Análise do cartaz Moulin Rouge La Goulue de Toulouse-Lautrec                                                         Cultu...
Análise do cartaz Moulin Rouge La Goulue de Toulouse-Lautrec                                            Cultura Visual – M...
Análise do cartaz Moulin Rouge La Goulue de Toulouse-Lautrec                                               Cultura Visual ...
Análise do cartaz Moulin Rouge La Goulue de Toulouse-Lautrec                                               Cultura Visual ...
Análise do cartaz Moulin Rouge La Goulue de Toulouse-Lautrec                                                Cultura Visual...
Análise do cartaz Moulin Rouge La Goulue de Toulouse-Lautrec                                                        Cultur...
Análise do cartaz Moulin Rouge La Goulue de Toulouse-Lautrec                                               Cultura Visual ...
Análise do cartaz Moulin Rouge La Goulue de Toulouse-Lautrec                                              Cultura Visual –...
Toulouse lautrec o cartaz publicitário
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Toulouse lautrec o cartaz publicitário

6.198 visualizações

Publicada em

0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.198
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
80
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Toulouse lautrec o cartaz publicitário

  1. 1. Análise do cartaz Moulin Rouge La Goulue de Toulouse-Lautrec Cultura Visual – Mestrado em Tecnologias Gráficas 2012ÍndiceRESUMO .................................................................................................................................................. 21. INTRODUÇÃO .................................................................................................................................. 22. TOULOUSE-LAUTREC – Uma breve biografia .................................................................................. 33. PRINCIPAIS INFLUÊNCIAS ................................................................................................................ 44. O CARTAZ: Moulin Rouge – La Goulue ............................................................................................ 5 4.1 Características Físicas do Cartaz ....................................................................................... 5 4.2 Personagens Retratadas....................................................................................................... 5 4.3 Elementos Visuais – Análise Estética .................................................................................. 6 4.4 Elementos de Persuasão ....................................................................................................... 75. CONCLUSÃO .................................................................................................................................... 8 1
  2. 2. Análise do cartaz Moulin Rouge La Goulue de Toulouse-Lautrec Cultura Visual – Mestrado em Tecnologias Gráficas 2012RESUMO A imagem não só como arte mas também como cartaz publicitário, isto é, como meiode influenciar, dar a conhecer, comunicar algo de concreto e objectivo ao público. Seráesse o objectivo do presente trabalho, mais concretamente, estudar um cartaz do artista elitógrafo Toulouse-Lautrec, um dos mais famosos artistas da Europa do século XIX, pós-impressionista1 e considerado o precursor da Arte-nouveau2. Para evidenciar esta ligaçãoentre imagem e publicidade foi seleccionada um cartaz do Toulouse-Lautrec para seanalisar tendo em conta o contexto histórico e sociológico da época em que se insere. 1. INTRODUÇÃO Pretende-se com este trabalho da cadeira de Cultura Visual, inserida no mestrado emtecnologias gráficas, dar a conhecer um dos artistas que mais impulsionou e revolucionou, apar de Jules Chéret seu contemporâneo, o cartaz publicitário. Para isso irá ser analisado umcartaz em particular do Toulouse-Lautrec, uma litografia, procurando evidenciar as suascaracterísticas impressionistas e pós— impressionistas e contextualizar a referida imagem noperíodo histórico em que foi criada. Ilustração 1 - Jules Chéret mostando o seu cartaz a Toulouse-Lautrec Naturalmente o ser humano é influenciado pelo que o rodeia, isso é também verdadepara o artista e como resultado as suas criações também serão influenciadas por isso.Toulouse-Lautrec reflectiu nos seus cartazes todo o ambiente de mudança na sociedadefrancesa de finais do século XIX, o aparecimento da Belle Époque3 em Paris e toda afestividade, boémia, espectáculos e a procura do prazer estão bem patentes nas suascriações. O estudo do cartaz que este trabalho se propõe fazer irá ser mais uma reflexão sobre oselementos presentes na imagem seleccionada e a sua contextualização e não umaaplicação directa do método de Panofsky apresentado no decorrer da cadeira. Claro que1Cf. – Wikipedia: O pós-impressionismo, como o nome indica surge depois do impressionismo por volta de 1885,continua e acentua as tendências principais do impressionismo, isto é, a cor e bidimensionalidade. Marca tambémo início do cubismo.2 Cf. – Wikipedia: Art nouveau (AFI: [aʁ nuvo], "arte nova" em francês), foi um estilo estético essencialmente dedesign e arquitectura que também influenciou o mundo das artes plásticas. Teve grande destaque durante a Belleépoque, nas últimas décadas do século XIX e primeiras décadas do século XX.3 Cf. – Wikipedia: Belle Époque, ou A Bela Época, foi uma época marcada por profundas transformações culturaisque se traduziram em novos modos de pensar e viver o quotidiano. 2
  3. 3. Análise do cartaz Moulin Rouge La Goulue de Toulouse-Lautrec Cultura Visual – Mestrado em Tecnologias Gráficas 2012a metodologia apresentado por Panofsky será sempre uma base de apoio e umareferência, assim como outros livros e textos o serão, para a análise da referida imagem. 2. TOULOUSE-LAUTREC – Uma breve biografia Nascido em Albi, Tarn nos Pirinéus franceses, a 24 de Novembro de 1864, recebe o nomecompleto de Henri-Marie-Raymond de Toulouse-Lautrec-Monfa, mais conhecido comoHenri de Toulouse-Lautrec. Nascido no seio da nobreza francesa, vem de uma longalinhagem familiar aristocrática. Filho do Conde Alphonse de Toulouse-Lautrec-Monfa e deAdéle Tapié de Céleyran4. Com cerca de 13 anos fractura o fémur da perna esquerda e aos 14 a fémur da pernadireita, estas fracturas não saram correctamente revelando uma doença genética quetrava o crescimento das suas pernas. Em adulto a sua altura não ultrapassa 1, 54 metros.Fisicamente impedido de participar nas actividades comuns aos jovens da sua época,Toulouse-Lautrec vira-se para a sua arte. Tornou-se assim um importante artista pós-impressionista, litografo e ilustrador. Com apenas 36 anos falece precocemente a 9 de Setembro de 1901, em Malromévítima de alcoolismo e alegadamente de sífilis5. Não obstante a sua vida curta, Toulouse-Lautrec através das suas obras exerceu umaforte influência nos artistas que se lhe seguiu. O seu estilo influenciou sobretudo artistas comoPablo Picasso e os fauvistas como André Derain e Henri Matisse6. “Em Paris compreendi o grande pintor que Lautrec era.” 7 Pablo Picasso Ilustração 2 - Toulouse-Lautrec em 1892, então com 28 anos4Cf. - FELBINGER, Udo – Henri de Toulouse-Lautrec, Vida e Obra: Könemann, 19995 Cf. - http://www.lautrec.info/biography.html6 Cf. - FELBINGER, Udo – Henri de Toulouse-Lautrec, Vida e Obra: Könemann, 19997 Cf. - FELBINGER, Udo – Henri de Toulouse-Lautrec, Vida e Obra: Könemann, 1999 3
  4. 4. Análise do cartaz Moulin Rouge La Goulue de Toulouse-Lautrec Cultura Visual – Mestrado em Tecnologias Gráficas 2012 3. PRINCIPAIS INFLUÊNCIAS No final da sua adolescência estuda com o artista Fernand Cormon cujo estúdio sesituava em Montmartre, é aqui que Toulouse-Lautrec se inspira. Concluída a sua formaçãoentrega-se a uma vida boémia e torna-se frequentador assíduo dos cabarets e bordéis deParis. Encontra aqui as principais figuras da sua arte, prostitutas, bailarinas de cancan e outrosfrequentadores da vida boémia do Paris da Belle Époque. Ele será também muitoinfluenciado pelo contraste claro-escuro muito comum nas estampas japonesas que poresta altura são muito apreciadas. Para assinalar a abertura do novo cabaret, Moulin Rouge, Toulouse-Lautrec foicontratado para criar cartazes a divulgar essa ocasião. Mais tarde passou a ser figurahabitual do cabaret onde as suas pinturas seriam expostas Algumas personagens recorrentes das suas obras incluem famosas bailarinas cancan daépoca como por exemplo Jane Avril ou Louise Weber (La Goulue), frequentadores da noitede Monmartre como o comediante-cantor Aristide Bruant ou Jacques Renaudin (Valentin leDésossé). Assim, Toulouse-Lautrec vai transpondo para as suas obras todo ambiente de festa e joiede vivre que se vive em Montmartre por esta altura8. Podemos ler em: CF - http://www.pitoresco.com.br/universal/toulouse/toulouse.htm “Ao contrário dos impressionistas, demonstrou pouco interesse pelas paisagens e dedicou-se aos interiores. São famosos "Moulin Rouge", "Au salon de la rue des Moulins" e inúmeros retratos, género a que conferiu incomum aprofundamento psicológico com grande economia de meios. O estilo pessoal de Toulouse-Lautrec, de linhas livres e onduladas, transgride frequentemente as proporções anatómicas e as leis da perspectiva em favor da expressividade. As cores intensas, em combinações rítmicas, sugerem movimento. As figuras são situadas na tela de forma a que as pernas não fiquem visíveis. Interpretada como reacção à condição física do próprio artista, essa característica elimina a obviedade do movimento, que passa a ser apenas sugerido. A simplificação do contorno e o uso de grandes áreas em uma só cor caracterizam os cartazes, que estão entre suas obras mais significativas. A partir de 1892, Toulouse-Lautrec dedicou-se à litografia. Entre as mais de 300 que produziu, destaca-se a série Elles, sensível panorama da vida nos bordéis. O surgimento da série coincidiu com a deterioração de seu estado físico e mental. Entregou-se ao alcoolismo e seus modos irónicos não disfarçavam o sofrimento decorrente de sua deformidade. Em 1899, após grave colapso nervoso, passou alguns meses num sanatório mas, no ano seguinte, voltou a beber. Apesar da excepcional popularidade de seus cartazes publicitários, como os que fez para Aristide Bruant, Jane Avril, May Belfort e outros artistas, além das numerosas litografias, sóposteriormente reconheceu-se a importância de sua obra, que prefigurou revolucionários movimentos artísticos do Século XX, como o fauvismo, o cubismo e o expressionismo.”8 Cf – HELLER, Reinhold - Toulouse-Lautrec: The Soul of Montmartre, Pegasus Library 4
  5. 5. Análise do cartaz Moulin Rouge La Goulue de Toulouse-Lautrec Cultura Visual – Mestrado em Tecnologias Gráficas 2012 4. O CARTAZ: Moulin Rouge – La Goulue Durante a pesquisa que realizei sobre este tema encontrei alguns textos já feitos sobre este cartaz do Toulouse-Lautrec em particular, mesmo do ponto de vista do cartaz publicitário. Assim sendo irei fazer uma breve descrição das propriedades físicas seguido de uma análise mais profunda da imagem. Essa análise irá conter a identificação das personagens baseado em textos publicados e as respectivas características de publicidade ou persuasão do cartaz. Posteriormente irei fazer algumas considerações pessoais sobre o cartaz tendo sempre em conta as sessões da cadeira de Cultura Visual. Moulin Rouge – La Goulue foi o primeiro trabalho litográfico de Toulouse-Lautrec, encomendado em Dezembro de 1891, foram colocados 3000 exemplares pelas ruas de Paris. Este cartaz foi encomendado por Charles Zidler e impresso na oficina de Charles Levy. Devido às dimensões do cartaz este acabou por ser maior que a pedra litográfica o que levou ao uso de três folhas de papel de tecido910. Este foi um dos primeiros cartazes produzidos por Toulouse-Lautrec, revelou-se de imediato um verdadeiro sucesso11. “Em 1891, quando o seu primeiro cartaz foi fixado pelas ruas de Paris, nascia ali um novo conceito publicitário que imortalizou as dançarinas de cancã, já famosas naquela época. O nome de Toulouse-Lautrec começava a ligar-se indelevelmente à vida nocturna e ao mundo dos bordéis parisienses. (CYBERLAND, 2005)”12 “Diverti-me imenso. Senti uma sensação nova para mim, de autoridade sobre a oficina inteira.” 13 Henri de Toulouse-Lautrec sobre o seu primeiro cartaz 4.1 Características Físicas do Cartaz O cartaz original tinha as dimensões 122x195 cm, estas dimensões revelaram ser maiores que a pedra litográfica ou que levou ao uso de três folhas de papel de tecido, duas com 84x122 cm e uma tira longitudinal de 27 cm14. 4.2 Personagens Retratadas Como se pode constatar o cartaz exibe duas imagens, diremos principais: A figura masculina trata-se de Valentim le Désossé (1843-1907), quetraduzido significa, Valentim o desossado), nome artístico de JacquesRenaudin. Era conhecido nos salões de baile de Paris como o ―Rei da Valsa‖.Dono de uma figura esguia e uma espantosa flexibilidade, era uma figuraincontornável na vida nocturna parisiense1516.9 Cf. - http://artedahistoria.blogspot.pt/2007/10/henri-de-toulouse-lautrec.html10 Cf - http://virtual-lautrec.net/?i=en&sec=cartells&id_cartell=111 Cf. - FELBINGER, Udo – Henri de Toulouse-Lautrec, Vida e Obra: Könemann, 199912 Cf. – MEDEIROS, Diego Piovesan – O Cartaz Publicitário na Belle Époque Ilustração 3 - Cartaz Moulin13 Cf. - FELBINGER, Udo – Henri de Toulouse-Lautrec, Vida e Obra: Könemann, 1999 Rouge - La Goulue14 Cf. - http://ezinearticles.com/?His-Most-Famous-Painting-(Moulin-Rouge-La-Goulue)-Henri-De-Toulouse-Lautrec&id=241888615 Cf. - FELBINGER, Udo – Henri de Toulouse-Lautrec, Vida e Obra: Könemann, 199916 Cf. - http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC1847735/ 5
  6. 6. Análise do cartaz Moulin Rouge La Goulue de Toulouse-Lautrec Cultura Visual – Mestrado em Tecnologias Gráficas 2012 A figura feminina trata-se de La Goulue, A Gulosa (1870-1928), nome pelo qual ficou conhecida Louise Weber, uma famosa bailarina da época. Ganhou a sua alcunha pelo facto de ter o hábito de esvaziar os copos dos clientes17. Quanto às silhuetas que aparecem em pano de fundo (a preto) tratam-se muito provavelmente de clientes a apreciarem a dança de La Goulue. Tendo em conta o estilo de chapéus que estas personagens exibem, poderemos concluir que os frequentadores do Moulin Rouge seriam da classe média alta18. 4.3 Elementos Visuais – Análise Estética Como podemos ver este cartaz exibe características do impressionismo como sejam a transição das cores, o contraste claro/escuro, também a influência das estampas japonesas já referida anteriormente. À excepção da transição suave de tons que se nota no chão e no fundo, talvez para se distanciar um pouco da rigidez do movimento impressionista. Vemos também uma certa profundidade ou tridimensionalidade dada pela maneira como Toulouse- Lautrec desenha as madeiras do chão, não sendo uma perspectiva exacta ou matemática não deixa de dar uma sensação de profundidade a toda a composição, talvez também para fugir aos limites, como que, impostos pelo movimento impressionista. Reportando ainda às principais características do impressionismo, vemos que o cartaz exibe uma simplicidade nos traços, ilustrando a realidade em contraponto a uma representação exacta da realidade, por exemploIlustração 4 - Cartaz Moulin Rouge - La respeitando as proporções anatómicas.Goulue No centro da imagem vemos a acção principal, isto é a dança o movimento, protagonizado pela La Goulue no centro da pista assumindo assim um lugar destacado no cartaz. Da forma como a La Goulue está representada podemos pensar que estaria no meio de uma actuação para os demais espectadores (em terceiro plano). O nosso olhar é direccionado logo para o centro do cartaz e para a cena do movimento. Podemos apreciar a simplicidade com que o movimento da saia foi conseguido apenas usando alguns traços pretos, para demarcar a ondulação da mesma, à volta do branco. Em primeiro plano vemos o Valentin de perfil como que também assistindo à actuação de La Goulue, a forma como as mãos do Valentin estão representadas poderão sugerir alguma censura pela postura (perna levantada) de La Goulue ou talvez para disfarçar um leve sorriso pela mesma postura. 17 Cf. - FELBINGER, Udo – Henri de Toulouse-Lautrec, Vida e Obra: Könemann, 1999 18 Cf - http://ezinearticles.com/?His-Most-Famous-Painting-(Moulin-Rouge-La-Goulue)-Henri-De-Toulouse- Lautrec&id=2418886 6
  7. 7. Análise do cartaz Moulin Rouge La Goulue de Toulouse-Lautrec Cultura Visual – Mestrado em Tecnologias Gráficas 2012 Podemos também constatar que entre silhuetas femininas e masculinas no plano defundo, temos 10 espectadores o que segundo Jean Chevalier e Alain Gheerbrant em ―Odicionário dos símbolos‖ poderá significar precisamente a obra concluída. “Dez.1.10 É o número da Tetractys pitagórica: A soma dos quatro primeiros números (1 + 2 + 3 + 4). Tem o sentido de tudo, de acabamento, o retorno à unidade após o ciclo de desenvolvimento primeiros nove números.”19 Ilustração 4 - Exemplo de Tetractys Destaque também para a forma como está disposto todo o texto, as letras e as suascores, mais uma vez sólidas e directas. Este cartaz de Toulouse-Lautrec distingue-seclaramente dos demais cartazes anteriores pelo uso do ―M‖ maiúsculo que acompanha emtoda a vertical as três repetições do nome ―Moulin Rouge‖20. Finalmente temos a forma e colocação cuidada do texto, isto é, da informação atransmitir a quem olha para o cartaz. Assim a imagem alia-se à palavra para transmitir nãosó emoções, neste caso movimento, festa e convívio, mas também informações concretase pertinentes sobre o espaço Moulin Rouge – ―Concert Bal‖ – ―Tous les Soirs‖ – ―La Goulue‖,Concerto Baile – Todas as noites – A Gulosa. De forma concisa e directa, Tououse-Lautrec,consegue em poucas palavras transmitir aos espectadores o que é o Moulin Rouge,quando e quem poderão lá encontrar. 4.4 Elementos de Persuasão As mulheres – Na França do século XIX não haviam muitas opções para as mulheres,ocupando-se geralmente das tarefas domésticas, algumas trabalhavam em tecelagens oufábricas de costura. Aquelas que procuravam a sua independência, fugiam dos costumestradicionais e eram avessas à tradição de constituir família, tornavam-se meretrizes ebailarinas nas casas de espectáculos.21 O movimento – Como o cartaz em estudo foi concebido para publicitar um espaço dedança, uma casa de espectáculo, o movimento e a dança assumem grande importânciadaí que La Goulue (bailarina de cancã) suja precisamente no centro da acção.2219 Cf. – CHEVALIER, Jean; Gheerbrant, Alain - Dicionário dos símbolos. Lisboa: Teorema, 1995.20 Cf. - FELBINGER, Udo – Henri de Toulouse-Lautrec, Vida e Obra: Könemann, 199921 Cf. – MEDEIROS, Diego Piovesan – O Cartaz Publicitário na Belle Époque22 Cf. – MEDEIROS, Diego Piovesan – O Cartaz Publicitário na Belle Époque 7
  8. 8. Análise do cartaz Moulin Rouge La Goulue de Toulouse-Lautrec Cultura Visual – Mestrado em Tecnologias Gráficas 2012 As cores – Toulouse-Lautrec compreendeu que o cartaz geralmente serápercepcionado de forma rápida, por isso terá de ser simples e exibir grande contraste efacilidade de leitura. A cor foi utilizada de forma a chamar a atenção e não apenas comoelemento decorativo ou estético. “Para Farina, a cor é o fundamento da expressão e está ligada à expressão de valores espirituais e sensuais. Afirma que, na força comunicativa da imagem, o que predomina é o impacto exercido pela cor (FARINA, 1994, p. 25).”23 “Toulouse-Lautrec compreendeu que a essência do cartaz era uma simplicidade corajosa que prendesse a atenção e transmitisse a sua mensagem instantaneamente, antes que o passageiro fosse levado adiante pelo ônibus, ou pela carruagem, ou o pedestre fosse distraído por outra visão de sua tumultuada cidade. (HARRIS, 1994,p. 44)”24 O Texto (Tipologias) – Todo o texto e as letras que o compõem aparecem de formacuidada e apelativa de modo a facultar uma leitura rápida ao mesmo tempo que formamum conjunto harmonioso com a imagem. “Segundo Munari (1993, p. 47), não apenas cada letra de uma palavra possui uma forma; o conjunto das letras que compõem a palavra proporciona uma forma global que vem a ser da própria palavra. As duas principais intenções são chamar a atenção e facilitar a leitura.”25 5. CONCLUSÃO23 Cf. – MEDEIROS, Diego Piovesan – O Cartaz Publicitário na Belle Époque24 Cf. – MEDEIROS, Diego Piovesan – O Cartaz Publicitário na Belle Époque25 Cf. – MEDEIROS, Diego Piovesan – O Cartaz Publicitário na Belle Époque 8

×