Silogismo: Termo, modo figura e regras da inferência valida

2.803 visualizações

Publicada em

Lógica aristotélica

0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.803
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
124
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
38
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Silogismo: Termo, modo figura e regras da inferência valida

  1. 1. Agrupamento de escolas Agualva Mira Sintra Ano letivo 2014/15 Escola Secundária Matias Aires Argumentação e lógica Formal As proposições categóricas ( extensão e compreensão dos conceitos/ termos) Qualidade e quantidade dos juízos Distribuição dos termos nas proposições e regras da inferência válida
  2. 2. Definição de proposição categórica: • A lógica ocupa-se de um tipo particular de proposições categóricas – compostas por dois termos ( sujeito e predicado) ligados por uma cópula ( S é P/ S não é P). • Exercício • Na proposição – O corvo é um animal inteligente • Indique: Sujeito; predicado e cópula
  3. 3. Os termos de uma proposição variam em extensão e compreensão • A extensão de um conceito ou termo é a classe ou conjunto de coisas por ele denotadas. Um termo é universal se se refere à totalidade da classe denotada; é particular se se refere apenas a uma parte dessa classe. • A compreensão de um termo é o conjunto de propriedades que convêm ao termo, no sentido de permitirem defini-lo por relação com outros termos.
  4. 4. Exercício Considera a seguinte proposição categórica: Todos os homens são mortais • Qual o termo com maior extensão? Justifica. • Qual o termo com maior compreensão ? Justifica. • Extensão e compreensão variam na inversa proporcionalidade? Justifica.
  5. 5. Qualidade e quantidade dos juízos/ proposição • Os juízos podem ser classificados no que se refere à quantidade - universais ou particulares e à qualidade afirmativos ou negativos. Todo o S é P Todos os homens são racionais Algum S é P Alguns professores são desportistas Nenhum S é P Nenhum trabalhador é preguiçoso Algum S não é P Algumas raparigas não são simpáticas
  6. 6. A distribuição dos termos nas proposições • A extensão de um conceito ou termo é a classe ou conjunto de coisas por ele denotadas. Um termo é universal se se refere à totalidade da classe denotada; é particular se se refere apenas a uma parte dessa classe. • Como sabemos, qualquer juízo categórico é constituído por dois termos: um que exerce a função de sujeito e outro a função de predicado
  7. 7. Distribuição dos termos nas proposições • Todos os gatos são mamíferos – Tipo A • S- Distribuído e P – Não Distribuído. • Alguns alunos gostam de lógica – Tipo I • S – Não Distribuído e P – Não Distribuído. • Nenhum bípede é quadrúpede – Tipo E • S – Distribuído e P – Distribuído. • Alguns alunos não gostam de Filosofia Tipo O • S – Não Distribuído e P – Distribuído. • Síntese - O sujeito está distribuído, nas proposições universais, e não nas particulares. • O predicado está distribuído nas proposições negativas e não nas afirmativas.
  8. 8. A oposição das proposições • Proposições Contrárias • Tipo A e Tipo E • Proposições • contraditórias • Tipo A/O e E/I • Proposições Subalternas • Tipo A / I e E / O • Proposições Subcontrárias • Tipo I e Tipo O Opõem –se em qualidade mas não em quantidade Opõem-se em qualidade e quantidade Opõem-se em quantidade Opõem-se em qualidade
  9. 9. O que é um silogismo? • É uma inferência constituída por três proposições categóricas e contém exatamente três termos, é designada por silogismo categórico. • Qualquer silogismo é constituído por três proposições: premissa maior, premissa menor e conclusão. • A premissa maior não é necessariamente a primeira mas aquela que inclui o termo maior. • O que é o termo maior? É o termo extremo. É sempre predicado da conclusão e diz-nos qual é a premissa maior, da qual faz parte.
  10. 10. As premissas e a conclusão • A premissa menor não é obrigatoriamente a segunda, mas a que contém o termo menor. • O termo menor é outro termo extremo. É sempre o sujeito da conclusão e indica – nos qual é a premissa menor. • A Conclusão conhece-se por não conter o termo médio. • O termo médio é aquele que estabelece a ligação entre os extremos. Aparece nas duas premissas e nunca na conclusão. • Explicação - Qualquer silogismo contém apenas três termos: o maior, o menor e o médio
  11. 11. EXEMPLO • Todos os mamíferos são animais • Os cães são mamíferos • Logo, os cães são animais • O termo maior, o de maior extensão, é animais. Desempenha a função de predicado na conclusão e dá-nos a conhecer qual é a premissa maior. Neste silogismo é a primeira. • O termo menor, o de menor extensão, é cães. É, de acordo com a definição, o sujeito da conclusão e aparece na premissa menor. • O termo médio é aquele que se repete em ambas as premissas. Neste caso, mamíferos. •
  12. 12. REGRAS PARA OS TERMOS • O silogismo só pode ter três termos. • O Termo médio não pode surgir na conclusão. • O Termo médio deve aparecer pelo menos uma vez na sua máxima extensão. • Nenhum termo pode ter maior extensão na conclusão do que nas premissas onde ocorre.
  13. 13. Regras para as proposições • De duas premissas negativas não se extrai nenhuma conclusão. • De duas Particulares não se extrai conclusão. • De uma premissa universal e de outra particular a conclusão é particular. • De uma premissa negativa e outra afirmativa a conclusão é negativa • De duas afirmativas não se extrai uma conclusão negativa
  14. 14. O (s) Modo (s) de um silogismo • O Modo determina – se pelo tipo de proposições que o silogismo contém, dispostas pela seguinte ordem: premissa maior, premissa menor e conclusão. • Recorrendo ao exemplo dado dizemos que é do modo A,A,A, dado que as proposições que o constituem são de tipo A – Universais afirmativas.
  15. 15. AS FIGURAS • A Figura de um silogismo determina-se pela função do termo médio na premissa maior e na menor. • Como o termo médio pode exercer a função de sujeito e de predicado em cada uma das premissas, há a possibilidade de existirem quatro figuras.
  16. 16. • Falácia • s.f. Engano, ilusão, sofisma. Argumento capcioso que induz a erro. • Dizem-se falaciosos os argumentos inválidos , aqueles em que as premissas não sustentam a conclusão • Sofisma – quando a falácia é cometida com o objetivo premeditado de fazer passar uma afirmação falsa por verdadeira • Paralogismo – ocorre quando o procedimento não é intencional
  17. 17. • Falácias Formais • Inferência inválida com a aparência de válida. Comete-se quando se desrespeita uma das regras de inferência. • Falácias do silogismo • Falácia do quarto termo (quando há um termo equívoco) • Falácia do termo médio não distribuído( quando o termo médio não está distribuído pelo menos numa premissa) • Falácia da ilícita maior (termo maior é universal na conclusão e particular na premissa onde ocorre) • Falácia da ilícita menor (termo menor é universal na conclusão e particular na premissa)

×