possível entender se as hipóteses levantadas anterior-
mente se provam reais. É a hora da verdade.
Outro ponto fundamental do processo é a aquisição
de clientes. Muitas vezes, os empreendedores pensam
nas ideias e produtos, mas esquecem como vão adqui-
rir novos clientes. Percebem, em muitos casos, que a
forma que pensaram não vai funcionar e que precisam
testar novas abordagens. Testes, testes e mais testes.
E essas hipóteses devem ser postas em prática. Usar
o Google Adwords é viável para este produto? Só
saberemos se pusermos o produto à venda. Essa é a
grande vantagem do produto digital: se uma estratégia
de aquisição não funciona, rapidamente montamos
outro formato e vamos ao mercado.
Ao final do processo de aceleração, cada empresa
entrou em contato com diversos mentores, foi a campo,
entendeu o mercado e pôs a sua primeira versão no ar.
Muitasdelasjáestãovendendo,comfaturamentoreal.A
coroaçãodaaceleraçãoéochamadoDemoDay,oevento
de apresentação das empresas aos potenciais investido-
res. Nesse evento, cada empresa apresenta (geralmente,
em cinco minutos) sua ideia a uma plateia. Chamamos
essa apresentação de pitch, que mostra o que a empresa
faz,seumercado,comovendee,omaisimportante,qual
a tração já apresentada. Quanto mais tração, ou seja,
vendas,clientes,parceirosetc.,maispotencialaosolhos
dos investidores.
Desde o final de 2012, a ESPM tem a sua própria
aceleradora, a Aceleratech (www.aceleratech.com.br).
O seu programa, de três meses, conta com aulas de
professores da própria ESPM e mentoria de diversos
executivos e empresários experientes. Conta com
braços nos Estados Unidos e na Alemanha e possui
diversos investidores aplicando capital a cada pro-
cesso de aceleração, que acontece duas vezes ao ano.
A aceleradora está sempre com as inscrições abertas
para o próximo round, e conta com inscrições de pes-
soas do Brasil inteiro, além de estrangeiros querendo
empreender no Brasil.
A Aceleratech foi uma das oito escolhidas pelo
governo no programa Startup Brasil, que aproxima
as aceleradoras dos incentivos públicos, aplicando,
conjuntamente com o governo, capital nas jovens em-
presas brasileiras. Acreditamos que as aceleradoras
são grandes catalisadoras do ecossistema nacional
de empreendedorismo e têm o potencial de criar as
grandes empresas digitais que vão pôr o Brasil no ce-
nário mundial da tecnologia e mudar a cara da nossa
economia. Estamos certos de que, daqui a alguns anos,
vamos olhar o espaço que as empresas brasileiras têm
na nossa economia e veremos o grande impacto já obti-
do pelos programas de aceleração na forma de grandes
nomes no cenário nacional.
Pedro Waengertner
Coordenador do Núcleo de Estudos e Negócios
em Marketing Digital e cofundador da Aceleratech
Criadanofinalde2012pelaESPM,aAceleratechfoiumadas
oitoescolhidaspelogovernonoprogramaStartupBrasil,
queaproximaasaceleradorasdosincentivospúblicos,para
aplicarcapitalnasjovensempresasbrasileiras

Recomendados

Empreendedorismo digital, Inovação e Novos Modelos de Negócios
Empreendedorismo digital, Inovação e Novos Modelos de NegóciosEmpreendedorismo digital, Inovação e Novos Modelos de Negócios
Empreendedorismo digital, Inovação e Novos Modelos de NegóciosZé Wellington
 
Empreendedorismo Digital
Empreendedorismo DigitalEmpreendedorismo Digital
Empreendedorismo DigitalReinaldo Cirilo
 
O que é ser um empreendedor digital
O que é ser um empreendedor digitalO que é ser um empreendedor digital
O que é ser um empreendedor digitalJoão Paulo Gomes
 
Palestra unatec-negocios-digitais-2012
Palestra unatec-negocios-digitais-2012Palestra unatec-negocios-digitais-2012
Palestra unatec-negocios-digitais-2012Marcelo Linhares
 
Precisamos de uma Conspiração! (in A Alma do Negócio - Um Guia prático para o...
Precisamos de uma Conspiração! (in A Alma do Negócio - Um Guia prático para o...Precisamos de uma Conspiração! (in A Alma do Negócio - Um Guia prático para o...
Precisamos de uma Conspiração! (in A Alma do Negócio - Um Guia prático para o...Carlos Alexandre Mendes
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Empreendedorismo Digital
Empreendedorismo Digital Empreendedorismo Digital
Empreendedorismo Digital Samantha Dutra
 
5 Passos para construir uma grande equipe.
5 Passos para construir uma grande equipe.5 Passos para construir uma grande equipe.
5 Passos para construir uma grande equipe.Luiz Paulo dos Santos
 
Culture Code - Capital Social Contabilidade e Gestão
Culture Code - Capital Social Contabilidade e GestãoCulture Code - Capital Social Contabilidade e Gestão
Culture Code - Capital Social Contabilidade e GestãoLeandro Oliveira
 
Ecossistema tecnológico_Inforuso
Ecossistema tecnológico_InforusoEcossistema tecnológico_Inforuso
Ecossistema tecnológico_InforusoJoão Drummond
 
Escalar e Inovar em seu Negócio
Escalar e Inovar em seu NegócioEscalar e Inovar em seu Negócio
Escalar e Inovar em seu NegócioAdeildo Caboclo
 
Culture code resultados digitais
 Culture code resultados digitais Culture code resultados digitais
Culture code resultados digitaisResultados Digitais
 
[Chebante] por que ter (ou não) uma startup? palestra sebrae pe
[Chebante] por que ter (ou não) uma startup? palestra sebrae pe[Chebante] por que ter (ou não) uma startup? palestra sebrae pe
[Chebante] por que ter (ou não) uma startup? palestra sebrae peJoão Gabriel Chebante
 
Palestra: Estratégias de E-commerce na Importação e Exportação
Palestra: Estratégias de E-commerce na Importação e ExportaçãoPalestra: Estratégias de E-commerce na Importação e Exportação
Palestra: Estratégias de E-commerce na Importação e ExportaçãoABRACOMEX
 
Apresentações 22º Encontro de Empreendedores
Apresentações 22º Encontro de EmpreendedoresApresentações 22º Encontro de Empreendedores
Apresentações 22º Encontro de EmpreendedoresConexão Empreendedora
 
Empreendedorismo Digital - Gabriel Lima
Empreendedorismo Digital - Gabriel LimaEmpreendedorismo Digital - Gabriel Lima
Empreendedorismo Digital - Gabriel LimaGabriel Lima
 
Empreendedorismo LpRI (abril, 2017)
Empreendedorismo LpRI (abril, 2017)Empreendedorismo LpRI (abril, 2017)
Empreendedorismo LpRI (abril, 2017)Vitor Gonçalves
 
Inventta | ThinkForward
Inventta | ThinkForwardInventta | ThinkForward
Inventta | ThinkForwardInventta
 
Venha ser um EAGênio - Culture Code EAG
Venha ser um EAGênio - Culture Code EAGVenha ser um EAGênio - Culture Code EAG
Venha ser um EAGênio - Culture Code EAGempresaautogerenciavel
 
Revista Conselhos - Resíduos exigem novas atitudes
Revista Conselhos - Resíduos exigem novas atitudesRevista Conselhos - Resíduos exigem novas atitudes
Revista Conselhos - Resíduos exigem novas atitudesWigliani Notícias
 
23º Encontro de Empreendedores - Conexão Empreendedora - Palestras
23º Encontro de Empreendedores - Conexão Empreendedora - Palestras23º Encontro de Empreendedores - Conexão Empreendedora - Palestras
23º Encontro de Empreendedores - Conexão Empreendedora - PalestrasConexão Empreendedora
 

Mais procurados (20)

Empreendedorismo Digital
Empreendedorismo Digital Empreendedorismo Digital
Empreendedorismo Digital
 
5 Passos para construir uma grande equipe.
5 Passos para construir uma grande equipe.5 Passos para construir uma grande equipe.
5 Passos para construir uma grande equipe.
 
Culture Code - Capital Social Contabilidade e Gestão
Culture Code - Capital Social Contabilidade e GestãoCulture Code - Capital Social Contabilidade e Gestão
Culture Code - Capital Social Contabilidade e Gestão
 
Ecossistema tecnológico_Inforuso
Ecossistema tecnológico_InforusoEcossistema tecnológico_Inforuso
Ecossistema tecnológico_Inforuso
 
Escalar e Inovar em seu Negócio
Escalar e Inovar em seu NegócioEscalar e Inovar em seu Negócio
Escalar e Inovar em seu Negócio
 
Culture code resultados digitais
 Culture code resultados digitais Culture code resultados digitais
Culture code resultados digitais
 
Desafios administrador moderno
Desafios administrador modernoDesafios administrador moderno
Desafios administrador moderno
 
Como Crescer Rápido
Como Crescer RápidoComo Crescer Rápido
Como Crescer Rápido
 
[Chebante] por que ter (ou não) uma startup? palestra sebrae pe
[Chebante] por que ter (ou não) uma startup? palestra sebrae pe[Chebante] por que ter (ou não) uma startup? palestra sebrae pe
[Chebante] por que ter (ou não) uma startup? palestra sebrae pe
 
Palestra: Estratégias de E-commerce na Importação e Exportação
Palestra: Estratégias de E-commerce na Importação e ExportaçãoPalestra: Estratégias de E-commerce na Importação e Exportação
Palestra: Estratégias de E-commerce na Importação e Exportação
 
Apresentações 22º Encontro de Empreendedores
Apresentações 22º Encontro de EmpreendedoresApresentações 22º Encontro de Empreendedores
Apresentações 22º Encontro de Empreendedores
 
Empreendedorismo Digital - Gabriel Lima
Empreendedorismo Digital - Gabriel LimaEmpreendedorismo Digital - Gabriel Lima
Empreendedorismo Digital - Gabriel Lima
 
Empreendedorismo LpRI (abril, 2017)
Empreendedorismo LpRI (abril, 2017)Empreendedorismo LpRI (abril, 2017)
Empreendedorismo LpRI (abril, 2017)
 
Newsletter ILGC 2015
Newsletter ILGC  2015Newsletter ILGC  2015
Newsletter ILGC 2015
 
Inventta | ThinkForward
Inventta | ThinkForwardInventta | ThinkForward
Inventta | ThinkForward
 
Venha ser um EAGênio - Culture Code EAG
Venha ser um EAGênio - Culture Code EAGVenha ser um EAGênio - Culture Code EAG
Venha ser um EAGênio - Culture Code EAG
 
Revista Conselhos - Resíduos exigem novas atitudes
Revista Conselhos - Resíduos exigem novas atitudesRevista Conselhos - Resíduos exigem novas atitudes
Revista Conselhos - Resíduos exigem novas atitudes
 
Manual
ManualManual
Manual
 
Resumo Babson College 2013
Resumo Babson College 2013Resumo Babson College 2013
Resumo Babson College 2013
 
23º Encontro de Empreendedores - Conexão Empreendedora - Palestras
23º Encontro de Empreendedores - Conexão Empreendedora - Palestras23º Encontro de Empreendedores - Conexão Empreendedora - Palestras
23º Encontro de Empreendedores - Conexão Empreendedora - Palestras
 

Destaque

ESPM Carreiras - criando sua marca pessoal nas redes sociais - versão 2.0
ESPM Carreiras - criando sua marca pessoal nas redes sociais - versão 2.0ESPM Carreiras - criando sua marca pessoal nas redes sociais - versão 2.0
ESPM Carreiras - criando sua marca pessoal nas redes sociais - versão 2.0Pedro Waengertner
 
Connecting passengers through social media
Connecting passengers through social mediaConnecting passengers through social media
Connecting passengers through social mediaPedro Waengertner
 
Modelos de negócio - Palestra na 4a Conferência Anjos do Brasil
Modelos de negócio - Palestra na 4a Conferência Anjos do BrasilModelos de negócio - Palestra na 4a Conferência Anjos do Brasil
Modelos de negócio - Palestra na 4a Conferência Anjos do BrasilPedro Waengertner
 
Mobilização Social - Evento ESPM / Peixe Urbano
Mobilização Social - Evento ESPM / Peixe UrbanoMobilização Social - Evento ESPM / Peixe Urbano
Mobilização Social - Evento ESPM / Peixe UrbanoPedro Waengertner
 

Destaque (6)

ESPM Carreiras - criando sua marca pessoal nas redes sociais - versão 2.0
ESPM Carreiras - criando sua marca pessoal nas redes sociais - versão 2.0ESPM Carreiras - criando sua marca pessoal nas redes sociais - versão 2.0
ESPM Carreiras - criando sua marca pessoal nas redes sociais - versão 2.0
 
Connecting passengers through social media
Connecting passengers through social mediaConnecting passengers through social media
Connecting passengers through social media
 
Modelos de negócio - Palestra na 4a Conferência Anjos do Brasil
Modelos de negócio - Palestra na 4a Conferência Anjos do BrasilModelos de negócio - Palestra na 4a Conferência Anjos do Brasil
Modelos de negócio - Palestra na 4a Conferência Anjos do Brasil
 
Pesquisa Game Mobile Brasil
Pesquisa Game Mobile BrasilPesquisa Game Mobile Brasil
Pesquisa Game Mobile Brasil
 
Mobilização Social - Evento ESPM / Peixe Urbano
Mobilização Social - Evento ESPM / Peixe UrbanoMobilização Social - Evento ESPM / Peixe Urbano
Mobilização Social - Evento ESPM / Peixe Urbano
 
Os desbravadores da web
Os desbravadores da web Os desbravadores da web
Os desbravadores da web
 

Semelhante a Aceleradoras - Velocidade máxima

Artigo Empreendedorismo
Artigo EmpreendedorismoArtigo Empreendedorismo
Artigo EmpreendedorismoPaulo Monteiro
 
Revista RBA Julho-Agosto 2014 - Entrevista com Kenneth Corrêa
Revista RBA Julho-Agosto 2014 - Entrevista com Kenneth CorrêaRevista RBA Julho-Agosto 2014 - Entrevista com Kenneth Corrêa
Revista RBA Julho-Agosto 2014 - Entrevista com Kenneth CorrêaKenneth Corrêa
 
Times digitais de alta performance - Tera e Endeavor
Times digitais de alta performance - Tera e EndeavorTimes digitais de alta performance - Tera e Endeavor
Times digitais de alta performance - Tera e EndeavorDan Vitoriano
 
OKR: Saindo dos processos e focando nos resultados
OKR: Saindo dos processos e focando nos resultadosOKR: Saindo dos processos e focando nos resultados
OKR: Saindo dos processos e focando nos resultadosEduardo Freire
 
CRN Brasil Entrevista Ricardo Clemente
CRN Brasil Entrevista Ricardo ClementeCRN Brasil Entrevista Ricardo Clemente
CRN Brasil Entrevista Ricardo ClementeEloGroup
 
Inovar é preciso, e é para todos - Live Covid-19 Agosto/2020
Inovar é preciso, e é para todos - Live Covid-19 Agosto/2020Inovar é preciso, e é para todos - Live Covid-19 Agosto/2020
Inovar é preciso, e é para todos - Live Covid-19 Agosto/2020Renner Modafares
 
Inovar é preciso, e é para todos - Live Covid-19 Agosto/2020
Inovar é preciso, e é para todos - Live Covid-19 Agosto/2020Inovar é preciso, e é para todos - Live Covid-19 Agosto/2020
Inovar é preciso, e é para todos - Live Covid-19 Agosto/2020Marcos Gialdi
 
Estratégias para o Desenvolvimento e Expansão de Negócios
Estratégias para o Desenvolvimento e Expansão de NegóciosEstratégias para o Desenvolvimento e Expansão de Negócios
Estratégias para o Desenvolvimento e Expansão de NegóciosRubens Borges
 
Empreendedorismo Digital: Startup ou empresa inovadora?
Empreendedorismo Digital: Startup ou empresa inovadora?Empreendedorismo Digital: Startup ou empresa inovadora?
Empreendedorismo Digital: Startup ou empresa inovadora?Gil Giardelli
 
Hbr 7-questions-ask-before-next-transformation-ptbr
Hbr 7-questions-ask-before-next-transformation-ptbrHbr 7-questions-ask-before-next-transformation-ptbr
Hbr 7-questions-ask-before-next-transformation-ptbrjob Titri company
 
Hbr 7-questions-ask-before-next-transformation-ptbr
Hbr 7-questions-ask-before-next-transformation-ptbrHbr 7-questions-ask-before-next-transformation-ptbr
Hbr 7-questions-ask-before-next-transformation-ptbrjob Titri company
 
Hbr 7-questions-ask-before-next-transformation-ptbr
Hbr 7-questions-ask-before-next-transformation-ptbrHbr 7-questions-ask-before-next-transformation-ptbr
Hbr 7-questions-ask-before-next-transformation-ptbrjob Titri company
 
Passagem gratuita - Capital Semente
Passagem gratuita - Capital SementePassagem gratuita - Capital Semente
Passagem gratuita - Capital SementeRodrigo Morais
 

Semelhante a Aceleradoras - Velocidade máxima (20)

Artigo Empreendedorismo
Artigo EmpreendedorismoArtigo Empreendedorismo
Artigo Empreendedorismo
 
Workshop Comjovem 2017 - Cileneu Nunes
Workshop Comjovem 2017 - Cileneu NunesWorkshop Comjovem 2017 - Cileneu Nunes
Workshop Comjovem 2017 - Cileneu Nunes
 
Revista RBA Julho-Agosto 2014 - Entrevista com Kenneth Corrêa
Revista RBA Julho-Agosto 2014 - Entrevista com Kenneth CorrêaRevista RBA Julho-Agosto 2014 - Entrevista com Kenneth Corrêa
Revista RBA Julho-Agosto 2014 - Entrevista com Kenneth Corrêa
 
Startups
Startups Startups
Startups
 
Empreendedorismo Digital - versão 2
Empreendedorismo Digital - versão 2Empreendedorismo Digital - versão 2
Empreendedorismo Digital - versão 2
 
Times digitais de alta performance - Tera e Endeavor
Times digitais de alta performance - Tera e EndeavorTimes digitais de alta performance - Tera e Endeavor
Times digitais de alta performance - Tera e Endeavor
 
OKR: Saindo dos processos e focando nos resultados
OKR: Saindo dos processos e focando nos resultadosOKR: Saindo dos processos e focando nos resultados
OKR: Saindo dos processos e focando nos resultados
 
CRN Brasil Entrevista Ricardo Clemente
CRN Brasil Entrevista Ricardo ClementeCRN Brasil Entrevista Ricardo Clemente
CRN Brasil Entrevista Ricardo Clemente
 
Inovar é preciso, e é para todos - Live Covid-19 Agosto/2020
Inovar é preciso, e é para todos - Live Covid-19 Agosto/2020Inovar é preciso, e é para todos - Live Covid-19 Agosto/2020
Inovar é preciso, e é para todos - Live Covid-19 Agosto/2020
 
Inovar é preciso, e é para todos - Live Covid-19 Agosto/2020
Inovar é preciso, e é para todos - Live Covid-19 Agosto/2020Inovar é preciso, e é para todos - Live Covid-19 Agosto/2020
Inovar é preciso, e é para todos - Live Covid-19 Agosto/2020
 
Estratégias para o Desenvolvimento e Expansão de Negócios
Estratégias para o Desenvolvimento e Expansão de NegóciosEstratégias para o Desenvolvimento e Expansão de Negócios
Estratégias para o Desenvolvimento e Expansão de Negócios
 
Empreendedorismo Digital: Startup ou empresa inovadora?
Empreendedorismo Digital: Startup ou empresa inovadora?Empreendedorismo Digital: Startup ou empresa inovadora?
Empreendedorismo Digital: Startup ou empresa inovadora?
 
E book - O RH do Futuro
E book - O RH do Futuro E book - O RH do Futuro
E book - O RH do Futuro
 
Lean startup
Lean startupLean startup
Lean startup
 
Hbr 7-questions-ask-before-next-transformation-ptbr
Hbr 7-questions-ask-before-next-transformation-ptbrHbr 7-questions-ask-before-next-transformation-ptbr
Hbr 7-questions-ask-before-next-transformation-ptbr
 
Hbr 7-questions-ask-before-next-transformation-ptbr
Hbr 7-questions-ask-before-next-transformation-ptbrHbr 7-questions-ask-before-next-transformation-ptbr
Hbr 7-questions-ask-before-next-transformation-ptbr
 
Hbr 7-questions-ask-before-next-transformation-ptbr
Hbr 7-questions-ask-before-next-transformation-ptbrHbr 7-questions-ask-before-next-transformation-ptbr
Hbr 7-questions-ask-before-next-transformation-ptbr
 
Passagem gratuita - Capital Semente
Passagem gratuita - Capital SementePassagem gratuita - Capital Semente
Passagem gratuita - Capital Semente
 
Ser Competitivo - Junho 2016
Ser Competitivo - Junho 2016Ser Competitivo - Junho 2016
Ser Competitivo - Junho 2016
 
trabalho
trabalhotrabalho
trabalho
 

Mais de Pedro Waengertner

ESPM - Marketing em Redes Sociais
ESPM - Marketing em Redes SociaisESPM - Marketing em Redes Sociais
ESPM - Marketing em Redes SociaisPedro Waengertner
 
ESPM Carreiras - Criando sua marca pessoal nas Redes Sociais
ESPM Carreiras - Criando sua marca pessoal nas Redes SociaisESPM Carreiras - Criando sua marca pessoal nas Redes Sociais
ESPM Carreiras - Criando sua marca pessoal nas Redes SociaisPedro Waengertner
 
Palestra Marketing Digital - FIESP - MPI2010
Palestra Marketing Digital - FIESP - MPI2010Palestra Marketing Digital - FIESP - MPI2010
Palestra Marketing Digital - FIESP - MPI2010Pedro Waengertner
 
Artigo - Gerenciando a experiëncia do e-consumidor
Artigo - Gerenciando a experiëncia do e-consumidorArtigo - Gerenciando a experiëncia do e-consumidor
Artigo - Gerenciando a experiëncia do e-consumidorPedro Waengertner
 
Palestra ESPM Comunicação 2 0
Palestra ESPM   Comunicação 2 0Palestra ESPM   Comunicação 2 0
Palestra ESPM Comunicação 2 0Pedro Waengertner
 
Apresentacao - Marketing De Alta Tecnologia - ESPM
Apresentacao - Marketing De Alta Tecnologia - ESPMApresentacao - Marketing De Alta Tecnologia - ESPM
Apresentacao - Marketing De Alta Tecnologia - ESPMPedro Waengertner
 

Mais de Pedro Waengertner (6)

ESPM - Marketing em Redes Sociais
ESPM - Marketing em Redes SociaisESPM - Marketing em Redes Sociais
ESPM - Marketing em Redes Sociais
 
ESPM Carreiras - Criando sua marca pessoal nas Redes Sociais
ESPM Carreiras - Criando sua marca pessoal nas Redes SociaisESPM Carreiras - Criando sua marca pessoal nas Redes Sociais
ESPM Carreiras - Criando sua marca pessoal nas Redes Sociais
 
Palestra Marketing Digital - FIESP - MPI2010
Palestra Marketing Digital - FIESP - MPI2010Palestra Marketing Digital - FIESP - MPI2010
Palestra Marketing Digital - FIESP - MPI2010
 
Artigo - Gerenciando a experiëncia do e-consumidor
Artigo - Gerenciando a experiëncia do e-consumidorArtigo - Gerenciando a experiëncia do e-consumidor
Artigo - Gerenciando a experiëncia do e-consumidor
 
Palestra ESPM Comunicação 2 0
Palestra ESPM   Comunicação 2 0Palestra ESPM   Comunicação 2 0
Palestra ESPM Comunicação 2 0
 
Apresentacao - Marketing De Alta Tecnologia - ESPM
Apresentacao - Marketing De Alta Tecnologia - ESPMApresentacao - Marketing De Alta Tecnologia - ESPM
Apresentacao - Marketing De Alta Tecnologia - ESPM
 

Último

CONTRIBUIÇÕES DA CONSULTORIA EMPRESARIAL NA REDUÇÃO DAS FALHAS DE CONHECIMENT...
CONTRIBUIÇÕES DA CONSULTORIA EMPRESARIAL NA REDUÇÃO DAS FALHAS DE CONHECIMENT...CONTRIBUIÇÕES DA CONSULTORIA EMPRESARIAL NA REDUÇÃO DAS FALHAS DE CONHECIMENT...
CONTRIBUIÇÕES DA CONSULTORIA EMPRESARIAL NA REDUÇÃO DAS FALHAS DE CONHECIMENT...Raislane Santos
 
O ATP (Adenosina Tri-fosfato) é descrito como uma “moeda energética”, por ser...
O ATP (Adenosina Tri-fosfato) é descrito como uma “moeda energética”, por ser...O ATP (Adenosina Tri-fosfato) é descrito como uma “moeda energética”, por ser...
O ATP (Adenosina Tri-fosfato) é descrito como uma “moeda energética”, por ser...sdl192405
 
COMO VENDER NA KIWIFY HOJE EM 24!! HORAS
COMO VENDER NA KIWIFY HOJE EM 24!! HORASCOMO VENDER NA KIWIFY HOJE EM 24!! HORAS
COMO VENDER NA KIWIFY HOJE EM 24!! HORAScaiorsantos2345
 
MANUAL DE PRODUTOS OZONTECK CONHEÇA OS NOVOS PRODUTOS
MANUAL DE PRODUTOS OZONTECK CONHEÇA OS NOVOS PRODUTOSMANUAL DE PRODUTOS OZONTECK CONHEÇA OS NOVOS PRODUTOS
MANUAL DE PRODUTOS OZONTECK CONHEÇA OS NOVOS PRODUTOSJulioCesarrPro
 
E-commerce ou comércio eletrônico, é um processo de compra e venda de produto...
E-commerce ou comércio eletrônico, é um processo de compra e venda de produto...E-commerce ou comércio eletrônico, é um processo de compra e venda de produto...
E-commerce ou comércio eletrônico, é um processo de compra e venda de produto...DL assessoria 29
 
MaterialTreinamentoExecuoOramentriaDEOFI.pdf
MaterialTreinamentoExecuoOramentriaDEOFI.pdfMaterialTreinamentoExecuoOramentriaDEOFI.pdf
MaterialTreinamentoExecuoOramentriaDEOFI.pdfNilsonSouza49
 
A prescrição de exercícios físicos deve ser realizada de forma correta e base...
A prescrição de exercícios físicos deve ser realizada de forma correta e base...A prescrição de exercícios físicos deve ser realizada de forma correta e base...
A prescrição de exercícios físicos deve ser realizada de forma correta e base...assessoria DL S5
 
Olá, estudante! Chegou o momento de colocarmos em prática toda aprendizagem c...
Olá, estudante! Chegou o momento de colocarmos em prática toda aprendizagem c...Olá, estudante! Chegou o momento de colocarmos em prática toda aprendizagem c...
Olá, estudante! Chegou o momento de colocarmos em prática toda aprendizagem c...DL assessoria 28
 
MAPA - DIDÁTICA - 51/2024MAPA - DIDÁTICA - 51/2024
MAPA - DIDÁTICA - 51/2024MAPA - DIDÁTICA - 51/2024MAPA - DIDÁTICA - 51/2024MAPA - DIDÁTICA - 51/2024
MAPA - DIDÁTICA - 51/2024MAPA - DIDÁTICA - 51/2024DL assessoria 30
 
APN hinode - conheça a apresentação de negocio da Hinode
APN hinode - conheça a apresentação de negocio da HinodeAPN hinode - conheça a apresentação de negocio da Hinode
APN hinode - conheça a apresentação de negocio da HinodeFernandoAndrade274099
 
Diga adeus às filas e aos CALOTES! Venda com máquina de cartão!
Diga adeus às filas e aos CALOTES! Venda com máquina de cartão!Diga adeus às filas e aos CALOTES! Venda com máquina de cartão!
Diga adeus às filas e aos CALOTES! Venda com máquina de cartão!francielekeren
 
CATALOGO OZONTECK ATUALIZADO 2024 CONHEÇA OS NOVOS PRODUTOS
CATALOGO OZONTECK ATUALIZADO 2024 CONHEÇA OS NOVOS PRODUTOSCATALOGO OZONTECK ATUALIZADO 2024 CONHEÇA OS NOVOS PRODUTOS
CATALOGO OZONTECK ATUALIZADO 2024 CONHEÇA OS NOVOS PRODUTOSJulioCesarrPro
 
Comércio Exterior de Santa Catarina em 2023
Comércio Exterior de Santa Catarina em 2023Comércio Exterior de Santa Catarina em 2023
Comércio Exterior de Santa Catarina em 2023Henry Quaresma
 
O ATP (Adenosina Tri-fosfato) é descrito como uma “moeda energética”, por ser...
O ATP (Adenosina Tri-fosfato) é descrito como uma “moeda energética”, por ser...O ATP (Adenosina Tri-fosfato) é descrito como uma “moeda energética”, por ser...
O ATP (Adenosina Tri-fosfato) é descrito como uma “moeda energética”, por ser...sdl192405
 
apresentação............................
apresentação............................apresentação............................
apresentação............................Judite Silva
 
ATIVIDADE 1 - DIDÁTICA - 51/2024ATIVIDADE 1 - DIDÁTICA - 51/2024
ATIVIDADE 1 - DIDÁTICA - 51/2024ATIVIDADE 1 - DIDÁTICA - 51/2024ATIVIDADE 1 - DIDÁTICA - 51/2024ATIVIDADE 1 - DIDÁTICA - 51/2024
ATIVIDADE 1 - DIDÁTICA - 51/2024ATIVIDADE 1 - DIDÁTICA - 51/2024assedlsam
 
E-book Mercado Financeiro finanças fáceis
E-book Mercado Financeiro finanças fáceisE-book Mercado Financeiro finanças fáceis
E-book Mercado Financeiro finanças fáceisSergio Augusto da Luz
 
Em nossa disciplina Prática Pedagógica: Saberes Digitais, estamos imersos em ...
Em nossa disciplina Prática Pedagógica: Saberes Digitais, estamos imersos em ...Em nossa disciplina Prática Pedagógica: Saberes Digitais, estamos imersos em ...
Em nossa disciplina Prática Pedagógica: Saberes Digitais, estamos imersos em ...assessoria DL S5
 

Último (18)

CONTRIBUIÇÕES DA CONSULTORIA EMPRESARIAL NA REDUÇÃO DAS FALHAS DE CONHECIMENT...
CONTRIBUIÇÕES DA CONSULTORIA EMPRESARIAL NA REDUÇÃO DAS FALHAS DE CONHECIMENT...CONTRIBUIÇÕES DA CONSULTORIA EMPRESARIAL NA REDUÇÃO DAS FALHAS DE CONHECIMENT...
CONTRIBUIÇÕES DA CONSULTORIA EMPRESARIAL NA REDUÇÃO DAS FALHAS DE CONHECIMENT...
 
O ATP (Adenosina Tri-fosfato) é descrito como uma “moeda energética”, por ser...
O ATP (Adenosina Tri-fosfato) é descrito como uma “moeda energética”, por ser...O ATP (Adenosina Tri-fosfato) é descrito como uma “moeda energética”, por ser...
O ATP (Adenosina Tri-fosfato) é descrito como uma “moeda energética”, por ser...
 
COMO VENDER NA KIWIFY HOJE EM 24!! HORAS
COMO VENDER NA KIWIFY HOJE EM 24!! HORASCOMO VENDER NA KIWIFY HOJE EM 24!! HORAS
COMO VENDER NA KIWIFY HOJE EM 24!! HORAS
 
MANUAL DE PRODUTOS OZONTECK CONHEÇA OS NOVOS PRODUTOS
MANUAL DE PRODUTOS OZONTECK CONHEÇA OS NOVOS PRODUTOSMANUAL DE PRODUTOS OZONTECK CONHEÇA OS NOVOS PRODUTOS
MANUAL DE PRODUTOS OZONTECK CONHEÇA OS NOVOS PRODUTOS
 
E-commerce ou comércio eletrônico, é um processo de compra e venda de produto...
E-commerce ou comércio eletrônico, é um processo de compra e venda de produto...E-commerce ou comércio eletrônico, é um processo de compra e venda de produto...
E-commerce ou comércio eletrônico, é um processo de compra e venda de produto...
 
MaterialTreinamentoExecuoOramentriaDEOFI.pdf
MaterialTreinamentoExecuoOramentriaDEOFI.pdfMaterialTreinamentoExecuoOramentriaDEOFI.pdf
MaterialTreinamentoExecuoOramentriaDEOFI.pdf
 
A prescrição de exercícios físicos deve ser realizada de forma correta e base...
A prescrição de exercícios físicos deve ser realizada de forma correta e base...A prescrição de exercícios físicos deve ser realizada de forma correta e base...
A prescrição de exercícios físicos deve ser realizada de forma correta e base...
 
Olá, estudante! Chegou o momento de colocarmos em prática toda aprendizagem c...
Olá, estudante! Chegou o momento de colocarmos em prática toda aprendizagem c...Olá, estudante! Chegou o momento de colocarmos em prática toda aprendizagem c...
Olá, estudante! Chegou o momento de colocarmos em prática toda aprendizagem c...
 
MAPA - DIDÁTICA - 51/2024MAPA - DIDÁTICA - 51/2024
MAPA - DIDÁTICA - 51/2024MAPA - DIDÁTICA - 51/2024MAPA - DIDÁTICA - 51/2024MAPA - DIDÁTICA - 51/2024
MAPA - DIDÁTICA - 51/2024MAPA - DIDÁTICA - 51/2024
 
APN hinode - conheça a apresentação de negocio da Hinode
APN hinode - conheça a apresentação de negocio da HinodeAPN hinode - conheça a apresentação de negocio da Hinode
APN hinode - conheça a apresentação de negocio da Hinode
 
Diga adeus às filas e aos CALOTES! Venda com máquina de cartão!
Diga adeus às filas e aos CALOTES! Venda com máquina de cartão!Diga adeus às filas e aos CALOTES! Venda com máquina de cartão!
Diga adeus às filas e aos CALOTES! Venda com máquina de cartão!
 
CATALOGO OZONTECK ATUALIZADO 2024 CONHEÇA OS NOVOS PRODUTOS
CATALOGO OZONTECK ATUALIZADO 2024 CONHEÇA OS NOVOS PRODUTOSCATALOGO OZONTECK ATUALIZADO 2024 CONHEÇA OS NOVOS PRODUTOS
CATALOGO OZONTECK ATUALIZADO 2024 CONHEÇA OS NOVOS PRODUTOS
 
Comércio Exterior de Santa Catarina em 2023
Comércio Exterior de Santa Catarina em 2023Comércio Exterior de Santa Catarina em 2023
Comércio Exterior de Santa Catarina em 2023
 
O ATP (Adenosina Tri-fosfato) é descrito como uma “moeda energética”, por ser...
O ATP (Adenosina Tri-fosfato) é descrito como uma “moeda energética”, por ser...O ATP (Adenosina Tri-fosfato) é descrito como uma “moeda energética”, por ser...
O ATP (Adenosina Tri-fosfato) é descrito como uma “moeda energética”, por ser...
 
apresentação............................
apresentação............................apresentação............................
apresentação............................
 
ATIVIDADE 1 - DIDÁTICA - 51/2024ATIVIDADE 1 - DIDÁTICA - 51/2024
ATIVIDADE 1 - DIDÁTICA - 51/2024ATIVIDADE 1 - DIDÁTICA - 51/2024ATIVIDADE 1 - DIDÁTICA - 51/2024ATIVIDADE 1 - DIDÁTICA - 51/2024
ATIVIDADE 1 - DIDÁTICA - 51/2024ATIVIDADE 1 - DIDÁTICA - 51/2024
 
E-book Mercado Financeiro finanças fáceis
E-book Mercado Financeiro finanças fáceisE-book Mercado Financeiro finanças fáceis
E-book Mercado Financeiro finanças fáceis
 
Em nossa disciplina Prática Pedagógica: Saberes Digitais, estamos imersos em ...
Em nossa disciplina Prática Pedagógica: Saberes Digitais, estamos imersos em ...Em nossa disciplina Prática Pedagógica: Saberes Digitais, estamos imersos em ...
Em nossa disciplina Prática Pedagógica: Saberes Digitais, estamos imersos em ...
 

Aceleradoras - Velocidade máxima

  • 1. revista da espm • ano 19 • edição 87 • nº2 • março/abril 2013 • R$ 28,00 O investidor não sai por aí rasgando dinheiro Cassio Spina Vá com a faca nos dentes! Flávio Jansen O negócio é acreditar! Carlos Alberto dos Santos Entrevistas O grande sonho dos brasileiros EMPREENDEDORISMO Pequenos investimentos, grandes ideias! 10 dicas de quem chegou lá... Velocidade máxima A hora e a vez de empreender Qual é o perfil do empreendedor? Você sabe com quem está falando? Valores compartilhados Caminhos alternativos Empreendedor social: paradoxos do espírito capitalista Artigos Genialidade, sabedoria e empreendedorismo A arte de equilibrar liberdade e controle Espetáculo empresarial Repertório em rede: você está apto a empreender? Empresas in vitro Liderança: como armar nossas velas Artigos Mesa-redonda
  • 2. investimento Revista da ESPM | março/abril de 201352 latinstock
  • 3. março/abrilde2013|RevistadaESPM 53 Aceleradorasajudamjovensempresasaatingirpatamaresrelevantes decrescimentocommodelosdealtoimpacto,construídospormeiode testesdeideiaeprodutosentrepotenciaisclientes,alémdaorientação deexecutivoseempreendedoresexperientes N os últimos anos, o empreendedorismo brasileiro tem mudado de cara. No passado, as empresas eram criadas por necessidade. Muitas vezes, os profissionais, com difi- culdade na recolocação, não tinham outra escolha senão criar seu próprio negócio. Mas esse cenário vem sofrendo mudanças sensíveis no Brasil. Vários jovens qualificados e com alta empregabilidade têm escolhido o empreendedorismo como opção de carreira. Parte desse estímulo vem do mercado americano, com suas histórias de sucesso e o amplo acesso à informação que a internet oferece. O empreendedorismo digital, aquele que é viabiliza- do pela tecnologia e que une o marketing à tecnologia, vem recebendo atenção cada vez maior, no cenário nacional. Marc Andreessen, criador do Netscape e de diversas outras empresas que ajudaram a viabilizar a internet como a conhecemos, diz que o software está engolindo o mundo. Essa afirmação pode ser analisada em diversos níveis, mas, basicamente, Andreessen mostra o poder que os algoritmos e aplicações on-line detêm hoje. Imaginemos, por um segundo, o que o carro que dirige sozinho do Google pode fazer com o mercado de transportes. Toda a indústria poderá ser modificada com um software. E é justamente nessa oportunidade que os novos empreendedores digitais brasileiros estão apostando. O custo para iniciar uma empresa digital é extrema- mente baixo. Praticamente, tudo o que é tecnicamente necessário hoje está na nuvem, esse conceito amplo que designa as aplicações que ficam hospedadas em grandes data centers ao redor do mundo e fornecem uma gama enorme de recursos. Desde softwares de CRM até o seu e-mail pessoal, tudo está indo para a nuvem. E essa nuvem que provê aplicações para nós brasileiros é a mesma de que dispõem os empreendedores americanos, russos e de qualqueroutrolugardomundo.Aonivelarmosoacesso à tecnologia, libertamos a nossa capacidade criativa. Basicamente, um brasileiro poderá criar a próxima empresa que vai mudar a cara do mundo. Já criamos, nos anos recentes, vários exemplos de empresas puramente digitais no Brasil. Algumas de- las já possuem considerável relevância na economia, como Buscapé, Peixe Urbano, Netshoes, Apontador e tantas outras. Mas estamos apenas no começo dessa jornada. Ainda temos poucas empresas baseadas em tecnologia com faturamentos expressivos (acima de R$ 100 milhões por ano, por exemplo), assim como poucas têm atuação global. Ao mesmo tempo, estamos criando diversas novas empresas digitais, diariamente, contando com o talento desses jovens que buscam algo diferente em suas carreiras. Como fazer esse processo ganhar a velocidade de que precisamos para levar a economia Velocidademáxima Por Pedro Waengertner Aonivelarmosoacessoàtecnologia, libertamosanossacapacidadecriativa. Umbrasileiropoderácriarapróxima empresaquevaimudaracaradomundo
  • 4. investimento Revista da ESPM | março/abril de 201354 brasileira a um novo patamar, no qual o conhecimento se torna o impulsionador do crescimento? A resposta para essa pergunta não é simples, mas eu arriscaria resumir em uma palavra: ecossistema. Sim, acredito que a palavra ecossistema já esteja um tanto batida, mas não encontro melhor definição. Somente quando todos os envolvidos na cadeia trabalharem em conjunto, conseguiremos criar empresas digitais com a velocidade e a qualidade que precisamos. É necessário que a burocracia e os impostos sejam reduzidos. Também é fundamental que as instituições de ensino formem seus estudantes nos conceitos ne- cessários, assim como precisamos de uma cadeia de fornecedores aptos a trabalhar com esses negócios. Esses jovens CEOs precisam contratar pessoas dis- postas (e empolgadas) a trabalhar nessas empresas, além de contar com o apoio de outros empreendedores na mesma situação. A boa notícia é que estamos andando a passos lar- gos nessa direção. Não só estamos vendo um interesse crescente por parte do governo em fomentar a eco- nomia digital, mas também presenciamos a criação de diversos eventos e cursos ajudando a capacitar os novos empresários em todo o Brasil. É nesse contexto que surgem as aceleradoras, um conceito relativamente novo, surgido em 2005, nos Estados Unidos, e que vem se desdobrando rapida- mente em todos os países do mundo. Uma aceleradora tem a responsabilidade de apoiar os novos empresários no desafio de transformar a sua ideia em uma empresa de impacto. Diferentemente de uma incubadora, que apoia empresas em estágio muito inicial, oferecendo infraestrutura, alguma mentoria, e não necessariamente cobrando resulta- dos no curto prazo, uma aceleradora trabalha com um espaço curto de tempo em que tem o desafio de entregar ao mercado um negócio viável para investi- mentos e pronta para o crescimento. Nos Estados Unidos, várias das empresas que hoje conhecemos e até usamos no dia a dia surgiram em MarcAndreessen,criadordo Netscapeedediversasoutras empresasvirtuais:”Osoftware estáengolindoomundo” latinstock
  • 5. março/abrilde2013|RevistadaESPM 55 aceleradoras. O AirBNB, que viabiliza a hospedagem em casas e apartamentos particulares ao redor do mundo, e o Dropbox, que ajuda com o armazenamento e com- partilhamento de nossos arquivos na nuvem (sempre a nuvem...), são exemplos que foram acelerados. Esta última está avaliada, atualmente, em U$ 4 bilhões. Esta é, precisamente, a proposta de valor das aceleradoras: criar empresas de alto impacto. As aceleradoras possuem algumas diferenças na sua atuação, mas em geral seguem princípios semelhantes. As candidatas devem inscrever seus projetos e são esco- lhidasapartirdecritériosespecíficos,quevãomudarde aceleradoraparaaceleradora.Aspoucasescolhidasrece- bem um valor em dinheiro, vários benefícios gratuitos e mentoria durante o período definido. Normalmente, o períodoédetrêsaseismeses,masemalgunscasospode se estender a um ano. Durante essa fase, as aceleradas devem validar seus modelosdenegócioecolocarseuprodutonoar,demodoa viabilizaroaprendizadorápidoduranteaaceleração.Em troca,aaceleradoraficacomumpercentualdaempresa, que pode variar de 7% a 20%. Normalmente, ideias em estágio inicial são de difí- cil avaliação. Qualquer previsão de faturamento não pode ser considerada com segurança, pois ainda não existe um histórico para comparação. Nessa fase, três pontos costumam chamar a atenção: o mercado esco- lhido, o draft da ideia e o time de empreendedores. Se o mercado escolhido não possui tamanho suficiente, por exemplo, dificilmente teremos uma empresa de alto impacto. A ideia precisa ser interessante e explorar alguma necessidade ou oportunidade que ainda não esteja sendo explorada ou mal explorada. É claro que ainda será desenvolvida e trabalhada, mas é nesse aspecto que é possível identificar o quanto o empreendedor estudou o mercado e entendeu o que está propondo. Quanto ao time, é o item que mais pesa. Costuma- mos dizer que um time de primeira linha faz de uma ideia medíocre uma empresa de sucesso, mas um time inadequado não consegue alcançar o sucesso, O AirBNB, que viabiliza a hospedagem em casas e apartamentos particulares ao redor do mundo, contou com a ajuda de uma aceleradora Umtimedeprimeiralinhafazdeuma ideiamedíocreumaempresadesucesso, masumtimeinadequadonãoalcançao sucesso,mesmocomumaideiagenial
  • 6. investimento Revista da ESPM | março/abril de 201356 mesmo com uma ideia genial. O time ideal de uma empresa digital normalmente tem uma pessoa focada em marketing e vendas, outra na área de tecnologia e um CEO com visão. Ritmo acelerado Ao entrar em uma aceleradora, o primeiro desafio é entender o modelo de negócios. Qual é a proposta de valor? Quem é o cliente? Como a empresa vai ganhar di- nheiro?Essassãoalgumasdasperguntasaqueomodelo de negócio precisa responder. Muitas vezes, uma ideia parece boa quando a avaliamos rapidamente, mas, ao estudarmos a fundo o modelo de negócios, percebemos queacontanãofechaouqueessenãoéumproblematão relevante a ponto de o cliente se disponibilizar a pagar. Nessa fase, as aceleradoras aproximam os empreende- dores de vários mentores que já passaram por situações semelhantesoujáatuamnomercadoqueaempresabus- ca. É uma forma de aprendizado rápido. Muitas dúvidas surgem durante o processo. E essas dúvidas precisam sertransformadasemhipótesesedevidamentetestadas (isso mesmo, com o velho e bom método científico). O aprendizado é prioridade em uma aceleradora. Não se trata de acertar ou errar, mas de aprender rapi- damente. E só se aprende indo a campo, conversando com os clientes e pondo seu produto no ar. Somente entendendo como o cliente pensa e trabalha é possível desenhar uma solução viável. É comum as empresas irem a campo e perceberem que suas ideias não são viáveis. Para uma aceleradora, isso não é ruim. Trata-se do processo de aprendizado. A partir daí, outras maneiras de atender aos clientes são pensadas ou vamos em busca de novos clientes. O termo para essas mudanças no modelo de negócios é pivotar. Algumas estatísticas mostram que uma empresa vai pivotar três vezes até encontrar o modelo de negócios que vai fazê-la crescer. O produto oferecido é outro ponto trabalhado pela aceleradora. As ideias são traduzidas em versões simplificadas dos seus produtos. Chamamos essa versão de MPV, ou Mínimo Produto Viável, que re- presenta o menor conjunto de funcionalidades que ODropbox,umserviçode armazenamentoecompartilhamento dearquivosnanuvem,tambémfoi aceleradoehojevaleUS$4bilhões Umaaceleradoratemaresponsabilidade deapoiarosnovosempresáriosno desafiodetransformarasuaideia emumaempresadeimpacto divulgação
  • 7. março/abrilde2013|RevistadaESPM 57 o cliente estaria disposto a pagar. Esse produto deve ser desenvolvido o quanto antes durante o processo e disponibilizado para os clientes, de preferência pagantes, usarem. É a partir do uso que entendemos o que funciona e o que precisa melhorar. Também é possível entender se as hipóteses levantadas anterior- mente se provam reais. É a hora da verdade. Outro ponto fundamental do processo é a aquisição de clientes. Muitas vezes, os empreendedores pensam nas ideias e produtos, mas esquecem como vão adqui- rir novos clientes. Percebem, em muitos casos, que a forma que pensaram não vai funcionar e que precisam testar novas abordagens. Testes, testes e mais testes. E essas hipóteses devem ser postas em prática. Usar o Google Adwords é viável para este produto? Só saberemos se pusermos o produto à venda. Essa é a grande vantagem do produto digital: se uma estratégia de aquisição não funciona, rapidamente montamos outro formato e vamos ao mercado. Ao final do processo de aceleração, cada empresa entrou em contato com diversos mentores, foi a campo, entendeu o mercado e pôs a sua primeira versão no ar. Muitasdelasjáestãovendendo,comfaturamentoreal.A coroaçãodaaceleraçãoéochamadoDemoDay,oevento de apresentação das empresas aos potenciais investido- res. Nesse evento, cada empresa apresenta (geralmente, em cinco minutos) sua ideia a uma plateia. Chamamos essa apresentação de pitch, que mostra o que a empresa faz,seumercado,comovendee,omaisimportante,qual a tração já apresentada. Quanto mais tração, ou seja, vendas,clientes,parceirosetc.,maispotencialaosolhos dos investidores. Desde o final de 2012, a ESPM tem a sua própria aceleradora, a Aceleratech (www.aceleratech.com.br). O seu programa, de três meses, conta com aulas de professores da própria ESPM e mentoria de diversos executivos e empresários experientes. Conta com braços nos Estados Unidos e na Alemanha e possui diversos investidores aplicando capital a cada pro- cesso de aceleração, que acontece duas vezes ao ano. A aceleradora está sempre com as inscrições abertas para o próximo round, e conta com inscrições de pes- soas do Brasil inteiro, além de estrangeiros querendo empreender no Brasil. A Aceleratech foi uma das oito escolhidas pelo governo no programa Startup Brasil, que aproxima as aceleradoras dos incentivos públicos, aplicando, conjuntamente com o governo, capital nas jovens em- presas brasileiras. Acreditamos que as aceleradoras são grandes catalisadoras do ecossistema nacional de empreendedorismo e têm o potencial de criar as grandes empresas digitais que vão pôr o Brasil no ce- nário mundial da tecnologia e mudar a cara da nossa economia. Estamos certos de que, daqui a alguns anos, vamos olhar o espaço que as empresas brasileiras têm na nossa economia e veremos o grande impacto já obti- do pelos programas de aceleração na forma de grandes nomes no cenário nacional. Pedro Waengertner Coordenador do Núcleo de Estudos e Negócios em Marketing Digital e cofundador da Aceleratech Criadanofinalde2012pelaESPM,aAceleratechfoiumadas oitoescolhidaspelogovernonoprogramaStartupBrasil, queaproximaasaceleradorasdosincentivospúblicos,para aplicarcapitalnasjovensempresasbrasileiras