SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 49
Baixar para ler offline
Ilhéus
Foto: José Nazal
Minha Cidade, Minha Terra
CONHEC
ER
• Ilhéus começa com o sistema das
Capitanias Hereditárias
• O país foi divido em 15 grandes
lotes de terra que foram doados
a 12 donatários.
• A Carta de Doação da Capitania
de Ilhéus foi assinada em Évora
(Portugal), em 26 de junho de
1534.
• O donatário chamava-se Jorge
de Figueiredo Corrêa e ocupava,
em Portugal, o cargo de escrivão
da Fazenda Real.
• Mandou, em seu lugar, Francisco
Romero, um castelhano famoso
pelo seu autoritarismo.
Romero e sua esquadra saíram do
Tejo (Portugal) e ancoraram na ilha
de Tinharé (Morro de São Paulo).
Descobriram um local mais seguro e
apropriado para fundação de uma
vila.
Era o cume do atual Outeiro de São Sebastião.
A vila passou a ser chamada de
“São Jorge dos Ilhéos”
A Cana-de-Açúcar trouxe
prosperidade para região.
Ilhéus foi uma das capitanias
mais ricas do Brasil, na época
do governo de Tomé de Souza.
Uma das sesmarias que mais se
destacou na Capitania foi a de
Mem de Sá (3º. Governador-
Geral do Brasil), que fundou o
Engenho de Santana.
PAU BRASIL
1ª. atividade
econômica
CANA-DE-AÇÚCAR
2ª. Atividade econômica
TODA MONOCULTURA UM DIA CHEGA AO FIM
Com a queda da lavoura
canavieira a capitania de São
Jorge dos Ilhéus passa a
viver da lavoura de
subsistência e da extração de
madeira.
Foi o Marquês de Pombal
quem acabou com as
capitanias Hereditárias no
Brasil.
Em 9 de junho de 1754, a
Capitania de Ilhéus foi
incorporada a Capitania da
Bahia, passando a ser
Comarca ou Ouvidoria.
Através da Lei Provincial n.
2.187, referendada pelo
Marquês de Paranaguá,
Ilhéus é elevada à categoria
de cidade, no dia 28 de junho
de 1881.
Guerras entre colonos e índios
Uma grande seca que aconteceu
na região
Epidemia de varíola - na 2ª. metade do
século XVI que matou centenas de índios
Falta de entendimento entre Francisco
Romero e os colonos e a ausência da
administração direta do donatário da
Capitania.
Muitos colonos abandonaram a vila.
Ilustração de Bruno Santana para o
livro “A Batalha dos Nadadores.”
Com a queda da lavoura canavieira a capitania de
São Jorge dos Ilhéus passa a viver da lavoura de
subsistência e da extração de madeira.
1746
As primeiras plantações de cacau, feitas pelo português Antonio Dias Ribeiro,
acontecem na Fazenda Cubículo (Canavieiras) com sementes trazidas do Pará, pelo
francês Luis Frederick de Warneau.
Em 9 de junho de 1754, a Capitania
de Ilhéus foi incorporada a Capitania
da Bahia, passando a ser Comarca
ou Ouvidoria.
Através da Lei Provincial no 2.187,
referendada pelo Marquês de
Paranaguá, Ilhéus é elevada à
categoria de cidade, no dia
28 de junho de 1881.
A cultura do cacau foi se desenvolvendo
no sul da Bahia até que, no final do
século XIX, Ilhéus ocupou o lugar de
primeiro produtor de cacau do mundo.
Ilhéus viveu a chamada “época
áurea do cacau.”
A lei que comandava a cidade
era a do coronelismo
Nessa época, foi construído
grande parte do Patrimônio
Histórico Cultural da cidade.
1920
J. Dias – Acervo: Leda Hora
TODA MONOCULTURA UM DIA CHEGA AO FIM
1989
Vassoura-de-Bruxa
Podridão parda (1991)
A queda dos preços internacionais do cacau.
Grande estiagem (1993 a 1997)
1997
As belezas naturais
Principal Pólo Turístico da
Costa do Cacau
e o terceiroda Bahia
A história da cidade
e de sua gente
Turismo Cultural
ILHÉUS TEM...
Fonte: Inventário Turístico de Ilhéus, UESC/Bamin, 201
Fonte: Inventário Turístico de Ilhéus, UESC/Bamin, 201
População de
184.616 habitantes
9 Distritos
53 Povoações
DISTRITOS
1º. Aritaguá – 8.117
2º. Olivença – 7.536
3º. Rio do Braço – 3.253
4º. Coutos – 2.661
5º. Castelo Novo – 2.424
Fonte: Minha Ilhéus, José Nazal, 3ª.
ed.
1º. Conquista – 18.892
2º. Teotônio Vilela – 15.234
3º. Esperança – 13.288
4º. Malhado – 10.593
5º. Hernani Sá – 10.229
27º. Vila Nazaré - 454
Fonte: Minha Ilhéus, José Nazal, 3ª. ed.
BAIRROS
A Princesinha do Sul
A Capital do Cacau
Terra de Jorge Amado
1912-2001
Terra da Gabriela
Terra do Chocolate
PONTOS TURÍSTICOS
Ronald Souza
DEUS ABENÇOE A TODOS.
Fotos: José Nazal
Pesquisa e apresentação: Pawlo Cidade
“Ilhéus, Minha Cidade, Minha Terra.”

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Portugueses e o Brasil
Portugueses e o BrasilPortugueses e o Brasil
Portugueses e o BrasilGeo
 
Apostila turismohistoriadoceara
Apostila turismohistoriadocearaApostila turismohistoriadoceara
Apostila turismohistoriadocearaVeras Reis Reis
 
Brasil - a marcha da colonização da América portuguesa 2016
Brasil - a marcha da colonização da América portuguesa 2016Brasil - a marcha da colonização da América portuguesa 2016
Brasil - a marcha da colonização da América portuguesa 2016Carlos Zaranza
 
História do Espírito Santo
História do Espírito SantoHistória do Espírito Santo
História do Espírito SantoMarco antônio
 
Apostila Pre-vestibular Brasil Pré-colonial e Início da Colonização
Apostila Pre-vestibular Brasil Pré-colonial e Início da Colonização Apostila Pre-vestibular Brasil Pré-colonial e Início da Colonização
Apostila Pre-vestibular Brasil Pré-colonial e Início da Colonização Marco Vinícius Moreira Lamarão'
 
Pecuária, Entradas & Bandeiras, Tratados de Limites
Pecuária, Entradas & Bandeiras, Tratados de LimitesPecuária, Entradas & Bandeiras, Tratados de Limites
Pecuária, Entradas & Bandeiras, Tratados de LimitesValéria Shoujofan
 
Processo de colonização da America pelos portugueses
Processo de colonização da America pelos portuguesesProcesso de colonização da America pelos portugueses
Processo de colonização da America pelos portuguesesThayana Andrade
 
O início da colonização brasileira
O início da colonização brasileiraO início da colonização brasileira
O início da colonização brasileiraEefg Tj
 

Mais procurados (19)

Portugueses e o Brasil
Portugueses e o BrasilPortugueses e o Brasil
Portugueses e o Brasil
 
Capitanias Hereditárias
Capitanias HereditáriasCapitanias Hereditárias
Capitanias Hereditárias
 
Espírito Santo Colonial
Espírito Santo ColonialEspírito Santo Colonial
Espírito Santo Colonial
 
Sociedade Mineradora
Sociedade MineradoraSociedade Mineradora
Sociedade Mineradora
 
Maria iracilda
Maria iracildaMaria iracilda
Maria iracilda
 
O Dois de Julho
O Dois de JulhoO Dois de Julho
O Dois de Julho
 
Capitulo 02 a expansao da america portuguesa
Capitulo 02  a expansao da america portuguesaCapitulo 02  a expansao da america portuguesa
Capitulo 02 a expansao da america portuguesa
 
Os tratados de limites
Os tratados de limitesOs tratados de limites
Os tratados de limites
 
Apostila turismohistoriadoceara
Apostila turismohistoriadocearaApostila turismohistoriadoceara
Apostila turismohistoriadoceara
 
7 Pecuaria Colonial
7 Pecuaria Colonial7 Pecuaria Colonial
7 Pecuaria Colonial
 
Extrativismo na amazonia
Extrativismo na amazoniaExtrativismo na amazonia
Extrativismo na amazonia
 
Brasil - a marcha da colonização da América portuguesa 2016
Brasil - a marcha da colonização da América portuguesa 2016Brasil - a marcha da colonização da América portuguesa 2016
Brasil - a marcha da colonização da América portuguesa 2016
 
Sociedade mineradora
Sociedade mineradoraSociedade mineradora
Sociedade mineradora
 
Expansão colonial na américa portuguesa
Expansão colonial na américa portuguesaExpansão colonial na américa portuguesa
Expansão colonial na américa portuguesa
 
História do Espírito Santo
História do Espírito SantoHistória do Espírito Santo
História do Espírito Santo
 
Apostila Pre-vestibular Brasil Pré-colonial e Início da Colonização
Apostila Pre-vestibular Brasil Pré-colonial e Início da Colonização Apostila Pre-vestibular Brasil Pré-colonial e Início da Colonização
Apostila Pre-vestibular Brasil Pré-colonial e Início da Colonização
 
Pecuária, Entradas & Bandeiras, Tratados de Limites
Pecuária, Entradas & Bandeiras, Tratados de LimitesPecuária, Entradas & Bandeiras, Tratados de Limites
Pecuária, Entradas & Bandeiras, Tratados de Limites
 
Processo de colonização da America pelos portugueses
Processo de colonização da America pelos portuguesesProcesso de colonização da America pelos portugueses
Processo de colonização da America pelos portugueses
 
O início da colonização brasileira
O início da colonização brasileiraO início da colonização brasileira
O início da colonização brasileira
 

Semelhante a Ilhéus, minha cidade, minha terra.

Unidade zero da união ibérica à restauração e o nascer do 2º império
Unidade zero da união ibérica à restauração e o nascer do 2º impérioUnidade zero da união ibérica à restauração e o nascer do 2º império
Unidade zero da união ibérica à restauração e o nascer do 2º impérioAnabela Sobral
 
I retrospectivahistricadobrasilcolnia-090423141328-phpapp01
I retrospectivahistricadobrasilcolnia-090423141328-phpapp01I retrospectivahistricadobrasilcolnia-090423141328-phpapp01
I retrospectivahistricadobrasilcolnia-090423141328-phpapp01Sidnea Marinho
 
Retrospectiva Histórica Do Brasil Colônia
Retrospectiva Histórica Do Brasil ColôniaRetrospectiva Histórica Do Brasil Colônia
Retrospectiva Histórica Do Brasil ColôniaFabio Santos
 
História do Brasil e passeio aos Territórios Negros 2014
História do Brasil e passeio aos Territórios Negros 2014História do Brasil e passeio aos Territórios Negros 2014
História do Brasil e passeio aos Territórios Negros 2014Amanda Oliveira
 
História do brasil, invasões holandesas e francesa
História do brasil, invasões holandesas e francesaHistória do brasil, invasões holandesas e francesa
História do brasil, invasões holandesas e francesaÓcio do Ofício
 
Hist 3-aula012011-110710164412-phpapp02
Hist 3-aula012011-110710164412-phpapp02Hist 3-aula012011-110710164412-phpapp02
Hist 3-aula012011-110710164412-phpapp02eebcjn
 
O império português do oriente parte 5
O império português do oriente  parte 5O império português do oriente  parte 5
O império português do oriente parte 5anabelasilvasobral
 
Descobrimento do Brasil.pdf
Descobrimento do Brasil.pdfDescobrimento do Brasil.pdf
Descobrimento do Brasil.pdfHistriasdoMarko
 
OcupaçãO De Mato Grosso
OcupaçãO De Mato GrossoOcupaçãO De Mato Grosso
OcupaçãO De Mato GrossoPaticx
 
Capítulo 5 Organização político-administrativa na América Portuguesa
Capítulo 5 Organização político-administrativa na América PortuguesaCapítulo 5 Organização político-administrativa na América Portuguesa
Capítulo 5 Organização político-administrativa na América PortuguesaVitor Ferreira
 
Espírito santo colonial
Espírito  santo colonialEspírito  santo colonial
Espírito santo colonialYara Ribeiro
 
Capítulo 8-Independência do Brasil.ppt
Capítulo 8-Independência do Brasil.pptCapítulo 8-Independência do Brasil.ppt
Capítulo 8-Independência do Brasil.pptBetoFonseca8
 
Brasil síntese histórica
Brasil síntese históricaBrasil síntese histórica
Brasil síntese históricaAEDFL
 
HISTÓRIA DO BRASIL COLONIAL: descobrimento, impactos, conflitos e ciclos econ...
HISTÓRIA DO BRASIL COLONIAL: descobrimento, impactos, conflitos e ciclos econ...HISTÓRIA DO BRASIL COLONIAL: descobrimento, impactos, conflitos e ciclos econ...
HISTÓRIA DO BRASIL COLONIAL: descobrimento, impactos, conflitos e ciclos econ...Sheila Soarte
 

Semelhante a Ilhéus, minha cidade, minha terra. (20)

Unidade zero da união ibérica à restauração e o nascer do 2º império
Unidade zero da união ibérica à restauração e o nascer do 2º impérioUnidade zero da união ibérica à restauração e o nascer do 2º império
Unidade zero da união ibérica à restauração e o nascer do 2º império
 
Brasil colonial
Brasil colonialBrasil colonial
Brasil colonial
 
I retrospectivahistricadobrasilcolnia-090423141328-phpapp01
I retrospectivahistricadobrasilcolnia-090423141328-phpapp01I retrospectivahistricadobrasilcolnia-090423141328-phpapp01
I retrospectivahistricadobrasilcolnia-090423141328-phpapp01
 
Retrospectiva Histórica Do Brasil Colônia
Retrospectiva Histórica Do Brasil ColôniaRetrospectiva Histórica Do Brasil Colônia
Retrospectiva Histórica Do Brasil Colônia
 
História do Brasil e passeio aos Territórios Negros 2014
História do Brasil e passeio aos Territórios Negros 2014História do Brasil e passeio aos Territórios Negros 2014
História do Brasil e passeio aos Territórios Negros 2014
 
Brasil colônia seculo XVI
Brasil colônia seculo XVIBrasil colônia seculo XVI
Brasil colônia seculo XVI
 
História do brasil, invasões holandesas e francesa
História do brasil, invasões holandesas e francesaHistória do brasil, invasões holandesas e francesa
História do brasil, invasões holandesas e francesa
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
 
Hist 3-aula012011-110710164412-phpapp02
Hist 3-aula012011-110710164412-phpapp02Hist 3-aula012011-110710164412-phpapp02
Hist 3-aula012011-110710164412-phpapp02
 
O império português do oriente parte 5
O império português do oriente  parte 5O império português do oriente  parte 5
O império português do oriente parte 5
 
Revisão 7º ano
Revisão 7º anoRevisão 7º ano
Revisão 7º ano
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
 
Descobrimento do Brasil.pdf
Descobrimento do Brasil.pdfDescobrimento do Brasil.pdf
Descobrimento do Brasil.pdf
 
OcupaçãO De Mato Grosso
OcupaçãO De Mato GrossoOcupaçãO De Mato Grosso
OcupaçãO De Mato Grosso
 
Capítulo 5 Organização político-administrativa na América Portuguesa
Capítulo 5 Organização político-administrativa na América PortuguesaCapítulo 5 Organização político-administrativa na América Portuguesa
Capítulo 5 Organização político-administrativa na América Portuguesa
 
Espírito santo colonial
Espírito  santo colonialEspírito  santo colonial
Espírito santo colonial
 
Brasil Colônia
Brasil ColôniaBrasil Colônia
Brasil Colônia
 
Capítulo 8-Independência do Brasil.ppt
Capítulo 8-Independência do Brasil.pptCapítulo 8-Independência do Brasil.ppt
Capítulo 8-Independência do Brasil.ppt
 
Brasil síntese histórica
Brasil síntese históricaBrasil síntese histórica
Brasil síntese histórica
 
HISTÓRIA DO BRASIL COLONIAL: descobrimento, impactos, conflitos e ciclos econ...
HISTÓRIA DO BRASIL COLONIAL: descobrimento, impactos, conflitos e ciclos econ...HISTÓRIA DO BRASIL COLONIAL: descobrimento, impactos, conflitos e ciclos econ...
HISTÓRIA DO BRASIL COLONIAL: descobrimento, impactos, conflitos e ciclos econ...
 

Mais de Pawlo Cidade

Plano Municipal de Cultura.22.pptx
Plano Municipal de Cultura.22.pptxPlano Municipal de Cultura.22.pptx
Plano Municipal de Cultura.22.pptxPawlo Cidade
 
Redes Colaborativas - Aula 1
Redes Colaborativas -  Aula 1Redes Colaborativas -  Aula 1
Redes Colaborativas - Aula 1Pawlo Cidade
 
SNC - Marcos e Desentendimentos
SNC - Marcos e DesentendimentosSNC - Marcos e Desentendimentos
SNC - Marcos e DesentendimentosPawlo Cidade
 
Como Transformar a Cultura em um bom negócio
Como Transformar a Cultura em um bom negócioComo Transformar a Cultura em um bom negócio
Como Transformar a Cultura em um bom negócioPawlo Cidade
 
II Roda de Exposições: A cultura que queremos
II Roda de Exposições: A cultura que queremosII Roda de Exposições: A cultura que queremos
II Roda de Exposições: A cultura que queremosPawlo Cidade
 
Comunicado 001 2013 - cmc
Comunicado 001 2013 - cmcComunicado 001 2013 - cmc
Comunicado 001 2013 - cmcPawlo Cidade
 

Mais de Pawlo Cidade (6)

Plano Municipal de Cultura.22.pptx
Plano Municipal de Cultura.22.pptxPlano Municipal de Cultura.22.pptx
Plano Municipal de Cultura.22.pptx
 
Redes Colaborativas - Aula 1
Redes Colaborativas -  Aula 1Redes Colaborativas -  Aula 1
Redes Colaborativas - Aula 1
 
SNC - Marcos e Desentendimentos
SNC - Marcos e DesentendimentosSNC - Marcos e Desentendimentos
SNC - Marcos e Desentendimentos
 
Como Transformar a Cultura em um bom negócio
Como Transformar a Cultura em um bom negócioComo Transformar a Cultura em um bom negócio
Como Transformar a Cultura em um bom negócio
 
II Roda de Exposições: A cultura que queremos
II Roda de Exposições: A cultura que queremosII Roda de Exposições: A cultura que queremos
II Roda de Exposições: A cultura que queremos
 
Comunicado 001 2013 - cmc
Comunicado 001 2013 - cmcComunicado 001 2013 - cmc
Comunicado 001 2013 - cmc
 

Último

organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdfCarlosRodrigues832670
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxAntonioVieira539017
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxJMTCS
 
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptxAULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptxrenatacolbeich1
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024SamiraMiresVieiradeM
 
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?MrciaRocha48
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptxErivaldoLima15
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptx
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptx
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxalessandraoliveira324
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptAlineSilvaPotuk
 

Último (20)

organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
 
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptxAULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024
 
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptx
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptx
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptx
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
 

Ilhéus, minha cidade, minha terra.

  • 1. Ilhéus Foto: José Nazal Minha Cidade, Minha Terra
  • 3.
  • 4.
  • 5.
  • 6.
  • 7. • Ilhéus começa com o sistema das Capitanias Hereditárias • O país foi divido em 15 grandes lotes de terra que foram doados a 12 donatários. • A Carta de Doação da Capitania de Ilhéus foi assinada em Évora (Portugal), em 26 de junho de 1534. • O donatário chamava-se Jorge de Figueiredo Corrêa e ocupava, em Portugal, o cargo de escrivão da Fazenda Real. • Mandou, em seu lugar, Francisco Romero, um castelhano famoso pelo seu autoritarismo.
  • 8. Romero e sua esquadra saíram do Tejo (Portugal) e ancoraram na ilha de Tinharé (Morro de São Paulo). Descobriram um local mais seguro e apropriado para fundação de uma vila. Era o cume do atual Outeiro de São Sebastião. A vila passou a ser chamada de “São Jorge dos Ilhéos”
  • 9. A Cana-de-Açúcar trouxe prosperidade para região. Ilhéus foi uma das capitanias mais ricas do Brasil, na época do governo de Tomé de Souza. Uma das sesmarias que mais se destacou na Capitania foi a de Mem de Sá (3º. Governador- Geral do Brasil), que fundou o Engenho de Santana. PAU BRASIL 1ª. atividade econômica CANA-DE-AÇÚCAR 2ª. Atividade econômica
  • 10. TODA MONOCULTURA UM DIA CHEGA AO FIM
  • 11. Com a queda da lavoura canavieira a capitania de São Jorge dos Ilhéus passa a viver da lavoura de subsistência e da extração de madeira. Foi o Marquês de Pombal quem acabou com as capitanias Hereditárias no Brasil. Em 9 de junho de 1754, a Capitania de Ilhéus foi incorporada a Capitania da Bahia, passando a ser Comarca ou Ouvidoria. Através da Lei Provincial n. 2.187, referendada pelo Marquês de Paranaguá, Ilhéus é elevada à categoria de cidade, no dia 28 de junho de 1881. Guerras entre colonos e índios Uma grande seca que aconteceu na região Epidemia de varíola - na 2ª. metade do século XVI que matou centenas de índios Falta de entendimento entre Francisco Romero e os colonos e a ausência da administração direta do donatário da Capitania. Muitos colonos abandonaram a vila. Ilustração de Bruno Santana para o livro “A Batalha dos Nadadores.” Com a queda da lavoura canavieira a capitania de São Jorge dos Ilhéus passa a viver da lavoura de subsistência e da extração de madeira.
  • 12. 1746 As primeiras plantações de cacau, feitas pelo português Antonio Dias Ribeiro, acontecem na Fazenda Cubículo (Canavieiras) com sementes trazidas do Pará, pelo francês Luis Frederick de Warneau.
  • 13. Em 9 de junho de 1754, a Capitania de Ilhéus foi incorporada a Capitania da Bahia, passando a ser Comarca ou Ouvidoria. Através da Lei Provincial no 2.187, referendada pelo Marquês de Paranaguá, Ilhéus é elevada à categoria de cidade, no dia 28 de junho de 1881. A cultura do cacau foi se desenvolvendo no sul da Bahia até que, no final do século XIX, Ilhéus ocupou o lugar de primeiro produtor de cacau do mundo.
  • 14. Ilhéus viveu a chamada “época áurea do cacau.” A lei que comandava a cidade era a do coronelismo Nessa época, foi construído grande parte do Patrimônio Histórico Cultural da cidade. 1920
  • 15.
  • 16.
  • 17.
  • 18.
  • 19. J. Dias – Acervo: Leda Hora
  • 20.
  • 21. TODA MONOCULTURA UM DIA CHEGA AO FIM
  • 22. 1989 Vassoura-de-Bruxa Podridão parda (1991) A queda dos preços internacionais do cacau. Grande estiagem (1993 a 1997)
  • 23. 1997 As belezas naturais Principal Pólo Turístico da Costa do Cacau e o terceiroda Bahia A história da cidade e de sua gente Turismo Cultural
  • 25. Fonte: Inventário Turístico de Ilhéus, UESC/Bamin, 201
  • 26. Fonte: Inventário Turístico de Ilhéus, UESC/Bamin, 201
  • 27. População de 184.616 habitantes 9 Distritos 53 Povoações DISTRITOS 1º. Aritaguá – 8.117 2º. Olivença – 7.536 3º. Rio do Braço – 3.253 4º. Coutos – 2.661 5º. Castelo Novo – 2.424 Fonte: Minha Ilhéus, José Nazal, 3ª. ed.
  • 28. 1º. Conquista – 18.892 2º. Teotônio Vilela – 15.234 3º. Esperança – 13.288 4º. Malhado – 10.593 5º. Hernani Sá – 10.229 27º. Vila Nazaré - 454 Fonte: Minha Ilhéus, José Nazal, 3ª. ed. BAIRROS
  • 30. A Capital do Cacau
  • 31. Terra de Jorge Amado 1912-2001
  • 35.
  • 36.
  • 37.
  • 38.
  • 39.
  • 40.
  • 41.
  • 42.
  • 43.
  • 45.
  • 46.
  • 47.
  • 48.
  • 49. DEUS ABENÇOE A TODOS. Fotos: José Nazal Pesquisa e apresentação: Pawlo Cidade “Ilhéus, Minha Cidade, Minha Terra.”