Palestra Conferência Anual de Inteligência Competitiva 2013 - Paulo Vieira

52.116 visualizações

Publicada em

Publicada em: Negócios
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
52.116
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
37
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Palestra Conferência Anual de Inteligência Competitiva 2013 - Paulo Vieira

  1. 1. Paulo Vieira – Consultor em Estratégia, Inovação e Inteligência Competitiva
  2. 2. Paulo Vieira – Consultor em Estratégia, Inovação e Inteligência Competitiva
  3. 3. GESTÃO DA INTELIGÊNCIAATIVIDADESPlanejamentoEstratégicoPlanejamentoTáticoPlanejamentoOperacionalInteligênciaCompetitivaEstatística BIPRODUTOS DE INTELIGÊNCIAAlertas RelatóriosSumáriosExecutivosPlano de AçõesProjeções deCenáriosESTRATÉGIA TRIPObjetivos Estratégicos Projetos Estratégicos Premissas CADIDEOLOGIA TRIP
  4. 4. Paulo Vieira – Consultor em Estratégia, Inovação e Inteligência Competitiva
  5. 5. Estratégia da área de IC/IM na TRIPEvitar ameaças e aproveitar oportunidades para o desenvolvimento e consolidação da malhaexistente e novos mercados, através da análise do ambiente de negócios, economia, concorrentes,clientes, fornecedores e processos internos.ObjetivoCaptar e transformar dados em informações de forma que possam ser armazenadas e revertidas em“INTELIGÊNCIA” e conhecimento estratégico para a empresaMissãoConstruir cenários diversificados sobre tendências que possam ser convertidas em oportunidadesreais de negócio para a empresa.VisãoInteligência Coletiva – Redes de Informação, Analises e InfluênciaInteligência Global – Monitoramento MundialInteligência Antecipativa – Antecipar Oportunidades e AmeaçasDefinições dos KITs e KIQs - Entender chaves de decisões do negócio.Criar Valor – Rentabilidade e CrescimentoDesafios
  6. 6. Paulo Vieira – Consultor em Estratégia, Inovação e Inteligência Competitiva
  7. 7. Paulo Vieira – Consultor em Estratégia, Inovação e Inteligência CompetitivaCiclo da Produção deInteligênciaIdentifica NecessidadeColetaQualifica informaçõesAnalisaDocumenta e DisseminaPlanejamentoAvaliação
  8. 8. Paulo Vieira – Consultor em Estratégia, Inovação e Inteligência Competitiva
  9. 9. RADAR DA INTELIGÊNCIAIdentificar NovosMercadosIdentificar ameaçase oportunidadesIdentificar ações daconcorrênciaIdentificar novosentrantesIdentificar novastecnologiasMonitorar aDemandaMonitorar a OfertaMonitorarRegulamentaçãoGovernamentalMonitorar MarketShareMonitorar Mercadoe EconomiaConcorrentes• Aero• Rodoviário• Demais Modais• Tecnologia• Novos Entrantes’Clientes• B2C• Operadoras• AgênciasFabricantes• Aeronaves• MotoresFornecedores• Técnicos• ConsumoInfra Aeroportuária• Regulamentações• ExpansãoGoverno• Regulamentações• Políticas• EconomiaMacro Ambiente• Analise Setorial• Cadeia Produtiva• Cadeira Competitiva• Macro Economias• Desenv. EconomicoSocialEmpresaAmbienteInterno
  10. 10. Paulo Vieira – Consultor em Estratégia, Inovação e Inteligência Competitiva
  11. 11. PRODUTOS DE INTELIGÊNCIAPRODUTOSAnálise da Concorrência• Ações de propaganda• Monitoramento de HOTRANs• Informativo semanal da concorrênciaOverview de Mercado• Market share• Evolução e tendências• Indicadores econômicos e MacroambienteDIM Notícias• Armazenamento e classificação de informaçõesAcompanhamento do Desempenho• Gestão dos Indicadores TRIP• Planejado x Realizado• Qualidade OperacionalPesquisas• Pesquisa de demanda• Perfil do passageiro• Pesquisa satisfação (NPS)Estudo de Cidades• Demanda• Dados demográficos• EconomiaKIT Concorrência 1KIT Concorrência 2KIT Concorrência 3KIT RentabilidadePlanejamento de MalhaEstatística• Dados estatísticos de tráfego (IAC 1505) / BAV• Estatístico contábil• Quadro de produção da frota• Dados comparativos preliminaresInovação e ConhecimentoI&C + Planejamento
  12. 12. Paulo Vieira – Consultor em Estratégia, Inovação e Inteligência Competitiva
  13. 13. Macro Processo de construção e entrega
  14. 14. Macro Processo
  15. 15. Paulo Vieira – Consultor em Estratégia, Inovação e Inteligência Competitiva
  16. 16. Rede de Coleta Interna
  17. 17. Paulo Vieira – Consultor em Estratégia, Inovação e Inteligência Competitiva
  18. 18. Perfil da EquipeP&D eInteligênciaCompetitivaMarketing Ciências Sociais Estatístico Matemático
  19. 19. Paulo Vieira – Consultor em Estratégia, Inovação e Inteligência Competitiva
  20. 20. Análise da Concorrência• Analisar a movimentação dos concorrentes: estratégia, ameaças,oportunidades, market share, indicadores operacionais, Hotrans,comunicação, preços, serviços, destinos e análise financeira.Objetivo• Clipping e base estruturada de notícias;• Análise de oportunidades e ameaças;• Análise de macro-ambiente e Overview do Mercado;• Análise da Concorrência;• Estudos de viabilidadeProdutosentregáveisQuantitativaEstabelece padrões de comportamento quepossam ser medidos através de números.Dados estatísticos ANAC, dados internosoperacionais e comerciais, dados IBGEQualitativaEstabelece padrões de comportamentoverificados através de fatos observáveis.Notícias, propagandas, redes sociais,pesquisa de satisfaçãoFontes
  21. 21. Construção das informações
  22. 22. Classificando e estruturando a informação Qualitativa
  23. 23. Clipping de Notícias relevantes
  24. 24. Análise da ConcorrênciaReferente a março/11
  25. 25. Análise da Concorrência5,35% 5,56% 5,93% 5,68% 6,31% 6,14% 6,70% 6,73% 7,21% 7,48% 7,73% 7,93% 7,71%85%87% 86% 84% 83% 82%85%82% 81% 80%82%77%81%0,00%10,00%20,00%30,00%40,00%50,00%60,00%70,00%80,00%90,00%100,00%-100.000200.000300.000400.000500.000600.000700.000800.000mar/10 abr/10 mai/10 jun/10 jul/10 ago/10 set/10 out/10 nov/10 dez/10 jan/11 fev/11 mar/11mar/10 abr/10 mai/10 jun/10 jul/10 ago/10 set/10 out/10 nov/10 dez/10 jan/11 fev/11 mar/11MKT Share 5,35% 5,56% 5,93% 5,68% 6,31% 6,14% 6,70% 6,73% 7,21% 7,48% 7,73% 7,93% 7,71%ASK 331.987 320.660 336.183 347.170 481.042 453.571 478.954 516.837 543.449 655.293 717.287 597.591 635.056RPK 281.551 279.139 288.465 292.307 397.839 370.904 407.974 426.275 440.798 521.891 591.462 462.869 515.588LF 85% 87% 86% 84% 83% 82% 85% 82% 81% 80% 82% 77% 81%Evolução Indicadores
  26. 26. Análise SWOT
  27. 27. ​TURISMO DE NEGÓCIOS MOVIMENTA R$ 7,2 BI A4​O NÚMERO DE PASSAGEIROS DE AVIÃO SUPEROU NESTE ANO O DE VIAJANTES DE ÔNIBUS INTERESTADUAIS PELA PRIMEIRA VEZ A4​INCREMENTO DA RENDA ESTIMULA VIAGENS POR TERRA E AR NO NORDESTE A3ANAC APROVA FUSÃO DA TAM COM A LAN A3​AZUL É MAIS UMA COMPANHIA AÉREA A TER QUE CANCELAR VOOS POR DIFICULDADES COM ESCALA A2TAM VAI VENDER PASSAGENS EM RODOVIÁRIAS A2GOVERNO CRIA SECRETARIA DE AVIAÇÃO CIVIL COM STATUS DE MINISTÉRIO A2​VIRACOPOS REGISTRA A MARCA DE UM MILHÃO DE PASSAGEIROS, CRESCIMENTO DE 36,23% FRENTE A 2010 A1DEPUTADA QUER REABERTURA DO AEROPORTO DE ITAITUBA B4MINISTÉRIO PÚBLICO PEDE SUSPENSÃO DE LICITAÇÃO DO TREM-BALA B3​CONCESSÃO DE TERMINAIS À INICIATIVA PRIVADA É ELOGIADA PELO SETOR AÉREO B2IATA ALERTA BRASIL A CRESCER SUA COMPETITIVIDADE AÉREA B2TURISMO REPRESENTA 3,3% DO PIB BRASILEIRO, DIZ ESTUDO B2MPF PEDE AGILIDADE EM OBRAS DE AEROPORTOS PARA A COPA B2OportunidadesAZUL COMEÇA A OPERAR COM ATR 72-200 E AUMENTA FROTA PARA 31 AVIÕES A-3AZUL RECLAMA POR INCENTIVOS NO AMAZONAS A-3A MAP LINHAS AÉREAS (AERO MANAUS) RECEBEU HOJE O SEU PRIMEIRO ATR42 A-2AZUL CARGO SOMA 60 LOJAS E 4,8 MILHÕES DE QUILOS TRANSPORTADOS A-2​GOL INICIA HOJE NOVOS VOOS DE SÃO PAULO E BELO HORIZONTE PARA MONTES CLAROS A-2​PROJETO OBRIGA A INSTALAÇÃO DE EQUIPAMENTOS OBRIGATÓRIOS EM AEROPORTOS A-2AZUL ESTÁ ENTRE AS 10 EMPRESAS MAIS INOVADORAS DO BRASIL, SEGUNDO A FAST COMPANY A-1GOL VENDERÁ PASSAGENS NOS METRÔS DE SÃO PAULO A-1GOL SUPERA TAM E LIDERA MERCADO DE AVIAÇÃO DOMÉSTICA, DIZ ANAC A-1MAIS LINHAS AÉREAS ENCOMENDA DOIS F100 A-1NOVAS TARIFAS AEROPORTUÁRIAS ENTRAM EM VIGOR A-1AZUL E PASSAREDO EM IPATINGA B-4​BARREIRAS PODEM DEIXAR AEROPORTO DA PAMPULHA SEM VOOS REGULARES B-4​QUEROSENE DE AVIAÇÃO DEVE SUBIR MAIS B-3CRISE GLOBAL TROUXE TEMPOS TURBULENTOS PARA COMPANHIAS AÉREAS B-3AVIANCA PLANEJA ESTREIA EM NATAL PARA JULHO B-2RICHARD BRENSON (VIRGIN) PODERIA ESTAR SONDANDO O MERCADO DE AVIAÇÃO BRASILEIRO B-2​EMBRAER E AZUL FARÃO 1º TESTE DE BIOQUEROSENE DE CANA EM AVIÃO B-1​LUCROS DAS AÉREAS DEVEM CAIR PELA METADE EM 2011, DIZ IATA C-3AmeaçasAnálise SWOT
  28. 28. Overview de Mercadomar/10 abr/10 mai/10 jun/10 jul/10 ago/10 set/10 out/10 nov/10 dez/10 jan/11 fev/11 mar/11 YTD10 YTD11Outros 0,9% 1,0% 1,0% 1,0% 1,1% 1,1% 1,2% 1,1% 1,2% 1,3% 1,2% 1,6% 1,4% 0,8% 1,4%TRIP 2,26% 2,3% 2,5% 2,37% 2,40% 2,38% 2,26% 2,25% 2,60% 2,71% 2,5% 2,9% 2,6% 1,8% 2,7%Azul 5,4% 5,6% 5,9% 5,7% 6,3% 6,1% 6,7% 6,7% 7,2% 7,5% 7,7% 7,9% 7,7% 5,2% 7,8%Avianca 2,4% 2,4% 3,2% 2,7% 2,9% 2,9% 2,8% 2,5% 2,6% 2,5% 2,5% 2,6% 2,4% 2,2% 2,5%Webjet 6,0% 5,9% 6,3% 6,2% 6,0% 5,8% 5,3% 5,6% 5,9% 5,1% 5,5% 5,9% 5,4% 6,4% 5,6%GOL 41,4% 40,7% 40,2% 39,1% 38,2% 39,0% 39,5% 39,1% 38,0% 37,9% 37,2% 39,6% 38,8% 41,3% 38,5%TAM 41,7% 42,1% 40,9% 42,9% 43,0% 42,7% 42,2% 42,6% 42,4% 43,1% 43,3% 39,5% 41,6% 42,4% 41,6%0%20%40%60%80%100%MARKETSHARE%Mercado Nacional71,0% 70,7% 73,2% 71,9% 70,9% 70,8% 68,3% 68,9% 71,4% 73,6% 72,6% 68,9% 68,8% 70,4% 70,2%17,1% 18,3% 16,5% 18,1% 20,8% 20,3% 20,6% 19,9% 17,7% 16,9% 18,5% 23,0% 21,6% 17,9% 21,0%4,7% 4,2% 4,6% 4,3% 3,8% 4,0% 6,4% 6,2% 5,8% 5,0% 4,8% 3,9% 5,1% 4,6% 4,6%0%20%40%60%80%100%mar/10 abr/10 mai/10 jun/10 jul/10 ago/10 set/10 out/10 nov/10 dez/10 jan/11 fev/11 mar/11 YTD10 YTD11MARKETSHARE%Mercado regionalTRIP Passaredo Pantanal (ATR) Total Outros
  29. 29. KIT ConcorrênciaOBJETIVOAjudar a TRIP a neutralizar o impacto da entradada Azul no mercado regional.DIAGNÓSTICOComo será a atuação da Azulno mercado regionalOs 35 prováveis destinos dos ATRs e suas frequências.Estratégia de marketing e a apresentação do ATR.Política comercial e cargas.Política de relacionamento institucional.Tarifa introdutória.Impacto da entrada da Azul nomercado regional na atuaçãoda TRIPPerfil e nível de satisfação dos clientes TRIP.Demanda e transferência de passageiros.Diferenciais competitivos daTRIP em relação à AzulAnálise SWOT.ESTRATÉGIA Recomendações.
  30. 30. KIT Concorrência – Prováveis destinos, baseado em notícias
  31. 31. KIT Concorrência – Demanda: método de cálculo e estimativaDEMANDAESTIMULADAOFERTADEASSENTOSDOAEROPORTOOFERTA DEASSENTOS DATRIPNúmero de assentos,segundo HOTRANs.Passageiros que viajam poroutros modais ou que não viajame que serão estimulados peloaumento da oferta e redução dastarifas.UNIVERSO CONHECIDOUNIVERSODESCONHECIDOOFERTA DE ASSENTOSDA AZULNúmero de assentos,segundo HOTRANs eestimativas.OFERTA DEASSENTOS DASOUTRASCOMPANHIASNúmero de assentos,segundo HOTRANs.ASSENTOS VAZIOSESTIMATIVA DEPASSAGEIROSTRANSPORTADOSTotal de assentos,segundo HOTRANs,vezes load factor médiopor origem.ASSENTOS VAZIOSESTIMATIVA DEPASSAGEIROSTRANSPORTADOSTotal de assentos,segundo HOTRANs,vezes load factor médiogeral de cada companhia.PAX EMTRÂNSITOESTIMATIVA PAX LOCAIS TRIPPAX TRANSFERIDOSPARA AZUL ESTIMATIVA DEPASSAGEIROSTRANSPORTADOSTotal de assentos, segundoHOTRANs e estimativas, vezesload factor médio geral.Bilhetesvoados em2010, maisprojeção decrescimentode 10%.
  32. 32. KIT Concorrência – Demanda de pax: método de cálculo e estimativa1. Seleção dos destinos concorrenciaispartindo de Ribeirão Preto:SDU e PLUCÁLCULO DA ESTIMATIVA DE TRANSFERÊNCIA DEDEMANDA2. Redução de potencial de demanda da TRIPapenas para estes destinos concorrenciais em 20%.Índice de 20% baseado na média histórica de redução dedemanda nos mercados já operados pela Azul.98.59262.507992.108706.063156.156 131.479Oferta de ass.TRIPEstimativapaxtransportadosTRIPOferta de ass.outras ciasEstimativapaxtransportadosoutras ciasOferta de ass.AzulEstimativapaxtransportadosAzulOferta de assentos X Estimativa de pax transportados98.59262.50718.6383.850Oferta de ass. TRIP Estimativa paxtransportados TRIPEstimativa pax locaisTRIP: Permanecem naTRIPEstimativa pax locaisTRIP: Transferidos paraAzulEstimativa de pax locais TRIP: que permanecem e que sãotransferidos para AzulEstimativa de pax locais TRIP22.488Cálculo:bilhetesvoados em2010, maisprojeção decrescimentode 10%.Estimativa pax transportados: paxlocais e/ou em trânsito na origem.Cálculo: total de assentos, segundoHOTRANs, vezes load factor médiogeral da cia, para Azul e outras, e loadfactor médio por origem para TRIP.
  33. 33. KIT Concorrência – Potencial de demanda TRIP x receitaBBBDDDCCCAAA020.00040.00060.00080.000100.000120.000140.000160.000-1.000 1.000 3.000 5.000 7.000 9.000 11.000 13.000 15.000 17.000 19.000PotencialdedemandaTRIPReceita TRIPMilharesMERCADOSPRIORITÁRIOSSão mais frágeispor terempotencial dedemanda baixa ereceita alta.
  34. 34. KIT Concorrência – Satisfação X Receita0,0%10,0%20,0%30,0%40,0%50,0%60,0%70,0%-4.000.000,00 0,00 4.000.000,00 8.000.000,00 12.000.000,00 16.000.000,00 20.000.000,00ÍndiceNPSReceita da TRIP em 2010 (R$)MédiaMERCADOSPRIORITÁRIOSSão mais frágeis porterem satisfaçãobaixa e receita alta.
  35. 35. OBJETIVO Ajudar a TRIP a neutralizar o impacto da expansão da Passaredo.DIAGNÓSTICOComo será a expansão daPassaredo nos próximos doisanosQuantas aeronaves a Passaredo receberá nos próximos dois anos e em qual cronograma?Quais serão os novos destinos da Passaredo e novas frequências em destinos já operados?Qual demanda inicial a Passaredo terá nestes novos destinos/frequências?Qual é a estratégia de marketing e política comercial para novos destinos/frequências?Quais cidades têm barreiras técnicas e de infraestrutura para entrada da Passaredo?Qual será a tarifa operada inicialmente em cada novo destino/frequência?Quais as possibilidades para alavancagem financeira (sociedade, aquisição, financeiramento)? Equais são os incentivos governamentais que a Passaredo recebe?Impacto da expansão daPassaredo nas operações daTRIPQual é o forecast market size nos destinos novos ou com novas frequências da Passaredo?Qual é o número de assentos oferecidos pelas cias aéreas nestes destinos atualmente?Qual foi o número de passageiros transportados em 2010?Qual é a relação entre demanda e oferta dos destinos?Qual é a previsão de transferência de demanda da TRIP para Passaredo nestes novos destinos?Qual o nível de satisfação e perfil dos clientes TRIP em relação a Passaredo?Diferenciais competitivos daPassaredo em relação à TRIPAnálise SWOT.ESTRATÉGIA Recomendações.KIT Concorrência 2
  36. 36. KIT Concorrência 3OBJETIVO Ajudar a TRIP a neutralizar o impacto da fusão da Gol com a Webjet.DIAGNÓSTICOComo será o cenário deatuação da Gol depois deabsorver as operações daWebjetComo ficará a malha da Gol somada à malha da Webjet?Qual será o share da Gol por assentos e por operações em cada aeroporto?Quais novas ligações serão possíveis integrando a malha de Gol e Webjet? E quais ligações daGol já existentes serão melhoradas?Quais são as rotas e horários redundantes entre Gol e Webjet? Quais slots ficarão disponíveis,supondo que as rotas redundantes sejam canceladas?Como será a política tarifária da Gol nos mercados Webjet?Qual será a frota da Gol? Haverá sobra de aeronaves? Quantas aeronaves sobrarão?Quais aeroportos que hoje a Gol+Webjet não atua têm condições de receber suas operações?Impacto que o novo cenáriode atuação da Gol terá nasoperações da TRIPQuais mercados da TRIP serão impactados pela troca da marca Webjet para Gol?Quais mercados da TRIP ganharão concorrência de conexões otimizadas da Gol+Webjet?Em quais aeroportos que hoje a Gol+Webjet não atua e que têm condições de receber suasoperações a TRIP opera?Qual será o impacto na TRIP da disputa mais acirrada entre TAM e Gol?ESTRATÉGIA Recomendações.
  37. 37. KIT RentabilidadeOBJETIVODiagnosticar possíveis deficiências nas linhas de baixa rentabilidade para corrigi-las ou encaminhá-las paraa reunião de route profitability.DIAGNÓSTICODemandaExiste demanda na rota operada? Qual é o tamanho? IMÉ conhecido o perfil desta demanda? IMFoi testada a flexibilidade da demanda quanto à tarifa? RMOferta coerentecom a demandaQual é a oferta total da indústria para esta rota? Qual é o saldo da demanda? IMA oferta da TRIP é adequada ao saldo da demanda? IMÉ praticada a tarifa aceita pela demanda? RMA tarifa aceita pela demanda é suficiente para cobrir as margens desta rota? RMOs horários e frequências do voo da TRIP atendem às necessidades da demanda? IMAs conexões possíveis para e a partir desta rota atendem às necessidades da demanda? IMComercialComo é a atuação comercial desta oferta (presença nas agências, descontos e demais incentivos)? ComercialComo está a performance de vendas (vendido) nos diversos canais? ComercialQuais são os principais clientes e como está a performance de vendas? ComercialA curva de vendas do vôo é igual, superior ou inferior a curva de vendas TRIP no mesmo período? Por que? ComercialCompetitividadeComo a tarifa e os horários da TRIP estão posicionados em relação à concorrência? RMComo são os esforços comerciais da concorrência? ComercialComo são os esforços de promoção (publicidade, imprensa, eventos) da concorrência? MarketingComunicaçãoA demanda conhece a oferta da TRIP? MarketingQuais foram os esforços de promoção (publicidade, imprensa, eventos) desta oferta da TRIP? MarketingESTRATÉGIA Recomendações.
  38. 38. GRU-PMWAFL-STMCCM-POAMII-SJPJTC-MIIAFL-OPSPVH-RBRCGR-DOUSJK-VAGIGU-MGFCKS-MABAAX-UBAARU-JTCCCM-JOILDB-MGFPLU-VCPLDB-PPBGVR-IPNBPS-IOSCNF-FLNJDF-SDUBVH-OALMOC-SSAAAX-UDIDTI-MOCJDF-VAGGYN-UDICGB-ROOOAL-PVHDTI-PLUJDF-JDRARU-SJPOLC-TBTIGU-LDBAUX-CKSMCZ-RECBYO-CGRCAW-MEABYO-CMGBVH-JPRRVD-UDIGYN-NATGRU-PPBJDR-PLUPOJ-UDIGYN-RVDAUX-BSBCNF-IOSCGB-OALAJU-MCZCIZ-TFFLDB-VCPUBA-UDIFBA-TFFCAC-DOUPLU-VAGBPS-VIXBPS-MOCFBA-OLCIRZ-SJLLEC-SSAJPR-PVHGRU-MIITBT-TFFBSB-MCZHUW-LBRCWB-FLNGRU-MGFCGB-SJPBPS-CNFIGU-POACKS-TURDOU-PPBCAC-LDBBAZ-SJLPLU-POJCWB-VCPCNF-RAOCGR-LDBGRU-VAGCWB-PPBJDF-PLULBR-PVHJDR-SDUCAW-VIXAAX-GRUGRU-UDIPNZ-SSACGB-CGRIRZ-MAOMAO-SJLCIZ-MAOARU-ROOCNF-POAGVR-VIXCNF-VCPCGR-MGFCAC-CWBBEL-SLZBEL-STMGRU-SJPBAZ-MAOERN-TFFCFB-PLUCKS-PMWBSB-PMWHUW-MAOGRU-PLUCNF-GRUCNF-MOCGRU-JOIGRU-JDFITB-STMSTM-TMTCNF-MABBSB-UDIPOA-XAPGRU-LDBGRU-JTCBSB-VIXNAT-RECCGR-CMGAFL-CGBCNF-SSALDB-XAPBEL-TURCWB-MGFMAO-TMTCWB-IGUPLU-UBAIOS-SSACWB-LDBGYN-SDUAAX-PLUBPS-SSAIOS-VIXBVH-CGBCGB-PVHMEA-SDUGYN-PMWSDU-VIXCGB-JPRCNF-SLZARU-GRUITB-MAOATM-STMCGB-MGFCNF-MAOPLU-VDCMAO-PINAJU-SSAGVR-PLUBEL-MAOBPS-SDUFEN-NATBEL-SSAMGF-ROOBEL-MABGRU-IPNSDU-SJKCNF-SDUCGB-IGUMAO-TFFCWB-SDUCGB-GRUCGB-GYNCNF-CWBAJU-RECCNF-VIXCNF-RECCNF-GYNSSA-VDCAJU-CNFMOC-PLUCGB-OPSCGB-LDBCNF-PVHPLU-UDIMAO-PVHFEN-RECIPN-PLUMAO-TBTATM-BELCKS-CNF20%30%40%50%60%70%80%90%-R$ 1.500.000 -R$ 500.000 R$ 500.000 R$ 1.500.000 R$ 2.500.000 R$ 3.500.000 R$ 4.500.000 R$ 5.500.000 R$ 6.500.000 R$ 7.500.000LoadFactorM2AUMENTO DE CAPACIDADEAUMENTO DETARIFACANCELAMENTOREDUÇÃO DECAPACIDADEKIT Rentabilidade – Mapa do desempenho das etapas
  39. 39. KIT Rentabilidade – Etapas com indicação de cancelamentoGRU-PMWAFL-STMCCM-POAMII-SJPJTC-MIICGR-DOUIGU-MGF20%25%30%35%40%45%-R$ 1.300.000 -R$ 1.200.000 -R$ 1.100.000 -R$ 1.000.000 -R$ 900.000 -R$ 800.000 -R$ 700.000 -R$ 600.000 -R$ 500.000 -R$ 400.000LoadFactorM2
  40. 40. KIT Rentabilidade – Etapas com indicação de cancelamentoMeses ASK LoadReal YieldReal RaskReal Cask1ª Cask2ª CaskttlMar/11 283.302.413 61,25% 0,4190 0,2566 0,1626 0,2343 0,2772Out/11 399.979.337 58,69% 0,4128 0,2423 0,1590 0,2298 0,2708Nov/11 410.010.721 64,27% 0,3851 0,2475 0,1628 0,2343 0,2763Dez/11 440.192.316 66,49% 0,3824 0,2542 0,1610 0,2334 0,2740Jan/12 459.979.389 67,72% 0,3796 0,2571 0,1596 0,2290 0,2685Fev/12 411.617.944 62,17% 0,4053 0,2520 0,1609 0,2302 0,2691Mar/12 (até 15) 212.395.871 61,56% 0,4159 0,2561 0,1704 0,2427 0,2823Total geral 2.617.477.991 63,52% 0,3966 0,2519 0,1617 0,2326 0,2731
  41. 41. NPS – Índice de satisfação – A pergunta definitivaPerguntar ao cliente se ele recomendaria aempresa a um amigo ou familiar e conforme aresposta ele é classificado em promotor ou detrator.NPSFred Reichheld• A Pergunta Definitiva• A Pergunta Definitiva 2.0Clientes promotores geram lucros bons, crescimento verdadeiro esustentado, diferentemente dos lucros ruins que funcionam no curto prazo, masacabam por desmotivar os funcionários e afastar os consumidores.
  42. 42. NPS – Índice de satisfação – A pergunta definitiva
  43. 43. NPS – Índice de satisfação – A pergunta definitiva
  44. 44. Estudos de viabilidade
  45. 45. Estudos de viabilidade
  46. 46. Estudos de viabilidade
  47. 47. Estudos de viabilidade
  48. 48. Conclusão• Entregar o que precisa;• Na hora certa;• Com o custo previsto;• Melhorando a tomada de decisão.
  49. 49. 42 anos, casado e 2 filhosAtividades:• Diretor de Administração - ANEFAC Campinas;• Assessor – Associação Comercial e Empresarial de Monte Mor;• Consultor de Estratégia, Inovação e Inteligência - Simeon e Plugar;• Diretor – IBEPC.Qualificações:• Gestão Estratégica e BSC (Balanced ScoreCard);• Inteligência Competitiva e BI (Business Inteligence);• Gestão de Projetos (PMI) e Gestão de TI;• 4 anos de experiência em Inteligência de Mercado e BI;• 17 anos de experiência em Tecnologia da Informação e BI;• 3 anos de experiência em Processos de Produção.Experiência Corporativa• TRIP Linhas Aéreas Gerente de P&D e Inteligência Competitiva (4 anos); Gerente de TI e Projetos (3 anos)• Grupo Caprioli Gerente de TI e Projetos (6 anos)• Alcan Alumínio (atual Novelis) Analista de Negócios/Projetos/TI (10 anos)Linkedin:br.linkedin.com/pub/paulo-vieira/10/571/8ba/Paulo Vieira – Consultor em Estratégia, Inovação e Inteligência Competitiva
  50. 50. OBRIGADOPaulo Vieira (11) 97434-2855paulo.vieira@simeon.com.br / paulo@paulovieira.com.brhttp://www.linkedin.com/pub/paulo-vieira/10/571/8baPaulo Vieira – Consultor em Estratégia, Inovação e Inteligência Competitiva

×