Reconciliai-vos com vosso adversário

2.677 visualizações

Publicada em

Publicada em: Espiritual
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.677
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
11
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
154
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Reconciliai-vos com vosso adversário

  1. 1. O Evangelho Segundo o Espiritismo Capítulo X Bem-aventurados os que são misericordiosos 5. Reconciliação com os adversários
  2. 2. “Reconciliai-vos o mais depressa possível com o vosso adversário, enquanto estais com ele a caminho, para que ele não vos entregue ao juiz, o juiz não vos entregue ao ministro da justiça e não sejais metido em prisão. – Digo-vos, em verdade, que daí não saireis, enquanto não houverdes pago o último ceitil." (Mateus 5:25 e 26).
  3. 3. Sermão da MontanhaSermão da Montanha Evangelho de MateusEvangelho de Mateus Capítulos 5, 6 e 7Capítulos 5, 6 e 7
  4. 4. “ R e c o n c i l i a i - v o Reconciliar: estabelecer a paz; tornar amigos (pessoas que se malquistaram); congraçar, harmonizar; fazer as pazes. (AURÉLIO).
  5. 5. “ R e c o n c i l i a i - v o O mais depressa possível: significa que devemos fazer “agora”, enquanto o nosso desafeto está vivo, pois daqui a um minuto ele poderá não estar mais.
  6. 6. “ R e c o n c i l i a i - v o Adversário: indivíduo que luta contra; inimigo; indivíduo que se opõe a; opositor, antagonista, rival, concorrente. (Aurélio).
  7. 7. “ R e c o n c i l i a i - v o Estais com ele a caminho: estende-se a todos os que nos acompanham na presente reencarnação, inclui-se na lista os nossos familiares.
  8. 8. “ R e c o n c i l i a i - v o Vos entregue ao juiz: a nossa consciência é o nosso juiz; que, mais cedo ou mais tarde, nos imputará todos os nossos desvios perante a Lei de Amor.
  9. 9. “ R e c o n c i l i a i - v o Vos entregue ao ministro da justiça: pode-se entender como sendo a Lei de causa e efeito, pela qual jamais ficarão “impunes” as transgressões à Lei divina.
  10. 10. Perdão puro e simples? Isaías 26,9-10: “[…] se se perdoar o ímpio, ele não aprenderá a justiça, na terra da retidão ele se entregará ao mal e não verá a majestade do Senhor.”
  11. 11. Ou Lei de causa e efeito? • Mateus 16,27: “Porque o Filho do Homem virá na glória do seu Pai, com os seus anjos, e então retribuirá a cada um segundo suas obras.” • Mateus 26,52: “Jesus, porém, lhe disse: 'Guarde a espada na bainha. Pois todos os que usam a espada, pela espada morrerão.'” • João 5,14: “Você ficou curado. Não peque de novo, para que não lhe aconteça alguma coisa pior.” (ao doente que, por trinta e oito anos, per manecera deitado numa cama).
  12. 12. • 2 Coríntios 5,10: “De fato, todos deveremos comparecer diante do tribunal de Cristo, a fim de que cada um receba a recompensa daquilo que tiver feito durante a sua vida no corpo, tanto para o bem, como para o mal.” • 2 Coríntios 9,6: “Saibam de uma coisa: quem semeia com mesquinhez, com mesquinhez há de colher, quem semeia com generosidade, com generosidade há de colher.” • Gálatas 6,7: “Não se iludam, pois com Deus não se brinca: cada um colherá aquilo que tiver semeado.”
  13. 13. Como Deus nos trata? Eclesiástico 18,12: “A misericórdia do homem é para o seu próximo, porém a misericórdia do Senhor é para todos os seres vivos. Ele repreende, corrige, ensina e dirige, como o pastor conduz o seu rebanho.”
  14. 14. “ R e c o n c i l i a i - v o Sejais metido em prisão: no corpo físico ou no planeta Terra. Pode-se sair de ambos após atingir certo grau evolutivo. Alcançar a condição de Espírito puro é não só a meta, mas o destino final de todos.
  15. 15. “ R e c o n c i l i a i - v o Sejais metido em prisão: ainda pode- mos considerar o fato de que os laços de ódio nos prendem uns aos outros, que só com o perdão serão desatados.
  16. 16. “ R e c o n c i l i a i - v o CEITIL: a) Barsa: Moeda de cobre mencionado no Novo Testamento. Era a de menor valor das então em uso (Lc 12,59; 21,2) b) Houaiss: 1 moeda portuguesa do tempo de D. João I (1385-1433); 2 quantia insignificante.
  17. 17. “ R e c o n c i l i a i - v o Dai não saireis, enquanto não houver- des pago o último ceitil: não sairemos do ciclo das reencarnações enquanto vibrarmos sentimentos contrários à Lei de Amor.
  18. 18. O não reconciliar com os adversários nos coloca diante de, pelo menos, quatro situações.
  19. 19. 1ª Situação: O sentimento de animosidade nos mantém em vibrações contrárias à Lei de Amor
  20. 20. 1 João 4,16: “E nós conhecemos, e cremos no amor que Deus nos tem. Deus é amor; e quem permanece em amor, permanece em Deus, e Deus nele”.
  21. 21. Mateus 5,23-24: “Se estás, portanto, para fazer a tua oferta diante do altar e te lem- brares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti, deixa lá a tua oferta diante do altar e vai primeiro reconciliar-te com teu irmão; só então vem fazer a tua oferta”.
  22. 22. Mateus 22,34-40: “Os fariseus ouviram dizer que Jesus tinha feito os saduceus se calarem. Então eles se reuniram em grupo, e um deles perguntou a Jesus para o tentar: 'Mestre, qual é o maior mandamento da Lei?' Jesus respondeu: 'Ame ao Senhor seu Deus com todo o seu coração, com toda a sua alma, e com todo o seu entendimento. Esse é o maior e o primeiro mandamento. O segundo é semelhante a esse: Ame ao seu próximo como a si mesmo. Toda a Lei e os Profetas dependem desses dois mandamen- tos'”.
  23. 23. Mateus 7,12: "Portanto, tudo o que quereis que os outros vos façam, fazei o mesmo também vós a eles: nisso está a Lei e os Profetas".
  24. 24. Moisés x Jesus
  25. 25. Mateus 5,43-48: "Vocês ouviram o que foi dito: 'Ame o seu próximo, e odeie o seu inimigo!' Eu, porém, lhes digo: amem os seus inimigos, e rezem por aqueles que perseguem vocês! Assim vocês se tornarão filhos do Pai que está no céu, porque ele faz o sol nascer sobre maus e bons, e a chuva cair sobre justos e injustos. Pois, se vocês amam somente aqueles que os amam, que recompensa vocês terão? Os cobradores de impostos não fazem a mesma coisa? E se vocês cumprimentam somente seus irmãos, o que é que vocês fazem de extraordinário? Os pagãos não fazem a mesma coisa? Portanto, sejam perfeitos como é perfeito o Pai de vocês que está no céu."
  26. 26. Mateus 5,43-48: "Vocês ouviram o que foi dito: 'Ame o seu próximo, e odeie o seu inimigo!' Eu, porém, lhes digo: amem os seus inimigos, e rezem por aqueles que perseguem vocês! Assim vocês se tornarão filhos do Pai que está no céu, porque ele faz o sol nascer sobre maus e bons, e a chuva cair sobre justos e injustos. Pois, se vocês amam somente aqueles que os amam, que recompensa vocês terão? Os cobradores de impostos não fazem a mesma coisa? E se vocês cumprimentam somente seus irmãos, o que é que vocês fazem de extraordinário? Os pagãos não fazem a mesma coisa? Portanto, sejam perfeitos como é perfeito o Pai de vocês que está no céu."
  27. 27. Mateus 5,43-48: "Vocês ouviram o que foi dito: 'Ame o seu próximo, e odeie o seu inimigo!' Eu, porém, lhes digo: amem os seus inimigos, e rezem por aqueles que perseguem vocês! Assim vocês se tornarão filhos do Pai que está no céu, porque ele faz o sol nascer sobre maus e bons, e a chuva cair sobre justos e injustos. Pois, se vocês amam somente aqueles que os amam, que recompensa vocês terão? Os cobradores de impostos não fazem a mesma coisa? E se vocês cumprimentam somente seus irmãos, o que é que vocês fazem de extraordinário? Os pagãos não fazem a mesma coisa? Portanto, sejam perfeitos como é perfeito o Pai de vocês que está no céu."
  28. 28. Mateus 5,43-48: "Vocês ouviram o que foi dito: 'Ame o seu próximo, e odeie o seu inimigo!' Eu, porém, lhes digo: amem os seus inimigos, e rezem por aqueles que perseguem vocês! Assim vocês se tornarão filhos do Pai que está no céu, porque ele faz o sol nascer sobre maus e bons, e a chuva cair sobre justos e injustos. Pois, se vocês amam somente aqueles que os amam, que recompensa vocês terão? Os cobradores de impostos não fazem a mesma coisa? E se vocês cumprimentam somente seus irmãos, o que é que vocês fazem de extraordinário? Os pagãos não fazem a mesma coisa? Portanto, sejam perfeitos como é perfeito o Pai de vocês que está no céu."
  29. 29. Onde, frequentemente, se encontra o nosso adversário mais próximo?
  30. 30. “Os que encarnam numa família, sobretudo como parentes próximos, são, as mais das vezes, Espíritos simpáticos, ligados por an- teriores relações, que se expressam por uma afeição recíproca na vida terrena. Mas, também pode acontecer sejam completa- mente estranhos uns aos outros esses Espí- ritos afastados entre si por antipatias igual- mente anteriores, que se traduzem na Ter- ra por um mútuo antagonismo, que aí lhes servem de provação. […]”. (Kardec, ESE, cap. XIV).
  31. 31. "[…] Deus permite que, nas famílias, ocor- ram encarnações de Espíritos antipáticos ou estranhos, com duplo objetivo de servir de prova para uns e, para outros, de meio de progresso. Assim, os maus se melhoram pouco a pouco, ao contato dos bons e por efeito dos cuidados que se lhes dispensam. O caráter deles se abranda, seus costumes se apuram, as antipatias se esvaem”. (KARDEC, ESE, cap. IV).
  32. 32. 175. O instituto da família é organizado no plano espiritual, antes de projetar-se na Terra? O colégio familiar tem suas origens sagradas na esfera espiritual. Em seus laços, reúnem- se todos aqueles que se comprometeram, no Além, a desenvolver na Terra uma tarefa construtiva de fraternidade real e definitiva. Preponderam nesse instituto divino os elos do amor, fundidos nas experiências de outras eras; todavia, ai acorrem igualmente os ódios e as perseguições do pretérito obscuro, a fim de se transfundirem em solidariedade fraternal, com vistas ao futuro. ==>
  33. 33. É nas dificuldades provadas em comum, nas dores e nas experiências recebidas na mes- ma estrada de evolução redentora, que se olvidam as amarguras do passado longínquo, transformando-se todos os sentimentos infe- riores em expressões regeneradas e santifi- cadas. Purificadas as afeições, acima dos laços do sangue, o sagrado instituto da família se perpetua no Infinito, através dos laços impe- recíveis do Espírito. (Emmanuel, O Consolador). Olvidar: perder a memória de; não vir (algo) à lembrança de (alguém ou de si mesmo); esquecer(-se). (Houaiss).
  34. 34. Se não reconciliarmos “agora” por adiar indefinidamente a reconciliação, qual poderá ser a consequência se o inimigo desencarnar antes de nós?
  35. 35. 2ª Situação: Obsessão produzida pela ação dos inimigos desencarnados
  36. 36. “Chama-se obsessão à ação persistente que um Espírito mau exerce sobre um indivíduo. Apresenta caracteres muito diferentes, que vão desde a simples influência moral, sem perceptíveis sinais exteriores, até a pertur- bação completa do organismo e das facul- dades mentais. […].” (KARDEC, A Gênese, cap. XIV, item 45).
  37. 37. “Quase sempre a obsessão exprime vingan- ça tomada por um Espírito cuja origem frequentemente se encontra nas relações que o obsediado manteve com o obsessor, em precedente existência. (KARDEC, A Gênese, cap. XIV, item 46).
  38. 38. Lucas 8,26-31: “Jesus e os discípulos desembarca- ram na região dos gerasenos, que está diante da Galileia. Ao descer à terra, um homem da cidade foi ao encontro de Jesus. Ele era possuído por demô- nios, e há muito tempo não se vestia, nem morava em casa, mas nos túmulos. Vendo Jesus, o homem começou a gritar, caiu aos pés dele, e falou com voz forte: "Que há entre mim e ti, Jesus, Filho do Deus Altíssimo? Eu te peço, não me atormentes!" O homem falou assim, porque Jesus tinha mandado que o espírito mau saísse dele. De fato, muitas vezes o espírito tinha tomado posse dele. Para protegê-lo, o prendiam com correntes e algemas; ele, porém, arrebentava as correntes, e o demônio o levava para lugares desertos. Então Jesus lhe perguntou: "Qual é o seu nome?" Ele respondeu: "Meu nome é Legião." Pois muitos demônios tinham entrado nele. Os demônios pediam que Jesus não os mandasse para o abismo”.
  39. 39. Lucas 8,26-31: “Jesus e os discípulos desembarca- ram na região dos gerasenos, que está diante da Galileia. Ao descer à terra, um homem da cidade foi ao encontro de Jesus. Ele era possuído por demô- nios, e há muito tempo não se vestia, nem morava em casa, mas nos túmulos. Vendo Jesus, o homem começou a gritar, caiu aos pés dele, e falou com voz forte: "Que há entre mim e ti, Jesus, Filho do Deus Altíssimo? Eu te peço, não me atormentes!" O homem falou assim, porque Jesus tinha mandado que o espírito mau saísse dele. De fato, muitas vezes o espírito tinha tomado posse dele. Para protegê-lo, o prendiam com correntes e algemas; ele, porém, arrebentava as correntes, e o demônio o levava para lugares desertos. Então Jesus lhe perguntou: "Qual é o seu nome?" Ele respondeu: "Meu nome é Legião." Pois muitos demônios tinham entrado nele. Os demônios pediam que Jesus não os mandasse para o abismo”.
  40. 40. “Na prática do perdão, como, em geral, na do bem, não há somente um efeito moral: há também um efeito material. A morte, como sabemos, não nos livra dos nossos inimigos; os Espíritos vingativos perseguem, muitas vezes, com seu ódio, no além-túmu- lo, aqueles contra os quais guardam rancor; donde decorre a falsidade do provérbio que diz: 'Morto o animal, morto o veneno', quando aplicado ao homem. ==>
  41. 41. O Espírito mau espera que o outro, a quem ele quer mal, esteja preso ao seu corpo e, assim, menos livre, para mais facilmente o atormentar, ferir nos seus interesses, ou nas suas mais caras afeições. Nesse fato reside a causa da maioria dos casos de obsessão, sobretudo dos que apresentam certa gravidade, quais os de subjugação e possessão. ==>
  42. 42. O obsidiado e o possesso são, pois, quase sempre vítimas de uma vingança, cujo motivo se encontra em existência anterior, e à qual o que a sofre deu lugar pelo seu proceder. Deus o permite, para os punir do mal que a seu turno praticaram, ou, se tal não ocorreu, por haverem faltado com a indulgência e a caridade, não perdoando. Importa, conseguintemente, do ponto de vista da tranquilidade futura, que cada um repare, quanto antes, os agravos que haja causado ao seu próximo, que perdoe aos seus inimigos, a fim de que, antes que a morte lhe chegue, esteja apagado qualquer motivo de dissensão, toda causa fundada de ulterior animosidade. […]”. (KARDEC, ESE, cap. X).
  43. 43. Afinal, quem será mais beneficiado numa reconciliação?
  44. 44. É bem provável que a maioria de nós pensa que o nosso adversário não “merece” o nosso perdão.
  45. 45. Isso só demonstra o quanto nós ainda somos orgulhosos e que até o momento não compre- endemos o alcance da reconciliação.
  46. 46. Fora a questão de uma possível obsessão, como já vimos, há um outro ponto muito mais grave que atinge diretamente aos que se mantêm irredutíveis na reconciliação.
  47. 47. 3ª Situação: Surgem vários problemas de saúde
  48. 48. “Se os médicos fracassam na maior parte das doenças, é porque tratam do corpo sem a alma, e porque, se o todo não se encontra em bom estado, é impossível que a parte esteja bem”. Sócrates (470-399 a.C.) (Introdução de ESE, XIX)
  49. 49. “Quando a mente elabora conflitos, ressen- timentos, ódios que se prolongam, os dar- dos reagentes, disparados desatrelam as células dos seus automatismos, que dege- neram, dando origem a tumores de vários tipos, especialmente cancerígenos, em ra- zão da carga mortífera de energia que as agride”. (Joanna de Ângelis, Autodescobrimento – uma busca interior).
  50. 50. “Os fluidos espirituais, que constituem um dos estados do fluido cósmico universal, são, a bem dizer, a atmosfera dos seres espirituais; […]”. (KARDEC, A Gênese, XIV, 13). “Sendo os fluidos o veículo do pensamento, este atua sobre os fluidos como o som sóbre o ar; eles nos trazem o pensamento, como o ar nos traz o som. [...]. Desse modo é que os mais secretos movi- mentos da alma repercutem no envoltório fluídico; [...]”. (KARDEC, A Gênese, XIV, item 15).
  51. 51. “[...] Sendo esses fluidos o veículo do pen- samento e podendo este modificar-lhes as propriedades, é evidente que eles devem achar-se impregnados das qualidades boas ou más dos pensamentos que os fazem vibrar, modificando-se pela pureza ou impu-reza dos sentimentos. Os maus pensamen-tos corrompem os fluidos espirituais, como os miasmas deletérios corrompem o ar res-pirável. [...]”. (KARDEC, A Gênese, XIV, item 16).
  52. 52. “[...] Como os odores, eles [os fluídos] são designados pelas suas propriedades, seus efeitos e tipos originais. Sob o ponto de vista moral, trazem o cunho dos sentimen- tos de ódio, de inveja, de ciúme, de orgulho, de egoísmo, de violência, de hipo- crisia, de bondade, de benevolência, de amor, de caridade, de doçura, etc. […]. O quadro dos fluidos seria, pois, o de todas as paixões, das virtudes e dos vícios da Humanidade e das propriedades da maté- ria, correspondentes aos efeitos que eles produzem”. (KARDEC, A Gênese, XIV, item 17).
  53. 53. “Atuando esses fluidos sobre o perispírito, este, a seu turno, reage sobre o organismo material com que se acha em contacto mole- cular. Se os eflúvios são de boa natureza, o corpo ressente uma impressão salutar; se são maus, a impressão é penosa. Se são permanentes e enérgicos, os eflúvios maus podem ocasionar desordens físicas; não é outra a causa de certas enfermidades”. (KARDEC, A Gênese, XIV, item 18). Eflúvio: 1. Emanação invisível que se desprende de um fluido; efluência, exalação; 2. Emanação sutil que se exala dos corpos organizados; 3. P. ext. Miasma (1); 4. Poét. Aroma; perfume; 5. Ocult. Emanação de energia ou de matéria. [Aurélio].
  54. 54. “O desequilíbrio da mente podeO desequilíbrio da mente pode determinar a perturbação geral dasdeterminar a perturbação geral das células orgânicas. […] Ascélulas orgânicas. […] As intoxicações da alma determinamintoxicações da alma determinam as moléstias do corpoas moléstias do corpo”. (instrutor ALEXANDRE em Missionários da Luz)
  55. 55. 4ª Situação: Diante da necessidade do perdão e da reconciliação
  56. 56. Perdão: 1. Remissão de pena; desculpa; indulto. 2. Ét. Renúncia de pessoa ou insti- tuição à adesão às consequências punitivas que seriam justificáveis em face de uma ação que, em níveis diversos, transgride preceitos jurídicos, religiosos, morais ou afetivos vigentes. Reconciliação: 1. Ato ou efeito de reconci- liar(-se). 2. Reatamento de amizade. […]. (Aurélio).
  57. 57. Mateus 6,9-13: “Pai nosso, que estás no céu, santificado seja o teu nome; venha o teu reino; seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu. Dá-nos hoje o pão nosso de cada dia. Perdoa as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores. E não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal”.
  58. 58. Mateus 6,14-15: “De fato, se vocês perdoarem aos homens os males que eles fizeram, o Pai de vocês que está no céu também perdoará a vocês. Mas, se vocês não perdoarem aos homens, o Pai de vocês também não perdoará os males que vocês tiverem feito”.
  59. 59. “Mas, há duas maneiras bem diferentes de perdoar: há o perdão dos lábios e o perdão do coração. Muitas pessoas dizem, com refe- rência ao seu adversário: 'Eu lhe perdoo', mas, interiormente, alegram-se com o mal que lhe advém, comentando que ele tem o que merece. Quantos não dizem: 'Perdoo' e acrescentam: 'mas, não me reconciliarei nunca; não quero tornar a vê-lo em toda a minha vida'. Será esse o perdão, segundo o Evangelho? Não; o perdão verdadeiro, o perdão cristão é aquele que lança um véu sobre o passado; esse o único que vos será levado em conta, visto que Deus não se satisfaz com as aparências. ==>
  60. 60. Ele sonda o recesso do coração e os mais se- cretos pensamentos. Ninguém se lhe impõe por meio de vãs palavras e de simulacros. O esquecimento completo e absoluto das ofen- sas é peculiar às grandes almas; o rancor é sempre sinal de baixeza e de inferioridade. Não olvideis que o verdadeiro perdão se re- conhece muito mais pelos atos do que pelas palavras. - Paulo, apóstolo. (Lião, 1861.)”. (ESE, X, 15). Simulacro: Fingimento, disfarce, simulação. (Aurélio).
  61. 61. Mateus 18,15.21-22: “Se contra vós pecou vosso irmão, ide fazer-lhe sentir a falta em particular, a sós com ele; se vos atender, tereis ganho o vosso irmão. Então, aproximando-se dele, disse-lhe Pedro: "Senhor, quantas vezes perdoarei a meu irmão, quando houver pecado contra mim? Até sete vezes?" Respondeu-lhe Jesus: “Não vos digo que perdoeis até sete vezes, mas até setenta vezes sete vezes”.
  62. 62. Então teremos que perdoar por apenas 490 vezes?
  63. 63. Colossenses 3,12-15: “Como escolhidos de Deus, santos e amados, vistam-se de sentimentos de compaixão, bondade, humildade, mansidão, paciência. Suportem- se uns aos outros e se perdoem mutuamente, sempre que tiverem queixa contra alguém. Cada um perdoe o outro, do mesmo modo que o Senhor perdoou vocês. E acima de tudo, vistam-se com o amor, que é o laço da perfeição. Que a paz de Cristo reine no coração de vocês”.
  64. 64. Referências bibliográficas: FRANCO, D. P. Autodescobrimento – uma busca interior. Salvador: LEAL, 1995. KARDEC, A. A Gênese. Rio de Janeiro: FEB, 2007e. KARDEC, A. O Evangelho Segundo o Espiritismo. Rio de Janeiro: FEB, 2006. XAVIER, F. C. Missionários da Luz. Rio de Janeiro: FEB, 1986. XAVIER, F. C. O Consolador. Rio de Janeiro: FEB, 1986. Ciência Comprova elo entre saúde e espiritualidade: http://www.viverpresente.com/wp- content/uploads/2013/05/247454_549740898411370_1 457835305_n.jpg Estudo mostra as reações: http://g1.globo.com/ciencia- e-saude/noticia/2014/01/estudo-mostra-reacoes-do- corpo-humano-cada-tipo-de-emocao.html
  65. 65. Por do Sol: http://img23.dreamies.de/img/56/b/qrzjcmlpq0k.jpg Sermão da Montanha: http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/9/96/Bloch- SermonOnTheMount.jpg/801px-Bloch-SermonOnTheMount.jpg Ciclo das reencarnações: http://i1.ytimg.com/vi/YBzi9E2JCzQ/maxresdefault.jpg Lei do progresso: www.ade-sergipe-com.br Mundos e vidas: de nossa própria autoria Perdão e reconciliação: http://paroquiasaofranciscoxavier.org/site/wp- content/uploads/2012/11/perdao-e-reconciliacao1.png Perdoar não é esquecer: http://cassandrasilveira.files.wordpress.com/2012/02/perdoar.jpg Importante: https://lh3.googleusercontent.com/- gBs2qUgVn7o/UQGA8BetSMI/AAAAAAAAFaE/pAy1x4Ej5E4/w506- h339/421594_441006042635081_2119515992_n.jpg Moisés: http://coronacomingattractions.com/sites/default/files/news/moses_ painting.jpg Jesus: http://www.idealclick.net/wp- content/uploads/2012/07/jesus-%C3%A9-deus-o-filho-e-pai.jpg
  66. 66. Obsessão: http://petrolinaespirita.files.wordpress.com/2012/03/obsessao- espiritual-doenca-da-alma.png%3Fw%3D500 Perdoe os outros: https:/fbcdn-sphotos-b- a.akamaihd.net/hphotos-ak- ash3/5241_481487415252365_877862894_n.jpg Saúde: http://www.jfolharegional.com.br/fotos/casssas-2.jpg Sócrates: http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/8/8c/David_- _The_Death_of_Socrates.jpg Pai, perdoa-lhes: http://1.bp.blogspot.com/- NuWdfzgKxSE/Tthbcz4az1I/AAAAAAAAAG8/Jf88V5ECyvo/s1600/perd ao-de-jesus.jpg Frase Chico: http://cnt.winkal.com/517809fde4b05d7f0bf2bba7/Xl2s_700.jpg Chico Xavier: http://www.stanczyk.net.br/WordPress/wp- content/uploads/2012/06/ChicoXavier1.jpg
  67. 67. Site: www.paulosnetos.net E-mail: paulosnetos@gmail.com Versão 3

×