Professor: Juliano Dornelles
Comunicação Social - Jornalismo
(3º semestre)
Conteúdo programático
 As formas digitais de narrativas virtuais
(Blogs, Fotologs, Videologs e Miniblogs)
 O contexto at...
Objetivos do ensino
 Expor, exemplificar e discutir as práticas de
construção de narrativas na internet. Blogs,
Miniblogs...
O contexto atual
 Visibilidade mediada onipresente
 Exposição mediática
 Interesse pelas intimidades
 Construção colet...
As narrativas pessoais
Entre a ficção e a realidade
 Quando criança nos apropriamos da
identidade dos heróis do mundo ima...
Estabelecemos nossos referenciais
Quando crescemos . . .
Começamos a buscar referenciais reais no
mundo em que vivemos.
Uns desejam ser jogador de futebol
Outros espelham-se nos ídolos da música
Mas a mitologia e o imaginário
continuam motivando uns e outros
E neste contexto, onde é
misturada a fantasia à realidade,
emergem as narrativas virtuais
E estas narrativas tem um objetivo
 Legitimar e comercializar subjetividades
 Histórias de vida
 Exemplos possíveis de ...
O ciberespaço é um ambiente propício
para que estas narrativas aconteçam
Nestas narrativas são comercializados
referenciais
 Os internautas que consomem estes modelos de
comportamento, caminhos ...
Buscamos referenciais
Nos negócios . . .
Referenciais de santidade . . .
De família . . .
De prosperidade . . .
De felicidade . . .
Entre outros tantos !
Narrativas no ciberespaço
 Percebemos estes modelos referenciais sendo
comercializados através das narrativas da
internet...
Um exemplo clássico
Vlogueiros que se tornaram celebridade na web
Foram encontrados no Google
 98.600 resultados na busca da expressão ‘Diário
de um ex-fumante’
 966.000 resultados na bu...
 Neste contexto, encontramos infinitos
exemplos de modelos comercializados e
consumidos a partir de narrativas na
interne...
Algumas referências
 GREEN, Joshua; BURGESS, Jean. YOUTUBE e a
revolução digital. São Paulo: LAEPH, 2009
 RECUERO, Raque...
Exercício prático em grupo
 Divisão da turma em três grupos.
 Cada grupo será responsável pela criação de um vídeo
narra...
 Cada uma destas três representações deverão ser
configuradas em vídeos de cinco minutos, gravadas
e editadas na segunda ...
Avaliação
 Frequência
 Participação em aula
 Trabalho em grupo
FIM
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Aula

863 visualizações

Publicada em

Produção Multimídia em Narrativas Virtuais

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
863
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
142
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
16
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula

  1. 1. Professor: Juliano Dornelles Comunicação Social - Jornalismo (3º semestre)
  2. 2. Conteúdo programático  As formas digitais de narrativas virtuais (Blogs, Fotologs, Videologs e Miniblogs)  O contexto atual – Internet e Mídias Sociais (Visibilidade mediada, interatividade, construção coletiva, participação, exposição e consumo das intimidades)  As celebridades da era digital (Idolos, heróis, famosos e pessoas comuns)
  3. 3. Objetivos do ensino  Expor, exemplificar e discutir as práticas de construção de narrativas na internet. Blogs, Miniblogs, Fotologs e Vlogs.  Exercícios práticos de construção de conteúdo.  Construir, a partir da análise de conteúdo, a visão crítica do aluno em relação às narrativas virtuais na internet. Buscando o entendimento do processo construtivo e possibilitando que os alunos construam suas próprias narrativas.
  4. 4. O contexto atual  Visibilidade mediada onipresente  Exposição mediática  Interesse pelas intimidades  Construção coletiva e colaborativa  Participação em comunidades temáticas em torno de afinidades específicas  Conexão móvel (Mobilidade)  Interação total
  5. 5. As narrativas pessoais Entre a ficção e a realidade  Quando criança nos apropriamos da identidade dos heróis do mundo imaginário  Dizendo: ‘Eu sou . . .’ E direcionando o comportamento baseado na influência destes heróis (gestos, vocabulário, vestuário, comportamentos específicos, etc)
  6. 6. Estabelecemos nossos referenciais
  7. 7. Quando crescemos . . . Começamos a buscar referenciais reais no mundo em que vivemos.
  8. 8. Uns desejam ser jogador de futebol
  9. 9. Outros espelham-se nos ídolos da música
  10. 10. Mas a mitologia e o imaginário continuam motivando uns e outros
  11. 11. E neste contexto, onde é misturada a fantasia à realidade, emergem as narrativas virtuais
  12. 12. E estas narrativas tem um objetivo  Legitimar e comercializar subjetividades  Histórias de vida  Exemplos possíveis de serem incorporados  Caminhos alternativos  Visões do mundo  Opiniões pessoais  E todo tipo de experiência que possa ser aproveitada de alguma forma por outras pessoas
  13. 13. O ciberespaço é um ambiente propício para que estas narrativas aconteçam
  14. 14. Nestas narrativas são comercializados referenciais  Os internautas que consomem estes modelos de comportamento, caminhos e histórias particulares, buscam em quem espelhar-se e que elementos utilizar pra construir a própria subjetividade  Empreendedores, esportistas, artistas e outros profissionais, além de pessoas comuns, encontram nos referenciais um modelo sobre o qual construir a própria singularidade
  15. 15. Buscamos referenciais Nos negócios . . .
  16. 16. Referenciais de santidade . . .
  17. 17. De família . . .
  18. 18. De prosperidade . . .
  19. 19. De felicidade . . . Entre outros tantos !
  20. 20. Narrativas no ciberespaço  Percebemos estes modelos referenciais sendo comercializados através das narrativas da internet.  Os Blogs, os Fotologs e os Vlogs são os principais exemplos de canais onde estas narrativas são compartilhadas.  Destacamos os vídeos motivacionais com exemplos de superação e sucesso.
  21. 21. Um exemplo clássico Vlogueiros que se tornaram celebridade na web
  22. 22. Foram encontrados no Google  98.600 resultados na busca da expressão ‘Diário de um ex-fumante’  966.000 resultados na busca da expressão ‘Diário de um ex-obeso’  2.830.000 resultados na busca da expressão ‘exemplo de superação’  21.600.000 resultados na busca da expressão ‘exemplo de sucesso’
  23. 23.  Neste contexto, encontramos infinitos exemplos de modelos comercializados e consumidos a partir de narrativas na internet.  Estes e outros exemplos continuarão sendo escritos, fotografados, filmados, adaptados ao consumo e comercializados na internet.  Este é apenas o começo.
  24. 24. Algumas referências  GREEN, Joshua; BURGESS, Jean. YOUTUBE e a revolução digital. São Paulo: LAEPH, 2009  RECUERO, Raquel. Redes Sociais na internet. Porto Alegre: Editora Sulina, 2009  SIBILIA, Paula. O Show do eu. A intimidade como espetáculo. Rio de Janeiro. Editora Nova Fronteira, 2008]  JENKINS, Henry. Cultura da convergência. São Paulo. ALEPH, 2009
  25. 25. Exercício prático em grupo  Divisão da turma em três grupos.  Cada grupo será responsável pela criação de um vídeo narrativo em formato vlog  O primeiro grupo escolherá um aluno para representar um jovem entre 15 e 25 anos falando sobre sua experiência em mídias sociais.  O segundo grupo escolherá um aluno pra representar um adulto entre 30 e 40 anos pra falar em vídeo, estilo vlog, sobre como utiliza as mídias sociais no trabalho.  O terceiro grupo escolherá um aluno pra representar um idoso aposentado da terceira idade que utiliza as mídias sociais pra conversar com amigos e ver as fotos dos netos na internet.
  26. 26.  Cada uma destas três representações deverão ser configuradas em vídeos de cinco minutos, gravadas e editadas na segunda aula com ajuda do professor e assistidos e debatidos na terceira aula em classe.  A partir do exercício pretende-se ter uma experiência prática de construção de narrativa multimídia.  Pra que isto seja possível serão apresentados, no inicio da segunda aula vídeos de internautas que ‘vlogam ‘ neste sentido. Finalidade da dinâmica
  27. 27. Avaliação  Frequência  Participação em aula  Trabalho em grupo FIM

×