O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Mip- mandioca

8.381 visualizações

Publicada em

Mip- mandioca

  1. 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS CENTRO DE CIENCIAS AGRARIAS DOUTORADO EM PROTEÇÃO DE PLANTAS MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS DA MANDIOCA E BATATA DOCE Lourdes Regina Lopes Batista
  2. 2. MANDIOCA
  3. 3. INTRODUÇÃO • Manihot esculenta Crantz • Euphorbiaceae  • Mandioca, macaxeira, aipim  • Cassava  • América do Sul Fonte: IAPAR, 2012
  4. 4. INTRODUÇÃO CARACTERÍSTICAS  •  Perene •  Planta heliófila •  25 a 30 °C  • Arbustiva ou semi-arbustiva  Fonte: Nilton Pires,2011
  5. 5. INTRODUÇÃO Há 2 tipos de mandioca: Mandioca brava                     Mandioca mansa           Linamarina  ácido cianídrico
  6. 6. INTRODUÇÃO SISTEMA DE CULTIVO • Plantio em qualquer época do ano • Policultivo Fonte: UFRPE, 2011
  7. 7. INTRODUÇÃO • Espaçamento : 1,0m x 0,60m, em fileiras simples        2.0m x 0.60m x 0,60m em fileiras duplas. Fonte: CEPLAC, 2010
  8. 8. INTRODUÇÃO • Posição do tolete na cova é horizontal  Fonte: COSTA,2011
  9. 9. INTRODUÇÃO UTILIZAÇÃO: RAIZ Fonte: Vieira e Fialho (2007).
  10. 10. INTRODUÇÃO CAULE
  11. 11. INTRODUÇÃO FOLHAS
  12. 12. INTRODUÇÃO 32,6% 52,9% 14,5% ÁFRICA 121,4 milhões t ÁSIA 74,8 milhões t AMÉRICA DO SUL 27 milhões t OUTROS PAÍSES 6,7 milhões t
  13. 13. INTRODUÇÃO 38.256 t. SUDESTE 55.571 t. NORDESTE 38.256 t. SUL 4.886 t. REGIÕES/ ESTADOS ÁREA (1000ha) PRODUÇÃO (10000T) PRODUTIVIDA DE (Kg/ha) PARTICIPAÇÃO % CENTRO OESTE 760 t. Nordeste 772 8.505 11.017 32,6 498 7.628 15.317 29,2 294 5.890 20.034 22,6 Sudeste 149 2.803 18.812 10,7 Centrooeste 74 1.279 17.284 4,9 NORTE FONTE: IBGE, SEAB/DERAL, 2012 NORDESTE Norte 166 t. Sul
  14. 14. PRINCIPAIS PRAGAS DA MANDIOCA
  15. 15. PRAGAS Fonte: Dia de campo, 2011 Fonte: Agrolink, 2013 Fonte:: Thaiany Regina , 2013 Fonte:: Thaiany Regina , 2013
  16. 16. FENOLOGIA X PRAGA 5-15 DAP 15-90 DAP 90-180 DAP 180-300 DAP 300-360 DAP Fonte: Hortibrasil, 2010 Mandarová Ácaro verde Mosca-branca Percevejo da renda Brocas das hastes
  17. 17. MANDAROVÁ • Erinnyis ello ello • Ordem: Lepidoptera • Família: Sphingidae • Uma das pragas mais pejudiciais Fonte: Araujo, 2010
  18. 18. MANDAROVÁ • Ovo Cópula ocorre durante a noite Liberação ocorre dois dias apos cópula Grandes sobre as folhas Fonte: Leite e Alves
  19. 19. MANDAROVÁ • Início: difícil de ser vista na planta • Desenvolvidas, coloração: variada • Cinco estádios - 12 a 15 dias • 75% - quinto ínstar Fonte: Campos, 2010
  20. 20. MANDAROVÁ • Mariposas 90 mm • Cor cinza com faixas pretas no abdome • Maiores infestações de dezembro a março Fonte:Forestry Images, 2010
  21. 21. MANDAROVÁ • severo desfolhamento Fonte: Alô a todos, 2013
  22. 22. MANDAROVÁ CONTROLE • Inspeções periódicas das lavouras • Aração da área para novos plantios • Eliminação das plantas invasoras • Rotação de culturas • Catação manual e destruição das lagartas.
  23. 23. MANDIOCA CONTROLE • Inseticida biológico - Bacillus thuringiensis • Baculovirus erinnyis: - Cinco a sete lagartas pequenas por planta - Maceração de lagartas infectadas - Seis dias para morrer
  24. 24. • INIMIGOS NATURAIS Fonte: Charley Eiseman,2011 Fonte: Charley Eiseman,2011 Fonte:Forestry Images, 2010 Fonte:Wikipedia,2013 Polistes sp Telenomus sp Chetogena floridensis Trichogramma sp MANDAROVÁ
  25. 25. PERCEVEVO DA RENDA • Vatiga illudens • Ordem:Hemiptera • Família: Tingidae • Hábito sugador • Américas do Sul e Central Fonte: Michael C. Thomas,2009
  26. 26. PERCEVEVO DA RENDA OVO • Postura endofítica NINFA • Período ninfal: 13,5 dias, em média • Cinco ínstares • Coloração branca
  27. 27. PERCEVEVO DA RENDA Adulto • Recém-emergido é branco • 3 mm de comprimento. • Longevidade: 53 dias, em média Fonte:: Thaiany Regina , 2013
  28. 28. PERCEVEVO DA RENDA • Adultos e as ninfas: - Face inferior das folhas - Partes basal e mediana • Ataque: períodos secos • Dispersão: vento
  29. 29. PERCEVEVO DA RENDA INJÚRIAS • Pequenas pontuações amarelas- Marrom-avermelhada. • Na face inferior - pequenos pontos, de cor preta, que correspondem aos Excrementos dos insetos
  30. 30. PERCEVEVO DA RENDA CONTROLE • Resistência varietal Cruz das Almas - 49 variedades promissoras Distrito Federal: variedades mansas (Mantiqueira e Jaçanã) X bravas (IAC-12829 e EAB-629)
  31. 31. PERCEVEVO DA RENDA • Controle biológico a)– com insetos IN: Hyaliodes vitreus – BA H. beckeri – DF b) – com fungos - Beauveria bassiana, - Metarhizium anisopliae - Sporothrix insectorum
  32. 32. ÁCARO VERDE • • • • • Mononychellus tanajoa Ordem: Acari Família: Tetranychidae face inferior das folhas Estação seca Fonte: Agrolink, 2013
  33. 33. ÁCARO VERDE FASES: • Ovo • Larva • Protocrisálida • Protoninfa • Deutocrisálida • Deutoninfa • Teliocrisálida • Adulto.
  34. 34. ÁCARO VERDE • A fêmea adulta 0,4 mm de comprimento • Ovo a adulto dura cerca de 10 dias • Período de oviposição 16 dias • Postura de cerca de 5 ovos por fêmea
  35. 35. ÁCARO VERDE • Manchas cloróticas, • pontuações e bronzeamento no limbo, • morte das gemas • deformações e queda das folhas
  36. 36. ÁCARO VERDE CONTROLE • Cultivares resistentes e/ou tolerantes • Controle cultural 1) destruição de plantas hospedeiras; 2) inspeções periódicas 3) destruição dos restos de cultura 4) Material de plantio sadio 5) distribuição adequada das plantas no campo, para reduzir a disseminação dos ácaros.
  37. 37. ÁCARO VERDE • INIMIGOS NATURAIS Neozygites sp Diversos ácaros benéficos da família Phytoseiidae;
  38. 38. MOSCA BRANCA • Aleurothrixus aepim • Gêneros: Aleurotrachelus, Trialeurodes, Bemisia, Aleurothrixus, Aleurodicus Tetraleurodes • Ordem: Hemiptera • Família: Aleyrodidae Fonte: Agrolink, 2013
  39. 39. MOSCA BRANCA Fonte:Diário do Comércio & Indústria, 2013
  40. 40. MOSCA BRANCA • Hemimetabolia: Quatro ínstares primeiro ínstar é ativo três seguintes são inativos e sésseis :ninfas quarto ínstar - pupa
  41. 41. MOSCA BRANCA Amarelecimento e encrespamento das folhas apicais, pequenos pontos cloróticos. Fonte:Yoneya, 2011
  42. 42. MOSCA BRANCA Dano indireto – excrementos - fumagina Fonte: Morais, 2010
  43. 43. MOSCA BRANCA CONTROLE • Intercalção com outras culturas não hospedeiras • Uso de cultivares mais tolerantes
  44. 44. BATATA DOCE
  45. 45. INTRODUÇÃO • Ipomoea batatas • Ordem : Solanales • Familia: Convolvulacea Fonte: wikipedia, 2013
  46. 46. INTRODUÇÃO CARACTERISTICAS • É de fácil cultivo • Permite colheita prolongada • Apresenta resistência a pragas e doenças • É mecanizável • É protetora do solo
  47. 47. PRAGAS CHAVES Fonte: Sullivan, 2010 Fonte: Boldsytems, 2008
  48. 48. FENOLOGIA X PRAGA DESENVOLVIMENTO DA PARTE AEREA TUBERIZAÇÃO E VEGETATIVO TUBERIZAÇÃO Brocas
  49. 49. BROCA-DA-RAIZ • Euscepes postfasciatus, • Ordem: Coleoptera • Família: Curculionidae Fonte:Tsuguo Kohama, 2013
  50. 50. BROCA-DA-RAIZ ovos: • Ovóides • Amarelo a amarelo-acinzentado • Depositados individualmente em cavidades rasas nas raízes tuberosas, e coberto com fezes Fonte: EMBRAPA,2008
  51. 51. BROCA-DA-RAIZ • Larva : São branco sem pernas e menos de 1 cm de comprimento. Fonte:Tsuguo Kohama, 2013
  52. 52. BROCA-DA-RAIZ • Pupa :São branco cremoso e encontraram dentro dos túneis nas raízes e caules. Fonte:Tsuguo Kohama, 2013
  53. 53. BROCA-DA-RAIZ • Adulto : - 3 a 5mm de comprimento - marrom avermelhado - corpo compacto - cerdas curtas - cabeça é pequena - manchas claras Fonte:Keiji Yasuda, 2013
  54. 54. BROCA-DA-RAIZ • Apodrecem ou mostram-se com o aspecto físico, cheiro e sabor bastante alterados, tornado-se imprestáveis para o consumo. Fonte:Keiji Yasuda, 2013
  55. 55. BROCA-DA-RAIZ • Orifícios de saída de adultos de E.  postfasciatus, gorgulhos no infestada raiz batata doce Fonte:Keiji Yasuda, 2013
  56. 56. BROCA-DA-RAIZ Controle Cultural • • • • • Material sadio para plantio. Rotação de culturas. Amontoa solo ao redor da base de plantas Preenchimento de fissuras do solo. Aplicando irrigação suficiente para prevenir ou reduzir o fendilhamento do solo.
  57. 57. BROCA-DA-RAIZ CONTROLE BIOLOGICO • Fungos entomopatogênicos especialmente Beauveria bassiana Fonte:Keiji Yasuda, 2013
  58. 58. BROCA-DA-RAIZ INIMIGO NATURAL • Fêmeas adultas Bracon sp (Hymenoptera), um parasitóide de larvas Fonte:Keiji Yasuda, 2013
  59. 59. BROCA-DAS-RAMAS • Megastes pusialis • Ordem: Lepidoptera • Família: Pyralidae Fonte: Boldsytems, 2008
  60. 60. BROCA-DA-RAMA Ovo • Formato elíptico • 1,5 por 1,2 mm • Achatado • coloração verde • vermelho-escura próximo à eclosão.
  61. 61. BROCA-DAS-RAMAS LAGARTA: • cor rosada com pontuações escuras • Empupam por duas semanas dentro das hastes • Ciclo que dura, em média, 57 dias.
  62. 62. BROCA-DA-RAIZ BROCA-DAS-RAMAS • Os adultos são mariposas pardo-escuras e medem 40 a 45mm de envergadura Fonte: Boldsytems, 2008
  63. 63. BROCA-DAS-RAMAS • formam galerias largas dentro do caule e hastes largas, podendo se estender até às batatas Fonte: EMBRAPA, 2008
  64. 64. BROCA-DAS-RAMAS • Percebe-se o ataque às hastes pelo seu entumecimento, pelas rachaduras e presença de orifícios de saída do inseto • Na galeria formada no interior da haste são encontrados excrementos típicos, larvas, fios de seda e até casulos • Murchamento e secamento das ramas que se soltam facilmente da planta
  65. 65. BROCA-DAS-RAMAS CONTROLE • Plantio de material de propagação (ramas ou raízes tuberosas) sadio • Produção de ramas em viveiros • Eliminação dos restos de cultura • Plantio de variedades resistentes • Rotação de culturas
  66. 66. BROCA-DAS-RAMAS • INIMIGOS NATURAIS Chalcididae (Hymenoptera), parasitóide de larva Braconidae (Hymenoptera), parasitóide de larva
  67. 67. OBRIGADA.

×