O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Propedeutica ira irc 2016

1.384 visualizações

Publicada em

Aula de Insuficiencia Renal Aguda e Crônica da Disciplina de Clínica Médica l do Curso de Medicina da Unilus

Publicada em: Saúde e medicina
  • Seja o primeiro a comentar

Propedeutica ira irc 2016

  1. 1. AVALIAÇÃO PROPEDÊUTICA DOS PACIENTES COM INSUFICIÊNCIA RENAL Prof. Dr. Virgílio Aguiar 2016
  2. 2. INSUFICIÊNCIA RENAL AGUDA
  3. 3. • Os rins são órgãos excretores localizados na parede retroperitoneal, que tem a função de eliminar através da urina substâncias em excesso ou nocivas a partir do metabolismo
  4. 4. Funções Renais • Regulação do volume e composição dos fluidos corporais • Excreção de produtos do metabolismo celular • Produção de enzimas e hormônios: -Eritropoetina -Calcitriol (1,25 di-hidroxivitamina D) -Renina • Função tubular: Reabsorção Secreção Túbulo proximal Alça de Henle (Contracorrente e concentração) rinária, Bomba Na K 2Cl) Túbulo distal Túbulo coletor
  5. 5. Insuficiência Renal Aguda DEFINIÇÃO:  Perda súbita da função renal  Retenção dos produtos catabólicos  Volume urinário variável  Agentes nefrotóxicos e isquêmicos.
  6. 6. INSUFICIÊNCIA RENAL AGUDA Qualquer diminuição súbita da função renal 2/3 apresentam oligúria AKIN define IRAg como redução da função renal em até 48 h, c/ aumento absoluto da creatinina > 0,3 , ou em % >50%, ou ainda pela redução do débito urinário a níveis inferiores a 0,5 ml/kg/h, em 6h Agudização em paciente c/ insuficiência renal crônica: Creatinina > 4, com aumento recente de 0,5 (em 6 h)
  7. 7. Principais causas da I Renal Aguda • Suprimento sanguíneo insuficiente aos rins. • Obstrução do fluxo urinário. • Lesões no interior do rim.
  8. 8. Insuficiência Renal Aguda CLASSIFICAÇÃO: a) Pré – Renal: Diminuição do Fluxo Sangüíneo Renal (vasoconstrição ou pressão perfusão renal baixa)  depleção volume (hemorragias, queimaduras)  doenças cardíacas (ICC)  vasodilatação periférica (sepse)  >resistência vascular renal : (cirurgias, síndrome hepatorrenal, antiinflamatório não
  9. 9. Insuficiência Renal Aguda CLASSIFICAÇÃO Pós – Renais: Obstrução do Fluxo Urinário obstrução ureteral (cálculos, coágulos). obstrução colo vesical (hiperplasia próstata). obstrução uretral (cálculos).
  10. 10. Insuficiência Renal Aguda CLASSIFICAÇÃO Renais  vasculares (oclusão da artéria renal).  glomerulares (GNDA).  tubulares: Isquêmicas (pré renais em evolução). Tóxicas (antibióticos, anestésicos, contrastes radiológicos, metais pesados).
  11. 11. Insuficiência Renal Aguda CLASSIFICAÇÃO Renais Nefrite intersticial (hipersensibilidade a drogas Ex.: penicilina). necrose papilar (pielonefrite aguda – associada ao Diabete Mellitus).
  12. 12. Insuficiência Renal Aguda INCIDÊNCIA (tipos de lesão) NTA: Necrose Tubular Aguda 62% ⇒ isquêmicas – 72% tóxicas – 28% 22% ⇒ glomerulonefrite aguda 6% ⇒ nefrites intersticiais 5% ⇒ necrose cortical
  13. 13. Insuficiência Renal Aguda INCIDÊNCIA (relativa à diurese) NTA: Necrose Tubular Aguda Geralmente Oligúricas ⇒ 74% Mortalidade ⇒ 40% - oligúrica 11% - não oligúrica
  14. 14. Insuficiência Renal Aguda – Evolução
  15. 15. INSUFICIÊNCIA RENAL AGUDA Sinais e Sintomas • Os sintomas dependem da gravidade da insuficiência renal, de sua velocidade de progressão e de sua causa básica. Fraqueza , cansaço Anorexia, náuseas e vômitos Hálito urêmico (de urina) Dificuldades para urinar , com oligúria ou anúria Urina com espuma e cor escura ou avermelhada Poliúria (na fase de recuperação) Ritmo respiratório acidótico (Kussmaul) Alterações do sensório (coma urêmico) Inchaço (edema) de rosto, pés ou pernas Anasarca
  16. 16. SÍNDROME NEFRÍTICA Edema Cefaléia, tonturas Olígúria Urina escura (cor de mate ou de Coca-cola) Hipertensão arterial Hematúria
  17. 17. SÍNDROME NEFRÓTICA Edemas, desde facial até anasarca Sintomas da doença de base Sintomas de insuficiência renal crônica Risco aumentado para T V
  18. 18. Insuficiência Renal Aguda ALTERAÇÕES HIDRÍCAS Diurese menor que 0,5 – 0,6 mL/Kg/hora Na insuficiência renal aguda o balanço hídrico torna-se rapidamente positivo
  19. 19. Insuficiência Renal Aguda ALTERAÇÕES ELETROLÍTICAS Balanço de Sódio  Oligúria: expansão de volume HAS insuficiência cardíaca  Poliúria: hipotensão (↓ de volume).
  20. 20. Insuficiência Renal Aguda ALTERAÇÕES ELETROLÍTICAS Balanço de Potássio  Hipercalemia: ↑ catabolismo protéico Dano tissular Sangramento do TGI Saída de K para o meio extracelular provocando arritmias cardíacas
  21. 21. Insuficiência Renal Aguda ALTERAÇÕES ELETROLÍTICAS Balanço de Ca/ P  Hipocalcemia – mais frequente na IRC. Balanço de Fósforo  Hiperfosfatemia. (Idem acima)
  22. 22. Complicações da Insuficiência Renal Aguda CARDIOVASCULARES  edema pulmonar  arritmias  hipertensão arterial  derrame pericárdico  infarto do miocárdio  embolia pulmonar
  23. 23. Complicações da Insuficiência Renal Aguda GASTROINTESTINAIS  náuseas  vômitos  gastrite  úlcera gastroduodenal  hemorragia  desnutrição
  24. 24. Diagnóstico
  25. 25. Complicações da Insuficiência Renal Aguda NEUROLÓGICAS  asterixis (flapping)  irritabilidade neuromuscular  alterações do estado mental  sonolência  convulsões  coma
  26. 26. Complicações da Insuficiência Renal Aguda HEMATOLÓGICAS – mais presentes na IRC  anemia  diátese hemorrágica INFECCIOSAS  pneumonia  septicemia  infecção urinária  infecção de ferida
  27. 27. INSUFICIÊNCIA RENAL Diagnóstico Através da quantidade de urina diária e da concentração de creatinina no sangue. Exames laboratoriais, físicos e de diagnóstico por imagem investigam a etiologia.
  28. 28. Medida da diurese
  29. 29. Insuficiência Renal Aguda COMO QUANTIFICAR a ALTERAÇÃO DA FUNÇÃO RENAL ?
  30. 30. Critério de Classificação de RIFLE p/ INSUFICIENCIA RENAL AGUDA Crit Care 2004, 8:B204
  31. 31. Classificação AKIN (Acute Kidney Injury Network) Crit Care 2007, 11:R31
  32. 32. RIFLE: Risk, Injury, Failure, Lesion <3 m, End >3 m R= Cr >1,5 ; Diurese <0,5 ml/kg/h em 6 h I = Cr > 2 ; Diurese idem anterior em 12 h F = Cr 3 ; Diurese idem anterior em 24 h ou anúria AKIN Acute Kidney Injury Network Creatinina aumenta de 0,3 ou mais em 48 horas Creatinina aumenta de mais de 50% Diurese menor que 0,5 ml/Kg/h em 6 h
  33. 33. Insuficiência Renal Aguda
  34. 34. Insuficiência Renal Aguda CURSO CLÍNICO Fase Inicial: a partir do momento da exposição a droga ou insulto isquêmico. Fase Manutenção (oligúrica): variável em grau e duração do volume urinário. Normalmente a urina apresenta:  500 mL  Hemácias  Leucócitos  Células epiteliais  Perda protéica pequena
  35. 35. Insuficiência Renal Aguda CURSO CLÍNICO Fase Recuperação: rápida elevação do volume urinário por incapacidade tubular de reabsorver Sódio e água.  Azotemia continua  Aumento do volume urinário (200 mL/dia)  Diálise pode ser necessária! Recuperação funcional: após vários dias de diurese normal e redução gradual de uréia e creatinina plasmática.
  36. 36. Insuficiência Renal Crônica
  37. 37. CONCEITO Lesão progressiva e irreversível dos rins, com alterações: Glomerulares Tubulares Da função endócrina renal Sempre existe: Alteração da taxa de filtração glomerular Presença de lesão parenquimatosa progressiva
  38. 38. INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA Sinais e Sintomas • Os sintomas dependem da gravidade da insuficiência renal, de sua velocidade de progressão e de sua causa básica. Fraqueza , cansaço, anemia Anorexia, náuseas e vômitos Soluços Prurido Hipertensão arterial Hemorragia digestiva (Gastrite urêmica) Inchaço (edema) de rosto, pés ou pernas /Anasarca Dificuldades para urinar , nictúria Oligúria ,anúria ou poliúria Hematúria ocasionalmente Urina com espuma e cor escura ou avermelhada Ritmo respiratório acidótico (Kussmaul) Alterações neurológicas (polineurite) Alterações do sensório (coma urêmico)
  39. 39. Síndrome Urêmica Neurológica Central • Sonolência, coma • Alteração ativ. cognitiva • Perda memória •Tremores, mioclonias •Convulsão • desorientação, confusão • Apnéia do sono Cardiovascular • Aterosclerose acelerada • Miocardiopatia • Pericardite Hematológica • Anemia • Quimiotaxia neutrofílica • Alt. função linfócitos • Diátesis hemorrágica • Disfunção plaquetária Neurológica Periférica • Neuropatia sensomotora • Disestesias • Soluço • Pernas inquietas • Fadiga muscular Oftámica • Calcificações conjuntival • Calcificações corneal Endocrinológica • Hiperparatireoidismo secundário • Intolerância aos carbohidratos • Resistência insulínica • Dislipemias • Metab. tirocino periférico alterado • Atrofia testicular • Disfunção ovariana • Amenorréia, dismenorréia Pulmonar • Edema pulmonar • Pneumonite • Pleurite fibrinosa Gastrintestinal • Anorexia, náuseas e vômitos • Estomatite, gengivite • Parotidite • Gastrite, duodenite, úlcera pética Dermatológica • Prurido • Calcificação distrófica • Alt. pigmentação • Cabelo seco, quebradiço
  40. 40. Diagnóstico • Exames laboratoriais: - Aumento sérico da uréia e creatinina - Anemia - Diminuição da concentração de cálcio - Aumento da concentração de fosfato - Aumento da concentração de paratormônio - Diminuição da concentração de vitamina D - Concentração de potássio discretamente aumentada - Aumento da acidez do sangue (acidose)
  41. 41. INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA
  42. 42. INSUFICIENCIA RENAL CRONICA
  43. 43. INSUFICIENCIA RENAL CRÔNICA
  44. 44. INSUFICIENCIA RENAL CRÔNICA
  45. 45. • Estágio 1 - Pacientes com clearance de creatinina maiores que 90 ml/min, porém com alguma doença como diabetes, hipertensão etc... • Estágio 2 - Pacientes com clearance de creatinina entre 60 e 89 ml/min. Chamada de fase de pré-insuficiência renal onde há pequenas perdas na função renal. • Estágio 3 - Pacientes com clearance de creatinina entre 30 e 59 ml/min. Esta é a fase de insuficiência renal crônica declarada. • Estágio 4 - Pacientes com clearance de creatinina entre 15 e 29 ml/min. Está é a fase pré-diálise onde os primeiros sintomas começam a aparecer. • Estágio 5 - Pacientes com clearance de creatinina menor que 15 ml/min. Está é a chamada fase de insuficiência renal terminal.
  46. 46. ESTÁDIO DA DOENÇA X SINTOMAS
  47. 47. Principais Causas: - Hipertensão arterial - Diabetes mellitus - Doença policística renal - Glomerulonefrites - Infecções urinárias de repetição - Cálculos renais de repetição - Doenças da próstata - Abuso de anti-inflamatórios - Distúrbios autoimunes
  48. 48. Tratamento • A insuficiência renal crônica geralmente piora independentemente do tratamento. As causas da insuficiência renal devem ser corrigidas o mais rapidamente possível, com ações que incluem a correção dos desequilíbrios de sódio, de água e ácido-básicos, a remoção de substâncias tóxicas dos rins, o tratamento da insuficiência cardíaca, da hipertensão arterial, das infecções e da concentração sanguínea elevada de potássio. Uma dieta pobre em proteínas e rica em vitaminas do grupo B e C podem retardar o processo da insuficiência renal.
  49. 49. Tratamento • Até que os rins estejam funcionando somente 10-12% da função renal normal, pode-se tratar os pacientes com medicamentos e dieta. Quando a função renal se reduz abaixo destes valores, torna-se necessário o uso de outros tratamentos como: diálise ou transplante do rim.
  50. 50. Diálise Peritoneal
  51. 51. Hemodiálise
  52. 52. Cateter temporário para hemodiálise
  53. 53. ACESSO VASCULAR PARA HEMODIÁLISE

×