Os 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes

1.116 visualizações

Publicada em

Os 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes
Stephen R. Covey
Aula 3: Os 7 hábitos, uma visão geral
Eduardo Braz

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.116
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
45
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Os 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes

  1. 1. OS 7 HÁBITOS: UMA VISÃO GERAL Por Eduardo Braz
  2. 2. APRESENTAÇÃO Toda jornada começa com um pequeno passo. Na sociedade em que vivemos as pessoas não tem tempo a perder, mas é isto que acaba acontecendo. Este desespero por resultados tem levado muitas pessoas a alcançarem tudo o que não desejavam, a terem como resultados tudo que não gostariam. E não é isto que queremos. Estamos em busca do sucesso, da realização profissional, realização pessoal. Estamos trabalhando para transformar o conhecimento em resultados prazerosos. Por isso, tenha calma. Algumas pessoas me perguntam porque passar tanto tempo estudando um livro. A resposta é bem simples: Não estamos criando fórmulas mágicas, estamos lidando com pessoas e isto leva tempo, muito tempo. Ora, o caráter de um homem é formado basicamente por seus hábitos e transformar os hábitos deste homem leva tempo. Requer dedicação, respeito, tolerância, paciência e um objetivo definido, uma meta a ser alcançada. É isto que estamos fazendo. Um passo de cada vez. Um dia após o outro. Uma vitória de cada vez, para alcançarmos o tão esperado objetivo: uma vida eficaz.
  3. 3. Mudar não é fácil. Bem verdade, viver não é fácil. Nós somos nossos hábitos e se queremos mudar a nós mesmos significa que mudaremos nossos hábitos. Será que vocês conhecem o ditado que diz: “Plante um pensamento, colha uma ação; plante uma ação, colha um hábito; plante um hábito, colha um caráter; plante um caráter, colha um destino?” Estudar os hábitos nos leva a identificar quais possuímos e precisamos melhorar. Também implica em identificarmos quais temos e precisamos mudar. “Romper com tendências profundamente arraigadas como as de procrastinar, criticar, ser impaciente e egoísta, tendências que violam princípios básicos da eficácia humana, exige muito mais do que um pouquinho de força de vontade e mudanças diminutas em nossas vidas”.
  4. 4. DEFINIÇÃO DOS HÁBITOS “Para nossos objetivos, definiremos um hábito como a interseção entre o conhecimento, a habilidade e o desejo”. “O conhecimento é o paradigma teórico, o que fazer e o porquê. A habilidade é o como fazer. E o desejo é a motivação, o querer fazer”. CONHECIMENTO HABILIDADE DESEJO HÁBITO
  5. 5. Já que nosso objetivo é mudarmos nossos hábitos precisamos lembrar que “uma mudança precisa ter como motivação um objetivo nobre, acrescida da disposição para subordinar o que você pensa que quer no momento ao que realmente quer para o futuro”. IDENTIFIQUE QUAIS HÁBITOS VOCÊ POSSUI IDENTIFIQUE QUAIS HÁBITOS VOCÊ PRECISA MANTER IDENTIFIQUE QUAIS HÁBITOS VOCÊ PRECISA TER
  6. 6. O CONTINUUM DA MATURIDADE Os 7 Hábitos nos levam a “realizar paulatinamente o Continuum da Maturidade, que passa da dependência, para a independência até alcançar a interdependência”. DEPENDÊNC IA INDEPENDÊN CIA INTERDEPENDÊNCIA
  7. 7. “No continuum da maturidade, a dependência é o paradigma de você. Você tem de tomar conta de mim. Você fez a coisa certa. Você não fez a coisa certa. Eu culpo você pelos resultados”. “A independência é o paradigma do eu. Eu sei fazer. Eu sou responsável. Eu tenho certeza. Eu sei escolher”. “A interdependência é o paradigma do nós. Nós podemos fazer isso. Nós podemos cooperar. Nós vamos unir nossos talentos e habilidades para juntos criarmos algo maior”. “As pessoas dependentes precisam das outras para conseguir o que desejam. As pessoas independentes conseguem obter o que desejam por meio de seu próprio esforço. As pessoas interdependentes combinam seus próprios esforços com os esforços dos outros para conseguir um resultado muito melhor”.
  8. 8. “A verdadeira independência do caráter nos dá o poder para agir, abandonando a posição passiva. Ela nos liberta da dependência das circunstâncias e das outras pessoas, sendo um objetivo valioso, libertador. Mas nem por isso é o objetivo supremos de uma vida eficaz (...) Pessoas independentes podem ser eficazes em nível individual, mas não constituem líderes adequados ou bons elementos em uma equipe”. “A interdependência é uma escolha que só as pessoas independentes podem fazer. Os dependentes não conseguem atingir a interdependência. Não possuem personalidade suficiente para tanto, não conhecem o bastante de si”. “Compreender o modo como sua maneira de ser interfere em todas as interações interdependentes irá ajudá-lo a se concentrar paulatinamente, dando um passo de cada vez, em harmonia com as leis da natureza e do crescimento”.
  9. 9. DIAGRAMA DA SEQUÊNCIA DA INTERDEPENDÊNCIA DOS 7 HÁBITOS INTERDEPENDÊNCI A VITÓRIA PÚBLICA INDEPENDÊNCIA 5 6 4 3 1 2 VITÓRIA PARTICULAR DEPENDÊNCIA 7 Vitória Particular (Dependência) Hábito 1: Seja Proativo Hábito 2: Comece com o objetivo em mente Hábito 3: Primeiro o mais importante Vitória Pública (Independência) Hábito 4: Pense Ganha/Ganha Hábito 5: Procure primeiro compreender, depois ser compreendido Hábito 6: Crie sinergia A Grande Vitória (Interdependência) Hábito 7: Afine o instrumento
  10. 10. DEFININDO A EFICÁCIA “Os 7 Hábitos são eficazes. Como estão baseados em princípios, conduzem ao máximo possível de resultados benéficos a longo prazo. Tornam-se a base do caráter da pessoa, criando um centro poderoso de mapas corretos, a partir dos quais um indivíduo pode resolver problemas com eficácia, maximizar oportunidades, aprendendo a integrar novos princípios em sua espiral ascendente de crescimento”. Eficiência trata de como fazer, não do que fazer. Trata de fazer certo a coisa, e não fazer a coisa certa. Quando se fala em eficiência, está se falando em produtividade, em fazer mais com o mínimo de recursos possíveis. Eficácia trata do que fazer, de fazer as coisas certas, da decisão de que caminho seguir. Eficácia está relacionada à escolha e, depois de escolhido o que fazer, fazer esta coisa de forma produtiva leva à eficiência. A eficácia é o grau em que os resultados de uma organização correspondem às necessidades e aos desejos do ambiente externo.
  11. 11. “A eficácia resulta de duas coisas: o produto (...) e o meio de produção, ou a capacidade de produzir”. “A eficácia consiste no equilíbrio – no que chamo de Equilíbrio P/CP”. P = Produção (dos resultados desejados) CP = Capacidade de Produção (habilidade ou bem que produz) Produto/Resultado Esperado Meio/Modo de Produzir
  12. 12. TRÊS TIPOS DE ATIVOS 1º Físicos 2º Financeiros 3º Humanos “Existem basicamente três tipos de bens ou ativos: físicos, financeiros e humanos”.
  13. 13. 1º Físicos: Objetos pessoais, bens de consumo, equipamentos,... Deve-se lembrar que ao adquirir um destes bens será necessário, em muitos casos, fazermos manutenções periódicas a fim de não termos prejuízos. Por exemplo, um carro que não tem manutenção pode trazer vários problemas, tanto financeiros como outros. 2º Financeiros: Capacidade de ganhar, trabalho. Para termos um bem físico precisamos pagar por ele, para pagarmos precisamos do dinheiro, que normalmente vem por meio do trabalho. Por isso que “nosso meio financeiro mais importante é a capacidade de ganhar”. Este trabalho pode ser considerado um exemplo de nossa própria CP. 3º Humana: Relacionamentos “Na área humana o equilíbrio P/CP é igualmente fundamental, até mais importante, pois as pessoas controlam os ativos físicos e financeiros.
  14. 14. CP NAS ORGANIZAÇÕES “Um dos aspectos mais valiosos de qualquer princípio correto é a sua validade e a possibilidade de aplicação em uma ampla gama de circunstâncias”. “Quando as pessoas deixam de respeitar o equilíbrio P/CP, ao usarem bens físicos nas organizações, elas provocam a queda da eficácia organizacional e deixam para os outros apenas galinhas mortas”. “O equilíbrio P/CP é a verdadeira essência da eficácia. Aplica-se a todos os setores da vida. Podemos trabalhar com ele ou contra ele, mas sempre estará aqui”.
  15. 15. CONCLUSÃO “Ninguém pode persuadir outra pessoa a se modificar. Cada um de nós toma conta da porta da mudança, que só pode ser aberta pelo lado de dentro. Não podemos abrir a porta de outra pessoa, seja por meio de argumentos ou de pressão emocional.” Marilyn Ferguson. À partir da próxima aula estudaremos cada um dos 7 Hábitos. Nosso objetivo nesta aula foi mostrar a base do que teremos nas próximas lições. É importante que você tenha em mãos o seu livro. Ele está disponível na internet, contudo quero incentivá-lo à compra do seu exemplar, não apenas fazer o download do mesmo.
  16. 16. CONTATE-NOS eduardobraz.profissional@hotmail.com (84) 9834.6937 (TIM e WhatsApp) (84) 8780.5376 (OI) facebook.com/pauloeduardo.bgoncalves Instagran: @eduardo_brazz

×