Livro dos Espíritos Q 313 e 314 - ESE cap 27

558 visualizações

Publicada em

Reuniao Publica GECD - Dubai

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
558
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
59
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Livro dos Espíritos Q 313 e 314 - ESE cap 27

  1. 1. “Não há fé inquebrantável senão aquela que pode olhar a razão face a face em todas as épocas da Humanidade. À fé é necessária uma base, e essa base é a inteligência perfeita daquilo que se deve crer; para crer não basta ver, é necessário, sobretudo, compreender. (O Evangelho Segundo o Espiritismo.)
  2. 2. Dubai, 04/01/2015 Livro dos Espiritos Parte 2ª. Cap. VI – Da Vida Espírita - Recordação da existência corpórea - Questão 314 ESE - Cap XXVII Pedi e Obtereis Dubai, 14/06/2015
  3. 3. Recordação da existência corpórea 314. Aquele que deu começo a trabalhos de vulto com um fim útil e que os vê interrompidos pela morte, lamenta, no outro mundo, tê-los deixado por acabar? “Não, porque vê que outros estão destinados a concluí-los. Trata, ao contrário, de influenciar outros Espíritos humanos, para que os ultimem. Seu objetivo, na Terra, era o bem da Humanidade: o mesmo objetivo continua a ter no mundo dos Espíritos.”
  4. 4. Recordação da existência corpórea Duas partes: na primeira delas, enfatizam-se os aspectos doutrinários do Espiritismo; na segunda, os relatos de Allan Kardec acerca da sua missão e da constituição do Espiritismo. Há também a biografia de Allan Kardec e o discurso pronunciado sobre o túmulo de Allan Kardec por Camille Flammarion. 1890 Duração de meus trabalhos 24 DE JANEIRO DE 1860. (Em casa da sra. Forbes, méd. sra. Forbes.) “Fiquei, pois, muito surpreso ao receber, de meus correspondentes de Limoges, uma comunicação obtida espontaneamente, na qual o Espírito, falando de meus trabalhos, dizia que o teria ainda por dez anos antes de terminá- lo”. (pag 385) Meu retorno 10 DE JUNHO DE 1860 (Em minha casa, médium, sra. Schmidt.) “Prossegui o caminho sem medo, e se ele está semeado de espinhos, asseguro-te que terás grandes satisfações antes de retornares "por um pouco" entre nós.” Perg. . Que entendeis por essas palavras "por um pouco"?(pag 389)
  5. 5. Recordação da existência corpórea Meu sucessor 22 DE DEZEMBRO DE 1861 (Em minha casa; comunicação particular, méd. sr. D.A...) Tendo uma conversa com os Espíritos levado a falar de meu sucessor na direção do Espiritismo, coloquei a pergunta seguinte: 1890 Muitos entre os adeptos se inquietam quanto ao que se tornará o Espiritismo depois de mim, e se perguntam quem me substituirá quando eu partir, tendo em vista que não se vê ninguém se mostrar, de maneira notória, para tomar-lhe as rédeas?!
  6. 6. Recordação da existência corpórea O corpo se lhe tornava pesado e lhe recusava os seus serviços, mas o seu Espírito, mais vivo, mais enérgico, mais fecundo, estendia sempre mais o círculo de sua atividade. Nessa luta desigual, a matéria não poderia resistir eternamente. Um dia ela foi vencida; o aneurisma se rompeu, e Allan Kardec caiu fulminado. Um homem faltava à Terra; mas um grande nome tomava lugar entre as ilustrações desteséculo, um grande Espírito ia se retemperar no Infinito, onde todos aqueles que ele consolara e esclarecera esperavam impacientemente a sua chegada! (Revista Espírita, maio de 1869).
  7. 7. Recordação da existência corpórea O homem aqui não mais está, nós o repetimos, mas Allan Kardec é imortal, e a sua lembrança, os seus trabalhos, o seu Espírito, estarão sempre com aqueles que tiverem, firme e altamente, a bandeira que ele sempre soube respeitar. (Revista Espírita, maio de 1869). Uma individualidade poderosa constituiu a obra; era o guia e a luz de todos. A obra, sobre a Terra, nos terá o lugar do indivíduo. Não se reunirá mais ao redor de Allan Kardec: reunir-se-á ao redor do Espiritismo tal como o constituiu, e, pelos seus conselhos, sob a sua influência, avançaremos a passos certos para as fases felizes prometidas à Humanidade regenerada.
  8. 8. Recordação da existência corpórea “Nao se acreditem quitados com a lei, atendendo pequeninos deveres de solidariedade humana. Nem se suponham habilitados ao paraíso, por receberem a manifesta proteção de um amigo espiritual. Ajudem a si mesmos no desempenho das obrigações evangélicas. ” Diretor da FEB, Vice-presidente, médium de passes e assistência fraterna e social. Dialogador em reuniões mediunicas. Atuante no Rio de Janeiro e em outros países.
  9. 9. Dubai, 04/01/2015 Evangelho Segundo o Espiritismo Cap. XXVII – Pedi e Obtereis Dubai, 14/06/2015
  10. 10. Cap. XXVII – PEDI E OBTEREIS Qualidades da prece. - Eficácia da prece. - Ação da prece. Transmissão do pensamento. - Preces inteligíveis. - Da prece pelos mortos e pelos Espíritos sofredores. - Instruções dos Espíritos: Maneira de orar. - Felicidade que a prece proporciona.
  11. 11. Cap. XXVII – PEDI E OBTEREIS Qualidades da prece 1. Quando orardes, não vos assemelheis aos hipócritas, que, afetadamente, oram de pé nas sinagogas e nos cantos das ruas para serem vistos pelos homens. - Digo-vos, em verdade, que eles já receberam sua recompensa. - Quando quiserdes orar, entrai para o vosso quarto e, fechada a porta, orai a vosso Pai em secreto; e vosso Pai, que vê o que se passa em secreto, vos dará a recompensa. Não cuideis de pedir muito nas vossas preces, como fazem os pagãos, os quais imaginam que pela multiplicidade das palavras é que serão atendidos. Não vos torneis semelhantes a eles, porque vosso Pai sabe do que é que tendes necessidade, antes que lho peçais. (S. MATEUS, cap. VI, vv., 5 a 8.)
  12. 12. Cap. XXVII – PEDI E OBTEREIS Cap. ORAÇÃO DOMINICAL - Mestre, será que Deus nos ouve todas as orações? - Mestre como deveremos interpretar a oração?
  13. 13. 13 Pedro, enquanto orares pedindo ao Pai a satisfação de teus desejos e caprichos, é possível que te retires da prece inquieto e desalentado. Mas, sempre que solicitares as bênçãos de Deus, a fim de compreenderes a sua vontade justa e sábia, a teu respeito, receberás pela oração os bens divinos do consolo e da paz. Livro Boa Nova – Francisco Cândido Xavier, pelo Espírito Humberto de Campos

×