Subsídio para Lição 3: Não terás outros deuses
Prof. Eduardo Braz*

O Primeiro Mandamento
O primeiro mandamento é: "Não terás outros
deuses além de mim" (Êx 20.3).
“o fim deste mandamento ...
Para Calvino o primeiro mandamento apresenta quatro pontos
principais: Adoração, Confiança, Invocação e Ação de Graças.
“C...

Neste primeiro mandamento são apresentadas
algumas exigências, dentre elas:
• Conhecer Deus como o único e verdadeiro De...
Como todo mandamento
observamos que alguns pecados são
proibidos no primeiro mandamento,
dentre eles:
O ateísmo: negar ou não crer em Deus (Sl 14.1; Ef 2.12).
A idolatria: ter ou adorar mais do que a Deus, ou qualquer outro ...
A resistência obstinada e a insensibilidade sob os juízos de Deus (At 26.9).
A dureza de coração (Sl 78.22; Gn 4.13; Jr 5....
Todos os pactos com o diabo; o consultar com ele e dar ouvidos às suas sugestões
(Mt 4.10).
Fazer dos homes senhores da no...

Ferramentas Úteis
Breve Catecismo de Westminster
Catecismo Maior de Westminster
Confissão de Fé de Westminster
Catecismo...
(84) 9834.6937 e 8780.5376
pauloeduardobg@gmail.com
pauloeduardobg@outlook.com
facebook.com/pauloeduardo.bgoncalves
instag...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Deveres e proibições do primeiro mandamento

450 visualizações

Publicada em

Apresentação de slides com o tema: Deveres e proibições do primeiro mandamento.
Subsídio para Lição 3: Não terás outros deuses
Professor Eduardo Braz

Publicada em: Espiritual
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
450
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Deveres e proibições do primeiro mandamento

  1. 1. Subsídio para Lição 3: Não terás outros deuses Prof. Eduardo Braz*
  2. 2.  O Primeiro Mandamento O primeiro mandamento é: "Não terás outros deuses além de mim" (Êx 20.3). “o fim deste mandamento é que Deus quer ser o único a ter a preeminência em seu povo e nele exercer seu direito em plena medida. Para que isso aconteça, ordena que estejam longe de nós a impiedade e toda e qualquer superstição, em virtude da qual ou se diminui ou se obscurece a glória de sua divindade. E, pela mesma razão, prescreve que o cultuemos e o adoremos com o verdadeiro zelo da piedade. E a própria simplicidade das palavras soa quase que isto, porquanto não podemos ter Deus sem que, ao mesmo tempo, abracemos as coisas que lhe são próprias. Portanto, o fato de proibir que tenhamos deuses estranhos, com isto significa que não devemos transferir para outrem o que lhe é exclusivo”. João Calvino
  3. 3. Para Calvino o primeiro mandamento apresenta quatro pontos principais: Adoração, Confiança, Invocação e Ação de Graças. “Chamo adoração a veneração e o culto que qualquer um de nós lhe rende, quando se lhe submete à grandeza. Por isso, não improcedentemente, incluo à adoração a submissão de nossa consciência à sua lei. Confiança é a segurança de nele descansar, em virtude do reconhecimento de seus predicados, quando, atribuindo-lhe toda sabedoria, justiça, poder, verdade, bondade, reconhecemos que somos bem- aventurados somente em sua comunhão. Invocação é o recurso de nossa mente à sua fidelidade e assistência, como ao sustentáculo único, sempre que alguma necessidade insiste. Ação de graças é a gratidão com que se lhe atribui o louvor de todo bem”.
  4. 4.  Neste primeiro mandamento são apresentadas algumas exigências, dentre elas: • Conhecer Deus como o único e verdadeiro Deus e reconhecê-lo como nosso Deus, e, por isto adorá-lo e glorificá-lo como tal (1 Cr 28.9; Dt 26.17; Is 43.10; Sl 95.6-7; Sl 29.2; Sl 63.6) • Pensar e meditar nÊle, nos lembrando dÊle, apreciando, honrando, adorando, desejando, e temendo-o (Ec. 12.1; Is 45.23). • Devemos crer nÊle, confiando, esperando, deleitando-nos e regozijando-nos nÊle (Dt 6.5; Sl 73.25; Is 8.13; Is 26.4; Sl 130.7; Sl 37.4). • Precisamos ter zelo por Ele; invocá-lo, dando-Lhe todo louvor e agradecimentos, prestando-Lhe toda a obediência e submissão (Êx 14.31; Rm 12.11; Fp 4.6). • É nossa obrigação ter cuidado de agradá-Lo em tudo, inclusive nos entristecendo quando Ele é ofendido em qualquer coisa (Jr 7.23; Tg 4.7; 1 Jo 3.22). • Devemos fazer isto para andarmos humildemente com Ele (Jr 31.18; Mq 6.8).
  5. 5. Como todo mandamento observamos que alguns pecados são proibidos no primeiro mandamento, dentre eles:
  6. 6. O ateísmo: negar ou não crer em Deus (Sl 14.1; Ef 2.12). A idolatria: ter ou adorar mais do que a Deus, ou qualquer outro juntamente com o verdadeiro Deus ou em lugar dÊle (Jr 2.27-28; Is 40.18). Não tê-lo e não confessá-lo como Deus, e nosso Deus (Sl 81.11). A omissão ou negligência de qualquer coisa devida a Ele, exigida neste mandamento (Is 43.22-23; Jr 4.22; Sl 50.21). A ignorância, o esquecimento, as más concepções, as falsas opiniões, os pensamentos indignos e ímpios quanto a Ele (Os 4.1-6; Jr 2.32; At 17.23,29). O pesquisar audaz e curioso dos seus segredos (Dt 29.29); Toda a impiedade, todo o ódio contra Deus, egoísmo, espírito interesseiro e toda a aplicação desordenada e imoderada do nosso entendimento, vontade ou afetos e outras coisas e o desvio destes de Deus, em tudo ou em parte (Tt 1.16; Hb 12.16; Rm 1.30; 2 Tm 3.2; Fl 2.21). A vã credulidade, a incredulidade, a heresia, as crenças errôneas, a desconfiança, o desespero (1 Jo 2.15-16; 4.1; Hb 3.12; Gl 5.20).
  7. 7. A resistência obstinada e a insensibilidade sob os juízos de Deus (At 26.9). A dureza de coração (Sl 78.22; Gn 4.13; Jr 5.3). A soberba (Rm 2.5; Jr 13.15). A presunção (Sf 1.12; Mt 4.7; Rm 3.8). A segurança carnal (Jr 17.5; Ap 3.1,16). O tentar a Deus (2 Tm 3.4). O uso de meios ilícitos, a confiança nos lícitos; os deleites e gozos carnais (Is 1.4-5; Os 4.12). Um zelo corrupto, cego e indiscreto (Cl 2.18; Rm 1.25). O esfriamento e o amortecimento nas coisas de Deus (At 5.3). O alienar-nos e apostatar-nos de Deus (Dt 32.15). O orar ou prestar qualquer culto religioso a santos, anjos ou qualquer outra criatura (Lv 20.6).
  8. 8. Todos os pactos com o diabo; o consultar com ele e dar ouvidos às suas sugestões (Mt 4.10). Fazer dos homes senhores da nossa fé e consciência (At 5.29). O fazer pouco caso e desprezar a Deus e aos mandamentos (Dn 5.23). O resistir e entristecer o seu Espírito (At 7.51; Ef 4.30). Acusá-lo estultamente dos males com que Ele nos aflige, e o atribuir o louvor de qualquer bem que somos, temos ou podemos fazer à fortuna, aos ídolos, a nós mesmos, ou a qualquer outra criatura (Lc 12.19; Dt 8.17; Hc 1.16).
  9. 9.  Ferramentas Úteis Breve Catecismo de Westminster Catecismo Maior de Westminster Confissão de Fé de Westminster Catecismo de Heidelberg As Institutas de João Calvino Revista e Livro do trimestre Bíblias (ARA, ARC, NVI) Dicionário de língua portuguesa Dicionário teológico
  10. 10. (84) 9834.6937 e 8780.5376 pauloeduardobg@gmail.com pauloeduardobg@outlook.com facebook.com/pauloeduardo.bgoncalves instagran: eduardo_brazz Igreja Evangélica Assembleia de Deus no RN Natal, Setor 22 - Cong. Monte Sião Rua Indomar s/n, Planalto Escola Bíblica Dominical 8hs 30min – Classes de Adultos e Infantis 10hs – Classes de Adolescentes, Jovens e Discipulados *Eduardo Braz

×