Caía a tarde na selva. E ao longe pelos caminhos, ouvia- se a passarada que regressava a seus ninhos.
Na beira de uma lagoa, ossapos em profusão,cantavam bem ritmados, asua velha canção. No mais,tudo era silêncio.
No entanto, nesse momento, surgiu um velho leão, a procura de alimento. Andava orgulhosamente, com passos lentos, pesados....
Porém, eis que de repente, surgiuum pobre ratinho. O leão nãoperdeu tempo e assim estendendo apata, alcançou o pobrezinho ...
- Pensando bem, tens razão!Eu vou soltar-te ratinho. Oque ia fazer contigo, assimpequeno, magrinho. Segue empaz o teu pass...
- Oh! - Pagar-me? Ora! Tu malaguenta contigo! O quepoderias fazer a meu favor,pobre amigo! - Não sei, não sei majestade,ma...
- Vejam, meninos, quehorror! O pobre animal, caiu narede de um caçador. E afera se debatendo de raivae pavor, urrava! E qu...
Nesse instante, o talratinho, que de longe tudoouvia, chegou perto do leão,que urrando se debatia. - Não se aflija meu ami...
E o ratinho foi roendo, roendo  insistentemente, até que a  corda cedeu e arrebentou          finalmente!  - Pronto, estou...
E o leão, aprendeu a lição!"Mais vale, a me agradeça, - Amigo, não calma e aprudência, à aprenda bem, entretanto fúriadese...
O Leão e o ratinho
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

O Leão e o ratinho

1.284 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

O Leão e o ratinho

  1. 1. Caía a tarde na selva. E ao longe pelos caminhos, ouvia- se a passarada que regressava a seus ninhos.
  2. 2. Na beira de uma lagoa, ossapos em profusão,cantavam bem ritmados, asua velha canção. No mais,tudo era silêncio.
  3. 3. No entanto, nesse momento, surgiu um velho leão, a procura de alimento. Andava orgulhosamente, com passos lentos, pesados. E por onde ele passava, os bichos apavorados, fugiam para suas tocas, deixando
  4. 4. Porém, eis que de repente, surgiuum pobre ratinho. O leão nãoperdeu tempo e assim estendendo apata, alcançou o pobrezinho quecorria pela mata. -Vejam só, que sorte a minha!Abocanhei-te seu moço. Tu não és lámuito grande, mas já serve para oalmoço! - Tenha piedade senhor! - Oh,solte-me por favor! Do que lhe
  5. 5. - Pensando bem, tens razão!Eu vou soltar-te ratinho. Oque ia fazer contigo, assimpequeno, magrinho. Segue empaz o teu passeio. Não vês,sou teu amigo, para mim denada serves, quase nãopode contigo! - Seu Leão, esse favor, eu
  6. 6. - Oh! - Pagar-me? Ora! Tu malaguenta contigo! O quepoderias fazer a meu favor,pobre amigo! - Não sei, não sei majestade,mas prometo-lhe outra vez,algum dia, hei de pagar-lhe,o grande bem que me fez E assim dizendo, o ratinhocorreu e muito feliz entrouno seu buraquinho. E o leãotranquilamente, embrenhou-
  7. 7. - Vejam, meninos, quehorror! O pobre animal, caiu narede de um caçador. E afera se debatendo de raivae pavor, urrava! E quanto mais seesforçava, mais a corda o
  8. 8. Nesse instante, o talratinho, que de longe tudoouvia, chegou perto do leão,que urrando se debatia. - Não se aflija meu amigo,aqui estou para salvá-lo. Espere. Fique tranquilo,pois vou tentar libertá-lo.Deixe-me roer a corda que oprendeu... assim...assim... não
  9. 9. E o ratinho foi roendo, roendo insistentemente, até que a corda cedeu e arrebentou finalmente! - Pronto, estou livre afinal! - Muito obrigado ratinho. O que seria de mim sem tua ajuda, amiguinho! E o ratinho humildemente, cheio de satisfação, estendeu sua patinha ao
  10. 10. E o leão, aprendeu a lição!"Mais vale, a me agradeça, - Amigo, não calma e aprudência, à aprenda bem, entretanto fúriadesenfreada." dos fracos, não faça pouco confie neles também"Os pequenos amigos podem serevelar seus grandes esta - E o leão compreendeu lição acertada!aliados."Fábula de Esopo recontada Mais vale a calma e apor Jean deà fúria prudência La Fontaine

×