SlideShare uma empresa Scribd logo
10ºD
             Geografia A


       A estrutura da população
          activa em Portugal
                      Trabalho realizado por:
                         Henrique Cardoso Nº12
                         Mark Vaz Nº 17
                         Pedro Tomé Nº 18
                         Ricardo Pereira Nº19
                         Rita Matos Nº 21
Índice
• Sectores de actividade

• Taxa de actividade

• Assimetrias regionais

• Terciarização
Os sectores de actividade
• Conjunto de actividade exercidas pela
  população, que produzem bens e/ou serviços.
    – Sector primário é contituído pelas actividades
      relacionadas com a exploração do meio
      natural, tais como a agricultura, pecuária,
      pesca, silvicultura e indústrias extractivas.
    – Sector secundário é constituído pelas
      actividades transformadoras, ou seja as quais
      recebem os produtos brutos e procedem à sua
      tranformação, tais como a indústria,
      construção civil, obras públicas e produção de
      energia.
    – Sector terciário é constituído pelas actividades
      que proporcionam à sociedade uma enorme
      quantidade de serviços como o comércio, os
      transportes, a saúde, a educação, as finanças e
      outras profissões liberais, as quais são
      necessárias aos sectores anteriores.
Na actualidade


                          Diminuição dos            Acentuado aumento
                             sectores                    do sector


                               •    Primário
                                      e                  Terciário
                           •       Secundário



                 Principal                                     Deve-se a
               Consequência                                  factores como


                                                •    Melhoria do nível de vida
Pouca riqueza criada que se traduz em           •    Melhoria do nível de qualificação

problemas relativos à balança de                •    Acentuado aumento da tecnologia implementada
                                                •    Feminização da mulher no mercado de trabalho
pagamentos
                                                •    Processo de Industrialização

Recomendado para você

áReas funcionais
áReas funcionaisáReas funcionais
áReas funcionais

1) O documento descreve as principais áreas funcionais de uma cidade, incluindo o centro de negócios (CBD), áreas residenciais para diferentes classes sociais, e áreas industriais. 2) O CBD concentra atividades terciárias e é a área central mais acessível, embora enfrente problemas de congestionamento. 3) As áreas residenciais variam de acordo com a classe social, desde áreas luxuosas até habitação social e precária nas periferias.

Geografia A 10 ano - População
Geografia A 10 ano - PopulaçãoGeografia A 10 ano - População
Geografia A 10 ano - População

Portugal localiza-se no extremo sudoeste da Europa, com território continental e insular nos Açores e Madeira. Integra a União Europeia desde 1986 e adotou o euro como moeda em 2002. Sua posição geográfica oferece oportunidades para conectar a Europa a outros continentes.

populaçãogeografiaresumo
9ºano - As atividades económicas
9ºano - As atividades económicas9ºano - As atividades económicas
9ºano - As atividades económicas

Além de abordar as alterações na composição dos setores de atividade económica, este trabalho inclui um número razoável de mapas distorcidos que ajudam a perceber as assimetrias entre os dois principais grupos de países, os desenvolvidos e os em desenvolvimento.

setores de atividadequaternáriorecursos naturais
Evolução dos sectores de actividade em Oeiras e AML
                        (%)
                                          Oeiras                                     AML


     Sector de actividade   1970          1981           1991          1970          1981          1991


     Primário                       1,2            0,9           0,5           5,1           3,0          0,2


     Secundário                    35,6          28,6           22,6          34,1          35,4          8,3


     Terciário                     63,2          70,5           76,9          59,6          61,6          70

 • No sector primário: apesar dos bons solos agrícolas, reside uma agricultura de
       subsistência.

 •     No sector secundário: Redução de importância, recuperação de industrias por
       actividades do sector terciário superior.

 •     No sector terciário: forte expansão dos serviços (Tagus Parque, Lagoas Parque…) e
       Turismo.
Taxa de actividade
• Taxa que permite definir o peso da
   população   activa   sobre   o   total   da
   população. T.A. (%) = (População activa /
   População total) x 100. É a percentagem
   de habitantes que faz parte da população
   activa.
• População activa é constituída por todos
   os indivíduos dos 15 aos 65 anos, que têm
   capacidade de exercer uma actividade
   remunerada e que pelos menos tenham
   praticado uma.
Taxa de
            actividade
Evolução
• Como se pode ver desde 1950 a população
    activa tem vindo a aumentar devido:
     – A alterações na estrutura etária;
     – Ao prolongamento da escolaridade;
     – À femenização do trabalho;
     – Aos movimentos migratórios.
                                                               Evolução da Taxa de actividade em
• No gráfico de baixo há uma descida em 1992 e                           Portugal (%)
depois volta a subir em 1998. A descida deve-se à   66
alteração do conceito de população activa e a       64
subida deve-se a alterações metodológicas no        62
que diz respeito à recolha de informação e ao       60
tratamento dos dados.                               58
•Essa descida e subida é pouco relevante pois       56
como sabemos desde 1950 a taxa de actividade        54
tem vindo sempre a aumentar, mas há um                   1983 1985 1987 1989 1991 1993 1995 1997 1999 2001 2003 2005 2007 2009
aspecto importante neste gráfico. Em 2009 há
uma descida que se deve ao envelhecimento da
população.
Taxa de actividade
• Os homens têm trabalhado em maior
  número do que as mulheres.

• Porém, isso tem vindo a mudar pois
  como se pode ver no gráfico em 1970 a
  percentagem de homens era bem maior
  que a de mulheres mas em 2006, a
  percentagem de homens e mulheres já
  era quase igual. Este aumento de
  percentagem das mulheres que fazem
  parte da população activa deve-se à
  femenização do mercado de trabalho.

Recomendado para você

Evolução da população portuguesa
Evolução da população portuguesaEvolução da população portuguesa
Evolução da população portuguesa

O documento discute a evolução da população portuguesa desde meados do século XX, destacando que: (1) a população cresceu cerca de 2 milhões de habitantes entre 1950-2011, ultrapassando os 10 milhões em 2001 e 10,5 milhões em 2011; (2) o crescimento foi influenciado pela queda da mortalidade e aumento da esperança de vida, bem como pelos movimentos migratórios; (3) enquanto o litoral teve ganhos populacionais, o interior assistiu a uma redução contínua

Principais problemas e soluções sociodemográficos
Principais problemas e soluções sociodemográficosPrincipais problemas e soluções sociodemográficos
Principais problemas e soluções sociodemográficos

O documento discute os principais problemas e soluções sociodemográficos em Portugal, incluindo o envelhecimento da população, taxas decrescentes de natalidade, e níveis educacionais mais baixos em comparação com a UE. Propõe soluções como incentivar o aumento da natalidade, promover a imigração, e valorizar a população ativa por meio de melhor formação e qualificação.

Expansão urbana
Expansão urbanaExpansão urbana
Expansão urbana

A expansão urbana ocorre em duas fases: centrípeta e centrífuga. A fase centrípeta caracteriza-se pela concentração populacional e econômica no centro da cidade, enquanto a fase centrífuga ocorre devido ao aumento dos preços no centro e leva à dispersão e crescimento das periferias e áreas suburbanas.

Estrutura da população activa
 A terciarização é o aumento das actividades terciárias;

    Países mais desenvolvidos;

    Constituído pelo sector terciário e sector terciário superior;

    É ao nível do sector terciário que se verifica um forte
   crescimento, motivando a terciarização da sociedade, devido ao
   incremento das funções sociais do Estado, à complexificação da
   actividade económica, ao desenvolvimento dos meios de comunicação
   social e dos transportes.


Sector Primário                              Países menos desenvolvidos


Sector Secundário
                                              Países em desenvolvimento
Sector Terciário


Sector Quaternário                             Países mais desenvolvidos
Causas
  • Turismo;
  • Melhoria do nível de vida;
  • Aumento do poder de compra;
  • Crescimento das cidades;
  • Estado providência;
  • Feminização;
  • Ensino obrigatório;
  • Disputa entre as empresas (internacionais).


                                              Consequências
  • Evolução da Economia;
  • Pouca actividade nos outros sectores;
  • Progresso tecnológico;
  • Desenvolvimento do Turismo;
  • Poluição.
Há 50 anos atrás…
• A população portuguesa trabalhava essencialmente no Sector Primário
(Agricultura). Esta tinha uma fraca produção e era pouco mecanizada.



- Aumento da população                      Provocou o êxodo rural (Lisboa)
- Agricultura “exausta”                       e a emigração da população
- Desejo de mudança de vida                     activa para o estrangeiro
                                                        (França).



                                            - Crescimento industrial

                                            - Aumento do Sector Secundário

Recomendado para você

Problemas no espaço urbano - Geografia 11º Ano
Problemas no espaço urbano - Geografia 11º AnoProblemas no espaço urbano - Geografia 11º Ano
Problemas no espaço urbano - Geografia 11º Ano

O documento discute os problemas urbanos causados pelo crescimento das cidades, incluindo problemas socioeconômicos como desemprego e criminalidade, problemas urbanísticos como falta de habitação e espaços verdes, e problemas ambientais como poluição do ar e da água.

problemas no espaço urbanogeografiaproblemas ambientais
Setores de Atividade
Setores de AtividadeSetores de Atividade
Setores de Atividade

O documento descreve os três setores de atividade econômica em Portugal: o setor primário envolve agricultura e extração de recursos; o setor secundário envolve indústrias e construção; o setor terciário envolve serviços como saúde, educação e turismo. O documento também discute como cada setor contribui para a economia portuguesa e varia em importância em diferentes regiões do país.

A expansão urbana em Portugal - Geografia 11º ano
A expansão urbana em Portugal - Geografia 11º anoA expansão urbana em Portugal - Geografia 11º ano
A expansão urbana em Portugal - Geografia 11º ano

O documento discute a expansão urbana em Portugal, incluindo o crescimento centrípeto e centrífugo das cidades e o surgimento de áreas suburbanas e periurbanas. Também aborda as características e consequências da suburbanização, como o aumento dos movimentos pendulares, e define cidades-satélite e cidades-dormitório.

geografiaáreas urbanas11º ano
+ máquinas
                          - Têxtil                         Industrialização
+ indústrias              - Celulose
                          - Tomate
                          - Metalomecânica


                                                   - Feminização no Sector Secundário;
                                                   - Aumento dos salários;
                                                   - Aumento do emprego;
                                                   - Introdução à produção de
                                                   automóveis e electrodomésticos.


• A maior parte das pessoas que predominavam neste sector começavam a trabalhar
aos 10 anos, tendo só a 4ª classe. Para eles exercer esta actividade era como se lhes
“tivesse saído a sorte grande”.


               Há 50 anos atrás…
Maior Mecanização através de fundos


Empresas: Automóveis                    Outras empresas
          Têxteis


            Evolução do Turismo e Serviços


                              Criação:              - Professores
                                  - Hóteis          - Comércio
                                  - Restaurantes    - Transportes


           TERCIARIZAÇÃO ACTUAL
            Há 25 anos atrás…
Relativamente a este gráfico, concluímos que tanto a Angola como o Uganda são países de baixo
desenvolvimento pois apresentam altas percentagens no sector primário, enquanto os restantes
como têm elevadas taxas no sector terciário em princípio são mais desenvolvidos. Digo em
princípio porque neste gráfico temos um bom exemplo, é o caso da República Dominicana que
apesar de ser um país pouco desenvolvido, apresenta altos valores no sector terciário devido ao
forte Turismo implementado, que representa a maior actividade económica do país.
Assimetrias regionais
 Como sabemos as zonas do litoral e Norte apresentam mais ofertas de
emprego, para além disso ainda existem assimetrias regionais a nível dos sectores.
Tal como nos países menos desenvolvidos se registam maiores percentagens do
sector primário, nas regiões portuguesas menos desenvolvidas isso também se
reflecte, mas de forma menos acentuada. Esta situação dá-se em principalmente na
região Centro, onde predomina um equilíbrio.
 No entanto a região Norte contém ainda valores consideráveis no sector
secundário, o que ajuda positivamente a economia do país, mas infelizmente a
tendência é de diminuição.
 Na região do Algarve e da Madeira onde o Turismo é uma actividade que
sobressai, e ainda no Alentejo e Açores, o sector terciário é o que se destaca, mas a
presença do sector primário é também notória.
 Por último, Lisboa apresenta uma diferença muito grande entre o sector
terciário, que revela uma extrema importância e o sector primário onde é quase
insignificante.

Recomendado para você

População portuguesa
População portuguesaPopulação portuguesa
População portuguesa

Este documento descreve a população portuguesa, sua distribuição geográfica e evolução nas últimas décadas. Apresenta o fenômeno da litoralização com maior concentração populacional nas cidades de Lisboa e Porto, e abandono do interior. Também discute os impactos da suburbanização e as novas estratégias para revitalizar as zonas rurais e urbanas, incluindo o turismo.

Evolução da Populaçao Mundial
Evolução da Populaçao MundialEvolução da Populaçao Mundial
Evolução da Populaçao Mundial

O documento discute a evolução da população mundial, abordando tópicos como taxas de natalidade e mortalidade, crescimento natural, esperança de vida, transição demográfica e estrutura etária das populações. Apresenta dados sobre esses indicadores demográficos em nível global e para Portugal.

áReas metropolitanas de lisboa e do porto
áReas metropolitanas de lisboa e do portoáReas metropolitanas de lisboa e do porto
áReas metropolitanas de lisboa e do porto

O documento descreve a formação e características das áreas metropolitanas de Lisboa e do Porto em Portugal. Apresenta informações demográficas, econômicas e sobre as atividades nas duas regiões, destacando a concentração populacional, de empresas e de riqueza na área metropolitana de Lisboa.

geography
Nível de qualificação da                Quantidade de recursos de
          população                           possível exploração




                   Factores influenciáveis




Infra-estruturas               Posição                 Tipo de clima
                              Geográfica
Estrutura da população activa

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A ExpansãO Urbana
A ExpansãO UrbanaA ExpansãO Urbana
A ExpansãO Urbana
Maria Adelaide
 
As estruturas e os comportamentos demográficos (1).ppt
As estruturas e os comportamentos demográficos (1).pptAs estruturas e os comportamentos demográficos (1).ppt
As estruturas e os comportamentos demográficos (1).ppt
Ilda Bicacro
 
As características da rede urbana
As características da rede urbanaAs características da rede urbana
As características da rede urbana
Ilda Bicacro
 
áReas funcionais
áReas funcionaisáReas funcionais
áReas funcionais
Pocarolas
 
Geografia A 10 ano - População
Geografia A 10 ano - PopulaçãoGeografia A 10 ano - População
Geografia A 10 ano - População
Raffaella Ergün
 
9ºano - As atividades económicas
9ºano - As atividades económicas9ºano - As atividades económicas
9ºano - As atividades económicas
Idalina Leite
 
Evolução da população portuguesa
Evolução da população portuguesaEvolução da população portuguesa
Evolução da população portuguesa
Ilda Bicacro
 
Principais problemas e soluções sociodemográficos
Principais problemas e soluções sociodemográficosPrincipais problemas e soluções sociodemográficos
Principais problemas e soluções sociodemográficos
Ilda Bicacro
 
Expansão urbana
Expansão urbanaExpansão urbana
Expansão urbana
Cacilda Basto
 
Problemas no espaço urbano - Geografia 11º Ano
Problemas no espaço urbano - Geografia 11º AnoProblemas no espaço urbano - Geografia 11º Ano
Problemas no espaço urbano - Geografia 11º Ano
713773
 
Setores de Atividade
Setores de AtividadeSetores de Atividade
Setores de Atividade
Sara Gonçalves
 
A expansão urbana em Portugal - Geografia 11º ano
A expansão urbana em Portugal - Geografia 11º anoA expansão urbana em Portugal - Geografia 11º ano
A expansão urbana em Portugal - Geografia 11º ano
713773
 
População portuguesa
População portuguesaPopulação portuguesa
População portuguesa
Tina Lima
 
Evolução da Populaçao Mundial
Evolução da Populaçao MundialEvolução da Populaçao Mundial
Evolução da Populaçao Mundial
Diogo Mateus
 
áReas metropolitanas de lisboa e do porto
áReas metropolitanas de lisboa e do portoáReas metropolitanas de lisboa e do porto
áReas metropolitanas de lisboa e do porto
Miguel Silva
 
Geografia A_ 10º/11ºanos (revisto)
Geografia A_ 10º/11ºanos (revisto)Geografia A_ 10º/11ºanos (revisto)
Geografia A_ 10º/11ºanos (revisto)
Idalina Leite
 
Evolução da população portuguesa
Evolução da população portuguesaEvolução da população portuguesa
Evolução da população portuguesa
Ana Pais
 
A inter relação entre espaço urbano e espaço rural
A inter relação entre espaço urbano e espaço ruralA inter relação entre espaço urbano e espaço rural
A inter relação entre espaço urbano e espaço rural
Idalina Leite
 
FunçõEs Urbanas
FunçõEs UrbanasFunçõEs Urbanas
FunçõEs Urbanas
Maria Adelaide
 
1 recursos do-subsolo (1)
1 recursos do-subsolo (1)1 recursos do-subsolo (1)
1 recursos do-subsolo (1)
Ilda Bicacro
 

Mais procurados (20)

A ExpansãO Urbana
A ExpansãO UrbanaA ExpansãO Urbana
A ExpansãO Urbana
 
As estruturas e os comportamentos demográficos (1).ppt
As estruturas e os comportamentos demográficos (1).pptAs estruturas e os comportamentos demográficos (1).ppt
As estruturas e os comportamentos demográficos (1).ppt
 
As características da rede urbana
As características da rede urbanaAs características da rede urbana
As características da rede urbana
 
áReas funcionais
áReas funcionaisáReas funcionais
áReas funcionais
 
Geografia A 10 ano - População
Geografia A 10 ano - PopulaçãoGeografia A 10 ano - População
Geografia A 10 ano - População
 
9ºano - As atividades económicas
9ºano - As atividades económicas9ºano - As atividades económicas
9ºano - As atividades económicas
 
Evolução da população portuguesa
Evolução da população portuguesaEvolução da população portuguesa
Evolução da população portuguesa
 
Principais problemas e soluções sociodemográficos
Principais problemas e soluções sociodemográficosPrincipais problemas e soluções sociodemográficos
Principais problemas e soluções sociodemográficos
 
Expansão urbana
Expansão urbanaExpansão urbana
Expansão urbana
 
Problemas no espaço urbano - Geografia 11º Ano
Problemas no espaço urbano - Geografia 11º AnoProblemas no espaço urbano - Geografia 11º Ano
Problemas no espaço urbano - Geografia 11º Ano
 
Setores de Atividade
Setores de AtividadeSetores de Atividade
Setores de Atividade
 
A expansão urbana em Portugal - Geografia 11º ano
A expansão urbana em Portugal - Geografia 11º anoA expansão urbana em Portugal - Geografia 11º ano
A expansão urbana em Portugal - Geografia 11º ano
 
População portuguesa
População portuguesaPopulação portuguesa
População portuguesa
 
Evolução da Populaçao Mundial
Evolução da Populaçao MundialEvolução da Populaçao Mundial
Evolução da Populaçao Mundial
 
áReas metropolitanas de lisboa e do porto
áReas metropolitanas de lisboa e do portoáReas metropolitanas de lisboa e do porto
áReas metropolitanas de lisboa e do porto
 
Geografia A_ 10º/11ºanos (revisto)
Geografia A_ 10º/11ºanos (revisto)Geografia A_ 10º/11ºanos (revisto)
Geografia A_ 10º/11ºanos (revisto)
 
Evolução da população portuguesa
Evolução da população portuguesaEvolução da população portuguesa
Evolução da população portuguesa
 
A inter relação entre espaço urbano e espaço rural
A inter relação entre espaço urbano e espaço ruralA inter relação entre espaço urbano e espaço rural
A inter relação entre espaço urbano e espaço rural
 
FunçõEs Urbanas
FunçõEs UrbanasFunçõEs Urbanas
FunçõEs Urbanas
 
1 recursos do-subsolo (1)
1 recursos do-subsolo (1)1 recursos do-subsolo (1)
1 recursos do-subsolo (1)
 

Destaque

A População Distribuição da População 2º Ano
A População  Distribuição da População   2º AnoA População  Distribuição da População   2º Ano
A População Distribuição da População 2º Ano
guest27c000
 
Factores responsáveis pela distribuição da população
Factores responsáveis pela distribuição da populaçãoFactores responsáveis pela distribuição da população
Factores responsáveis pela distribuição da população
Mayjö .
 
Distribuição população
Distribuição populaçãoDistribuição população
Distribuição população
Pocarolas
 
Os sectores-de-actividade
Os sectores-de-actividadeOs sectores-de-actividade
Os sectores-de-actividade
Pocarolas
 
Actividades económicas
Actividades económicasActividades económicas
Actividades económicas
Mayjö .
 
Guião 8º 6º teste
Guião 8º 6º testeGuião 8º 6º teste
Guião 8º 6º teste
Tânia Baptista
 
Ge teste 5_8ºeesrp
Ge teste 5_8ºeesrpGe teste 5_8ºeesrp
Ge teste 5_8ºeesrp
Geografias Geo
 
A Actividade Económica e os Agentes Económicos
A Actividade Económica e os Agentes EconómicosA Actividade Económica e os Agentes Económicos
A Actividade Económica e os Agentes Económicos
duartealbuquerque
 
Setor terciario
Setor terciarioSetor terciario
Setor terciario
Thaysa Brito
 
Formas de Turismo
Formas de TurismoFormas de Turismo
Formas de Turismo
Emília Cabral
 
Setores da Economia
Setores da EconomiaSetores da Economia
Setores da Economia
Ricardo Alex de Sousa
 
Pecuária
PecuáriaPecuária
Pecuária
Mayjö .
 
Pesca
PescaPesca
Pesca
Mayjö .
 
A indústria
A indústriaA indústria
A indústria
Mayjö .
 

Destaque (14)

A População Distribuição da População 2º Ano
A População  Distribuição da População   2º AnoA População  Distribuição da População   2º Ano
A População Distribuição da População 2º Ano
 
Factores responsáveis pela distribuição da população
Factores responsáveis pela distribuição da populaçãoFactores responsáveis pela distribuição da população
Factores responsáveis pela distribuição da população
 
Distribuição população
Distribuição populaçãoDistribuição população
Distribuição população
 
Os sectores-de-actividade
Os sectores-de-actividadeOs sectores-de-actividade
Os sectores-de-actividade
 
Actividades económicas
Actividades económicasActividades económicas
Actividades económicas
 
Guião 8º 6º teste
Guião 8º 6º testeGuião 8º 6º teste
Guião 8º 6º teste
 
Ge teste 5_8ºeesrp
Ge teste 5_8ºeesrpGe teste 5_8ºeesrp
Ge teste 5_8ºeesrp
 
A Actividade Económica e os Agentes Económicos
A Actividade Económica e os Agentes EconómicosA Actividade Económica e os Agentes Económicos
A Actividade Económica e os Agentes Económicos
 
Setor terciario
Setor terciarioSetor terciario
Setor terciario
 
Formas de Turismo
Formas de TurismoFormas de Turismo
Formas de Turismo
 
Setores da Economia
Setores da EconomiaSetores da Economia
Setores da Economia
 
Pecuária
PecuáriaPecuária
Pecuária
 
Pesca
PescaPesca
Pesca
 
A indústria
A indústriaA indústria
A indústria
 

Semelhante a Estrutura da população activa

IECJ - Cap. 05 - Brasil - de país agrário a país industrial - 7º Ano - EFII
IECJ - Cap. 05 - Brasil - de país agrário a país industrial - 7º Ano - EFIIIECJ - Cap. 05 - Brasil - de país agrário a país industrial - 7º Ano - EFII
IECJ - Cap. 05 - Brasil - de país agrário a país industrial - 7º Ano - EFII
profrodrigoribeiro
 
Sectores actividade económica
Sectores actividade económicaSectores actividade económica
Sectores actividade económica
Paula Tomaz
 
Sectores actividade económica
Sectores actividade económicaSectores actividade económica
Sectores actividade económica
Paula Tomaz
 
6 terciario
6  terciario6  terciario
6 terciario
Mayjö .
 
www.AulasDeGeografiaApoio.com - Geografia - Mundo desenvolvido e subdesenv...
 www.AulasDeGeografiaApoio.com  - Geografia -  Mundo desenvolvido e subdesenv... www.AulasDeGeografiaApoio.com  - Geografia -  Mundo desenvolvido e subdesenv...
www.AulasDeGeografiaApoio.com - Geografia - Mundo desenvolvido e subdesenv...
Aulas De Geografia Apoio
 
Setores da economia IV modulo
Setores da economia IV moduloSetores da economia IV modulo
Setores da economia IV modulo
Nailene Andrade
 
Os Sectores De Actividade
Os Sectores De ActividadeOs Sectores De Actividade
Os Sectores De Actividade
lidia76
 
www.TutoresReforcoEscolar.Com.Br - Geografia - Mundo desenvolvido e subdesen...
www.TutoresReforcoEscolar.Com.Br - Geografia -  Mundo desenvolvido e subdesen...www.TutoresReforcoEscolar.Com.Br - Geografia -  Mundo desenvolvido e subdesen...
www.TutoresReforcoEscolar.Com.Br - Geografia - Mundo desenvolvido e subdesen...
Manuela Mendes
 
www.aulasapoio.com - Geografia - Mundo desenvolvido e subdesenvolvido
www.aulasapoio.com - Geografia -  Mundo desenvolvido e subdesenvolvidowww.aulasapoio.com - Geografia -  Mundo desenvolvido e subdesenvolvido
www.aulasapoio.com - Geografia - Mundo desenvolvido e subdesenvolvido
Aulas Apoio
 
www.videoaulagratisapoio.com.br - Geografia - Mundo desenvolvido e subdesenv...
www.videoaulagratisapoio.com.br - Geografia -  Mundo desenvolvido e subdesenv...www.videoaulagratisapoio.com.br - Geografia -  Mundo desenvolvido e subdesenv...
www.videoaulagratisapoio.com.br - Geografia - Mundo desenvolvido e subdesenv...
Video Aulas Apoio
 
Estrutura da população ativa portuguesa
Estrutura da população ativa portuguesaEstrutura da população ativa portuguesa
Estrutura da população ativa portuguesa
FILIPEBatista33
 
Actividadeseconmicas 110607110631-phpapp01
Actividadeseconmicas 110607110631-phpapp01Actividadeseconmicas 110607110631-phpapp01
Actividadeseconmicas 110607110631-phpapp01
Paula Campos
 
5 alterações na industria
5  alterações na industria5  alterações na industria
5 alterações na industria
Mayjö .
 
Brasil Industrializado
Brasil IndustrializadoBrasil Industrializado
Brasil Industrializado
Charlies Ponciano
 
Resumo 11º-ano-geografia-a
Resumo 11º-ano-geografia-aResumo 11º-ano-geografia-a
Resumo 11º-ano-geografia-a
ESJEA
 
Resumos de geografia
Resumos de geografiaResumos de geografia
Resumos de geografia
8ºC
 
Resumos de geografia
Resumos de geografiaResumos de geografia
Resumos de geografia
8ºC
 
Resumos de geografia
Resumos de geografiaResumos de geografia
Resumos de geografia
8ºC
 
Desemprego estrutural e conjuntural
Desemprego estrutural e conjunturalDesemprego estrutural e conjuntural
Desemprego estrutural e conjuntural
Maira Conde
 

Semelhante a Estrutura da população activa (20)

IECJ - Cap. 05 - Brasil - de país agrário a país industrial - 7º Ano - EFII
IECJ - Cap. 05 - Brasil - de país agrário a país industrial - 7º Ano - EFIIIECJ - Cap. 05 - Brasil - de país agrário a país industrial - 7º Ano - EFII
IECJ - Cap. 05 - Brasil - de país agrário a país industrial - 7º Ano - EFII
 
Sectores actividade económica
Sectores actividade económicaSectores actividade económica
Sectores actividade económica
 
Sectores actividade económica
Sectores actividade económicaSectores actividade económica
Sectores actividade económica
 
 
6 terciario
6  terciario6  terciario
6 terciario
 
www.AulasDeGeografiaApoio.com - Geografia - Mundo desenvolvido e subdesenv...
 www.AulasDeGeografiaApoio.com  - Geografia -  Mundo desenvolvido e subdesenv... www.AulasDeGeografiaApoio.com  - Geografia -  Mundo desenvolvido e subdesenv...
www.AulasDeGeografiaApoio.com - Geografia - Mundo desenvolvido e subdesenv...
 
Setores da economia IV modulo
Setores da economia IV moduloSetores da economia IV modulo
Setores da economia IV modulo
 
Os Sectores De Actividade
Os Sectores De ActividadeOs Sectores De Actividade
Os Sectores De Actividade
 
www.TutoresReforcoEscolar.Com.Br - Geografia - Mundo desenvolvido e subdesen...
www.TutoresReforcoEscolar.Com.Br - Geografia -  Mundo desenvolvido e subdesen...www.TutoresReforcoEscolar.Com.Br - Geografia -  Mundo desenvolvido e subdesen...
www.TutoresReforcoEscolar.Com.Br - Geografia - Mundo desenvolvido e subdesen...
 
www.aulasapoio.com - Geografia - Mundo desenvolvido e subdesenvolvido
www.aulasapoio.com - Geografia -  Mundo desenvolvido e subdesenvolvidowww.aulasapoio.com - Geografia -  Mundo desenvolvido e subdesenvolvido
www.aulasapoio.com - Geografia - Mundo desenvolvido e subdesenvolvido
 
www.videoaulagratisapoio.com.br - Geografia - Mundo desenvolvido e subdesenv...
www.videoaulagratisapoio.com.br - Geografia -  Mundo desenvolvido e subdesenv...www.videoaulagratisapoio.com.br - Geografia -  Mundo desenvolvido e subdesenv...
www.videoaulagratisapoio.com.br - Geografia - Mundo desenvolvido e subdesenv...
 
Estrutura da população ativa portuguesa
Estrutura da população ativa portuguesaEstrutura da população ativa portuguesa
Estrutura da população ativa portuguesa
 
Actividadeseconmicas 110607110631-phpapp01
Actividadeseconmicas 110607110631-phpapp01Actividadeseconmicas 110607110631-phpapp01
Actividadeseconmicas 110607110631-phpapp01
 
5 alterações na industria
5  alterações na industria5  alterações na industria
5 alterações na industria
 
Brasil Industrializado
Brasil IndustrializadoBrasil Industrializado
Brasil Industrializado
 
Resumo 11º-ano-geografia-a
Resumo 11º-ano-geografia-aResumo 11º-ano-geografia-a
Resumo 11º-ano-geografia-a
 
Resumos de geografia
Resumos de geografiaResumos de geografia
Resumos de geografia
 
Resumos de geografia
Resumos de geografiaResumos de geografia
Resumos de geografia
 
Resumos de geografia
Resumos de geografiaResumos de geografia
Resumos de geografia
 
Desemprego estrutural e conjuntural
Desemprego estrutural e conjunturalDesemprego estrutural e conjuntural
Desemprego estrutural e conjuntural
 

Mais de Pedro Tomé

Causas sociais para a falta de produtividade em Portugal e o mito da elevada ...
Causas sociais para a falta de produtividade em Portugal e o mito da elevada ...Causas sociais para a falta de produtividade em Portugal e o mito da elevada ...
Causas sociais para a falta de produtividade em Portugal e o mito da elevada ...
Pedro Tomé
 
Emergência de novos centros de poder
Emergência de novos centros de poderEmergência de novos centros de poder
Emergência de novos centros de poder
Pedro Tomé
 
As alteração na circulação de capitais após a integração de Portugal na União...
As alteração na circulação de capitais após a integração de Portugal na União...As alteração na circulação de capitais após a integração de Portugal na União...
As alteração na circulação de capitais após a integração de Portugal na União...
Pedro Tomé
 
O aprofundamento da integração europeia
O aprofundamento da integração europeiaO aprofundamento da integração europeia
O aprofundamento da integração europeia
Pedro Tomé
 
Globalização - O papel das organizações internacionais (FMI, OMC e BM)
Globalização - O papel das organizações internacionais (FMI, OMC e BM)Globalização - O papel das organizações internacionais (FMI, OMC e BM)
Globalização - O papel das organizações internacionais (FMI, OMC e BM)
Pedro Tomé
 
Produto Interno Bruto (PIB)
Produto Interno Bruto (PIB)Produto Interno Bruto (PIB)
Produto Interno Bruto (PIB)
Pedro Tomé
 
Oligopsónio do mercado de trabalho
Oligopsónio do mercado de trabalho Oligopsónio do mercado de trabalho
Oligopsónio do mercado de trabalho
Pedro Tomé
 
Adam smith e a Revolução Industrial
Adam smith e a Revolução IndustrialAdam smith e a Revolução Industrial
Adam smith e a Revolução Industrial
Pedro Tomé
 
Horticultura floricultura & fruticultura
Horticultura floricultura & fruticulturaHorticultura floricultura & fruticultura
Horticultura floricultura & fruticultura
Pedro Tomé
 
Espaço Rural
Espaço RuralEspaço Rural
Espaço Rural
Pedro Tomé
 
Programação Linear
Programação LinearProgramação Linear
Programação Linear
Pedro Tomé
 
PIB
PIBPIB
Cobre
Cobre Cobre
Cobre
Pedro Tomé
 
Regiões Climáticas
Regiões Climáticas Regiões Climáticas
Regiões Climáticas
Pedro Tomé
 
Trabalho Infantil
Trabalho InfantilTrabalho Infantil
Trabalho Infantil
Pedro Tomé
 

Mais de Pedro Tomé (15)

Causas sociais para a falta de produtividade em Portugal e o mito da elevada ...
Causas sociais para a falta de produtividade em Portugal e o mito da elevada ...Causas sociais para a falta de produtividade em Portugal e o mito da elevada ...
Causas sociais para a falta de produtividade em Portugal e o mito da elevada ...
 
Emergência de novos centros de poder
Emergência de novos centros de poderEmergência de novos centros de poder
Emergência de novos centros de poder
 
As alteração na circulação de capitais após a integração de Portugal na União...
As alteração na circulação de capitais após a integração de Portugal na União...As alteração na circulação de capitais após a integração de Portugal na União...
As alteração na circulação de capitais após a integração de Portugal na União...
 
O aprofundamento da integração europeia
O aprofundamento da integração europeiaO aprofundamento da integração europeia
O aprofundamento da integração europeia
 
Globalização - O papel das organizações internacionais (FMI, OMC e BM)
Globalização - O papel das organizações internacionais (FMI, OMC e BM)Globalização - O papel das organizações internacionais (FMI, OMC e BM)
Globalização - O papel das organizações internacionais (FMI, OMC e BM)
 
Produto Interno Bruto (PIB)
Produto Interno Bruto (PIB)Produto Interno Bruto (PIB)
Produto Interno Bruto (PIB)
 
Oligopsónio do mercado de trabalho
Oligopsónio do mercado de trabalho Oligopsónio do mercado de trabalho
Oligopsónio do mercado de trabalho
 
Adam smith e a Revolução Industrial
Adam smith e a Revolução IndustrialAdam smith e a Revolução Industrial
Adam smith e a Revolução Industrial
 
Horticultura floricultura & fruticultura
Horticultura floricultura & fruticulturaHorticultura floricultura & fruticultura
Horticultura floricultura & fruticultura
 
Espaço Rural
Espaço RuralEspaço Rural
Espaço Rural
 
Programação Linear
Programação LinearProgramação Linear
Programação Linear
 
PIB
PIBPIB
PIB
 
Cobre
Cobre Cobre
Cobre
 
Regiões Climáticas
Regiões Climáticas Regiões Climáticas
Regiões Climáticas
 
Trabalho Infantil
Trabalho InfantilTrabalho Infantil
Trabalho Infantil
 

Último

Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
VictorEmanoel37
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Falcão Brasil
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Mary Alvarenga
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
STALINISMO apresentação slides para escolares
STALINISMO apresentação slides para escolaresSTALINISMO apresentação slides para escolares
STALINISMO apresentação slides para escolares
Daniel273024
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Mary Alvarenga
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
marcos oliveira
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
 
STALINISMO apresentação slides para escolares
STALINISMO apresentação slides para escolaresSTALINISMO apresentação slides para escolares
STALINISMO apresentação slides para escolares
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
 

Estrutura da população activa

  • 1. 10ºD Geografia A A estrutura da população activa em Portugal Trabalho realizado por:  Henrique Cardoso Nº12  Mark Vaz Nº 17  Pedro Tomé Nº 18  Ricardo Pereira Nº19  Rita Matos Nº 21
  • 2. Índice • Sectores de actividade • Taxa de actividade • Assimetrias regionais • Terciarização
  • 3. Os sectores de actividade • Conjunto de actividade exercidas pela população, que produzem bens e/ou serviços. – Sector primário é contituído pelas actividades relacionadas com a exploração do meio natural, tais como a agricultura, pecuária, pesca, silvicultura e indústrias extractivas. – Sector secundário é constituído pelas actividades transformadoras, ou seja as quais recebem os produtos brutos e procedem à sua tranformação, tais como a indústria, construção civil, obras públicas e produção de energia. – Sector terciário é constituído pelas actividades que proporcionam à sociedade uma enorme quantidade de serviços como o comércio, os transportes, a saúde, a educação, as finanças e outras profissões liberais, as quais são necessárias aos sectores anteriores.
  • 4. Na actualidade Diminuição dos Acentuado aumento sectores do sector • Primário e Terciário • Secundário Principal Deve-se a Consequência factores como • Melhoria do nível de vida Pouca riqueza criada que se traduz em • Melhoria do nível de qualificação problemas relativos à balança de • Acentuado aumento da tecnologia implementada • Feminização da mulher no mercado de trabalho pagamentos • Processo de Industrialização
  • 5. Evolução dos sectores de actividade em Oeiras e AML (%) Oeiras AML Sector de actividade 1970 1981 1991 1970 1981 1991 Primário 1,2 0,9 0,5 5,1 3,0 0,2 Secundário 35,6 28,6 22,6 34,1 35,4 8,3 Terciário 63,2 70,5 76,9 59,6 61,6 70 • No sector primário: apesar dos bons solos agrícolas, reside uma agricultura de subsistência. • No sector secundário: Redução de importância, recuperação de industrias por actividades do sector terciário superior. • No sector terciário: forte expansão dos serviços (Tagus Parque, Lagoas Parque…) e Turismo.
  • 6. Taxa de actividade • Taxa que permite definir o peso da população activa sobre o total da população. T.A. (%) = (População activa / População total) x 100. É a percentagem de habitantes que faz parte da população activa. • População activa é constituída por todos os indivíduos dos 15 aos 65 anos, que têm capacidade de exercer uma actividade remunerada e que pelos menos tenham praticado uma.
  • 7. Taxa de actividade Evolução • Como se pode ver desde 1950 a população activa tem vindo a aumentar devido: – A alterações na estrutura etária; – Ao prolongamento da escolaridade; – À femenização do trabalho; – Aos movimentos migratórios. Evolução da Taxa de actividade em • No gráfico de baixo há uma descida em 1992 e Portugal (%) depois volta a subir em 1998. A descida deve-se à 66 alteração do conceito de população activa e a 64 subida deve-se a alterações metodológicas no 62 que diz respeito à recolha de informação e ao 60 tratamento dos dados. 58 •Essa descida e subida é pouco relevante pois 56 como sabemos desde 1950 a taxa de actividade 54 tem vindo sempre a aumentar, mas há um 1983 1985 1987 1989 1991 1993 1995 1997 1999 2001 2003 2005 2007 2009 aspecto importante neste gráfico. Em 2009 há uma descida que se deve ao envelhecimento da população.
  • 8. Taxa de actividade • Os homens têm trabalhado em maior número do que as mulheres. • Porém, isso tem vindo a mudar pois como se pode ver no gráfico em 1970 a percentagem de homens era bem maior que a de mulheres mas em 2006, a percentagem de homens e mulheres já era quase igual. Este aumento de percentagem das mulheres que fazem parte da população activa deve-se à femenização do mercado de trabalho.
  • 10.  A terciarização é o aumento das actividades terciárias;  Países mais desenvolvidos;  Constituído pelo sector terciário e sector terciário superior;  É ao nível do sector terciário que se verifica um forte crescimento, motivando a terciarização da sociedade, devido ao incremento das funções sociais do Estado, à complexificação da actividade económica, ao desenvolvimento dos meios de comunicação social e dos transportes. Sector Primário Países menos desenvolvidos Sector Secundário Países em desenvolvimento Sector Terciário Sector Quaternário Países mais desenvolvidos
  • 11. Causas • Turismo; • Melhoria do nível de vida; • Aumento do poder de compra; • Crescimento das cidades; • Estado providência; • Feminização; • Ensino obrigatório; • Disputa entre as empresas (internacionais). Consequências • Evolução da Economia; • Pouca actividade nos outros sectores; • Progresso tecnológico; • Desenvolvimento do Turismo; • Poluição.
  • 12. Há 50 anos atrás… • A população portuguesa trabalhava essencialmente no Sector Primário (Agricultura). Esta tinha uma fraca produção e era pouco mecanizada. - Aumento da população Provocou o êxodo rural (Lisboa) - Agricultura “exausta” e a emigração da população - Desejo de mudança de vida activa para o estrangeiro (França). - Crescimento industrial - Aumento do Sector Secundário
  • 13. + máquinas - Têxtil Industrialização + indústrias - Celulose - Tomate - Metalomecânica - Feminização no Sector Secundário; - Aumento dos salários; - Aumento do emprego; - Introdução à produção de automóveis e electrodomésticos. • A maior parte das pessoas que predominavam neste sector começavam a trabalhar aos 10 anos, tendo só a 4ª classe. Para eles exercer esta actividade era como se lhes “tivesse saído a sorte grande”. Há 50 anos atrás…
  • 14. Maior Mecanização através de fundos Empresas: Automóveis Outras empresas Têxteis Evolução do Turismo e Serviços Criação: - Professores - Hóteis - Comércio - Restaurantes - Transportes TERCIARIZAÇÃO ACTUAL Há 25 anos atrás…
  • 15. Relativamente a este gráfico, concluímos que tanto a Angola como o Uganda são países de baixo desenvolvimento pois apresentam altas percentagens no sector primário, enquanto os restantes como têm elevadas taxas no sector terciário em princípio são mais desenvolvidos. Digo em princípio porque neste gráfico temos um bom exemplo, é o caso da República Dominicana que apesar de ser um país pouco desenvolvido, apresenta altos valores no sector terciário devido ao forte Turismo implementado, que representa a maior actividade económica do país.
  • 16. Assimetrias regionais Como sabemos as zonas do litoral e Norte apresentam mais ofertas de emprego, para além disso ainda existem assimetrias regionais a nível dos sectores. Tal como nos países menos desenvolvidos se registam maiores percentagens do sector primário, nas regiões portuguesas menos desenvolvidas isso também se reflecte, mas de forma menos acentuada. Esta situação dá-se em principalmente na região Centro, onde predomina um equilíbrio. No entanto a região Norte contém ainda valores consideráveis no sector secundário, o que ajuda positivamente a economia do país, mas infelizmente a tendência é de diminuição. Na região do Algarve e da Madeira onde o Turismo é uma actividade que sobressai, e ainda no Alentejo e Açores, o sector terciário é o que se destaca, mas a presença do sector primário é também notória. Por último, Lisboa apresenta uma diferença muito grande entre o sector terciário, que revela uma extrema importância e o sector primário onde é quase insignificante.
  • 17. Nível de qualificação da Quantidade de recursos de população possível exploração Factores influenciáveis Infra-estruturas Posição Tipo de clima Geográfica