Livro dos Espíritos Q 312 ESE Cap.26 item 10

618 visualizações

Publicada em

Reunião Publica GECD - Dubai

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
618
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
71
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Livro dos Espíritos Q 312 ESE Cap.26 item 10

  1. 1. "Tudo me é permitido", mas nem tudo convém. "Tudo me é permitido", mas eu não deixarei que nada domine. 1 Coríntios 6:12
  2. 2. Dubai, 04/01/2015 Livro dos Espiritos Parte 2ª. Cap. VI – Da Vida Espírita - Recordação da existência corpórea - Questão 312 ESE - Cap XXVI Dai gratuitamente o que gratuitamente recebestes Item 10 – Mediunidade Gratuita Dubai, 07/06/2015
  3. 3. Recordação da existência corpórea “Freqüentemente assim acontece e essa lembrança lhes faz compreender melhor o valor da felicidade de que podem gozar como Espíritos.” 312. E a lembrança dos sofrimentos por que passaram na última existência corporal, os Espíritos a conservam? 313. O homem, que neste mundo foi feliz, deplora a felicidade que perdeu, deixando a Terra? “Só os Espíritos inferiores podem sentir saudades de gozos condizentes com uma natureza impura qual a deles, gozos que lhes acarretam a expiação pelo sofrimento. Para os Espíritos elevados, a felicidade eterna é mil vezes preferível aos prazeres efêmeros da Terra.” Exatamente como sucede ao homem que, na idade da madureza, nenhuma importância liga ao que tanto o deliciava na infância.
  4. 4. Recordação da existência corpórea “Depois do desenlace, o Espírito conserva lembranças do estado corporal em que se encontrava, por ficarem vivos na sua consciência os fatos derradeiros da encarnação na Terra. No entanto, sendo alma elevada, que viveu os preceitos do Evangelho, logo se livra das lembranças, para inteirar-se das belezas imortais da vida.” Pelo Espírito Miramez – Filosofia Espírita
  5. 5. Recordação da existência corpórea Cap XXIII – O Pensamento “Somos o que pensamos, com a condição de pensarmos com força, vontade e persistência. Mas, quase sempre, nossos pensamentos passam constantemente de um a outro assunto. Pensamos raras vezes por nós mesmos, refletimos os mil pensamentos incoerentes no meio em que vivemos.” “Poucos homens sabem viver do próprio pensamento, beber nas fontes profundas, nesse grande reservatório de inspiração que cada um traz consigo, mas que a maior parte ignora.” “Por isso criam um invólucro das mais disparatadas formas. Seu espírito é como uma habitação franca a todos os que passam. Os raios do bem e as sombras do mal lá se confundem, num caos perpétuo. ”
  6. 6. Recordação da existência corpórea Cap. XXVI – A dor “A ideia que fazemos da felicidade e da desgraça, da alegria e da dor varia ao infinito segundo a evolução individual. A alma pura, boa e sábia não pode ser feliz à maneira da alma vulgar.” “O que encanta a uma, deixa a outra indiferente. A medida que se sobe o aspecto das coisas muda.” “Como a criança que, crescendo, deixa de lado os brinquedos que a caivaram, a alma que se eleva procura satisafções cada vez mais nobres, graves e profundas.”
  7. 7. Recordação da existência corpórea “O espírito que julga com superioridade e considera o fim grandioso da vida achará mais felicidade, mais serena paz num belo pensamento, numa boa obra, num ato de virtude e até na desgraça que purifica, do que em todos os bens materiais e no brilho das glórias terrestres, porque estas o perturbam, corrompem, embriagam ficticiamente..” Léon Denis
  8. 8. Dubai, 04/01/2015 Evangelho Segundo o Espiritismo Cap. XXVI –Dai gratuitamente o que gratuitamente recebestes Item 10– Mediunidade Gratuita Dubai, 07/06/2015
  9. 9. Cap. XXVI –Dai gratuitamente o que gratuitamente recebestes MEDIUNIDADE GRATUITA 10. A mediunidade é coisa santa, que deve ser praticada santamente, religiosamente. Se há um gênero de mediunidade que requeira essa condição de modo ainda mais absoluto é a mediunidade curadora. O médico dá o fruto de seus estudos, feitos, muita vez, à custa de sacrifícios penosos. O magnetizador dá o seu próprio fluido, por vezes até a sua saúde. Podem pôr- lhes preço. O médium curador transmite o fluido salutar dos bons Espíritos; não tem o direito de vendê-lo. Jesus e os apóstolos, ainda que pobres, nada cobravam pelas curas que operavam. Procure, pois, aquele que carece do que viver, recursos em qualquer parte, menos na mediunidade; não lhe consagre, se assim for preciso, senão o tempo de que materialmente possa dispor. Os Espíritos lhe levarão em conta o devotamento e os sacrifícios, ao passo que se afastam dos que esperam fazer deles uma escada por onde subam.
  10. 10. Cap. XXVI –Dai gratuitamente o que gratuitamente recebestes “Da mesma forma, brilhe a vossa luz diante dos homens para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem vosso Pai que esta nos céus. Mt 5:16 MEDIUNIDADE GRATUITA “O Magnetismo é uma das maiores provas do poder da fé posta em ação. É pela fé que ele cura e produz esses fenômenos singulares, qualificados outrora de milagres” – Kardec Evangelho Segundo o Espiritismo
  11. 11. Cap. XXVI –Dai gratuitamente o que gratuitamente recebestes MAGNETISMO Deve-se ao médico vienense Franz Anton Mesmer (sec XVIII) a divulgação dessa força desconhecida, sobre a qual já havia se referido anteriormente, Von Helmont. E antes de ambos Avicena que atribuía à alma um poder considerável, o de transmitir ao seu próprio corpo e aos dos outros, de forma equilibrante ou desequilibrante, uma força de alto poder, que pode produzir saúde ou doença. Abū ʿAlī al-Ḥusayn , Ibn Sīnā ou por seu nome latinizado Avicena, escreveu tratados sobre variado conjunto de assuntos, dos quais aproximadamente 240 chegaram aos nossos dias. Suas obras mais famosas são o “Livro da Cura”, uma vasta enciclopédia filosófica e científica, e o “Cânone da Medicina. Suas demais obras incluem ainda escritos sobre filosofia, astronomia, alquimia, geografia, psicologia, teologia islâmica, lógica, matemática, física, além de poesia. Ele é considerado como o mais famoso e influente polímata da Era de Ouro Islâmica .
  12. 12. Cap. XXVI –Dai gratuitamente o que gratuitamente recebestes “Existem pelo planeta muitos e muitos profetas, mas de uma certa forma. Arigó não profetizou, ele foi o profeta que trabalhou, o profeta que realizou, que não ficou apenas na citação, mas que realmente se transformou pelo trabalho de ajuda ao próximo.” Leida lucia MEDIUNIDADE GRATUITA José Pedro de Freitas – Zé Arigó 1921 a 1971 – Congonhas do Campo MG O Espírito de Adolf Fritz – Munique Alemanha (desencarnou em 1918) “O Dr. Fritz curava sim corpos, mas a sua intenção era de curar almas, despertando-lhes a consciência adormecida.” Zé Arigo Quase 12milhões de pessoas em 21 anos de trabalho mediunico gratuito dedicado a caridade.
  13. 13. "Tudo me é permitido", mas nem tudo convém. "Tudo me é permitido", mas eu não deixarei que nada domine. 1 Coríntios 6:12

×