Nosso LarA vida no Mundo Espiritual        Pelo Espirito André Luiz       Francisco Candido Xavier       Estudo por Patríc...
Cap. 35 - Encontro SingularAnimais em Serviço;Condição SuperiorMemória ProvidencialReencontrar os ofendidosA Lição     htt...
Cap. 35 - Encontro Singular             No capítulo anterior, André estava observando os “recém             chegados do Um...
Cap. 35 - Encontro Singular  No capítulo 33, ele relata:   “Seis grandes carros, formato  diligência, precedidos de matilh...
Cap. 35 - Encontro Singular  Os animais e o homem  592. Se, pelo que toca à inteligência, comparamos o homem e os animais,...
Cap. 35 - Encontro Singular  Os animais e o homem  597. Pois que os animais possuem uma inteligência que lhes faculta cert...
Cap. 35 - Encontro Singular  Os animais e o homem  598. Após a morte, conserva a alma dos animais a sua individualidade e ...
Cap. 35 - Encontro Singular      A condição Superior da Família de André       Voltei-me surpreendido e reconheci, no Sama...
Cap. 35 - Encontro Singular   Memória Providencial   Quis ensaiar algumas explicações relativamente ao passado, mas não o ...
Cap. 35 - Encontro Singular   Reencontrar o Ofendido   E enquanto mal dissimulava o desapontamento, o Silveira, sorrindo, ...
Cap. 35 - Encontro Singular       O Consolador       334 – Antes de perdoarmos a alguém, é conveniente o esclarecimento do...
Cap. 35 - Encontro Singular       340 – Perdão e esquecimento devem significar a mesma coisa?       – Para a convenção do ...
Cap. 35 - Encontro Singular   A Lição   E, tornando-se mais categórica no ensinamento, perguntou:   - Aproveitou, você, o ...
Cap. 35 - Encontro Singular  8. Quando diz: "Ide reconciliar-vos com o vosso irmão, antes de depordes a vossa  oferenda no...
Cap. 35 - Encontro Singular                                            “Abracei-o então , em                              ...
Cap. 35 - Encontro Singular                                        “Rememorar o bem é dar vida à                          ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Nosso Lar - Capitulo 35

688 visualizações

Publicada em

Bibliografia? O Consolador, Livro dos Espiritos e Evangelho Segundo o Espiritismo

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
688
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
99
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
22
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Nosso Lar - Capitulo 35

  1. 1. Nosso LarA vida no Mundo Espiritual Pelo Espirito André Luiz Francisco Candido Xavier Estudo por Patrícia Farias Dubai, 19/02/2013
  2. 2. Cap. 35 - Encontro SingularAnimais em Serviço;Condição SuperiorMemória ProvidencialReencontrar os ofendidosA Lição http://espacodespertar.blogspot.com
  3. 3. Cap. 35 - Encontro Singular No capítulo anterior, André estava observando os “recém chegados do Umbral” trazidos e atendidos pelos Samaritanos, Narcisa, Salustiano... E André acaba caindo nas tramas da curiosidade e se compraz na conversa de um Espírito em profundo sofrimento e perturbação. E no primeiro parágrafo deste capítulo 35 somos mais uma vez chamados a atenção para com os animais. Guardavam-se petrechos da excursão e recolhiam-se os animais de serviço, quando a voz de alguém se fez ouvir carinhosamente, ao meu lado: _André? Você aqui? Muito bem! Que agradável surpresa!...http://espacodespertar.blogspot.com
  4. 4. Cap. 35 - Encontro Singular No capítulo 33, ele relata: “Seis grandes carros, formato diligência, precedidos de matilhas de cães alegres e bulhentos, eram tirados por animais que, mesmo de longe, me pareceram iguais aos muares terrestres. Mas a nota mais interessante era os grandes bandos de aves, de corpo volumoso, que voavam a curta distância, acima dos carros, produzindo ruídos singulares”. LE - 592 a 610, Allan Kardec dirige aos Espíritos algumas dúvidas a respeito da alma dos animais. Através delas, tomamos conhecimento que os animais possuem uma inteligência, um princípio também independente da matéria, que lhe sobrevive ao corpo, ou seja, uma alma, ainda que diferente do homem, em seu caráter evolutivo.http://espacodespertar.blogspot.com 4
  5. 5. Cap. 35 - Encontro Singular Os animais e o homem 592. Se, pelo que toca à inteligência, comparamos o homem e os animais, parece difícil estabelecer-se uma linha de demarcação entre aquele e estes, porquanto alguns animais mostram, sob esse aspecto, notória superioridade sobre certos homens. Pode essa linha de demarcação ser estabelecida de modo preciso? “A este respeito é completo o desacordo entre os vossos filósofos. Querem uns que o homem seja um animal e outros que o animal seja um homem. Estão todos em erro. O homem é um ser à parte, que desce muito baixo algumas vezes e que pode também elevar se muito alto. Pelo físico, é como os animais e menos bem dotado do que muitos destes. A Natureza lhes deu tudo o que o homem é obrigado a inventar com a sua inteligência, para satisfação de suas necessidades e para sua conservação. Seu corpo se destrói, como o dos animais, é certo, mas ao seu Espírito está assinado um destino que só ele pode compreender, porque só ele é inteiramente livre. Pobres homens, que vos rebaixais mais do que os brutos! Não sabeis distinguir-vos deles? Reconhecei o homem pela faculdade de pensar em Deus.”http://espacodespertar.blogspot.com 5
  6. 6. Cap. 35 - Encontro Singular Os animais e o homem 597. Pois que os animais possuem uma inteligência que lhes faculta certa liberdade de ação, haverá neles algum princípio independente da matéria? “Há e que sobrevive ao corpo.” a) - Será esse princípio uma alma semelhante à do homem? “É também uma alma, se quiserdes, dependendo isto do sentido que se der a esta palavra. É, porém, inferior à do homem. Há entre a alma dos animais e a do homem distância equivalente à que medeia entre a alma do homem e Deus.”http://espacodespertar.blogspot.com 6
  7. 7. Cap. 35 - Encontro Singular Os animais e o homem 598. Após a morte, conserva a alma dos animais a sua individualidade e a consciência de si mesma? “Conserva sua individualidade; quanto à consciência do seu eu, não. A vida inteligente lhe permanece em estado latente.” 599. À alma dos animais é dado escolher a espécie de animal em que encarne? “Não, pois que lhe falta livre-arbítrio.” 600. Sobrevivendo ao corpo em que habitou, a alma do animal vem a achar-se, depois da morte, nem estado de erraticidade, como a do homem? “Fica numa espécie de erraticidade, pois que não mais se acha unida ao corpo, mas não é um Espírito errante. O Espírito errante é um ser que pensa e obra por sua livre vontade. De idêntica faculdade não dispõe o dos animais. A consciência de si mesmo é o que constitui o principal atributo do Espírito. O do animal, depois da morte, é classificado pelos Espíritos a quem incumbe essa tarefa e utilizado quase imediatamente. Não lhe é dado tempo de entrar em relação com outras criaturas.”http://espacodespertar.blogspot.com 7
  8. 8. Cap. 35 - Encontro Singular A condição Superior da Família de André Voltei-me surpreendido e reconheci, no Samaritano que assim falava, o velho Silveira, pessoa de meu conhecimento, a quem meu pai, como negociante inflexível, despojara, um dia, de todos os bens. O Consolador Q.258 – No caminho da virtude, o pobre e o rico da Terra podem ser identificados como discípulos de Jesus? – O título de discípulo é conferido pelo Divino Mestre a todos os homens de boa vontade, sem distinção de situações, de classes ou de qualquer expressão sectária. Com responsabilidade dos bens materiais ou sem ela, o homem é sempre rico pela sua posição de usufrutuário das graças divinas e, além do mais, temos de ponderar que, em toda situação, a criatura encontrará responsabilidade na existência, razão por que os sinceros discípulos do Senhor são iguais aos seus olhos, sem preferência de qualquer natureza.http://espacodespertar.blogspot.com 8
  9. 9. Cap. 35 - Encontro Singular Memória Providencial Quis ensaiar algumas explicações relativamente ao passado, mas não o consegui...Naquele instante, eu revia mentalmente o clichê do pretérito. A memória exibia, de novo, o quadro vivo. LE Q. 306. O Espírito se lembra, pormenorizadamente, de todos os acontecimentos de sua vida? Apreende o conjunto deles de um golpe de vista retrospectivo? “Lembra-se das coisas, de conformidade com as conseqüências que delas resultaram para o estado em que se encontra como Espírito errante. Bem compreendes, portanto, que muitas circunstâncias haverá de sua vida a que não ligará importância alguma e das quais nem sequer procurará recordar-se.” a) - Mas, se o quisesse, poderia lembrar-se delas? “Pode lembrar-se dos mais minuciosos pormenores e incidentes, assim relativos aos fatos, como até aos seus pensamentos. Não o faz, porém, desde que não tenha utilidade.”http://espacodespertar.blogspot.com 9
  10. 10. Cap. 35 - Encontro Singular Reencontrar o Ofendido E enquanto mal dissimulava o desapontamento, o Silveira, sorrindo, chamava-me à realidade: - Tem visitado o "velho"? Aquela pergunta, a evidenciar espontâneo carinho, aumentava o meu peso. Silveira identificou-me o constrangimento e apiedando-se, talvez, do meu estado íntimo, procurou afastar-se. Abraçou-me cavalheirescamente e voltou ao trabalho ativo. O Consolador 333 – Na lei divina, há perdão sem arrependimento? – A lei divina é uma só, isto é, a do amor que abrange todas as coisas e todas as criaturas do Universo ilimitado. A concessão paternal de Deus, no que se refere à reencarnação para a sagrada oportunidade de uma nova experiência, já significa, em si, o perdão ou a magnanimidade da Lei. Todavia, essa oportunidade só é concedida quando o Espírito deseja regenerar- se e renovar seus valores íntimos pelo esforço nos trabalhos santificantes. Eis por que a boa vontade de cada um é sempre o arrependimento que a Providência Divina aproveita em favor do aperfeiçoamento individual e coletivo, na marcha dos seres para as culminâncias da evolução espiritual.http://espacodespertar.blogspot.com 10
  11. 11. Cap. 35 - Encontro Singular O Consolador 334 – Antes de perdoarmos a alguém, é conveniente o esclarecimento do erro? – Quem perdoa sinceramente, fálo sem condições e olvida a falta no mais íntimo do coração; todavia, a boa palavra é sempre útil e a ponderação fraterna é sempre um elemento de luz, clarificando o caminho das almas. 335 – Quando alguém perdoa, deverá mostrar a superioridade de seus sentimentos para que o culpado seja levado a arrependerse da falta cometida? – O perdão sincero é filho espontâneo do amor e, como tal, não exige reconhecimento de qualquer natureza.http://espacodespertar.blogspot.com 11
  12. 12. Cap. 35 - Encontro Singular 340 – Perdão e esquecimento devem significar a mesma coisa? – Para a convenção do mundo, o perdão significa renunciar à vingança, sem que o ofendido precise olvidar plenamente a falta do seu irmão; entretanto, para o Espírito evangelizado, perdão e esquecimento devem caminhar juntos, embora prevaleça para todos os instantes da existência a necessidade de oração e vigilância. Aliás, a própria lei da reencarnação nos ensina que só o esquecimento do passado pode preparar a alvorada da redenção.http://espacodespertar.blogspot.com 12
  13. 13. Cap. 35 - Encontro Singular A Lição E, tornando-se mais categórica no ensinamento, perguntou: - Aproveitou, você, o belo ensejo? - Que quer dizer? - indaguei. - Desculpou-se com o Silveira? O Evangelho Segundo o Espiritismo Cap. X Item 7 O sacrifício mais agradável a Deus Se, portanto, quando fordes depor vossa oferenda no altar, vos lembrardes de que o vosso irmão tem qualquer coisa contra vós, - deixai a vossa dádiva junto ao altar e ide, antes, reconciliar-vos com o vosso irmão; depois, então, voltai a oferecê-la. (S. MATEUS, cap. V, vv. 23 e 24.)http://espacodespertar.blogspot.com 13
  14. 14. Cap. 35 - Encontro Singular 8. Quando diz: "Ide reconciliar-vos com o vosso irmão, antes de depordes a vossa oferenda no altar", Jesus ensina que o sacrifício mais agradável ao Senhor é o que o homem faça do seu próprio ressentimento; que, antes de se apresentar para ser por ele perdoado, precisa o homem haver perdoado e reparado o agravo que tenha feito a algum de seus irmãos. Só então a sua oferenda será bem aceita, porque virá de um coração expungido de todo e qualquer pensamento mau. Ele materializou o preceito, porque os judeus ofereciam sacrifícios materiais; cumpria--lhe conformar suas palavras aos usos ainda em voga. O cristão não oferece dons materiais, pois que espiritualizou o sacrifício. Com isso, porém, o preceito ainda mais força ganha. Ele oferece sua alma a Deus e essa alma tem de ser purificada. Entrando no templo do Senhor, deve ele deixar fora todo sentimento de ódio e de animosidade, todo mau pensamento contra seu irmão. Só então os anjos levarão sua prece aos pés do Eterno. Eis aí o que ensina Jesus por estas palavras: "Deixai a vossa oferenda junto do altar e ide primeiro reconciliar-vos com o vosso irmão, se quiserdes ser agradável ao Senhor."http://espacodespertar.blogspot.com 14
  15. 15. Cap. 35 - Encontro Singular “Abracei-o então , em silencio, experimentando alegria nova em minha alma. Pareceu-me que, num dos escaninhos escuros do coração, se me acendera divina luz para sempre.”http://espacodespertar.blogspot.com 15
  16. 16. Cap. 35 - Encontro Singular “Rememorar o bem é dar vida à felicidade. Esquecer o erro é exterminar o mal”. Emmanuel “As pessoas que estão no nosso ontem continuam no nosso presente! Encontro singular não é o de André Luiz com o Silveira, mas o de André com os seus equívocos.”http://espacodespertar.blogspot.com 16

×