SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 64
Recife, 27 de Abril  de 2009 VALDECI MONTEIRO DOS SANTOS Presidente do Conselho Regional de Economia -PE Professor Adjunto Economia/UNICAP Sócio-Diretor da CEPLAN Consultoria  SEMINÁRIO: “A CRISE ECONÔMICA E AS ALTERNATIVAS PARA O BRASIL”
ROTEIRO ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
PARTE A – A CRISE FINANCEIRA MUNDIAL 1. ORIGENS E CONSEQUÊNCIAS GLOBAIS
DINÂMICA DO CAPITALISMO x CRISES SEC. XVI  COMERCIAL PRODUTIVA FINANCEIRA MOVIMENTO CÍCLICO TENDÊNCIA  ESTRUTURAL CRISE
Ambiente da crise atual: AMPLIAÇÃO DESREGULADA DA ESFERA FINANCEIRA   ESFERA FINANCEIRA Bolsa de Valores, Mercado de Câmbio,  Mercado de Títulos  ...   ESFERA PRODUTIVA Indústrias, Fazendas,  Estabelec.  Comerciais , ...  TRANSAÇÕES FINANCEIRAS:   com moedas, com ações , com  com títulos públicos..     Patrimônio  Financeiro   TRANSAÇÕES  PRODUTIVAS  : com bens e serviços     Patrimônio Material
CRONOLOGIA DA CRISE ATUAL ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],‘ Ressaca’ da Crise  ,[object Object],[object Object],[object Object],1ª Fase 2ª Fase 3ª Fase Pós 2010... ESTAMOS  AQUI
A CRISE na GLOBALIZAÇÃO: CONTAMINAÇÃO GENERALIZADA   ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
DIMENSÃO DO ROMBO : ainda há dúvidas  ,[object Object],[object Object],Perdas Estimadas no Sistemas Bancários Americano e Europeu ESTIMATIVA DE DESVALORIZAÇÃO DE ATIVOS FINANCEIROS : US$ 10 TRILHÕES ( ¼ do PIB MUNDIAL)  Nouriel ROUBINI
Fonte: Bloomberg - Elaboração: Min. da Fazenda Prejuízos dos Bancos já contabilizados  US$ 792 bi (FMI) Perdas potenciais de crédito US$ 2 trilhões  ( FMI) PERDA DO VALOR DE MERCADO DOS ATIVOS BANCÁRIOS
REDUÇÃO DO PIB INDUSTRIAL E DO  COMÉRCIO MUNDIAL Fonte: FMI, WEO Update (Jan/09)  Elaboração: MF/SPE
MAIOR QUEDA DO COMÉRCIO
IMPACTO MAIOR NO MUNDO DITO DESENVOLVIDO   Fonte: OECD  Economic Outlook. March,  2009 Variação Anual do PIB Área 2006 2007 2008 2009 2010 OECD 3.1 2.7 0.9 -4.3 -0.1 ,[object Object],2.8 2.0 1.1 -4.0 0.0 ,[object Object],3.0 2.6 0.7 -4.1 -0.3 ,[object Object],2.0 2.4 -0.6 -6.6 -0.5 China 11.6 13.0 9.0 6.3 8.5 Mundo 4.3 4.1 2.2 -2.7 1.2
PRINCIPAIS INCERTEZAS   ,[object Object],[object Object],[object Object]
PARTE B – O BRASIL FACE À CRISE FINANCEIRA   1. ECONOMIA BRASILEIRA: QUADRO RECENTE E IMPACTOS DA CRISE
BRASIL NA CRISE   ,[object Object],[object Object]
AMBIENTE BRASILEIRO ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],CICLO DE CRESCIMENTO DA ECONOMIA BRASILEIRA  SUSTENTANDO PELA DEMANDA INTERNA  Consumo das Famílias + Investimentos + Gastos do Governo
BRASIL: REDUÇÃO GRADUAL DA DESIGUALDADE SOCIAL ( RENDA)
BRASIL: AUMENTO DO CONSUMO DAS CLASSES MÉDIAS Elaboração : MACROPLAN
BR: RENDA do TRABALHO CRESCENDO MAIS NA BASE DA PIRÂMIDE  Potencial  : consumo insatisfeito  (+ crédito) Fonte: IBGE/PNAD  Valores corrigidos pelo IPCA de JUL/ 08  FAIXAS de RENDA JULHO 2002 JULHO 2008 Variação 0 - 2 SM 337,00 369,00 +10% 2 - 4 SM 833,00 889,00 + 7% 4 - 10 SM 1.830,00 1.874,00 + 2% 10 - 20 SM 4.069,00 4.160,00 + 2% + 20 SM 10.815,00 10.904,00 + 1%
EVOLUÇÃO DA RELAÇÃO CRÉDITO / PIB 2003 - 2009 FONTE: BACEN ELABORAÇÃO: BRADESCO
Outra novidade :  Nordeste e Norte lideram o Crescimento do Consumo no País   Variação % das vendas do comércio varejista, em volume 2007/2003 Fonte: IBGE – Diretoria de Pesquisas, Departamento de Comércio e Serviços.
BR : BAIXO PESO DO FINANCIAMENTO EXTERNO NO TOTAL DO CRÉDITO BANCÁRIO DOMÉSTICO  -  2008 FONTE: BLOMBERG, BIS E BCB ELABORAÇÃO: BRADESCO (*) Brasil, dado de jan09 ; inclui ACC,  export notes , repasses externos e financiamento de importações.
BR: TEVE QUEDA NA CAPTAÇÃO EXTERNA EM 2008
BR: COMPOSIÇÃO DA OFERTA TOTAL DE CREDITO
BRASIL: TAXA de INVESTIMENTO maior que a do PIB ( 2004-2008)   Fonte:Dados Básicos  IBGE.Apresentação de Luciano Coutinho/BNDES,  no CDES
BR: BAIXO GRAU DE ABERTURA
BR: MUDANÇA NO DESTINO DAS EXPORTAÇÕES 2008
SINTOMAS DA CRISE
BR: CRISE ATINGIU A BOLSA
BR: INDÚSTRIA É QUEM MAIS ESTÁ SOFRENDO
FONTE: BACEN ELABORAÇÃO: BRADESCO INADIMPLÊNCIA PESSOA FISÍCA – ACIMA DE 90 DIAS - 2004-2009
FONTE: BACEN ELABORAÇÃO: BRADESCO INADIMPLÊNCIA PESSOA JURÍDICA – ACIMA DE 90 DIAS - 2004-2009
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],BRASIL: MENOS ATINGIDO QUE ANTES
PRINCIPAIS MEDIDAS DE COMBATE A CRISE ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],MEDIDAS MAIS RECENTES
PARTE C:  A CRISE E PERNAMBUCO    1.   PRIMEIROS IMPACTOS DA CRISE
2009: INDÚSTRIA de PE SENTE A CRISE ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
PE:  comércio sente a crise   ,[object Object],[object Object],[object Object],* vestuário, tecido, calçados, livraria/papelaria  Fonte: FECOMERCIO
Governo em alerta: ICMS GANHAVA PESO no PIB e deve diminuir (mas há colchão) Fonte: SEFAZ DEVE-SE OBSERVAR MODESTA QUEDA DE PARTICIPAÇÃO NA RELAÇÃO ICMS/PIB, em 2009 ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],2008 fechou com superávit de R$ 500 milhões       Valor   ANOS (em R$ milhões) ICMS/PIB*** 1995 1.192,6  6,83% 1996 1.470,6  6,87% 1997 1.616,2  6,90% 1998 1.719,5  6,93% 1999 1.793,5  6,89% 2000 2.143,9  7,36% 2001 2.394,2  7,55% 2002 2.862,7  8,12% 2003 3.181,0 8,09% 2004 3.723,9 8,46% 2005 4.398,8  8,81% 2006 4.929,6  8,88% 2007 5.508,3  8,94% 2008 6.196,6  9,02% 2009 6.853,4  8,79%
PARTE C:  A CRISE E PERNAMBUCO    2 .PRINCIPAIS ÂNCORAS ANTI-CRISE
PE : EVOLUÇÃO RECENTE do PIB2002-2006 CRISE E PERNAMBUCO ,[object Object]
PE : COMPOSIÇÃO do  VAB – 1985/1995/2005 PE: O BAIXO PESO da IND. de TRANSF.
PE segura melhor o crescimento   do PIB ,[object Object],[object Object],Fonte: CONDEPE / FIDEM
CRISE AINDA POUPOU A INDÚSTRIA de PE, em 2008   ,[object Object],[object Object],Fonte: CONDEPE / FIDEM
CRISE E PERNAMBUCO ,[object Object],[object Object],[object Object],US$ 20 bilhões  (Refinaria; Estaleiro; Fábrica de Resinas Plásticas; Pólo Farmacoquímico; Indústrias de Alimentos, entre outros) até 2012
PE: EMPREGO ainda RESISTE   ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
PE: EMPREGO ainda RESISTE ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
CRISE E PERNAMBUCO ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
PERNAMBUCO: PRINCIPAIS DESTINO DAS EXPORTAÇÕES Fonte: MDIC-Secex PERNAMBUCO VINHA AUMENTANDO SUAS EXPORTAÇÕES PARA O MERCOSUL, AFRICA E OUTROS BLOCOS e DIMINUINDO PARA UNIÃO EUROPÉIA e ESTADOS UNIDOS  Ord Descrição 2008 (Jan/Out) 2007 (Jan/Out) Var% US$ F.O.B Part% US$ F.O.B. Part% 08/07 PRINCIPAIS BLOCOS ECONÔMICOS UNIAO EUROPEIA - UE  153.253.505 20,36 183.104.783 25,85 -16,3 MERCADO COMUM DO SUL - MERCOSUL  127.877.678 16,99 94.435.134 13,33 35,4 ESTADOS UNIDOS (INCLUSIVE PORTO RICO)  124.517.382 16,54 163.938.256 23,14 -24,1 AFRICA (EXCLUSIVE ORIENTE MEDIO)  110.553.706 14,69 69.130.600 9,76 59,9 ALADI (EXCLUSIVE MERCOSUL)  65.471.039 8,7 75.129.390 10,6 -12,9 DEMAIS BLOCOS  171.028.389 22,72 122.732.450 17,32 39,4
CRISE E PERNAMBUCO ,[object Object],[object Object]
PARTE D:  PARA ALÉM DA CRISE FINANCEIRA     1. MUDANÇA DE PARADIGMAS: OUTRAS CRISES 2. BRASIL PARA ALÉM DA CRISE
NOVOS PARADIGMAS: OUTRAS “CRISES” ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
NOVOS PARADIGMAS: OUTRAS “CRISES” ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
PROVÁVEL AMBIENTE MUNDIAL  PÓS-CRISE  Quadro recessivo perdura nos anos de 2009 e 2010 e sucede-se retomada gradual da economia, devendo ocorrer ritmo  mais acelerado a partir de 2020 Impactos mais fortes da crise ocorrem nos países desenvolvidos, mas efeitos são globais e assumem  forma traumática em países mais vulneráveis a contaminações financeiras e dependência do comércio exterior Comércio mundial desacelera mais fortemente que a economia mundial com tendência de queda de preços das commodities. Retomada ocorrerá de forma gradual acompanhando a reanimação da economia mundial  Reestabelecimento da liquidez e normalidade do crédito na economia mundial ocorrerá sob  novos padrões de financiamento e regulação
PROVÁVEL AMBIENTE MUNDIAL  PÓS-CRISE Reorganização da estrutura de poder mundial  deverá sinalizar nova  composição de forças (mutipolaridade) Participação dos Países Emergentes na Economia Mundial deverá e ampliar,com  afirmação da China como grande potência e brecha para maior presença do Brasil Questão Energética deve acelerar o uso de energia limpa, com destaque para biomassa Novo ciclo de desenvolvimento deve se desenhar a partir de 2020, com base em novos padrões de produção e consumo
BRASIL:  PARA ALÉM DA CRISE
BR: DIFERENCIAIS DO PAÍS ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
BR: DIFERENCIAIS DO PAÍS ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],POTENCIAL URBANO-INDUSTRIAL
BR:  PROBLEMAS ESTRUTURAIS ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
PRINCIPAIS INCERTEZAS ,[object Object],[object Object],[object Object]
FONTE: GOLDMAN SACHS BRASIL: ENTRE AS MAIORES  POTÊNCIAS ECONÔMICAS EM 2050
CONSIDERAÇÕES FINAIS   ,[object Object],[object Object],[object Object]
PARA ALÉM DA CRISE – Stiglitz (*) ,[object Object],[object Object],[object Object],(*) Nobel de Economia (2001), Conselheiro de Obama,    Prof. da Columbia University
[email_address] OBRIGADO

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A economia brasileira em 2015
A economia brasileira em 2015A economia brasileira em 2015
A economia brasileira em 2015Igor Morais
 
O Mundo e o Brasil: Cenários Focalizados na Crise e Pós-Crise Econômica – um ...
O Mundo e o Brasil: Cenários Focalizados na Crise e Pós-Crise Econômica – um ...O Mundo e o Brasil: Cenários Focalizados na Crise e Pós-Crise Econômica – um ...
O Mundo e o Brasil: Cenários Focalizados na Crise e Pós-Crise Econômica – um ...Macroplan
 
Crise Financeira e Crise Económica
Crise Financeira e Crise EconómicaCrise Financeira e Crise Económica
Crise Financeira e Crise EconómicaJosé Augusto
 
Boletim 44 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
Boletim 44 - Grupo de conjuntura econômica da UFESBoletim 44 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
Boletim 44 - Grupo de conjuntura econômica da UFESeconomiaufes
 
Análise de conjuntura - O Brasil e a crise - Maio de 2009
Análise de conjuntura - O Brasil e a crise - Maio de 2009Análise de conjuntura - O Brasil e a crise - Maio de 2009
Análise de conjuntura - O Brasil e a crise - Maio de 2009Aloizio Mercadante
 
Gestão de Riscos como Ferramenta de Tomada de Decisão em Projetos de Investim...
Gestão de Riscos como Ferramenta de Tomada de Decisão em Projetos de Investim...Gestão de Riscos como Ferramenta de Tomada de Decisão em Projetos de Investim...
Gestão de Riscos como Ferramenta de Tomada de Decisão em Projetos de Investim...Rodrigo M. Gandra, MSc, PMP, PMI-RMP
 
Economia brasileira em perspectiva 30.12.2014
Economia brasileira em perspectiva   30.12.2014Economia brasileira em perspectiva   30.12.2014
Economia brasileira em perspectiva 30.12.2014DenizecomZ
 
TEC 2010 06 - Distribuição dos grupos de cor ou raça e sexo pelos ramos de at...
TEC 2010 06 - Distribuição dos grupos de cor ou raça e sexo pelos ramos de at...TEC 2010 06 - Distribuição dos grupos de cor ou raça e sexo pelos ramos de at...
TEC 2010 06 - Distribuição dos grupos de cor ou raça e sexo pelos ramos de at...LAESER IE/UFRJ
 
Boletim 46 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
Boletim 46 - Grupo de conjuntura econômica da UFESBoletim 46 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
Boletim 46 - Grupo de conjuntura econômica da UFESeconomiaufes
 
O falso discurso do governo sobre a recuperação econômica do brasil
O falso discurso do governo sobre a recuperação econômica do brasilO falso discurso do governo sobre a recuperação econômica do brasil
O falso discurso do governo sobre a recuperação econômica do brasilFernando Alcoforado
 
Retrospectiva Prospectiva: Um futuro não muito brilhante
Retrospectiva Prospectiva: Um futuro não muito brilhanteRetrospectiva Prospectiva: Um futuro não muito brilhante
Retrospectiva Prospectiva: Um futuro não muito brilhanteBanco Pine
 

Mais procurados (20)

Economia brasileira e gaúcha - Perspectivas 2015 e 2016
Economia brasileira e gaúcha - Perspectivas 2015 e 2016Economia brasileira e gaúcha - Perspectivas 2015 e 2016
Economia brasileira e gaúcha - Perspectivas 2015 e 2016
 
A economia brasileira em 2015
A economia brasileira em 2015A economia brasileira em 2015
A economia brasileira em 2015
 
Apresentação Seminário Economia
Apresentação Seminário EconomiaApresentação Seminário Economia
Apresentação Seminário Economia
 
O Mundo e o Brasil: Cenários Focalizados na Crise e Pós-Crise Econômica – um ...
O Mundo e o Brasil: Cenários Focalizados na Crise e Pós-Crise Econômica – um ...O Mundo e o Brasil: Cenários Focalizados na Crise e Pós-Crise Econômica – um ...
O Mundo e o Brasil: Cenários Focalizados na Crise e Pós-Crise Econômica – um ...
 
Crise Financeira e Crise Económica
Crise Financeira e Crise EconómicaCrise Financeira e Crise Económica
Crise Financeira e Crise Económica
 
Crise mundial de 2014
Crise mundial de 2014Crise mundial de 2014
Crise mundial de 2014
 
Economia brasileira: uma visão macro e setorial
Economia brasileira: uma visão macro e setorialEconomia brasileira: uma visão macro e setorial
Economia brasileira: uma visão macro e setorial
 
Boletim 44 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
Boletim 44 - Grupo de conjuntura econômica da UFESBoletim 44 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
Boletim 44 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
 
Ministro Guido
Ministro GuidoMinistro Guido
Ministro Guido
 
Análise de conjuntura - O Brasil e a crise - Maio de 2009
Análise de conjuntura - O Brasil e a crise - Maio de 2009Análise de conjuntura - O Brasil e a crise - Maio de 2009
Análise de conjuntura - O Brasil e a crise - Maio de 2009
 
Conjuntura Econômica Nacional
Conjuntura Econômica NacionalConjuntura Econômica Nacional
Conjuntura Econômica Nacional
 
Gestão de Riscos como Ferramenta de Tomada de Decisão em Projetos de Investim...
Gestão de Riscos como Ferramenta de Tomada de Decisão em Projetos de Investim...Gestão de Riscos como Ferramenta de Tomada de Decisão em Projetos de Investim...
Gestão de Riscos como Ferramenta de Tomada de Decisão em Projetos de Investim...
 
Economia brasileira em perspectiva 30.12.2014
Economia brasileira em perspectiva   30.12.2014Economia brasileira em perspectiva   30.12.2014
Economia brasileira em perspectiva 30.12.2014
 
20120601
2012060120120601
20120601
 
TEC 2010 06 - Distribuição dos grupos de cor ou raça e sexo pelos ramos de at...
TEC 2010 06 - Distribuição dos grupos de cor ou raça e sexo pelos ramos de at...TEC 2010 06 - Distribuição dos grupos de cor ou raça e sexo pelos ramos de at...
TEC 2010 06 - Distribuição dos grupos de cor ou raça e sexo pelos ramos de at...
 
Boletim 46 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
Boletim 46 - Grupo de conjuntura econômica da UFESBoletim 46 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
Boletim 46 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
 
O falso discurso do governo sobre a recuperação econômica do brasil
O falso discurso do governo sobre a recuperação econômica do brasilO falso discurso do governo sobre a recuperação econômica do brasil
O falso discurso do governo sobre a recuperação econômica do brasil
 
Retrospectiva Prospectiva: Um futuro não muito brilhante
Retrospectiva Prospectiva: Um futuro não muito brilhanteRetrospectiva Prospectiva: Um futuro não muito brilhante
Retrospectiva Prospectiva: Um futuro não muito brilhante
 
Conjuntura econômica nacional
Conjuntura econômica nacionalConjuntura econômica nacional
Conjuntura econômica nacional
 
Sinplast2015
Sinplast2015Sinplast2015
Sinplast2015
 

Destaque

Gestão Financeira em Tempos de Crise
Gestão Financeira em Tempos de CriseGestão Financeira em Tempos de Crise
Gestão Financeira em Tempos de CriseCRA-BA
 
Criatividade Tempos Crise
Criatividade Tempos CriseCriatividade Tempos Crise
Criatividade Tempos CriseEmanuel Campos
 
A crise econômica mundial: impactos sobre a economia capixaba a médio e longo...
A crise econômica mundial: impactos sobre a economia capixaba a médio e longo...A crise econômica mundial: impactos sobre a economia capixaba a médio e longo...
A crise econômica mundial: impactos sobre a economia capixaba a médio e longo...Macroplan
 
Estratégia vencer em meio a crise
Estratégia vencer em meio a criseEstratégia vencer em meio a crise
Estratégia vencer em meio a criseCarlos Rocha
 
Fundamentos de economia
Fundamentos de economiaFundamentos de economia
Fundamentos de economiaLuciano Pires
 

Destaque (6)

Gestão Financeira em Tempos de Crise
Gestão Financeira em Tempos de CriseGestão Financeira em Tempos de Crise
Gestão Financeira em Tempos de Crise
 
Criatividade Tempos Crise
Criatividade Tempos CriseCriatividade Tempos Crise
Criatividade Tempos Crise
 
A crise econômica mundial: impactos sobre a economia capixaba a médio e longo...
A crise econômica mundial: impactos sobre a economia capixaba a médio e longo...A crise econômica mundial: impactos sobre a economia capixaba a médio e longo...
A crise econômica mundial: impactos sobre a economia capixaba a médio e longo...
 
12 dicas para o bem-estar
12 dicas para o bem-estar12 dicas para o bem-estar
12 dicas para o bem-estar
 
Estratégia vencer em meio a crise
Estratégia vencer em meio a criseEstratégia vencer em meio a crise
Estratégia vencer em meio a crise
 
Fundamentos de economia
Fundamentos de economiaFundamentos de economia
Fundamentos de economia
 

Semelhante a A Crise Econômica e as Alternativas para o Brasil - Valdeci Monteiro.pps

6º Congresso Estadual | José Roberto Ferreira Savóia
6º Congresso Estadual | José Roberto Ferreira Savóia6º Congresso Estadual | José Roberto Ferreira Savóia
6º Congresso Estadual | José Roberto Ferreira SavóiaAPEPREM
 
AnáLise Da Conjuntura EconôMica Ao Cmp
AnáLise Da Conjuntura EconôMica Ao CmpAnáLise Da Conjuntura EconôMica Ao Cmp
AnáLise Da Conjuntura EconôMica Ao Cmpozgiudice
 
Boletim 32 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
Boletim 32 - Grupo de conjuntura econômica da UFESBoletim 32 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
Boletim 32 - Grupo de conjuntura econômica da UFESeconomiaufes
 
Gustavoloyola 100525082203-phpapp02
Gustavoloyola 100525082203-phpapp02Gustavoloyola 100525082203-phpapp02
Gustavoloyola 100525082203-phpapp02arianh
 
Apresentação de 2013 - Professora Denise
Apresentação de 2013 - Professora Denise Apresentação de 2013 - Professora Denise
Apresentação de 2013 - Professora Denise cesforma
 
Cenário Econômico - Desafios Brasil e Rio Grande do Sul
Cenário Econômico - Desafios Brasil e Rio Grande do SulCenário Econômico - Desafios Brasil e Rio Grande do Sul
Cenário Econômico - Desafios Brasil e Rio Grande do SulIgor Morais
 
Desafios Brasil e Rio Grande do Sul
Desafios Brasil e Rio Grande do SulDesafios Brasil e Rio Grande do Sul
Desafios Brasil e Rio Grande do SulIgor Morais
 
Apresentação Setrans Pernambuco 2011
Apresentação Setrans Pernambuco 2011Apresentação Setrans Pernambuco 2011
Apresentação Setrans Pernambuco 2011pontodepauta.com.br
 
Emprego e Renda no Brasil Pós Crise
Emprego e Renda no Brasil Pós CriseEmprego e Renda no Brasil Pós Crise
Emprego e Renda no Brasil Pós CriseGleisi Hoffmann
 
A ECONOMIA EM ÉPOCA DE CRISE: Desafios e Propostas
A ECONOMIA EM ÉPOCA DE CRISE: Desafios e Propostas A ECONOMIA EM ÉPOCA DE CRISE: Desafios e Propostas
A ECONOMIA EM ÉPOCA DE CRISE: Desafios e Propostas eticademocracia
 
A Crise Financeira Internacional e as Políticas Anticíclicas no Brasil
A Crise Financeira Internacional e as Políticas Anticíclicas no Brasil A Crise Financeira Internacional e as Políticas Anticíclicas no Brasil
A Crise Financeira Internacional e as Políticas Anticíclicas no Brasil luizfernandokowalski
 
O mundo diante de uma crise econômica insolúvel
O mundo diante de uma crise econômica insolúvelO mundo diante de uma crise econômica insolúvel
O mundo diante de uma crise econômica insolúvelFernando Alcoforado
 
Pec 241 ameaça o desenvolvimento do brasil
Pec 241 ameaça o desenvolvimento do brasilPec 241 ameaça o desenvolvimento do brasil
Pec 241 ameaça o desenvolvimento do brasilFernando Alcoforado
 
Boletim 35 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
Boletim 35 - Grupo de conjuntura econômica da UFESBoletim 35 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
Boletim 35 - Grupo de conjuntura econômica da UFESeconomiaufes
 
Atualidades p bnb aula 03
Atualidades p bnb   aula 03Atualidades p bnb   aula 03
Atualidades p bnb aula 03IraniceInacio
 

Semelhante a A Crise Econômica e as Alternativas para o Brasil - Valdeci Monteiro.pps (20)

6º Congresso Estadual | José Roberto Ferreira Savóia
6º Congresso Estadual | José Roberto Ferreira Savóia6º Congresso Estadual | José Roberto Ferreira Savóia
6º Congresso Estadual | José Roberto Ferreira Savóia
 
AnáLise Da Conjuntura EconôMica Ao Cmp
AnáLise Da Conjuntura EconôMica Ao CmpAnáLise Da Conjuntura EconôMica Ao Cmp
AnáLise Da Conjuntura EconôMica Ao Cmp
 
Análise da Crise Econômica
Análise da Crise EconômicaAnálise da Crise Econômica
Análise da Crise Econômica
 
Boletim 32 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
Boletim 32 - Grupo de conjuntura econômica da UFESBoletim 32 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
Boletim 32 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
 
Gustavoloyola 100525082203-phpapp02
Gustavoloyola 100525082203-phpapp02Gustavoloyola 100525082203-phpapp02
Gustavoloyola 100525082203-phpapp02
 
Apresentação de 2013 - Professora Denise
Apresentação de 2013 - Professora Denise Apresentação de 2013 - Professora Denise
Apresentação de 2013 - Professora Denise
 
Cenário Econômico - Desafios Brasil e Rio Grande do Sul
Cenário Econômico - Desafios Brasil e Rio Grande do SulCenário Econômico - Desafios Brasil e Rio Grande do Sul
Cenário Econômico - Desafios Brasil e Rio Grande do Sul
 
Desafios Brasil e Rio Grande do Sul
Desafios Brasil e Rio Grande do SulDesafios Brasil e Rio Grande do Sul
Desafios Brasil e Rio Grande do Sul
 
Apresentação Setrans Pernambuco 2011
Apresentação Setrans Pernambuco 2011Apresentação Setrans Pernambuco 2011
Apresentação Setrans Pernambuco 2011
 
1. ulisses cenário macroeconômico
1. ulisses cenário macroeconômico1. ulisses cenário macroeconômico
1. ulisses cenário macroeconômico
 
Emprego e Renda no Brasil Pós Crise
Emprego e Renda no Brasil Pós CriseEmprego e Renda no Brasil Pós Crise
Emprego e Renda no Brasil Pós Crise
 
A ECONOMIA EM ÉPOCA DE CRISE: Desafios e Propostas
A ECONOMIA EM ÉPOCA DE CRISE: Desafios e Propostas A ECONOMIA EM ÉPOCA DE CRISE: Desafios e Propostas
A ECONOMIA EM ÉPOCA DE CRISE: Desafios e Propostas
 
Grupo 2
Grupo 2Grupo 2
Grupo 2
 
ME.pptx
ME.pptxME.pptx
ME.pptx
 
A Crise Financeira Internacional e as Políticas Anticíclicas no Brasil
A Crise Financeira Internacional e as Políticas Anticíclicas no Brasil A Crise Financeira Internacional e as Políticas Anticíclicas no Brasil
A Crise Financeira Internacional e as Políticas Anticíclicas no Brasil
 
O mundo diante de uma crise econômica insolúvel
O mundo diante de uma crise econômica insolúvelO mundo diante de uma crise econômica insolúvel
O mundo diante de uma crise econômica insolúvel
 
Pec 241 ameaça o desenvolvimento do brasil
Pec 241 ameaça o desenvolvimento do brasilPec 241 ameaça o desenvolvimento do brasil
Pec 241 ameaça o desenvolvimento do brasil
 
Boletim 35 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
Boletim 35 - Grupo de conjuntura econômica da UFESBoletim 35 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
Boletim 35 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
 
Mitos tucanos 1
Mitos tucanos 1Mitos tucanos 1
Mitos tucanos 1
 
Atualidades p bnb aula 03
Atualidades p bnb   aula 03Atualidades p bnb   aula 03
Atualidades p bnb aula 03
 

Mais de Deputado Paulo Rubem - PDT

SUS e Seguridade: Retomar a cidadania e construir novas políticas econômicas
SUS e Seguridade: Retomar a cidadania e construir novas políticas econômicasSUS e Seguridade: Retomar a cidadania e construir novas políticas econômicas
SUS e Seguridade: Retomar a cidadania e construir novas políticas econômicasDeputado Paulo Rubem - PDT
 
Estado economia e o financiamento do pne 24 04 2018
Estado economia e o financiamento do pne 24 04 2018Estado economia e o financiamento do pne 24 04 2018
Estado economia e o financiamento do pne 24 04 2018Deputado Paulo Rubem - PDT
 
Terapia Ocupacional, saúde financiamento e participação social 1 09 2017
Terapia Ocupacional, saúde financiamento e participação social 1 09 2017Terapia Ocupacional, saúde financiamento e participação social 1 09 2017
Terapia Ocupacional, saúde financiamento e participação social 1 09 2017Deputado Paulo Rubem - PDT
 
"Reforma da Previdência", para o Sindicato dos Bancários em 21 06 2016 e para...
"Reforma da Previdência", para o Sindicato dos Bancários em 21 06 2016 e para..."Reforma da Previdência", para o Sindicato dos Bancários em 21 06 2016 e para...
"Reforma da Previdência", para o Sindicato dos Bancários em 21 06 2016 e para...Deputado Paulo Rubem - PDT
 
Crise fiscal causas e alternativas uag 28 11 2016
Crise fiscal  causas e alternativas uag 28 11 2016Crise fiscal  causas e alternativas uag 28 11 2016
Crise fiscal causas e alternativas uag 28 11 2016Deputado Paulo Rubem - PDT
 
Exposição do seminário de educação no campo 9 de maio de 2014
Exposição do seminário de educação no campo 9 de maio de 2014Exposição do seminário de educação no campo 9 de maio de 2014
Exposição do seminário de educação no campo 9 de maio de 2014Deputado Paulo Rubem - PDT
 
Os desafios do país e das nações sintepe gravatá 19 12 2014
Os desafios do país e das nações  sintepe gravatá 19 12 2014Os desafios do país e das nações  sintepe gravatá 19 12 2014
Os desafios do país e das nações sintepe gravatá 19 12 2014Deputado Paulo Rubem - PDT
 
Saneamento Básico para um Recife Sustentável
Saneamento Básico para um Recife SustentávelSaneamento Básico para um Recife Sustentável
Saneamento Básico para um Recife SustentávelDeputado Paulo Rubem - PDT
 
20 anos do estatuto da crianca e do adolescente
20 anos do estatuto da crianca e do adolescente20 anos do estatuto da crianca e do adolescente
20 anos do estatuto da crianca e do adolescenteDeputado Paulo Rubem - PDT
 

Mais de Deputado Paulo Rubem - PDT (20)

SUS e Seguridade: Retomar a cidadania e construir novas políticas econômicas
SUS e Seguridade: Retomar a cidadania e construir novas políticas econômicasSUS e Seguridade: Retomar a cidadania e construir novas políticas econômicas
SUS e Seguridade: Retomar a cidadania e construir novas políticas econômicas
 
Estado economia e o financiamento do pne 24 04 2018
Estado economia e o financiamento do pne 24 04 2018Estado economia e o financiamento do pne 24 04 2018
Estado economia e o financiamento do pne 24 04 2018
 
Terapia Ocupacional, saúde financiamento e participação social 1 09 2017
Terapia Ocupacional, saúde financiamento e participação social 1 09 2017Terapia Ocupacional, saúde financiamento e participação social 1 09 2017
Terapia Ocupacional, saúde financiamento e participação social 1 09 2017
 
"Reforma da Previdência", para o Sindicato dos Bancários em 21 06 2016 e para...
"Reforma da Previdência", para o Sindicato dos Bancários em 21 06 2016 e para..."Reforma da Previdência", para o Sindicato dos Bancários em 21 06 2016 e para...
"Reforma da Previdência", para o Sindicato dos Bancários em 21 06 2016 e para...
 
Dqf ufpe pec 241 23 11 2016
Dqf ufpe pec 241 23 11 2016Dqf ufpe pec 241 23 11 2016
Dqf ufpe pec 241 23 11 2016
 
Crise fiscal causas e alternativas uag 28 11 2016
Crise fiscal  causas e alternativas uag 28 11 2016Crise fiscal  causas e alternativas uag 28 11 2016
Crise fiscal causas e alternativas uag 28 11 2016
 
Exposição do seminário de educação no campo 9 de maio de 2014
Exposição do seminário de educação no campo 9 de maio de 2014Exposição do seminário de educação no campo 9 de maio de 2014
Exposição do seminário de educação no campo 9 de maio de 2014
 
Os desafios do país e das nações sintepe gravatá 19 12 2014
Os desafios do país e das nações  sintepe gravatá 19 12 2014Os desafios do país e das nações  sintepe gravatá 19 12 2014
Os desafios do país e das nações sintepe gravatá 19 12 2014
 
Pec 162
Pec 162Pec 162
Pec 162
 
Saude publica no recife
Saude publica no recifeSaude publica no recife
Saude publica no recife
 
Saneamento Básico para um Recife Sustentável
Saneamento Básico para um Recife SustentávelSaneamento Básico para um Recife Sustentável
Saneamento Básico para um Recife Sustentável
 
Agenda Recife do Futuro
Agenda Recife do FuturoAgenda Recife do Futuro
Agenda Recife do Futuro
 
Exposicao seguridade e SUS
Exposicao seguridade e SUSExposicao seguridade e SUS
Exposicao seguridade e SUS
 
Plano Nacional de Educação
Plano Nacional de EducaçãoPlano Nacional de Educação
Plano Nacional de Educação
 
Prestação de contas ultima semana
Prestação de contas ultima semanaPrestação de contas ultima semana
Prestação de contas ultima semana
 
Transparência
TransparênciaTransparência
Transparência
 
Declarações
DeclaraçõesDeclarações
Declarações
 
Transparência
TransparênciaTransparência
Transparência
 
Cartaz emendas
Cartaz emendasCartaz emendas
Cartaz emendas
 
20 anos do estatuto da crianca e do adolescente
20 anos do estatuto da crianca e do adolescente20 anos do estatuto da crianca e do adolescente
20 anos do estatuto da crianca e do adolescente
 

A Crise Econômica e as Alternativas para o Brasil - Valdeci Monteiro.pps

  • 1. Recife, 27 de Abril de 2009 VALDECI MONTEIRO DOS SANTOS Presidente do Conselho Regional de Economia -PE Professor Adjunto Economia/UNICAP Sócio-Diretor da CEPLAN Consultoria SEMINÁRIO: “A CRISE ECONÔMICA E AS ALTERNATIVAS PARA O BRASIL”
  • 2.
  • 3. PARTE A – A CRISE FINANCEIRA MUNDIAL 1. ORIGENS E CONSEQUÊNCIAS GLOBAIS
  • 4. DINÂMICA DO CAPITALISMO x CRISES SEC. XVI COMERCIAL PRODUTIVA FINANCEIRA MOVIMENTO CÍCLICO TENDÊNCIA ESTRUTURAL CRISE
  • 5. Ambiente da crise atual: AMPLIAÇÃO DESREGULADA DA ESFERA FINANCEIRA ESFERA FINANCEIRA Bolsa de Valores, Mercado de Câmbio, Mercado de Títulos ... ESFERA PRODUTIVA Indústrias, Fazendas, Estabelec. Comerciais , ... TRANSAÇÕES FINANCEIRAS: com moedas, com ações , com com títulos públicos..  Patrimônio Financeiro TRANSAÇÕES PRODUTIVAS : com bens e serviços  Patrimônio Material
  • 6.
  • 7.
  • 8.
  • 9. Fonte: Bloomberg - Elaboração: Min. da Fazenda Prejuízos dos Bancos já contabilizados US$ 792 bi (FMI) Perdas potenciais de crédito US$ 2 trilhões ( FMI) PERDA DO VALOR DE MERCADO DOS ATIVOS BANCÁRIOS
  • 10. REDUÇÃO DO PIB INDUSTRIAL E DO COMÉRCIO MUNDIAL Fonte: FMI, WEO Update (Jan/09) Elaboração: MF/SPE
  • 11. MAIOR QUEDA DO COMÉRCIO
  • 12.
  • 13.
  • 14. PARTE B – O BRASIL FACE À CRISE FINANCEIRA 1. ECONOMIA BRASILEIRA: QUADRO RECENTE E IMPACTOS DA CRISE
  • 15.
  • 16.
  • 17. BRASIL: REDUÇÃO GRADUAL DA DESIGUALDADE SOCIAL ( RENDA)
  • 18. BRASIL: AUMENTO DO CONSUMO DAS CLASSES MÉDIAS Elaboração : MACROPLAN
  • 19. BR: RENDA do TRABALHO CRESCENDO MAIS NA BASE DA PIRÂMIDE Potencial : consumo insatisfeito (+ crédito) Fonte: IBGE/PNAD Valores corrigidos pelo IPCA de JUL/ 08 FAIXAS de RENDA JULHO 2002 JULHO 2008 Variação 0 - 2 SM 337,00 369,00 +10% 2 - 4 SM 833,00 889,00 + 7% 4 - 10 SM 1.830,00 1.874,00 + 2% 10 - 20 SM 4.069,00 4.160,00 + 2% + 20 SM 10.815,00 10.904,00 + 1%
  • 20. EVOLUÇÃO DA RELAÇÃO CRÉDITO / PIB 2003 - 2009 FONTE: BACEN ELABORAÇÃO: BRADESCO
  • 21. Outra novidade : Nordeste e Norte lideram o Crescimento do Consumo no País Variação % das vendas do comércio varejista, em volume 2007/2003 Fonte: IBGE – Diretoria de Pesquisas, Departamento de Comércio e Serviços.
  • 22. BR : BAIXO PESO DO FINANCIAMENTO EXTERNO NO TOTAL DO CRÉDITO BANCÁRIO DOMÉSTICO - 2008 FONTE: BLOMBERG, BIS E BCB ELABORAÇÃO: BRADESCO (*) Brasil, dado de jan09 ; inclui ACC, export notes , repasses externos e financiamento de importações.
  • 23. BR: TEVE QUEDA NA CAPTAÇÃO EXTERNA EM 2008
  • 24. BR: COMPOSIÇÃO DA OFERTA TOTAL DE CREDITO
  • 25. BRASIL: TAXA de INVESTIMENTO maior que a do PIB ( 2004-2008) Fonte:Dados Básicos IBGE.Apresentação de Luciano Coutinho/BNDES, no CDES
  • 26. BR: BAIXO GRAU DE ABERTURA
  • 27. BR: MUDANÇA NO DESTINO DAS EXPORTAÇÕES 2008
  • 29. BR: CRISE ATINGIU A BOLSA
  • 30. BR: INDÚSTRIA É QUEM MAIS ESTÁ SOFRENDO
  • 31. FONTE: BACEN ELABORAÇÃO: BRADESCO INADIMPLÊNCIA PESSOA FISÍCA – ACIMA DE 90 DIAS - 2004-2009
  • 32. FONTE: BACEN ELABORAÇÃO: BRADESCO INADIMPLÊNCIA PESSOA JURÍDICA – ACIMA DE 90 DIAS - 2004-2009
  • 33.
  • 34.
  • 35.
  • 36. PARTE C: A CRISE E PERNAMBUCO 1. PRIMEIROS IMPACTOS DA CRISE
  • 37.
  • 38.
  • 39.
  • 40. PARTE C: A CRISE E PERNAMBUCO 2 .PRINCIPAIS ÂNCORAS ANTI-CRISE
  • 41.
  • 42. PE : COMPOSIÇÃO do VAB – 1985/1995/2005 PE: O BAIXO PESO da IND. de TRANSF.
  • 43.
  • 44.
  • 45.
  • 46.
  • 47.
  • 48.
  • 49. PERNAMBUCO: PRINCIPAIS DESTINO DAS EXPORTAÇÕES Fonte: MDIC-Secex PERNAMBUCO VINHA AUMENTANDO SUAS EXPORTAÇÕES PARA O MERCOSUL, AFRICA E OUTROS BLOCOS e DIMINUINDO PARA UNIÃO EUROPÉIA e ESTADOS UNIDOS Ord Descrição 2008 (Jan/Out) 2007 (Jan/Out) Var% US$ F.O.B Part% US$ F.O.B. Part% 08/07 PRINCIPAIS BLOCOS ECONÔMICOS UNIAO EUROPEIA - UE 153.253.505 20,36 183.104.783 25,85 -16,3 MERCADO COMUM DO SUL - MERCOSUL 127.877.678 16,99 94.435.134 13,33 35,4 ESTADOS UNIDOS (INCLUSIVE PORTO RICO) 124.517.382 16,54 163.938.256 23,14 -24,1 AFRICA (EXCLUSIVE ORIENTE MEDIO) 110.553.706 14,69 69.130.600 9,76 59,9 ALADI (EXCLUSIVE MERCOSUL) 65.471.039 8,7 75.129.390 10,6 -12,9 DEMAIS BLOCOS 171.028.389 22,72 122.732.450 17,32 39,4
  • 50.
  • 51. PARTE D: PARA ALÉM DA CRISE FINANCEIRA 1. MUDANÇA DE PARADIGMAS: OUTRAS CRISES 2. BRASIL PARA ALÉM DA CRISE
  • 52.
  • 53.
  • 54. PROVÁVEL AMBIENTE MUNDIAL PÓS-CRISE Quadro recessivo perdura nos anos de 2009 e 2010 e sucede-se retomada gradual da economia, devendo ocorrer ritmo mais acelerado a partir de 2020 Impactos mais fortes da crise ocorrem nos países desenvolvidos, mas efeitos são globais e assumem forma traumática em países mais vulneráveis a contaminações financeiras e dependência do comércio exterior Comércio mundial desacelera mais fortemente que a economia mundial com tendência de queda de preços das commodities. Retomada ocorrerá de forma gradual acompanhando a reanimação da economia mundial Reestabelecimento da liquidez e normalidade do crédito na economia mundial ocorrerá sob novos padrões de financiamento e regulação
  • 55. PROVÁVEL AMBIENTE MUNDIAL PÓS-CRISE Reorganização da estrutura de poder mundial deverá sinalizar nova composição de forças (mutipolaridade) Participação dos Países Emergentes na Economia Mundial deverá e ampliar,com afirmação da China como grande potência e brecha para maior presença do Brasil Questão Energética deve acelerar o uso de energia limpa, com destaque para biomassa Novo ciclo de desenvolvimento deve se desenhar a partir de 2020, com base em novos padrões de produção e consumo
  • 56. BRASIL: PARA ALÉM DA CRISE
  • 57.
  • 58.
  • 59.
  • 60.
  • 61. FONTE: GOLDMAN SACHS BRASIL: ENTRE AS MAIORES POTÊNCIAS ECONÔMICAS EM 2050
  • 62.
  • 63.