Aula 3 cartografia

4.320 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.320
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2.802
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula 3 cartografia

  1. 1. Cartografia: a representação da TerraAs visões de mundoAs várias formas de representaçãoda superfície terrestre escalas projeções cartográficas convenções cartográficas perfil topográfico e curvas de nível Profª Nilza M. P. Alonso
  2. 2. O desenvolvimento daCARTOGRAFIA serviuaos interesses dediferentes povos parafins de conquista,exploração,dominação e controledo espaço terrestre.O conhecimento doespaço representauma forma de poderassegurada pelocontrole do território.
  3. 3. Em função da FORMA e das CARACTERÍSTICAS do planeta, há TRÊS PROBLEMAS a serem resolvidos em sua representação:  o TAMANHO que precisa ser reduzido proporcionalmente, o que leva à utilização das ESCALAS.  a passagem da esfera para o plano implica DISTORÇÕES, o que leva ao uso das PROJEÇÕES CARTOGRÁFICAS.  a necessidade de representaros DIFERENTES ASPECTOS dasuperfície o que leva à utilização de uma LINGUAGEM VISUAL, que utiliza cores, figuras e linhas, identificadas pela LEGENDA
  4. 4. Os mapas estão presentes em todas as culturas e tornam-se, cada vez mais, um Os mapas mais modernos instrumento de são construídos a partir de trabalho essencial para imagens de satélites muitas atividades: meios de transportes, planejamento da produção e da infra- estrutura, organização das atividades econômicas em geral. Eles se tornam cada vez mais “fiéis” com o uso de FOTOGRAFIAS AÉREAS e imagens de SATÉLITES, além dos Geoatlas trabalhos de campo eMagnoli- Projeto são cada vez mais sofisticados.
  5. 5. Os dados coletados por fotografias aéreas e satélites são processados por computadores. Este mapa é o resultado do processamento de milhares de imagens e apresenta as características naturais mais relevantes da superfície terrestre: geleiras (branco), florestas (verde), desertos (marrom claro), as massas oceânicas (azul). Os contornos continentais e as montanhas também são perceptíveis.(observe que a “visão de mundo” apresentada é diferente da convencional, o “centro” do mapa fica no Oceano Pacífico)
  6. 6. As “VISÕES DE “Os mapas se desenvolveram ligados aos Estados-Maiores, já que suaMUNDO” influenciam na confecção envolve técnicas e recursos que só os Estados Nacionais ou as construção de mapas grandes corporações podem dispor e, por isso, se tornam um SABER ESPECIALIZADO. O cidadão comum não domina essa linguagem e, desta forma têm uma visão muito limitada de “seu” espaço e não interfere na elaboração de planos que envolvem as transformações do espaço, tais como a abertura de ruas, construção de parques, disposição das linhas de transporte, etc. Sua visão torna-se, desta forma, limitada o que ajuda a manter uma “distância” dos mapas, fazendo com que conheçam apenas os trajetos habituais que os levam de casa para o trabalho, ou vive- versa e, neste sentido, têm uma visão muito limitada e menos fiel do espaço em que vivem.” LACOSTE, Y. “A Geografia serve, isto sim, para fazer a guerra”
  7. 7. RESOLVENDO OS PROBLEMAS DE REPRESENTAÇÃO DA TERRA 1. TAMANHO ESCALAS Enquanto no terreno, as distâncias são medidas em quilômetros, no papel elas são, geralmente, expressas em centímetros, o que implica REDUZIR proporcionalmente o que será representado. Para isso, utilizamos as ESCALAS.
  8. 8. A ESCALA indica quantas vezes o real (terreno) foi reduzido para ser representado. Ela é obtida a partir da seguinte fórmula: E = d/ Donde E é a escala;d é a distância representada (geralmente indicada pelo número 1equivalendo a 1 centímetro);D é a distância real transformada em centímetros representados nomapa. São dois tipos de ESCALA a) NUMÉRICA, onde, p/ex 1 : 30 000 000 indica que 1 cmno mapa corresponde a 30 000 000 de centímetros no terreno (ou300 km) b) GRÁFICA é expressa através de uma régua graduadaonde cada centímetro equivale, neste caso, a 300 km.
  9. 9. Escala numérica TIPOS DE ESCALA Escala gráfica A escala permite a representação com diferentes possibilidades de detalhes.
  10. 10. RESOLVENDO OS PROBLEMAS DE REPRESENTAÇÃO DA TERRA 2. PROJEÇÕES CARTOGRÁFICASa passagem da superfície esférica do planeta para a superfície plana dopapel gera DISTORÇÕES.Para resolver esse problema são utilizadas as PROJEÇÕESCARTOGRÁFICAS.A partir de determinadas FIGURAS GEOMÉTRICAS, “encaixa-se” a esferaterrestre ou partes dela . Só então são desenhados os PARALELOS e os MERIDIANOS que definem uma grade: as COORDENADAS GEOGRÁFICAS, que servem para localizar os diferentes pontos, usando as latitudes e as longitudes
  11. 11. os PLANISFÉRIOS são uma das formas mais comuns de representação da Terra Os PLANISFÉRIOS são construídos imaginando-se que a Terra ficaria envolta num CILINDRO. Os meridianos e os paralelos são linhas retas. Neste tipo de projeção as menores distorções ocorrem nas áreas mais próximas ao Equador. As áreas polares ficam muito distorcidas, dando a falsa impressão que são muito maiores do que são de fato.
  12. 12. Para representar asregiões temperadas(médias latitudes) ereduzir as distorçõesutiliza-se aPROJEÇÃO CÔNICA.Neste tipo de projeçãoos paralelos são semi-círculos e osmeridianos são linhasconvergentes que seencontram nos polos.As menores distorçõesocorrem próximas aoponto de tangência.
  13. 13. Para representar asáreas polares utiliza-sea PROJEÇÃO PLANA,POLAR ou AZIMUTAL.Neste tipo de projeçãodetermina-se um pontode contato com asuperfície. Os paralelossão círculosconcêntricos e osmeridianos são retasdivergentes.É um tipo de projeçãoconsideradageopolítica, já que éusada para justificarcertos tipos deinteressesgeoestratégicos oueconômicos e permiteque qualquer ponto sejaconsiderado como o“centro”.
  14. 14. A projeção AZIMUTAL permite utilizar qualquer ponto da superfície como “centro” do mapa. Neste caso, o Brasil foi posicionado com relação à Antártida, visando demonstrar nossa “proximidade”, justificando nossos interesses em fazer parte da divisão do continente, ocupar e montar uma base de pesquisas na região, a Estação Almirante Ferraz.Lembre-se que a Terra é redonda e está em constante movimento e portanto, o MAPA NÃO ESTÁ DE PONTA CABEÇA!!!
  15. 15. OUTROS TIPOS DE PROJEÇÃO São utilizados com o objetivo de diminuir as distorções, ou de colocar em destaque uma das partes do planeta, o que abre a possibilidade de diferentes visões do mundo Amorim, &Terra - Geografia Geral
  16. 16. Regiões tecnológicas no mundoEste tipo de mapa é uma ANAMORFOSE.Ele é utilizado para representar proporcionalmente um dado fenômeno– no caso os países de maior desenvolvimento tecnológico – cujotamanho/forma foram alterados para representar sua intensidade.
  17. 17. RESOLVENDO PROBLEMAS DE REPRESENTAÇÃO No mapa3. A LINGUAGEM VISUAL OU GRÁFICA HIPSOMÉTRICO do Brasil, pode-se visualizar os diferentes elementos utilizados em sua confecção: as coordenadas geográficas que servem para posicionar o país no globo; as escalas, gráfica e numérica que indicam quanto o território foi reduzido; a linguagem visual que se vale de cores, linhas e formas para identificar aspectos da Geoatlas superfície (no caso as formas de relevo)
  18. 18. AS CURVAS DE NÍVEL A representação das formas de relevo implica considerar asvariações de forma e altitude. Para isso, o relevo é dividido em diferentes planos, de acordo com as variações de altitude, em intervalos equidistantes, (daí o nome de curvas de nível) que projetados refletem suas características.Obs.: quanto mais próximas forem as linhas mais acidentado é o relevo
  19. 19. O esquema é umarepresentação que reúneos diferentes aspectos deuma certa área.Nele estão presentes osvários elementosutilizados na confecçãode mapas e plantas:a escalaa localização/posiçãoo uso da linguagemgráfica para arepresentação dosdiferentes aspectos quecaracterizam a área
  20. 20. Os PERFIS TOPOGRÁFICOS são também uma forma especial derepresentaçãoSeu objetivo é reproduzir as variações de FORMA e de ALTITUDE e, aomesmo tempo apresentar informações sobre a estrutura geológica. Nosexemplos têm-se o perfil do relevo da região Sudeste do Brasil, desde oAtlântico até a bacia do rio Paraná, ao longo do Estado de São Paulo.O perfil abaixo, é um recorte do relevo europeu, desde a Irlanda até a Itália. Fonte: Bocchicchio
  21. 21. Os perfis topográficos são utilizadoscomo forma de sintetizar os principais aspectos da topografia/ estruturageológica. Eles “reproduzem” as formas de relevo e apresentamsuas principaiscaracterísticas
  22. 22. AS VISÕES DE MUNDO:a IDEOLOGIA dos MAPAS
  23. 23. A POSSE E O CONTROLE DO TERRITÓRIO SÃO FORMAS DE PODER;o que implica CONHECER e INVENTARIAR AS VÁRIAS FONTES DERECURSOS NATURAIS,AVALIAR SUAS POTENCIALIDADES,EXERCER O CONTROLE TERRITORIALPLANEJAR OS ASPECTOS LIGADOS ÀOCUPAÇÃO E À EXPLORAÇÃOGERENCIARNeste contexto os MAPAS são um importante INSTRUMENTOque subsidiam as demandas dos ESTADOS NACIONAIS e dasGRANDES EMPRESAS, principalmente.
  24. 24. Esta é uma VISÃO DE MUNDO muito difundida. Nela a Europa é o CENTRO DO MUNDO: suas dimensões estão aumentadas por causa da PROJEÇÃO utilizada e pode ser interpretada em função do papel e influência que os europeus exerceram ao longo da História sobre o resto do mundo.Nesta outra VISÃO DE MUNDOa proposta é apresentar aÁFRICA como o “centro”.A “inversão” é proposital e dáum destaque especial aos Paísesdo Sul.Ambos os mapas utilizam omesmo tipo de projeção: acilíndrica.
  25. 25. Outras VISÕES de MUNDO Fonte: GEOATLAS
  26. 26. OUTRAS VISÕES DE MUNDO Fonte: GEOATLAS Em todas essas “visões” os mapas são construídos a partir de diferentes “centros” com o objetivo de destacar a área, atribuindo-lhe uma importância aparentemente maior. A escolha da projeção é fundamental, em função das distorções e/ou “omissões” que apresentam e são usadas como forma de destacar e dar relevo a uma área ou país.
  27. 27. Mapa de propaganda OUTROS TIPOS E USOS DE MAPAS FIMMapa temático

×