Rm endometriose

2.262 visualizações

Publicada em

Rm endometriose

Publicada em: Ciências
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.262
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Rm endometriose

  1. 1. UTILIZAÇÃO DA RESSONÂNCIA MAGNÉTICA NO AUXILIO DO DIAGNÓSTICO DAENDOMETRIOSE Paula M. F. de Campos Vinicius Henrique Buzzi Robinson Faim
  2. 2. Resumo : A endometriose é definida pela presença de tecido endometrial em diversos locais, principalmente na região pelvica, seus sinais e sintomas são muito variaveis, tendo causas multifatoriais. Seu diagnostico se da por meio da ressonância magnética principalmente sendo considerada como padrão ouro, por conseguir identificar com maior clareza em relação a outros meios. Palavras Chaves: Ressonancia Magnetica. Endometriose. Diagnostico.
  3. 3. Artigos utilizados na revisão Comparação da endometriose pélvica por ressonância magnética em equipamentos de baixo campo (0,2T) e alto campo (1,5T). (MINAF 2009) Ressonância Magnética na endometriose do trato urinário baixo (LIMA 2009) Avaliação Técnica de Ressonância Magnética (MORAES 2011) Avaliação por ressonância magnética das massas pélvicas (SOUZA 2003)
  4. 4. O que é a endometriose? O que é o endométrio? • Endometriose é uma afecção inflamatória provocada por células do endométrio
  5. 5. • É uma doença ginecológica comum, • Caracterizada pela presença de tecido endometrial glandular e/ou estromal fora dos limites uterinos. • Causas: multifatoriais • Acomete 7–10% da população geral. • Acomete principalmente as mulheres na idade reprodutiva e representa causa freqüente de dor pélvica crônica e infertilidade.
  6. 6. Variedade de fatores de risco individual, como baixa paridade, idade, raça, índice da massa corporal, abuso de álcool, tabagismo e estatura, entre outros. Endometriose profunda é a forma mais grave da doença. As causas ainda não estão bem estabelecidas. Uma das hipóteses é que parte do sangue reflua através das trompas durante a menstruação e se deposite em outros órgãos. Outra hipótese é que a causa seja genética e esteja relacionada com possíveis deficiências do sistema imunológico.
  7. 7. Além do peritônio e dos ovários, a endometriose pode estar presente em qualquer parte da pelve feminina, entretanto, na Endometriose Profunda, vários órgãos e regiões podem ser afetados, como mostra a figura abaixo:
  8. 8. Sintomas: A endometriose pode ser assintomática. Quando os sintomas aparecem, merecem destaque: * Dismenorreia – cólica menstrual que, com a evolução da doença, aumenta de intensidade e pode incapacitar as mulheres de exercerem suas atividades habituais; * Dispareunia – dor durante as relações sexuais; * Dor e sangramento intestinais e urinários durante a menstruação; * Infertilidade.
  9. 9. Como é feito o diagnóstico da endometriose? • Diagnóstico Clínico • Diagnóstico Laboratorial • Diagnóstico por Imagem
  10. 10. Como a Ressonância Magnética é utilizada? • Ressonância Magnética da Pelve
  11. 11. Ressonância Magnética da Pelve - Permite a identificação das lesões de permeio a aderências e a avaliação da extensão das lesões subperitoneais. - É um bom método para avaliar e identificar componentes hemorrágicos típicos dos endometriomas. - Mapeia implantes de endometriose profunda em locais não acessíveis ao ultrassom e, principalmente, na avaliação de grandes aderências envolvendo os ureteres - Em pacientes adolescentes e virgens, este é o método de escolha na investigação da doença.
  12. 12. Ressonância Magnética Nuclear É recomendada para complementar o diagnóstico da endometriose pélvica. As principais indicações estão relacionadas ao estadiamento da doença, ou seja, na maneira de avaliar a extensão da endometriose em relação ao órgão no qual se originou, e na análise de imagens duvidosas no estudo com o ultrassom. Permite a avaliação dos ovários, de alguns ligamentos, intestino e, eventualmente, de focos maiores no peritônio. A ressonância hoje em dia é uma alternativa ao ultrassom transvaginal com preparo intestinal, usado preferencialmente em mulheres virgens, mas ainda apresenta algumas limitações no diagnóstico preciso da endometriose.
  13. 13. Outros exames de imagem: • Ultrassonografia transvaginal
  14. 14. Outros exames de imagem: • Eco-colonoscopia
  15. 15. Prós e contras: Prós: A Utilização da RM fornce uma Sensibilidade e Especificidade maior Menos incomodo para o paciente durante o procedimento Contra: Metodo de alto custo financeiro Necessidade de diferentes protocolos para realização do exame Em alguns casos o exame deve ser feito durante periodo Menstrual.
  16. 16. Conclusão: Contudo, concluímos que a utilização da ressonância magnética para o diagnóstico da endometriose possui mais confiabilidade do que a ultrassonografia de um modo geral, em especial para a endometriose profunda, devido a qualidade da imagem obtida com o método.
  17. 17. Referências MINAF, Karine. Comparação da endometriose pélvica por ressonância magnética em equipamentos de baixo campo (0,2T) e alto campo (1,5T). 2008. Radiol Bras vol.42 no.1 São Paulo. Jan/Fev.2009 LIMA, Claudio Márcio Amaral de Oliveira; COUTINHO, Elisa Pompeu Dias; RIBEIRO, Érica Barreiros; DOMINGUES, Marisa Nassar Adair; JUNQUEIRA, Flávia Pegado; JUNIOR, Antonio Carlos Coutinho; Ressonância Magnética na endometriose do trato urinário baixo. Radiol Bras, 2009 Mai/Jun; 42(3):193-197 Rio de Janeiro. MORAES, Luciano de. Avaliação Técnica de Ressonância Magnética,. 2011. 9 f. Tese (Doutorado) - Curso de Engenharia Biomédica (ieb-ufsc), Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2011 SOUZA, Luís Ronan Marquez Ferreira de; FAINTUCH, Salomão; GOLDMAN, Suzan Menasce. Avaliação por ressonância magnética das massas pélvicas. Imagem, São Paulo, v. 1, n. 25, p.5-11, Jan/2003.
  18. 18. Referências http://endometriosesp.com.br/endometriose/read/5/como-diagnosticar#. UqEe77R28Zw http://www.rb.org.br/detalhe_artigo.asp?id=973 http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5151/tde-25032009- 093011/pt-br.php http://drauziovarella.com.br/mulher-2/endometriose/ http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0100- 39842008000200013&script=sci_arttext

×