Cenário das Palavras

166 visualizações

Publicada em

Cenário das Palavras (1993)

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
166
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Cenário das Palavras

  1. 1. “Cenário das Palavras” Paulo Maia
  2. 2. “Cenário das Palavras” A paisagem se encontra nua e crua.A consciência a traduz neste cenário com as palavras conhecidas e confusas. Românticos Imorais Rastros e Pistas Minha Viagem Para Continuar A Construção Espírito em Segredo Reality News O Vento São Paulo, 1993 © Paulo Maia. Todos os direitos reservados 2
  3. 3. “Cenário das Palavras” Românticos Imorais Aqui temos a inocência como desculpa da deficiência de nossa compreensão  Reside na indecência e napobreza da consciência, a estupidez de cada ação  Mas tão fácil esquecermos de onde nós viemos  Criadosassim tão vivos  Idolatrando inimigos  Já não temos o pudor  Somente resta o nosso rancor superficial Invariavelmente estúpidos  Transformados em malucos  E tudo isso é tão real  Mas tão fácil esquecermosdo amor que nós queremos  Um fato ocasional  Atitudes sem moral  Já chegamos a um caminho  Agora é despertar do ninho e avançar o sinal  Esperar pela iniciativa de nossa mente tão criativa  Talvez é estar estacionado  Mas tão fácil esquecermos o absurdo em que vivemos  De formas especiais  Sempre querendo mais  Não perca seu espaço  Reforce seu calor  Reative sua voz  Meu lógico cantor. São Paulo, Abril 1993 © Paulo Maia. Todos os direitos reservados 3
  4. 4. “Cenário das Palavras” Minha ViagemPenso em lidar com o acaso  Transformar minha timidez  Evitar o recuo do olhar  Esperar pela minha vez Estou a mercê da imaginação  Baseado no talvez  Me perdendo em toda a situação  Atropelando minhasensatez  Os olhos lacrimejam perdidos no viver  Sensações voam através dos sentidos  Redefinindo todo o prazer  Ilhado no caos do meu ser  Aproximando-se cada vez mais  Em passos curtos neste atalho Espero s momentos normais  E no movimento certo eu falho  Já chego a sentir um toque  Trazendo o frutodesse flerte  Imaginando que esse enfoque  Não esteja apenas na minha mente  Os olhos saltam e chegam perto  A hora tolhe minha linguagem  O pensamento desloca-se e eu desperto  Da realidade para a minha viagem São Paulo, Maio 1993 © Paulo Maia. Todos os direitos reservados 4
  5. 5. “Cenário das Palavras” A Construção A construção tão bela e robusta  Realça a imagem no terreno moderno  O sólido objeto raro na terra sob océu  Dilui esperanças no horizonte eterno  Transcrita a idéia em enigmas  Em código está enunciada  O próspero desperta no sonhador  A mágica instrumental do acabado  E enfim descreve-se o perverso  Aconstrução em mármore, em prosa ou em verso  A construção tão rude e maliciosa  Encontra-se de frente aomuro  Ao lado a via infinita recorta o espaço  Desenha os traços do urbano vagabundo  Desfrute o passeio em volta do cerco  Desmonte o cenário e ache o medo  Encontre o teu desespero  Do alto do monumento  A construção espalhada no universo  Traduzida num inquieto e inconfundível inverno  The building is watching us so unreal  The things I’ve said it’s not a big deal  From now on we’re screaming at the wall  In a word written we’ll rise and we’ll fall São Paulo, Maio 1993 © Paulo Maia. Todos os direitos reservados 5
  6. 6. “Cenário das Palavras” Reality NewsTudo sobre o mundo me interessa  Tanta coisa assim e tão dispersa  Tão fácil colocar a questão no seu lugar Difícil mesmo é saber explicar  A fome pelo saber somente basta?  No prato do conhecer eu faço graça  Preciso lembrar daquela data?  Que importa o argumento, de que se trata?  Quem fica louco não repara Na presa do saber do que é fútil  Finge dizer sobre o que não pensa  O ridículo do inútil  A inteligência da mídia colorida  O cotidiano em capa de revista  Fácil guardar cada memória no seu lugar  Como é bomconseguir organizar  A informação no abismo possível  Em detrimento da compreensão  Dez mil títulos e assinaturas  Pasteurizadas em caricaturas São Paulo, Maio 1993 © Paulo Maia. Todos os direitos reservados 6
  7. 7. “Cenário das Palavras” Rastros e Pistas Tempos felizes, muitos filhos de repente  Poucos deslizes, muito riso inocente  Esperam o sinal à frente  Mística imagem, o tom num certo transparente  O sonho vivo da conquista adolescente  A vida espera paciente  Mas se encontram fácil  Se encaixam  Se vêm para a história  Poucos são os que recorrem àmemória  Poucos muito loucos  Seguem firme domando a noite  Rastros e pistas em seus nomes  Velhosmanuscritos numa língua diferente  Sugerem imagens quase cínicas, reluzentes Cedem ao caos eminente Dedicam ao íntimo a honra e a conquista  São conhecidos pelo calor da notícia  Somente a seriedade arrisca Mas se iludem fácil  Se perdem  Entram para a história  Poucos são os merecedores da vitória  Sérios pouco leves  Seguem céticos à luz do dia  Rastros e pistas na agonia  Sentimentos vivos  Lembranças que respiram  Ferimentos frios  Amizades que irradiam  Todo o local presente Seguem a missão queabraçaram lentamente  Não se importam com o tempo que passa brevemente  Nutrem o sinal carente  Mas se jogam fácil  Envelhecem  Escrevem a história  Poucos são os que sobrevivem na glória  Velhos e românticos são vitais  Relatam a vida  Em rastros e pistas narrativas São Paulo, Maio 1993 © Paulo Maia. Todos os direitos reservados 7
  8. 8. “Cenário das Palavras” Para Continuar Escute bem  Pra onde vamos assim tão fracos  Com os olhos inchados, já não acessos  Desacreditadosservindo ateus  Responsabilizados independentes seus  Olha assim  Escute o som equivocado  Espasmos loucos do espírito fraco  Na face de tudo que respeitamos  A troca injusta não aceitamos  Quer assim demais  Do mundo em reviravolta  De todos que não queremos  Palavras em manobras  Visualize o claro  Nos limites do pensamento  Há crise no comportamento  Inclinado por estar cego  Iludidos por todo o ego  Ilumina a sombra  Nas origens dos segredos  No interior do medo  Em transe, em luz, em vida  Sinais da fé perdida  Quer assim não muito  A voz rouca na multidão  Pela paz renega a união  Seguem fácil na escuridão São Paulo, Abril 1993 © Paulo Maia. Todos os direitos reservados 8
  9. 9. “Cenário das Palavras” Espírito em Segredo Toda a nossa loucura acesa  Passada a limpa em cima da mesa  O vento úmido gela a alma  A brisa fraca nos traz a calma  Em todos os nossos conflitos do cotidiano  A voz como força vem pregar a ordem Sentimos ter dado fim às crises  Quando o discurso não mais existe  Será a nossa alegria sempre o remédio?  Do nosso grande e louco tédio  Está o corpo encarando o medo?  Ou é o espírito em segredo?  Em nosso objetivo fundamental  Sempre me recordo de ser normal  O pensamento fixo e espesso  Está emriste e pelo avesso  Será o nosso papel o de um ator?  Sangrando a testa  Controlando a dor  Está a alma fugindo tão cedo?  Levando o espírito em segredo  A vaidade cedeu lugar ao pranto  Em fragmentos perdeu-se o encanto  A ordem cega impede a liberdade  Não faz sentido nossa vontade  Estará o mundo seguindo à toa?  Ou então é o meio que destoa  Estará o espírito em segredo seguro?  Ou nossa opinião em cima do muro São Paulo, Abril 1993 © Paulo Maia. Todos os direitos reservados 9
  10. 10. “Cenário das Palavras” O VentoNão muito distante as folhas caíram com o vento que surgiu  Com ele veio a tormenta e as folhas levadas comvocê  Girando o mundo e com ele nossas almas  Vai os ventos de outras terras  Até onde foi você?  Até que ponto tenho o controle da dor?  Até onde dura meu amor?  Volta a ventania cíclica sem perdão  Não há mais sonho em meu coração  Apenas o canto suave de sua alma  Trouxe a calmaria para a minha Que já não possui mais as folhas  Levadas outrora pela tormenta São Paulo, Maio 1993 © Paulo Maia. Todos os direitos reservados 10
  11. 11. “Cenário das Palavras” Todas as letras compostas por Paulo MaiaSão Paulo © 1993 Todos os direitos reservados.

×