SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 12
758190233045<br />Trabalho realizado por:Márcia Oliveira.nº17.9ºCSolange Teixeira nº20 9ºCTatiana Martins nº21 9ºC<br />Índice<br /> TOC  quot;
1-3quot;
    Índice PAGEREF _Toc286733847  2Introdução PAGEREF _Toc286733848  3Educação infantil PAGEREF _Toc286733849  4Educação infantil PAGEREF _Toc286733850  4Origem da educação infantil no Mundo PAGEREF _Toc286733851  5Berçário PAGEREF _Toc286733852  6Creche PAGEREF _Toc286733853  7Jardim de infância PAGEREF _Toc286733854  7Sistema educativo PAGEREF _Toc286733855  8O sistema educativo PAGEREF _Toc286733856  8Actividade lúdica PAGEREF _Toc286733857  9Os Problemas Infantis PAGEREF _Toc286733858  10Depressão Infantil PAGEREF _Toc286733859  10Obesidade Infantil PAGEREF _Toc286733860  11Sonambulismo PAGEREF _Toc286733861  12<br />Introdução <br />Neste trabalho falaremos sobre a educação infantil, a sua origem no Mundo, nos berçários, nas creches, nos jardins de infância, no sistema educativo e na actividade lúdica. <br />Numa segunda parte, falaremos sobre os problemas na infância que acompanharam o crescimento de certas crianças, como por exemplo, a depressão infantil, a obesidade infantil, as crianças que sofrem de sonambulismo.<br />Educação infantil<br />Educação infantil<br />A educação infantil, educação pré-escolar ou educação pré-primária consiste na educação das crianças antes da sua entrada no ensino obrigatório. É ministrada normalmente no período compreendido entre os zero e os seis anos de idade de uma criança. Neste tipo de educação, as crianças são estimuladas - através de actividades lúdicas e jogos - a exercitar as suas capacidades motoras, a fazer descobertas e a iniciar o processo de alfabetização.<br />A educação infantil ou pré-escolar é ministrada em estabelecimentos educativos de vários tipos como berçários, creches, pré-escolas, jardins de infância, infantários.<br />Origem da educação infantil no Mundo<br />Nas sociedades antigas, o status da criança era nulo. Sua existência no meio social dependia totalmente da vontade do pai, podendo, no caso dos deficientes e das meninas, serem mandadas para prostíbulos em lugar de serem mortas, em outros casos, (as pobres) eram abandonadas ou vendidas. Com a ascensão do cristianismo, o modo de lidar com as crianças mudou, apesar da mudança ter sido um processo lento. Maria Montessori foi uma das precursoras do tema.<br />Berçário<br />Um Berçário é uma das valências de Creche, frequentada por crianças até à aquisição da marcha. A esta valência poderão estar associados os espaços como a sala de berços, sala parque e copa de leites.<br />Por Berçário também se poderá entender a sala onde estão os berços.<br />1524019685<br />Creche<br />Uma creche é um estabelecimento educativo que ministra apoio pedagógico e cuidados às crianças com idade até aos três anos. Conforme o país e o seu sistema educativo, a creche pode integrar-se na educação pré-escolar ou na educação infantil. As creches podem funcionar como estabelecimentos autónomos, podem ser integradas em outros estabelecimentos educativos mais abrangentes ou funcionar junto de empresas ou serviços para usufruto dos filhos dos seus funcionários. <br />Uma creche, em Portugal, consiste num espaço destinado ao apoio pedagógico e cuidado de crianças com idades compreendidas entre os três meses e os três anos. Dos três meses à aquisição da marcha, as crianças encontram-se em berçários, transitando para as salas seguintes até aos três anos em que passam para a valência de jardim de infância. Ambos estes espaços (creche e jardim de infância) encontram-se em infantários, colégios e externatos<br />Jardim de infância<br />1295401645920Jardim de infância é um termo criado pelo alemão Friedrich Froebel (1782-1852), que foi um dos primeiros educadores a se preocupar com a educação de crianças. Na tentativa de criar um espaço singular para que um tipo especial de educação fosse realizado, por algum tempo pensou em uma palavra que pudesse explicar esse espaço, denominado por ele Kindergarten, ou quot;
Jardim-de-infânciaquot;
 em português. <br />Sistema educativo<br />O sistema educativo<br />O sistema educativo é o conjunto de meios pelo qual se concretiza o direito à educação.<br />O sistema educativo desenvolve-se através de um conjunto organizado de estruturas e de acções diversificadas, por iniciativa e sob a responsabilidade de diferentes instituições e entidades, públicas e privadas.<br />Actividade lúdica<br />Actividade lúdica é o movimento que tem como objectivo produzir prazer quando de sua execução, ou seja, divertir o praticante. A actividade lúdica também é conhecida como brincadeira. Sumariamente teríamos as seguintes características sobre elas: - são brinquedos ou brincadeiras menos consistentes e mais livres de regras ou normas; - são actividades que não visam a competição como objectivo principal, e mas a realização de uma tarefa de forma de prazer; - existe sempre a presença de motivação para atingir os objectivos.<br />Na Educação Infantil, as actividades lúdicas são mais empregadas no aprendizado das crianças de 0 a 5 anos de idade, onde elas interagem umas com as outras, desempenham papéis sociais, desenvolvem a imaginação, criatividade e capacidade motora e de raciocínio. Alguns educadores julgam necessário que as brincadeiras sejam direccionadas e possuam um objectivo claro, sob o argumento de que são importantes no desenvolvimento afectivo, motor, mental, intelectual, social, enfim no desenvolvimento integral da criança. <br />Os Problemas Infantis<br />Depressão Infantil<br />A depressão antes era só diagnosticada em pessoas adultas, mas cada dia afecta mais as crianças. A depressão infantil, segundo Cynthia Callahan, gerente de uma clínica de orientação infantil, em Madera, pode surgir devido a mudanças importantes e ao stress, como por exemplo, perda de um dos pais, do divórcio dos pais ou problemas familiares, etc.<br />Aproximadamente cerca de 5% das crianças da população sofre de depressão. As crianças que vivem com muita tensão, que chegam a ter desordens de atenção ou de conduta, ou incapacidades na aprendizagem, ou ainda problemas de saúde mental, correm maior risco de sofrer de depressão. <br />Alguns dos sintomas são:<br />Perda do interesse pelos jogos preferidos e pela escola.<br />Afastamento dos seus amigos e da família. <br />Apresenta uma comunicação pobre. <br />Apresenta menos energia ou concentração. <br />Torna-se irritável ou demasiadamente sensível diante de pequenas frustrações, armando confusão ou birras com mais facilidade. <br />A criança nota-se extremamente sensível até à rejeição e ao fracasso. <br />Expressa baixa auto-estima, desgostando deles próprios. <br />Escolhe “finais tristes” para seus contos e representações. <br />Queixa-se constantemente de dores tais como de cabeça ou de estômago. <br />Dorme muito ou dorme muito pouco, come muito ou come muito pouco. <br />Fala de suicídio e em fugir de casa. <br />A depressão também pode afectar os bebés.<br />Obesidade Infantil<br />Trata-se da acumulação excessiva de gordura corporal, especialmente no tecido adiposo, e que se pode perceber pelo aumento do peso corporal quando alcança 20% a mais do peso ideal segundo a idade, o tamanho, e sexo da pessoa em questão. <br />Para muitas famílias, ter um filho gordinho, bochechudo, e cheio de dobras é um êxito, um sinal de que a criança está bem, forte e cheia de saúde. Mas os especialistas em nutrição infantil não pensam da mesma forma. E dizem mais: essas famílias estão muito equivocadas. O que importa não é que a criança esteja gorda ou magra. O que interessa é que a criança esteja saudável. É aí onde queremos chegar. Não existe uma quantidade exacta de comida que uma criança deve consumir. Cada criança é um mundo distinto, e seus desejos e necessidades são diferentes. Em razão disso, é a criança que pode dizer com exactidão quanto pode comer. E não se pode obrigá-la para que coma mais. Nem por bem, nem por mal. Normalmente, os meninos comem mais que as meninas, mas em questão de apetite não se pode generalizar. <br />Sonambulismo<br />Uma em cada 10 crianças em idade escolar terá caminhado a dormir pelo menos uma vez. O sonambulismo é um transtorno do sono que faz com que uma criança, parcialmente adormecida,  desperte durante a noite, se sente na cama com os olhos abertos e com um olhar firme, podendo caminhar pelo seu quarto e fazer outras coisas, sem se recordar depois do que fez.<br />A criança pode sentar-se na cama, brincar com sua roupa, circular pela casa, abrir e fechar portas, vestir-se ou despir a roupa, apagar ou acender luzes, movendo-se com pouca coordenação. Há crianças que são capazes inclusive de sair à rua. Se tentarmos falar com uma criança sonâmbula, normalmente não responde. Pode ser que emita alguns sussurros, mas serão incompreensíveis. Esse transtorno normalmente ocorre durante a etapa mais profunda do sono. <br />O sonambulismo pode ser causado, em muitos casos, por alguma interrupção dos padrões regulares do sono ou por algum estado febril. Na infância, esse transtorno não está relacionado com problemas psicológicos nem emocionais, e é muito difícil que esteja relacionada a uma epilepsia do lóbulo temporal. De modo geral, é inofensivo e tende a desaparecer com a idade. <br />Se pela noite encontrar seu filho caminhando pela casa, a primeira coisa que deve fazer, é conduzi-lo cuidadosamente de volta à sua cama. No caminho, para evitar que a criança se machuque, tropece ou bata contra a parede ou em algum móvel, remova objectos perigosos ou que impeçam sua passagem. Mantenha as janelas e portas fechadas com chave para evitar que ela escape, e não faça barulho para que esta não desperte. Isso poderia assustá-la. E não permita que seu filho durma na parte superior de um beliche, ou tenha livre acesso a uma escada, pela noite. Tente manter uma rotina na hora de dormir, pressurizando o descanso do seu filho, e assim poder solucionar o problema.   <br />Deve pedir ajuda médica somente nos casos em que o sonambulismo persista e que a situação seja incontrolável.<br />
9 c 7
9 c 7
9 c 7
9 c 7
9 c 7
9 c 7
9 c 7
9 c 7
9 c 7
9 c 7
9 c 7

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A aprendizagem em bases científicas
A aprendizagem em bases científicasA aprendizagem em bases científicas
A aprendizagem em bases científicasRenata Peruce
 
Acompanhamento do crescimento e desenvolvimento da criança
Acompanhamento do crescimento e desenvolvimento da criançaAcompanhamento do crescimento e desenvolvimento da criança
Acompanhamento do crescimento e desenvolvimento da criançaEDSON ALAN QUEIROZ
 
Criança e pre adolecentes
Criança e pre adolecentesCriança e pre adolecentes
Criança e pre adolecentesclaudinei1971
 
A Arte De Educar Com Limites, Sem Medo De Errar.
A Arte De Educar Com Limites, Sem Medo De Errar.A Arte De Educar Com Limites, Sem Medo De Errar.
A Arte De Educar Com Limites, Sem Medo De Errar.dilsoncatarino
 
Filhos rebeldes, de autoria de zezé coelho
Filhos rebeldes, de autoria de zezé coelhoFilhos rebeldes, de autoria de zezé coelho
Filhos rebeldes, de autoria de zezé coelhoSimoneHelenDrumond
 
Intervenção precoce na infância
Intervenção precoce na infânciaIntervenção precoce na infância
Intervenção precoce na infânciaipifaro
 
Educaçãoo Positiva e Infância
Educaçãoo Positiva e InfânciaEducaçãoo Positiva e Infância
Educaçãoo Positiva e Infânciapsimais
 
Desenvolvimento psicossocial na terceira infância
Desenvolvimento psicossocial na terceira infânciaDesenvolvimento psicossocial na terceira infância
Desenvolvimento psicossocial na terceira infânciaAdilson Rodrigues Furtado
 
Coleção primeira infância folheto 11 o ritmo da criança
Coleção primeira infância   folheto 11 o ritmo da criançaColeção primeira infância   folheto 11 o ritmo da criança
Coleção primeira infância folheto 11 o ritmo da criançaAline Melo de Aguiar
 
Estilos parentais e práticas educativas
Estilos parentais e práticas educativasEstilos parentais e práticas educativas
Estilos parentais e práticas educativasLudmila Moura
 
Evolução Do Desenvolvimento Infantil
Evolução Do  Desenvolvimento InfantilEvolução Do  Desenvolvimento Infantil
Evolução Do Desenvolvimento InfantilADIBB
 
O exemplo pessoal na educação dos filhos
O exemplo pessoal na educação dos filhosO exemplo pessoal na educação dos filhos
O exemplo pessoal na educação dos filhosMoisés Sampaio
 
Encontro de outono pais e filhos
Encontro de outono pais e filhosEncontro de outono pais e filhos
Encontro de outono pais e filhosAlex Santos
 
A infância com disciplina positiva
A infância com disciplina positivaA infância com disciplina positiva
A infância com disciplina positivaLilian Ferraz
 
Como participar da vida escolar dos filhos
Como participar da vida escolar dos filhosComo participar da vida escolar dos filhos
Como participar da vida escolar dos filhosFatinha Bretas
 

Mais procurados (20)

A aprendizagem em bases científicas
A aprendizagem em bases científicasA aprendizagem em bases científicas
A aprendizagem em bases científicas
 
Acompanhamento do crescimento e desenvolvimento da criança
Acompanhamento do crescimento e desenvolvimento da criançaAcompanhamento do crescimento e desenvolvimento da criança
Acompanhamento do crescimento e desenvolvimento da criança
 
Criança e pre adolecentes
Criança e pre adolecentesCriança e pre adolecentes
Criança e pre adolecentes
 
A Arte De Educar Com Limites, Sem Medo De Errar.
A Arte De Educar Com Limites, Sem Medo De Errar.A Arte De Educar Com Limites, Sem Medo De Errar.
A Arte De Educar Com Limites, Sem Medo De Errar.
 
Ong pro mundo
Ong pro mundoOng pro mundo
Ong pro mundo
 
Filhos rebeldes, de autoria de zezé coelho
Filhos rebeldes, de autoria de zezé coelhoFilhos rebeldes, de autoria de zezé coelho
Filhos rebeldes, de autoria de zezé coelho
 
Intervenção precoce na infância
Intervenção precoce na infânciaIntervenção precoce na infância
Intervenção precoce na infância
 
Encontro de Pais
Encontro de PaisEncontro de Pais
Encontro de Pais
 
Guia de estimulação para BEBÊS com SÍNDROME de DOWN
Guia de estimulação para BEBÊS com SÍNDROME de DOWNGuia de estimulação para BEBÊS com SÍNDROME de DOWN
Guia de estimulação para BEBÊS com SÍNDROME de DOWN
 
Educaçãoo Positiva e Infância
Educaçãoo Positiva e InfânciaEducaçãoo Positiva e Infância
Educaçãoo Positiva e Infância
 
Desenvolvimento psicossocial na terceira infância
Desenvolvimento psicossocial na terceira infânciaDesenvolvimento psicossocial na terceira infância
Desenvolvimento psicossocial na terceira infância
 
Estimulação essencial gilmar-pc
Estimulação essencial gilmar-pcEstimulação essencial gilmar-pc
Estimulação essencial gilmar-pc
 
Coleção primeira infância folheto 11 o ritmo da criança
Coleção primeira infância   folheto 11 o ritmo da criançaColeção primeira infância   folheto 11 o ritmo da criança
Coleção primeira infância folheto 11 o ritmo da criança
 
Estilos parentais e práticas educativas
Estilos parentais e práticas educativasEstilos parentais e práticas educativas
Estilos parentais e práticas educativas
 
Evolução Do Desenvolvimento Infantil
Evolução Do  Desenvolvimento InfantilEvolução Do  Desenvolvimento Infantil
Evolução Do Desenvolvimento Infantil
 
Afeto e aleitamento
Afeto e aleitamentoAfeto e aleitamento
Afeto e aleitamento
 
O exemplo pessoal na educação dos filhos
O exemplo pessoal na educação dos filhosO exemplo pessoal na educação dos filhos
O exemplo pessoal na educação dos filhos
 
Encontro de outono pais e filhos
Encontro de outono pais e filhosEncontro de outono pais e filhos
Encontro de outono pais e filhos
 
A infância com disciplina positiva
A infância com disciplina positivaA infância com disciplina positiva
A infância com disciplina positiva
 
Como participar da vida escolar dos filhos
Como participar da vida escolar dos filhosComo participar da vida escolar dos filhos
Como participar da vida escolar dos filhos
 

Destaque

Paa balanço 10 11 plano anual de actividades 2010 e cons geral
Paa balanço 10 11 plano anual de actividades 2010 e cons geralPaa balanço 10 11 plano anual de actividades 2010 e cons geral
Paa balanço 10 11 plano anual de actividades 2010 e cons geralANA GRALHEIRO
 
Os Meus Favoritos Carballo 08
Os Meus Favoritos Carballo 08Os Meus Favoritos Carballo 08
Os Meus Favoritos Carballo 08Santi P
 
CondiçõEs Para Um Ambiente De Aprendizagem,
CondiçõEs Para Um Ambiente De Aprendizagem,CondiçõEs Para Um Ambiente De Aprendizagem,
CondiçõEs Para Um Ambiente De Aprendizagem,guest2fcfae
 
Educação Sustentável e redes de aprendizagem
Educação Sustentável e redes de aprendizagemEducação Sustentável e redes de aprendizagem
Educação Sustentável e redes de aprendizagemLuis Borges Gouveia
 
Floor Plans and Elevations
Floor Plans and ElevationsFloor Plans and Elevations
Floor Plans and ElevationsJosé Machado
 
Projecto de Posto Médico
Projecto de Posto MédicoProjecto de Posto Médico
Projecto de Posto MédicoGabriela Bruno
 
Plano Director Municipal
Plano Director MunicipalPlano Director Municipal
Plano Director Municipalanamarta_35
 
Educacao sexual preventiva. buzios
Educacao sexual preventiva. buziosEducacao sexual preventiva. buzios
Educacao sexual preventiva. buziosVitória S
 
Educação sexual na escola
Educação sexual na escolaEducação sexual na escola
Educação sexual na escolaacessaangelica
 
Descobrir01 100704162516-phpapp02
Descobrir01 100704162516-phpapp02Descobrir01 100704162516-phpapp02
Descobrir01 100704162516-phpapp02Pelo Siro
 
1EM #27 Anticoncepcionais e DSTs
1EM #27 Anticoncepcionais e DSTs1EM #27 Anticoncepcionais e DSTs
1EM #27 Anticoncepcionais e DSTsProfessô Kyoshi
 
Educação Sexual - Apresentação aos Enc. Educação
Educação Sexual - Apresentação aos Enc. Educação Educação Sexual - Apresentação aos Enc. Educação
Educação Sexual - Apresentação aos Enc. Educação Sandra Freitas
 
Curso Três Ensaios sobre a Teoria Sexual - A Sexualidade Infantil
Curso Três Ensaios sobre a Teoria Sexual  - A Sexualidade InfantilCurso Três Ensaios sobre a Teoria Sexual  - A Sexualidade Infantil
Curso Três Ensaios sobre a Teoria Sexual - A Sexualidade InfantilFelipe de Souza
 
Gênero e Diversidade Sexual na Escola
Gênero e Diversidade Sexual na EscolaGênero e Diversidade Sexual na Escola
Gênero e Diversidade Sexual na Escolasulieverena31
 

Destaque (20)

Paa balanço 10 11 plano anual de actividades 2010 e cons geral
Paa balanço 10 11 plano anual de actividades 2010 e cons geralPaa balanço 10 11 plano anual de actividades 2010 e cons geral
Paa balanço 10 11 plano anual de actividades 2010 e cons geral
 
Organigrama
OrganigramaOrganigrama
Organigrama
 
07 Mdp 230909
07 Mdp 23090907 Mdp 230909
07 Mdp 230909
 
Os Meus Favoritos Carballo 08
Os Meus Favoritos Carballo 08Os Meus Favoritos Carballo 08
Os Meus Favoritos Carballo 08
 
CondiçõEs Para Um Ambiente De Aprendizagem,
CondiçõEs Para Um Ambiente De Aprendizagem,CondiçõEs Para Um Ambiente De Aprendizagem,
CondiçõEs Para Um Ambiente De Aprendizagem,
 
Educação Sustentável e redes de aprendizagem
Educação Sustentável e redes de aprendizagemEducação Sustentável e redes de aprendizagem
Educação Sustentável e redes de aprendizagem
 
Floor Plans and Elevations
Floor Plans and ElevationsFloor Plans and Elevations
Floor Plans and Elevations
 
Projecto de Posto Médico
Projecto de Posto MédicoProjecto de Posto Médico
Projecto de Posto Médico
 
Plano Director Municipal
Plano Director MunicipalPlano Director Municipal
Plano Director Municipal
 
Projeto viva vida
Projeto viva vidaProjeto viva vida
Projeto viva vida
 
Educacao sexual preventiva. buzios
Educacao sexual preventiva. buziosEducacao sexual preventiva. buzios
Educacao sexual preventiva. buzios
 
Educação sexual na escola
Educação sexual na escolaEducação sexual na escola
Educação sexual na escola
 
Descobrir01 100704162516-phpapp02
Descobrir01 100704162516-phpapp02Descobrir01 100704162516-phpapp02
Descobrir01 100704162516-phpapp02
 
1EM #27 Anticoncepcionais e DSTs
1EM #27 Anticoncepcionais e DSTs1EM #27 Anticoncepcionais e DSTs
1EM #27 Anticoncepcionais e DSTs
 
Educação Sexual - Apresentação aos Enc. Educação
Educação Sexual - Apresentação aos Enc. Educação Educação Sexual - Apresentação aos Enc. Educação
Educação Sexual - Apresentação aos Enc. Educação
 
1EM #25 Anatomia genital
1EM #25 Anatomia genital1EM #25 Anatomia genital
1EM #25 Anatomia genital
 
Curso Três Ensaios sobre a Teoria Sexual - A Sexualidade Infantil
Curso Três Ensaios sobre a Teoria Sexual  - A Sexualidade InfantilCurso Três Ensaios sobre a Teoria Sexual  - A Sexualidade Infantil
Curso Três Ensaios sobre a Teoria Sexual - A Sexualidade Infantil
 
Gênero e Diversidade Sexual na Escola
Gênero e Diversidade Sexual na EscolaGênero e Diversidade Sexual na Escola
Gênero e Diversidade Sexual na Escola
 
Educação Sexual
Educação SexualEducação Sexual
Educação Sexual
 
Sexualidade infantil
Sexualidade infantil Sexualidade infantil
Sexualidade infantil
 

Semelhante a 9 c 7

Cartilha para fases da crianças 1
Cartilha para fases da crianças 1Cartilha para fases da crianças 1
Cartilha para fases da crianças 1Kátia Rumbelsperger
 
Atraso cognitivo
Atraso cognitivoAtraso cognitivo
Atraso cognitivosedf
 
Palestra sobre Transtorno Deficit de Atenção e Hiperatividade - TDAH
Palestra sobre Transtorno Deficit de Atenção e Hiperatividade - TDAHPalestra sobre Transtorno Deficit de Atenção e Hiperatividade - TDAH
Palestra sobre Transtorno Deficit de Atenção e Hiperatividade - TDAHRaquel Magalhaes de Mello
 
Aula9 25 maio-exercicio_resenha
Aula9 25 maio-exercicio_resenhaAula9 25 maio-exercicio_resenha
Aula9 25 maio-exercicio_resenhaCybeli Moraes
 
Aula9 25 maio-exercicio_resenha
Aula9 25 maio-exercicio_resenhaAula9 25 maio-exercicio_resenha
Aula9 25 maio-exercicio_resenhaBeatriz Sallet
 
Cartilha Promoção da Saúde na Infância e Adolescência!
Cartilha Promoção da Saúde na Infância e Adolescência! Cartilha Promoção da Saúde na Infância e Adolescência!
Cartilha Promoção da Saúde na Infância e Adolescência! Hericka Zogbi J. Dias
 
SAÚDE DA CRIANÇA E ADOLESCENTE AULA 2.pptx
SAÚDE DA CRIANÇA E ADOLESCENTE AULA 2.pptxSAÚDE DA CRIANÇA E ADOLESCENTE AULA 2.pptx
SAÚDE DA CRIANÇA E ADOLESCENTE AULA 2.pptxWellingtonTeixeira24
 
Primeira Infância e seus desafios na educação infantil e fundamental
Primeira Infância e seus desafios na educação infantil e fundamentalPrimeira Infância e seus desafios na educação infantil e fundamental
Primeira Infância e seus desafios na educação infantil e fundamentalPatriciaOliver29
 
Pequenos descuidos grandes problemas américo canhoto
Pequenos descuidos grandes problemas   américo canhotoPequenos descuidos grandes problemas   américo canhoto
Pequenos descuidos grandes problemas américo canhotoHelio Cruz
 
E book - autismo 20171229 (1)
E book - autismo 20171229 (1)E book - autismo 20171229 (1)
E book - autismo 20171229 (1)Adri Reis
 
Deficiencia Mental
Deficiencia MentalDeficiencia Mental
Deficiencia Mentalmarlaa
 
Deficiência Mental
Deficiência MentalDeficiência Mental
Deficiência Mentalmarlaa
 
9 doc.16 a - a relação mãe-bebé
9   doc.16 a - a relação mãe-bebé9   doc.16 a - a relação mãe-bebé
9 doc.16 a - a relação mãe-bebéMicas Cullen
 
TCF sobre Gravidez na adolescência
TCF sobre Gravidez na adolescência TCF sobre Gravidez na adolescência
TCF sobre Gravidez na adolescência Marcia Oliveira
 

Semelhante a 9 c 7 (20)

Cartilha para fases da crianças 1
Cartilha para fases da crianças 1Cartilha para fases da crianças 1
Cartilha para fases da crianças 1
 
Atraso cognitivo
Atraso cognitivoAtraso cognitivo
Atraso cognitivo
 
Palestra sobre Transtorno Deficit de Atenção e Hiperatividade - TDAH
Palestra sobre Transtorno Deficit de Atenção e Hiperatividade - TDAHPalestra sobre Transtorno Deficit de Atenção e Hiperatividade - TDAH
Palestra sobre Transtorno Deficit de Atenção e Hiperatividade - TDAH
 
Aula9 25 maio-exercicio_resenha
Aula9 25 maio-exercicio_resenhaAula9 25 maio-exercicio_resenha
Aula9 25 maio-exercicio_resenha
 
Aula9 25 maio-exercicio_resenha
Aula9 25 maio-exercicio_resenhaAula9 25 maio-exercicio_resenha
Aula9 25 maio-exercicio_resenha
 
Cartilha Promoção da Saúde na Infância e Adolescência!
Cartilha Promoção da Saúde na Infância e Adolescência! Cartilha Promoção da Saúde na Infância e Adolescência!
Cartilha Promoção da Saúde na Infância e Adolescência!
 
SAÚDE DA CRIANÇA E ADOLESCENTE AULA 2.pptx
SAÚDE DA CRIANÇA E ADOLESCENTE AULA 2.pptxSAÚDE DA CRIANÇA E ADOLESCENTE AULA 2.pptx
SAÚDE DA CRIANÇA E ADOLESCENTE AULA 2.pptx
 
Relacionamento Entre Pais E Filhos
Relacionamento Entre Pais E FilhosRelacionamento Entre Pais E Filhos
Relacionamento Entre Pais E Filhos
 
Primeira Infância e seus desafios na educação infantil e fundamental
Primeira Infância e seus desafios na educação infantil e fundamentalPrimeira Infância e seus desafios na educação infantil e fundamental
Primeira Infância e seus desafios na educação infantil e fundamental
 
cri_vai_a_casa.pdf
cri_vai_a_casa.pdfcri_vai_a_casa.pdf
cri_vai_a_casa.pdf
 
Pequenos descuidos grandes problemas américo canhoto
Pequenos descuidos grandes problemas   américo canhotoPequenos descuidos grandes problemas   américo canhoto
Pequenos descuidos grandes problemas américo canhoto
 
Ser down e por que
Ser down e por queSer down e por que
Ser down e por que
 
E book - autismo 20171229 (1)
E book - autismo 20171229 (1)E book - autismo 20171229 (1)
E book - autismo 20171229 (1)
 
Deficiencia Mental
Deficiencia MentalDeficiencia Mental
Deficiencia Mental
 
Deficiência Mental
Deficiência MentalDeficiência Mental
Deficiência Mental
 
Sindrome de-down (1)
Sindrome de-down (1)Sindrome de-down (1)
Sindrome de-down (1)
 
Sindrome de-down everton
Sindrome de-down evertonSindrome de-down everton
Sindrome de-down everton
 
9 doc.16 a - a relação mãe-bebé
9   doc.16 a - a relação mãe-bebé9   doc.16 a - a relação mãe-bebé
9 doc.16 a - a relação mãe-bebé
 
Doc.16 a ..
Doc.16 a  ..Doc.16 a  ..
Doc.16 a ..
 
TCF sobre Gravidez na adolescência
TCF sobre Gravidez na adolescência TCF sobre Gravidez na adolescência
TCF sobre Gravidez na adolescência
 

Mais de pedrofranciscotic (20)

9 c 12
9 c 129 c 12
9 c 12
 
Word 9 d_14
Word 9 d_14Word 9 d_14
Word 9 d_14
 
Word 9 d_12
Word 9 d_12Word 9 d_12
Word 9 d_12
 
Word 9 d_11
Word 9 d_11Word 9 d_11
Word 9 d_11
 
Word 9 d_10
Word 9 d_10Word 9 d_10
Word 9 d_10
 
Word 9 d_8
Word 9 d_8Word 9 d_8
Word 9 d_8
 
Word 9 d_7
Word 9 d_7Word 9 d_7
Word 9 d_7
 
Word 9 d_6
Word 9 d_6Word 9 d_6
Word 9 d_6
 
Word 9 d_3
Word 9 d_3Word 9 d_3
Word 9 d_3
 
Word 9 d_2
Word 9 d_2Word 9 d_2
Word 9 d_2
 
Word 9 d_1
Word 9 d_1Word 9 d_1
Word 9 d_1
 
9 c 11
9 c 119 c 11
9 c 11
 
9 c 10
9 c 109 c 10
9 c 10
 
9 c 9
9 c 99 c 9
9 c 9
 
9 c 8
9 c 89 c 8
9 c 8
 
9 c 6
9 c 69 c 6
9 c 6
 
9 c 5
9 c 59 c 5
9 c 5
 
9 c 3
9 c 39 c 3
9 c 3
 
9 c 2
9 c 29 c 2
9 c 2
 
9 c 1
9 c 19 c 1
9 c 1
 

9 c 7

  • 1. 758190233045<br />Trabalho realizado por:Márcia Oliveira.nº17.9ºCSolange Teixeira nº20 9ºCTatiana Martins nº21 9ºC<br />Índice<br /> TOC quot; 1-3quot; Índice PAGEREF _Toc286733847 2Introdução PAGEREF _Toc286733848 3Educação infantil PAGEREF _Toc286733849 4Educação infantil PAGEREF _Toc286733850 4Origem da educação infantil no Mundo PAGEREF _Toc286733851 5Berçário PAGEREF _Toc286733852 6Creche PAGEREF _Toc286733853 7Jardim de infância PAGEREF _Toc286733854 7Sistema educativo PAGEREF _Toc286733855 8O sistema educativo PAGEREF _Toc286733856 8Actividade lúdica PAGEREF _Toc286733857 9Os Problemas Infantis PAGEREF _Toc286733858 10Depressão Infantil PAGEREF _Toc286733859 10Obesidade Infantil PAGEREF _Toc286733860 11Sonambulismo PAGEREF _Toc286733861 12<br />Introdução <br />Neste trabalho falaremos sobre a educação infantil, a sua origem no Mundo, nos berçários, nas creches, nos jardins de infância, no sistema educativo e na actividade lúdica. <br />Numa segunda parte, falaremos sobre os problemas na infância que acompanharam o crescimento de certas crianças, como por exemplo, a depressão infantil, a obesidade infantil, as crianças que sofrem de sonambulismo.<br />Educação infantil<br />Educação infantil<br />A educação infantil, educação pré-escolar ou educação pré-primária consiste na educação das crianças antes da sua entrada no ensino obrigatório. É ministrada normalmente no período compreendido entre os zero e os seis anos de idade de uma criança. Neste tipo de educação, as crianças são estimuladas - através de actividades lúdicas e jogos - a exercitar as suas capacidades motoras, a fazer descobertas e a iniciar o processo de alfabetização.<br />A educação infantil ou pré-escolar é ministrada em estabelecimentos educativos de vários tipos como berçários, creches, pré-escolas, jardins de infância, infantários.<br />Origem da educação infantil no Mundo<br />Nas sociedades antigas, o status da criança era nulo. Sua existência no meio social dependia totalmente da vontade do pai, podendo, no caso dos deficientes e das meninas, serem mandadas para prostíbulos em lugar de serem mortas, em outros casos, (as pobres) eram abandonadas ou vendidas. Com a ascensão do cristianismo, o modo de lidar com as crianças mudou, apesar da mudança ter sido um processo lento. Maria Montessori foi uma das precursoras do tema.<br />Berçário<br />Um Berçário é uma das valências de Creche, frequentada por crianças até à aquisição da marcha. A esta valência poderão estar associados os espaços como a sala de berços, sala parque e copa de leites.<br />Por Berçário também se poderá entender a sala onde estão os berços.<br />1524019685<br />Creche<br />Uma creche é um estabelecimento educativo que ministra apoio pedagógico e cuidados às crianças com idade até aos três anos. Conforme o país e o seu sistema educativo, a creche pode integrar-se na educação pré-escolar ou na educação infantil. As creches podem funcionar como estabelecimentos autónomos, podem ser integradas em outros estabelecimentos educativos mais abrangentes ou funcionar junto de empresas ou serviços para usufruto dos filhos dos seus funcionários. <br />Uma creche, em Portugal, consiste num espaço destinado ao apoio pedagógico e cuidado de crianças com idades compreendidas entre os três meses e os três anos. Dos três meses à aquisição da marcha, as crianças encontram-se em berçários, transitando para as salas seguintes até aos três anos em que passam para a valência de jardim de infância. Ambos estes espaços (creche e jardim de infância) encontram-se em infantários, colégios e externatos<br />Jardim de infância<br />1295401645920Jardim de infância é um termo criado pelo alemão Friedrich Froebel (1782-1852), que foi um dos primeiros educadores a se preocupar com a educação de crianças. Na tentativa de criar um espaço singular para que um tipo especial de educação fosse realizado, por algum tempo pensou em uma palavra que pudesse explicar esse espaço, denominado por ele Kindergarten, ou quot; Jardim-de-infânciaquot; em português. <br />Sistema educativo<br />O sistema educativo<br />O sistema educativo é o conjunto de meios pelo qual se concretiza o direito à educação.<br />O sistema educativo desenvolve-se através de um conjunto organizado de estruturas e de acções diversificadas, por iniciativa e sob a responsabilidade de diferentes instituições e entidades, públicas e privadas.<br />Actividade lúdica<br />Actividade lúdica é o movimento que tem como objectivo produzir prazer quando de sua execução, ou seja, divertir o praticante. A actividade lúdica também é conhecida como brincadeira. Sumariamente teríamos as seguintes características sobre elas: - são brinquedos ou brincadeiras menos consistentes e mais livres de regras ou normas; - são actividades que não visam a competição como objectivo principal, e mas a realização de uma tarefa de forma de prazer; - existe sempre a presença de motivação para atingir os objectivos.<br />Na Educação Infantil, as actividades lúdicas são mais empregadas no aprendizado das crianças de 0 a 5 anos de idade, onde elas interagem umas com as outras, desempenham papéis sociais, desenvolvem a imaginação, criatividade e capacidade motora e de raciocínio. Alguns educadores julgam necessário que as brincadeiras sejam direccionadas e possuam um objectivo claro, sob o argumento de que são importantes no desenvolvimento afectivo, motor, mental, intelectual, social, enfim no desenvolvimento integral da criança. <br />Os Problemas Infantis<br />Depressão Infantil<br />A depressão antes era só diagnosticada em pessoas adultas, mas cada dia afecta mais as crianças. A depressão infantil, segundo Cynthia Callahan, gerente de uma clínica de orientação infantil, em Madera, pode surgir devido a mudanças importantes e ao stress, como por exemplo, perda de um dos pais, do divórcio dos pais ou problemas familiares, etc.<br />Aproximadamente cerca de 5% das crianças da população sofre de depressão. As crianças que vivem com muita tensão, que chegam a ter desordens de atenção ou de conduta, ou incapacidades na aprendizagem, ou ainda problemas de saúde mental, correm maior risco de sofrer de depressão. <br />Alguns dos sintomas são:<br />Perda do interesse pelos jogos preferidos e pela escola.<br />Afastamento dos seus amigos e da família. <br />Apresenta uma comunicação pobre. <br />Apresenta menos energia ou concentração. <br />Torna-se irritável ou demasiadamente sensível diante de pequenas frustrações, armando confusão ou birras com mais facilidade. <br />A criança nota-se extremamente sensível até à rejeição e ao fracasso. <br />Expressa baixa auto-estima, desgostando deles próprios. <br />Escolhe “finais tristes” para seus contos e representações. <br />Queixa-se constantemente de dores tais como de cabeça ou de estômago. <br />Dorme muito ou dorme muito pouco, come muito ou come muito pouco. <br />Fala de suicídio e em fugir de casa. <br />A depressão também pode afectar os bebés.<br />Obesidade Infantil<br />Trata-se da acumulação excessiva de gordura corporal, especialmente no tecido adiposo, e que se pode perceber pelo aumento do peso corporal quando alcança 20% a mais do peso ideal segundo a idade, o tamanho, e sexo da pessoa em questão. <br />Para muitas famílias, ter um filho gordinho, bochechudo, e cheio de dobras é um êxito, um sinal de que a criança está bem, forte e cheia de saúde. Mas os especialistas em nutrição infantil não pensam da mesma forma. E dizem mais: essas famílias estão muito equivocadas. O que importa não é que a criança esteja gorda ou magra. O que interessa é que a criança esteja saudável. É aí onde queremos chegar. Não existe uma quantidade exacta de comida que uma criança deve consumir. Cada criança é um mundo distinto, e seus desejos e necessidades são diferentes. Em razão disso, é a criança que pode dizer com exactidão quanto pode comer. E não se pode obrigá-la para que coma mais. Nem por bem, nem por mal. Normalmente, os meninos comem mais que as meninas, mas em questão de apetite não se pode generalizar. <br />Sonambulismo<br />Uma em cada 10 crianças em idade escolar terá caminhado a dormir pelo menos uma vez. O sonambulismo é um transtorno do sono que faz com que uma criança, parcialmente adormecida,  desperte durante a noite, se sente na cama com os olhos abertos e com um olhar firme, podendo caminhar pelo seu quarto e fazer outras coisas, sem se recordar depois do que fez.<br />A criança pode sentar-se na cama, brincar com sua roupa, circular pela casa, abrir e fechar portas, vestir-se ou despir a roupa, apagar ou acender luzes, movendo-se com pouca coordenação. Há crianças que são capazes inclusive de sair à rua. Se tentarmos falar com uma criança sonâmbula, normalmente não responde. Pode ser que emita alguns sussurros, mas serão incompreensíveis. Esse transtorno normalmente ocorre durante a etapa mais profunda do sono. <br />O sonambulismo pode ser causado, em muitos casos, por alguma interrupção dos padrões regulares do sono ou por algum estado febril. Na infância, esse transtorno não está relacionado com problemas psicológicos nem emocionais, e é muito difícil que esteja relacionada a uma epilepsia do lóbulo temporal. De modo geral, é inofensivo e tende a desaparecer com a idade. <br />Se pela noite encontrar seu filho caminhando pela casa, a primeira coisa que deve fazer, é conduzi-lo cuidadosamente de volta à sua cama. No caminho, para evitar que a criança se machuque, tropece ou bata contra a parede ou em algum móvel, remova objectos perigosos ou que impeçam sua passagem. Mantenha as janelas e portas fechadas com chave para evitar que ela escape, e não faça barulho para que esta não desperte. Isso poderia assustá-la. E não permita que seu filho durma na parte superior de um beliche, ou tenha livre acesso a uma escada, pela noite. Tente manter uma rotina na hora de dormir, pressurizando o descanso do seu filho, e assim poder solucionar o problema.   <br />Deve pedir ajuda médica somente nos casos em que o sonambulismo persista e que a situação seja incontrolável.<br />