A mulher na Bíblia-1,5h

1.436 visualizações

Publicada em

Qual é a visão bíblica da mulher? versão 20.

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.436
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
45
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A mulher na Bíblia-1,5h

  1. 1. ““A mulher é a alma do lar; é elaA mulher é a alma do lar; é ela que representa os elementos deque representa os elementos de doçura e de paz na Humanidade.”doçura e de paz na Humanidade.” (LÉON DENIS, Depois da Morte)
  2. 2. “[…] O caráter essencial da revelação divina é o da eterna verdade. Toda revelação eiva- da de erros ou sujeita a modificação não po- de emanar de Deus. É assim que a lei do De- cálogo tem todos os caracteres de sua ori- gem, enquanto que as outras leis mosaicas, fundamentalmente transitórias, muitas vezes em contradição com a lei do Sinai, são obra pessoal e política do legislador hebreu. […].” (KARDEC, A Gênese, Cap. I, item 10).
  3. 3. Os judeus, como é de conhecimento geral, viviam numa sociedade altamente machista; organizavam-se no patriarcado, ou seja, o homem como o chefe da família. “[…] o caráter de uma nação se reflete nas suas leis. […].” (KARDEC, LE, q. 521). Patriarcado: Regime social em que o pai exerce auto- ridade preponderante. (AURÉLIO).
  4. 4. Na Bíblia, em especial no Antigo Testamento, em que se relata a história do povo judeu, a mulher é sempre retratada como uma perso- nagem inexpressiva, refletindo não uma ex- pressão da divindade, mas, apenas, um as- pecto cultural de um povo, ou, talvez, até mesmo de toda uma época, no qual o ma- chismo preponderava nas relações sociais, incluindo, obviamente, as familiares.
  5. 5. O cristianismo nascente acabou por absorver essa parte da cultura judaica, ao registrá-la no Novo Testamento, no qual se vê, à mar- gem dos ensinamentos de Jesus Cristo, algu- mas passagens de teor nitidamente machis- ta.
  6. 6. Pesquisando-se na Bíblia, facilmente se con- firmará que, de fato, em muitos de seus textos o machismo sobressai de uma forma muito acentuada. É oportuno que, primeiramente, façamos os seguintes questionamentos:
  7. 7. Quem foi criado em primeiro lugar, o homem ou a mulher?
  8. 8. O fato da mulher ter sido “criada” da costela do homem, não induz a pensar (ou, quem sabe, é o que querem que se pense) que a mulher está em posição inferior ao homem?
  9. 9. A quem, geralmente, se atribui toda a culpa pelo pecado original, aliás, é bem mesmo “original”, ao homem ou à mulher?
  10. 10. As genealogias – conjunto de descendentes de um indivíduo – constantes na Bíblia são todas elaboradas em relação aos homens ou às mulheres?
  11. 11. Dos personagens que se destacam na Bíblia, a sua esmagadora maioria é de homens ou de mulheres?
  12. 12. Nos Evangelhos, na relação dos discípulos de Jesus é, porventura, citada alguma mulher?
  13. 13. Veremos, agora, alguns exemplos com os quais se comprovará que, a olhos vistos, o machismo realmente está impregnado nos textos bíblicos. Pelo fato dele, o machismo, estar na Bíblia é, ainda nos dias de hoje, tomado, por alguns fiéis, como se fosse expressão da vontade divina. Essa atitude sinaliza que eles não se livraram do fanatismo cego. Analisemos as passagens a seguir:
  14. 14. Antigo Testamento
  15. 15. Gn 2,21-24: “Então Javé Deus fez cair um torpor sobre o homem, e ele dormiu. Tomou então uma costela do homem e no lugar fez crescer carne. Depois, da costela que tinha tirado do homem, Javé Deus modelou uma mulher, e apresentou-a para o homem. Então o homem exclamou: 'Esta sim é osso dos meus ossos e carne da minha carne! Ela será chamada mulher, porque foi tirada do homem!' Por isso, um homem deixa seu pai e sua mãe, e se une à sua mulher, e eles dois se tornam uma só carne.”
  16. 16. Depois desse “Esta sim”, Eva ficou ardendo de preocupação, razão pela qual, todos os dias, contava as costelas de Adão, para se certificar de que não havia alguma sirigaita na “parada”:
  17. 17. Gn 3,10-13: “O homem respondeu: 'Ouvi teus passos no jardim: tive medo, porque estou nu, e me escondi'. Javé Deus conti- nuou: 'E quem lhe disse que você estava nu? Por acaso você comeu da árvore da qual eu lhe tinha proibido comer?' O homem respon- deu: 'A mulher que me deste por companhei- ra deu-me o fruto, e eu comi'. Javé Deus disse para a mulher: 'O que foi que você fez?' A mulher respondeu: 'A serpente me enganou, e eu comi'.”
  18. 18. Gn 3,16: “E à mulher disse: Multiplicarei so- bremodo os sofrimentos da tua gravidez; em meio de dores darás à luz filhos; o teu dese- jo será para o teu marido, e ele te governa- rá.” (Bíblia Shedd).
  19. 19. Gn 3,17: “E a Adão disse: Visto que atendes- te a voz de tua mulher e comeste da árvore que eu te ordenara não comesses, maldita é a terra por tua causa; em fadigas obterás dela o sustento durante os dias de tua vida.” (Bíblia Shedd).
  20. 20. Gn 19,1-8: “Ao anoitecer, os dois anjos chega- ram a Sodoma. Ló estava sentado à porta da cidade e, ao vê-los, levantou-se para os rece- ber e […] disse: 'Senhores, fiquem hospedados em casa do seu servo, […]. Eles ainda não ha- viam deitado, quando os homens da cidade ro- dearam a casa. […] Chamaram Ló e lhe disse- ram: 'Onde estão os homens que vieram para a sua casa esta noite? Traga-os para que te- nhamos relações com eles'. Ló saiu à porta e, fechando-a atrás de si, disse-lhes: 'Meus ir- mãos, eu lhes peço: não façam o mal. Vejam! Eu tenho duas filhas que ainda são virgens; eu as trarei para vocês: façam com elas o que acharem melhor. Mas não façam nada a esses homens, porque eles estão hospedados em minha casa'.”
  21. 21. Gn 19,1-8: “Ao anoitecer, os dois anjos chega- ram a Sodoma. Ló estava sentado à porta da cidade e, ao vê-los, levantou-se para os rece- ber e […] disse: 'Senhores, fiquem hospedados em casa do seu servo, […]. Eles ainda não ha- viam deitado, quando os homens da cidade ro- dearam a casa. […] Chamaram Ló e lhe disse- ram: 'Onde estão os homens que vieram para a sua casa esta noite? Traga-os para que te- nhamos relações com eles'. Ló saiu à porta e, fechando-a atrás de si, disse-lhes: 'Meus ir- mãos, eu lhes peço: não façam o mal. Vejam! Eu tenho duas filhas que ainda são virgens; eu as trarei para vocês: façam com elas o que acharem melhor. Mas não façam nada a esses homens, porque eles estão hospedados em minha casa'.”
  22. 22. Nm 27,8: “Depois diga aos filhos de Israel: 'Se um homem morrer sem deixar filhos, passem a herança para a filha.” Nm 36,6-8: “[…] Casem-se com quem qui- serem, mas sempre dentro de algum clã da tribo do seu pai. A herança dos filhos de Israel não passará de uma tribo para outra; os filhos de Israel permanecerão ligados ca- da um à herança de sua tribo. As filhas que tiverem alguma herança em qualquer uma das tribos dos filhos de Israel, deverão ca- sar-se com alguém de um clã da tribo de seu pai. Desse modo, os filhos de Israel conser- varão cada uma a herança de seu pai.”
  23. 23. Lv 12,1-5: “Javé falou a Moisés: 'Diga aos filhos de Israel: Quando uma mulher conce- ber e der à luz um menino, ficará impura du- rante sete dias, como durante sua menstrua- ção. No oitavo dia, o prepúcio do menino se- rá circuncidado; e, durante trinta e três dias, ela ainda ficará se purificando do seu san- gue. […] Se der à luz uma menina, ficará im- pura durante duas semanas, como durante sua menstruação; e ficará mais sessenta e seis dias purificando-se do seu sangue.” |=>
  24. 24. Lv 12,1-5: “Javé falou a Moisés: 'Diga aos filhos de Israel: Quando uma mulher conce- ber e der à luz um menino, ficará impura du- rante sete dias, como durante sua menstrua- ção. No oitavo dia, o prepúcio do menino se- rá circuncidado; e, durante trinta e três dias, ela ainda ficará se purificando do seu san- gue. […] Se der à luz uma menina, ficará im- pura durante duas semanas, como durante sua menstruação; e ficará mais sessenta e seis dias purificando-se do seu sangue.” Circuncisão: Rito de iniciação, que consiste em cortar o prepúcio. (AURÉLIO); Prepúcio: prega cutânea que recobre a glande do pênis (HOUAISS).
  25. 25. Os primeiros exem- plos de inscrições hie- roglíficas egípcias apa receram no período pré-dinástico, em arte fatos de cerâmica de Naqada III datados de cerca de 3200 a. C. (WIKIPÉDIA). A origem dos judeus é tradicionalmente data- da para aproximadamente 2000 a.C. na Me- sopotâmia, quando a destruição de Ur e da Caldeia forçou a população a imigrar para outros lugares. […]. (WIKIPÉDIA).
  26. 26. Lv 15,19-22: “Quando uma mulher tiver sua menstruação, ficará impura durante sete dias. Quem a tocar ficará impuro até à tarde. O lugar em que ela deitar ou sentar, en- quanto está impura, ficará impuro. Quem tocar o leito dela deverá lavar as próprias roupas e tomar banho; ficará impuro até à tarde. Quem tocar o assento que ela usou, lavará as próprias roupas, tomará banho e ficará impuro até à tarde.” Lv 15,31: “Previnam os filhos de Israel sobre a impureza, para que não morram por causa de- las por terem contaminado a minha morada no meio deles".
  27. 27. Lv 21,9: “Se a filha de um sacerdote se de- sonra, prostituindo-se, profana a seu pai: se- rá queimada.” Lv 21,13-14: “Ele [o sacerdote] tomará por mulher uma virgem. Viúva, ou repudiada, ou desonrada, ou prostituta, estas não tomará, mas virgem do seu povo tomará por mu- lher.”
  28. 28. Dt 5,21: “Não cobice a mulher do seu pró- ximo, nem deseje para você a casa do seu próximo, nem o campo, nem o escravo, nem a escrava, nem o boi, nem o jumento, nem coisa alguma que pertença ao seu pró- ximo.”
  29. 29. Dt 22,13-15: “Se um homem se casa com uma mulher e começa a detestá-la depois de ter tido relações com ela, acusando-a de atos vergonhosos e difamando-a publicamente, dizendo: ‘Casei-me com esta mulher mas, quando me aproximei dela, descobri que não era virgem, o pai e a mãe da jovem pegarão a prova da virgindade dela e levarão a prova aos anciãos da cidade para que julguem o caso.”
  30. 30. Dt 24,1: “Caso um homem tome uma mulher e faça dela sua propriedade, como esposa, então tem de suceder que, se ela não achar favor aos seus olhos por ele ter encontrado alguma coisa indecente da parte dela, então tem de escrever-lhe um certificado de divór- cio e pô-lo na mão dela, e tem de despedi-la de sua casa.” (Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas)
  31. 31. Dt 25,5-6: “Quando dois irmãos moram jun- tos e um deles morre sem deixar filhos, a viúva não sairá de casa para casar-se com nenhum estranho; seu cunhado se casará com ela, cumprindo o dever de cunhado. O primogênito que nascer receberá o nome do irmão morto, para que o nome deste não se apague em Israel.”
  32. 32. Vocês mulheres sabem o que jamais devem fazer ao apartarem os maridos de brigas com outros homens?
  33. 33. Dt 25,11-12: “Quando brigarem dois homens, um contra o outro, e a mulher de um chegar para livrar o marido da mão do que o fere, e ela estender a mão, e o pegar pelas suas vergonhas, cortar-lhe-ás a mão: não a olha- rás com piedade.”
  34. 34. Dt 25,11-12: “Quando brigarem dois homens, um contra o outro, e a mulher de um chegar para livrar o marido da mão do que o fere, e ela estender a mão, e o pegar pelas suas vergonhas, cortar-lhe-ás a mão: não a olha- rás com piedade.”
  35. 35. Dt 25,11-12: “Quando brigarem dois homens, um contra o outro, e a mulher de um chegar para livrar o marido da mão do que o fere, e ela estender a mão, e o pegar pelas suas vergonhas, cortar-lhe-ás a mão: não a olha- rás com piedade.”
  36. 36. Dt 25,11-12: “Quando brigarem dois homens, um contra o outro, e a mulher de um chegar para livrar o marido da mão do que o fere, e ela estender a mão, e o pegar pelas suas vergonhas, cortar-lhe-ás a mão: não a olha- rás com piedade.” Nota rodapé: O órgão masculino não devia ser maltratado (cf 23,1). Era a fonte da fertilidade e também trazia o sinal do pacto de Deus com Seu povo (Gn 17,11). (Bíblia Shedd).
  37. 37. Dt 25,11-12: “Quando brigarem dois homens, um contra o outro, e a mulher de um chegar para livrar o marido da mão do que o fere, e ela estender a mão, e o pegar pelas suas vergonhas, cortar-lhe-ás a mão: não a olha- rás com piedade.” Nota rodapé: O órgão masculino não devia ser maltratado (cf 23,1). Era a fonte da fertilidade e também trazia o sinal do pacto de Deus com Seu povo (Gn 17,11). (Bíblia Shedd). Em Dt 23,1, lê-se: “Aquele a quem forem trilhados os testículos ou cortado o membro viril não entrará na assembleia do Senhor.”
  38. 38. Ecl 7,26: “Então descobri que a mulher é mais amarga do que a morte, porque ela é uma armadilha, o seu coração é uma rede e os seus braços são cadeias. Quem agrada a Deus consegue dela escapar, mas o pecador se deixa prender por ela.”
  39. 39. Ecl 7,26: “Então descobri que a mulher é mais amarga do que a morte, porque ela é uma armadilha, o seu coração é uma rede e os seus braços são cadeias. Quem agrada a Deus consegue dela escapar, mas o pecador se deixa prender por ela.” A tradição atribui a autoria de Eclesiastes a Salomão, que teve tão somente 700 mulheres e 300 concubinas (1Rs 11,3).
  40. 40. Eclo 7,25: “Arrume casamento para sua fi- lha, e terá realizado uma grande tarefa, mas faça que ela se case com homem sensato.” Eclo 9,2: “Não se entregue a uma mulher, para que ela não o domine.” Eclo 25,24: “Foi pela mulher que começou o pecado, e é por culpa dela que todos mor- remos.”
  41. 41. O Livro dos Jubileus (Século II a.C.): “E no sexto dia ele criou todos os animais da ter ra, o gado e todas as coisas viventes. E depois disso tudo, ele criou o homem, e criou-o macho e fêmea, deu-lhe domínio sobre tudo na terra, […].” […] Durante estes cinco dias, Adão viu que em cada espécie havia o macho e a fêmea; ele, po- rém, estava sozinho. […] O Senhor nos disse: 'Não é bom que o homem esteja sozinho. Dar- lhe-ei uma ajudante', Mandou pois Deus […] um profundo sono a Adão, e quando dormiu, tirou Deus uma de suas costelas para dar existência a uma mulher. Esta foi a origem da mulher. […]. (TRICCA, Maria H. de Oliveira. Apócrifos IV: Os proscritos da Bíblia.)
  42. 42. Novo Testamento
  43. 43. Lucas 3,23-28: “Jesus tinha cerca de trinta anos quando começou sua atividade pública. E, conforme se pensava, ele era filho de José, filho de Eli, filho de Matat, filho de Levi, filho de Melqui, filho de Janai, filho de José, filho de Matatias, filho de Amós, filho de Naum, filho de Esli, filho de Nagai, filho de Maat, filho de Matatias, filho de Semein, filho de José, filho de Jodá, filho de Joanã, filho de Ressa, filho de Zorobabel, filho de Salatiel, filho de Neri, filho de Melqui, filho de Adi, filho de Cosã, filho de Almadã, filho de Her, filho de Jesus, filho de Eliezer, filho de Jorim, filho de Matat, filho de Levi, filho de Simeão, filho de Judá, filho de José, filho de Jonã, filho de Eliacim, filho de Meléia, filho de Mená, filho de Matatá, filho de Natã, filho de Davi, filho de Jessé, filho de Obed, filho de Booz, filho de Salá, filho de Naasson, filho de Aminadab, filho de Admin, filho de Arni, filho de Esron, filho de Farés, filho de Judá, filho de Jacó, filho de Isaac, filho de Abraão, […] filho de Set, filho de Adão, filho de Deus.”
  44. 44. Mateus 1,1-16: “Livro da origem de Jesus Cristo, filho de Davi, filho de Abraão. Abraão foi o pai de Isaac; Isaac foi o pai de Jacó; Jacó foi o pai de Judá e de seus irmãos. Judá, com Tamar, foi o pai de Farés e Zara; Farés foi o pai de Esrom; Esrom foi o pai de Aram. Aram foi o pai de Aminadab; Aminadab foi o pai de Naasson; Naasson foi o pai de Salmon. Salmon, com Raab, foi o pai de Booz; Booz, com Rute, foi o pai de Jobed; Jobed foi o pai de Jessé; Jessé foi o pai de Davi. Davi, com aquela que foi mulher de Urias, foi o pai de Salomão. Salomão foi o pai de Roboão; Roboão foi o pai de Abias; Abias foi o pai de Asa. Asa foi o pai de Josafá; Josafá foi o pai de Jorão; Jorão foi o pai de Ozias. […] Zorobabel foi o pai de Abiud; Abiud foi o pai de Eliaquim; Eliaquim foi o pai de Azor. Azor foi o pai de Sadoc; Sadoc foi o pai de Aquim; Aquim foi o pai de Eliud. Eliud foi o pai de Eleazar; Eleazar foi o pai de Matã; Matã foi o pai de Jacó. Jacó foi o pai de José, o esposo de Maria, da qual nasceu Jesus, que é chamado o Messias.”
  45. 45. Mateus 1,18-25: “A origem de Jesus, o Messias, foi assim: Maria, sua mãe, estava prometida em casamento a José, e, antes de viverem juntos, ela ficou grávida pela ação do Espírito Santo. José, seu marido, era justo. Não queria denunciar Maria, e pensava em deixá-la, sem ninguém saber. Enquanto José pensava nisso, o Anjo do Senhor lhe apareceu em sonho, e disse: 'José, filho de Davi, não tenha medo de receber Maria como esposa, porque ela concebeu pela ação do Espírito Santo. Ela dará à luz um filho, e você lhe dará o nome de Jesus, pois ele vai salvar o seu povo dos seus pecados'. ==>
  46. 46. Tudo isso aconteceu para se cumprir o que o Senhor havia dito pelo profeta: 'Vejam: a virgem conceberá, e dará à luz um filho. Ele será chamado pelo nome de Emanuel, que quer dizer: Deus está conosco'. Quando acordou, José fez conforme o Anjo do Senhor havia mandado: levou Maria para casa, e, sem ter relações com ela, Maria deu à luz um filho. E José deu a ele o nome de Jesus.”
  47. 47. Jo 8,1-11: “Jesus foi para o monte das Oli- veiras. Ao amanhecer, ele voltou ao Templo, e todo o povo ia ao seu encontro. Então Jesus sentou-se e começou a ensinar. Che- garam os doutores da Lei e os fariseus tra- zendo uma mulher, que tinha sido pega co- metendo adultério. Eles colocaram a mulher no meio e disseram a Jesus: 'Mestre, essa mulher foi pega em flagrante cometendo adultério. A Lei de Moisés manda que mulhe- res desse tipo devem ser apedrejadas. E tu, o que dizes?' Eles diziam isso para pôr Jesus à prova e ter um motivo para acusá-lo. ==>
  48. 48. Então Jesus inclinou-se e começou a escre- ver no chão com o dedo. Os doutores da Lei e os fariseus continuaram insistindo na per- gunta. Então Jesus se levantou e disse: 'Quem de vocês não tiver pecado, atire nela a primeira pedra'. E, inclinando-se de novo, continuou a escrever no chão. Ouvindo isso, eles foram saindo um a um, começando pe- los mais velhos. E Jesus ficou sozinho. Ora, a mulher continuava ali no meio. Jesus então se levantou e perguntou: 'Mulher, onde estão os outros? Ninguém condenou você?' Ela res- pondeu: 'Ninguém, Senhor'. Então Jesus dis- se: 'Eu também não a condeno. Pode ir, e não peque mais'.”
  49. 49. Legislação mosaica que deveria ser cumprida: Lv 20,10: “O homem que cometer adultério com a mulher do seu próximo se tornará réu de morte, tanto ele como a sua cúmplice.” Dt 22,22: “Se um homem for pego em fla- grante tendo relações sexuais com uma mu- lher casada, ambos serão mortos, tanto o homem como a mulher. […].” Dt 22,23-24: “Se houver uma jovem prometi- da a um homem, e um outro tiver relações com ela na cidade, vocês levarão os dois à porta da cidade e os apedrejarão até que mor- ram: a jovem por não ter gritado por socorro na cidade, e o homem por ter violentado a mulher do seu próximo. […].”
  50. 50. Lc 8,1-3: “Depois disso, Jesus andava […] pre- gando e anunciando a Boa Notícia do Reino de Deus. Os Doze iam com ele, e também algu- mas mulheres que haviam sido curadas de es- píritos maus e doenças: Maria, chamada Ma- dalena, da qual haviam saído sete demônios; Joana, mulher de Cuza, alto funcionário de Herodes; Susana, e várias outras mulheres, que ajudavam a Jesus e aos discípulos com os bens que possuíam.” Mt 27,55-56: “Grande número de mulheres estavam aí, olhando de longe. Elas haviam acompanhado Jesus desde a Galileia, prestan- do-lhe serviços. Entre elas estavam Maria Ma- dalena, Maria, mãe de Tiago e de José, e a mãe dos filhos de Zebedeu.”
  51. 51. 1Cor 11,7-9: “O homem não deve cobrir a cabeça, porque ele é a imagem e o reflexo de Deus, a mulher, no entanto, é o reflexo do homem. Porque o homem não foi tirado da mulher, mas a mulher do homem. Nem o homem foi criado para a mulher, mas a mulher para o homem.”
  52. 52. 1Cor 14,34-35: “Que as mulheres fiquem caladas nas assembleias, como se faz em todas as igrejas dos cristãos, pois não lhes é permitido tomar a palavra. Devem ficar submissas, como diz também a lei. Se dese- jam instruir-se sobre algum ponto, pergun- tem aos maridos em casa; não é conveniente que a mulher fale nas assembleias.”
  53. 53. 1Cor 14,34-35: “Que as mulheres fiquem caladas nas assembleias, como se faz em todas as igrejas dos cristãos, pois não lhes é permitido tomar a palavra. Devem ficar submissas, como diz também a lei. Se dese- jam instruir-se sobre algum ponto, pergun- tem aos maridos em casa; não é conveniente que a mulher fale nas assembleias.” Moral da história:
  54. 54. 1Cor 14,34-35: “Que as mulheres fiquem caladas nas assembleias, como se faz em todas as igrejas dos cristãos, pois não lhes é permitido tomar a palavra. Devem ficar submissas, como diz também a lei. Se dese- jam instruir-se sobre algum ponto, pergun- tem aos maridos em casa; não é conveniente que a mulher fale nas assembleias.” Moral da história: as solteiras morrerão na ignorância!
  55. 55. 1Cor 14,34-35: “Que as mulheres fiquem caladas nas assembleias, como se faz em todas as igrejas dos cristãos, pois não lhes é permitido tomar a palavra. Devem ficar submissas, como diz também a lei. Se dese- jam instruir-se sobre algum ponto, pergun- tem aos maridos em casa; não é conveniente que a mulher fale nas assembleias.” Moral da história: as solteiras morrerão na ignorância!
  56. 56. 1Tm 2,9-14: “Quanto às mulheres, que elas tenham roupas decentes e se enfeitem com pudor e modéstia. Não usem tranças, nem objetos de ouro, pérolas ou vestuário suntuo- so; pelo contrário, enfeitem-se com boas obras, como convém a mulheres que dizem ser piedosas. Durante a instrução, a mulher deve ficar em silêncio, com toda a submissão. Eu não permito que a mulher ensine ou domi- ne o homem. Portanto, que ela conserve o silêncio. Porque primeiro foi formado Adão, depois Eva. E não foi Adão que foi seduzido, mas a mulher que, seduzida, pecou.”
  57. 57. 1Tm 2,9-14: “Quanto às mulheres, que elas tenham roupas decentes e se enfeitem com pudor e modéstia. Não usem tranças, nem objetos de ouro, pérolas ou vestuário suntuo- so; pelo contrário, enfeitem-se com boas obras, como convém a mulheres que dizem ser piedosas. Durante a instrução, a mulher deve ficar em silêncio, com toda a submissão. Eu não permito que a mulher ensine ou domi- ne o homem. Portanto, que ela conserve o silêncio. Porque primeiro foi formado Adão, depois Eva. E não foi Adão que foi seduzido, mas a mulher que, seduzida, pecou.” Sabem qual era a única opção para a mulher se salvar?
  58. 58. 1Tm 2,15: “Entretanto, ela será salva pela sua maternidade, desde que permaneça com modéstia na fé, no amor e na santidade.”
  59. 59. 1Tm 5,11-13: “Mas rejeita viúvas mais no- vas, porque, quando se tornam levianas con- tra Cristo, querem casar-se, tornando-se condenáveis por anularem o seu primeiro compromisso. Além do mais, aprendem tam- bém a viver ociosas, andando de casa em casa; e não somente ociosas, mas ainda ta- garelas e intrigantes, falando o que não de- vem.”
  60. 60. Uma história em quadrinhos...Uma história em quadrinhos...
  61. 61. Ef 5,22: “As mulheres sejam submissas ao seu próprio marido, como ao Senhor.” Cl 3,18: “Mulheres, sejam submissas a seus maridos, pois assim convém a mulheres cristãs.” Tt 2,3-5: “Quanto às mulheres idosas, seme- lhantemente; que sejam sérias em seu proce- der, não caluniadoras, não escravizadas a muito vinho; sejam mestras do bem, a fim de instruírem as jovens recém-casadas a amarem ao marido e a seus filhos, a serem sensatas, honestas, boas donas de casa, bondosas, su- jeitas ao marido, para que a palavra de Deus não seja difamada.”
  62. 62. A mulher na visão espírita
  63. 63. “[…] O ponto de partida ou de origem é o mesmo para todas as almas, sem exceção; todas são criadas simples e ignorantes e sujeitas ao progresso indefinido. Nada de criaturas privilegiadas e mais favorecidas do que outras. […].” (KARDEC, Obras Póstumas).
  64. 64. Para sabermos como a mulher é considerada na Doutrina Espírita, necessário se faz tomar algumas respostas dos Espíritos Superiores a Allan Kardec (1804-1869) e também de seus comentários, constantes de O Livro dos Espí- ritos, conforme a 2ª edição de 18.03.1860. Excetuando-se a questão 202, todas as ou- tras constam da primeira edição, publicada em 18.04.1857. São elas:
  65. 65. “202 – Quando é errante, que prefere o Espí- rito: encarnar no corpo de um homem ou no de uma mulher? - Isso pouco lhe importa. Vai depender das provas por que haja de passar. Kardec: 'Os Espíritos encarnam como homens ou como mulheres, porque não têm sexo. Como devem progredir em tudo, cada sexo, como ca- da posição social, lhes oferece provações, deve- res especiais e novas oportunidades de adquiri- rem experiência. Aquele que fosse sempre ho- mem só saberia o que sabem os homens.'”
  66. 66. “817 – O homem e a mulher são iguais perante Deus e têm os mesmos direitos? - Deus não deu a ambos o conhecimento do bem e do mal e a faculdade de progredir? 818 – De onde procede a inferioridade moral da mulher em certos países? - Do domínio injusto e cruel que o homem assumiu sobre ela. É resultado das institui- ções sociais e do abuso da força sobre a fra- queza. Entre os homens moralmente pouco adiantados, a força faz o direito.”
  67. 67. “819 – Com que objetivo a mulher, do ponto de vista físico, é mais fraca do que o homem? - Para lhe determinar funções especiais. Ca- be ao homem, por ser o mais forte, os traba- lhos rudes; à mulher, os trabalhos leves; a ambos o dever de se ajudarem mutuamente a suportar as provas de uma vida cheia de amargor.”
  68. 68. “820 – A fraqueza física da mulher não a coloca naturalmente sob a dependência do homem? - Deus deu a uns a força para protegerem o fraco e não para o escravizarem. Kardec: 'Deus apropriou a organização de cada ser às funções que lhe cumpre desempenhar. Se deu à mulher menor força física, deu-lhe ao mesmo tempo maior sensibilidade, em relação com a delicadeza das funções maternais e com a fraqueza dos seres confiados aos seus cuida- dos.'”
  69. 69. “821 – As funções a que a mulher é destinada pela Natureza terão importância tão grande quanto as conferidas ao homem? - Sim, e até maiores. É ela quem lhe dá as primeiras noções da vida. 822 – Sendo os homens iguais perante a lei de Deus, devem sê-lo, igualmente, perante as leis humanas? - O primeiro princípio de justiça é este: Não façais aos outros o que não gostaríeis que vos fizessem.”
  70. 70. “822-a – Sendo assim, uma legislação, para ser perfeitamente justa, deve consagrar a igualdade dos direitos do homem e da mulher? - […] A lei humana, para ser justa, deve consa grar a igualdade dos direitos do homem e da mulher. Qualquer privilégio concedido a um ou a outro é contrário à justiça. A emancipação da mulher acompanha o progresso da civiliza- ção; sua escravização marcha com a barbárie. Os sexos, aliás, só existem na organização fí- sica. Já que os Espíritos podem encarnar num e noutro, sob esse aspecto não há nenhuma diferença entre eles, devendo, por conseguin- te, gozar dos mesmos direitos.”
  71. 71. A Doutrina Espírita deixa bem claro que a condição de se encarnar como mulher, não indica que seja dado ao homem o direito de subjugá-la, quer física ou moralmente, já que ambos possuem os mesmos direitos; apenas são diferentes as suas funções pe- rante a sociedade, que se relacionam à natu- reza da organização física de cada um. Aliás, é bom ressaltar, no artigo “As mulhe- res têm alma?”, publicado na Revista Espíri- ta 1866, mês janeiro, Kardec tece algumas considerações que merecem ser destacadas:
  72. 72. “Deus criou almas machos e almas fêmeas, e fez estas inferiores às outras? Aí está toda a questão. Se ocorre assim, a inferioridade da mulher está nos decretos divinos, e nenhuma lei humana poderia transgredi-los. Ao contrá- rio, criou-as iguais e semelhantes, as desi- gualdades fundadas pela ignorância e pela força bruta, desaparecerão com o progresso e o reino da justiça. […] Estava reservado ao Espiritismo resolver a questão, não mais pelo raciocínio mas pe- los fatos, seja pelas revelações de além-tú- mulo, seja pelo estudo que ele é capaz de fa- zer diariamente sobre o estado das almas depois da morte. […] Ora, eis o que resulta dessas observações. ==>
  73. 73. As almas ou Espíritos não têm sexo. […]. Os sexos não existem senão no organismo; são necessários à reprodução dos seres ma- teriais; […]. […] Os Espíritos devendo progredir em tudo e adquirir todos os conhecimentos, cada um é chamado a concorrer aos diversos traba- lhos e a suportar os diferentes gêneros de provas. […]. É no mesmo objetivo que os Espíritos se en- carnam nos diferentes sexos; tal que foi um homem poderá renascer mulher, e tal que foi mulher poderá renascer homem, a fim de cumprir os deveres de cada uma dessas posições, e delas suportar as provas. ==>
  74. 74. O espírito encarnado sofrendo a influência do organismo, seu caráter se modifica segundo as circunstâncias e se dobra às necessidades e aos cuidados que lhe impõe esse mesmo organismo. […].” (KARDEC, Revista Espírita 1866).
  75. 75. Mas, é bem interessante que, muito antes de qualquer tipo de movimento pela emancipa- ção, no qual a mulher saiu a campo para lutar pela igualdade de direitos para com o homem, o Espiritismo tratava desta questão de forma clara e objetiva, dizendo sobre a paridade entre ambos os sexos, como fruto das orientações dos Espíritos Superiores. Este artigo - “As mulheres têm alma?” –, do qual estamos lendo alguns trechos, Kardec o conclui dizendo:
  76. 76. “Com a Doutrina Espírita, a igualdade da mu- lher não é mais uma simples teoria especula- tiva; não é mais uma concessão da força à fraqueza, é um direito fundado sobre as próprias leis da Natureza. Fazendo reconhe- cer estas leis, o Espiritismo abre a era da emancipação legal da mulher, como abre a da igualdade e da fraternidade.” (KARDEC, Revis- ta Espírita 1866).
  77. 77. “No Dia 8 de março de 1857, operárias de uma fábrica de tecidos, situada na cidade nor te americana de Nova Iorque, fizeram uma grande greve. Ocuparam a fábrica e começa- ram a reivindicar melhores condições de tra- balho, tais como, redução na carga diária de trabalho para dez horas (as fábricas exigiam 16 horas de trabalho diário), equiparação de salários com os homens (as mulheres chega- vam a receber até um terço do salário de um homem, para executar o mesmo tipo de tra- balho) e tratamento digno dentro do ambien- te de trabalho. ==>
  78. 78. A manifestação foi reprimida com total vio- lência. As mulheres foram trancadas dentro da fábrica, que foi incendiada. Aproximada- mente 130 tecelãs morreram carbonizadas, num ato totalmente desumano.” (www.suapesquisa.com).
  79. 79. “[…] Se a igualdade dos direitos da mulher deve ser reconhecida, com maior razão de- verá ser assegurada entre os espíritas, e a propagação do Espiritismo apressará, infali- velmente, a abolição dos privilégios que o homem a si mesmo concedeu pelo direito do mais forte. O advento do Espiritismo marcará a era da emancipação legal da mulher.” (KARDEC, Viagem espírita em 1862).
  80. 80. Na Revista Espírita 1867, mês junho, Kardec publicou o artigo “Emancipação das mulheres nos Estados Unidos!”, do qual transcreve- mos: “Não é duvidoso que numa época em que os privilégios, restos de uma outra época e de outros costumes, caem diante do princípio da igualdade dos direitos de toda criatura humana, os da mulher não poderiam tardar a ser reconhecidos, e que, num futuro próxi- mo, a lei não a tratará mais em minoridade. Até o presente, o reconhecimento desses di- reitos é considerado como uma concessão da força à fraqueza, é porque ela é regateada com tanta parcimônia. ==>
  81. 81. Aplicando este princípio à posição social da mulher, diremos que de todas as doutrinas filosóficas e religiosas, o Espiritismo é a úni- ca que estabelece esses direitos sobre a pró- pria natureza, provando a identidade do ser espiritual nos dois sexos. […] Os direitos da mulher encontrando na Doutrina Espírita uma consagração fundada sobre as leis da Natureza, disto resulta que a propagação desta doutrina apressará a sua emancipação, e lhe dará, de maneira estável, a posição so- cial que lhe cabe. […]. ==>
  82. 82. O pensamento da emancipação da mulher germina, neste momento, num grande núme ro de cérebros, porque estamos numa época em que fermentam as ideias de renovação social, e onde as mulheres, tão bem quanto os homens, sofrem influência do sopro pro- gressista que agita o mundo. Depois de esta- rem muito ocupados consigo mesmos, os ho- mens começam a compreender que seria jus to fazer alguma coisa por elas, de relaxar um pouco os laços da tutela sob a qual as man- têm. […].” (KARDEC, Revista Espírita 1867).
  83. 83. “Os espíritos afirmam que encarnando-se de preferência no sexo feminino, a alma eleva- se mais rapidamente de vidas em vidas para a perfeição. É que a mulher adquire mais fa- cilmente essas virtudes soberanas: a paciên- cia, a doçura, a bondade. Se a razão parece dominar no homem, nela, o coração é mais vasto e mais profundo.” (LÉON DENIS, Depois da Morte)
  84. 84. Referências bibliográficas: Bíblia Sagrada, Edição Pastoral, Paulus, São Paulo, SP, 43ª Ed., 2001. Bíblia Shedd, 2ª Edição rev. e atual. no Brasil. São Paulo: Vida Nova; Brasília: SBB, 2005. Bíblia do Peregrino, edição brasileira. São Paulo: Paulus, 2002. CHAMPLIN, R. N. e BENTES, J. M. Enciclopédia de Bíblia, Teologia e Filosofia. Vol. 5. São Paulo: Candeia, 1995. DENIS, L. Depois da Morte. Rio de Janeiro: CELD, 2011. KARDEC, A. A Gênese. Rio de Janeiro; FEB, 2007. KARDEC, A. Viagem Espírita em 1862. Matão, SP: O Clarim, 2000d. KARDEC, A. O Livro dos Espíritos. (trad. Evandro Noleto Bezerra) Rio de Janeiro: FEB, 2006. KARDEC, A. O primeiro Livro dos Espíritos. (trad. Canuto Abreu). São Paulo: Cia Editora Ismael, 1957. KARDEC, A. O Livro dos Espíritos (Edição Especial). Rio de Janeiro: FEB, 2006. KARDEC, A. Obras Póstumas. Rio de Janeiro: FEB, 2006. KARDEC, A. Revista Espírita 1866. Araras, SP: IDE, 1993b. KARDEC, A. Revista Espírita 1867. Araras, SP: IDE, 1999. ROHDEN, H. Jesus de Nazaré. São Paulo: Martins Claret, 2007. História do dia internacional da mulher, 08 de março: http://www.suapesquisa.com/dia_internacional_da_mulher.htm http://www.sindjusticaceara.org.br/images/conteudo/8MARCOSINDJUSTICA2.pdf http://pt.wikipedia.org/wiki/Egipto
  85. 85. Imagens: Mulher negra: http://24.media.tumblr.com/tumblr_m8q7f1reRS1r4o5jmo2_r1_1280.jpg Eva conta costela Adão: https://m.ak.fbcdn.net/sphotos-b.ak/hphotos-ak-xfa1/v/t1.0- 9/1511177_764912873536465_1515484246_n.jpg? oh=52520c92a173916bf95205bd059237ef&oe=55B6C1FD&__gda__=1436504266_96d1f19 f5eee2585363bb797d444db66 Adão e Eva a culpa: http://3.bp.blogspot.com/- id0yjVeYs6A/SnmLeceTttI/AAAAAAAAAHc/f1y4eAWpoAc/s400/1185455674_f.jpg Circuncisão: http://1.bp.blogspot.com/-yvPprflzmT8/T3- Ia9PcSEI/AAAAAAAAA6c/1HmEa_p9jog/s320/Ancient%2BCircumcision-thumb-275x192.jpg Briguentos: http://lh6.ggpht.com/- t0XAcnhYHpU/TeHPx2rlmTI/AAAAAAAABCY/sKyetWD5EpE/Briga%252520de %252520aluno_thumb%25255B3%25255D.jpg?imgmax=800 Treino: https://espiatio.files.wordpress.com/2010/10/puxa-saco.jpg?w=450 Marido e a mulher: http://www.animesuasmensagens.net/mensagens-para- facebook/img/engracados-70.jpg Maternidade: http://www.adital.com.br/arquivos2/2014/03/2014_03_apublica2_mulher4.jpg Tempo de Jerusalém: http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/8/84/Jerusalem_Modell_BW_2.JPG/ 400px-Jerusalem_Modell_BW_2.JPG Casamento segundo a Bíblia: http://i41.tinypic.com/2cihdtj.jpg Evolução do homem: http://www.searadomestre.com.br/evangelizacao/evolespiritual3.jpg Greve mulheres: http://www.sindjusticaceara.org.br/images/conteudo/8MARCOSINDJUSTICA2.pdf
  86. 86. http://www.paulosnetos.net/viewdownload/10-ebook/696-a-mulher-na-biblia-ebook http://www.paulosnetos.net/viewdownload/8-palestras-em-slides/422-a-mulher-na-biblia-1-5h
  87. 87. Site: www.paulosnetos.net E-mail: paulosnetos@gmail.com Versão 19

×