SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 8
Baixar para ler offline
Texto Utilitário / Textos de imprensa
A notícia
A reportagem
A entrevista
A crónica
A crítica
Linguagem Jornalística
Para que a informação chegue ao maior número de pessoas possível, o
jornalista deve:
 Usar uma linguagem correcta, simples, concisa e clara;
 Utilizar palavras comuns, conhecidas de um grande sector do público;
 Preservar a objectividade, preferindo os substantivos e evitando o
abuso dos adjectivos;
 Preferir palavras breves, evitando as longas e de difícil leitura;
 Preferir a frase curta;
 Evitar as repetições de palavras ou expressões, utilizando, sem
abuso, pronomes e sinónimos.
 Colocar a informação essencial no início e não no fim da frase, pois o
leitor presta uma maior atenção no início.
Os títulos
O Título é o elemento do texto jornalístico que mais imediatamente
chama a atenção do leitor. O título tem uma dupla função – captar a
atenção e informar. Deve, pois, ser informativo, interessante,
atractivo e, se possível, original. Sempre que necessário recorre-se
ao antetítulo e ao subtítulo.
A NOTÍCIA
Relembra as características da notícia:
Em termos genéricos, podemos definir a notícia como:
NARRATIVA CURTA de um ACONTECIMENTO ACTUAL com INTERESSE GERAL.
Título
O QUÊ? QUEM?
Lead ou cabeça ONDE? QUANDO?
COMO?
PORQUÊ?
Corpo da notícia
No lead ou cabeça da notícia ( que corresponde, geralmente, ao 1º parágrafo ou ao 1º
período, se o texto tem um só parágrafo) vem a informação mais importante, isto é, a
resposta às questões quem?, o quê?, quando?, onde?.
No corpo ( que corresponde à parte do texto não pertencente ao lead) vem a informação
pormenorizada, geralmente as respostas às questões como? e porquê?
Actividades
Elabora uma notícia sobre um assunto relativo à temática do teu trabalho de
Área de Projecto ou outro assunto local ou escolar que consideres interessante.
Navio Mercante naufragou ao largo da
costa
UM NAVIO mercante naufragou ontem ao largo
da costa portuguesa, informou a agência Lusa.
Segundo a fonte do Comando Marítimo do
Norte, foram recolhidos 13 tripulantes da
embarcação, de bandeira grega, que se previa
chegassem ao porto de Leixões, a bordo de um
navio-patrulha da Marinha, durante a noite.
Desconhecem-se ainda as causas do naufrágio,
que ocorreu a cerca de 15 milhas da costa, sem
que houvesse vítimas.
Público,98.10.17
A REPORTAGEM
A reportagem tornou-se um dos géneros cada vez mais frequente nos jornais, revistas, rádio e
televisão.
GENERICAMENTE, PODEMOS DEFINIR A REPORTAGEM ASSIM:
É o texto jornalístico elaborado a partir de um facto presenciado pelo repórter que se
desloca ao local.
Integra, normalmente, falas das personagens intervenientes;
Tem como finalidade principal dar a conhecer, informar;
Pode incluir passagens emotivas ou poéticas, assim como comentários pessoais do
repórter; a originalidade do seu ponto de vista é muito importante, ele relata aquilo
que ouve, vê e sente;
A linguagem é normalmente corrente, mas apresenta, com frequência, preocupações
estilísticas;
É um texto jornalístico de autor, ou seja, é assinado.
ESTRUTURA
Por norma a reportagem é um texto jornalístico longo. Assim, para captar a atenção do
leitor e quebrar a monotonia textual e gráfica, apresenta:
Um título
Uma entrada ( lead) – parágrafo inicial destacado graficamente, que funciona
como um resumo ou como apresentação do assunto;
O corpo- uma reportagem engloba sempre uma notícia, pormenorizando-a.
( Este tipo de texto implica a deslocação ao local do acontecimento para
entrevistar, observar e relatar aquilo que ouve, vê e sente.)
Subtítulos orientadores da leitura;
Fotografias que ilustram e complementam a informação
Actividades:
1 - Preenchendo o quadro abaixo, demonstra que o texto da página 137 do teu
manual se trata de uma reportagem.
Características SIM NÃO
Corresponde à transmissão de factos
Tem um carácter predominantemente informativo
A linguagem é corrente mas apresenta algumas preocupações
estilísticas
Exprime comentários pessoais
Integra falas das personagens intervenientes.
2 - A reportagem do dia – Visiona um ou mais telejornais e escolhe “A reportagem do
dia” cujo resumo apresentarás à turma. Terás de defender a tua escolha com base no
interesse / actualidade do seu conteúdo e a qualidade da informação veiculada – rigor
informativo, clareza, esclarecimentos prestados pelas testemunhas etc…
3 - Escolhe um assunto no âmbito do teu trabalho de Área de Projecto ou um assunto
de âmbito local ( na área onde vives ou estudas) e elabora uma reportagem.
A ENTREVISTA
A entrevista é um subgénero jornalístico de grande popularidade, pois, qualquer que seja o
meio de comunicação em que surja, cria a impressão de contacto directo entre o público e a
personagem entrevistada.
No caso da entrevista impressa, o diálogo mantido com o entrevistado é passado para
um registo escrito, com a fidelidade possível, utilizando o discurso directo,
acompanhado ou não de discurso indirecto ou descrições e comentários pessoais.
A entrevista informativa centra-se exclusivamente nas palavras do entrevistado que
são reproduzidas textualmente. O entrevistador limita-se a fazer as perguntas
previamente preparadas.
A entrevista criativa é mais livre e requer maia habilidade por parte de quem a realiza.
O questionário não é fixo e vai-se adaptando às respostas do entrevistado.
O entrevistador deverá preparar antecipadamente a entrevista documentando-se
sobre o entrevistado e sobre os assuntos que com este irá abordar.
Qualquer que seja o âmbito da informação pretendida, o jornalista deve optar por
fazer perguntas breves, claras e concisas, de forma a dar a palavra ao entrevistado.
Deve procurar-se que as perguntas sejam abertas, isto é, que evitem a resposta sim ou
não.
Estrutura
- Introdução – descrição da(s) personagem(ns) entrevistada(s), indicação do lugar e
razão da entrevista;
- Questionário – perguntas de acordo com o tema da entrevista;
- Conclusão - opinião do entrevistador sobre o trabalho ou sobre a personalidade do(s)
entrevistado(s).
Actividades
1- Guião de entrevista
Prepara uma entrevista a alguém cuja actividade te interesse. ( Relacionar ou não,
com temática da área de Projecto)
Recolhe informação sobre o entrevistado
Escreve as perguntas que consideres pertinentes
A CRÓNICA
A crónica, ao contrário dos outros géneros estudados, não tem como finalidade básica
informar.
A crónica é, por norma, breve e surge numa página fixa do jornal ( ou num espaço
determinado da rádio). É uma rubrica a que os leitores ou os ouvintes se habituam.
É um texto assinado por um jornalista ou escritor colaborador do jornal.
Parte de um assunto do quotidiano, um acontecimento banal, uma moda, um hábito,
uma situação presenciada ou vivida pelo cronista.
É um texto de reflexão, uma interpretação, uma interrogação que visa “mexer” com os
leitores, os ouvintes (de rádio), os espectadores (de televisão).
Caracteriza-se pela subjectividade, sendo um olhar livre e pessoal sobre a realidade.
Apresenta um tom ligeiro ou polémico, irónico ou humorístico, lírico, narrativo ou
reflexivo, numa linguagem cuidada, literária muitas vezes.
Actividades
1- Leitura e análise da crónica da página 156 do manual.
2- Escolhe um assunto do teu interesse ou relacionado com a temática do trabalho de
Área de Projecto e constrói uma crónica respeitando as características deste tipo de
texto.
A CRÍTICA
Na imprensa, na rádio ou na televisão, é consagrado um espaço maior ou menor à crítica
cultural. Especialistas de cinema, teatro, música, dança, artes plásticas, literatura, televisão,
debruçam-se sobre a produção e os acontecimentos culturais em foco, apresentando-os e
analisando-os. Põem assim, os seus conhecimentos ao serviço de um público vasto,
destacando os aspectos que lhes merecem maior atenção, de maneira a informar e, ao mesmo
tempo, apreciar, com base em argumentos sólidos.
Os artigos de crítica são dos mais polémicos, sendo os seus autores, muitas vezes,
responsabilizados pelo êxito ou fracasso de um filme, um livro, um disco, uma exposição. Seja
como for, é muito importante o papel da crítica, na divulgação dos produtos culturais e
orientação dos gostos do público.
Actividades
1- Leitura e análise das críticas das páginas 102 e 103 do teu manual.
2- Vais agora experimentar o papel de crítico.
- escolhe um disco ou um filme e elabora sobre ele um pequeno texto crítico de
acordo com o seguinte modelo:
Introdução – dados de identificação do objecto criticado
Desenvolvimento – aspectos considerados mais relevantes; exemplificação
Conclusão – opinião favorável ou desfavorável, de acordo com o desenvolvimento.
in, PLURAL, Língua Portuguesa 8º ano, Lisboa Editora
(Adaptado)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A aprofundamento aula_3_textos_jornalísticos
A aprofundamento aula_3_textos_jornalísticosA aprofundamento aula_3_textos_jornalísticos
A aprofundamento aula_3_textos_jornalísticosZofia Santos
 
A entrevista é um texto muito utilizado na comunicação social que serve para ...
A entrevista é um texto muito utilizado na comunicação social que serve para ...A entrevista é um texto muito utilizado na comunicação social que serve para ...
A entrevista é um texto muito utilizado na comunicação social que serve para ...Manuela Neto
 
Notícia de jornal 111013113110-phpapp01
Notícia de jornal 111013113110-phpapp01Notícia de jornal 111013113110-phpapp01
Notícia de jornal 111013113110-phpapp01Aline Gonçalves
 
5.1.2.3. apresentação final entrevista
5.1.2.3. apresentação final   entrevista5.1.2.3. apresentação final   entrevista
5.1.2.3. apresentação final entrevistaMarianaRCV
 
Slide Gênero Textual Entrevista
Slide Gênero Textual EntrevistaSlide Gênero Textual Entrevista
Slide Gênero Textual EntrevistaJomari
 
Textos jornalisticos
Textos jornalisticosTextos jornalisticos
Textos jornalisticosemanuelee
 
O gênero textual entrevista
O gênero textual   entrevistaO gênero textual   entrevista
O gênero textual entrevistaRenally Arruda
 
Estudo dirigido - gênero notícia - jornal
Estudo dirigido - gênero notícia - jornalEstudo dirigido - gênero notícia - jornal
Estudo dirigido - gênero notícia - jornalTânia Regina
 

Mais procurados (20)

A aprofundamento aula_3_textos_jornalísticos
A aprofundamento aula_3_textos_jornalísticosA aprofundamento aula_3_textos_jornalísticos
A aprofundamento aula_3_textos_jornalísticos
 
AULA 4 - ENTREVISTA
AULA 4 - ENTREVISTAAULA 4 - ENTREVISTA
AULA 4 - ENTREVISTA
 
Entrevistas
EntrevistasEntrevistas
Entrevistas
 
Textos jornalísticos
Textos jornalísticosTextos jornalísticos
Textos jornalísticos
 
A entrevista é um texto muito utilizado na comunicação social que serve para ...
A entrevista é um texto muito utilizado na comunicação social que serve para ...A entrevista é um texto muito utilizado na comunicação social que serve para ...
A entrevista é um texto muito utilizado na comunicação social que serve para ...
 
A entrevista
A entrevistaA entrevista
A entrevista
 
Seminario Pauta
Seminario PautaSeminario Pauta
Seminario Pauta
 
Notícia de jornal 111013113110-phpapp01
Notícia de jornal 111013113110-phpapp01Notícia de jornal 111013113110-phpapp01
Notícia de jornal 111013113110-phpapp01
 
Aula Pauta TV
Aula Pauta TVAula Pauta TV
Aula Pauta TV
 
5.1.2.3. apresentação final entrevista
5.1.2.3. apresentação final   entrevista5.1.2.3. apresentação final   entrevista
5.1.2.3. apresentação final entrevista
 
Slide Gênero Textual Entrevista
Slide Gênero Textual EntrevistaSlide Gênero Textual Entrevista
Slide Gênero Textual Entrevista
 
Textos jornalisticos
Textos jornalisticosTextos jornalisticos
Textos jornalisticos
 
FI-notícia
FI-notíciaFI-notícia
FI-notícia
 
O gênero textual entrevista
O gênero textual   entrevistaO gênero textual   entrevista
O gênero textual entrevista
 
Entrevista
EntrevistaEntrevista
Entrevista
 
Entrevista
EntrevistaEntrevista
Entrevista
 
Estudo dirigido - gênero notícia - jornal
Estudo dirigido - gênero notícia - jornalEstudo dirigido - gênero notícia - jornal
Estudo dirigido - gênero notícia - jornal
 
Fi entrevista
Fi entrevistaFi entrevista
Fi entrevista
 
Cap. 3 Entrevistas individuais e grupais de George Gaskell
Cap. 3 Entrevistas individuais e grupais de George GaskellCap. 3 Entrevistas individuais e grupais de George Gaskell
Cap. 3 Entrevistas individuais e grupais de George Gaskell
 
A Entrevista quês e porquês
A Entrevista quês e porquêsA Entrevista quês e porquês
A Entrevista quês e porquês
 

Semelhante a 12394124 textos-de-imprensa

Semelhante a 12394124 textos-de-imprensa (20)

W8 Imprensa
W8 ImprensaW8 Imprensa
W8 Imprensa
 
A reportagem
A reportagemA reportagem
A reportagem
 
Notícia
NotíciaNotícia
Notícia
 
Textos Jornalisticos - Versão2
Textos Jornalisticos - Versão2Textos Jornalisticos - Versão2
Textos Jornalisticos - Versão2
 
AULA 01- LINGUAGENS.pptx
AULA 01- LINGUAGENS.pptxAULA 01- LINGUAGENS.pptx
AULA 01- LINGUAGENS.pptx
 
Noticia e-reportagem1
Noticia e-reportagem1Noticia e-reportagem1
Noticia e-reportagem1
 
Técnicas de jornalismo resumão
Técnicas de jornalismo   resumãoTécnicas de jornalismo   resumão
Técnicas de jornalismo resumão
 
Aula - Reportagem.pptx
Aula - Reportagem.pptxAula - Reportagem.pptx
Aula - Reportagem.pptx
 
O jornal escolar
O jornal escolarO jornal escolar
O jornal escolar
 
Publicações periódicas
Publicações periódicasPublicações periódicas
Publicações periódicas
 
êneros Textuais Jornal: notícia, entrevista, charge, tira, reportagem, carta ...
êneros Textuais Jornal: notícia, entrevista, charge, tira, reportagem, carta ...êneros Textuais Jornal: notícia, entrevista, charge, tira, reportagem, carta ...
êneros Textuais Jornal: notícia, entrevista, charge, tira, reportagem, carta ...
 
A reportagem
A reportagemA reportagem
A reportagem
 
O jornal escolar
O jornal escolarO jornal escolar
O jornal escolar
 
O jornal escolar
O jornal escolarO jornal escolar
O jornal escolar
 
O jornal escolar
O jornal escolarO jornal escolar
O jornal escolar
 
Redação para rádio
Redação para rádio Redação para rádio
Redação para rádio
 
Noticia_1_2--tgwpjk (1).pdf
Noticia_1_2--tgwpjk (1).pdfNoticia_1_2--tgwpjk (1).pdf
Noticia_1_2--tgwpjk (1).pdf
 
Reportagem.pptx
Reportagem.pptxReportagem.pptx
Reportagem.pptx
 
Escola de comunicação - Laboratório de Jornal - 2013
Escola de comunicação - Laboratório de Jornal - 2013Escola de comunicação - Laboratório de Jornal - 2013
Escola de comunicação - Laboratório de Jornal - 2013
 
Como fazer uma reportagem
Como fazer uma reportagemComo fazer uma reportagem
Como fazer uma reportagem
 

Mais de paulaoliveiraoliveir2

Caraterísticas da publicidade doc. 1 moodle
Caraterísticas da publicidade doc. 1 moodleCaraterísticas da publicidade doc. 1 moodle
Caraterísticas da publicidade doc. 1 moodlepaulaoliveiraoliveir2
 
Caracter publicid e poema eu etiqueta
Caracter publicid e poema  eu etiquetaCaracter publicid e poema  eu etiqueta
Caracter publicid e poema eu etiquetapaulaoliveiraoliveir2
 
4 informativa texto_injuntivo_instrucional
4 informativa texto_injuntivo_instrucional4 informativa texto_injuntivo_instrucional
4 informativa texto_injuntivo_instrucionalpaulaoliveiraoliveir2
 
Teste de avaliação. ou aferição a2 .formação claudia
Teste de avaliação.  ou aferição a2 .formação claudiaTeste de avaliação.  ou aferição a2 .formação claudia
Teste de avaliação. ou aferição a2 .formação claudiapaulaoliveiraoliveir2
 
Auto da barca do inferno fidalgo-quest, interp. global31quest (blog9 10-11)
Auto da barca do inferno   fidalgo-quest, interp. global31quest (blog9 10-11)Auto da barca do inferno   fidalgo-quest, interp. global31quest (blog9 10-11)
Auto da barca do inferno fidalgo-quest, interp. global31quest (blog9 10-11)paulaoliveiraoliveir2
 
Plano estratégico para a inclusa 2020
Plano estratégico para a inclusa 2020Plano estratégico para a inclusa 2020
Plano estratégico para a inclusa 2020paulaoliveiraoliveir2
 
Orientacoes 2020 2021 bom do ministerio tenho de ler
Orientacoes 2020 2021 bom do ministerio tenho de lerOrientacoes 2020 2021 bom do ministerio tenho de ler
Orientacoes 2020 2021 bom do ministerio tenho de lerpaulaoliveiraoliveir2
 
50669819 auto-da-barca-do-inferno-introducao ppt
50669819 auto-da-barca-do-inferno-introducao ppt50669819 auto-da-barca-do-inferno-introducao ppt
50669819 auto-da-barca-do-inferno-introducao pptpaulaoliveiraoliveir2
 

Mais de paulaoliveiraoliveir2 (20)

Caraterísticas da publicidade doc. 1 moodle
Caraterísticas da publicidade doc. 1 moodleCaraterísticas da publicidade doc. 1 moodle
Caraterísticas da publicidade doc. 1 moodle
 
Caracteristicas-da-publicidade
 Caracteristicas-da-publicidade Caracteristicas-da-publicidade
Caracteristicas-da-publicidade
 
Caracter publicid e poema eu etiqueta
Caracter publicid e poema  eu etiquetaCaracter publicid e poema  eu etiqueta
Caracter publicid e poema eu etiqueta
 
Bula medica sobre o homem
Bula medica sobre o homemBula medica sobre o homem
Bula medica sobre o homem
 
Barbaecabelo ficha-bd soluç
Barbaecabelo ficha-bd soluçBarbaecabelo ficha-bd soluç
Barbaecabelo ficha-bd soluç
 
Apresentaopublicidade
Apresentaopublicidade Apresentaopublicidade
Apresentaopublicidade
 
Anúncio portugal
Anúncio portugalAnúncio portugal
Anúncio portugal
 
4 informativa texto_injuntivo_instrucional
4 informativa texto_injuntivo_instrucional4 informativa texto_injuntivo_instrucional
4 informativa texto_injuntivo_instrucional
 
Teste de avaliação a2
Teste de avaliação a2Teste de avaliação a2
Teste de avaliação a2
 
Teste de avaliação. ou aferição a2 .formação claudia
Teste de avaliação.  ou aferição a2 .formação claudiaTeste de avaliação.  ou aferição a2 .formação claudia
Teste de avaliação. ou aferição a2 .formação claudia
 
Auto da barca do inferno fidalgo-quest, interp. global31quest (blog9 10-11)
Auto da barca do inferno   fidalgo-quest, interp. global31quest (blog9 10-11)Auto da barca do inferno   fidalgo-quest, interp. global31quest (blog9 10-11)
Auto da barca do inferno fidalgo-quest, interp. global31quest (blog9 10-11)
 
Plano estratégico para a inclusa 2020
Plano estratégico para a inclusa 2020Plano estratégico para a inclusa 2020
Plano estratégico para a inclusa 2020
 
Orientacoes 2020 2021 bom do ministerio tenho de ler
Orientacoes 2020 2021 bom do ministerio tenho de lerOrientacoes 2020 2021 bom do ministerio tenho de ler
Orientacoes 2020 2021 bom do ministerio tenho de ler
 
Ppt recursos expressivos bom
Ppt recursos expressivos bomPpt recursos expressivos bom
Ppt recursos expressivos bom
 
Auto da barca do inferno
Auto da barca do infernoAuto da barca do inferno
Auto da barca do inferno
 
Auto da barca do inferno ppt bom
Auto da barca do inferno ppt bomAuto da barca do inferno ppt bom
Auto da barca do inferno ppt bom
 
Auto da barca do inferno frade
Auto da barca do inferno fradeAuto da barca do inferno frade
Auto da barca do inferno frade
 
Abi personagens tipo bom
Abi personagens tipo bomAbi personagens tipo bom
Abi personagens tipo bom
 
Abi analise em ppt
Abi analise em pptAbi analise em ppt
Abi analise em ppt
 
50669819 auto-da-barca-do-inferno-introducao ppt
50669819 auto-da-barca-do-inferno-introducao ppt50669819 auto-da-barca-do-inferno-introducao ppt
50669819 auto-da-barca-do-inferno-introducao ppt
 

Último

Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPanandatss1
 
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniModelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniCassio Meira Jr.
 
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADOactivIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADOcarolinacespedes23
 
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxSlides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfIedaGoethe
 
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxOsnilReis1
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduraAdryan Luiz
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasCassio Meira Jr.
 
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxA experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxfabiolalopesmartins1
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Regência Nominal e Verbal português .pdf
Regência Nominal e Verbal português .pdfRegência Nominal e Verbal português .pdf
Regência Nominal e Verbal português .pdfmirandadudu08
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresLilianPiola
 
Aula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologia
Aula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologiaAula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologia
Aula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologiaaulasgege
 
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdfJorge Andrade
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfPastor Robson Colaço
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfEditoraEnovus
 

Último (20)

Em tempo de Quaresma .
Em tempo de Quaresma                            .Em tempo de Quaresma                            .
Em tempo de Quaresma .
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SP
 
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniModelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
 
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADOactivIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADO
 
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxSlides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
 
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditadura
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
 
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxA experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Regência Nominal e Verbal português .pdf
Regência Nominal e Verbal português .pdfRegência Nominal e Verbal português .pdf
Regência Nominal e Verbal português .pdf
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
 
Aula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologia
Aula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologiaAula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologia
Aula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologia
 
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
 

12394124 textos-de-imprensa

  • 1. Texto Utilitário / Textos de imprensa A notícia A reportagem A entrevista A crónica A crítica
  • 2. Linguagem Jornalística Para que a informação chegue ao maior número de pessoas possível, o jornalista deve:  Usar uma linguagem correcta, simples, concisa e clara;  Utilizar palavras comuns, conhecidas de um grande sector do público;  Preservar a objectividade, preferindo os substantivos e evitando o abuso dos adjectivos;  Preferir palavras breves, evitando as longas e de difícil leitura;  Preferir a frase curta;  Evitar as repetições de palavras ou expressões, utilizando, sem abuso, pronomes e sinónimos.  Colocar a informação essencial no início e não no fim da frase, pois o leitor presta uma maior atenção no início. Os títulos O Título é o elemento do texto jornalístico que mais imediatamente chama a atenção do leitor. O título tem uma dupla função – captar a atenção e informar. Deve, pois, ser informativo, interessante, atractivo e, se possível, original. Sempre que necessário recorre-se ao antetítulo e ao subtítulo.
  • 3. A NOTÍCIA Relembra as características da notícia: Em termos genéricos, podemos definir a notícia como: NARRATIVA CURTA de um ACONTECIMENTO ACTUAL com INTERESSE GERAL. Título O QUÊ? QUEM? Lead ou cabeça ONDE? QUANDO? COMO? PORQUÊ? Corpo da notícia No lead ou cabeça da notícia ( que corresponde, geralmente, ao 1º parágrafo ou ao 1º período, se o texto tem um só parágrafo) vem a informação mais importante, isto é, a resposta às questões quem?, o quê?, quando?, onde?. No corpo ( que corresponde à parte do texto não pertencente ao lead) vem a informação pormenorizada, geralmente as respostas às questões como? e porquê? Actividades Elabora uma notícia sobre um assunto relativo à temática do teu trabalho de Área de Projecto ou outro assunto local ou escolar que consideres interessante. Navio Mercante naufragou ao largo da costa UM NAVIO mercante naufragou ontem ao largo da costa portuguesa, informou a agência Lusa. Segundo a fonte do Comando Marítimo do Norte, foram recolhidos 13 tripulantes da embarcação, de bandeira grega, que se previa chegassem ao porto de Leixões, a bordo de um navio-patrulha da Marinha, durante a noite. Desconhecem-se ainda as causas do naufrágio, que ocorreu a cerca de 15 milhas da costa, sem que houvesse vítimas. Público,98.10.17
  • 4. A REPORTAGEM A reportagem tornou-se um dos géneros cada vez mais frequente nos jornais, revistas, rádio e televisão. GENERICAMENTE, PODEMOS DEFINIR A REPORTAGEM ASSIM: É o texto jornalístico elaborado a partir de um facto presenciado pelo repórter que se desloca ao local. Integra, normalmente, falas das personagens intervenientes; Tem como finalidade principal dar a conhecer, informar; Pode incluir passagens emotivas ou poéticas, assim como comentários pessoais do repórter; a originalidade do seu ponto de vista é muito importante, ele relata aquilo que ouve, vê e sente; A linguagem é normalmente corrente, mas apresenta, com frequência, preocupações estilísticas; É um texto jornalístico de autor, ou seja, é assinado. ESTRUTURA Por norma a reportagem é um texto jornalístico longo. Assim, para captar a atenção do leitor e quebrar a monotonia textual e gráfica, apresenta: Um título Uma entrada ( lead) – parágrafo inicial destacado graficamente, que funciona como um resumo ou como apresentação do assunto; O corpo- uma reportagem engloba sempre uma notícia, pormenorizando-a. ( Este tipo de texto implica a deslocação ao local do acontecimento para entrevistar, observar e relatar aquilo que ouve, vê e sente.) Subtítulos orientadores da leitura; Fotografias que ilustram e complementam a informação
  • 5. Actividades: 1 - Preenchendo o quadro abaixo, demonstra que o texto da página 137 do teu manual se trata de uma reportagem. Características SIM NÃO Corresponde à transmissão de factos Tem um carácter predominantemente informativo A linguagem é corrente mas apresenta algumas preocupações estilísticas Exprime comentários pessoais Integra falas das personagens intervenientes. 2 - A reportagem do dia – Visiona um ou mais telejornais e escolhe “A reportagem do dia” cujo resumo apresentarás à turma. Terás de defender a tua escolha com base no interesse / actualidade do seu conteúdo e a qualidade da informação veiculada – rigor informativo, clareza, esclarecimentos prestados pelas testemunhas etc… 3 - Escolhe um assunto no âmbito do teu trabalho de Área de Projecto ou um assunto de âmbito local ( na área onde vives ou estudas) e elabora uma reportagem.
  • 6. A ENTREVISTA A entrevista é um subgénero jornalístico de grande popularidade, pois, qualquer que seja o meio de comunicação em que surja, cria a impressão de contacto directo entre o público e a personagem entrevistada. No caso da entrevista impressa, o diálogo mantido com o entrevistado é passado para um registo escrito, com a fidelidade possível, utilizando o discurso directo, acompanhado ou não de discurso indirecto ou descrições e comentários pessoais. A entrevista informativa centra-se exclusivamente nas palavras do entrevistado que são reproduzidas textualmente. O entrevistador limita-se a fazer as perguntas previamente preparadas. A entrevista criativa é mais livre e requer maia habilidade por parte de quem a realiza. O questionário não é fixo e vai-se adaptando às respostas do entrevistado. O entrevistador deverá preparar antecipadamente a entrevista documentando-se sobre o entrevistado e sobre os assuntos que com este irá abordar. Qualquer que seja o âmbito da informação pretendida, o jornalista deve optar por fazer perguntas breves, claras e concisas, de forma a dar a palavra ao entrevistado. Deve procurar-se que as perguntas sejam abertas, isto é, que evitem a resposta sim ou não. Estrutura - Introdução – descrição da(s) personagem(ns) entrevistada(s), indicação do lugar e razão da entrevista; - Questionário – perguntas de acordo com o tema da entrevista; - Conclusão - opinião do entrevistador sobre o trabalho ou sobre a personalidade do(s) entrevistado(s). Actividades 1- Guião de entrevista Prepara uma entrevista a alguém cuja actividade te interesse. ( Relacionar ou não, com temática da área de Projecto) Recolhe informação sobre o entrevistado Escreve as perguntas que consideres pertinentes
  • 7. A CRÓNICA A crónica, ao contrário dos outros géneros estudados, não tem como finalidade básica informar. A crónica é, por norma, breve e surge numa página fixa do jornal ( ou num espaço determinado da rádio). É uma rubrica a que os leitores ou os ouvintes se habituam. É um texto assinado por um jornalista ou escritor colaborador do jornal. Parte de um assunto do quotidiano, um acontecimento banal, uma moda, um hábito, uma situação presenciada ou vivida pelo cronista. É um texto de reflexão, uma interpretação, uma interrogação que visa “mexer” com os leitores, os ouvintes (de rádio), os espectadores (de televisão). Caracteriza-se pela subjectividade, sendo um olhar livre e pessoal sobre a realidade. Apresenta um tom ligeiro ou polémico, irónico ou humorístico, lírico, narrativo ou reflexivo, numa linguagem cuidada, literária muitas vezes. Actividades 1- Leitura e análise da crónica da página 156 do manual. 2- Escolhe um assunto do teu interesse ou relacionado com a temática do trabalho de Área de Projecto e constrói uma crónica respeitando as características deste tipo de texto.
  • 8. A CRÍTICA Na imprensa, na rádio ou na televisão, é consagrado um espaço maior ou menor à crítica cultural. Especialistas de cinema, teatro, música, dança, artes plásticas, literatura, televisão, debruçam-se sobre a produção e os acontecimentos culturais em foco, apresentando-os e analisando-os. Põem assim, os seus conhecimentos ao serviço de um público vasto, destacando os aspectos que lhes merecem maior atenção, de maneira a informar e, ao mesmo tempo, apreciar, com base em argumentos sólidos. Os artigos de crítica são dos mais polémicos, sendo os seus autores, muitas vezes, responsabilizados pelo êxito ou fracasso de um filme, um livro, um disco, uma exposição. Seja como for, é muito importante o papel da crítica, na divulgação dos produtos culturais e orientação dos gostos do público. Actividades 1- Leitura e análise das críticas das páginas 102 e 103 do teu manual. 2- Vais agora experimentar o papel de crítico. - escolhe um disco ou um filme e elabora sobre ele um pequeno texto crítico de acordo com o seguinte modelo: Introdução – dados de identificação do objecto criticado Desenvolvimento – aspectos considerados mais relevantes; exemplificação Conclusão – opinião favorável ou desfavorável, de acordo com o desenvolvimento. in, PLURAL, Língua Portuguesa 8º ano, Lisboa Editora (Adaptado)