LES
3ª parte
Comprometimento do sistema
digestório
Vasculite abdominal:
a) Pancreatite
b) Vasculite mesentérica ou isquemia intestinal
...
Comprometimento ocular
Conjuntivite
Uveíte
Vasculite retiniana
Diagnóstico
Critérios diagnósticos do LES
Na tabela a seguir estão os critérios do Colégio Americano de Reumatologia
de 19...
7. Desordem renal: Proteína na urina maior do que 500mg por dia ou
+++ em exame comum; cilindros de hemácias, granulosos, ...
A presença de 4 ou mais critérios qualifica o
diagnóstico de Lúpus Eritematoso Sistêmico.
Testes laboratoriais
Hemograma
VHS
PCR
Urina I
Proteinúria de 24 horas
Uréia/creatinina
Clearence de creatinina
Eletrofore...
 FAN (fator antinuclear) é o mais freqüente.
 Anti-dsDNA é sinal de doença ativa e geralmente
com doença renal.
 Anti-S...
 Anti Ro (SSA): Associação com síndrome de
Sjogren lupus subagudo e lupus neonatal
 Anti La (SSB): associação com Síndro...
1-TRATAMENTO NÃO MEDICAMENTOSO
2-TRATAMENTO MEDICAMENTOSO
TRATAMENTO
1-Proteção solar
2-Dieta
3-Atividade física
4-Tratamento adequado da Hipertensão
arterial
5-Tratamento de dislipidemia
Tra...
Tratamento
Mesmo havendo protocolos internacionais para o tratamento de
doenças complexas como o LES, cada paciente tem a ...
Os medicamentos utilizados podem provocar efeitos colaterais
importantes e devem ser manejados por profissionais
experient...
Tratamento Medicamentoso do Lúpus
Eritematoso Sistêmico:
Anti-inflamatórios não esteróides: Sintomáticos
Antimaláricos: Ra...
Les 14 3ª parte
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Les 14 3ª parte

226 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
226
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Les 14 3ª parte

  1. 1. LES 3ª parte
  2. 2. Comprometimento do sistema digestório Vasculite abdominal: a) Pancreatite b) Vasculite mesentérica ou isquemia intestinal Hepatomegalia Esplenomegalia Peritonite aguda/crônica
  3. 3. Comprometimento ocular Conjuntivite Uveíte Vasculite retiniana
  4. 4. Diagnóstico Critérios diagnósticos do LES Na tabela a seguir estão os critérios do Colégio Americano de Reumatologia de 1982 modificados em 1997. 1. Erupção malar: Eritema fixo plano ou elevado sobre as regiões malares e dorso do nariz. 2. Lesão discóide:Placas eritematosas com escamação aderente,comprometimento dos pelos e cicatrização com atrofia. 3. Foto-sensibilidade:Erupção cutânea que aparece após exposição à luz solar. 4.Úlceras orais: Ulceração de nasofaringe ou boca vista por médico. 5.Artrite: Não erosiva comprometendo duas ou mais articulações periféricas. 6. Serosite: Pleurite documentada por médico; pericardite documentada por ECG ou médico.
  5. 5. 7. Desordem renal: Proteína na urina maior do que 500mg por dia ou +++ em exame comum; cilindros de hemácias, granulosos, tubulares ou mistos. 8.Desordem neurológica: Convulsões ou psicose na ausência de outra causa. 9.Desordens hematológicas: Anemia hemolítica, menos de 4000 leucócitos/mm3 em 2 ou mais ocasiões, menos de 1500 linfócitos/mm3 em 2 ou mais ocasiões, menos de 100.000 plaquetas/mm3 na ausência de outra causa. 10.Desordens imunológicas:a)Anti-DNA positivo ou b)anti-Sm positivo ou c) Anticorpo antifosfolípide (+) baseado em (I) Aumento sérico de anticardiolipina IgG ou IgM II) Anticoagulante lúpico positivo ou III)falso teste positivo para lues (sífilis) por mais de 6 meses com FTA-ABS normal. 11.FAN positivo: Na ausência de uso das drogas que podem induzir lúpus.
  6. 6. A presença de 4 ou mais critérios qualifica o diagnóstico de Lúpus Eritematoso Sistêmico.
  7. 7. Testes laboratoriais Hemograma VHS PCR Urina I Proteinúria de 24 horas Uréia/creatinina Clearence de creatinina Eletroforese de proteínas
  8. 8.  FAN (fator antinuclear) é o mais freqüente.  Anti-dsDNA é sinal de doença ativa e geralmente com doença renal.  Anti-Sm não é muito freqüente mas, quando presente, confirma o diagnóstico.  Antinucleossomo apresenta boas correlações com os níveis de anti-DNA e a atividade renal.  C3 e C4 AUTO-ANTICORPOS
  9. 9.  Anti Ro (SSA): Associação com síndrome de Sjogren lupus subagudo e lupus neonatal  Anti La (SSB): associação com Síndrome de Sjogren  Anti-RNP  Anti P ribossomal:Associado a psicose lúpica  Anti-histona: Associado a lupus induzido por drogas AUTO-ANTICORPOS
  10. 10. 1-TRATAMENTO NÃO MEDICAMENTOSO 2-TRATAMENTO MEDICAMENTOSO TRATAMENTO
  11. 11. 1-Proteção solar 2-Dieta 3-Atividade física 4-Tratamento adequado da Hipertensão arterial 5-Tratamento de dislipidemia Tratamento não farmacológico
  12. 12. Tratamento Mesmo havendo protocolos internacionais para o tratamento de doenças complexas como o LES, cada paciente tem a sua história. Sabemos qual o melhor medicamento para cerebrite, nefrite, dermatite, mas os resultados são individuais. O tratamento do lúpus não é um esquema pronto para ser executado e as características de cada caso ditarão o que se deve fazer.
  13. 13. Os medicamentos utilizados podem provocar efeitos colaterais importantes e devem ser manejados por profissionais experientes. Os pacientes devem estar alertas para os sintomas da doença e para as complicações que, embora raras, podem aparecer. Se forem prontamente manejadas é muito mais fácil solucioná-las.
  14. 14. Tratamento Medicamentoso do Lúpus Eritematoso Sistêmico: Anti-inflamatórios não esteróides: Sintomáticos Antimaláricos: Rashes, artrite Corticosteroides: em crises severas e para tratamento de manutenção (baixas doses) Drogas imunossupressoras (azatioprina, methotrexate, ciclofosfamida, etc):em crises severas (junto com corticosteróides) Tratamentos adicionais: para hipertensão,infecção, lupus cerebral,trombose,desordens hematológicas.

×