Radiologia propedeutica 2015 2 sem

3.606 visualizações

Publicada em

radiologia do tórax propedeutica radiológica

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.606
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.364
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
213
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Radiologia propedeutica 2015 2 sem

  1. 1. RADIOLOGIARADIOLOGIA TORÁCICATORÁCICA
  2. 2. RADIOLOGIA TORÁCICA:RADIOLOGIA TORÁCICA: IMPORTÂNCIA:IMPORTÂNCIA: BOA HISTÓRIA CLÍNICA + BOM EXAME FÍSICO + RADIOGRAFIA DE TÓRAX EM PÓSTERO- ANTERIOR E PERFIL, DE BOA QUALIDADE Fraser and Paré - Diagnosis of Diseases of Chest - 1999
  3. 3. UM DOS EXAMES MAIS UTILIZADOS NA PRÁTICA MÉDICA + BAIXO CUSTO / FACILIDADE REALIZAÇÃO GRANDE DISPONIBILIDADE + FORNECE INFORMAÇÕES SOBRE DIVERSOS SISTEMAS (Principalmente cardiorrespiratório e esqueleto) RADIOLOGIA TORÁCICA:
  4. 4. ANATOMIA RADIOLÓGICA 1 – TRAQUÉIA 2 – CARINA 3 – 1a. COSTELA 4 – ARCO POST 5 – OMOPLATA 6,7 – DIAFRAGMA 8 – ARCO ANT 11,17 - HILOS 12 – ART PULMONAR 14 – BORDO CARD D 15 – SEIO CARDIO FREN 16 – BOTÃO AÓRTICO 17- ARCO MÉDIO 18 – BORDO CARD E 19 – AORTA DESCEND
  5. 5. ANATOMIA RADIOLÓGICA Incidência póstero-anterior (PA) Transparencia igual entre os dois lados 1 – Traquéia 2 – Clavícula 3 – Arco costal posterior 4– Aorta ascendente 5- Seio direito 6 – Bolha gástrica 7 – Diafragma E 8 – Ventrículo E 9 – Aorta descendente 10 – Hilo Esquerdo 11-Lobo superior esquerdo
  6. 6. INCIDÊNCIA EM PERFIL: 1- HEMIDIAFRAGMA DIREITO 2- HEMIDIAFRAGMA ESQUERDO 3- ÁREA CARDÍACA – Projeção de lobo médio e língula 4- AR NO ESTÔMAGO 5- GRANDE CISURA/OBLÍQUA 6- ESPAÇO RETROESTERNAL 7- HILOS SUPERPOSTOS
  7. 7. ANATOMIA RADIOLÓGICA – Incidência de perfil Transparencia igual entre os dois lados 8 – Ventrículo E 9 – Aorta 12 – Aurícula E 13– Ventrículo direito 14- Hilos 15 – Corpo vertebral 16 – Seio costofrênico posterior
  8. 8. CRITÉRIOS DE QUALIDADE Totalidade do tórax (sempre incluir os seios costodiafragmáticos) Inspiração máxima (diafragma abaixo do bordo inferior 9ª. costela) Mesmo espaço clavículas – apófise espinhosa. Exposição correta: Vasculatura visível – coração “transparente”
  9. 9. MÁ TÉCNICA RADIOLÓGICA A RADIOGRAFIA DEVE SER FEITA EM INSPIRAÇÃO MÁXIMA EXPIRADA Diafragma acima da 8a costela posterior
  10. 10. MÁ TÉCNICA RADIOLÓGICA •Campos pulmonares muito escuros por excesso de exposição •Desenho vertebral visível através da imagem cardíaca •Não se visualizam as marcas broncovasculares PENETRAÇÃO EXCESSIVA
  11. 11. MÁ TÉCNICA RADIOLÓGICA •Campos pulmonares brancos •Visualização excessiva das sombras bronco- vasculares •Diminuição das diferenças de densidade POUCA PENETRAÇÃO = EXPOSIÇÃO INSUFICIENTE
  12. 12. AVALIAÇÃO SETORIAL Partes moles
  13. 13. AVALIAÇÃO SETORIAL Partes ósseas
  14. 14. AVALIAÇÃO SETORIAL Partes ósseas
  15. 15. NORMAL Abaixo da 10ª.costela POR QUE CONTAR AS COSTELAS? SINAL DE HIPERINSUFLAÇÃO 10ª. costela
  16. 16. TÉCNICA RADIOLÓGICA: RX NO LEITO – LADO DIREITO OU ESQUERDO? PONTOS DE REFERÊNCIA: .IDENTIFICAÇÃO .Perfil do coração .Bolha gástrica .Botão aórtico .Diafragma
  17. 17. Mediastino Diâmetro mediastino normal – cabe entre as clavículas
  18. 18. ALARGAMENTO HILAR 1. Bocelado = gânglio 2. Formato de vaso = artéria pulmonar 3. Alargamento irregular = tumor brônquico 4. Veias pulmonares – raramente alteradas 5. O DIÂMETRO NORMAL DO HILO É MENOR QUE O DIÂMETRO DA TRAQUÉIA
  19. 19. PERFIL DO CORAÇÃO
  20. 20. ÍNDICE CÁRDIO-TORÁCICO
  21. 21. AUMENTO EVIDENTE DA ÁREA CARDÍACA
  22. 22. AUMENTO DA ÁREA CARDÍACA (?)
  23. 23. ROTINA PARA INTERPRETAÇÃO DE RADIOGRAFIA DE TÓRAX: • Sempre solicitar incidência de frente e perfil • Avaliar a técnica e a penetração • Observar partes moles • Observar partes ósseas – contar espaços IC • Posição do diafragma; SCardioF e SCostoF • Observar mediastino e área cardíaca • Observar hilos • Observar parênquima pulmonar por último
  24. 24. PADRÕES RADIOLÓGICOS ANORMAIS: OPACIDADES= AUMENTO DA DENSIDADE DO CONTEÚDO DO TÓRAX = COR CLARA HIPERTRANSPARÊNCIAS = DIINUIÇÃO DA DENSIDADE DO CONTEÚDO DO TÓRAX = COR ESCURA
  25. 25. NODULO MASSA NODULOS MULTIPLOS DERRAME PLEURAL CAVIDADES ALARGAMENTO HILAR ALARGAMENTO MEDIASTINO HIPERTRANSPARENCIA BILATERAL CONDENSAÇÃO ATELECTASIA DOENÇA DIFUSA PADRÕES RADIOLÓGICOS ANORMAIS
  26. 26. PADRÃO ACINAR: Condensação ou Consolidação •Opacidade de cor irregular •Pode ser bilateral •Bordos mal delimitados •Bordos delimitados apenas nas cisuras, às vezes •Presença de broncograma aéreo •Sinal da silhueta freqüente •Etiologias variadas: pneumonia causa mais comum
  27. 27. CONDENSAÇÃO COM BRONCOGRAMA AÉREO OS BRÔNQUIOS ESTÃO CHEIOS DE AR, ENVOLVIDOS PELA CONDENSAÇÃO, TORNANDO-SE VISÍVEL O DESENHO DOS MESMOS, DENTRO DA CONDENSAÇÃO PADRÃO ACINAR:
  28. 28. Padrões Radiológicos Nódulo Pulmonar • < 3cm diâmetro • Redondo ou oval • Homogênea • Limites bem definidos • Único ou múltiplo • Presença de calcificações • Presença de cavitações
  29. 29. • Várias opacidades nodulares • Menores de 3 cm • Homogêneas e/ou heterogêneas (côr) • Tamanhos semelhantes ou variados • Podem calcificar • Podem cavitar • Podem coalescer Padrões Radiológicos Nódulos Pulmonares Múltiplos
  30. 30. • Várias opacidades nodulares • Menores de 3 cm • Homogêneas e/ou heterogêneas (côr) • Tamanhos semelhantes ou variados • Podem calcificar • Podem cavitar • Podem coalescer Padrões Radiológicos Nódulos Pulmonares Múltiplos
  31. 31. MASSAS •Hipotransparência regular •Diâmetro maior que 3 cm •Cercada por parênquima pulmonar normal •Pode calcificar •Pode cavitar Meta colon Paracoccidioidomicose Carcinoma broncogênico Abscesso pulmonar PADRÕES RADIOLÓGICOS
  32. 32. ATELECTASIA 1. Opacidade c / diminuição de volume 2. Desvio do mediastino para o lado da atelectasia 3. Desvio da traquéia p/ a atelectasia 4. Desvio dos hilos idem 5. Desvio das cisuras idem 6. Elevação do diafragma PADRÕES RADIOLÓGICOS:
  33. 33. TIPOS DE ATELECTASIA 1 – OBSTRUTIVA: Tumor Corpo estranho Rolha de secreção 2 – POR DESTRUIÇÃO: Tuberculose, etc. 3 – POR COMPRESSÃO (laminar) Bolhas, tumores Diafragma elevado 4 – FALTA DE SURFACTANTE Embolia pulmonar, SARA
  34. 34. DERRAME PLEURAL •Opacidade de cor uniforme •Não se vê angulo costofrênico e/ou cardiofrênico •Não se vê o contorno do diafragma •Linha superior côncava ou parabólica •Desvio do mediastino p/ o lado oposto •Elevação do diafragma PADRÕES RADIOLÓGICOS
  35. 35. DERRAME PLEURAL DECÚBITO LATERAL COM RAIOS HORIZONTAIS: Incidência de Laurell DERRAME SUBPULMONAR
  36. 36. HIPERTRANSPARÊNCIAS: •CAVIDADES COM LÍQUIDO EM SEU INTERIOR •CAVIDADES SEM LÍQUIDO EM SEU INTERIOR •PNEUMOTÓRAX
  37. 37. •Presença de linha horizontal que delimita opacidade inferior de hipertransparência superior •nível hidroaéreo ou nível líquido) •Imagem arredondada com halo de hipotransparência LESÕES CAVITÁRIAS COM LÍQUIDO EM SEU INTERIOR
  38. 38. LESÕES CAVITÁRIAS SEM LÍQUIDO EM SEU INTERIOR Neoplasia Tuberculose Bolha enfisema
  39. 39. HIPERTRANSPARÊNCIA UNILATERAL- PNEUMOTÓRAX •Hipertransparência unilateral, rara bilateral •Aumento do volume do hemitórax c/ rebaixamento do diafragma •Linha tênue delimitando o colabamento pulmonar •Opacidade sobre o hilo (colabamento pulmonar)
  40. 40. HIPERTRANSPARÊNCIA BIILATERAL •Os campos pulmonares ficam escuros •Rebaixamento do diafragma •Horizontalização das costelas posteriores •Contorno do diafragma ondeado •Coração em gôta •Causas: Doenças obstrutivas: DPOC, asma, bronquiolite
  41. 41. HIPERTRANSPARÊNCIA BILATERAL •Aumento do espaço antecardíaco ou retroesternal •Aumento do diâmetro antero-posterior do tórax •Retificação e inversão do diafragma
  42. 42. ALARGAMENTO HILAR UNILATERAL Tuberculose Linfoma
  43. 43. Padrões Radiológicos Alargamento hilar bilateral • Linfoma • Tuberculose • ICC • Sarcoidose • Hipertensão Pulmonar • Neoplasias O diâmetro do hilo é maior que o diâmetro da traquéia.
  44. 44. Padrões Radiológicos Alargamento mediastinal anterior • Tireóide torácica • Timoma • Teratoma • Linfoma • ICC • Sarcoidose • Neoplasias O mediastino não cabe entre as clavículas
  45. 45. Mediastino Anterior Massa mediastinal anterior esquerda, apontada pelas setas, obliterando o espaço retroesternal. Este aspecto pode ser encontrado em teratomas ou linfomas. O diagnóstico neste caso foi de doença de Hodgkin.
  46. 46. Mediastino Médio Massa mediastino médio a direita, confirmada como cisto pericárdico.
  47. 47. Mediastino Posterior Massa mediastinal posterior direita (setas) em criança de cinco anos: ganglioneuroma.
  48. 48. Mediastino e Hilos Massa mediastinal média. Linfoma não-Hodgkin.
  49. 49. Padrão alvéolo-intersticial c/ predomínio alveolar 1. Opacidades bilaterais 2. Limites imprecisos 3. Hipotransparência não-homogênea 4. Presença de broncograma aéreo 5. Marcas bronco- vasculares menos evidentes que a hipotransparência Opacidades Difusas
  50. 50. PADRÃO INTERSTICIAL PREDOMINANTE OPACIDADES DIFUSAS 1. Bilateral 2. Sem broncograma aéreo 3. Evidencia bem as marcas broncovasculares
  51. 51. PADRÃO INTERSTICIAL PREDOMINANTE - ICC OPACIDADES DIFUSAS 1. Bilateral 2. Sem broncograma aéreo 3. Evidencia bem as marcas broncovasculares
  52. 52. PADRÃO INTERSTICIAL PREDOMINANTE – FIBROSE PULMONAR IDIOPÁTICA OPACIDADES DIFUSAS 1. Bilateral 2. Sem broncograma aéreo 3. Evidencia bem as marcas broncovasculares
  53. 53. NODULO MASSA NODULOS MULTIPLOS DERRAME PLEURAL CAVIDADES ALARGAMENTO HILAR ALARGAMENTO MEDIASTINO HIPERTRANSPARENCIA BILATERAL CONDENSAÇÃO ATELECTASIA DOENÇA DIFUSA PADRÕES RADIOLÓGICOS ANORMAIS

×