RESENHA TEMPOS MODERNOS (Modern Times, EUA 1936)
Um filme hilariante que estimula e emociona criação do diretor e
cineasta...
É uma exemplificação das grandes indústrias da época, exigindo cada
vez mais produtividade, reduzindo os períodos de folga...
CONSIDERAÇÕES FINAIS
Tempos Modernos, é uma obra que retrata as condições nas que os
trabalhadores da época estavam inseri...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Resenha tempos modernos filme sobre economia mundial

3.941 visualizações

Publicada em

Publicada em: Economia e finanças
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.941
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
26
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Resenha tempos modernos filme sobre economia mundial

  1. 1. RESENHA TEMPOS MODERNOS (Modern Times, EUA 1936) Um filme hilariante que estimula e emociona criação do diretor e cineasta Charles Chaplin, conta com a assistência de Carter De Haven e Henry Bergman, a cenografia é de Charles D. Hall e Russel Spencer, fotografia de Rollie Totheroh e Ira Morgan e música composta pelo próprio Charles Chaplin, sob arranjo de Alfred Newman, Edward Powell e David Raksin. Tem como atores principais Charles Chaplin (um operário) e Paullete Goddard (a jovem) e coadjuvantes, Henry Bergman (o dono do café), Chester Conklin (o mecânico), Allan Garcia (o diretor da fábrica), Stanley Sanford (outro operário), Hank Mann (um prisioneiro), Lloyd Ingraham (o diretor da prisão), Louis Natheaux, Wilfred Lucas, Heinie Conklin, Edward Kimball, John Rand, Murdock McQuarrie, Dick Alexander, Cecil Reynolds, Myra McKinney, Ed le Sainte, Fred Malatesta, Sam Stein, Juana Sutton, Stanley Blystone e Ted Oliver. INTRODUÇÃO Tempos Modernos é o último filme mudo de Charles Chaplin, o qual focaliza a vida urbana nos Estados Unidos nos anos 30, logo após a crise de 1929, quando a produção industrial reduziu-se a menos da metade e a depressão atingiu grande parte da população norte americana, levando a enormes taxas de desemprego, a miséria e a fome. A figura central do filme é Carlitos, personagem interpretado pelo próprio Chaplin, trabalhador de uma grande indústria e que ao longo do filme se vê envolvido em diferentes eventos que o aproximam de uma jovem, por quem acaba se apaixonando. DESCRIÇÃO DO ASSUNTO O filme focaliza a vida do na sociedade industrial caracterizada pela produção com base no sistema de linha de montagem e especialização do trabalho. É uma crítica à "modernidade" e ao capitalismo representado pelo modelo de industrialização, onde o operário é engolido pelo poder do capital e perseguido por suas ideias "subversivas".
  2. 2. É uma exemplificação das grandes indústrias da época, exigindo cada vez mais produtividade, reduzindo os períodos de folga e descanso da equipe de trabalho e submetendo os mesmos a jornadas exaustivas, o que levou nosso personagem a um estado de total debilidade psicológica, causada pelo estresse inerente dessas condições de trabalho. Pode ser observada também a especialização do trabalho, onde cada trabalhador só consegue realizar determinado tipo de atividade, isso pode ser observado na cena na qual Carlitos aperta porcas enquanto outros operários realizam outras funções as quais dependem da atividade do colega antecessor. Numa outra cena Carlitos se ausenta da linha de produção para ir ao banheiro, durante o percurso pode se apreciar os resquícios dos movimentos repetitivos inerentes á atividade. Esses movimentos refletem em abalos involuntários, já no banheiro, Carlitos tentando descansar por um momento ascende um cigarro e dispõe se a desfrutar o momento de folga quando este é interrompido pelo patrão que o observa por meio de um circuito fechado de vigilância e imediatamente ordena-o para retornar ao trabalho. Pode se perceber ainda a visão critica e sarcástica que é característica marcante do diretor e se apresenta na cena que retrata o dono da grande indústria, representado por Allan Garcia, analisando uma possível aquisição de um equipamento para retirar completamente o intervalo para alimentação de sua equipe de trabalho. Essa aquisição resultaria a empresa uma maior produtividade, sem a necessidade ou sequer a possibilidade de qualquer reajuste salarial. Carlitos termina por ser encaminhado para o hospital onde é diagnosticado com um colapso nervoso, porem este não é associado ao ambiente ou condições laborais nas que Carlitos desempenhava suas funções.
  3. 3. CONSIDERAÇÕES FINAIS Tempos Modernos, é uma obra que retrata as condições nas que os trabalhadores da época estavam inseridos, essas formas de trabalho eram na sua maioria inseridas ou adotadas a partir das ideias de Taylor, a racionalização do trabalho assim como a especialização do mesmo podem ser evidenciadas em algumas cenas do filme. As empresas preocupadas com o lucro utilizam a força laboral humana como parte da própria maquina, ignorando as necessidades dos trabalhadores, ou seja, o operário era tratado como uma engrenagem do sistema produtivo. Podemos observar isso quando o operário não consegue se controlar e começa a apertar parafusos sem parar, mesmo sem estar desenvolvendo a atividade. A monotonia prevalece no trabalho que acaba afetando o psicológico do operário. Além disso, o modelo de Taylor também foi criticado por tratar o indivíduo como um só grupo. não considerando outros aspectos que poderiam influenciar no desempenho dos trabalhadores. Esse filme marcou a história do cinema em todas as épocas, evidenciada pela atual utilização como base para reflexões sobre as condições de trabalho da época, marcando as lutas das classes trabalhistas para a obtenção de cada melhoria aplicada as categorias profissionais dos tempos atuais. Ivan Ornelas Itabuna 2015

×