Projetos em andamento do grupo de pesquisa - GCI2 - 2014 04-08

605 visualizações

Publicada em

Alex Ferraresi, professor do PPGCOOP, apresentou os projetos em andamento do grupo de pesquisa:
- Modelos cooperativos de operação e integração da cadeia produtiva do turismo regional no Brasil: Análise das formas de estruturação, viabilidade e impactos socioeconômicos
- Determinantes da inovatividade e seu impacto no desenvolvimento de inovações em cooperativas brasileiras

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
605
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
153
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Projetos em andamento do grupo de pesquisa - GCI2 - 2014 04-08

  1. 1. Modelos cooperativos de operação e integração da cadeia produtiva do turismo regional no Brasil: Análise das formas de estruturação, viabilidade e impactos socioeconômicos
  2. 2. Equipe Carlos Olavo Quandt – Coordenador (PUCPR) Alex Antonio Ferraresi – Pesquisador (PUCPR) Cicero Aparecido Bezerra – Pesquisador (UFPR) Tomas Sparano Martins – Pesquisador (PUCPR) Leila Andressa Dissenha – Pesquisadora (PUCPR) Raquel Panke – Pesquisadora (PUCPR)
  3. 3. Aborda o eixo temático “associativismo, cooperativismo e autogestão” da economia criativa, e sua articulação com o patrimônio cultural e natural, gastronomia regional e turismo cultural. A pesquisa busca verificar a aplicabilidade e sustentabilidade do modelo cooperativista na exploração do turismo regional, bem como identificar os seus impactos econômicos e sociais.
  4. 4. Objetivo geral Verificar se o modelo cooperativista é aplicável de forma sustentável na exploração do turismo regional, e identificar os possíveis impactos econômicos e sociais que tal modelo possa ocasionar.
  5. 5. 1. Identificar os principais empreendimentos que operam na modalidade cooperativa para a exploração de atividades turísticas no Brasil e que integrem dois ou mais atores da cadeia de valor do setor; 2. Identificar as principais modalidades de exploração dos diversos empreendimentos; 3. Identificar a amplitude da cadeia de valor do turismo em cada um dos modelos identificados; 4. Verificar se os empreendimentos cooperativos possuem características, comuns e/ou distintivas, que permitam identificar variáveis de classificação dos modelos de organização;
  6. 6. 5. Identificar e discutir os modelos tributário a que os empreendimentos cooperativos possam estar sujeitos e as soluções mais adequadas de enquadramento; 6. Identificar os impactos econômicos e sociais dos diversos modelos nos atores envolvidos na formação dos empreendimentos cooperativos; 7. Identificar os impactos econômicos e sociais dos diversos modelos nas regiões onde atuam. 8. Propor os possíveis modelos de integração e operação de cooperativas de exploração de turismo regional, que maximizem resultados econômicos e sociais para os atores envolvidos.
  7. 7. Aspectos Metodológicos - Estima-se 10 ocorrências de cooperativas de turismo que integram mais de uma atividade econômica em seu modelo, no território nacional. - Estratégia de casos múltiplos, eminentemente qualitativa As organizações a serem pesquisadas serão aquelas que corresponderem às seguintes características: - Organizações que operem no regime cooperativista, regulamentado conforme a Lei Federal 5.764 de 16 de dezembro de 1971, que definiu a Política Nacional de Cooperativismo. - Cooperativas que atuam na exploração de turismo, especificamente o turismo regional, temático e/ou cultural; que sejam constituídas por cooperados e/ou grupos de cooperados que desenvolvam atividades complementares (mínimo de duas atividades).
  8. 8. Aspectos a serem analisados - Modelo e nível de integração da cadeia produtiva - Modelo do regime tributário em que operam e aspectos de viabilidade econômica; - Vínculos e relações com outros atores econômicos e sociais relevantes da região onde atuam as cooperativas e que possam impactar seus desempenhos
  9. 9. Etapas de Projeto 1. Construção de base teórica sobre o cooperativismo. Esta etapa envolve análise bibliográfica, consultas a livros e periódicos, relatórios de pesquisa e sítios na Internet, com foco nos modelos de empreendimentos cooperativos e as singularidades de sua aplicação em cadeias produtivas complexas. 2. Construção de base teórica sobre o turismo cultural e temático, sua cadeia de valor e suas interações sociais e econômicas regionais. Esta etapa envolve análise bibliográfica, consultas a livros e periódicos, relatórios de pesquisa e sítios na Internet, com foco nas formações de cooperativas e seus modelos de gestão. 3. Construção de base teórica sobre a legislação tributária aplicável a negócios integrados, seus impactos e possiblidades. Esta fase envolve o levantamento da legislação que rege o cooperativismo e tributária pertinente, referencial bibliográfico, consultas a livros e periódicos, sítios na Internet, além de consultas a profissionais das áreas de direito e ciências contábeis.
  10. 10. Etapas de Projeto 4. Levantamento das cooperativas de turismo que operam regionalmente e que exploram o turismo temático/cultural, integrando 2 ou mais atividades. Esta etapa envolve consulta a sítios na Internet e associações cooperativistas. 5. Definição das variáveis e elaboração dos instrumentos de pesquisa. 6. Elaboração o protocolo de pesquisa e do instrumento de levantamento de dados de campo. 7. Coleta de dados junto às cooperativas de turismo identificadas, visando entender o modelo de constituição, o nível da integração da cadeia produtiva de cada uma, o modelo do regime tributário em que operam e aspectos de viabilidade econômica. Esta etapa envolve contatos telefônicos e via Internet, viagens e visitas in loco dessas cooperativas para a execução do protocolo de levantamento de dados.
  11. 11. Etapas de Projeto 8. Elaboração de critérios de classificação das cooperativas que serão objeto de estudo, para posterior análise, de acordo com os objetivos de pesquisa propostos. 9. Levantamento das características socioeconômicas das regiões onde ocorre a exploração do turismo cultural e temático pelas cooperativas que serão o objeto de estudo. Esta etapa envolve a consulta de pesquisas governamentais, artigos e publicações, além de sítio na Internet, com foco nos indicadores de desenvolvimento socioeconômico. 10. Análise dos atributos dos atores, seus vínculos, e relações entre as variáveis. 11. Identificação dos modelos de organização prevalentes e suas relações no impacto do desenvolvimento socioeconômico. 12. Identificação de um modelo de organização que maximize os impactos no desenvolvimento socioeconômico.
  12. 12. Etapas de Projeto 8. Elaboração de critérios de classificação das cooperativas que serão objeto de estudo, para posterior análise, de acordo com os objetivos de pesquisa propostos. 9. Levantamento das características socioeconômicas das regiões onde ocorre a exploração do turismo cultural e temático pelas cooperativas que serão o objeto de estudo. Esta etapa envolve a consulta de pesquisas governamentais, artigos e publicações, além de sítio na Internet, com foco nos indicadores de desenvolvimento socioeconômico. 10. Análise dos atributos dos atores, seus vínculos, e relações entre as variáveis. 11. Identificação dos modelos de organização prevalentes e suas relações no impacto do desenvolvimento socioeconômico. 12. Identificação de um modelo de organização que maximize os impactos no desenvolvimento socioeconômico. 13. Relatórios
  13. 13. Determinantes da inovatividade e seu impacto no desenvolvimento de inovações em cooperativas brasileiras
  14. 14. Equipe Carlos Olavo Quandt – Coordenador – PUCPR Alex Antonio Ferraresi – Pesquisador – PUCPR Cicero Aparecido Bezerra – Pesquisador – UFPR June Alisson Westarb Cruz – Pesquisador – PUCPR
  15. 15. Visa contribuir para a compreensão da dinâmica do processo de inovação, investigando os determinantes da inovatividade e seus impactos nos resultados de inovação das cooperativas brasileiras, englobando tanto aspectos internos como as redes de interações e intercâmbio de conhecimento entre os diversos agentes envolvidos no processo.
  16. 16. Objetivo Geral Identificar os aspectos determinantes do desenvolvimento da inovatividade nas cooperativas, seus processos de gestão do conhecimento intra- e interorganizacional, e analisar as relações dessas variáveis com os resultados da inovação.
  17. 17. Objetivos específicos 1. Identificar as variáveis relevantes para o desenvolvimento de inovações segundo a abordagem proposta. Este objetivo envolve o levantamento de: a) variáveis internas da cooperativa relacionadas à inovatividade (inputs para a inovação, competências técnicas e de gestão, cultura organizacional e resultados de inovação); b) variáveis dos processos de gestão do conhecimento intraorganizacional (determinantes da criação, captura, compartilhamento, conversão, organização, disse minação e aplicação do conhecimento interno e externo para a criação de valor); c) variáveis dos processos de gestão do conhecimento interorganizacional, ou variáveis relacionais (levantamento qualitativo e quantitativo das redes e padrões de interações entre cooperativas e destas com os cooperados, fornecedores, clientes, universidades e outras instituições, bem como o alcance dessas redes).
  18. 18. 2. Mapear variáveis de resultados da inovação (taxa de inovação, representatividade de novos produtos, serviços e processos nos resultados das cooperativas); 3. Analisar a importância relativa das variáveis para o desenvolvimento de inovações por meio de análise multivariada e análise de redes sociais; 4. Avaliar os padrões de interação e os principais tipos de intercâmbio de informações e conhecimento que ocorrem entre os atores envolvidos no desenvolvimento de inovações, por meio dos parâmetros da análise de redes; 5. Analisar as barreiras e facilitadores à inovatividade e gestão do conhecimento; 6. Identificar os benefícios e limitações da abordagem proposta a partir dos dados obtidos;
  19. 19. Etapas de Projeto 2. Mapear variáveis de resultados da inovação (taxa de inovação, representatividade de novos produtos, serviços e processos nos resultados das cooperativas); 3. Analisar a importância relativa das variáveis para o desenvolvimento de inovações por meio de análise multivariada e análise de redes sociais; 4. Avaliar os padrões de interação e os principais tipos de intercâmbio de informações e conhecimento que ocorrem entre os atores envolvidos no desenvolvimento de inovações, por meio dos parâmetros da análise de redes; 5. Analisar as barreiras e facilitadores à inovatividade e gestão do conhecimento; 6. Identificar os benefícios e limitações da abordagem proposta a partir dos dados obtidos; 7. A partir dos resultados acima, identificar melhores práticas e recomendações.
  20. 20. O problema A utilização de indicadores sobre o que acontece “antes” e “depois” do processo de inovação não esclarece como o processo ocorre dentro da organização, quais são as variáveis mais importantes para o seu sucesso, e por que existem lacunas com relação aos resultados desejáveis.
  21. 21. Aspectos metodológicos Trata-se de uma survey a ser realizada com o conjunto de cooperativas das 4 regiões mais representativas do cooperativismo (quantitativamente e qualitativamente) no Brasil: São Paulo, Minas Gerais, Paraná e Rio Grande do Sul. Pretende-se replicar o estudo realizado por Quandt, Ferraresi e Bezerra (2013) em 120 empresas, utilizando o instrumento de coleta já validado.
  22. 22. Resultados alcançados Identificadas 10 dimensões; Aprendizagem, Liderança e Cultura assumem papel central. Outras dimensões apresentam influência moderada a alta: Relacionamento, Processos, Pessoas, Estrutura, Mensuração e Estratégia. A dimensão Infraestrutura apresenta importância baixa. Os resultados sugerem que organizações inovadoras desenvolvem aspectos da cultura organizacional, liderança e processos de aprendizagem e aplicação do conhecimento para obter desempenho superior no desenvolvimento e implantação de inovações.
  23. 23. Etapas do Projeto 1. Revisão e atualização das bases teóricas sobre inovatividade, gestão do conhecimento, cooperativismo e análise de redes, bem como as suas aplicações no processo de formação de redes de cooperação e inovação. 2. Definição das variáveis e elaboração dos instrumentos de pesquisa. 3. Elaboração dos critérios para a seleção das cooperativas que serão objeto do estudo, em cooperação com entidades setoriais. 4. Coleta dos dados e mensuração das variáveis do contexto local e variáveis internas da cooperativa relacionadas à inovatividade. 5. Coleta dos dados e mensuração das variáveis internas da cooperativa relacionadas aos processos de gestão do conhecimento intraorganizacional.
  24. 24. Etapas do Projeto 6. Coleta dos dados e mensuração das variáveis relacionais, ligadas aos processos de colaboração, formação de redes e gestão do conhecimento interorganizacional. 7. Modelagem e análise da importância relativa e correlações das variáveis para o desenvolvimento de inovações. 8. Aplicação da metodologia de análise de redes a uma investigação dos processos de colaboração, a partir da identificação dos atores (cooperativas e instituições). 9. Análise dos atributos dos atores, seus vínculos, e correlações entre as variáveis por meio de técnicas de análise multivariada. 10. Produção dos relatórios

×