O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.
Propedêutica de abdome II
DISCIPLINA DE CLÍNICA
MÉDICA I
2015
Alambert, PA
Exame Físico de
Fígado,Vesícula Biliar e Baço
PROPEDEUTICA DE ABDOME II
Propedêutica Física do Fígado
• INSPEÇÃO
• PALPAÇÃO
• PERCUSSÃO
• AUSCULTA
INSPEÇÃO
• Abaulamento em toda a área de projeção hepática:
hepatomegalias
• Imobilidade respiratória nas grandes hepatome...
Hepatomegalia
Palpação
• 1-Palpação “em garra” ou Processo de Mathieu
• 2-Palpação hepática “bimanual” ou Processo de
Lemos Torres
• Obj...
Processo de Mathieu
• As mãos paralelas,no abdome,dispostas com os
dedos “em garra”,pesquisando,desde a fossa ilíaca
direi...
Processo de Mathieu
Processo de Mathieu
Processo de Lemos Torres
• A mão esquerda do examinador é utilizada na tração
anterior enquanto a direita palpa buscando a...
Processo de Lemos Torres
Percussão do Fígado
 1-Delimita o limite superior do fígado (5º EICD)
 2-A macicez absoluta marca o contato direto do fí...
Percussão do Fígado
Ausculta do Fígado
• AtritoInflamação fibrinosa da cápsula de Glisson e
do peritônio correspondente nos processos
inflama...
Propedêutica Física da VesículaPropedêutica Física da Vesícula
BiliarBiliar
• INSPEÇÃO
• PALPAÇÃO
INSPEÇÃO DA VESÍCULA
BILIAR
 Normalmente, a vesícula biliar não é visível à
inspeção da parede anterior do abdome.
 A ve...
Palpação da Vesícula Biliar
• 1-A vesícula normal é impalpável e somente se torna
palpável quando obstruída e distendida p...
Sinal de Murphy
Após expiração, o examinador aprofunda a mão ou o polegar na junção do
Rebordo costal com o reto abdominal...
Sinal ou regra de Courvoisier-Terrier
 Ocorre quando em um paciente ictérico,ao
palparmos o hipocôndrio direito encontram...
Sinal ou regra de Courvoisier-Terrier
Propedêutica Física do Baço
• INSPEÇÃO
• PALPAÇÃO
• PERCUSSÃO
• AUSCULTA
INSPEÇÃO DO BAÇO
• 1-Em condições normais não há abaulamento na área
esplênica
• 2-Nas esplenomegalias o abaulamento no
hi...
INSPEÇÃO DO BAÇO
PALPAÇÃO DO BAÇO
• 1-Palpação “em garra” ou Processo de Mathieu-
Cardarelli
• 2-Processo bimanual
• 3-Posição de Schuster
...
Processo de Mathieu-Cardarelli
O examinador fica à esquerda do paciente;com as mãos “em garra”,, a cada
Inspiração,e a bor...
Processo bimanual
Posição de Schuster
Percussão do Baço
• O baço não é percutível
• Todo baço que se mostra percutível está aumentado
de volume, o que nem sempr...
Percussão do Baço
AUSCULTA DO BAÇO
• Atrito nas peri-esplenites
Obrigado pela
Atenção!!!
Propedêutica física renal
• PALPAÇÃO RENAL: Normalmente não são
palpáveis, mas podem ser em condições patológicas
como a h...
Método de Guyon
 Com o paciente em decúbito dorsal, para se
examinar o rim direito põe-se a mão esquerda na
região dorsal...
Método de Guyon
Manobra de Israel
• Paciente em decúbito lateral e membros superiores
por a cabeça e rim tentando ser palpado
anteroposter...
Manobra de Israel
Método de Goelet
• Com o paciente em ortostase, flete-se o joelho do
lado que deseja-lhe palpar, apoiando-se sobre uma
cad...
Método de Goelet
Teste da hipersensibilidade renalTeste da hipersensibilidade renal
 Pesquisado através da punho percussão (manobra
de per...
Teste da hipersensibilidade renalTeste da hipersensibilidade renal
PALPAÇÃO DA AORTAPALPAÇÃO DA AORTA
ABDOMINALABDOMINAL
A direção da pulsação
indica se ela é
oriunda diretamente
da aorta (...
Terminou!!!Terminou!!!
Obrigado pela atençãoObrigado pela atenção
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Abdome ll

4.472 visualizações

Publicada em

Semiologia do Fígado, Baço,Vesícula e Vias Biliares

Publicada em: Saúde e medicina
  • Seja o primeiro a comentar

Abdome ll

  1. 1. Propedêutica de abdome II DISCIPLINA DE CLÍNICA MÉDICA I 2015 Alambert, PA
  2. 2. Exame Físico de Fígado,Vesícula Biliar e Baço PROPEDEUTICA DE ABDOME II
  3. 3. Propedêutica Física do Fígado • INSPEÇÃO • PALPAÇÃO • PERCUSSÃO • AUSCULTA
  4. 4. INSPEÇÃO • Abaulamento em toda a área de projeção hepática: hepatomegalias • Imobilidade respiratória nas grandes hepatomegalias
  5. 5. Hepatomegalia
  6. 6. Palpação • 1-Palpação “em garra” ou Processo de Mathieu • 2-Palpação hepática “bimanual” ou Processo de Lemos Torres • Objetivo:descrever as características do limite inferior:borda fina? granulosa? “em saco de batatas? Cortante?romba? dura? mole? dolorosa? indolor?
  7. 7. Processo de Mathieu • As mãos paralelas,no abdome,dispostas com os dedos “em garra”,pesquisando,desde a fossa ilíaca direita,a borda inferior do fígado durante as inspirações.
  8. 8. Processo de Mathieu
  9. 9. Processo de Mathieu
  10. 10. Processo de Lemos Torres • A mão esquerda do examinador é utilizada na tração anterior enquanto a direita palpa buscando a borda hepática.
  11. 11. Processo de Lemos Torres
  12. 12. Percussão do Fígado  1-Delimita o limite superior do fígado (5º EICD)  2-A macicez absoluta marca o contato direto do fígado com a parede torácica.  3-Timpanismo 1:Sinal de Jobertperfuração gastro- intestinal ou da vesícula biliar.  4-Timpanismo 2:Inter-posição de uma porção do colo transverso entre o fígado e o gradeado costal.  5-Dor à percussão:hepatomegalias ou abscesso hepático (Sinal de Torres-Homem)
  13. 13. Percussão do Fígado
  14. 14. Ausculta do Fígado • AtritoInflamação fibrinosa da cápsula de Glisson e do peritônio correspondente nos processos inflamatórios ou neoplásicos do parênquima hepático,ou fazendo parte da peritonite genealizada.
  15. 15. Propedêutica Física da VesículaPropedêutica Física da Vesícula BiliarBiliar • INSPEÇÃO • PALPAÇÃO
  16. 16. INSPEÇÃO DA VESÍCULA BILIAR  Normalmente, a vesícula biliar não é visível à inspeção da parede anterior do abdome.  A vesícula em condições patológicas é raramente visível, somente na distensão pronunciada em casos de empiema,colecistite aguda.Aparece como tumor móvel com os movimentos respiratórios,ocupando a situação da sua projeção anatõmica.
  17. 17. Palpação da Vesícula Biliar • 1-A vesícula normal é impalpável e somente se torna palpável quando obstruída e distendida pela bile • 2-Sinal de Murphy • 3-Lei de Courvoisier-Terrier
  18. 18. Sinal de Murphy Após expiração, o examinador aprofunda a mão ou o polegar na junção do Rebordo costal com o reto abdominal e , na inspiração, observa-se se ocorrerá a parada na inspiração.
  19. 19. Sinal ou regra de Courvoisier-Terrier  Ocorre quando em um paciente ictérico,ao palparmos o hipocôndrio direito encontramos uma massa ovalada ,que é a vesícula biliar distendida que se torna palpável por efeito de massa de neoplasia de vias biliares extra-hepáticas- tumores periampulares (principalmente câncer de cabeça de pancreas).  Portanto,a presença de icterícia associada a vesícula palpável constitui a regra de Courvoisier-Terrier.
  20. 20. Sinal ou regra de Courvoisier-Terrier
  21. 21. Propedêutica Física do Baço • INSPEÇÃO • PALPAÇÃO • PERCUSSÃO • AUSCULTA
  22. 22. INSPEÇÃO DO BAÇO • 1-Em condições normais não há abaulamento na área esplênica • 2-Nas esplenomegalias o abaulamento no hipocondrio esquerdo pode extender-se para epigástrio,flanco esquerdo,região umbilical e até a fossa ilíaca esquerda.
  23. 23. INSPEÇÃO DO BAÇO
  24. 24. PALPAÇÃO DO BAÇO • 1-Palpação “em garra” ou Processo de Mathieu- Cardarelli • 2-Processo bimanual • 3-Posição de Schuster ObjetivoVerificar se o baço é palpável,borda dura? lisa?mole? Cortante ou romba?dolorosa?
  25. 25. Processo de Mathieu-Cardarelli O examinador fica à esquerda do paciente;com as mãos “em garra”,, a cada Inspiração,e a borda do baço será percebida pelas polpas digitais,quando o Baço estiver aumentado de volume.
  26. 26. Processo bimanual
  27. 27. Posição de Schuster
  28. 28. Percussão do Baço • O baço não é percutível • Todo baço que se mostra percutível está aumentado de volume, o que nem sempre se identifica pela palpação. • Portanto,nem todo baço percutível é palpável,porém todo baço palpável é percutível
  29. 29. Percussão do Baço
  30. 30. AUSCULTA DO BAÇO • Atrito nas peri-esplenites
  31. 31. Obrigado pela Atenção!!!
  32. 32. Propedêutica física renal • PALPAÇÃO RENAL: Normalmente não são palpáveis, mas podem ser em condições patológicas como a hidronefrose, rim policístico (geralmente aumento bilateral) tumores.
  33. 33. Método de Guyon  Com o paciente em decúbito dorsal, para se examinar o rim direito põe-se a mão esquerda na região dorsal tracionando para frente enquanto a mão direita entra abaixo do rebordo costal durante a inspiração ao encontro da mão esquerda, tentando “pegar” o rim entre as duas mãos. Para o rim esquerdo deve-se passar para o lado esquerdo e realizar a mesma manobra.
  34. 34. Método de Guyon
  35. 35. Manobra de Israel • Paciente em decúbito lateral e membros superiores por a cabeça e rim tentando ser palpado anteroposteriormente com as duas mãos em pinça
  36. 36. Manobra de Israel
  37. 37. Método de Goelet • Com o paciente em ortostase, flete-se o joelho do lado que deseja-lhe palpar, apoiando-se sobre uma cadeira. A seguir, faz-se uma tração anterior com uma das mãos enquanto a outra é usada na tentativa de palpar o polo inferior do rim
  38. 38. Método de Goelet
  39. 39. Teste da hipersensibilidade renalTeste da hipersensibilidade renal  Pesquisado através da punho percussão (manobra de percussão de Murphy) ou da percussão com a borda ulnar da mão (manobra de Giordano),realizada na junção do rebordo costal com a musculatura paravertebral.Neste ponto, põe- se uma mão espalmada e com a outra se percute em cima, em um movimento único,firme,sem chicotear (punho percussão) ou através da percussão direta da borda ulnar da mão aberta neste ângulo costovertebral.
  40. 40. Teste da hipersensibilidade renalTeste da hipersensibilidade renal
  41. 41. PALPAÇÃO DA AORTAPALPAÇÃO DA AORTA ABDOMINALABDOMINAL A direção da pulsação indica se ela é oriunda diretamente da aorta (acima) ou se transmitida por massa localizada sobre os tecidos (abaixo)
  42. 42. Terminou!!!Terminou!!! Obrigado pela atençãoObrigado pela atenção

×