Feohifomicose

1.214 visualizações

Publicada em

Feohifomicose

Publicada em: Ciências
  • Seja o primeiro a comentar

Feohifomicose

  1. 1. FEOHIFOMICOSE Paula Mar ia Fer rei ra de Campos Vinicius Henr ique Buzzi
  2. 2. Acomete geralmente populações rurais de regiões tropicais da america do sul e central, pacientes com imunodeficiencia decorrente de uso prolongado de medicamentos, idosos, HIV+, quimioterapicos. Obs: A presença de imunossupressão não é condição obrigatoria para ocorrencia de feohifomicose.
  3. 3. INTRODUÇÃO: A Feo-hifomicose é um termo que faz referência a infecções oportunistas cutâneas, subcutaneas e sistemicas, é uma doença causada por fungos demáceos, principalmente pelo generos Wangiella, Alternaria e Exopbiala.
  4. 4. RELATO DO CASO: Paciente sexo Masculino, 45 anos, casado, motorista, residente em Balneário Camboriú (SC). Relato: Máculas eritêmato-escamosas e pruriginosas na região inguinal esquerda deslocada até a hemibolsa escrotal esquerda. Utilizou metodos de auto-medicação como cremes ocasionando o desaparecimento das lesões. Nos finais de semana, como habito trabalhava na horta em contato direto com a terra, relatando apos 2 meses, o aparecimento de lesão unica com abscesso, pruriginosa e as vezes dolorosa na bolsa escrotal esquerda, aumentado o volume e drenagem espontanea do exsudato.
  5. 5. AVALIAÇÃO CLINICA E LABORATORIAL: Urologista: 1º consulta ao urologista: Foi realizada a drenagem cirurgica e encaminhada fragmento para exames histopatologicos. Resultado: Identificação de inflamação crônica inespecifica, tecido em granulação e fibrose tecidual. 2º consulta ao urologista: Decorrente da recidiva da lesão, foi então realizado exérese e encaminhado para novo exme histopatologico. Resultado: o mesmo da primeira amostra/consulta. Sendo portanto encaminhado ao dermatologista.
  6. 6. DERMATOLOGISTA: Relato de lesão com abscesso subcutaneo, unica, não saliente, palpavel de 4 cm, cicatrizes atroficas, presença de fistula com saida de exsudato serossanguinolenta e sem linfonodos palpaveis Fig 1 e 2
  7. 7. LABORATORIAL: Hemograma, glicemia e provas de função renal e hepatica com resultados normais. VDLR-quantitativo FTA-Abs - (Fluorescent Treponemal Antibody) Anti HIV 1 e 2 Diabetes mellitus Resultado: todos negativos
  8. 8. RESULTADO MICOLOGICO: A coleta foi realizada com swab no interior da lesão atravez da fistula existente e armazenada em salina 0,85%. Exame direto: Hifas demaceas com predominancia de elementos leveduriformes. Fig 3.
  9. 9. CULTURA: Utilizado Agar Sabouraud-glicose a 2%, 20º - 30º durante 30 dias Macromor fologia: Fig. 4. Apos 10 dias apresentou micelio aereo, extura aveludada, pontos negros-amarronzados e o reverso oliva-acinzentado.
  10. 10. MICROMORFOLOGIA: Compativeis com Exophiala jeanselmei Fig. 5
  11. 11. EXOPHIALA JEANSELMEI : Agente tipico causador da feo-hifomicose subcutanea, sua infecção esta relacionada a inoculação direta em traumas,cortes,ferimentos contaminados com terra, vegetais, plantas e madeiras em decomposição.
  12. 12. TRATAMENTO: Utilização de Fluconazol 450mg via oral 1x na semana durante 12 semanas, apresentando regressão da lesão. No periodo pre-operatorio foi administrado 150mg de fluconazol diariamente por 1 semana, para posterior excisão cirurgica da lesão.
  13. 13. OUTROS MEDICAMENTOS: Medicamentos alternativos para tratamento acompanhado de processos cirurgicos são terbinafina, itraconazol, cetoconazol, fluconazol, anfotremicina B.
  14. 14. CURA: Realização do exame histopatologico com metodo de PAS-CD com pesquisa de fungos negativa, confirmando o bom resultado do tratamento. O paciente não apresentou durante o companhamento por 5 anos nenhuma reincidiva.
  15. 15. OBRIGADO!!

×