Trab1 8a grp05

259 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
259
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Trab1 8a grp05

  1. 1. 100 anos da Implantação da República Assassinato de Sidonio Pais Realizado por: Gonçalo nº 13 Márcio nº 17 Escola EB 2/3 José Maria dos Santos Área de Projecto 8ºA
  2. 2. Sidónio Pais <ul><li>Sidónio Bernardino Cardoso da Silva Pais nasceu a 1 de Maio de 1872 em caminha, Portugal. Foi um militar Político que exerceu os cargos de deputado, ministro do Fomento, ministro das Finanças e Presidente da República Portuguesa. </li></ul>
  3. 3. Sidónio Pais <ul><li>Concluiu os seus estudos secundários no Liceu de Viana do Castelo, após o que seguiu para Coimbra, onde cursou os preparatório de Matemática e Filosofia. Destinado à carreira militar, entrou em 1888 para a Escola do Exército, frequentando o curso da arma de Artilharia. Aluno brilhante, completou com distinção o cursos e foi promovido a alferes em 1892, a tenente em 1895, a capitão em 1906 e a major em 1916. </li></ul>
  4. 4. Sidónio Pais <ul><li>Depois de durante um breve período de tempo ter ocupado o cargo de membro dos corpos gerentes da Companhia de Caminhos de Ferro, foi eleito deputado à Assembleia Nacional Constituinte que elaborou a Constituição Portuguesa de 1911. Numa fase em que as tensões internacionais que levaram à Primeira Guerra Mundial já se sentiam, foi nomeado para o cargo de ministro plenipotenciário de Portugal, iniciando funções a 17 de Agosto de 1912. </li></ul><ul><li>Permaneceu naquele importante posto diplomático durante o período crítico que levou à deflagração da guerra, mantendo um difícil equilíbrio entre as pressões do Governo português. Apesar dessas dificuldades, desempenhou o cargo até 9 de Março de 1916, data em que a Alemanha declarou guerra a Portugal na sequência do aprisionamento dos seus navios que se encontravam em portos sob controlo português. </li></ul>
  5. 5. Sidónio Pais <ul><li>Apesar dessas dificuldades, desempenhou o cargo até 9 de Março de 1916, data em que a Alemanha declarou guerra a Portugal na sequência do aprisionamento dos seus navios que se encontravam em portos sob controlo português. </li></ul>
  6. 6. O Assassinato <ul><li>A 14 de Dezembro de 1918, quando Sidónio Pais de preparava para o embarque, no primeiro-andar da Estação do Rossio, José Júlio da Costa, um activista de esquerda republicano, furou o duplo e compacto cordão policial que protegia Sidónio, ao mesmo tempo que disparava uma pistola, escondida no seu capote alentejano. </li></ul>
  7. 7. O Assassinato <ul><li>A primeira bala acertou no braço direito de Sidónio, e a segunda, fatalmente, no ventre, fazendo-o cair de imediato ao chão. Apesar da enorme confusão, o assassino não fugiu e deixou-se capturar. </li></ul>
  8. 8. O Assassinato <ul><li>O assassinato de Sidónio Pais foi um momento traumático para a Primeira República, marcando o seu destino: a partir daí qualquer simulacro de estabilidade desapareceu, instalando-se uma crise permanente que apenas terminou quase 8 anos depois com a Revolução Nacional de 28 de Maio de 1926 que pôs termo ao regime. Os funerais de Sidónio Pais foram momentosos, reunindo muitas dezenas de milhar de pessoas, num percurso longo e tumultuoso, interrompido por múltiplos e violentos incidentes. </li></ul>
  9. 9. Cronologia <ul><li>1 Maio de 1872: Nascimento </li></ul><ul><li>1895: casou-se com Maria dos Prazeres Martins Bessa </li></ul><ul><li>1888: entrou para a Escola do Exército </li></ul><ul><li>1892: promovido a Alferes </li></ul><ul><li>1895: promovido a Tenente </li></ul><ul><li>1906: promovido a Capitão </li></ul><ul><li>1916: promovido a Major </li></ul><ul><li>1910: eleito deputado à Assembleia Nacional Constituinte </li></ul><ul><li>1912: nomeado para o cargo de ministro plenipotenciário de Portugal (embaixador) em Berlim. </li></ul><ul><li>1917: liderou uma insurreição protagonizada por uma Junta Militar Revolucionária, da qual era Presidente </li></ul>
  10. 10. Cronologia <ul><li>1911: foi reitor da Escola Industrial Botero </li></ul><ul><li>1911(24 Agosto): nomeado Ministro do Fomento. </li></ul><ul><li>1911(7 Novembro): foi transitado para a pasta de Ministro das Finanças </li></ul><ul><li>28 Abril de 1918: início do Mandato de Presidente da República Portuguesa </li></ul><ul><li>14 Dezembro de 1918: Falecimento </li></ul><ul><li>14 Dezembro de 1918: fim do Mandato </li></ul>

×