SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 3
ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL
      PODER JUDICIÁRIO
      TRIBUNAL DE JUSTIÇA


LRK
Nº 71002327823
2009/CÍVEL


                            EXECUÇÃO DE SENTENÇA ARBITRAL. NÃO
                            EXISTINDO COMPROVAÇÃO DE QUE AS PARTES
                            FIRMARAM        COMPROMISSO         ARBITRAL,     A
                            SENTENÇA ARBITRAL É NULA.
                            1. Segundo o disposto na Lei 9.307/96, as partes
                            poderão convencionar submeter o litígio à
                            arbitragem. Contudo, para tanto, deverá ser
                            firmado compromisso arbitral, o qual deverá ser
                            celebrado por escrito particular, assinado por duas
                            testemunhas, ou por instrumento público.
                            2. Em síntese, somente podem ser decididas pelo
                            Juízo arbitral questões quando as partes expressa
                            e formalmente concordem com tal forma de
                            resolução de conflitos.
                            3. No caso concreto, tal situação não se encontra
                            presente, já que não há nos autos comprovação de
                            que a ora embargante tenha concordado em
                            submeter a questão envolvendo a pagamento do
                            imóvel por ela adquirido ao Juízo Arbitral, uma vez
                            que não veio aos autos comprovação de que ela
                            tenha firmado o compromisso arbitral.
                            4. Assim, nos termos do art. 32, I, do referido
                            diploma legal, é nula a sentença arbitral objeto da
                            execução embargada.
                            5. Por outro lado, com relação ao mérito da lide, a
                            escritura de compra e venda expressamente
                            menciona que o vendedor já teria recebido a
                            integralidade do preço, dando plena e geral
                            quitação. Inexistindo qualquer indício probatório
                            no sentido de que ainda existiria saldo em aberto,
                            descabe a presente execução.

                            Sentença   confirmada por         seus    próprios
                            fundamentos.
                            RECURSO DESPROVIDO.


RECURSO INOMINADO                               PRIMEIRA TURMA RECURSAL
                                                                   CÍVEL
Nº 71002327823                                        COMARCA DE GUAÍBA

WALDOMIRO DA SILVA E SOUZA                                       RECORRENTE

ZILA BITENCOURT DE LORETO                                            RECORRIDO


                                                                             1
ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL
      PODER JUDICIÁRIO
      TRIBUNAL DE JUSTIÇA


LRK
Nº 71002327823
2009/CÍVEL

                            ACÓRDÃO
               Vistos, relatados e discutidos os autos.
               Acordam os Juízes de Direito integrantes da Primeira Turma
Recursal Cível dos Juizados Especiais Cíveis do Estado do Rio Grande do
Sul, à unanimidade, em NEGAR PROVIMENTO AO RECURSO.
               Participaram do julgamento, além do signatário, os eminentes
Senhores DR. RICARDO TORRES HERMANN (PRESIDENTE) E DR.
HELENO TREGNAGO SARAIVA.
               Porto Alegre, 13 de maio de 2010.



                        DR. LEANDRO RAUL KLIPPEL,
                                 Relator.


                          RELATÓRIO
                                (Oral em Sessão.)



                                    VOTOS
DR. LEANDRO RAUL KLIPPEL (RELATOR)


               Não merece ser provido o recurso manejado pelo recorrente,
devendo ser mantida a sentença por seus próprios fundamentos, na forma
do art. 46 da Lei 9099/95, segunda parte, que assim dispõe: “Se a sentença
for confirmada pelos próprios fundamentos, a súmula do julgamento servirá
de acórdão”.
               Do exposto, voto por NEGAR PROVIMENTO AO RECURSO,
mantendo-se a sentença de primeiro grau, com a condenação do
embargado nas custas e honorários advocatícios fixados em 20 % do valor
                                                                         2
ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL
       PODER JUDICIÁRIO
       TRIBUNAL DE JUSTIÇA


LRK
Nº 71002327823
2009/CÍVEL

da causa. Suspendo a executividade das verbas sucumbenciais em face do
deferimento do benefício da Assistência Judiciária Gratuita ao recorrente.




DR. RICARDO TORRES HERMANN (PRESIDENTE) - De acordo com o(a)
Relator(a).
DR. HELENO TREGNAGO SARAIVA - De acordo com o(a) Relator(a).


DR. RICARDO TORRES HERMANN - Presidente - Recurso Inominado nº
71002327823, Comarca de Guaíba: "NEGARAM PROVIMENTO AO
RECURSO. UNÂNIME"



Juízo de Origem: 1. VARA CIVEL GUAIBA - Comarca de Guaíba




                                                                             3

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apostila procedimentos especiais
Apostila procedimentos especiais Apostila procedimentos especiais
Apostila procedimentos especiais
Kelly Martins
 
É ilegal decreto de prisão em decisão de processo civil, ressalvada a obrigaç...
É ilegal decreto de prisão em decisão de processo civil, ressalvada a obrigaç...É ilegal decreto de prisão em decisão de processo civil, ressalvada a obrigaç...
É ilegal decreto de prisão em decisão de processo civil, ressalvada a obrigaç...
Luiz F T Siqueira
 
Slides procedimento do júri - apresentação
Slides   procedimento do júri - apresentaçãoSlides   procedimento do júri - apresentação
Slides procedimento do júri - apresentação
maribarr
 
Novo procedimento tribunal do júri primeira fase
Novo procedimento tribunal do júri   primeira faseNovo procedimento tribunal do júri   primeira fase
Novo procedimento tribunal do júri primeira fase
eupgrs
 

Mais procurados (13)

Diario
DiarioDiario
Diario
 
Alegações Finais
Alegações FinaisAlegações Finais
Alegações Finais
 
Execução processo cumprimento de sentença
Execução  processo cumprimento de sentençaExecução  processo cumprimento de sentença
Execução processo cumprimento de sentença
 
ESQUEMA NOVO PROCESSO CIVIL
ESQUEMA NOVO PROCESSO CIVILESQUEMA NOVO PROCESSO CIVIL
ESQUEMA NOVO PROCESSO CIVIL
 
Petição Neilton Cruvinel
Petição Neilton CruvinelPetição Neilton Cruvinel
Petição Neilton Cruvinel
 
Apostila procedimentos especiais
Apostila procedimentos especiais Apostila procedimentos especiais
Apostila procedimentos especiais
 
Livramento condicional-falta-grave
Livramento condicional-falta-graveLivramento condicional-falta-grave
Livramento condicional-falta-grave
 
Aula 1 recursos
Aula 1 recursosAula 1 recursos
Aula 1 recursos
 
É ilegal decreto de prisão em decisão de processo civil, ressalvada a obrigaç...
É ilegal decreto de prisão em decisão de processo civil, ressalvada a obrigaç...É ilegal decreto de prisão em decisão de processo civil, ressalvada a obrigaç...
É ilegal decreto de prisão em decisão de processo civil, ressalvada a obrigaç...
 
Slides procedimento do júri - apresentação
Slides   procedimento do júri - apresentaçãoSlides   procedimento do júri - apresentação
Slides procedimento do júri - apresentação
 
Novo procedimento tribunal do júri primeira fase
Novo procedimento tribunal do júri   primeira faseNovo procedimento tribunal do júri   primeira fase
Novo procedimento tribunal do júri primeira fase
 
O cumprimento de sentença e a questão da necessidade de intimação da parte ve...
O cumprimento de sentença e a questão da necessidade de intimação da parte ve...O cumprimento de sentença e a questão da necessidade de intimação da parte ve...
O cumprimento de sentença e a questão da necessidade de intimação da parte ve...
 
Apelação.sp
Apelação.spApelação.sp
Apelação.sp
 

Semelhante a Acordao 2010 820344

Apel. cível 70015727472
Apel. cível 70015727472Apel. cível 70015727472
Apel. cível 70015727472
kduferraro
 
Acordao 2007 1122080
Acordao 2007 1122080Acordao 2007 1122080
Acordao 2007 1122080
pedromatte
 
Ação anulatória de sentença arbitral
Ação anulatória de sentença arbitralAção anulatória de sentença arbitral
Ação anulatória de sentença arbitral
Alyssondrg
 
Ação anulatoria sentença arbitral
Ação anulatoria sentença arbitralAção anulatoria sentença arbitral
Ação anulatoria sentença arbitral
Alyssondrg
 
Acordao 2008 1926275
Acordao 2008 1926275Acordao 2008 1926275
Acordao 2008 1926275
pedromatte
 
Ag.interno 70016959397
Ag.interno 70016959397Ag.interno 70016959397
Ag.interno 70016959397
kduferraro
 
Ag. 70016959397
Ag. 70016959397Ag. 70016959397
Ag. 70016959397
kduferraro
 
Aasp Curso Alimentos Acordao Hc22701
Aasp   Curso Alimentos   Acordao Hc22701Aasp   Curso Alimentos   Acordao Hc22701
Aasp Curso Alimentos Acordao Hc22701
Pedro Kurbhi
 
A.i. 70010662740
A.i. 70010662740A.i. 70010662740
A.i. 70010662740
kduferraro
 
Dano moral presumido - Overbooking
Dano moral presumido - OverbookingDano moral presumido - Overbooking
Dano moral presumido - Overbooking
Luiz F T Siqueira
 
A.i. 70002330983
A.i. 70002330983A.i. 70002330983
A.i. 70002330983
kduferraro
 
A.i. 70002330983
A.i. 70002330983A.i. 70002330983
A.i. 70002330983
kduferraro
 
Tjsp des moura ribeiro 11ª câmara - 7
Tjsp des moura ribeiro   11ª câmara - 7Tjsp des moura ribeiro   11ª câmara - 7
Tjsp des moura ribeiro 11ª câmara - 7
professoradolfo
 

Semelhante a Acordao 2010 820344 (20)

Apel. cível 70015727472
Apel. cível 70015727472Apel. cível 70015727472
Apel. cível 70015727472
 
Acordao 2007 1122080
Acordao 2007 1122080Acordao 2007 1122080
Acordao 2007 1122080
 
A teoria da perda de uma chance
A teoria da perda de uma chanceA teoria da perda de uma chance
A teoria da perda de uma chance
 
Ação anulatória de sentença arbitral
Ação anulatória de sentença arbitralAção anulatória de sentença arbitral
Ação anulatória de sentença arbitral
 
Ação anulatoria sentença arbitral
Ação anulatoria sentença arbitralAção anulatoria sentença arbitral
Ação anulatoria sentença arbitral
 
Acordao 2008 1926275
Acordao 2008 1926275Acordao 2008 1926275
Acordao 2008 1926275
 
Ag.interno 70016959397
Ag.interno 70016959397Ag.interno 70016959397
Ag.interno 70016959397
 
Ag. 70016959397
Ag. 70016959397Ag. 70016959397
Ag. 70016959397
 
Aasp Curso Alimentos Acordao Hc22701
Aasp   Curso Alimentos   Acordao Hc22701Aasp   Curso Alimentos   Acordao Hc22701
Aasp Curso Alimentos Acordao Hc22701
 
A.i. 70010662740
A.i. 70010662740A.i. 70010662740
A.i. 70010662740
 
Dano moral presumido - Overbooking
Dano moral presumido - OverbookingDano moral presumido - Overbooking
Dano moral presumido - Overbooking
 
Acórdão.sp
Acórdão.spAcórdão.sp
Acórdão.sp
 
Acórdão.sp
Acórdão.spAcórdão.sp
Acórdão.sp
 
Acórdão.sp
Acórdão.spAcórdão.sp
Acórdão.sp
 
A.i. 70002330983
A.i. 70002330983A.i. 70002330983
A.i. 70002330983
 
A.i. 70002330983
A.i. 70002330983A.i. 70002330983
A.i. 70002330983
 
Sec839
Sec839Sec839
Sec839
 
determinou a penhora de direito e ação sobre imóvel
determinou a penhora de direito e ação sobre imóveldeterminou a penhora de direito e ação sobre imóvel
determinou a penhora de direito e ação sobre imóvel
 
Ag 70051033439 rs_1354437583795
Ag 70051033439 rs_1354437583795Ag 70051033439 rs_1354437583795
Ag 70051033439 rs_1354437583795
 
Tjsp des moura ribeiro 11ª câmara - 7
Tjsp des moura ribeiro   11ª câmara - 7Tjsp des moura ribeiro   11ª câmara - 7
Tjsp des moura ribeiro 11ª câmara - 7
 

Mais de pedromatte

A arbitragem como meio de solução dos conflitos trabalhistas
A arbitragem como meio de solução dos conflitos trabalhistasA arbitragem como meio de solução dos conflitos trabalhistas
A arbitragem como meio de solução dos conflitos trabalhistas
pedromatte
 
FR (2005/0031310-2)
FR (2005/0031310-2)FR (2005/0031310-2)
FR (2005/0031310-2)
pedromatte
 
SENTENÇA ESTRANGEIRA CONTESTADA Nº 831 - FR (2005/0031310-2)
SENTENÇA ESTRANGEIRA CONTESTADA Nº 831 - FR (2005/0031310-2)SENTENÇA ESTRANGEIRA CONTESTADA Nº 831 - FR (2005/0031310-2)
SENTENÇA ESTRANGEIRA CONTESTADA Nº 831 - FR (2005/0031310-2)
pedromatte
 
Acordao 2010 820344
Acordao 2010 820344Acordao 2010 820344
Acordao 2010 820344
pedromatte
 
Acordao 2010 820344
Acordao 2010 820344Acordao 2010 820344
Acordao 2010 820344
pedromatte
 
Homologação de sentença arbitral
Homologação de sentença arbitralHomologação de sentença arbitral
Homologação de sentença arbitral
pedromatte
 

Mais de pedromatte (20)

A arbitragem como meio de solução dos conflitos trabalhistas
A arbitragem como meio de solução dos conflitos trabalhistasA arbitragem como meio de solução dos conflitos trabalhistas
A arbitragem como meio de solução dos conflitos trabalhistas
 
Nº 885
Nº 885Nº 885
Nº 885
 
Notícia
NotíciaNotícia
Notícia
 
Sec507
Sec507Sec507
Sec507
 
Sec611
Sec611Sec611
Sec611
 
Sec1210
Sec1210Sec1210
Sec1210
 
Sec2707
Sec2707Sec2707
Sec2707
 
Sec1302
Sec1302Sec1302
Sec1302
 
SEC 831
SEC 831SEC 831
SEC 831
 
SEC 831
SEC 831SEC 831
SEC 831
 
FR (2005/0031310-2)
FR (2005/0031310-2)FR (2005/0031310-2)
FR (2005/0031310-2)
 
SENTENÇA ESTRANGEIRA CONTESTADA Nº 831 - FR (2005/0031310-2)
SENTENÇA ESTRANGEIRA CONTESTADA Nº 831 - FR (2005/0031310-2)SENTENÇA ESTRANGEIRA CONTESTADA Nº 831 - FR (2005/0031310-2)
SENTENÇA ESTRANGEIRA CONTESTADA Nº 831 - FR (2005/0031310-2)
 
Acordao 2010 820344
Acordao 2010 820344Acordao 2010 820344
Acordao 2010 820344
 
Acordao 2010 820344
Acordao 2010 820344Acordao 2010 820344
Acordao 2010 820344
 
Nº 3.035
Nº 3.035Nº 3.035
Nº 3.035
 
Ita
ItaIta
Ita
 
Stj
StjStj
Stj
 
Homologação de sentença arbitral
Homologação de sentença arbitralHomologação de sentença arbitral
Homologação de sentença arbitral
 
STF
STFSTF
STF
 
STF
STFSTF
STF
 

Último

Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Pastor Robson Colaço
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
carlaOliveira438
 

Último (20)

Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
 
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdfanálise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 
TIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptx
TIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptxTIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptx
TIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptx
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 

Acordao 2010 820344

  • 1. ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA LRK Nº 71002327823 2009/CÍVEL EXECUÇÃO DE SENTENÇA ARBITRAL. NÃO EXISTINDO COMPROVAÇÃO DE QUE AS PARTES FIRMARAM COMPROMISSO ARBITRAL, A SENTENÇA ARBITRAL É NULA. 1. Segundo o disposto na Lei 9.307/96, as partes poderão convencionar submeter o litígio à arbitragem. Contudo, para tanto, deverá ser firmado compromisso arbitral, o qual deverá ser celebrado por escrito particular, assinado por duas testemunhas, ou por instrumento público. 2. Em síntese, somente podem ser decididas pelo Juízo arbitral questões quando as partes expressa e formalmente concordem com tal forma de resolução de conflitos. 3. No caso concreto, tal situação não se encontra presente, já que não há nos autos comprovação de que a ora embargante tenha concordado em submeter a questão envolvendo a pagamento do imóvel por ela adquirido ao Juízo Arbitral, uma vez que não veio aos autos comprovação de que ela tenha firmado o compromisso arbitral. 4. Assim, nos termos do art. 32, I, do referido diploma legal, é nula a sentença arbitral objeto da execução embargada. 5. Por outro lado, com relação ao mérito da lide, a escritura de compra e venda expressamente menciona que o vendedor já teria recebido a integralidade do preço, dando plena e geral quitação. Inexistindo qualquer indício probatório no sentido de que ainda existiria saldo em aberto, descabe a presente execução. Sentença confirmada por seus próprios fundamentos. RECURSO DESPROVIDO. RECURSO INOMINADO PRIMEIRA TURMA RECURSAL CÍVEL Nº 71002327823 COMARCA DE GUAÍBA WALDOMIRO DA SILVA E SOUZA RECORRENTE ZILA BITENCOURT DE LORETO RECORRIDO 1
  • 2. ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA LRK Nº 71002327823 2009/CÍVEL ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos os autos. Acordam os Juízes de Direito integrantes da Primeira Turma Recursal Cível dos Juizados Especiais Cíveis do Estado do Rio Grande do Sul, à unanimidade, em NEGAR PROVIMENTO AO RECURSO. Participaram do julgamento, além do signatário, os eminentes Senhores DR. RICARDO TORRES HERMANN (PRESIDENTE) E DR. HELENO TREGNAGO SARAIVA. Porto Alegre, 13 de maio de 2010. DR. LEANDRO RAUL KLIPPEL, Relator. RELATÓRIO (Oral em Sessão.) VOTOS DR. LEANDRO RAUL KLIPPEL (RELATOR) Não merece ser provido o recurso manejado pelo recorrente, devendo ser mantida a sentença por seus próprios fundamentos, na forma do art. 46 da Lei 9099/95, segunda parte, que assim dispõe: “Se a sentença for confirmada pelos próprios fundamentos, a súmula do julgamento servirá de acórdão”. Do exposto, voto por NEGAR PROVIMENTO AO RECURSO, mantendo-se a sentença de primeiro grau, com a condenação do embargado nas custas e honorários advocatícios fixados em 20 % do valor 2
  • 3. ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA LRK Nº 71002327823 2009/CÍVEL da causa. Suspendo a executividade das verbas sucumbenciais em face do deferimento do benefício da Assistência Judiciária Gratuita ao recorrente. DR. RICARDO TORRES HERMANN (PRESIDENTE) - De acordo com o(a) Relator(a). DR. HELENO TREGNAGO SARAIVA - De acordo com o(a) Relator(a). DR. RICARDO TORRES HERMANN - Presidente - Recurso Inominado nº 71002327823, Comarca de Guaíba: "NEGARAM PROVIMENTO AO RECURSO. UNÂNIME" Juízo de Origem: 1. VARA CIVEL GUAIBA - Comarca de Guaíba 3