COMUNICAÇÃO DO CORPO<br />MONICA RECTOR & ALUIZIO RAMOS TRINTA<br />Bianca Salim, Dione Petterson, Elizabete Maia, Fernand...
INTRODUÇÃO<br />
A REPRESENTAÇÃO DO MOVIMENTO<br /><ul><li>    A expressão do corpo pode ter vários significados.</li></ul>- Arrogância.<br...
COMUNICAÇÃO: CÓDIGO E MENSAGEM<br /><ul><li>    Dispensa explicações.</li></ul>- Campo multidisciplinar.<br />- Roupas, de...
 Quando grita “Fora!”, utiliza um código verbal.
 Quando usa o apito, utiliza um código auditivo.
 Quando mostra um cartão, utiliza um</li></ul>  código visual.<br /><ul><li> Quando levanta os braços para terminar a</li>...
COMUNICAÇÃO: CÓDIGO E MENSAGEM<br /><ul><li>    Crianças também utilizam códigos para se comunicar com os pais.</li></ul>-...
COMUNICAÇÃO: CÓDIGO E MENSAGEM<br /><ul><li>    Países diferentes, culturas diferentes.</li></ul>- O sinal de OK.<br />
COMUNICAÇÃO: CÓDIGO E MENSAGEM<br /><ul><li>Países diferentes, culturas diferentes.</li></ul>- Dedo indicador e médio leva...
COMUNICAÇÃO: CÓDIGO E MENSAGEM<br /><ul><li>    Países diferentes, culturas diferentes.
Ingleses evitam aproximação enquanto ela é fundamental para os  árabes.
O rosto: mais expressivo instrumento da comunicação não-verbal.</li></li></ul><li>COMUNICAÇÃO: CÓDIGO E MENSAGEM<br /><ul>...
Semiologia: linha de pensamento de Saussure (1857-1913), ocupa-se basicamente de sistema de signos.
Semiótica: segundo Charles Sanders Peirce (1839-1914), dirige-se à análise e à explicação dos mecanismos pelos quais um si...
ENTRE O GESTO E A PALAVRA<br /><ul><li>    Numa interação social, nota-se unidades diferentes de troca de informação:</li>...
COMUNICAÇÃO NÃO-VERBAL<br /><ul><li>    “Nós ouvimos a nós mesmos como ouvimos os outros – mas não nos vemos.”
    No entanto, verbal e não-verbal são duas modalidades da linguagem, sendo:
    Verbal: pela expressão linguística;
    Não-verbal: pela movimentação significativa do corpo.
    O homem, ao mover-se, põe em funcionamento formas de expressão completas e complexas.
    Os elementos não-verbais da comunicação social são responsáveis por 65% do total das mensagens enviadas e recebidas.</...
    Os gestos podem se relacionar, por exemplo, à satisfação de necessidades fisiológicas, tais como “comer”, “beber” e “d...
    O que é gesto?
    É uma ação corporal visível, pela qual um certo significado é transmitido por meio de uma expressão voluntária.
    Ex.: Aceno.</li></li></ul><li>A HISTÓRIA DOS GESTOS<br /><ul><li>    As formas de saudação podem apresentar variadas c...
Exemplos:
 A mão levantada e aberta, com os dedos unidos, marcava na antiga Roma uma saudação introdutória (Ave), a qual, à época de...
 Um V mostrado com os dedos indicador e médio, com o braço bem erguido: gesto da “vitória” adotado por Sir Winston Churchi...
 Á época do movimento hippie, este mesmo gesto tornou-se expressão não-verbal de uma palavra de ordem, “Paz e Amor”, em pr...
Exemplos:
 A maneira de cumprimentar, estendendo a mão revela traços de personalidade;
 O modo de falar trai emoções inconfessas pela variação da voz ou pela variedade do tom.
 A “boa educação” recomenda uma “boa” articulação vocal, em testemunho de sensibilidade, respeito e atenção ao ouvinte.</l...
A APARÊNCIA: O CORPO VESTIDO<br /><ul><li>Outra forma pela qual comunicamos, indicando aos que veem quem somos e o que rep...
    Nosso corpo tem um prolongamento: são as roupas e os acessórios de vestir.
    A moda faz uso de signos visuais produzindo um significado específico:
 Tênis + Meia soquete + Bermuda + Camiseta = Roupa Esportiva
 Sapato de salto + Vestido longo + Jóias = Traje de gala
    Na realidade, não vestimos exatamente o que queremos, mas o que socialmente nos obrigam a vestir.
    Pode-se concluir, portanto, que a roupa que vestimos, o modo como a vestimos, além dos acessórios que usamos, fornece ...
PERCEPÇÃO<br />
PERCEPÇÃO<br />Receptores à distância:<br />Olhos<br />Nariz<br />Ouvido<br />
PERCEPÇÃO<br />Receptores imediatos:<br />
OS 5 SENTIDOS<br />
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Comunicação Do Corpo - Monica Rector e Aluizio Ramos Trinta

14.714 visualizações

Publicada em

Resumo sobre o livro Comunicação do Corpo de Monica Rector e Aluizio Ramos Trinta.

Alunos: Bianca Salim, Dione Petterson, Elizabete Maia, Fernanda Senna, Gabriela Barbosa, Marcely Vilela, Pedro Godoy e Pedro Terra.

2º período de Publicidade e Propaganda do Centro Univeristário Newton Paiva, de Belo Horizonte, Minas Gerais.

Publicada em: Educação, Tecnologia, Negócios
1 comentário
11 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
14.714
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
86
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
1
Gostaram
11
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Comunicação Do Corpo - Monica Rector e Aluizio Ramos Trinta

  1. 1. COMUNICAÇÃO DO CORPO<br />MONICA RECTOR & ALUIZIO RAMOS TRINTA<br />Bianca Salim, Dione Petterson, Elizabete Maia, Fernanda Senna, Gabriela Barbosa, Marcely Vilela, Pedro Godoy, Pedro Terra.<br />
  2. 2. INTRODUÇÃO<br />
  3. 3. A REPRESENTAÇÃO DO MOVIMENTO<br /><ul><li> A expressão do corpo pode ter vários significados.</li></ul>- Arrogância.<br />- Insegurança.<br />- Desconforto.<br /><ul><li> Há vários padrões para as atitudes corporais.</li></ul>- Imitação.<br /><ul><li> Comunicar é importante como respirar e o nosso corpo é um dos meios de comunicação. Essa é a linguagem do corpo.</li></li></ul><li>COMUNICAÇÃO:<br />CÓDIGO E MENSAGEM<br />
  4. 4. COMUNICAÇÃO: CÓDIGO E MENSAGEM<br /><ul><li> Dispensa explicações.</li></ul>- Campo multidisciplinar.<br />- Roupas, determinadas ações, também são consideradas comunicação.<br /><ul><li>Exemplo: Juiz de futebol
  5. 5. Quando grita “Fora!”, utiliza um código verbal.
  6. 6. Quando usa o apito, utiliza um código auditivo.
  7. 7. Quando mostra um cartão, utiliza um</li></ul> código visual.<br /><ul><li> Quando levanta os braços para terminar a</li></ul> partida, utiliza um código gestual.<br />- E todos entendem.<br />
  8. 8. COMUNICAÇÃO: CÓDIGO E MENSAGEM<br /><ul><li> Crianças também utilizam códigos para se comunicar com os pais.</li></ul>- Através da imitação.<br /><ul><li> Todas as interações sociais se utilizam da cultura.</li></ul>- Nos estilos de vida e hábitos.<br />- Regras de etiqueta = melhor convívio social.<br /><ul><li> Quanto à educação não-verbal, a aprendizagem pode ser FORMAL, INFORMAL e TÉCNICA.</li></ul> - A FORMAL: transmitida pelos pais, os famosos “bons modos”.<br /> - A INFORMAL: imitação.<br /> - A TÉCNICA: ensinada em instituições como a escola. <br />
  9. 9. COMUNICAÇÃO: CÓDIGO E MENSAGEM<br /><ul><li> Países diferentes, culturas diferentes.</li></ul>- O sinal de OK.<br />
  10. 10. COMUNICAÇÃO: CÓDIGO E MENSAGEM<br /><ul><li>Países diferentes, culturas diferentes.</li></ul>- Dedo indicador e médio levantados.<br />
  11. 11. COMUNICAÇÃO: CÓDIGO E MENSAGEM<br /><ul><li> Países diferentes, culturas diferentes.
  12. 12. Ingleses evitam aproximação enquanto ela é fundamental para os árabes.
  13. 13. O rosto: mais expressivo instrumento da comunicação não-verbal.</li></li></ul><li>COMUNICAÇÃO: CÓDIGO E MENSAGEM<br /><ul><li> O signo:</li></ul> - Uma palavra é um signo verbal.<br /> - Uma placa de trânsito é um signo visual.<br /> - Um apito do juiz é um signo auditivo.<br /> - Um beliscão é um signo tátil.<br /> - Um aroma é um signo olfativo.<br /> - Um gosto é um signo gustativo.<br /><ul><li> Signos têm a função de representar, é codificado segundo normas culturais.</li></li></ul><li>COMUNICAÇÃO: CÓDIGO E MENSAGEM<br /><ul><li> Semiologia ou semiótica.
  14. 14. Semiologia: linha de pensamento de Saussure (1857-1913), ocupa-se basicamente de sistema de signos.
  15. 15. Semiótica: segundo Charles Sanders Peirce (1839-1914), dirige-se à análise e à explicação dos mecanismos pelos quais um signo representa um objeto para alguém.</li></li></ul><li>ENTRE O GESTO E A PALAVRA<br /><ul><li> Além das várias mensagens que expressam sentimentos que já vimos, outra pode ser pontuada:</li></ul>- O tom de voz, usado para cada situação.<br />- Paralinguística é o estudo dessas emissões vocais.<br /><ul><li> A paralinguagem se divide em dois grupos:</li></ul>Qualidade vocal<br /><ul><li>Compreende a altura do tom de voz, a qualidade da articulação, tipo de emissão, respiração, o ritmo.</li></ul>2) Postura vocal<br />A – Caracterizadores vocais: riso, choro, sussurros...<br />B – Qualificadores vocais: intensidade e a extensão de palavras e frases.<br />C – Segregados vocais: interjeições, estalidos e barulhinhos com a língua e os lábios.<br />
  16. 16. ENTRE O GESTO E A PALAVRA<br /><ul><li> Numa interação social, nota-se unidades diferentes de troca de informação:</li></ul> - Unidades linguísticas ou verbais: palavras e frases.<br /> - Unidades paralinguísticas: elementos vocais.<br /> - Unidades não-linguísticas: expressões individuais traduzidas em mensagens do corpo.<br /> - Unidades extralinguísticas: roupa e acessórios.<br />
  17. 17. COMUNICAÇÃO NÃO-VERBAL<br /><ul><li> “Nós ouvimos a nós mesmos como ouvimos os outros – mas não nos vemos.”
  18. 18. No entanto, verbal e não-verbal são duas modalidades da linguagem, sendo:
  19. 19. Verbal: pela expressão linguística;
  20. 20. Não-verbal: pela movimentação significativa do corpo.
  21. 21. O homem, ao mover-se, põe em funcionamento formas de expressão completas e complexas.
  22. 22. Os elementos não-verbais da comunicação social são responsáveis por 65% do total das mensagens enviadas e recebidas.</li></li></ul><li>SINALIZAÇÃO COMUNICATIVA<br /><ul><li>São numerosos os gestos que todo ser humano é capaz de executar.
  23. 23. Os gestos podem se relacionar, por exemplo, à satisfação de necessidades fisiológicas, tais como “comer”, “beber” e “dormir”.
  24. 24. O que é gesto?
  25. 25. É uma ação corporal visível, pela qual um certo significado é transmitido por meio de uma expressão voluntária.
  26. 26. Ex.: Aceno.</li></li></ul><li>A HISTÓRIA DOS GESTOS<br /><ul><li> As formas de saudação podem apresentar variadas combinações de partes do corpo: cabeça, olhos, braços, mãos e dedos.
  27. 27. Exemplos:
  28. 28. A mão levantada e aberta, com os dedos unidos, marcava na antiga Roma uma saudação introdutória (Ave), a qual, à época de vigência do fascismo de Mussolini: gesto adotado como senha entre os adeptos de Duce.
  29. 29. Um V mostrado com os dedos indicador e médio, com o braço bem erguido: gesto da “vitória” adotado por Sir Winston Churchill: símbolo visual da resistência inglesa na Segunda Guerra Mundial.
  30. 30. Á época do movimento hippie, este mesmo gesto tornou-se expressão não-verbal de uma palavra de ordem, “Paz e Amor”, em protesto contra a Guerra do Vietnã.</li></li></ul><li>APRENDENDO A VER O OUTRO<br /><ul><li>Aprendemos com nossos pais ou pela experiência que as pessoas que não nos fitam quando falam conosco são “falsas” ou “hipócritas”.
  31. 31. Exemplos:
  32. 32. A maneira de cumprimentar, estendendo a mão revela traços de personalidade;
  33. 33. O modo de falar trai emoções inconfessas pela variação da voz ou pela variedade do tom.
  34. 34. A “boa educação” recomenda uma “boa” articulação vocal, em testemunho de sensibilidade, respeito e atenção ao ouvinte.</li></li></ul><li>UMA LINGUAGEM SEM PALAVRAS E MUITO SENTIDOS<br />
  35. 35. A APARÊNCIA: O CORPO VESTIDO<br /><ul><li>Outra forma pela qual comunicamos, indicando aos que veem quem somos e o que representamos, é a nossa aparência.
  36. 36. Nosso corpo tem um prolongamento: são as roupas e os acessórios de vestir.
  37. 37. A moda faz uso de signos visuais produzindo um significado específico:
  38. 38. Tênis + Meia soquete + Bermuda + Camiseta = Roupa Esportiva
  39. 39. Sapato de salto + Vestido longo + Jóias = Traje de gala
  40. 40. Na realidade, não vestimos exatamente o que queremos, mas o que socialmente nos obrigam a vestir.
  41. 41. Pode-se concluir, portanto, que a roupa que vestimos, o modo como a vestimos, além dos acessórios que usamos, fornece informação indicial acerca do que somos ou desejamos aparentar que somos.</li></li></ul><li>PERCEPÇÃO E COMUNICAÇÃO<br />ATRAVÉS DOS SENTIDOS<br />PERCEBENDO O MUNDO<br />
  42. 42. PERCEPÇÃO<br />
  43. 43. PERCEPÇÃO<br />Receptores à distância:<br />Olhos<br />Nariz<br />Ouvido<br />
  44. 44. PERCEPÇÃO<br />Receptores imediatos:<br />
  45. 45. OS 5 SENTIDOS<br />
  46. 46. VISÃO<br />Olhos dilatam para<br />verem aquilo que<br />nos agrada. <br />Olhos contraem para<br />verem aquilo que<br />rejeitamos.<br />
  47. 47. VISÃO<br />De acordo com o especialista em comunicação não-verbal, existem 4 posições dos olhos:<br /> Bem abertos/arregalados: susto ou alta carga emocional<br /> Sonolentos: apatia ou sedução <br /> Estreitados/semicerrados: olhar dissimulado<br /> Firmemente cerrados: negação, repulsa ou dor física.<br />
  48. 48. AUDIÇÃO<br />Audição + Fonação<br />
  49. 49. TATO<br />Tacésica<br />
  50. 50. PALADAR<br />Memória + Paladar<br />
  51. 51. OLFATO<br />Significante <br />(composição química)<br />Significado<br />(o que representa )<br />
  52. 52. MOVIMENTO E AÇÃO:<br />A CINÉSICA<br />
  53. 53. MOVIMENTO E AÇÃO: A CINÉSICA<br /><ul><li>Os movimentos, quando não acidentais, possuem significados.
  54. 54. Adquirimos movimentos corporais com real valor significativo ao longo de nossa vida social.
  55. 55. Exemplo: “piscadela de olho” = cumplicidade, tentativa de conquista etc.
  56. 56. O contexto interfere.
  57. 57. Cinésica = É uma disciplina que descreve as posições e a movimentação do corpo humano, na comunicação interpessoal. </li></li></ul><li>A REPRESENTAÇÃO DO MOVIMENTO<br /><ul><li>Tais movimentos, ao serem estudados, devem ser transcritos. Recorre-se, então, a uma representação visual através do desenho de símbolos, que constituirão um sistema.
  58. 58. Toda representação visual apresenta analogia com aquilo que é representado.
  59. 59. Na dança, por exemplo, os movimentos executados não são tão arbitrários quanto parecem. Existe uma relação entre os estilos de dança e os movimentos realizados em atividades cotidianas.</li></li></ul><li>OS MOVIMENTOS DO CORPO HUMANO<br /><ul><li>A análise é feita sobre trejeitos faciais, o movimento dos olhos, posturas corporais e a gesticulação.</li></li></ul><li>AS MENSAGENS CINÉSICAS<br /><ul><li>A gesticulação apresenta extensa gama de possibilidades de significados, variando de cultura a cultura.
  60. 60. A cinésica = Análise da emissão e recepção de “mensagens silenciosas”.
  61. 61. Em caso de “má compreensão” da mensagem, a sensação de desconforto ou de perplexidade é imediata.
  62. 62. Ao mudar de língua, o indivíduo tende também a mudar de “linguagem corporal”.
  63. 63. Assim como a língua, a cinésica é culturalmente determinada.</li></li></ul><li>ESTUDANDO A CINÉSICA<br /><ul><li>O fluxo cinésico da interação social envolve movimentos de cabeça, piscar de olhos, movimentos do queixo e dos lábios, variações na posição do tórax e dos ombros, atividades gestuais dos braços, das mãos e dos dedos, bem como a movimentação das pernas e dos pés.
  64. 64. Variáveis como intensidade, amplitude e rapidez, são levadas em conta para efeitos de análise e descrição. </li></li></ul><li>RISO, SORRISO E GARGALHADA<br /><ul><li>Algumas expressões faciais parecem associadas a emoções que são comuns a todos os seres humanos.
  65. 65. Todos os seres humanos sorriem, mas existem distintos tipos de sorriso, que são sempre particulares a esta ou àquela cultura.
  66. 66. Sorrir é assentir. No Japão, por exemplo, o sorriso constante é um sinal de reconhecimento e um testemunho de boa educação.</li></li></ul><li>OS GESTOS<br />
  67. 67. A POSTURA<br /><ul><li>A variável mais sensível para o estudo das posturas do corpo é a cultura.
  68. 68. Pelo menos três dimensões, inerentes a toda postura corporal, podem ser identificadas:
  69. 69. Inclusão-Exclusão
  70. 70. Orientação Paralela dos Corpos
  71. 71. Congruência-Incongruência
  72. 72. Os comportamentos propriamente posturais de indivíduos fornecem indícios de seus sentimentos e de suas intenções.</li></li></ul><li>ESPAÇO FÍSICO:<br />A PROXÊMICA<br />
  73. 73. ESPAÇO FÍSICO: A PROXÊMICA<br /><ul><li> Edward T. Hall.
  74. 74. 16 de maio de 1914- 20 de julho de 2009.
  75. 75. Antropólogo considerado o pai da comunicação intercultural como área de estudos acadêmicos.</li></li></ul><li>PROXÊMICA<br />“Termo usado para descrever o espaço pessoal de indivíduos num meio social,<br />definindo-o como o &quot;conjunto das observações e teorias referentes ao uso que o<br />homem faz do espaço enquanto produto cultural específico&quot;. Descreve as distâncias<br />mensuráveis entre as pessoas, conforme elas interagem, distâncias e posturas que<br />não são intencionais, mas sim resultado do processo de aculturação. É um exemplo<br />de proxêmica quando um indivíduo que encontra um banco de praça já ocupado por<br />outra pessoa numa das extremidades, tende a sentar-se na extremidade oposta,<br />preservando um espaço entre os dois indivíduos”.<br />
  76. 76. DISTÂNCIAS<br /><ul><li> Distância íntima
  77. 77. Distância pessoal
  78. 78. Distância social
  79. 79. Distância pública</li></li></ul><li>CRONÊMICA<br /><ul><li> Estudo do tempo social.
  80. 80. “Trata-se da percepção, estruturação e reação ao tempo social, assim como às mensagens que interpretamos através do seu uso.”</li></li></ul><li>CONCLUSÃO<br />

×