Geografia do Brasil - Divisão Política e Relevo

3.900 visualizações

Publicada em

Geografia do Brasil - Divisão Política e Rele

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.900
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
314
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Geografia do Brasil - Divisão Política e Relevo

  1. 1. GEOGRAFIA DO BRASIL POLÍTICA E RELEVO
  2. 2. GEOGRAFIA POLITICA
  3. 3. GEOGRAFIA DO BRASIL O Brasil, com 8.547.403,5 km2, é um país de dimensões continentais, a área terrestre corresponde a 8.491.194 km2, e as águas internas, a 55.547 km2. Entre todos os países de dimensões continentais, é o único cujo território é totalmente habitável. O primeiro cálculo oficial da superfície brasileira ocorreu em 1922. A grande extensão territorial brasileira possibilita a expansão da agricultura e pecuária, graças à diversidade de zonas climáticas. Essa grande distância a ser percorrida encarece os custos de produção e transporte, cria problemas de diferenciação social, política e econômica entre as várias regiões do país. O Brasil tem 23.086 km de fronteiras, sendo 15.719 km terrestres e 7.367 km marítimas. Apenas dois países sul-americanos não têm fronteiras com nosso país: o Chile e o Equador. As fronteiras terrestres são dos mais variados tipos, mas com predomínio das naturais (rios, lagos e serras). Por causa da grande extensão Leste-Oeste, o território brasileiro, incluindo as ilhas oceânicas, estende-se por quatro fusos horários, possui, assim, quatro horas diferentes. O segundo fuso horário, onde está localizada Brasília, a capital federal, determina a hora oficial do país.
  4. 4. DIVISÃO REGIONAL POLITICA DO BRASIL Conceito Regionalização é a divisão de um espaço ou território em unidades de área que apresentam um certo número de características comuns que a individualizam. Os critérios para a regionalização são vários (físicos, políticos, socioeconômicos etc.). Histórico das Divisões Regionais A República Federativa do Brasil, segundo a Constituição Federal de 1988, compõe-se de 27 unidades político-administrativas, sendo 26 Estados e 1 Distrito Federal, onde se localiza a sede do Governo Federal, Brasília. Na fase do Brasil agroexportador, desde o descobrimento até 1930, o poder político esteve o tempo todo controlado por um pequeno grupo que detinha, também, o poder econômico, seja no período colonial, no Império ou na primeira fase da República. As transformações ocorridas com a Revolução de 1930 provocaram necessidades inéditas na forma de organizar o país. Tornava-se necessário conhecer o território com seus recursos naturais, suas áreas favoráveis à nova economia e suas áreas com problemas. Era preciso, ainda, conhecer melhor a população e seu potencial de consumo e trabalho.
  5. 5. DIVISÃO REGIONAL O IBGE( Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística ) foi criado em 1938 por Getúlio Vargas com o objetivo de conhecer o território brasileiro e os dados estatísticos da população brasileira. Ele também é o órgão responsável pela divisão regional oficial do país. Ainda de acordo com o IBGE, o território brasileiro está dividido em cinco regiões constituídas por extensos blocos territoriais: NORTE: AM, PA, AC, RO, RR, AP e TO | NORDESTE: MA, PI, CE, RN, PB, PE, AL, SE, BA | CENTRO-OESTE: GO, MT, MS e DF. SUDESTE: SP, RJ, MG e ES | SUL: PR, SC e RS. As duas primeiras divisões regionais foram feitas em 1941 e 1945 tendo como base o critério de regiões naturais. Divisão em 1945 A divisão em vigor é a de 1969 com algumas alterações aprovadas na constituição de 1988 . A atual divisão está baseada no conceito de região homogênea (conjunto de elementos naturais, sociais e econômicos)
  6. 6. NORTE Aspectos Gerais A região Norte é composta por sete estados (Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins). Os primeiros habitantes da região foram os índios, em seguida os espanhóis realizaram expedições, que chamou a atenção para as riquezas de sua fauna e flora. Porém, no século XVII chegaram os portugueses. Com a chegada dos missionários, foram formadas missões, que mais tarde viriam se tornar cidades. DADOS ESTATÍSTICOS  Superfície: 3.858.595 km2  População: 12,8 mil/hab.  Densidade demográfica: 3,3 hab./km2 DIVISÃO REGIONAL
  7. 7. DIVISÃO REGIONAL NORDESTE DADOS ESTATÍSTICOS  Superfície: 1.558.196 km2  População: 53,59 mil/hab.  Densidade demográfica: 34,1 hab./km2 Aspectos Gerais A região Nordeste com o maior número de estados da federação (Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Piauí, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Sergipe). A região possui o segundo maior colégio eleitoral do país, perdendo apenas para a região Sudeste. A história da região começou a ser contada já na época do descobrimento, em 1500. Foi habitada primeiramente por portugueses, que juntamente com os índios, tiveram como primeira atividade econômica a extração do pau-brasil, madeira muito apreciada na Europa. A cidade de Salvador foi a primeira sede do governo-geral português, nessa mesma época o açúcar começou a ser cultivado em terras nordestinas, e a partir de então, passou a ser o ponto forte da economia da região.
  8. 8. DIVISÃO REGIONAL CENTRO-OESTE Aspectos Gerais Com a segunda maior área entre as cinco regiões, a região Centro-Oeste conta com quatro unidades federativas (Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás e o Distrito Federal). Entretanto, apesar de uma grande superfície, a região é também pouco habitada, possui a segunda menor densidade populacional do país, perdendo apenas para a região Norte. Um dos motivos que justifica esse caso, aponta primeiramente para a ocupação de regiões próximas ao litoral. Porém, com a fundação da capital Brasília, a região começou a receber nos últimos anos um aumento populacional, principalmente no estado de Goiás. DADOS ESTATÍSTICOS  Superfície: 1.606.371,505 km2  População: 14,993 mil/hab.  Densidade demográfica: 9,3 hab./km2
  9. 9. DIVISÃO REGIONAL SUDESTE DADOS ESTATÍSTICOS  Superfície: 924.511,3 km2  População: 80.364.410 mil/hab.  Densidade demográfica: 87 hab./km2 Aspectos Gerais É a região mais populosa e industrializada do país. Composta por quatro estados (São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Espírito Santo), começou a ser povoada em 1532 por jesuítas portugueses que fundaram a vila de São Vicente. A partir daí começou a colonização da região, com uma forte relação entre índios e inicialmente os portugueses. No século XVII houve o ciclo do ouro, que levou muitas pessoas para o estado de Minas Gerais, tudo isso, devido a crise da cana-de-açúcar no nordeste. Quando a exploração do ouro entrou em decadência no século XVIII , a região passou a investir na cultura do café, e após a proclamação da república em 1889, a região tornou-se o centro financeiro do país.
  10. 10. DIVISÃO REGIONAL SUL Aspectos Gerais A região Sul é formada pelos estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, destaca-se por ser um grande polo turístico, econômico e cultural, sendo a segunda maior renda per capta do país, atrás apenas da região Sudeste. A região Sul, também conta com uma população alfabetizada em torno de 93,7%, o melhor resultado entre as demais. A colonização sulista, é em sua grande maioria de origem italiana e germânica, contando também, com outras influências europeias, como espanhola e portuguesa. Todos esses, povos que no processo de colonização encontraram na região um clima subtropical e temperado, ideal para o desenvolvimento de suas culturas. DADOS ESTATÍSTICOS  Superfície: 576.410 km2  População: 27.386.891 mil/hab.  Densidade demográfica: 43 hab./km2
  11. 11. VÍDEO
  12. 12. RELEVO
  13. 13. RELEVO O QUE É RELEVO O relevo consiste nas formas da superfície do planeta, podendo ser influenciado por agentes internos e externos. Ou seja, é o conjunto das formas da crosta terrestre, manifestando-se desde o fundo dos oceanos até as terras emersas. TIPOS DE RELEVO PLANALTO – PLANICIE – SERRA – VALE – COLINA – DEPRESSAO – MONTANHA – CHAPADAS - PATAMARES
  14. 14. O RELEVO DO BRASIL O relevo do Brasil tem formação muito antiga e resulta principalmente de atividades internas do planeta Terra e de vários ciclos climáticos. A erosão, por exemplo, foi provocada pela mudança constante de clima úmido, quente, semiárido e árido. Outros fenômenos da natureza (ventos e chuvas) também contribuíram no processo de formação do relevo do brasil. TIPOS DE RELEVO DO BRASIL PLANALTO – PLANICIE – SERRA – DEPRESSÃO – CHAPADAS
  15. 15. TIPOS DE RELEVO BRASILEIRO Os planaltos são terrenos relativamente planos e situados em áreas de altitude mais elevada. São limitados, pelo menos de um lado, por superfícies mais baixas. No Brasil, são exemplos o Planalto Central Brasileiro, o Planalto Centro- Sul Mineiro, os planaltos da Região Amazônica e os planaltos da bacia sedimentar do Paraná. PLANALTO Planalto Central Brasileiro Planalto Centro-Sul Mineiro Planalto Amazônico Planalto da Bacia Sedimentar do Paraná
  16. 16. As planícies são áreas planas ou suavemente onduladas, formadas pela deposição de sedimentos transportados pela ação da água ou do vento, por exemplo. Em geral, encontram-se em regiões de baixa altitude. Por surgirem da deposição de sedimentos inconsolidados (partículas que não se assentaram) vindos de outros locais, são relevos mais recentes que outros. Entre as planícies brasileiras, destacam-se a do Pantanal mato-grossense, a do rio Amazonas e seus principais afluentes e as encontradas no litoral do país. TIPOS DE RELEVO BRASILEIRO PLANÍCIE Planície do Pantanal Mato-Grossense Planície do Rio Amazonas
  17. 17. As serras constituem relevos acidentados, geralmente em forma de cristas (partes altas, seguidas por saliências) e topos aguçados ou em bordas elevadas de planaltos. A Serra do Mar e a Serra da Mantiqueira são bons exemplos. As chapadas e os tabuleiros são relevos de topo plano formados em rochas sedimentares, normalmente limitados por bordas com inclinações variadas. TIPOS DE RELEVO BRASILEIRO SERRAS Serra do Mar Serra do Mantiqueira
  18. 18. TIPOS DE RELEVO BRASILEIRO DEPRESSÕES As depressões são regiões geográficas mais baixas do que as áreas em sua volta. Quando esta região situa-se numa altitude abaixo do nível do mar, ela é chamada de depressão absoluta. Quando são apenas mais baixas do que as áreas ao redor, são chamadas de depressões relativas. As crateras de vulcões desativados são consideradas depressões. É comum a formação de lagos nas depressões. Exemplo: Depressão Sul Amazônica Depressão Sul Amazônica
  19. 19. TIPOS DE RELEVO BRASILEIRO CHAPADAS As chapadas estão situadas em altitudes medianas a elevadas. São exemplos no Brasil a Chapada Diamantina, as chapadas dos Guimarães. Os tabuleiros são encontrados em altitudes relativamente baixas, podendo ocorrer nas faixas costeiras e interiores. No litoral, predominam na Região Nordeste e, no interior, na Região Amazônica. Chapada Diamantina Chapada dos Guimarães
  20. 20. VÍDEO
  21. 21. Maria L. A. Silva Maricélia D. Mendes Natali M. F. Santos Patrícia P. Marques Paula Cristinia O. Dias Santa G. Reis Silene M. Silva Trabalho apresentado à Faculdade da Aldeia de Carapicuíba - FALC, para disciplina de Metodologia do Ensino de História e Geografia Curso de Pedagogia Matutino. Mestre Alessandro Lopes CARAPICUÍBA 2014

×