SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 28
A utilização dos documentos históricos em sala de aula
Éderson Dias Oliveira
•O uso das fontes
históricas incluiu não só o
documento escrito, mas
também outros materiais
disponíveis.
•O estoque de documentos
de que a história dispõe não
é limitado.
•Há inúmeras outras fontes como materiais arqueológicos,
artísticos, numismáticos (moedas e medalhas).
•Isso inclui a consulta de documentos pessoais (certidões
de batismo e etc) e oficiais, imagens pintadas ou
esculpidas, túmulos/lápides, crônicas, cartas, objetos
retirados de escavações arqueológicas entre outros.
•Dentre outras linguagens que podem ser abordadas no
estudo da História estão: a literaturaliteratura, a músicamúsica, a culturacultura
material e imaterial, o teatroteatro, as artesartes plásticasplásticas e o cinemacinema,
escritos gráficosescritos gráficos, epigráficosepigráficos, materiais de toda sorte,
desde moedasmoedas até selosselos, o historiador tem que “dialogar
atentamente” com suas fontes.
•Ensinar História
representa um
desafio, pois há
uma permanente
necessidade de
unir o papel de
docente ao ofício
de historiador.
•Assim, o uso de documentos oficiais e não oficiais
(reportagem de jornal, fotografia, filme, monumento, arte
rupestre, carta, música, testemunhos de personagens que
viveram na época) podem facilitar a tarefa de mediação
entre o aluno e sua aprendizagem do método indutivo que
caracteriza a História.
•A história também tem sido
vista de forma preconceituosa e
inadequada, conotada como
matéria decorativa, pouco digna
do status de ciência.
•Nisso, os materiais didáticos,
se apresentam como suportes
fundamentais na mediação entre
o ensino e a aprendizagem.
•A História deve ser ensinada de forma que o aluno a
compreenda como conhecimento em construção e não
apenas um rol de informações sem valor do passado.
•A aprendizagem significativa é o processo pela qual uma
nova informação se relaciona de maneira não arbitrária à
estrutura cognitiva do aprendiz.
•Estabelecer significados é
formar a ponte entre a leitura,
interpretação e assimilação das
informações com vistas ao
pensamento autônomo.
•É uma tarefa nada fácil que
deve levar da memorização
simples às análises críticas.
•Para Napolitano (2004, p.149), “nos últimos anos tem
sido cada vez mais frequentes o uso de ‘novas linguagens’
não só para motivar os alunos, mas para tentar ‘atualizar’ a
concepção de documento histórico”.
•Atividade: Trazer em dupla uma fonte histórica não
escrita e apresentar na próxima aula. Ex: moeda e objetos
em geral. Deverá contextualizar o tempo/espaço dessa
fonte com hoje, respondendo as questões abaixo:
a) De que se trata?
b) Para que servia?
c) Quem o utilizava?
d) De que material é feito?
e) É possível saber quantos anos ele tem?
f) Como foi feito? É possível saber quem o fabricou?
•Entre os documentos comuns estão os escritos,
empregados em aulas de História para expressar
sentimentos, ideias e impressões do mundo.
•Entre eles, temos os documentos não oficiais como
jornais, literatura, revistas, poemas, letras de música.
•Outro tipo de documento escrito não oficial que pode
ser trabalhado interdisciplinarmente é a literatura, como
romances, poemas ou contos.
•Tais textos cabem como
consulta não apenas nas aulas
de Português, mas também para
o ensino de História e outras
disciplinas.
•Entre os documentos não escritos, fotografias/imagens
(documentos iconográficos) ocupam um lugar de destaque
sensibilizando quem as observa.
•A iconografia (do grego “Eikon”, imagem, e “graphia”,
descrição, escrita) estuda a origem e a formação das
imagens. Trata-se de uma forma de linguagem visual que
utiliza imagens para representar determinado tema
(imprimir o mundo).
•Usada na
indústria editorial, a
iconografia serve
para selecionar
imagens que serão
publicadas em livros.
IMAGENS ICONOGRÁFICA
•A fotografia registra fatos, acontecimentos, situações
vividas em um tempo presente que logo se torna passado.
•Os álbuns de família são um exemplo de como esse
suporte material serve de registro da memória, sendo que
rever fotos significa rememorar um passado desconhecido.
•Portanto, a imagem fotográfica pode revelar aspectos
da vida material de um determinado tempo com muita
facilidade e bem menos esforço que uma descrição verbal
permitiria.
TRABALHANDO COM O HINO NACIONAL
•Os símbolos (brasão, bandeira e o hino) que representam
uma nação, estado, ou município são manifestações gráficas
e musicais de valor histórico, criadas para definir a
identidade social, econômica e cultural de um povo.
•Nossos símbolos como a Bandeira Nacional e as vezes o
Hino estão presente em nosso dia a dia.
Atividade 1- Ouvindo o Hino Nacional Brasileiro
Iniciar a aula conversando com os alunos sobre o Hino
Nacional Brasileiro. Faça perguntas como:
Vocês conhecem o hino nacional? Vocês sabem cantar o
hino nacional?           
Vocês entendem o hino?  Em quais situações é tocado o
hino?
Peça aos alunos que façam uma pesquisa sobre a origem do
hino para próxima aula.
Atividade 2: Tire cópias da letra do Hino distribua em
sala e cante-a com os alunos
Atividade 3 – Mural com as pesquisas sobre o hino
Organize a sala em círculo para discussão sobre as
pesquisas trazidas pelos alunos.
É importante que os alunos falem o resultado da pesquisa.
O que eles aprenderam?  Por que a linguagem é
formal? Quando foi escrito o hino?
Monte um mural e afixe as pesquisas. Sugira aos alunos
que façam a leitura das pesquisas dos colegas.
Atividade 4 - Usando o Dicionário: Procurando o
significado das palavras desconhecidas
Peça aos alunos que circulem as palavras que eles não
conhecem que estão presentes no Hino Nacional. 
Para finalizar esta etapa vá ao quadro/lousa e escreva as
palavras circuladas pelos alunos.
Peça aos alunos que escrevam as palavras no caderno e
depois organize-as em ordem alfabética, pois facilitará o
encontro das palavras no dicionário.
Atividade para
vocês;
•Fazer dois grupo e
escrever o Hino
Nacional com termos
mais populares.
•A seguir na
sequencia cada
grupo irá ler o Hino
original e o alterado;
•Após, cada grupo
irá cantar o Hino
original e o alterado.
Trabalho - Fazer atividade similar
• Hino do Paraná (Grupo I);
• Hino da Bandeira (Grupo II).
Versão simplificada do hino nacional para trabalhar comVersão simplificada do hino nacional para trabalhar com
crianças, a fim de facilitar o entendimento da mensagem.crianças, a fim de facilitar o entendimento da mensagem.
... continuando a aula ...
•O cinemacinema pode ser visto como outra forma de registro que
amplia o foco de um professor, despertando sensações e o
conhecimento ocorre com profundidade.
•Ainda, entre os
documentos não
escritos podemos
citar as peçaspeças
musicais,musicais, que são
espelhos da
sociedade que as
produziu.
•O uso da música é importante por situar os jovens
diante de um meio de comunicação próximo de sua vivência.
•Para Karnal (2004) a História linear está condenada ao
desaparecimento e com o advento da globalização (década
de 1990), temos de olhar em múltiplas direções, e atender
divergentes contextos.
•“Até agora”, a história era ensinada como se tratasse
de quadros já acabados.
Compreender as sociedades nos seus aspectos mais
amplos, envolvem todas as informações, desde as
vestimentas, as grandes construções passando por textos
escritos, imagens, objetos do cotidiano entre outros.
Nesta perspectiva, podemos destacar os objetivos que
se alcança fazendo uso desses documentos no processo
ensino-aprendizagem:
• Fazer o aluno conhecer uma variedade de fontes e adquirir
experiência na sua leitura.
• Desenvolver a capacidade de análise e avaliação crítica das
fontes, distinguindo o que são dados de informação e o que
são opiniões.
• Ensinar a “olhar historicamente” um fenômeno.
• Desenvolver também a capacidade
de síntese interpretativa e narrativa.
• Aprender a recolher informações
sobre o passado distante e próximo.
A História através da imagem e fotografia
•Nunca ficamos passivos diante de uma fotografia: ela
incita nossa imaginação, nos faz pensar sobre o passado a
partir do dado de materialidade que persiste na imagem.
•Num determinado momento um certo aquilo existiu diante
da objetiva fotográfica, diante do olhar do fotógrafo, e
isso é impossível negar - Toda imagem é histórica.
•O marco de sua produção e o momento da sua execução
estão calcados nas superfícies da foto, do quadro, da
escultura, da fachada do edifício.
•A história embrenha as imagens,
que compõem signos de natureza
não verbal, objetos de civilização,
significados de cultura.”
ATIVIDADE DE AUTOESTUDO
1. Procure analisar os documentos iconográficos que
seguem para fazer o que se pede:
a) Descreva as imagens, observando os detalhes que
envolvem cada cena: o que os personagens estão fazendo,
sua expressão (se estão tristes, alegres, irritados etc.),
suas roupas, a paisagem, enfim, tudo o que compõe as
fotografias.
b) Construa uma tabela destacando as diferenças e
semelhanças entre as fotografias analisadas.
c) Escolha uma das crianças das fotografias e redija uma
biografia, imaginando como seria sua vida cotidiana.
d) Reflita e escreva sobre a importância de utilizar
documentos históricos como estes em sala de aula.
2.A truculência, herança do modelo policial da ditadura
militar não saiu ileso às canções da década de 1980. A Banda
Titãs expressou bem este cenário na canção abaixo. A partir
da leitura de sua letra, expresse sua opinião sobre o assunto.
Música - POLÍCIA

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Formação história
Formação históriaFormação história
Formação históriaMagda Marques
 
1 história, cultura, patrimônio e tempo
1   história, cultura, patrimônio e tempo1   história, cultura, patrimônio e tempo
1 história, cultura, patrimônio e tempoMarilia Pimentel
 
História, memória, patrimônio e identidade
História, memória, patrimônio e identidadeHistória, memória, patrimônio e identidade
História, memória, patrimônio e identidadeViegas Fernandes da Costa
 
A história e fonte histórica
A história e fonte históricaA história e fonte histórica
A história e fonte históricarobson30
 
Historia fontes historicas
Historia fontes historicasHistoria fontes historicas
Historia fontes historicasLoredana Ruffo
 
Metodologia do ensino de geografia nas séries iniciais3paisagem
Metodologia do ensino de geografia nas séries iniciais3paisagemMetodologia do ensino de geografia nas séries iniciais3paisagem
Metodologia do ensino de geografia nas séries iniciais3paisagemSilmara Vedoveli
 
História,sujeito e fato histórico
História,sujeito e fato históricoHistória,sujeito e fato histórico
História,sujeito e fato históricoUecson Santos
 
Introdução a historia - fontes históricas
Introdução a historia - fontes históricasIntrodução a historia - fontes históricas
Introdução a historia - fontes históricasIsabel Aguiar
 
Racismo no Brasil
Racismo no BrasilRacismo no Brasil
Racismo no Brasilprogerio81
 
História 6º ano
História 6º anoHistória 6º ano
História 6º anoEloy Souza
 
Aula Patrimônio material e imaterial (com foco em Santa Catarina)
Aula Patrimônio material e imaterial (com foco em Santa Catarina)Aula Patrimônio material e imaterial (com foco em Santa Catarina)
Aula Patrimônio material e imaterial (com foco em Santa Catarina)Viegas Fernandes da Costa
 
Influência da-cultura-africana-no-brasil
Influência da-cultura-africana-no-brasilInfluência da-cultura-africana-no-brasil
Influência da-cultura-africana-no-brasilNancihorta
 
Sociologia, Cultura e Sociedade
Sociologia, Cultura e SociedadeSociologia, Cultura e Sociedade
Sociologia, Cultura e SociedadeMoacyr Anício
 

Mais procurados (20)

Formação história
Formação históriaFormação história
Formação história
 
Arte na escola
Arte na escolaArte na escola
Arte na escola
 
Aula classes sociais
Aula classes sociaisAula classes sociais
Aula classes sociais
 
1 história, cultura, patrimônio e tempo
1   história, cultura, patrimônio e tempo1   história, cultura, patrimônio e tempo
1 história, cultura, patrimônio e tempo
 
Gabarito: Avaliação de História: Períodos Paleolítico e Neolítico – 6º ano – ...
Gabarito: Avaliação de História: Períodos Paleolítico e Neolítico – 6º ano – ...Gabarito: Avaliação de História: Períodos Paleolítico e Neolítico – 6º ano – ...
Gabarito: Avaliação de História: Períodos Paleolítico e Neolítico – 6º ano – ...
 
Lei 10639 .SALA DO PROFESSOR
Lei  10639 .SALA DO PROFESSORLei  10639 .SALA DO PROFESSOR
Lei 10639 .SALA DO PROFESSOR
 
História, memória, patrimônio e identidade
História, memória, patrimônio e identidadeHistória, memória, patrimônio e identidade
História, memória, patrimônio e identidade
 
A história e fonte histórica
A história e fonte históricaA história e fonte histórica
A história e fonte histórica
 
Historia fontes historicas
Historia fontes historicasHistoria fontes historicas
Historia fontes historicas
 
Metodologia do ensino de geografia nas séries iniciais3paisagem
Metodologia do ensino de geografia nas séries iniciais3paisagemMetodologia do ensino de geografia nas séries iniciais3paisagem
Metodologia do ensino de geografia nas séries iniciais3paisagem
 
História,sujeito e fato histórico
História,sujeito e fato históricoHistória,sujeito e fato histórico
História,sujeito e fato histórico
 
Introdução a historia - fontes históricas
Introdução a historia - fontes históricasIntrodução a historia - fontes históricas
Introdução a historia - fontes históricas
 
01 - O que é Sociologia
01 - O que é Sociologia01 - O que é Sociologia
01 - O que é Sociologia
 
Racismo no Brasil
Racismo no BrasilRacismo no Brasil
Racismo no Brasil
 
O que é cultura?
O que é cultura?O que é cultura?
O que é cultura?
 
História 6º ano
História 6º anoHistória 6º ano
História 6º ano
 
Aula Patrimônio material e imaterial (com foco em Santa Catarina)
Aula Patrimônio material e imaterial (com foco em Santa Catarina)Aula Patrimônio material e imaterial (com foco em Santa Catarina)
Aula Patrimônio material e imaterial (com foco em Santa Catarina)
 
Valores
ValoresValores
Valores
 
Influência da-cultura-africana-no-brasil
Influência da-cultura-africana-no-brasilInfluência da-cultura-africana-no-brasil
Influência da-cultura-africana-no-brasil
 
Sociologia, Cultura e Sociedade
Sociologia, Cultura e SociedadeSociologia, Cultura e Sociedade
Sociologia, Cultura e Sociedade
 

Destaque

Tendencias e perspectivas do ensino de história
Tendencias e perspectivas do ensino de históriaTendencias e perspectivas do ensino de história
Tendencias e perspectivas do ensino de históriaPatrícia Éderson Dias
 
Trabajo diapositivas julian vasquez lopez 1152698839
Trabajo diapositivas julian vasquez lopez 1152698839Trabajo diapositivas julian vasquez lopez 1152698839
Trabajo diapositivas julian vasquez lopez 1152698839yesicagutierrezo
 
Zuleinis guerrero ensayo SISTEMAS 1
Zuleinis guerrero ensayo SISTEMAS 1Zuleinis guerrero ensayo SISTEMAS 1
Zuleinis guerrero ensayo SISTEMAS 1zuleinis23guerrero
 
Fase Transisi pada RUP
Fase Transisi pada RUPFase Transisi pada RUP
Fase Transisi pada RUPIfan Dhani
 
Anesthetic risk, quality improvement and liability
Anesthetic risk, quality improvement and liabilityAnesthetic risk, quality improvement and liability
Anesthetic risk, quality improvement and liability●๋•αηкιтα madan
 
INFORME PRIMER DEBATE LEY REESTRUCTURACION DEUDAS
INFORME PRIMER DEBATE LEY REESTRUCTURACION DEUDASINFORME PRIMER DEBATE LEY REESTRUCTURACION DEUDAS
INFORME PRIMER DEBATE LEY REESTRUCTURACION DEUDASEla Zambrano
 
Reglamento de evaluación de los aprendizajes procuraduría
Reglamento de evaluación de los aprendizajes procuraduríaReglamento de evaluación de los aprendizajes procuraduría
Reglamento de evaluación de los aprendizajes procuraduríaJohanna Mena González
 
A substituição dos espaços geográficos indígenas pelos dos luso brasileiros
A substituição dos espaços geográficos indígenas pelos dos luso brasileirosA substituição dos espaços geográficos indígenas pelos dos luso brasileiros
A substituição dos espaços geográficos indígenas pelos dos luso brasileirosPatrícia Éderson Dias
 
Antecedentes da produção do espaço brasileiro
Antecedentes da produção do espaço brasileiroAntecedentes da produção do espaço brasileiro
Antecedentes da produção do espaço brasileiroPatrícia Éderson Dias
 
Abordagem da bacia hidrográfica pela Geografia
Abordagem da bacia hidrográfica pela GeografiaAbordagem da bacia hidrográfica pela Geografia
Abordagem da bacia hidrográfica pela GeografiaPatrícia Éderson Dias
 
Introdução a Geometria hidráulica de canais fluviais
Introdução a Geometria hidráulica de canais fluviaisIntrodução a Geometria hidráulica de canais fluviais
Introdução a Geometria hidráulica de canais fluviaisPatrícia Éderson Dias
 
Geografia - noções conceituais para a contemporaneidade
Geografia - noções conceituais para a contemporaneidadeGeografia - noções conceituais para a contemporaneidade
Geografia - noções conceituais para a contemporaneidadePatrícia Éderson Dias
 

Destaque (20)

Conceito de meio ambiente
Conceito de meio ambienteConceito de meio ambiente
Conceito de meio ambiente
 
Consumismo
ConsumismoConsumismo
Consumismo
 
Ética moral e valores
Ética moral e valoresÉtica moral e valores
Ética moral e valores
 
Introdução ao estudo da história
Introdução ao estudo da históriaIntrodução ao estudo da história
Introdução ao estudo da história
 
Tendencias e perspectivas do ensino de história
Tendencias e perspectivas do ensino de históriaTendencias e perspectivas do ensino de história
Tendencias e perspectivas do ensino de história
 
Trabajo diapositivas julian vasquez lopez 1152698839
Trabajo diapositivas julian vasquez lopez 1152698839Trabajo diapositivas julian vasquez lopez 1152698839
Trabajo diapositivas julian vasquez lopez 1152698839
 
Zuleinis guerrero ensayo SISTEMAS 1
Zuleinis guerrero ensayo SISTEMAS 1Zuleinis guerrero ensayo SISTEMAS 1
Zuleinis guerrero ensayo SISTEMAS 1
 
Fase Transisi pada RUP
Fase Transisi pada RUPFase Transisi pada RUP
Fase Transisi pada RUP
 
Anesthetic risk, quality improvement and liability
Anesthetic risk, quality improvement and liabilityAnesthetic risk, quality improvement and liability
Anesthetic risk, quality improvement and liability
 
INFORME PRIMER DEBATE LEY REESTRUCTURACION DEUDAS
INFORME PRIMER DEBATE LEY REESTRUCTURACION DEUDASINFORME PRIMER DEBATE LEY REESTRUCTURACION DEUDAS
INFORME PRIMER DEBATE LEY REESTRUCTURACION DEUDAS
 
Reglamento de evaluación de los aprendizajes procuraduría
Reglamento de evaluación de los aprendizajes procuraduríaReglamento de evaluación de los aprendizajes procuraduría
Reglamento de evaluación de los aprendizajes procuraduría
 
Divisão dos períodos da História
Divisão dos períodos da HistóriaDivisão dos períodos da História
Divisão dos períodos da História
 
Evaluación formativa 2013
Evaluación formativa 2013Evaluación formativa 2013
Evaluación formativa 2013
 
A substituição dos espaços geográficos indígenas pelos dos luso brasileiros
A substituição dos espaços geográficos indígenas pelos dos luso brasileirosA substituição dos espaços geográficos indígenas pelos dos luso brasileiros
A substituição dos espaços geográficos indígenas pelos dos luso brasileiros
 
Antecedentes da produção do espaço brasileiro
Antecedentes da produção do espaço brasileiroAntecedentes da produção do espaço brasileiro
Antecedentes da produção do espaço brasileiro
 
Aspectos Naturais da America Central
Aspectos Naturais da America CentralAspectos Naturais da America Central
Aspectos Naturais da America Central
 
Abordagem da bacia hidrográfica pela Geografia
Abordagem da bacia hidrográfica pela GeografiaAbordagem da bacia hidrográfica pela Geografia
Abordagem da bacia hidrográfica pela Geografia
 
Introdução a Geometria hidráulica de canais fluviais
Introdução a Geometria hidráulica de canais fluviaisIntrodução a Geometria hidráulica de canais fluviais
Introdução a Geometria hidráulica de canais fluviais
 
Geografia - noções conceituais para a contemporaneidade
Geografia - noções conceituais para a contemporaneidadeGeografia - noções conceituais para a contemporaneidade
Geografia - noções conceituais para a contemporaneidade
 
HIDROGEOGRAFIA E HIDROLOGIA
HIDROGEOGRAFIA E HIDROLOGIAHIDROGEOGRAFIA E HIDROLOGIA
HIDROGEOGRAFIA E HIDROLOGIA
 

Semelhante a A utilizacao dos documentos historicos em sala de aula

Plano ensinomedio
Plano ensinomedioPlano ensinomedio
Plano ensinomedioBrendo Lima
 
Projeto 3 bimestre 2º ano f
Projeto 3 bimestre 2º ano fProjeto 3 bimestre 2º ano f
Projeto 3 bimestre 2º ano fcaic-2
 
MéTodo Da HistóRia Da HistóRia Positivista Do MéTodo Da Nova HistóRia
MéTodo Da HistóRia Da HistóRia Positivista Do MéTodo Da Nova HistóRiaMéTodo Da HistóRia Da HistóRia Positivista Do MéTodo Da Nova HistóRia
MéTodo Da HistóRia Da HistóRia Positivista Do MéTodo Da Nova HistóRiamicaze1976
 
Arte - plano de curso-2016
Arte  - plano de curso-2016Arte  - plano de curso-2016
Arte - plano de curso-2016Mary Alvarenga
 
A música na educação infantil
A música na educação infantilA música na educação infantil
A música na educação infantiljaqueegervasio
 
Modelo de projeto em Diversidade
Modelo de projeto em DiversidadeModelo de projeto em Diversidade
Modelo de projeto em DiversidadeNonata50
 
MPEHG AULA 4: Usos didáticos de documentos Documentos escritos/não escritos ...
MPEHG AULA 4: Usos didáticos de documentos  Documentos escritos/não escritos ...MPEHG AULA 4: Usos didáticos de documentos  Documentos escritos/não escritos ...
MPEHG AULA 4: Usos didáticos de documentos Documentos escritos/não escritos ...profamiriamnavarro
 
Minha históriaminhavida
Minha históriaminhavidaMinha históriaminhavida
Minha históriaminhavidaivonetefranzo
 
Exemplo de um Tema de Vida B2
Exemplo de um Tema de Vida  B2Exemplo de um Tema de Vida  B2
Exemplo de um Tema de Vida B2helena frança
 
Plano aula modelo gasparim genero textual
Plano aula modelo gasparim  genero textualPlano aula modelo gasparim  genero textual
Plano aula modelo gasparim genero textualLuis Carlos Santos
 
Projeto perfazendo a trajetória do mito de orfeu e eurídice
Projeto   perfazendo a trajetória do mito de orfeu e eurídiceProjeto   perfazendo a trajetória do mito de orfeu e eurídice
Projeto perfazendo a trajetória do mito de orfeu e eurídiceCleia Lucia de Castro Castro
 
dia do livro - planejamento.docx
dia do livro - planejamento.docxdia do livro - planejamento.docx
dia do livro - planejamento.docxmartasacramento5
 
Projeto educação patrimonial espno pps
Projeto educação patrimonial espno ppsProjeto educação patrimonial espno pps
Projeto educação patrimonial espno ppsMARCIA GOMES FREIRE
 

Semelhante a A utilizacao dos documentos historicos em sala de aula (20)

Projeto hitoria do hino
Projeto hitoria do hinoProjeto hitoria do hino
Projeto hitoria do hino
 
Plano ensinomedio
Plano ensinomedioPlano ensinomedio
Plano ensinomedio
 
Projeto 3 bimestre 2º ano f
Projeto 3 bimestre 2º ano fProjeto 3 bimestre 2º ano f
Projeto 3 bimestre 2º ano f
 
MéTodo Da HistóRia Da HistóRia Positivista Do MéTodo Da Nova HistóRia
MéTodo Da HistóRia Da HistóRia Positivista Do MéTodo Da Nova HistóRiaMéTodo Da HistóRia Da HistóRia Positivista Do MéTodo Da Nova HistóRia
MéTodo Da HistóRia Da HistóRia Positivista Do MéTodo Da Nova HistóRia
 
História local
História localHistória local
História local
 
Arte - plano de curso-2016
Arte  - plano de curso-2016Arte  - plano de curso-2016
Arte - plano de curso-2016
 
Roteiro de Leitura -Literaturas brasileira e portuguesa
Roteiro de Leitura -Literaturas brasileira e portuguesaRoteiro de Leitura -Literaturas brasileira e portuguesa
Roteiro de Leitura -Literaturas brasileira e portuguesa
 
A música na educação infantil
A música na educação infantilA música na educação infantil
A música na educação infantil
 
2 o estudo em outras épocas
2 o estudo em outras épocas2 o estudo em outras épocas
2 o estudo em outras épocas
 
Modelo de projeto em Diversidade
Modelo de projeto em DiversidadeModelo de projeto em Diversidade
Modelo de projeto em Diversidade
 
MPEHG AULA 4: Usos didáticos de documentos Documentos escritos/não escritos ...
MPEHG AULA 4: Usos didáticos de documentos  Documentos escritos/não escritos ...MPEHG AULA 4: Usos didáticos de documentos  Documentos escritos/não escritos ...
MPEHG AULA 4: Usos didáticos de documentos Documentos escritos/não escritos ...
 
Minha históriaminhavida
Minha históriaminhavidaMinha históriaminhavida
Minha históriaminhavida
 
Planejame..
Planejame..Planejame..
Planejame..
 
Exemplo de um Tema de Vida B2
Exemplo de um Tema de Vida  B2Exemplo de um Tema de Vida  B2
Exemplo de um Tema de Vida B2
 
Plano aula modelo gasparim genero textual
Plano aula modelo gasparim  genero textualPlano aula modelo gasparim  genero textual
Plano aula modelo gasparim genero textual
 
Relatório de atividades
Relatório de atividadesRelatório de atividades
Relatório de atividades
 
Projeto perfazendo a trajetória do mito de orfeu e eurídice
Projeto   perfazendo a trajetória do mito de orfeu e eurídiceProjeto   perfazendo a trajetória do mito de orfeu e eurídice
Projeto perfazendo a trajetória do mito de orfeu e eurídice
 
dia do livro - planejamento.docx
dia do livro - planejamento.docxdia do livro - planejamento.docx
dia do livro - planejamento.docx
 
Projeto educação patrimonial espno pps
Projeto educação patrimonial espno ppsProjeto educação patrimonial espno pps
Projeto educação patrimonial espno pps
 
Sequência didática 2016.2
Sequência didática   2016.2Sequência didática   2016.2
Sequência didática 2016.2
 

Mais de Patrícia Éderson Dias

Processos Migratórios e a Crise dos Refugiados
Processos Migratórios e a Crise dos RefugiadosProcessos Migratórios e a Crise dos Refugiados
Processos Migratórios e a Crise dos RefugiadosPatrícia Éderson Dias
 
Psicologia e educação interlocuções e possibilidades
Psicologia e educação  interlocuções e possibilidadesPsicologia e educação  interlocuções e possibilidades
Psicologia e educação interlocuções e possibilidadesPatrícia Éderson Dias
 
Metodologia da pesquisa em ciências da educação
Metodologia da pesquisa em ciências da educação Metodologia da pesquisa em ciências da educação
Metodologia da pesquisa em ciências da educação Patrícia Éderson Dias
 
Livro Fundamentos da Educação Infantil
Livro Fundamentos da Educação InfantilLivro Fundamentos da Educação Infantil
Livro Fundamentos da Educação InfantilPatrícia Éderson Dias
 
Normas ABNT Apresentação de trabalhos acadêmicos
Normas ABNT Apresentação de trabalhos acadêmicosNormas ABNT Apresentação de trabalhos acadêmicos
Normas ABNT Apresentação de trabalhos acadêmicosPatrícia Éderson Dias
 
Geopolítica da instalação portuguesa na américa
Geopolítica da instalação portuguesa na américaGeopolítica da instalação portuguesa na américa
Geopolítica da instalação portuguesa na américaPatrícia Éderson Dias
 

Mais de Patrícia Éderson Dias (20)

Processos Migratórios e a Crise dos Refugiados
Processos Migratórios e a Crise dos RefugiadosProcessos Migratórios e a Crise dos Refugiados
Processos Migratórios e a Crise dos Refugiados
 
Geografia economica i
Geografia economica iGeografia economica i
Geografia economica i
 
Conhecimento geografico i
Conhecimento geografico iConhecimento geografico i
Conhecimento geografico i
 
Climatologia ii
Climatologia iiClimatologia ii
Climatologia ii
 
Climatologia i
Climatologia iClimatologia i
Climatologia i
 
Cartografia ii
Cartografia iiCartografia ii
Cartografia ii
 
Cartografia i
Cartografia iCartografia i
Cartografia i
 
Psicologia e educação interlocuções e possibilidades
Psicologia e educação  interlocuções e possibilidadesPsicologia e educação  interlocuções e possibilidades
Psicologia e educação interlocuções e possibilidades
 
Política educacional
Política educacional Política educacional
Política educacional
 
Metodologia da pesquisa em ciências da educação
Metodologia da pesquisa em ciências da educação Metodologia da pesquisa em ciências da educação
Metodologia da pesquisa em ciências da educação
 
Literatura infantil
Literatura infantilLiteratura infantil
Literatura infantil
 
Linguagem e alfabetização
Linguagem e alfabetizaçãoLinguagem e alfabetização
Linguagem e alfabetização
 
Leitura e produção de texto
Leitura e produção de texto Leitura e produção de texto
Leitura e produção de texto
 
Historia da Educação Brasileira
Historia da Educação BrasileiraHistoria da Educação Brasileira
Historia da Educação Brasileira
 
Livro Fundamentos da Educação Infantil
Livro Fundamentos da Educação InfantilLivro Fundamentos da Educação Infantil
Livro Fundamentos da Educação Infantil
 
Fosolofia na Educação
Fosolofia na EducaçãoFosolofia na Educação
Fosolofia na Educação
 
Livro de Didatica
Livro de DidaticaLivro de Didatica
Livro de Didatica
 
Metodologia do Ensino de Historia
Metodologia do Ensino de HistoriaMetodologia do Ensino de Historia
Metodologia do Ensino de Historia
 
Normas ABNT Apresentação de trabalhos acadêmicos
Normas ABNT Apresentação de trabalhos acadêmicosNormas ABNT Apresentação de trabalhos acadêmicos
Normas ABNT Apresentação de trabalhos acadêmicos
 
Geopolítica da instalação portuguesa na américa
Geopolítica da instalação portuguesa na américaGeopolítica da instalação portuguesa na américa
Geopolítica da instalação portuguesa na américa
 

Último

Recurso Casa das Ciências: Sistemas de Partículas
Recurso Casa das Ciências: Sistemas de PartículasRecurso Casa das Ciências: Sistemas de Partículas
Recurso Casa das Ciências: Sistemas de PartículasCasa Ciências
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfErasmo Portavoz
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?MrciaRocha48
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdfProfGleide
 
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamental
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino FundamentalCartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamental
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamentalgeone480617
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfdio7ff
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
Noções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdf
Noções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdfNoções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdf
Noções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdfdottoor
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASEdinardo Aguiar
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfangelicass1
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirIedaGoethe
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 anoAdelmaTorres2
 

Último (20)

Recurso Casa das Ciências: Sistemas de Partículas
Recurso Casa das Ciências: Sistemas de PartículasRecurso Casa das Ciências: Sistemas de Partículas
Recurso Casa das Ciências: Sistemas de Partículas
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
 
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamental
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino FundamentalCartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamental
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamental
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
Noções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdf
Noções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdfNoções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdf
Noções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdf
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
 

A utilizacao dos documentos historicos em sala de aula

  • 1. A utilização dos documentos históricos em sala de aula Éderson Dias Oliveira
  • 2. •O uso das fontes históricas incluiu não só o documento escrito, mas também outros materiais disponíveis. •O estoque de documentos de que a história dispõe não é limitado. •Há inúmeras outras fontes como materiais arqueológicos, artísticos, numismáticos (moedas e medalhas). •Isso inclui a consulta de documentos pessoais (certidões de batismo e etc) e oficiais, imagens pintadas ou esculpidas, túmulos/lápides, crônicas, cartas, objetos retirados de escavações arqueológicas entre outros.
  • 3. •Dentre outras linguagens que podem ser abordadas no estudo da História estão: a literaturaliteratura, a músicamúsica, a culturacultura material e imaterial, o teatroteatro, as artesartes plásticasplásticas e o cinemacinema, escritos gráficosescritos gráficos, epigráficosepigráficos, materiais de toda sorte, desde moedasmoedas até selosselos, o historiador tem que “dialogar atentamente” com suas fontes. •Ensinar História representa um desafio, pois há uma permanente necessidade de unir o papel de docente ao ofício de historiador.
  • 4. •Assim, o uso de documentos oficiais e não oficiais (reportagem de jornal, fotografia, filme, monumento, arte rupestre, carta, música, testemunhos de personagens que viveram na época) podem facilitar a tarefa de mediação entre o aluno e sua aprendizagem do método indutivo que caracteriza a História. •A história também tem sido vista de forma preconceituosa e inadequada, conotada como matéria decorativa, pouco digna do status de ciência. •Nisso, os materiais didáticos, se apresentam como suportes fundamentais na mediação entre o ensino e a aprendizagem.
  • 5. •A História deve ser ensinada de forma que o aluno a compreenda como conhecimento em construção e não apenas um rol de informações sem valor do passado. •A aprendizagem significativa é o processo pela qual uma nova informação se relaciona de maneira não arbitrária à estrutura cognitiva do aprendiz. •Estabelecer significados é formar a ponte entre a leitura, interpretação e assimilação das informações com vistas ao pensamento autônomo. •É uma tarefa nada fácil que deve levar da memorização simples às análises críticas.
  • 6. •Para Napolitano (2004, p.149), “nos últimos anos tem sido cada vez mais frequentes o uso de ‘novas linguagens’ não só para motivar os alunos, mas para tentar ‘atualizar’ a concepção de documento histórico”. •Atividade: Trazer em dupla uma fonte histórica não escrita e apresentar na próxima aula. Ex: moeda e objetos em geral. Deverá contextualizar o tempo/espaço dessa fonte com hoje, respondendo as questões abaixo: a) De que se trata? b) Para que servia? c) Quem o utilizava? d) De que material é feito? e) É possível saber quantos anos ele tem? f) Como foi feito? É possível saber quem o fabricou?
  • 7. •Entre os documentos comuns estão os escritos, empregados em aulas de História para expressar sentimentos, ideias e impressões do mundo. •Entre eles, temos os documentos não oficiais como jornais, literatura, revistas, poemas, letras de música. •Outro tipo de documento escrito não oficial que pode ser trabalhado interdisciplinarmente é a literatura, como romances, poemas ou contos. •Tais textos cabem como consulta não apenas nas aulas de Português, mas também para o ensino de História e outras disciplinas.
  • 8. •Entre os documentos não escritos, fotografias/imagens (documentos iconográficos) ocupam um lugar de destaque sensibilizando quem as observa. •A iconografia (do grego “Eikon”, imagem, e “graphia”, descrição, escrita) estuda a origem e a formação das imagens. Trata-se de uma forma de linguagem visual que utiliza imagens para representar determinado tema (imprimir o mundo). •Usada na indústria editorial, a iconografia serve para selecionar imagens que serão publicadas em livros.
  • 10. •A fotografia registra fatos, acontecimentos, situações vividas em um tempo presente que logo se torna passado. •Os álbuns de família são um exemplo de como esse suporte material serve de registro da memória, sendo que rever fotos significa rememorar um passado desconhecido. •Portanto, a imagem fotográfica pode revelar aspectos da vida material de um determinado tempo com muita facilidade e bem menos esforço que uma descrição verbal permitiria.
  • 11. TRABALHANDO COM O HINO NACIONAL •Os símbolos (brasão, bandeira e o hino) que representam uma nação, estado, ou município são manifestações gráficas e musicais de valor histórico, criadas para definir a identidade social, econômica e cultural de um povo. •Nossos símbolos como a Bandeira Nacional e as vezes o Hino estão presente em nosso dia a dia.
  • 12. Atividade 1- Ouvindo o Hino Nacional Brasileiro Iniciar a aula conversando com os alunos sobre o Hino Nacional Brasileiro. Faça perguntas como: Vocês conhecem o hino nacional? Vocês sabem cantar o hino nacional?            Vocês entendem o hino?  Em quais situações é tocado o hino? Peça aos alunos que façam uma pesquisa sobre a origem do hino para próxima aula. Atividade 2: Tire cópias da letra do Hino distribua em sala e cante-a com os alunos
  • 13.
  • 14. Atividade 3 – Mural com as pesquisas sobre o hino Organize a sala em círculo para discussão sobre as pesquisas trazidas pelos alunos. É importante que os alunos falem o resultado da pesquisa. O que eles aprenderam?  Por que a linguagem é formal? Quando foi escrito o hino? Monte um mural e afixe as pesquisas. Sugira aos alunos que façam a leitura das pesquisas dos colegas.
  • 15. Atividade 4 - Usando o Dicionário: Procurando o significado das palavras desconhecidas Peça aos alunos que circulem as palavras que eles não conhecem que estão presentes no Hino Nacional.  Para finalizar esta etapa vá ao quadro/lousa e escreva as palavras circuladas pelos alunos. Peça aos alunos que escrevam as palavras no caderno e depois organize-as em ordem alfabética, pois facilitará o encontro das palavras no dicionário.
  • 16. Atividade para vocês; •Fazer dois grupo e escrever o Hino Nacional com termos mais populares. •A seguir na sequencia cada grupo irá ler o Hino original e o alterado; •Após, cada grupo irá cantar o Hino original e o alterado.
  • 17. Trabalho - Fazer atividade similar • Hino do Paraná (Grupo I); • Hino da Bandeira (Grupo II).
  • 18. Versão simplificada do hino nacional para trabalhar comVersão simplificada do hino nacional para trabalhar com crianças, a fim de facilitar o entendimento da mensagem.crianças, a fim de facilitar o entendimento da mensagem.
  • 19.
  • 20. ... continuando a aula ... •O cinemacinema pode ser visto como outra forma de registro que amplia o foco de um professor, despertando sensações e o conhecimento ocorre com profundidade. •Ainda, entre os documentos não escritos podemos citar as peçaspeças musicais,musicais, que são espelhos da sociedade que as produziu.
  • 21. •O uso da música é importante por situar os jovens diante de um meio de comunicação próximo de sua vivência. •Para Karnal (2004) a História linear está condenada ao desaparecimento e com o advento da globalização (década de 1990), temos de olhar em múltiplas direções, e atender divergentes contextos. •“Até agora”, a história era ensinada como se tratasse de quadros já acabados.
  • 22. Compreender as sociedades nos seus aspectos mais amplos, envolvem todas as informações, desde as vestimentas, as grandes construções passando por textos escritos, imagens, objetos do cotidiano entre outros. Nesta perspectiva, podemos destacar os objetivos que se alcança fazendo uso desses documentos no processo ensino-aprendizagem:
  • 23. • Fazer o aluno conhecer uma variedade de fontes e adquirir experiência na sua leitura. • Desenvolver a capacidade de análise e avaliação crítica das fontes, distinguindo o que são dados de informação e o que são opiniões. • Ensinar a “olhar historicamente” um fenômeno.
  • 24. • Desenvolver também a capacidade de síntese interpretativa e narrativa. • Aprender a recolher informações sobre o passado distante e próximo.
  • 25. A História através da imagem e fotografia •Nunca ficamos passivos diante de uma fotografia: ela incita nossa imaginação, nos faz pensar sobre o passado a partir do dado de materialidade que persiste na imagem. •Num determinado momento um certo aquilo existiu diante da objetiva fotográfica, diante do olhar do fotógrafo, e isso é impossível negar - Toda imagem é histórica. •O marco de sua produção e o momento da sua execução estão calcados nas superfícies da foto, do quadro, da escultura, da fachada do edifício. •A história embrenha as imagens, que compõem signos de natureza não verbal, objetos de civilização, significados de cultura.”
  • 26. ATIVIDADE DE AUTOESTUDO 1. Procure analisar os documentos iconográficos que seguem para fazer o que se pede: a) Descreva as imagens, observando os detalhes que envolvem cada cena: o que os personagens estão fazendo, sua expressão (se estão tristes, alegres, irritados etc.), suas roupas, a paisagem, enfim, tudo o que compõe as fotografias.
  • 27. b) Construa uma tabela destacando as diferenças e semelhanças entre as fotografias analisadas. c) Escolha uma das crianças das fotografias e redija uma biografia, imaginando como seria sua vida cotidiana. d) Reflita e escreva sobre a importância de utilizar documentos históricos como estes em sala de aula.
  • 28. 2.A truculência, herança do modelo policial da ditadura militar não saiu ileso às canções da década de 1980. A Banda Titãs expressou bem este cenário na canção abaixo. A partir da leitura de sua letra, expresse sua opinião sobre o assunto. Música - POLÍCIA