CENTRO DE ENSINO UNIFICADO DE TERESINA – CEUTFACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS E JURÍDICASDE TERESINA – FCHJTCOORDENADORIA DO ...
PAULA FORTES MONTE FRANKLIN   DAVID JÔNATAS MACÊDO DA SILVA       CAMPANHA PUBLICITÁRIACAPTAÇÃO DE RECURSOS – TIME SIFE CE...
Dedico este trabalho aos meus pais, Benjamin e Gilma, peloamor; aos meus irmãos Renata, Camila e Lucas, peloaprendizado co...
AGRADECIMENTOSÀ Deus, pela graça alcançada;Às nossas famílias, pela base, paciência e força;Aos professores que elogiaram,...
RESUMO        O presente trabalho é um projeto de Publicidade e Propaganda que utiliza as ferramentasde comunicação e estr...
ABSTRACT        This work is an advertising and publicity project that uses communication tools and directmarketing strate...
LISTA DE GRÁFICOSGráfico 1:Perfil do Consumidor -Considerações quanto ao tipo de empresa..................40Gráfico       ...
Gráfico 16:Perfil do Consumidor -Considerações quanto à política de verba para investimento emResponsabilidade Social........
LISTA DE TABELASTabela 1: Principais benefícios para o Consumidor........................................................2...
LISTA DE PEÇASPeça 1: Carta Teaser – Envelope................................................................................
SUMÁRIOINTRODUÇÃO............................................................................................................
“A melhor maneira de prever o futuro é criá-lo”                                 Peter Drucker  “A head for a business, a h...
INTRODUÇÃO       Com o estabelecimento das políticas neoliberais na década de 1970, pôde-se acompanharo crescimento econôm...
Terceiro Setor (economicamente e individualmente) assim como a Responsabilidade Socialempresarial, mostrando-se sensível a...
BRIEFING
1.1 EMPRESA1.1.1.ClienteSIFE CEUT1.1.2.Nome, Razão SocialNome: SIFE – STUDENTS IN FREE ENTERPRISE.A instituição ainda não ...
1.1.4.Histórico do Cliente       SIFE é a abreviatura em inglês de Students In Free Enterprise (Estudantes em LivreIniciat...
em Livre Iniciativa. Por ainda não possui uma sede própria, as reuniões são sempre realizadas naagência Jr. (Inove) locali...
1.1.4.2. Projeto Barra Grande       A parceria da Faculdade CEUT e da universidade estadual americana GeorgiaSouthwestern ...
1.1.4.3. Projeto Muda Teresina       O Projeto Muda Teresina conta com parceria entre o Time SIFE CEUT e escolas da zonale...
1.1.4.4. Projeto Líderes do Futuro       O objetivo do Projeto é transmitir, inicialmente, a história e a experiência de l...
1.1.4.5. Projeto Carreira S/A       Mais recente de todos os projetos, a idéia inicial do Carreira S/A foi lançada no prim...
1.1.4.6. Prêmio Destaque em Livre Iniciativa       Paralelo aos outros projetos, foi lançado no ano de 2007 o “Prêmio Dest...
1.1.5.Setor de Atividade       Podemos afirmar que o setor de atividade onde o Time SIFE CEUT encaixa-se é oTerceiro Setor...
1.2. SERVIÇO1.2.1. Nome         Time SIFE CEUT1.2.2. Características Básicas e componentes         O Time SIFE CEUT é um g...
Marketing pode ser definido como: A área do conhecimento que engloba todas                        atividades concernentes ...
1.2.5. Principais Benefícios para o Consumidor:                COMUNIDADES                                                ...
1.2.6. Aceitação e imagem da marca atualmente no mercado       O Time SIFE CEUT passou no ano de 2008 por um momento de tr...
Time SIFE CEUT possuía por volta de 10 membros e em 2008 já possui 17, que trabalham em 6projetos.       No ano de 2008, o...
Contas prestadas pela Agência Made, contratada pela Faculdade CEUT                                      Período – Setembro...
1. 3. MERCADO1.3.1. Características gerais e históricas do mercado       De acordo com o levantamento nacional sobre organ...
1.3.3. Distribuição geográfica       O mercado de Terceiro Setor no Piauí concentra-se basicamente em sua capital, Teresin...
1. 4. CONSUMIDOR1.4.1. Perfil Geral       Consumidor é o público a que o produto ou serviço é destinado. No caso da ONG SI...
1. 5. CONCORRÊNCIAPrincipal Concorrente Direto e suas Características Diferenciadas:                                   Jún...
projetos, dente eles a Miniempresa (voltado para estudantes do Ensino Médio onde estesdesenvolvem ações e aprendem sobre u...
Principais Concorrentes Indiretos- Lar de Maria- Lar da Fraternidade- Abrigo São LucasEsforços de Comunicação realizados p...
fazendo assim, melhor controle do capital. Para tanto, todo o processo burocrático quanto aCNPJ, Razão Social e abertura d...
PESQUISA
2. PESQUISA       Para a fundamentação de um Plano de Comunicação eficiente, foi necessário a efetivaçãode pesquisa, meio ...
2.1. Considerações quanto ao Tipo de Empresa       Os dados levantados pela pesquisa de campo realizada nos dias 25/10/200...
anual seja superior ao limite máximo estabelecido no inciso II do art. 3º. da Lei                        Complementar Fede...
2.3. Considerações quanto aos mercados que atuam.       78% do público-alvo declarou que sua Empresa atua em outros Estado...
2.4.Considerações quanto ao investimento no meio social        92% do público-alvo costumam investir no meio social.      ...
2.5.Considerações quanto à colaboração em alguma instituição ou projeto social.        92% do público-alvo declarou já ter...
2.6.Considerações quanto ao tipo de instituição ou projeto já beneficiado.        Analisando a pesquisa realizada de 25/10...
2.7. Considerações quanto ao tempo de colaboração.       67% do público-alvo entrevistado declarou já ter colaborado com u...
2.8. Considerações quanto ao motivo para colaboração       50% do público-alvo declarou a Solidariedade como principal mot...
2.9.Considerações quanto aos critérios que são considerados primordiais para a decisão de    escolha de projeto ou institu...
De acordo com a pesquisa realizada de 25/10/2008 e 10/11/2008, 45% do público-alvodeclarou que a Quantidade de pessoas ben...
De acordo com a pesquisa realizada de 25/10/2008 e 10/11/2008, 92% dos entrevistadosdeclararam que acreditam que a consciê...
Na pesquisa realizada de 25/10/2008 e 10/11/2008, 77% dos entrevistados declararam játer realizado de algum tipo de pesqui...
De acordo com a pesquisa realizada de 25/10/2008 e 10/11/2008, dos 77% que declararamjá ter realizado de algum tipo de pes...
Em análise à pesquisa realizada de 25/10/2008 e 10/11/2008, ao serem indagados sobre oconceito do uso de Responsabilidade ...
De acordo com a pesquisa realizada de 25/10/2008 e 10/11/2008, 61% do público-alvodeclarou considerar que Responsabilidade...
trabalham é aquele voltado para o Social; 18% afirmou que é aquele voltado para o MeioAmbiente; outros 18% afirmou que é a...
projeto; 31% declararam que a política usada era a porcentagem de lucro da Empresa; 8%declararam que a política usada era ...
chegado a investir até 5 mil reais; 15% declararam já ter chegado a investir de 10 a 20 mil reais;outros 15% declararam já...
CEUT, instituição que, através de seus projetos, encaixa-se na maioria dos tipos deprojeto/instituição relacionados acima.
DIAGNÓSTICO
3. DIAGNÓSTICO        As decisões sobre o ciclo de comunicação foram tomadas a partir do cruzamento dostópicos a seguir.  ...
b. Serviço                  Pontos Fortes                                      Pontos Fracos• O Time é reconhecido no cená...
3.2. Ameaças e Oportunidades                   Ameaças                                      Oportunidades- A quantia de ON...
PROPOSTAS
4. PROPOSTAS        Este item é voltado para a apresentação dos objetivos, estratégias e táticas a seremdesenvolvidas para...
-   Estabelecer integração entre empresário (colaborador ou não) e Time SIFE CEUT;   -   Mostrar ao público-alvo as vantag...
4.4.Planejamento de Comunicação Integrada de MKT       Diante dos dados citados pelo Briefing, é necessário concluir que s...
fundraisers, em todos os momentos de contato com a Empresa/Empresário deverão estardevidamente bem trajados (é fundamental...
responsabilidade do membro componente do Time responsável pela Assessoria de Imprensa , efará com que a comunidade teresin...
Campanha sife ceut   arquivo final
Campanha sife ceut   arquivo final
Campanha sife ceut   arquivo final
Campanha sife ceut   arquivo final
Campanha sife ceut   arquivo final
Campanha sife ceut   arquivo final
Campanha sife ceut   arquivo final
Campanha sife ceut   arquivo final
Campanha sife ceut   arquivo final
Campanha sife ceut   arquivo final
Campanha sife ceut   arquivo final
Campanha sife ceut   arquivo final
Campanha sife ceut   arquivo final
Campanha sife ceut   arquivo final
Campanha sife ceut   arquivo final
Campanha sife ceut   arquivo final
Campanha sife ceut   arquivo final
Campanha sife ceut   arquivo final
Campanha sife ceut   arquivo final
Campanha sife ceut   arquivo final
Campanha sife ceut   arquivo final
Campanha sife ceut   arquivo final
Campanha sife ceut   arquivo final
Campanha sife ceut   arquivo final
Campanha sife ceut   arquivo final
Campanha sife ceut   arquivo final
Campanha sife ceut   arquivo final
Campanha sife ceut   arquivo final
Campanha sife ceut   arquivo final
Campanha sife ceut   arquivo final
Campanha sife ceut   arquivo final
Campanha sife ceut   arquivo final
Campanha sife ceut   arquivo final
Campanha sife ceut   arquivo final
Campanha sife ceut   arquivo final
Campanha sife ceut   arquivo final
Campanha sife ceut   arquivo final
Campanha sife ceut   arquivo final
Campanha sife ceut   arquivo final
Campanha sife ceut   arquivo final
Campanha sife ceut   arquivo final
Campanha sife ceut   arquivo final
Campanha sife ceut   arquivo final
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Campanha sife ceut arquivo final

1.109 visualizações

Publicada em

Trabalho de Conclusão de Curso apresentado à banca examinadora como requisito parcial para obtenção do grau de bacharel em Comunicação Social com habilitação em Publicidade e Propaganda, sob a orientação da Professora Especialista Polyanna Molina Galli

Publicada em: Educação
1 comentário
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.109
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
16
Comentários
1
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Campanha sife ceut arquivo final

  1. 1. CENTRO DE ENSINO UNIFICADO DE TERESINA – CEUTFACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS E JURÍDICASDE TERESINA – FCHJTCOORDENADORIA DO CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIALHABILITAÇÃO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA CAMPANHA PUBLICITÁRIA CAPTAÇÃO DE RECURSOS – TIME SIFE CEUT PAULA FORTES MONTE FRANKLIN DAVID JONATAS MACÊDO DA SILVA Teresina/ PI 2008
  2. 2. PAULA FORTES MONTE FRANKLIN DAVID JÔNATAS MACÊDO DA SILVA CAMPANHA PUBLICITÁRIACAPTAÇÃO DE RECURSOS – TIME SIFE CEUT Trabalho de Conclusão de Curso apresentado à banca examinadora como requisito parcial para obtenção do grau de bacharel em Comunicação Social com habilitação em Publicidade e Propaganda, sob a orientação da Professora Especialista Polyanna Molina Galli Teresina/ PI 2008
  3. 3. Dedico este trabalho aos meus pais, Benjamin e Gilma, peloamor; aos meus irmãos Renata, Camila e Lucas, peloaprendizado contínuo; às Supers, pela sólida amizade construídanesses 4 anos; aos Fortes Monte e aos Franklin, pelo incentivo eapoio. Essa vitória é nossa. Ao meu amigo e companheiro deaventuras David, pelos bate-bocas, abraços, cafés , brainstorms eexemplo de humanidade. Paula Fortes Monte FranklinDedico este trabalho à minha mãe Ivonete Macêdo pelo amor desempre, ao meu pai, aos meus irmãos que tanto amo, por todos osanos de amizade, brigas e amor, aos “felas” por estarem comigosempre que preciso, ao Bruno e Vil por terem se tornado irmãos,à Paulinha pela amizade, paciência e exemplo de companhei-rismo. David Jônatas Macêdo da Silva
  4. 4. AGRADECIMENTOSÀ Deus, pela graça alcançada;Às nossas famílias, pela base, paciência e força;Aos professores que elogiaram, criticaram, riram, puxaram orelhas; nos fizeram rir, chatear, ler, quebrar cabeça ehoje, agradecer. Nosso muuuuiiito obrigado.À nossa orientadora, Poly, pela atenção, incentivo e amizade;Ao Time SIFE CEUT, pela convivência, aprendizado e despertar cidadão;À Larissa pelos conselhos;À Camila, Patrícia e Jeane, pelos “pesquisa é assim mesmo, não se preocupem”, “vai dar certo, gente” e “vamo lá,meu povo, vamo lá!”, respectivamente. Foi e é um prazer ter a oportunidade de trabalhar com todas e tê-las comoamigas.Ao Marcel, Amanda e Airlon, eternos Inovandos Inovadores;Aos colegas de classe, figuras habitantes de mundos diversos e responsáveis por trocas de conhecimento e diversão;Ao Júlio, Bernardo e Benício. O CEUT é vocês.A todos os amigos que nos apoiaram e fizeram ver que o futuro é a gente que faz.
  5. 5. RESUMO O presente trabalho é um projeto de Publicidade e Propaganda que utiliza as ferramentasde comunicação e estratégias de Marketing Direto para captação de recursos para o Time SIFECEUT, ONG universitária existente há 5 anos. Como procedimentos metodológicos foram feitaspesquisas bibliográficas e de campo com aplicação de questionários e entrevistas, como posterioranálise de dados coletados. A campanha aqui apresentada tem o intuito de destacar a importânciaatual do uso da Responsabilidade Social e do investimento no Terceiro Setor.Palavras-chave: Publicidade e Propaganda; Marketing; Responsabilidade Social, Time SIFECEUT.
  6. 6. ABSTRACT This work is an advertising and publicity project that uses communication tools and directmarketing strategies for SIFE CEUT Team fund-raising, a NGO founded 5 years ago byuniversity students. Bibliographic researches and field application of questionnaires andinterviews were performed as methodological procedures, and subsequent analysis of thecollected data. This campaign has made an effort to highlight the importance of using the currentSocial Responsibility and investment in the Third Sector.Keywords: Publicity and Advertising, Marketing, Social Responsibility, SIFE CEUT Team
  7. 7. LISTA DE GRÁFICOSGráfico 1:Perfil do Consumidor -Considerações quanto ao tipo de empresa..................40Gráfico 2:Perfil do Consumidor -Considerações quanto à atuação em outrosmercados..........................................................................................................................41Gráfico 3:Perfil do Consumidor -Considerações quanto aos mercados queatuam...............................................................................................................................42Gráfico 4:Perfil do Consumidor -Considerações quanto ao investimento no meiosocial................................................................................................................................43Gráfico 5:Perfil do Consumidor -Considerações quanto à colaboração em alguma instituição ouprojeto social.............................................................................................44Gráfico 6:Perfil do Consumidor -Considerações quanto ao tipo de instituição ou projeto jábeneficiado...................................................................................................................45Gráfico 7:Perfil do Consumidor -Considerações quanto ao tempo de colaboração .......46Gráfico 8:Perfil do Consumidor -Considerações quanto ao motivo paracolaboração......................................................................................................................47Gráfico 9:Perfil do Consumidor -Considerações quanto aos critérios que considerado primordiaispara a decisão de escolha de projeto ou instituição a ser ajudada................48Gráfico 10:Perfil do Consumidor -Considerações quanto à crença que a consciência social porparte da empresa reflete na sociedade (consumidor)......................................49Gráfico 11:Perfil do Consumidor -Considerações quanto ao realização de algum tipo de pesquisassobre o reflexo da consciência social por parte da empresa - reflexo na sociedade(consumidor)...................................................................................................50Gráfico 12:Perfil do Consumidor -Considerações quanto à afirmação do resultado das pesquisasjá realizadas sobre o reflexo da consciência social por parte da empresa - reflexo na sociedade(consumidor)..................................................................................51Gráfico 13:Perfil do Consumidor -Considerações quanto o uso da Responsabilidade Social..............................................................................................................................52Gráfico 14:Perfil do Consumidor -Considerações quanto o conceito de ResponsabilidadeSocial..................................................................................................53Gráfico 15:Perfil do Consumidor -Considerações quanto ao perfil daEmpresa...........................................................................................................................54
  8. 8. Gráfico 16:Perfil do Consumidor -Considerações quanto à política de verba para investimento emResponsabilidade Social.....................................................................55Gráfico 17:Perfil do Consumidor -Considerações sobre quantia do investimento em umprojeto/instituição........................................................................................................... 56
  9. 9. LISTA DE TABELASTabela 1: Principais benefícios para o Consumidor........................................................27Tabela2: Contas prestadas pela Agência Made – Set/2005.............................................30Tabela 3: Contas prestadas pela Agência Made – Set/2008............................................30Tabela 4: Pontos fortes e fracos do Produto....................................................................60Tabela 5: Pontos fortes e fracos do Serviço....................................................................61Tabela 6: Ameaças e Oportunidades...............................................................................62Tabela 7: Ferramentas e suas características...................................................................67Tabela 8: Cronograma – Objetivos de Comunicação......................................................70Tabela 9: Custos de Criação............................................................................................94Tabela 10: Custos de Produção.......................................................................................94Tabela 11: Cronograma – Ações de Comunicação.........................................................95
  10. 10. LISTA DE PEÇASPeça 1: Carta Teaser – Envelope....................................................................................71Peça 2: Carta Teaser........................................................................................................72Peça 3: Pasta....................................................................................................................73Peça 4: Folder............................................................................................................74- 77Peça 5: Site................................................................................................................79/ 80Peça 6:Newsletter.......................................................................................................82/83Peça 7:Mala Direta - Caixa........................................................................................84/ 85Peça 8: Mala Direta – DVD.............................................................................................85Peça 9: Portfólio.........................................................................................................86-91Peça 10: Convite Evento..................................................................................................92
  11. 11. SUMÁRIOINTRODUÇÃO.............................................................................................................131. BRIEFING ................................................................................................................151.1 Empresa ....................................................................................................................161.2 Serviço ......................................................................................................................251.3 Mercado ....................................................................................................................311.4 Consumidor ..............................................................................................................331.5 Concorrência .............................................................................................................341.6 Objetivos de Mercado ...............................................................................................362. PESQUISA ................................................................................................................383. DIAGNÓSTICO .......................................................................................................593.1. Pontos fortes e pontos fracos ...................................................................................613.2. Ameaças e Oportunidades .......................................................................................624. PROPOSTAS ............................................................................................................634.1. Objetivo de Marketing..............................................................................................644.2. Objetivo de Campanha.............................................................................................644.3. Posicionamento ........................................................................................................654.4. Conceito de Campanha ............................................................................................714.5. Criação .....................................................................................................................714.6. Peças de Criação ......................................................................................................714.7. Plano de Mídia ........................................................................................................95CONSIDERAÇÕES FINAIS .......................................................................................96REFERÊNCIAS ......................................................................................................97-99APÊNDICES ...............................................................................................................100ANEXOS .....................................................................................................................103
  12. 12. “A melhor maneira de prever o futuro é criá-lo” Peter Drucker “A head for a business, a heart for the world” SIFE
  13. 13. INTRODUÇÃO Com o estabelecimento das políticas neoliberais na década de 1970, pôde-se acompanharo crescimento econômico de muitas nações. Porém, nem todas tiveram esse mesmo ritmo. Sempoderem receber fundos ou possuírem condições que favorecessem seus mercados (falta deestrutura financeira, solidez na economia), os países que não se destacaram e tiveram o mesmo“boom” ficaram fadados ao fracasso organizacional. A concentração de riquezas nas mãos demuitos e a falta dela nas mãos de poucos colocou a maioria da população na pobreza, tornando-semotivo para o nascimento de instituições e organizações de fins filantrópicos, sustentadasfinanceiramente por grandes empresas. Pela enorme concentração dessas grandes empresas no país, os Estados Unidosdestacaram-se, tornando-se parâmetro mundial de maior desenvolvimento do Terceiro Setor. Acultura em prol do associativismo e do voluntariado foi fator decisivo para esse destaque. No Brasil, o início das atividades sociais se deu com a vinda da Coroa Portuguesa e daIgreja Católica, que cuidava da evangelização e educação dos indígenas e dependiaexclusivamente dos recursos provenientes do Estado. Ela passa a desenvolver trabalhos deassistência social, saúde e educação após a Proclamação da República, quando rompe com oEstado. Dessa forma, a filantropia foi desenvolvida durante mais de três séculos sob opredomínio da caridade cristã. Anos depois, em período do Regime Militar, aumenta-se amodernização e os ideais de autonomia em relação ao Estado, e é nessa época que as ONGscrescem e consolidam-se aqui. Em 1994, após a instituição de uma nova cláusula contratual definida pelo Banco Mundialque visava a melhoria do ensino básico em São Paulo e definia que os municípios seriamobrigados a repassar 15% dos recursos recebidos para ONGs; foi realizada, pela primeira vez,uma pesquisa (a anterior ausência dessa pesquisa foi o principal motivo para que nenhum repassejamais houvesse sido feito) para saber quais e quantas eram as organizações não-governamentaisexistentes. A partir daí, o processo de captação de recursos que envolvia o Terceiro Setor ganhoumais seriedade e apoio, deixando de ser puramente filantrópico e passando a serresponsavelmente social. O trabalho a seguir têm o objetivo de atingir o público-alvo (Empresários/ Empresas quepossuem potencial para investimento financeiro) que reconhece a importância da existência do
  14. 14. Terceiro Setor (economicamente e individualmente) assim como a Responsabilidade Socialempresarial, mostrando-se sensível ao enxergar tais mudanças e possuindo o poder decolaboração em ONGs e instituições sociais. A ONG universitária SIFE CEUT é a cliente emquestão, e através de pesquisas e análises, pudemos chegar a conclusões sobre o cliente, omercado, a concorrência e o público-alvo, buscando a melhor maneira de atingi-lo. Consideramos este trabalho diferenciado e único, pois o núcleo acadêmico teresinenseainda é carente de trabalhos voltados ao Marketing Social de cunho empresarial. Esperamos queeste estudo faça a diferença e ganhe grande contribuição para aqueles que acreditam noempreendedorismo, no fazer o bem ao próximo, na Publicidade e na Propaganda.
  15. 15. BRIEFING
  16. 16. 1.1 EMPRESA1.1.1.ClienteSIFE CEUT1.1.2.Nome, Razão SocialNome: SIFE – STUDENTS IN FREE ENTERPRISE.A instituição ainda não possui CNPJ ou Razão Social, porém o processo para obtê-los jáencontra-se em andamento.1.1.3.PorteMicroempresa, de acordo com Lei n°11.196, de 21 de novembro de 2005, art.2°, I: Para os fins do disposto nesta Lei, considera-se: I - microempresa a pessoa jurídica que tenha auferido, no ano-calendário, receita bruta igual ou inferior a R$ 240.000,00 (duzentos e quarenta mil reais); (Distrito Federal, 2005).Tendo em vista que a Lei n° 9.790, de 23 de março de 1999, deixa claro que: Dispõe sobre a qualificação de pessoas jurídicas de direito privado, sem fins lucrativos, como Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público, institui e disciplina o Termo de Parceria, e dá outras providências. (Distrito Federal, 1999).
  17. 17. 1.1.4.Histórico do Cliente SIFE é a abreviatura em inglês de Students In Free Enterprise (Estudantes em LivreIniciativa), uma organização estudantil internacional que surgiu em 1975 nos Estados Unidos ehoje está presente em mais de 40 países. Os estudantes das universidades que participam da SIFE desenvolvem projetos em suascomunidades baseando-se em sete pilares: economia de mercado, habilidades funcionais,empreendedorismo, auto gerenciamento financeiro, ética nos negócios, sustentabilidade do grupoe dos projetos e sustentabilidade ambiental. Essa organização surgiu com o objetivo de colocarem prática o que os alunos aprendem em sala de aula, aplicando o seu conhecimento nocotidiano, difundindo os benefícios da livre iniciativa, do empreendedorismo, da ética nosnegócios e o sucesso financeiro como bases para a democracia, a prosperidade e a liberdade comresponsabilidade social, com isso contribuem decisivamente para a melhoria dos padrões de vidae para o desenvolvimento econômico de suas comunidades. Atualmente, a SIFE Brasil conta com sete colaboradores fixos. São eles: Wal Mart,KPMG, HSBC, Kraft Foods, Richs Products, Korn Ferry e Certbeef. De acordo com ThiagoMascarenhas, presidente do Time SIFE CEUT 2006-2007 e hoje Diretor de Projetos da SIFEBrasil, “A SIFE Brasil busca apoio de empresas estratégicas que possuem contato com a SIFEGlobal. Por exemplo: buscamos o HSBC aqui no Brasil porque o HSBC no mundo todo apoia aSIFE, da mesma forma como KPMG. Além disso se usa contatos dos membros do board queindicam empresas ou contatos feitos em eventos que os executivos da SIFE Brasil encontram-se etentam vender a SIFE. Portanto Também tem o lado corpo a corpo.” Como chairman da SIFEBrasil, o primeiro contato é feito por Danilo Leão (também antigo sifer (ex aluno SIFE) pela PUCCampinas – SP), que é encarregado unicamente de tais trativas. O Time SIFE CEUT teve início em 2004, sempre desenvolvendo projetos emcomunidades carentes na área social, empreendedora e educacional. Em 2005 foi campeãonacional pela primeira vez na Copa SIFE de Projetos, onde todas as universidades que participamtêm seus projetos avaliados por juízes, que são profissionais reconhecidos no cenário nacional einternacional. Em 2007, levou o título nacional novamente e representou o Brasil na CopaMundial SIFE em Nova York – EUA. Hoje, o Time SIFE CEUT desenvolve sete projetos:Chocolarte, Barra Grande, Muda Teresina, Líderes do Futuro, Carreira S/A e Prêmio Destaque
  18. 18. em Livre Iniciativa. Por ainda não possui uma sede própria, as reuniões são sempre realizadas naagência Jr. (Inove) localizada na faculdade CEUT.1.1.4.1.Projeto Chocolartehuy Foi um dos primeiros projetos desenvolvidos pelo TIME SIFE CEUT. No ConjuntoHabitacional Betinho, uma das comunidades mais pobres do Piauí, a taxa de desemprego giravaem torno de 40% e a renda mensal média familiar era de 130 reais. A partir dessa realidade, foiidealizado o Projeto Chocolarte. Desde 2004, o Projeto vem mudando a vida de 12 mulheres esuas famílias através de cursos de capacitação e apoio de parceiros como a empresária MicaelaFonseca. As mulheres foram preparadas para a produção e comercialização de chocolatesartesanais. Hoje, o Chocolarte gera renda, contribuindo com quase 80% do orçamento dasfamílias diretamente envolvidas, e está sendo implantado em outras comunidades. O projetosegue também com outro enfoque, o do mundo corporativo. Grandes empresas do Estado, estãoencomendando chocolates em formatos de brindes para datas comemorativas, fazendo o maiorsucesso.
  19. 19. 1.1.4.2. Projeto Barra Grande A parceria da Faculdade CEUT e da universidade estadual americana GeorgiaSouthwestern originou o Projeto Barra Grande e foi determinante para o seu sucesso. Acomunidade Barra Grande, município de Cajueiro da Praia, é uma pequena colônia, que nopassado, era habitada apenas por pescadores, e, atualmente, possui comércio e diversas pousadas,focados no turismo estrangeiro. E com destaque para a prática do kitesurf, que encontra condições ideais na região. OTime SIFE CEUT juntamente com estudantes da Georgia idealizou todas as etapas de construçãodeste grande projeto, que visa exatamente à conscientização da comunidade na preservação domeio-ambiente e sua exploração sustentável, a geração de renda e o desenvolvimento econômico.Hoje, o Projeto Barra Grande, encontra-se em sua segunda fase de execução, visando à geraçãode renda através da reconstrução e operacionalização do bar e restaurante da Associação dePescadores da Barra Grande.
  20. 20. 1.1.4.3. Projeto Muda Teresina O Projeto Muda Teresina conta com parceria entre o Time SIFE CEUT e escolas da zonaleste da rede pública municipal de Teresina, que visa à conscientização dos alunos daproblemática ambiental e à geração de renda através do plantio de hortas comunitárias, pelospais, nos lotes ociosos dos terrenos municipais. O Projeto encontra-se, por enquanto, na CrecheMahatma Gandhi e Escola Francisco Prado, bairro Satélite.
  21. 21. 1.1.4.4. Projeto Líderes do Futuro O objetivo do Projeto é transmitir, inicialmente, a história e a experiência de líderes danossa cidade através de um programa em formato talk-show. Temas como economia de mercado,empreendedorismo, ferramentas de comunicação, habilidades que garantem sucesso, educaçãofinanceira, ética nos negócios, estarão sendo debatidas de uma forma descontraída e direta. E opúblico-alvo são os jovens (de 18 a 24 anos). O Líderes do Futuro contou em sua primeira edição,como entrevistado, o Prefeito de Teresina Sílvio Mendes.
  22. 22. 1.1.4.5. Projeto Carreira S/A Mais recente de todos os projetos, a idéia inicial do Carreira S/A foi lançada no primeirosemestre de 2008. Em parceria com a ONG Bravo, o Time SIFE CEUT cria o Projeto CarreiraS/A, que tem por objetivo a preparação de jovens, com mais de 18 anos de idade, para o mercadode trabalho. Os cursos de capacitação, em diversas áreas do mercado, ficam a cargo da ONGBravo e o Time SIFE CEUT os direcionará para o destino certo. Este, sem dúvida, é dos projetos mais ousados, mas extremamente gratificante por seusresultados. Cada oportunidade criada será tida como uma vitória para a vida.Pelo seu pouco tempo de execução, este projeto não possui logomarca ou arquivo de fotos;porém, estes dados/arquivos têm a previsão de execução possuindo o prazo de até 30 dedezembro. Pelo mesmo motivo (pouco tempo de atuação) também não estará incluso no material dedivulgação da Campanha desenvolvida.
  23. 23. 1.1.4.6. Prêmio Destaque em Livre Iniciativa Paralelo aos outros projetos, foi lançado no ano de 2007 o “Prêmio Destaque em LivreIniciativa”, surgido da necessidade de agradecer à sociedade teresinense o apoio e o crédito dado.No ano de 2007, foi identificado junto a todos os envolvidos quem mereceu destaque por suasações de livre iniciativa, condecorando membros da sociedade piauiense que se destacam porseus projetos sociais.
  24. 24. 1.1.5.Setor de Atividade Podemos afirmar que o setor de atividade onde o Time SIFE CEUT encaixa-se é oTerceiro Setor, pois: (...) pode-se dizer que o Terceiro Setor é formado por organizações privadas, sem fins lucrativos, cuja atuação é dirigida a finalidades coletivas ou públicas. (...) o primeiro setor é o Estado, universalizador e regulador, que faz uso de recursos públicos para fins públicos. O segundo setor é a iniciativa privada, que, em um cenário de responsabilidade social, é geradora de riqueza de forma responsável e utiliza recursos privados para fins privados. O terceiro setor é formado pela sociedade civil, as organizações sem fins lucrativos, que fazem uso de capital privado para fins públicos. (TARDELLI, Maíra, 2004. pg.3).1.1.6.Missão Ensinar e motivar pessoas pelos princípios e práticas da atividade econômica para que setornem agentes ativos de melhoria social através de seus comportamentos e atitudes nascomunidades em que vivem.1.1.7.Visão Ser referência como instituição estudantil ativa, no Brasil e no mundo, auxiliando pessoasa atingirem seus potenciais através da livre iniciativa e empreendedorismo.
  25. 25. 1.2. SERVIÇO1.2.1. Nome Time SIFE CEUT1.2.2. Características Básicas e componentes O Time SIFE CEUT é um grupo formado por 17 estudantes universitários dos cursos deadministração, publicidade, contábeis, direito e nutrição, três professores conselheiros e umpresidente.1.2.3. Formas de Uso e Consumo O SIFE não se usa ou consome, ele se apresenta. Essa apresentação pode ser dividida emduas: - apresentação para a comunidade onde será desenvolvido o projeto (onde a comunidade toma conhecimento sobre o que é SIFE e quais benefícios terão com a realização de uma parceria SIFE para o desenvolvimento de projetos em suas localidades); - apresentação para os parceiros (onde as empresas tomam conhecimento dos benefícios que terão sendo mantenedores do Time SIFE CEUT ou dos projetos que ele desenvolve nas comunidades onde atua).1.2.4.Tipo de compra O tipo de compra que induz o público-alvo à colaboração ao Time SIFE CEUT é aCompra Planejada, onde o consumidor leva em conta, na hora da compra, sua disponibilidade,preços e condições de pagamento do produto.Levando em conta o conceito de Marketing segundo Lãs Casas (2007,p.15):
  26. 26. Marketing pode ser definido como: A área do conhecimento que engloba todas atividades concernentes às relações de troca , orientadas para a satisfação dos desejos e necessidades dos consumidores, visando alcançar determinados objetivos da organização ou individuo e considerando sempre o meio ambiente de atuação e o impacto que estas relações causam no bem-estar da sociedade.Consideramos que o Marketing a ser realizado pelo SIFE CEUT encaixa-se no Marketing deserviços, por não se tratar exatamente de um produto físico, Serviços constituem uma transação realizada por uma empresa ou por um indivíduo, cujo objetivo não está associada á transferência de um bem. Entre as várias definições e colocações, destaca-se a de Rathmell. Numa distinção implícita que faz entre bens e serviços, Rathmell, considera bem como alguma coisa – um objeto, um artigo, um artefato ou um material – e serviço como um ato, um esforço, um desempenho. (LAS CASAS, Alexandre., 2007. pg 17).E também realiza o Marketing de Relacionamento. De acordo com Cabrinto (2002), “Uma dasmais comentadas e concentradas ramificações do marketing atual é o aspecto do relacionamento,ou em termos técnicos o chamado CRM – Customer Relationship Management, uma nova facedos negócios, um conjunto de oportunidades estratégicas(...) É através do marketing derelacionamento, que as organizações podem projetar e lançar ações voltadas aos clientes,buscando sempre que estes tornem-se cada vez mais próximos de seus produtos e/ou serviços, deforma a utilizá-los e recomendá-los a inúmeras pessoas, pois indiretamente e imperceptivelmente,reconhecem o valor e o esforço a eles disponibilizado por aquela empresa, que a todo momentose preocupa com seu bem estar e atende prontamente suas solicitações.” (+ de 4 linhas)
  27. 27. 1.2.5. Principais Benefícios para o Consumidor: COMUNIDADES EMPRESAS- Adquirir noções de como desenvolver seu - Ter seus nomes vinculados à temas depróprio negócio; atual discussão mundial, como responsabilidade social e ambiental, que é- Ter, ou aumentar sua renda, movimentando a um diferencial competitivo;economia local, - Ter sua marca divulgada pelo time em- Desenvolvimento comunitário e Social. todo o seu material gráfico e por meio de mídia espontânea. - Possibilidade de encontrar talentos com características empresariais dentro do time. - Crescimento da rede de contatos com outros empresas/empresários.Tabela 1: Principais benefícios para o Consumidor Acompanhando as novas configurações decorrentes da nova globalização, é necessáriodestacar que, em meio à diversidade de produtos e serviços oferecidos todos os dias a milhões depessoas, onde a diferença entre um produto e outro é pouco percebida; é considerado vantajoso ediferente trabalhar o caráter cívico. (...) quando os produtos são considerados similares- as pessoas percebem pouca diferença entre uma Coca-Cola e uma Pespi, entre um Hotel Hyatt e um Westin, entre uma geladeira General Electric e uma Whirpool. Está ficando cada vez mais difícil ser diferente, pois qualquer diferencial interessante tende a atrair imitações. Se mais compradores começarem a insistir em comprar um carro seguro, mais fabricantes de automóveis passarão a apresentar modelos mais seguros e competirão mais diretamente com a Volvo. Portanto como uma empresa pode conquistar uma diferenciação mais sustentável na opinião pública? Eu argumentaria que uma base honestamente sustentável para a diferenciação é o caráter cívico da empresa. […] a imagem de uma empresa costuma persistir durante longo tempo. Essas imagens em geral revelam forte carga emocional capaz de criar vínculos com o cliente ou, no extremo oposto, afastá-lo. E bem pode vir a acontecer que à medida que os produtos forem se tornando mais iguais, a imagem cívica de uma empresa venha a ser um dos mais fortes fatores de influência na preferência do cliente. (KOTLER, 1997, p. 175)
  28. 28. 1.2.6. Aceitação e imagem da marca atualmente no mercado O Time SIFE CEUT passou no ano de 2008 por um momento de transição de presidentes,novos membros e novos projetos, o que o levou à realização de uma nova organização daestrutura do time. Nos anos anteriores, mais precisamente de 2005 até 2007, o time vinha sendo divulgadona mídia de forma moderada, tanto pela realização dos projetos que estavam sendodesenvolvidos, principalmente os projetos Chocolarte, Dona Filó e Prêmio Destaque em LivreIniciativa, como pelas competições nacionais e internacionais que ele participou. Essa divulgaçãodo time SIFE CEUT permitiu que o time se tornasse mais conhecido, principalmente dentro dafaculdade. Com as alterações do ano de 2008 e foco na organização do time e dos projetos, o SIFECEUT teve menos divulgação na mídia, tanto impressa, como eletrônica, agravado pela perda dotítulo de campeão nacional no ano de 2008. Isso acaba fazendo com que a marca SIFE CEUTseja menos lembrada e perca credibilidade.Não existem dados oficiais de pesquisa que mensurem e comprovem a imagem e aceitação doSIFE junto à comunidade local. Acrescentamos que, perante a comunidade SIFE, o time SIFE CEUT obtêm boa imagempor ter conquistado, durante 3 anos consecutivos, o título de campeão Nacional (2005, 2006 e2007); e em 2008, ter atingido o Vice Campeonato.1.2.7. Distribuição A empresa em questão realiza serviço que enquadra-se no tipo que é chamado serviço deconsumo de escolha, que são “Serviços de consumo prestados diretamente ao consumidor final”(tá incompleto) (LAS CASAS,2007, p.19).1.2.8. Ciclo de vida e evolução de vendas nos últimos 5 anos Com fundação no ano de 2003, o Time SIFE CEUT mostrou-se uma potência nacional.Elaborando projetos de alto nível, o Time segurou o título de Campeão Nacional SIFE por 3 anosconsecutivos, desbancando times tradicionais como Puc Campinas e IBMEC Rio. Em 2005, o
  29. 29. Time SIFE CEUT possuía por volta de 10 membros e em 2008 já possui 17, que trabalham em 6projetos. No ano de 2008, o SIFE CEUT passou por uma reestruturação da organização do time,como mudanças de presidentes e membros. No mesmo ano, o Time SIFE CEUT perdeu o títulode campeão nacional, ficando classificado como vice-campeão da copa SIFE de projetos.1.2.9. Esforços de comunicação já realizados O Time SIFE CEUT chegou a realizar alguns esforços de comunicação, porém, somenteem 2 momentos básicos: o 1º em 2005, quando o Time CEUT foi campeão da Copa Nacional; e o2º em 2007, pelo mesmo motivo. Em 2007, também existiram esforços de comunicação (deforma reduzida) para o projeto-evento “Prêmio Destaque em Livre Iniciativa”, promovido peloTime SIFE CEUT. A maior parte da verba utilizada neste tempo proveio dos fundos financeirosda própria faculdade, tanto para passagens, quanto eventos e comunicação da ONG. Desde que nasceu, em 2004, o Time SIFE CEUT ganhou muita visibilidade nos meios decomunicação locais, como entrevistas para as principais emissoras e portais da cidade, tudo deforma gratuita. A seguir, os custos de comunicação:
  30. 30. Contas prestadas pela Agência Made, contratada pela Faculdade CEUT Período – Setembro/2005Criação e direção de VT 30” R$ 1.000,00Locução R$ 50,00Veiculação de 14 inserções de vídeo 30” na TV Clube, entre 24 a 30/09/2008 R$ 9.781,00Veiculação de 16 inserções de vídeo 30” na TV Clube, entre 01 a 07/09/2008 R$ 10.359,00Criação Anúncio ¼ pág e outdoor R$1.330,0Exibição de Outdoor pela Empresa Exibidoor – Veiculação na 40ª Bisemana R$ 400,00(24/09/2005 – 07/10/2005Urbana Outdoor – colagem e exibição de 3 cartazes R$ 590,00Palmer- colagem e exibição de 2 cartazes R$ 400,00Total R$ 23.919,00Tabela2: Contas prestadas pela Agência Made – Set/2005 Período – Setembro/2007Serviços de Agência ( criação de anúncio ¼ jornal, marca- texto, etc) R$ 1.750,00Exibição de 8 outdoors R$ 1.317,40Serviços de gráfica (impressão marca-textos Chocolarte) R$ 1.817,40Compra de espaços de mídia R$ 6.300,00Full Banners em 3 sites – período de um mês R$ 1.050,00Total R$ 10.417,40Tabela 3: Contas prestadas pela Agência Made – Set/2008Total Estimado de gastos em comunicação: R$ 34.336,00Outdoor; panfleto, relatório, cartaz, site, participação de entrevistas na TV (ver anexo 2).
  31. 31. 1. 3. MERCADO1.3.1. Características gerais e históricas do mercado De acordo com o levantamento nacional sobre organizações sociais no ano de 2002 peloIBGE, no Brasil foram identificadas aproximadamente 275.895 organizações entre fundaçõesprivadas e associações sem fins lucrativos, onde destas, 4.922 localizam-se no Piauí. A cultura decolaboração financeira junto à instituições/ projetos vêm sendo difundida há muito tempo, porém,movimentando de forma quase que específica, o lado filantrópico. Por outro lado, a cultura decolaboração financeira com apoio à movimentos empreendedores cresceu quando grandesmultinacionais (Oi, Embratel, Wall-Mart, e outras), passaram a fazer parte do corpo comerciárioe empresarial da cidade, trazendo com elas, outra visão de funcionamento das ONGS, instituiçõese adjacências: o ajudar para empreender. É preciso enxergar a responsabilidade social empresarial como uma tendência que veio pra ficar e que aponta novos parâmetros de relacionamento entre as companhias e seus públicos (stakeholders*) – funcionários, fornecedores, comunidade, consumidores, concorrentes, acionistas, investidores, governo e sociedade. (TARDELLI, Maíra, 2008, p.1). *O termo “stakeholders” foi criado para designar todas as pessoas, instituições ou empresas que, de alguma maneira, são influenciadas pelas acções de uma organização.(Wikipedia) (vai pro rodapé da página)1.3.2. Tamanho e potencial O mercado que envolve o Terceiro Setor em Teresina é restrito, pois a noção de quecolaborar com projetos/ instituições por meio de empresários e colaboradores é importante têmchegado de forma lenta. Pelo crescimento contínuo da cidade e, com isso, a chegada de empresasnacionais e multinacionais que já possuem esse espírito social embutido no corpo da empresa, opotencial de crescimento para o segmento em destaque é positivo.
  32. 32. 1.3.3. Distribuição geográfica O mercado de Terceiro Setor no Piauí concentra-se basicamente em sua capital, Teresina,onde o acesso aos colaboradores, parceiros e apoiadores torna-se mais fácil. Porém, o interior e olitoral não são completamente ausentes de ações sociais; algumas cidades possuem grandesprojetos que recebem grandes colaborações do meio empresarial.1.3.4. Share of Market (participação de mercado) Pela ausência de estudos conclusivos sobre o assunto e pela dificuldade de mensuração dedados que envolvem mantenedores financeiros e Terceiro Setor (amostra limitada, pesquisaqualitativa e de caráter exploratório) estima-se que a maior parte do Share of Market deinvestimento à responsabilidade social empresarial ligado à instituições educacionais em Teresinapertença à Jr. Achievement (ver página **), concorrente direta do Time SIFE CEUT.1.3.5. Share of Mind Pela ausência de estudos conclusivos sobre o assunto e pela dificuldade de mensuração dedados que envolvem mantenedores financeiros e Terceiro Setor (amostra limitada, pesquisaqualitativa e de caráter exploratório) acredita-se que a maior parte do Share of Mind deinvestimento à responsabilidade social empresarial ligado à instituições educacionais em Teresinapertença à Jr. Achievement, concorrente direta do Time SIFE CEUT.
  33. 33. 1. 4. CONSUMIDOR1.4.1. Perfil Geral Consumidor é o público a que o produto ou serviço é destinado. No caso da ONG SIFE,foram identificados dois tipos de consumidores distintos: os beneficiários, que beneficiam-se dosprojetos (as comunidades), e os que patrocinam a ONG (empresas parceiras), e se apóiam namarca SIFE para se promover e associar sua marca ao social. No caso específico desse trabalhoque é agora apresentado, a campanha está voltada para o segundo público, o empresarial.1.4.2. Perfil Sócio-Econômico O público-alvo a ser atingido pelas propostas do Time SIFE CEUT deve possuir/ fazerparte de uma média ou grande empresa, podendo colaborar financeiramente com, no mínimo,R$3 mil reais anuais.1.2.3. Perfil Psicográfico O público-alvo que o Time SIFE CEUT pretende atingir é aquele que consegue ver aimportância no apoio à projetos acadêmicos, tanto socialmente, pois envolve um númerosignificativo de pessoas carentes atingidas; quanto economicamente, pois é ciente de que aResponsabilidade Social Empresarial junto ao Terceiro Setor traz lucros indiretos, leva o nome eestrutura a marca junto ao mercado.1.2.4. Influências Culturais, Sociais, Religiosas Pelas exigências anteriormente citadas, o foco de público a ser atingido é aquele que prezapor projetos diferenciados, que apóiem iniciativas culturais e sociais; sem envolvimento dareligiosidade; somente o envolvimento do compromisso de melhoria de vida e exercício damobilização universitária.
  34. 34. 1. 5. CONCORRÊNCIAPrincipal Concorrente Direto e suas Características Diferenciadas: Júnior Achievement A Jr. Achievement foi criada nos Estados Unidos, em 1919, por Horace Moses eTheodore Vail, presidentes da Strathamore Paper Company e da AT&T, respectivamente. É umaassociação sem fins lucrativos, mantida pela iniciativa privada. Seu trabalho, de acordo com aRevista Júnior Achievement Brasil (2008), “é incentivar os jovens a adotarem uma postura deresponsabilidade pelos próprios destinos, determinação de objetivos específicos, sendo semprerealistas e ambiciosos e atuando na busca de metas com coragem para correr riscos.” e hoje “épresente em mais de 100 países, beneficiando mais de 7 milhões de jovens ao ano”. No Brasil, 27 Estados fazem parte da rede da instituição, possuindo 1,3 milhão de alunosenvolvidos e 48 mil voluntários. A Jr. Achievement Brasil conta com uma organização que é modelo estabelecido peloConselho Jr. Achievement (Fundadores, Consultores, Fiscais, Diretores, Presidentes eSuperintendência), e que faz a seguinte divisão interna: 1.Credenciados (Escolas e estudantescredenciados no programa Achievement), 2.Colaboradores (Empresas/ Empresários quecontribuem com um quantia financeira pré-determinada pela cota escolhida), 3.Parceiros(Empresas/ Empresários que não colaboram exclusivamente com uma quantia financeira, massim com apoio para divulgação, espaço para eventos, consultoria de serviços, etc) e 4.Voluntários(Empresas/ Empresários que dão sua colaboração nos encontros promovidos pela Jr.Achievement, onde através de palestras e bate-papos, promovem uma interação entre empresário-empreendedor e o estudante, visionário ao empreendedorismo, alimentando ainda mais ointeresse dos jovens participantes do programa). A Jr. Achievement chegou ao Piauí em 2003, através do SEBRAE, que convidou oempresário João Claudino Júnior – Houston Bike – a assumir sua presidência. Assim, a diretoriafoi assumida por Celina Tourinho, responsável por toda a organização da instituição no Estado,hoje presente em mais de 50 escolas e que só em sua capital, Teresina, abraça mais de 15
  35. 35. projetos, dente eles a Miniempresa (voltado para estudantes do Ensino Médio onde estesdesenvolvem ações e aprendem sobre um funcionamento de uma empresa; como escolha deproduto, levantamento de capital,produção e comercialização deste) e o NEXA, Núcleo de Ex-Achievers (estudantes que participaram dos programas da Júnior Achievement e resolveramcontinuar integrados à Associação). Seu escritório funciona no prédio do SEBRAE, localizado naAv. Campos Sales, 1046, Centro; CEP 64000-300, Teresina-Piauí; telefone (86) 216-1326. Celina, que também cuida da captação de recursos da Jr. Achievement Piauí, explica que aabordagem segue um padrão, estabelecido pela organização implantada aqui, onde visitasexplicativas e convidativas são feitas aos colaboradores em potencial, podendo estas acontecerem1, 2 e até mesmo 15 vezes. O objetivo é apresentar a Jr. Achievement como uma Empresa séria, eenfatizar os benefícios que a comunidade estudantil e os próprios colaboradores podem ter. Nãoexiste um período certo do ano para buscar esse tipo de ajuda, ela é sempre bem-vinda, e sempreexiste tempo e disponibilidade por parte da Jr. Achievement para atingi-la. Uma vez conseguida a colaboração financeira por parte do empresário-colaborador, averba se divide e toma três destinos: 20% segue para a sede da Jr. Achievement no Rio Grande doSul, como taxa de manutenção (Impressos como revistas, panfletos, folders, banners, etc; mídiaaudiovisuais; manutenção de site; isto é, todos os custos de divulgação; 5% é Royalty; e os outros75% ficam em mãos da organização do programa da Jr. Achievement de onde proveio acolaboração. Hoje, a Jr. Achievement Piauí possui 22 colaboradores fixos e 5 colaboradores apoios*, epretende ampliar ainda mais essa rede de contatos, sempre capacitando e instigando aorganização Piauí a crescer. É visível a participação de seus membros sempre em Congressos,Palestras e Eventos (como espectadores ou oradores) que possuem algum núcleo empresarial,aumentando ainda mais a visibilidade já citada em relação ao público-alvo. “Jantares,premiações, feiras e atividades nos colégios são atividades organizadas com esse fim; dávisibilidade e fideliza o nosso colaborador”, diz Celina. (tem que ir para as referências) • São eles: Armazém Paraíba, COLON, Colchão Ônix, Frigotil, Houston Bike, ONIX, Comercial Carvalho, CDL, FAEPI/SENAR – Piauí, Banco do Brasil, SENAC – Pi, Instituto Camillo Filho, IEL, Jorge Batista & Cia. Ltda., SEBRAE, Servi-San, Telhas Mafrense, Oi, Gerdau, Orcapi – Operação Contábil do Piauí, Gráfica e Editora Halley e Teresina Shopping.
  36. 36. Principais Concorrentes Indiretos- Lar de Maria- Lar da Fraternidade- Abrigo São LucasEsforços de Comunicação realizados pela concorrência Campanhas publicitárias, ações de Marketing em programas na Tv. Espaço em jornais eportais locais.1. 6. OBJETIVOS DE MERCADODescrição dos Objetivos Aumentar o número de parceiros fixos do Time SIFE CEUT e dos projetos que eledesenvolve. Conseguir pelo menos dois parceiros para cada projeto e dois parceiros para opróprio Time.Metas A meta do Time SIFE CEUT é obter, em um ano, um Caixa Mínimo no valor de R$40.000,00.Verba Jamais o Time SIFE CEUT teve verba suficiente para nenhum tipo de comunicação. Tudoo que já foi gasto proveio dos fundos da própria Faculdade CEUT e de colaborações empequenos valores de algumas parcerias. Por não possuir um CNPJ ou Razão Social, o Time SIFE CEUT não possui uma ContaCorrente bancária onde possa receber todas as transições financeiras como depósitos e saques,
  37. 37. fazendo assim, melhor controle do capital. Para tanto, todo o processo burocrático quanto aCNPJ, Razão Social e abertura de Conta Corrente já está em andamento; e até janeiro de 2009(início do processo da Campanha em questão) espera-se já contar com tudo devidamente nosconformes. Caso surja alguma oportunidade ou possibilidade de colaboração financeira provenientede alguma Empresa/Empresário interessado(s), o valor financeiro da colaboração será efetuadoatravés de depósito bancário na Conta Corrente do atual líder do Time; havendo prestação decontas através de recibo e extrato bancário. Então, pode-se dizer que a verba destinada é a que possui o valor ideal para odesenvolvimento do material de comunicação, ainda a ser estudado.
  38. 38. PESQUISA
  39. 39. 2. PESQUISA Para a fundamentação de um Plano de Comunicação eficiente, foi necessário a efetivaçãode pesquisa, meio por onde podemos ter referência do comportamento consumir e assim, obtermaior embasamento na Campanha, a partir dos dados apresentados. (...) o marketing que você faz no setor sem fins lucrativos é muito diferente de vender. Trata-se mais de conhecer seu mercado – chame isso de pesquisa de mercado – de segmentá-lo, de olhar o seu serviço do ponto de vista do receptor. Você precisa saber o que vender, a quem e quando, Embora o marketing para uma instituição sem fins lucrativos utilize muitos termos e mesmo muitas das ferramentas utilizadas pelas empresas, ele é na verdade muito diferente, porque a instituição está vendendo uma coisa intangível. Uma coisa que você transforma em valor para o cliente.” (DRUCKER, Peter.1999, pg39) “a definição da estratégia de marketing correta para os serviços da instituição sem fins lucrativos é a primeira tarefa estratégica básica: ela necessita conhecer o mercado. Ela necessita de um plano de marketing, com os objetivos e metas específicos. E necessita daquilo que chamo de responsabilidade mercadológica, que é de levar a sério seus clientes. Ela não deve dizer “Sabemos o que é bom para eles”, mas sim “Quais são os seus valores?Como iremos atingi-los? “ (DRUCKER, Peter, 1999, pg.41) Na pesquisa realizada entre 25/10/2008 e 10/11/2008 foi aplicado um questionário aomeio empresarial que se compreendia uma amostragem de 13 pessoas, todas possuidoras decaracterísticas empreendedoras e conhecidas no cenário local. Os entrevistados foram osempresários donos de Empresas ou aqueles que respondessem por elas, como cargos de Gerênciae Diretoria. É importante frisar a grande dificuldade encontrada nessa etapa do projeto, pois osentrevistados locais demonstravam muito receio ao fornecer qualquer tipo de informação daEmpresa, mesmo que esta envolve aspectos sociais; visto que “o conhecimento tácito sobre osprodutos e serviços novos (por exemplo, o Know-how) dificilmente é compartilhado e difundidoentre indivíduos e companhias. Mais ainda, muitas empresas tendem a evitar a difusão dosconhecimentos tácitos, que elas possuem, considerando-os como seu maior patrimônio.”PIMENTA, Maria Alzira. 2006.
  40. 40. 2.1. Considerações quanto ao Tipo de Empresa Os dados levantados pela pesquisa de campo realizada nos dias 25/10/2008 a 10/11/2008indicaram que 47% dos entrevistados consideram que sua empresa encaixa-se naquela declaradade ser de Médio Porte; e 38%, de Grande Porte. O Senhor(a) considera sua empresa uma...? Pequena Empresa Microempresa 15% 0% Empresa de Empresa de Médio Porte Grande Porte 47% 38% Microempresa Pequena Empresa Empresa de Médio Porte Empresa de Grande PorteGráfico 1 :Perfil do Consumidor - Considerações quanto ao Tipo de EmpresaFonte: Dados coletados na pesquisa de campo Assim, concluímos que a maior parte do público-alvo possui uma renda favorável ainvestimentos no Terceiro Setor e declaram altos impostos ao Governo Federal, visto que: Empresa de Médio Porte de acordo com Lei n°10.406, de 10 de janeiro de 2002, art.2°,III: Para os efeitos desta Lei, consideram-se: III - empresa de médio porte a pessoa jurídica ou o empresário, assim definido na Lei Federal nº. 10.406, de 2002, cuja receita bruta
  41. 41. anual seja superior ao limite máximo estabelecido no inciso II do art. 3º. da Lei Complementar Federal nº. 123, de 2006, e igual ou inferior a R$12.000.000,00 (doze milhões de reais); Empresa de Grande Porte de acordo com Lei n°10.406, de 10 de janeiro de 2002, art.2°,IV: Para os efeitos desta Lei, consideram-se: IV - empresa de grande porte a pessoa jurídica ou o empresário, assim definido na Lei Federal nº 10.406, de 10 de janeiro de 2002, que tiver receita bruta anual superior a R$12.000.000,00 (doze milhões de reais).2.2. Considerações quanto à atuação em outros mercados. De acordo com a pesquisa de campo realizada nos dias 25/10/2008 a 10/11/2008, 69% dopúblico-alvo declarou atuar em outros mercados; e 31% declarou não atuar em outros mercados. A empresa do Senhor(a) atua em outros mercados? Não sabe/ não opina Não 0% 31% Sim 69% Sim Não Não sabe/ não opinaGráfico 2: Perfil do Consumidor - Considerações quanto à atuação em outros mercados. Fonte: Dadoscoletados na pesquisa de campo
  42. 42. 2.3. Considerações quanto aos mercados que atuam. 78% do público-alvo declarou que sua Empresa atua em outros Estados. Se sim, quais? Outros Estados e outros Países 22% Outros Países 0% Outros Estados 78% Outros Estados Outros Países Outros Estados e outros PaísesGráfico 3 : Perfil do Consumidor - Considerações quanto aos mercados que atuamFonte: Dados coletados na pesquisa de campo De acordo com a pesquisa de campo realizada nos dias 25/10/2008 a 10/11/2008, 69% dopúblico-alvo declarou atuar em outros mercados, 78% do público-alvo declarou que sua Empresaatua em outros Estados e 22% do público-alvo declarou que sua Empresa atua em outros Estadose Países.
  43. 43. 2.4.Considerações quanto ao investimento no meio social 92% do público-alvo costumam investir no meio social. O senhor(a) ou sua empresa costumam investir no meio social? Sim 92% Não sabe/ não opina 8% Não 0% Sim Não Não sabe/ não opinaGráfico 4 :Perfil do Consumidor - Considerações quanto ao investimento no meio socialFonte: Dados coletados na pesquisa de campo De acordo com a pesquisa de campo realizada nos dias 25/10/2008 a 10/11/2008, 92%dos entrevistados afirmaram que costumam investir no meio social, e 8% afirmaram nãoresponder/opinar.
  44. 44. 2.5.Considerações quanto à colaboração em alguma instituição ou projeto social. 92% do público-alvo declarou já ter colaborado com alguma instituição ou projeto. O senhor(a) ou sua empresa já colaboraram com alguma instituição ou projeto? Não sabe/ não Não opina 0% 8% Sim 92% Sim Não Não sabe/ não opinaGráfico 5 : Perfil do Consumidor - Considerações quanto à colaboração em alguma instituição ou projetosocial. - Fonte: Dados coletados na pesquisa de campo De acordo com a pesquisa de campo realizada nos dias 25/10/2008 a 10/11/2008, 92%dos entrevistados alvo declararam já ter colaborado com alguma instituição ou projeto, e 8%afirmaram não responder/opinar.
  45. 45. 2.6.Considerações quanto ao tipo de instituição ou projeto já beneficiado. Analisando a pesquisa realizada de 25/10/2008 e 10/11/2008, da fatia de 92% do público-alvo que afirmou já ter colaborado com alguma instituição ou projeto, 34% declarou ter investidoem Projetos Culturais; 33% em Projetos Sociais; 25% em Projetos Educacionais; e 8% emProjetos Esportivos. Se sim, qual tipo de instituição ou projeto? Projeto Social Projeto Cultural 33% 34% Projeto Esportivo Projeto 8% Educacional 25% Projeto Cultural Projeto Educacional Projeto Esportivo Projeto SocialGráfico 6 : Perfil do Consumidor - Considerações quanto ao tipo de instituição ou projeto já beneficiado. -Fonte: Dados coletados na pesquisa de campo.
  46. 46. 2.7. Considerações quanto ao tempo de colaboração. 67% do público-alvo entrevistado declarou já ter colaborado com uma instituição/projetodurante mais de 5 anos. Por quanto tempo o senhor(a) colaborou? Mais de 5 anos 67% Até 11 meses 8% De 1 ano a 2 anos e 11 meses De 3 anos a 4 8% anos e 11 meses 17% Até 11 meses De 1 ano a 2 anos e 11 meses De 3 anos a 4 anos e 11 meses Mais de 5 anosGráfico 7: Perfil do Consumidor - Considerações quanto ao tempo de colaboraçãoFonte: Dados coletados na pesquisa de campo Na pesquisa realizada de 25/10/2008 e 10/11/2008, 67% dos entrevistados afirmaram játer colaborado com uma instituição/projeto durante mais de 5 anos; 17% afirmaram tercolaborado de 3 a 4 anos e 11 meses; 8% afirmaram ter colaborado de 1 a 2 anos e 11 meses; eoutros 8% afirmaram ter colaborado até 11 meses.
  47. 47. 2.8. Considerações quanto ao motivo para colaboração 50% do público-alvo declarou a Solidariedade como principal motivo para colaborar comalguma instituição ou projeto social. O que motivou o senhor(a) a colaborar? Visibilidade da Esperança de um marca Responsabilidade mundo melhor 8% Social 8% 17% Incentivo Cultural 17% Solidariedade 50% Responsabilidade Social Solidariedade Incentivo Cultural Esperança de um mundo melhor Visibilidade da marcaGráfico 8: Perfil do Consumidor - Considerações quanto ao motivo para colaboraçãoFonte: Dados coletados na pesquisa de campo Na pesquisa realizada de 25/10/2008 e 10/11/2008, 50% dos entrevistados declararam aSolidariedade como principal motivo para colaborar com alguma instituição ou projeto social.Para 17%, o Incentivo Cultural seria o principal motivo, para outros 17% o principal motivo seriaa Responsabilidade Social, para 8% seria a Esperança de um mundo melhor, e para outros 8%, omotivo seria impulsionar a Visibilidade da Marca.
  48. 48. 2.9.Considerações quanto aos critérios que são considerados primordiais para a decisão de escolha de projeto ou instituição a ser ajudada. Para este item, foi preciso a elaboração de outro tipo de gráfico, pela complexidade daquestão. A cada espaço da linha horizontal (ex:de 0 a 1) é equivalente a 10% do públicoentrevistado. Da amostragem analisada, 11 pessoas responderam à questão. As outras 2responderam não saber/ não opinar. Então, consideremos o total de entrevistados para essaquestão como o de 11 pessoas. A seguir, a legenda: A (azul marinho) – Compatibilidade com a identidade da empresa B (vermelho)– Quantidade de pessoas beneficiadas C (verde) – O impacto de retorno que a colaboração irá trazer para a empresa D (roxo)– Sensibilização do empresário/empresa para com o projeto/ instituição a ser beneficiada E (azul celeste)– Valor da colaboração solicitada 45% do público-alvo declarou que a Quantidade de pessoas beneficiadas é considerada ocritério primordial para a decisão de escolha de projeto ou instituição a ser ajudada.Gráfico 9:Perfil do Consumidor - Perfil do Consumidor - Considerações quanto aos critérios que consideradoprimordiais para a decisão de escolha de projeto ou instituição a ser ajudada. - Fonte: Dados coletados napesquisa de campo
  49. 49. De acordo com a pesquisa realizada de 25/10/2008 e 10/11/2008, 45% do público-alvodeclarou que a Quantidade de pessoas beneficiadas é considerada o critério primordial para adecisão de escolha de projeto ou instituição a ser ajudada; 27% declarou que a Compatibilidadecom a identidade da empresa é o critério primordial; 9% declarou como mais importante Oimpacto de retorno que a colaboração irá trazer para a empresa; 9% acha que a Sensibilização doempresário/empresa para com o projeto/ instituição a ser beneficiada é o critério primordial eoutros 9% consideram ser o Valor da colaboração solicitada.2.10. Considerações quanto à crença que a consciência social por parte da empresa reflete na sociedade (consumidor). 92% do público-alvo declarou que acredita que a consciência social por parte dasempresas reflete na sociedade (consumidor). O senhor(a) ou sua empresa acreditam que a consciência social por parte da empresa reflete na sociedade (consumidor)? Não sabe/não opina Não 0% 8% Sim 92% Sim Não Não sabe/não opinaGráfico 10:Perfil do Consumidor - Considerações quanto à crença que a consciência social por parte daempresa reflete na sociedade (consumidor)Fonte: Dados coletados na pesquisa de campo
  50. 50. De acordo com a pesquisa realizada de 25/10/2008 e 10/11/2008, 92% dos entrevistadosdeclararam que acreditam que a consciência social por parte das empresas reflete na sociedade(consumidor); e 8% dos entrevistados declararam não saber/ não opinar.2.11. Considerações quanto ao realização de algum tipo de pesquisas sobre o reflexo da consciência social por parte da empresa - reflexo na sociedade (consumidor) 77% do público-alvo declarou já ter realizado de algum tipo de pesquisas sobre o reflexoda consciência social por parte da empresa - reflexo na sociedade (consumidor). O senhor(a) ou a sua empresa já realizaram algum tipo de pesquisa sobre o assunto? Não sabe/não opina 0% Sim 23% Não 77% Sim Não Não sabe/não opinaGráfico 11 :Perfil do Consumidor - Considerações quanto ao realização de algum tipo de pesquisas sobre oreflexo da consciência social por parte da empresa - reflexo na sociedade (consumidor). - Fonte: Dadoscoletados na pesquisa de campo
  51. 51. Na pesquisa realizada de 25/10/2008 e 10/11/2008, 77% dos entrevistados declararam játer realizado de algum tipo de pesquisas sobre o reflexo da consciência social por parte daempresa - reflexo na sociedade (consumidor); contra 23% que declararam nunca terem realizadonenhum tipo de pesquisa sobre o assunto.2.12. Considerações quanto à afirmação do resultado das pesquisas já realizadas sobre o reflexo da consciência social por parte da empresa - reflexo na sociedade (consumidor) 100% do público-alvo declarou considerar positivo o resultado das pesquisas já realizadassobre o reflexo da consciência social por parte da empresa - reflexo na sociedade (consumidor), epretende investir novamente em instituição ou projeto social. Se sim, o senhor(a) e sua empresa consideram o resultado: Positivo, e pretende investir novamente em instituição ou projeto social 100% Positivo, e pretende investir novamente em instituição ou projeto socialGráfico 12:Perfil do Consumidor - Considerações quanto à afirmação do resultado das pesquisas já realizadassobre o reflexo da consciência social por parte da empresa - reflexo na sociedade (consumidor). - Fonte: Dadoscoletados na pesquisa de campo
  52. 52. De acordo com a pesquisa realizada de 25/10/2008 e 10/11/2008, dos 77% que declararamjá ter realizado de algum tipo de pesquisas sobre o reflexo da consciência social por parte daempresa - reflexo na sociedade (consumidor), todos afirmaram considerar o resultado destaspesquisas positivo, e pretendem investir novamente em instituição ou projeto social.2.13.Considerações quanto o uso da Responsabilidade Social. 85% do público-alvo consideram que o uso da Responsabilidade Social é fazer parte docorpo e da filosofia da Empresa. Para o senhor(a), o uso da Responsabilidade Social é...? Estratégia de m arketing para fins Não sabe/não opina lucrativos 15% 0% Colaboração para abatim ento nos im postos 0% Fazer parte do corpo e da filosofia da em presa 85% Estratégia de marketing para fins lucrativos Fazer parte do corpo e da filosofia da empresa Colaboração para abatimento nos impostos Não sabe/não opinaGráfico 13: Perfil do Consumidor - Considerações quanto o uso da Responsabilidade Social Fonte: Dadoscoletados na pesquisa de campo.
  53. 53. Em análise à pesquisa realizada de 25/10/2008 e 10/11/2008, ao serem indagados sobre oconceito do uso de Responsabilidade Social, 85% do público-alvo consideram que o uso daResponsabilidade Social é fazer parte do corpo e da filosofia da Empresa e 15% preferiu nãosaber/ não opinar.2.14.Considerações quanto o conceito de Responsabilidade Social. 61% do público-alvo declarou considerar que Responsabilidade Social é instruir pessoaspara inseri-las no mercado de trabalho ou torná-las empreendedoras. Para o senhor(a) e sua empresa, Responsabilidade Social é...? Estratégia de Não sabe/não opina Marketing 8% 8% Filantropia 23% Investim ento no futuro consum idor 0% Instruir pessoas para inserí-las no m ercado de trabalho ou torná-las em preendedoras 61% Filantropia Investimento no futuro consumidor Instruir pessoas para inserí-las no mercado de trabalho ou torná-las empreendedoras Estratégia de Marketing Não sabe/não opinaGráfico 14 : Perfil do Consumidor - Considerações quanto o conceito de Responsabilidade Social. - Fonte:Dados coletados na pesquisa de campo.
  54. 54. De acordo com a pesquisa realizada de 25/10/2008 e 10/11/2008, 61% do público-alvodeclarou considerar que Responsabilidade Social é instruir pessoas para inseri-las no mercado detrabalho ou torná-las empreendedoras; 23% considera Filantropia, 8% considera Estratégia deMarketing e 8% não saber/ não opinar.2.15. Considerações quanto ao perfil da Empresa 45% do público-alvo afirma que o tipo de projeto/instituição que mais se enquadra noperfil da Empresa em que trabalham é aquele voltado para o Social. Para o senhor(a), que tipo de projeto/instituição de enquadra no perfil da sua empresa? Aqueles voltados para a geração de Aqueles voltados Aqueles voltados trabalho e renda para o meio para a Saúde 5% ambiente 18% 18% Não sabe/não opina 5% Aqueles voltados para a Cultura 9% Aqueles voltados para o Social 45% Aqueles voltados para o meio ambiente Aqueles voltados para a Cultura Aqueles voltados para o Social Não sabe/não opina Aqueles voltados para a Saúde Aqueles voltados para a geração de trabalho e rendaGráfico 15 :Perfil do Consumidor - Considerações quanto ao perfil da EmpresaFonte: Dados coletados na pesquisa de campo De acordo com a pesquisa realizada de 25/10/2008 e 10/11/2008, 45% dos entrevistadosafirmaram que o tipo de projeto/instituição que mais se enquadra no perfil da Empresa em que
  55. 55. trabalham é aquele voltado para o Social; 18% afirmou que é aquele voltado para o MeioAmbiente; outros 18% afirmou que é aquele voltado para a Saúde; 9% afirmou que é aquelevoltado para a Cultura; 5% afirmou que é aquele voltado para a Geração de trabalho e renda eoutros 5% afirmou não saber/ não opinar.2.16. Considerações quanto à política de verba para investimento em Responsabilidade Social . 38% do público-alvo declarou considerar a política de verba para investimento emresponsabilidade social a necessidade do projeto. Qual a política do senhor(a) e de sua empresa de verba para investimento em responsabilidade social? Não sabe/não opina Porcentagem de 15% lucro x Porcentagem de Necessidade do lucro projeto 31% 8% Necessidade do Necessidade do projeto x Projeto Importância da 38% instituição 8% Porcentagem de lucro Necessidade do projeto x Importância da instituição Necessidade do Projeto Porcentagem de lucro x Necessidade do projeto Não sabe/não opinaGráfico 16 :Perfil do Consuidor - Considerações quanto à política de verba para investimento emResponsabilidade Social. - Fonte: Dados coletados na pesquisa de campo Na pesquisa realizada de 25/10/2008 e 10/11/2008, 38% dos entrevistados declararamconsiderar a política de verba para investimento em responsabilidade social a necessidade do
  56. 56. projeto; 31% declararam que a política usada era a porcentagem de lucro da Empresa; 8%declararam que a política usada era um misto de porcentagem de lucro da Empresa e necessidadedo projeto; outros 8% declararam que a política usada era um misto de necessidade e importânciada instituição/ projeto solicitante; e 15% entrevistados declararam não saber/ não opinar.2.17. Considerações sobre quantia do investimento em um projeto/instituição. 31% do público-alvo entrevistado afirmou já ter chegado a investir acima de 40 mil reaisem um projeto/instituição. Quanto o senhor(a) ou sua empresa já chegaram a investir em um projeto/ instituição (valor total)? Não sabe/não opina 8% Até R$ 5 mil 23% Acima de R$ 40 mil 31% De R$ 5 a R$ 10 mil De R$ 30 a R$ 40 15% mil De R$ 10 a 20 mil 8% 15% De R$ 20 a 30 mil 0% Até R$ 5 mil De R$ 5 a R$ 10 mil De R$ 10 a 20 mil De R$ 20 a 30 mil De R$ 30 a R$ 40 mil Acima de R$ 40 mil Não sabe/não opinaGráfico 17: Perfil do Consumidor - Considerações sobre quantia do investimento em um projeto/instituição. -Fonte: Dados coletados na pesquisa de campo. Na pesquisa realizada de 25/10/2008 e 10/11/2008, 31% dos entrevistados declararam játer chegado a investir acima de 40 mil reais em um projeto/instituição; 23% declararam já ter
  57. 57. chegado a investir até 5 mil reais; 15% declararam já ter chegado a investir de 10 a 20 mil reais;outros 15% declararam já ter chegado a investir de 5 a 10 mil reais; 8% declararam já ter chegadoa investir de 30 a 40 mil reais; e outros 8% entrevistados declararam não saber/ não opinar.Ninguém chegou a investir de 20 a 30 mil reais em um projeto/instituição.2.18.Conclusões Concluímos que o fato de possuirmos a informação que a maioria do público-alvo atua emmercados fora da cidade de Teresina (ver Gráfico 2.3.) aumenta a possibilidade de um futuroinvestimento no Time SIFE CEUT. A ação teria benefícios para ambas as partes: - Com as viagens e o material publicitário levado a elas pelo Time, a marca do público-alvo ganha notoriedade e visibilidade a âmbito nacional, como uma Empresa que percebe a importância do investimento em Responsabilidade Social - O Time SIFE CEUT aproveita-se da mídia e dos contatos que a Empresa colaboradora possui para aumentar a sua rede comunicacional e de relacionamentos. Constatou-se que a maior parte de investimentos feitos pelos empresários de Teresina foidirecionada à Projetos Culturais e Sociais (ver Gráfico 2.6.); fatores positivos à Campanha deCaptação de Recursos do Time SIFE CEUT, que possui projetos que encaixam-se neste quesito. Concluímos que a maioria dos entrevistados percebe a real intenção do uso daResponsabilidade Social no ambiente de trabalho (ver Gráfico 2.13.); impulsionando seu corpode funcionários e suas ações a sentirem-se responsáveis pela Empresa e pelo que ela realiza. Também foi concluído que a maioria dos entrevistados possui grande potencialcolaborativo com o Time SIFE CEUT, ao afirmar compreender que o conceito deResponsabilidade Social é instruir pessoas para inseri-las no mercado de trabalho ou torná-lasempreendedoras (ver Gráfico 2.14.); indo de acordo com cinco (economia de mercado,habilidades funcionais, empreendedorismo, auto gerenciamento financeiro, ética nos negócios)dos sete pilares Time. Em frente à conclusão de que 45% do público-alvo afirma que o tipo deprojeto/instituição que mais se enquadra no perfil da Empresa em que trabalham é aquele voltadopara o Social (ver Gráfico 2.15.), podemos afirmar a importância de investimento no Time SIFE
  58. 58. CEUT, instituição que, através de seus projetos, encaixa-se na maioria dos tipos deprojeto/instituição relacionados acima.
  59. 59. DIAGNÓSTICO
  60. 60. 3. DIAGNÓSTICO As decisões sobre o ciclo de comunicação foram tomadas a partir do cruzamento dostópicos a seguir. 3.1.Pontos fortes e pontos fracos a. Empresa Pontos Fortes Pontos Fracos• Campeão Nacional da Copa SIFE de • Perda do título de campeão nacional da copaprojetos por 3 anos consecutivos; SIFE 2008, consequentemente perda de• Vontade de mudar a realidade das visibilidade diante da comunidade SIFEcomunidades em que atuam; internacional;• Os membros são estudantes universitários • Baixo envolvimento do Time e da comunidade(facilidade de resolução dos problemas nas com os projetos durante os meses que não fazemáreas de administração, marketing, direito e parte do calendário das competições;contabilidade); • Existe pouca divulgação sobre a SIFE dentro da• O Time passou a contar com a ajuda de mais própria faculdade CEUT;duas professoras conselheiras; • Mudanças recentes na organização do Time;• Campeão do prêmio(latino americano) MPA • Membros desmotivados após o título de vice-de vídeo anti-pirataria 2008. campeão;• Grande disponibilidade da Faculdade • Recursos escassos para investir nos projetos;CEUT em financiar o time durante as • Alta rotatividade dos membros do time;competições; • Falta de treinamento voltado para o Time SIFE• Recutramento periódico para entrada de CEUT por parte da SIFE Brasil.novos membros SIFE.• Interesse e aplicação dos estudantes do SIFECEUT com a ONG e percepção daimportância desta para suas carreirasprofissionais.Tabela 4: Pontos fortes e fracos do Produto.
  61. 61. b. Serviço Pontos Fortes Pontos Fracos• O Time é reconhecido no cenário das • Pouca comunicação (local e nacional) durante oscompetições nacionais; meses que não fazem parte do calendário das• Grande quantidade de projetos competições;desenvolvidos; • Alguns projetos são lentamente abandonados• Projeto (Chocolarte) com divulgação em depois das competições;nível internacional, através do site sife.org; • Grandes partes dos projetos terminam de forma• Parceria com faculdade GSW dos Estados não organizada e/ou planejada;Unidos (projeto Barra Grande); • Poucos recursos para serem investidos nos• Interesse por parte da imprensa local pelo projetos;tema “Responsabilidade Social”; • Pouco aproveitamento de mídia gratuita através• Projetos desenvolvidos com base na da imprensa local;;responsabilidade ambiental; • Os projetos que envolvem comunidades carentes possuem dificuldade de absorção da reeducação através da conscientização ambiental;Tabela 5: Pontos fortes e fracos do Serviço.
  62. 62. 3.2. Ameaças e Oportunidades Ameaças Oportunidades- A quantia de ONGs e OCPs no meio em que - Com o passar dos anos e a chegada, aberturavivemos tende a aumentar, como tendência do e crescimento de Empresas de Grande Porte,mundo atual contemporâneo. Assim, o cresce também o conceito de Responsabilidadeaumento da concorrência no Mercado de Social. Quanto mais Empresas possuírem esseTerceiro Setor em Teresina torna-se uma conceito embutido nos valores e crenças queameaça. têm, maior será a possibilidade e viabilização- Dentro dessa concorrência, poderá existir um de recursos para investimentos no Terceironicho que conta apenas com a sensibilização Setor, fazendo disto, uma grande oportunidadesolidária do empresariado local que , é muito para o Time SIFE CEUT.vulnerável a esse fator (ver Gráfico 8).Tabela 6: Ameaças e Oportunidades
  63. 63. PROPOSTAS
  64. 64. 4. PROPOSTAS Este item é voltado para a apresentação dos objetivos, estratégias e táticas a seremdesenvolvidas para a Campanha de Captação de Recursos do Time SIFE CEUT. Nas propostasapresentadas, acompanhemos o posicionamento da marca, o conceito da campanha, as estratégiastraçadas, as peças criativas e o planejamento total. “vender um conceito é diferente de vender um produto” (DRUCKER, Peter.1999.pg 40) “... você pode inovar – desde que se organize para buscar inovações. As instituições sem fins lucrativos necessitam de inovações tanto quanto as empresas ou os governos. E sabemos como fazê-las. O ponto de partida é reconhecer que a mudança não é uma ameaça. Ela é uma oportunidade.” (DRUCKER, Peter. 1999. pg 8)4.1.Objetivos de Marketing - Conquistar apoio financeiro junto às empresas Piauienses, cuja a política de investimento em Responsabilidade Social obedecem à necessidade do projeto/ instituição que é solicitante ; - Prospectar parceiros fixos para o TIME SIFE CEUT (ver 3.3.1.3.);4.2. Objetivos de Comunicação4.2.1.Geral - Trabalhar a identidade do Time SIFE CEUT para que ela gere uma imagem de credibilidade na mente do público-alvo.4.2.2.Específicos - Divulgar as ações promovidas pelo SIFE CEUT; - Estabelecer o reconhecimento do SIFE CEUT proporcionando-o estabelecer parceriascom a classe empresarial do Piauí;
  65. 65. - Estabelecer integração entre empresário (colaborador ou não) e Time SIFE CEUT; - Mostrar ao público-alvo as vantagens de ser um colaborador do Time SIFE CEUT: - Reconhecimento da comunidade/sociedade como responsável social; - Ampliação de rede de contatos (feitos nos eventos promovidos pelo Time SIFE CEUT); - Visibilidade através da mídia espontânea gerada pelos projetos e atividades do Time SIFE CEUT. O Terceiro Setor movimenta R$ 10,9 bilhões anuais, ou cerca de 1% do PIB – dos quais R$ 1 milhão vêm de doações – reúne mais de 300 mil ONGS, além de fundações, institutos e entidades e emprega mais de 1,2 milhões de pessoas (Revista Terceiro Setor)4.3. Posicionamento Tornar-se referência como Organização Estudantil que promove Responsabilidade Socialno mercado de Terceiro Setor em Teresina.4.3.1. Promessa básica Oferecer serviços de projetos bem-estruturados voltados à comunidade, de forma asensibilizar o núcleo empresarial local e, assim, garantir parcerias provenientes deste e captaçãode recursos financeiros ao Time SIFE CEUT.4.3.2. Justificativa A captação de recursos financeiros se dará a partir da aplicação da campanhadesenvolvida. A partir dos dados já apresentados pela pesquisa realizada, o mercado de TerceiroSetor em Teresina possui um grande potencial quanto à colaboração e tende a crescer ainda mais. Com posse de dados relevantes para o processo de planejamento da campanha, serãoexploradas as oportunidades favoráveis tanto com relação à melhor abordagem do público alvo,como com relação à verba disponível, já que os recursos para a comunicação são baixos.
  66. 66. 4.4.Planejamento de Comunicação Integrada de MKT Diante dos dados citados pelo Briefing, é necessário concluir que são indispensáveis asparcerias que a SIFE tende a firmar para garantir a sustentabilidade de seus projetos e do própriogrupo, pois é inviável a geração dos recursos que serão empregados nos projetos pelos própriosestudantes. Para isso, será desenvolvida uma campanha com a finalidade de levar às empresas afilosofia da SIFE e com isso conseguir mais parceiros para os projetos que a ONG desenvolve. A comunicação sempre foi e sempre será o principal diferencial de uma empresa,independente do seu segmento, do seu porte ou de quem a dirige. Por entender tamanhaimportância da comunicação e sua eficácia no relacionamento Empresa x Cliente é que traçamosum Plano de Comunicação Integrado ao Marketing que busca os melhores meios e formas deatingir o público-alvo do Time SIFE CEUT. Esse esforço de comunicação tem duração de 5 meses, tempo ideal para atingir todas asetapas planejadas e assim, conseguir fundos a tempo da Copa Nacional SIFE, que acontece nomês de julho, em São Paulo.4.4.1.Estratégia de Comunicação Abaixo, a ação de comunicação voltada para o público-alvo (empresários/ empresas quepossuem o potencial para contribuição com o Time SIFE CEUT e os projetos desenvolvidos);indivíduos que possuem o dia corrido, com tempo muito curto para receber visitas e ouvirpedidos; estudiosos de quais as melhores oportunidades para aplicar um capital financeiro;sempre atentos às necessidades e mudanças do mundo atual. É importante frisar que durante o mês de dezembro um intenso processo de absorção doconceito SIFE e a história do Time SIFE CEUT será feito com os alunos que compõem o Time,de forma que todos, ao serem indagados sobre estes assuntos, saibam responder de maneirauniforme (essa uniformidade é necessária para a solidez da marca). Paralelo à isso, haverá umaeleição onde 2 membros componentes do Time SIFE CEUT serão escolhidos para exercer opapel de fundraisers; responsáveis pelo contato direto com o público-alvo. Os fundraisersreceberão treinamentos que colaborarão com o bom desempenho e desenvoltura frente aoEmpresário, como curso de oratória e técnicas de abordagem pessoal. Destaque ao fato de que os
  67. 67. fundraisers, em todos os momentos de contato com a Empresa/Empresário deverão estardevidamente bem trajados (é fundamental transparecer a seriedade da instituição, e a vestimenta éum atributo significativo). Um outro membro componente do Time (aluno do Curso de Comunicação Social) ficaráresponsável pela Assessoria de Imprensa, controle e divulgação dos acontecimentos.4.4.2.Ferramentas de Comunicação Seguindo a Estratégia de Comunicação, as ferramentas utilizadas serão as seguintes, porsuas tais características: FERRAMENTAS CARACTERÍSTICASASSESSORIA DE IMPRENSA Acompanhamento e divulgação de todos os acontecimentos aos interessados.RELAÇÕES PÚBLICAS Utilizar-se de meios como a apresentação pessoal e eventos a fim de gerar integração entre as partes envolvidas.MARKETING DIRETO Contato direto com o público-alvo. Mídia direcionada e personalizada.MARKETING DE Utilização de meios que gerem proximidade e fidelidade com oRELACIONAMENTO cliente.Tabela 7: Ferramentas e suas características4.4.3. Táticas de Comunicação Segue a ordem de eventos de pontos de contato com o público-alvo plano abaixo, fazendouso de 6 passos abaixo especificados:1º - Assessoria de Imprensa - Durante os meses de Janeiro e Fevereiro de 2009, notas esugestões de pauta serão enviadas a endereços de portais, jornais impressos e televisivos; postsem blogs - com o endereço do site (www.sifeceut.com.br) em exibição. Essa ação será de
  68. 68. responsabilidade do membro componente do Time responsável pela Assessoria de Imprensa , efará com que a comunidade teresinense fique familiarizada com o que é SIFE, o que faz, o quepromove.2º - Relações Públicas - Marcação de horário/visita com o Empresário/Empresa empotencial – No mês de Março, as marcações de horário/visita com o Empresário/Empresacomeçam a ser feitas. Essa marcação será feita por um dos componentes do Time responsávelprocesso de FundRaising, que irá até a Empresa (pessoalmente) somente para tal atividade. Nestemomento, um envelope (em seu interior, informações breves sobre o Time e o aviso que umareunião com o responsável da empresa foi marcada) será entregue ao responsável pela agenda doEmpresário para que este o deixe em mãos do possível colaborador. Essa ação objetiva causargrande impacto no público-alvo, funcionando como teaser, de forma a gerar expectativa.Visitas - Durante o mês de Março, os 2 fundraisers do Time SIFE CEUT irão comparecer àreunião previamente agendada. Em contato direto com público-alvo, terão uma conversa com oempresário em potencial; explicando o que é SIFE, o que faz, o que promove, e qual a intençãoda presença dos responsáveis ali. Uma apresentação em PowerPoint com muitas imagens e dadosdas atividades já realizadas, será mostrada em um notebook (portado por um dos membros doTime). Neste momento, o Empresário em potencial receberá uma pasta e dentro desta, um folderexplicativo e resumido sobre o Time SIFE CEUT e seus projetos. Ainda durante esse mês, osfundraisers do Time SIFE CEUT irão fazer visitas periódicas, toda semana, ao público-alvo;levando as novidades constantes do Time e sempre fazendo convites a palestras e seminários,assim como a participarem do mailing (cadastro de endereços eletrônico), para receberem por e-mail o que anda acontecendo. Essa ação dará início ao contato direto e assim, mais íntimo com oempresário/empresa em potencial, possibilitando uma análise de possível colaboração financeiraou não.3º - Marketing Direto - Envio de Mala Direta - Cinco dias depois da visita ao empresário empotencial, ele receberá uma mala direta do Time SIFE CEUT, que consiste em: uma caixa demadeira (20x20cm) marcada com a logomarca SIFE CEUT, e em seu interior conterá: aapresentação em PowerPoint ou em vídeo WMV gravada em dvd personalizado (Time SIFECEUT) – a mesma anteriormente já mostrada na 1ª visita; um livreto explicativo, com o conteúdobásico do vídeo presente, além de mais fotos e mais dados. É através desse questionário que o

×